Home Aviação Comercial China: Oportunidades empolgam a Indústria da Aviação Global

China: Oportunidades empolgam a Indústria da Aviação Global

3187
20

O objetivo da China de se tornar um importante player de aviação está injetando ímpeto e oportunidades na indústria global de aviação.

O país está enviando sinais claros de buscar cooperação com o mundo e de dominar tecnologias-chave.

Progresso em Saltos

“Múltiplos avanços tecnológicos críticos elevam as capacidades da China em equipamentos de aviação a um novo patamar”, disse Yang Wei, acadêmico da Academia Chinesa de Ciências e vice-presidente da Aviation Industry Corporation of China (AVIC).

A China mostrou seus avanços na aviação no Airshow China 2018, em Zhuhai, província de Guangdong, no sul da China, em novembro.

O evento bienal é uma reunião de todos os principais participantes da aviação global, como a Boeing, Airbus, Honeywell, Rolls-Royce, Pratt & Whitney e a Safran, etc.

O demonstrador de propulsão de empuxo vetorado J-10B (TVC) desenvolvido de forma independente, o caça furtivo J-20, o cargueiro militar Y-20 e a série de UAS Wing Loong (sistema de aeronave não tripulada) estavam em exibição.

“Estes mostraram as conquistas de profissionais dedicados nos campos de desenvolvimento de aeronaves e motores, bem como excelentes equipes de voo de teste”, disse Yang, que também é o designer-chefe do J-20 e chefe do projeto TVC do J-10B.

Pessoas ligadas à aviação de todo o mundo testemunharam manobras pós-stall, como “J-turn”, “Fall Leaf” e “Pugachev Cobra”, realizadas pelo J-10B TVC.

O gigante de aviação estatal AVIC exibiu 134 produtos, incluindo 37 em exposição pela primeira vez.

Além disso, a China desenvolveu o avião regional turbolélice Modern Ark 700 de forma independente, a série de helicópteros AC e o helicóptero armado Z-10, que também apareceu no airshow.

A família de UAS Wing Loong, produtos estrela da China no mercado militar global, compreendeu o Wing Loong I, o Wing Loong II e o Wing Loong I-D.

Foi a primeira exibição pública do Wing Loong I-D, que tem uma fuselagem feita completamente de material compósito.

“O UAS Wing Loong foi desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa e Design de Aeronaves de Chengdu (CADI) da AVIC”, disse o designer-chefe Li Yidong. “Projetamos o UAS com longa experiência no desenvolvimento de aeronaves tripuladas de alta qualidade e entendemos as necessidades de clientes internacionais por meio de uma cooperação aprofundada.”

J-10B com TVC
J-10B com TVC
Cargueiro militar Y-20
Caça furtivo J-20 mostra suas armas no Airshow China 2018
Wing Loong II
UAS Wing Loong II

Mercado único

Aos olhos dos líderes da indústria global de aviação, a contínua abertura da China faz dela “o mercado mais empolgante e o mais importante do mundo”.

“O setor de aviação civil da China é bastante singular”, disse John Bruns, presidente da Boeing China. “A Boeing está muito honrada em testemunhar e apoiar seu crescimento, e nós construímos uma parceria estratégica criativa de cooperação ganha-ganha”.

A Boeing levou 40 anos para entregar sua milésima aeronave para a China em 2013. E apenas cinco anos depois, a empresa entregou a 2.000ª para o mercado chinês, disse ele.

O 737 Completion and Delivery Center da Boeing em Zhoushan, província de Zhejiang, leste da China, entregará seu primeiro avião 737 em dezembro – a primeira entrega de uma aeronave da Boeing em um local no exterior.

Boeing 737-800 da Air China
Boeing 737-800 da Air China

“O projeto da Boeing em Zhoushan foi o melhor exemplo da cooperação ganha-ganha, trabalhando com parceiros chineses e cultivando um sistema industrial de aviação e aumentando a capacidade dos fornecedores”, disse ele.

A China registrou crescimento de dois dígitos em seu mercado de aviação civil. Em 2017, sua indústria de aviação civil registrou 552 milhões de viagens de passageiros, um aumento de 13% em relação ao ano anterior.

“O poder aprimorado nos setores de indústria aeronáutica e de aviação civil criou grandes oportunidades para a indústria global de aviação”, disse Xu Jun, vice-presidente de OEMs da Ásia-Pacífico da Honeywell Aerospace.

A Honeywell fornece quatro sistemas principais e tem duas joint-ventures com parceiros chineses para apoiar a decolagem da aeronave C919 de passageiros de grande porte da China, que fez seu primeiro voo de sucesso em maio de 2017.

“A Honeywell está comprometida em aprofundar nossa cooperação com os parceiros chineses. Esperamos desempenhar um papel no projeto de aeronaves de passageiros de grande porte Sino-Russo CR929,” disse Xu.

C919
C919
Mock up do CR929

Benefício mútuo

“A cooperação nos fortalece. Enquanto a China entra em uma nova era, a indústria global de aviação, particularmente as empresas líderes, deve trabalhar com a China para explorar um modo de cooperação flexível, criativo e vantajoso para todos”, disse Xu.

O mercado da Ásia-Pacífico também está preparado para manter o crescimento, com a China como o maior impulso.

A previsão é de que a China se torne o maior mercado de aviação do mundo até meados dos anos 2020, segundo a Associação Internacional de Transporte Aéreo.

“Além disso, a abertura encoraja a Airbus a prosseguir com confiança no aprofundamento da cooperação com a indústria de aviação chinesa”, disse George Xu, CEO da Airbus China. “Só a cooperação ganha-ganha pode levar a um futuro promissor”.

A China se tornou a maior região do mercado único da Airbus, respondendo por cerca de um quarto do total de entregas de aeronaves comerciais globais.

Em 2017, o valor da cooperação industrial entre a Airbus e seus parceiros chineses alcançou mais de 640 milhões de dólares, e estima-se que este número atinja 1 bilhão de dólares em 2020.

Além da cooperação no mercado e no setor industrial, a Airbus está de olho no poder inovador da China. Estabeleceu o segundo centro global de inovação em Shenzhen, com o objetivo de gerar e cultivar o poder inovador da China e do mundo.

“A Airbus vê a China como parceira estratégica de longo prazo e valiosa. Valorizamos a alta do mercado e seu grande potencial”, disse George Xu.

A220 da airBaltic
O Airbus A220 da airBaltic se apresentou no Air Show China 2018

FONTE: Xinhua

20
Deixe um comentário

avatar
10 Comment threads
10 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
15 Comment authors
Bruno RochaCarlos Alberto SoaresWellington GóesTIGER 777Br Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Jmgboston
Visitante
Jmgboston

Não é desmetecer o trabalho dos chineses mas quando dizem que desenvolveram algo na realidade estão usando outra palavra de ” copiaram algo e melhoraram “. Esse cargueiro mesmo por exemplo lembra muito o c17 globemastar porem com o landing gear reforçado e com mais pneus, talvez por ter mais capacidade de carga. Se até trem bala alemão eles copiaram o mais eles não fariam para economizar bilhoes em desenvolvimento e tempo?

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

O fato é que não só a China como toda a região do Sudeste e Sul da Ásia são os motores do crescimento global. E no mercado de aviação não é diferente. A China é a estrela da Região. Apenas na aviação civil, ela já tem mais de 37 aeroportos que movimentam mais de dez milhões de passageiros. E está prevista a construção de muitos outros. Neste contexto de ampliação de mercado, o avião da COMAC cairá como uma luva naquele mercado. As novidades da indústria militar já são de amplo conhecimento, visto que são constantemente aqui postadas. Teremos dentro… Read more »

carcara_br
Visitante
carcara_br

É uma possibilidade que a embraer tenha sido comprada pra impedir uma futura expansão justamente sobre a China, quando se analisa o histórico de desenvolvimento de aeronaves fica aquela sensação que o próximo passo seria a criação de aeronaves que competiriam diretamente com os gigantes do mercado…
Devaneios a parte, nunca vou entender um brasileiro levando pro lado pessoal porque a china copia tecnologia (como se fosse exceção e não a regra)…

cerberosph
Visitante

E esses que defendem a venda da Embraer sob a alegação de que os acionistas aprovam, é uma empresa privada etc será que teriam essa opinião se a compradora fosse uma empresa chinesa?

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

Eu apoio a venda da Embraer para uma empresa americana, européia, islandesa, paraguaia… seja lá quem for. Porém não apoio uma venda para um empresa chinesa por um simples motivo: a empresa chinesa seria estatal.
Ou seja, seria trocar o dono Governo do Brasil (uma parte) para Governo Chinês.

Se fosse para uma empresa de capital aberto em bolsa eu seria a favor.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Rui.
Não se preocupe com isso. A China não tem o mínimo interesse na EMBRAER.
Conforme a própria reportagem mostra, o avanço deles é notável em todas áreas.

Br
Visitante
Br

Por que cargas d’água você pensa que a empresa seria estatal?

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Acho que o sujeito não conseguiu passar em concursos para estatais e ficou desse jeito.
Tô nem aí se é estatal ou não.

Delfim
Visitante
Delfim

Eu que não entendo os governos americano e chinês se estranhando e suas empresas se amando. Digo, da parte chinesa eu entendo : a China usa tecnologia civil para projetos militares, enquanto os EUA fazem o contrário.

andrepoa2002
Visitante
andrepoa2002

..”Aos olhos dos líderes da indústria global de aviação, a contínua abertura da China faz dela “o mercado mais empolgante e o mais importante do mundo”.”
Muito cuidado com o andor que o santo é de barro! Com os chineses todo cuidado é pouco, basta lembrar a experiência não exatamente exitosa da Embraer em se instalar em terras amarelas.
Os chineses, adeptos da idéia do império do centro não estão minimamente interessado em comércio como preconiza a OMC. Aliais os chinas nem deveriam participar da OMC, mais uma para a conta do molusco, presidanta e demais governos de mesma linha.

BMIKE
Visitante
BMIKE

O Sr. Está correto, o plano chinês é audacioso e não nos beneficia em nada. Para a China é importante que o Brasil só produza bananas, em todos os sentidos.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Vale lembrar que a expressão ‘República de Bananas’ foi cunhada justamente pela dependência da América Latina em vender bananas para os EUA.

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

A tempos eu ouvia que eram os americanos e ingleses que queriam que só produzissemos bananas.

Agora é a vez dos chineses!

Haja banana pra gente produzir aqui eaoiheoaihaeoihaeoia

Bruno Rocha
Visitante
Bruno Rocha

Errado. Do ponto de vista do capitalismo, não faz sentido que continue havendo uma população pobre, pois quanto maior o poder aquisitivo mais as pessoas comprariam. Inclusive, isso é um argumento aos maconheiros que insistem em dizer que o capitalismo gera miséria e, pasme, precisa de pobreza “para se sustentar”. A não ser que a maconha ache que a empresa vai produzir bens para vender aos alienígenas, essa argumentação não faz sentido. Contudo, a China tem um projeto de poder ideológico, conseguiu ainda fundir o comunismo político ao capitalismo predatório de uma forma que ninguém conseguiu até então. Então, faz… Read more »

nonato
Visitante
nonato

Empresas que se vendem para depois serem engolidas.
Trump precisa agir rápido.
O dragão é doido e está se achando.

Diego K
Visitante
Diego K

Em pensar que a EMBRAER podia abocanhar o mercado de aviação regional Chinês sozinha e crescer horrores, mas a daram.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

A EMBRAER já produziu aviões na China e não foi bem-sucedida.
Ademais, a China vem desenvolvendo diversas linhas de aviões tanto civis quanto militares e não creio que esteja tão interessada no portfólio da brasileira.
Talvez, uma ou outra compra. Coisa pontual.

TIGER 777
Visitante
TIGER 777

Caros colegas, deve ser um custo “estratosférico”, para qualquer país, usar e manter um avião cargueiro, como o Y-20 e seus congêneres russos e ocidentais. Quanto será a hora vôo de um monstro destes????
E outra pergunta, justificaria o Brasil adquirir estas aeronaves???? Abçs.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

E o pessoal aqui batendo palmas para esta pataquada da “joint venture” Boeing – Embraer…….. rsrsrs

Tá certo, a Boeing veio “salvar” a Embraer e nós, nos submetemos ao escrutínio dos EUA, seremos salvos das ambições da China. Putz!!!

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Quem são os atuais controladores da Embraer ?

Kkkkk…..

A China vai ter um GAP na questão energia, será ?

Inventem pesado na energia solar.

Queimarão muito óleo e carvão por muito tempo.

Deverão construir dezenas de usinas nucleares.