Home Estratégia Militares dos EUA em ‘crise’ podem perder guerra para Rússia e China,...

Militares dos EUA em ‘crise’ podem perder guerra para Rússia e China, alerta relatório

10227
101
Caças F-22 Raptor

Os EUA ‘poderiam sofrer baixas inaceitavelmente altas e sofrer grandes perdas em seu próximo conflito’, diz a Comissão de Estratégia de Defesa Nacional

Por Alex Johnson

Os Estados Unidos enfrentam uma “crise de segurança nacional” porque sua supremacia militar histórica se deteriorou drasticamente, deixando-o provavelmente incapaz de combater mais de uma guerra de cada vez, segundo um relatório divulgado na quarta-feira.

“A superioridade militar dos EUA não é mais garantida e as implicações para os interesses americanos e a segurança americana são severas”, disse o relatório, divulgado pela Comissão Nacional de Estratégia de Defesa, uma agência independente cuja comissão é nomeada pelos comitês da Câmara e do Senado.

O relatório conclui que o Departamento de Defesa não está preparado financeira ou estrategicamente para travar duas guerras ao mesmo tempo e pode até perder uma guerra contra a China ou a Rússia individualmente.

“Os militares dos EUA podem sofrer baixas inaceitavelmente altas e perda de grandes ativos em seu próximo conflito”, afirmou.

Os co-presidentes da comissão – Eric Edelman, que era subsecretário de defesa durante a presidência de George W. Bush, e o almirante Gary Roughead, ex-chefe de operações navais que une as administrações Bush e Obama – devem testemunhar perante o  Comitê de Serviços Armados no final deste mês.

Johnny Michael, porta-voz do Departamento de Defesa, disse que a agência acolheu o relatório, chamando-o de “um forte lembrete da gravidade dessas questões e um chamado à ação”.

“O departamento considerará cuidadosamente cada uma das recomendações apresentadas pela comissão como parte dos esforços contínuos para fortalecer a defesa de nossa nação, e espera trabalhar com a comissão e o Congresso para fazê-lo”, disse ele.

Em um post para o Atlantic Council, um instituto de política de negócios internacionais sem fins lucrativos, Edelman escreveu na quarta-feira que “China e Rússia, buscando hegemonia regional e projeção de poder global, estão buscando equipamentos militares visando neutralizar as forças dos EUA.

Caça furtivo chinês J-20
Caça furtivo chinês J-20
Caça russo Sukhoi Su-57
Caça furtivo russo Sukhoi Su-57

Ao mesmo tempo, “os Estados Unidos enfraqueceram significativamente sua própria defesa devido a disfunções políticas e decisões tomadas tanto por republicanos quanto por democratas”, escreveu ele, citando cortes no orçamento de defesa “com pronunciados efeitos prejudiciais sobre o tamanho, modernização e prontidão dos militares “.

Na semana passada, o presidente Donald Trump pediu ao Departamento de Defesa para cortar US$ 16 bilhões no ano que vem de seu orçamento, que atualmente é de US$ 716 bilhões – uma redução de 2¼ por cento.

“As forças dos EUA precisarão de recursos adicionais para treinar para níveis elevados de proficiência em uma gama mais ampla e mais desafiadora tecnologicamente de missões potenciais do que no passado recente, particularmente aquelas que enfocam ameaças militares avançadas da China e da Rússia”, escreveu a comissão.

Mas o dinheiro não é o único obstáculo, concluiu.

A comissão saudou a Estratégia Nacional de Defesa, um resumo dos objetivos militares americanos que o Secretário de Defesa James Mattis divulgou em janeiro.

A versão pública não confidencial do documento de estratégia foi amplamente criticada por não ter informações específicas, incluindo níveis de força e custo, e a comissão pediu que mais do mesmo fosse tornado público para que pudesse ser “usado como referência para medir a implementação da estratégia”.

O documento “aponta o Departamento de Defesa e o país na direção certa”, disse a comissão, mas “não explica adequadamente como devemos chegar lá”.

O relatório de 116 páginas identifica o espaço exterior e o ciberespaço como pontos problemáticos específicos, entre muitos outros.

“Devido ao nosso foco recente em contra-terrorismo e contra-insurgência, e porque nossos inimigos desenvolveram novas formas de derrotar as forças americanas, os Estados Unidos estão perdendo sua vantagem nas principais áreas de combate, como projeção de poder, defesa aérea e mísseis, operações espaciais e cibernéticas, guerra anti-superfície e antissubmarino, ataques terrestres de longo alcance e guerra eletrônica”, afirmou.

“Muitas das habilidades necessárias para planejar e conduzir operações militares contra adversários capazes – especialmente China e Rússia – atrofiaram.”

O relatório fecha com um aviso dissonante:

“Os custos de não atender à crise de defesa nacional e segurança nacional da América não serão medidos em conceitos abstratos como ‘estabilidade internacional’ e ‘ordem global’. Eles serão medidos em vidas americanas, tesouros americanos, e a segurança e a prosperidade americanas serão perdidas. É uma tragédia – de magnitude imprevisível, mas talvez tremenda – se os Estados Unidos permitirem que seus interesses nacionais e segurança nacional sejam comprometidos por falta de vontade ou incapacidade de fazer escolhas difíceis e investimentos necessários.

“Essa tragédia será ainda mais lamentável porque está ao nosso alcance evitá-la”, disse o painel.

FONTE: NBC News

Subscribe
Notify of
guest
101 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
1 ano atrás

tomando uma twist e comendo pipoca……

Dr.Telêmaco
Dr.Telêmaco
Reply to  Saldanha da Gama
1 ano atrás

Fiz até uns canapés pra assistir mais este round rsrsrsrs o “incansável navio de sua majestade” a essa hora deve estar dando pulos de raiva por não poder entrar na briga (acho que foi banido) kkkkkk

Wagner
Wagner
Reply to  Saldanha da Gama
1 ano atrás

Eu fiz até café!

Chris
Chris
Reply to  Saldanha da Gama
1 ano atrás

Eu entendi o choro como “queremos mais dinheiro”

Vou nem perder tempo… heheh

Munhoz
Munhoz
1 ano atrás

A questão principal é que a balança do poder mundial esta pendendo para o oriente e os EUA vão tentar manipular a economia mundial para que isto não aconteça . Com o conflito na Ucrânia os EUA conseguiram diminuir o crescimento econômico da Russia, agora com a China a coisa é mais em baixo e os valores são outros, alem do que com a China em crescimento a Russia consegue se manter na cola. Outra coisa é que Russia e China tem gastos militares diferentes quando comparado aos EUA pois possuem industrias controladas pelo estado e que vedem os equipamentos… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Munhoz
1 ano atrás

Acabei de ler artigo em que executivos da indústria automobilística americana pedem que Trump pare com essa loucura de impor sobretaxas ao alumínio, aço e peças, pois isto está matando as empresas nacionais (americanas).
Trump, como previsto, está colocando os EUA em uma enrascada.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Eu cantei essa bola um tempo atrás, quando começou o tarifaço, me taxaram de louco, comunixta, petixta, psolixta… Se os grandes já estão pedindo arrego, imagine os pequenos que não poder para fazer lobby em Washington.

Carlos Acildo
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Claro, por isso que as indústria tem contratado como nunca! Faz todo sentido!

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Carlos Acildo
1 ano atrás

Tudo ao seu tempo, não olhe apenas para o curto prazo, olhe para o longo prazo. Até o pentágono já se queixou do tarifaço, que pode aumentar os custos para produção de armas e projetos importantes. o Inovar auto no Brasil também foi do mesmo jeito, no curto prazo uma maravilha, mas no longo prazo temos Ônix zero estrelas no LatinNCAP como carro mais popular, bateu morreu! E o preço? Um absurdo!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Defensor da liberdade
1 ano atrás

Verdade. Esses executivos americanos estão dizendo que Trump está pondo em perigo cerca de 700 mil empregos na indústria automobilística.
Em tempo: A BMW anunciou que vai transferir boa parte da produção dos EUA para a China.
No fundo, bem feito.
America first.

Chris
Chris
Reply to  Defensor da liberdade
1 ano atrás

A coluna B do Chevrolet Onix foi reforçada… E em novo teste, ganhou 3 estrelas, o máximo que um modelo sem ESP pode receber, atualmente.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
1 ano atrás

Os EUA estão em conflito a 17 anos consecutivos. A renovação de meios foi pequena e em grande parte mal feita. A frota original está caindo aos pedaços, o número de acidentes ocorridos fora de zonas de guerra aumentou muito.

Ou eles dão um jeito de cair fora do “Vietnã árido” ou esses relatórios alarmistas só vão aumentar de intensidade.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Clésio aparentemente estão passando essa bola para os Sauditas como protagonista e tendo coadjuvantes Doha, Emirados e Damam, com articulação com os Sionista.

Jardel
Jardel
1 ano atrás

Uma guerra entre estes países envolveria vários outros aliados, “n” fatores influenciariam no resultado final. Guerra nuclear ou convencional?…..etc. Acho que os EUA não perderiam.
Que começe a treta……rsrsrssr

ALEXANDRE
Reply to  Jardel
1 ano atrás

Tb acho que nao,acho tb que o Brasil recebera incentivos para fortalecimento militar ja que somos aliados e proximos aos EUA ,mas,isso é so achismo meu e espero que se concretize.

ALDO GHISOLFI
1 ano atrás

Questão de estratégia geopolítica, mas a verdade é que, desde há muito tempo, a Rússia e a China estão se preparando para confrontar o Tio Sam que, como os primos pobres do sul, ainda está dormindo em berço esplêndido.
Mas, penso que com a chacoalhada que levaram do relatório da Comissão Nacional de Estratégia de Defesa tenho certeza de que, como em outras vezes, os EEUU mudam o quadro na maior velocidade. A estratégia geopolítica dos EEUU é muito flexível e permeável às soluções pontuais.

Maurício.
Maurício.
1 ano atrás

Por mais que alguns queiram negar, se um dia de fato acontecer uma guerra envolvendo EUA, Rússia e China, esses F-22 da imagem seriam apenas coadjuvantes, acho que a “treta” seria nuclear, se até contra a Coreia do Norte o Trump já apelou com o tal “botão maior” imagina contra Rússia ou China, “malucos” por interesses do jeito que são esses governantes eu não duvido de nada.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Galante, eu acho que numa suposta guerra envolvendo esses 3 países, dificilmente a guerra iria começar e terminar apenas como uma guerra convencional.
Eu espero que esse provável conflito nunca aconteça, porque como sempre, quem sofre mais é a população que não tem nada haver com os interesses de seus governantes.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Galante.
Eu acho que o lado que começar perdendo, ou não tiver condições de aguentar uma guerra longa, que certamente acabará em derrota. Vai sim utilizar-se dos meios nucleares.
Ou melhor. Dane-se o mundo. Que não me chamo Raimundo.

Eliakim
Eliakim
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Galante,

O fator dissuasório das armas nucleares é fulcral em tempos de paz.

Contudo, numa Guerra declarada entre estes países (não falo aqui de escaramuças ou de guerras por procuração) as armas nucleares serão, inevitavelmente, usadas.

Arma, por definição, é construída para ser usada.

Manuel Souza
Manuel Souza
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Eu acho que o poder de dissuasão da arma nuclear vai além. Além de evitar uma guerra por destruição mútua pelo uso de artefatos nucleares, ele impede o acesso ao território do inimigo que possui tal artefato. Não sei se fui claro. As próximas guerras Europa x Rússia e EUA x China será longe de seus territórios. Criméia, Ucrânia, Líbia e Síria… Logo mais no Irã, na África, em Taiwan, no Ártico. E quem sabe até na América do Sul.

Ricardo
Ricardo
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

Creio que se os russos ou chineses sentirem que vão perder, eles usarão contra um alvo terceiro de interesse dos EUA. O que faria os americanos buscar um acordo! Não creio que se os russos acertarem Guam os EUA atacariam de maneira nuclear a Rússia continental.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
1 ano atrás

Isso não passa de choradeira por mais verbas, coisa suja de gente mal intencionada. Puro lobby.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Strobel.
Estes caras fazem o capeta para conseguirem verbas.
O contribuinte que se dane.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antonio Palhares
1 ano atrás

O único problema é que o orçamento americano está estourando. Anteontem divulgaram que começaram o ano fiscal com deficit orçamentário recorde de US$ 100 bilhões para outubro. Uma verdadeira calamidade.

Victor Moraes
Victor Moraes
1 ano atrás

Sem alarmes. Isto é apenas mais um relatório para garantir verbas junto ao congresso. Há perigo sim, mas parece-me muito pouco provável que Russia, ou China, colocariam tudo a perder para fazer uma guerra contra os EUA.

Socrates Pereira
Socrates Pereira
1 ano atrás

O spunik news (site do governo russo) comprou a página? Como se ganha uma guerra de quem tem 8 mil bombas nucleares? perder guerra para outras potencias nucleares? Espero que jamais exista uma guerra nessas proporções. Não é porque não foi usado armas nucleares que elas não serão usadas futuramente, uma guerra direta será sem dúvida nuclear.

Delfim
Delfim
Reply to  Socrates Pereira
1 ano atrás

O Vietnam ganhou.

Phuderoso
Phuderoso
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Oque historiadores dizem hoje eh que o Tio Sam lutou com as duas maos amarradas nas costas e de olhos vendados para ter aquele desfecho. Pois ambo o congresso e a opiniao publica trabalhavam contra os militares.

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Phuderoso
1 ano atrás

Pois é meu amigo , mas guerra total é assim , cegando o inimigo , amarrando suas mãos , idiotizando seu povo, usando Ongs como ponta de lança , como as de ambientalistas apátridas , de direitos humanos e de pseudo pacifismo, fazendo propaganda de ideologias fake como as de genero , tudo isto faz parte da guerra , somente o Brasil e seu povo ainda não entenderam !!!!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Phuderoso
1 ano atrás

Primeiro de tudo, soldado americano tem de aprender a aguentar o tranco.
São muito frágeis. Li, recentemente, que cerca de 130 mil veteranos que foram para o Iraque e Afeganistão estão passando por cuidados psiquiátricos.
Fala sério!

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Hahahaha…..essa foi a campeã das merd@s que você fala!! Bota teu r@bo no meio de um conflito em uma guerra, pra tu ver como é…..ah, isso tu não vai querer fazer, mesmo que precise, não é? Ficar falando bost@ ideológica como tu fazes, escondido atrás de um teclado, é bem mais fácil, não é mesmo?
Soldados russos não tiveram nenhum problema psicológico após o laço que tomaram no Afeganistão? Hahaha…vai contar suas besteiras noutro canto!!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Se não tem capacidade, não vá para a guerra. Fique plantando rosas no jardim de casa que é mais negócio.
Em tempo: Estatísticas das próprias F.A. americanas davam conta de que um veterano da Guerra do Afeganistão se matava por dia. O número de suicídios foi maior que o de baixas em combate.
Sem contar os infindáveis casos de vícios em drogas, particularmente grave na Guerra do Vietnã.
Sinto muito. Os números não mentem e sua torcida não os farão mudar.

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Você é risível e completamente tendencioso! Quem esta fazendo torcida aqui? Eu falei que guerra, é guerra! É um lugar que mesmo o cara com os mairoes culhões do mundo, treme a perna. Tem estatísticas dos russos falando sobre o mesmo tema. Não, não deve ter. E por isso quer dizer que eles são mais fod@ que os americanos? Não! Só quer sizer que os russos não fazem esse tipo de pesquisa e estatística ou, se fazem, não publicam. Quanto à capacidade, queria você ter essa capacidade de ir à guerra? Tem? Se não tem, não pode falar nada de… Read more »

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Pois Antonio, o cara serve o exército americano, 5 anos depois é um usuário de drogas pesadas. Kkkkkkk EUA só tem cheirador de pó.

Flanker
Flanker
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Esse é o nível dos comentários que tu consegues escrever? Acho que não são só os soldados dos EUA que andam consumindo drogas pesadas…kkkkkkkk

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Pois é, Defensor.
Posso imaginar um conflito no Alasca, na Sibéria, nas estepes da Mongólia ou do Cazaquistão onde soldados americanos exigiriam sopa quente, meias de lã e privadas aquecidas.
Sem contar ligação de internet para matar saudades da família.

Agnelo
Agnelo
1 ano atrás

Acho q muitos não percebem a dica.
“Mais de uma guerra de cada vez…”
A Estratégia Americana publicada é Vencer 2 guerras ao mesmo tempo.
Por isso, a preocupação.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Agnelo
1 ano atrás

Sempre foi assim, desde 2001 eles tem a estratégia 4-2-3-1. Que é lutar em 4 guerra ou conflitos simultâneos de vários aspectos. Sendo 2 para vencer facilmente. 1 para vencer totalmente. E para conter revoltas em solo americano. Isso tudo ao mesmo tempo em que tenta deter outros conflitos. É claro que é um cenário do início da década passada mas continua válido. O problema dos EUA não grana, é vontade de encarar as coisas como elas são e fazer o que deve ser feito, ao mesmo tempo em que convence seus aliados disso. Num eventual conflito, na Europa: teriam… Read more »

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Esqueçam TAIWAN , de uma hora para outra ela voltará a CHINA, apenas haverá o mesmo bla bla bla contra a Rússia sobre a Crimeia, agora contra China mais blabla bla . Taiwan é CHINA!!

Andrigo
Andrigo
1 ano atrás

Eu percebi isso, no caso eles consideram combater a Russia e a China ao mesmo tempo em 2 frentes diferentes, mas não conseguiriam ganhar nos 2 fronts. Não numa guerra convencional pelo menos….

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Andrigo
1 ano atrás

Em caso das nuclear a derrota americana é mais certa ainda !

Flanker
Flanker
Reply to  jose luiz esposito
1 ano atrás

Em caso de guerra nuclear, tu vais finalmente ver a derrota do seu tão odiado grande satã! Ou melhor, não vai ver, porque tanto EUA, Rússia, China e todo resto do mundo como conhecemos deixará de existir! Inclusive você, e todo o resto….viraremos comida para vermes radioativos! Uma arma nuclear que seja usada, uminha só, desencadeará um efeito dominó que acabará com a vida no planeta inteiro! Grande parte de forma instantânea e o restante de forma dolorosa, lenta e irreversível! Os lugares que não forem calcinados se tornarão absolutamente impossiveis de se viver! Mas, como eu disse, você assistirá,… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Pois, avise isso ao retardado do Trump que está brincando com fogo, achando que o Mundo é igual aos idiotas dos seus eleitores.

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
1 ano atrás

Apesar de ter um orçamento gigantesco,muitos analistas fazem pânico para ter mais verbas ou não tirarem seu dinheiro,no governo de Obama era de4oo e poucos bi ,trump quase dobrou a quantia ,e estão reclamando aqui o temer cortou um bocado de verba e ninguém reclamou,conseguiram atrasar projetos que já estavam atrasados.Voltando aõ tema ver-se que na guerra da síria konet destruindo leo-2a4,misseis antiaéreos portáteis destruindo sukoi e f-16.Grandes potências militares perdendo guerras E#UA no Vietnam e Rússia no Alfeganistão.O Maior inimigo dos EUA é a china guerras econômica,ciberneticas e a china produzindo armas numa velocidade espantosa(semelhante a Alemanha na 3*guerra)Produzir… Read more »

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
1 ano atrás

Alemanha na 2*guerra vou corrigir logo,queria acrescentar que EUA é bom para atacar mas péssimo para manter terreno,como no Iraque e Afeganistão.Aliás manter terreno área ocupada é algo complicado.Detalhes os russos em suas armas as ogivas são maiores e também o alcance só o cep e maior talvez seje isto.

Jmgboston
Jmgboston
1 ano atrás

Alguem aqui sabe me explicar qual seria o interesse da Russia ou China em entrar em conflito com a galinha do ovos de ouro e seus aliados? A china deixou de ser comunista para ser ditadura capitalista. A Russia esta indo para o mesmo caminho. E arruinando esses mercados, europeu e americano e tambem o japones e autraliano pretendem dominar o comércio com África e america latina exemplo?

MGNVS
MGNVS
1 ano atrás

Mais uma Sputinice alarmista da midia americana que trabalha a favor do lobby de armas. Sputinices do Tio Sam agora tem superado o proprio Sputinik. Combater uma guerra em duas frentes contra Russia e China? Sem chance. Igual Roma, os EUA ja chegaram no limite maximo ao qual poderiam ir em suas guerras, Iraq e Afeganisthan sao provas cabais disso. Verdade seja dita, hj os EUA sequer tem condicoes de abrir outra frente de combate, seja contra North Korea, Iran ou ate mesmo Venezuela, tanto é assim que no caso de intervençao contra Maduro eles vao querer arrastar Colombia e… Read more »

Pedro Bó
Pedro Bó
1 ano atrás

Em um conflito contra a China, com certeza nações como Japão, Coreia do Sul e Austrália se envolveriam em apoio aos EUA. Contra a Rússia, a Europa quase que inteira faria o mesmo. No Oriente Médio aos bastiões são a Turquia (que não anda bem confiável), Israel, Arábia Saudita e outros países menores. A opção americana poderia passar também por um lobby nesses países para o aumento com gastos militares e compra de mais materiais norte-americanos e fazer “cordões de isolamento” frente aos russos e chineses.

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Bingo !

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

O atentado terrorista de 11 de setembro de 2001 mudou totalmente a ação americana não só no Oriente médio, assim como no mundo todo. Só que o tempo passou e a motivação norte-americana está diminuindo a cada ano. Em contrapartida as ações anti terror, países como a Rússia e Síria continuam financiando a todo vapor o hezbolah, hamas e também milícias como os houthis. O ponto de atenção é a Europa. O povo italiano, francês ou alemão deveria estar muito preocupado com a escalada das ações dos varias células terroristas e principalmente a invasão da Rússia da Crimeia e Ucrânia.… Read more »

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

A Síria estava quietinha , quando os EUA quiseram derrubar seu governo aliado da Rússia , e por lá passar o gás saudita e via Turquia entrega-lo a Europa , derrubando seu preço e a economia russa ; outra coisa , vamos parar com esta cantilena mentirosa da propaganda americana que a Rússia tomou a Crimeia , ela sempre foi russa , com seu povo russo , apenas a passaram a administração da Ucrânia , e quando a OTAN/EUA derrubaram o Governo eleito da Ucrania , e oferendo sua entrada a UE , a Rússia que é Potência Mundial a… Read more »

João Borges Queiroz Júnior
1 ano atrás

O F-35 pode ser barato de comprar, mas custa ~ 6x mais pra operar comparado ao Gripen E.

João Borges Queiroz Júnior
Reply to  João Borges Queiroz Júnior
1 ano atrás

Oops. Post errado.

Pedro
Pedro
1 ano atrás

Sinceramente, façamos contas aos factos, em comparação qual dos países agride mais? Rússia e China ou EUA? Agradeço o policiamento, mas os EUA não policiam nada, controlam e é mesmo só isso, quem está pobre e quem está rico está assim porque eles querem.

Tadeu Mendes
1 ano atrás

Uma Guerra entre os EUA e a Russia, ou China, forçariam os Estados Unidos a entrar em DEFCON 1 em uma questão de horas.

No dia seguinte o silêncio será total. Será o primeiro dia da nova era troglodita.

Não duvidem dessa possibilidade. Qualquer conflito entre os países citados vai terminar em cogumelos atômicos globais.

Delfim
Delfim
1 ano atrás

Os EUA possuem a maior máquina de guerra da História, sua limitação está no uso político de tal máquina, que se baseia na vontade popular. A população americana se tornou sensível à imagens pela TV de seus soldados feridos ou mortos, por mais que os EUA sejam vitoriosos. O Vietnã é o exemplo clássico, os EUA perderam a guerra ganhando todas as batalhas. Mas a opinião pública era contra, se fosse favorável os EUA teriam erradicado o Vietnã do Norte apenas com o poderio convencional. A população americana atualmente só apoia um conflito se os EUA forem atacados primeiro, ou… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Na verdade, havia um medo do uso irrestrito da força, por parte dos governantes americanos, temendo uma reação soviética.
Lembre-se que em 62 os 2 quase começaram a 3 guerra mundial, e tbm havia ainda a memória fresca da intervencao chinesa na Coreia.
No começo do conflito havia grande apoio popular, se não houvesse esse medo do uso da força teria detido o Vietnã do norte de anexar o sul.

paulo costa
paulo costa
1 ano atrás

é só mais um relatório exagerado qur a Rigor não serve pra nada
receita para os Estados Unidos saír da suposta crise de meia-idade :

* fechar 2/3 de suas bases em território estrangeiro
* repatriar soldados, equipamentos e armamentos de suas bases no exterior desativadas
* sair da otan e abandonar os sangue-sugas a própria sorte

Pronto, crise resolvida em 3 passos … os americanos podem dormir em paz de novo

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Artigo tão subjetivo que nem dá pra comentar.

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 ano atrás

E não me refiro só ao artigo em si não, mas também ao “relatório” do Congresso Americano.
Há pérolas tipo: Um conflito entre as forças armadas americanas demanda uma grande quantidade de armas de precisão — Recomendação: o Departamento de Defesa deve garantir que haja uma quantidade adequada de mísseis como o LRASM, o JASSM e o HARM.

Me poupem! Minha avó faria melhor!

100nick-Elã
100nick-Elã
1 ano atrás

Leia de novo:

“O relatório conclui que o Departamento de Defesa não está preparado financeira ou estrategicamente para travar duas guerras ao mesmo tempo e pode até perder uma guerra contra a China ou a Rússia individualmente.”

Você viu as últimas palavras da frase? consegue interpretar um texto?

…”e pode até perder uma guerra contra a China ou a Rússia individualmente.””

Porque vocês sempre negam o óbvio? é tão difícil assim aceitar a realidade?

Gente, não se preocupe. Isso é artigo da sputnik, não?

nonato
nonato
1 ano atrás

Tenho dito e repetido. Não há tempo a perder. Rússia e China estão se preparando para uma guerra, especialmente essa última. A Rússia pelo menos fabrica armas em menor quantidade. Tipo SU 35 só uns 50. SU 57? Quase nada por enquanto. Já a a China fabrica dezenas de navios por ano. Ou age enquanto pode, ou depois não poderá fazer nada e terá que cumprir ordens da China, querendo ou não. Os EUA tiveram a oportunidade de cortar as asas da União soviética e da China logo depois da segunda guerra. Por que se curvar a união soviética naquela… Read more »

Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Choradeira de quem quer mais verba…

Encrencar conflito com a Rússia que nem porta aviões tem…

Me poupem..

WVJ
WVJ
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Um porta aviões é um alvo formidável para quem possui o armamento correto. Quem sabe como destruí-los vai pensar bem antes de alocar tantos recursos nesse tipo de meio, e outra, Russia alega não querer projetar poder mundo afora, assim, parece coerente não investir nisso.

Flanker
Flanker
Reply to  WVJ
1 ano atrás

Não e bem isso que se vê. A China já possui 2 porta-aviões e está construindo um terceiro. A Rússia possui um, tá certo que não se compara aos chineses e muito menos aos dos EUA, e alguns dias atrás sofreu danos quando o dique em que estava afundou. Mas, não pensa em se desfazer dele. A França acabou de modernizar o seu. Índia investe bastante em seus porta-aviões. Inglaterra está integrando a classe QE. Itália possui o Cavour, que mesmo menor que os outros citados, em breve operará os F-35. Se os porta-aviões fossem uma arma caindo em desuso,… Read more »

WVJ
WVJ
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Sim, é ótimo pra brincar de guerra no quintal dos outros, ou pra projetar poder ao vento. Mas em caso de guerra de verdade, que a matéria acima trata, seriam presas antes de virarem predadores.

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Acho engraçado que quando alguém fala em guerra dos EUA contra a China ou a Rússia tem logo os esquerdistas pra lembrar das imensas consequências disso acontecer por conta das armas nucleares desses países, e que seria um suicídio se os americanos tivessem essa ousadia. Quando é o contrário, aí todo mundo entende que os EUA pode “perder” uma guerra contra a China e a Rússia. rsssss Esquerdista vive fazendo contorcionismo pra defender seus pontos. Devem pensar que o politicamente correto instalado nos EUA pela Esquerda vai impedir os EUA de destruir o mundo no caso deles estarem sendo invadidos… Read more »

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Pensamento engraçado , sabendo que três ou quatro mísseis Smarts atingindo os EUA , com suas Bombas de 40/50 Megaton , tirariam os EUA do mapa , então vamos parar de comparativos por números de bombas nucleares , é uma piada , elas existem para ser evitado seu , o problema seria próximo ao final , o que estivesse perdido poderia tentar usa-las em último caso , mas então seria totalmente arrasado !!

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  jose luiz esposito
1 ano atrás

correção elas existem para ser evitado o seu uso .

Dr.Telêmaco
Dr.Telêmaco
Reply to  jose luiz esposito
1 ano atrás

Calma, não se preocupe, não há ameaça alguma no mundo ao Grande Irmão do Norte. Afinal, segundo a ignoranttsia brasilis, “a China só faz bugigangas e cópias xing ling” e “a Rússia está quebrada e sua economia em ruínas” kkkkk

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Bosco
1 ano atrás

“esquerdistas”

Tem gente que é daltônico, só pode, enxergam apenas o lado azul e o lado vermelho da força rs rs rs rs

Michel Lineker
Michel Lineker
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bem isso Bosco.

Cláudio Machado
1 ano atrás

Será que a Europa está disposta a defender os Estados Unidos a qualquer custo? Leiam o noticiário internacional dessa semana. Macron, Presidente da França – disse em entrevista que a Europa deveria criar um “Verdadeiro Exército Europeu” para proteger a região. Ele afirmou que a medida pode ser útil para proteger a Europa “da China, Rússia e até dos Estados Unidos da América”, já que Trump decidiu sair do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF).

Alexandre B M Santos
1 ano atrás

O Declínio dos EUA é a causa de tantas tensões. Mas a questão é mais geográfica e econômica. A China, Índia e Russia vão se integrar, primeiro com a Asia e depois com a Europa. Não há como impedir, é só olhar o mapa, e é questão de tempo. Os EUA gastam bilhões defendendo a Europa mas a Europa vai buscar na Asia oportunidade econômicas que os EUA não tem para oferecer. E acredito que isso não ocorrerá de modo pacífico, haverá guerras e muitas confusões mas é inevitável. É a roda da história, nenhum poder hegemônico dura para sempre,… Read more »

Adelson panacho
1 ano atrás

Tem que se discutir um meio de paz, deixando a guerra fria de lado, deixar de medir forças bélica. Uma guerra entre esses países seria catástrofe para humanidade.

Mauro Silva
1 ano atrás

Outra coisa que não está nesse estudo aí mas já foi divulgado aqui mesmo…é que o Pentágono estima que devido ao efeito das armas combinadas nenhum soldado sobreviva 1 ano em um campo de batalha moderno num eventual conflito entre potências como EUA, Rússia e China. Esse fato leva a falência o atual modelo de guerra do US Army onde a sobrevivência do soldado aos conflitos foi aumentada as custas de pesados investimentos em cuidados básicos no campo de batalha, evacuação aérea de pronto emprego e uso moderno de Medicina desde o 1 atendimento ao soldado bem como evacuação rápida… Read more »

jose luiz esposito
jose luiz esposito
1 ano atrás

Perfeito quem estudou História , entende a inteligência do Império Romano, por isto duraram tantos anos , praticamente até 1453 , e nos legaram a formação ocidental , lingua , cultura , religião , praticamente tudo que , forma de estado , quem estudar o Império Romano entenderá o nosso mundo . Nós somos o legado de Roma !

jose luiz esposito
jose luiz esposito
1 ano atrás

Um conflito da Rússia X OTAN creio que os EUA poderiam abandonar os europeus a sua sorte , o avanço russo seria avassalador e para dete-los , teriam que usar armas nucleares , e aí , haveria uma guerra nuclear onde os dois perderiam !

João Adaime
João Adaime
1 ano atrás

De tempos em tempos relatórios “isentos” e “independentes” são divulgados para assustar o contribuinte norte americano. Se o orçamento de “defesa” fosse de dez fantastilhões de dólares, a indústria de “defesa” diria que seria preciso pelo menos dobrar este valor. Quando finalmente todos os países do mundo firmarem a paz duradoura e definitiva, mesmo assim a indústria de “defesa” dirá que precisamos nos preparar contra um ataque alienígena, que será cruel e devastador e poderá ocorrer em breve. O mais interessante nisto tudo, é que os pagadores de impostos lá do norte continuam caindo nesta esparrela ano após ano. Já… Read more »

Antunes 1980
Antunes 1980
Reply to  João Adaime
1 ano atrás

Atentados terroristas por todo o globo, avanço russo em territórios ucranianos, milícias espalhadas na Ásia e África. Definitivamente não existe ameaça e medo é algo criado, Correto !?

João Adaime
João Adaime
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Caro Antunes
Você lembrou bem. Terrorismo. Só que terrorismo não se combate com porta avião. É com inteligência e polícia.
E quanto à guerra em si, faz-se necessário nova “Conferência de Yalta”, apenas tirando a Inglaterra e incluindo a China. Daí o mundo voltará a viver a “Pax Romana”.
Abraços

Antunes 1980
Antunes 1980
Reply to  João Adaime
1 ano atrás

Discordo. Ate a Rússia venceu os terroristas do Isis e Al Nusra com seu porta aviões Admiral Kuznetsov, a “Maria fumaça“ dos sete mares.
Penso que é uma arma que leva seu poder de ataque até qualquer ponto do globo. Inclusive contra ameaças não convencionais.
França, Alemanha e Inglaterra se mostram omissos nas suas obrigações de combate ao terrorismo. Por isso do papel
Norte americano, agora achar que tudo isso é ser alimentado por ameaças irreais e lobbies dos fabricantes, é esquisito demais.

Antunes 1980
Antunes 1980
Reply to  João Adaime
1 ano atrás

Discordo. Ate a Rússia venceu os terroristas do Isis e Al Nusra com seu porta aviões Admiral Kuznetsov, a “Maria fumaça“ dos sete mares.
Penso que é uma arma que leva seu poder de ataque até qualquer ponto do globo. Inclusive contra ameaças não convencionais.
França, Alemanha e Inglaterra se mostram omissos nas suas obrigações de combate ao terrorismo. Por isso do papel atual, os Estados Unidos tem este poderio todo. Agora achar que tudo isso é alimentado por ameaças irreais e/ou lobbies dos fabricantes, é esquisito demais.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Concordo. Mas pra esse serviço não é preciso mais navios, blindados ou aviões. O que as forças armadas das grandes potências possuem já dá e sobra pra combater os terroristas. Aliás, o Isis e o Boko Haram não podem ser combatido com bombas, pois eles, covardemente, usam as populações civis como escudo.
O que a indústria de defesa dos EUA quer é que cada vez mais e mais equipamentos sejam fabricados e vendidos. Sempre foi assim. Sempre será.

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Tá complicado. O anti spam é implacável e enche o saco de qualquer peão, e aí, ficamos ao sabor da censura dos editores.
Eu me demito!!

BILL27
BILL27
Reply to  Bosco
1 ano atrás

E ficar colocando o nome e email e o eu não sou robo tbm …..Tinha de ter uma sistema dos comentarios onda nos ja estariamos logados ed só fariamos os comentarios .Deixar palavrões pre definidos no spam e ja era .As vezes eu tbm desanimo e desistoi de postar

Ivanmc
Ivanmc
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Calma, Bosco. Eu tive que trocar o celular por um mais moderno e está um pouco melhor, mais tranquilo. Fique aí comentando não esquenta.

Pedro Bó
Pedro Bó
1 ano atrás

Eu tenho uma dúvida. Em caso de conflito nuclear entre EUA e Rússia ou EUA e China onde o Brasil ficaria neutro, quais seriam as consequências para o país? Economicamente, militarmente e em relação ao meio ambiente? Será possível também que os países nucleares tenham armas apontadas para cá?

carcara_br
carcara_br
Reply to  Pedro Bó
1 ano atrás

É preciso ter alguma força para ser neutro. Uma carta na manga, alguma coisa que faça os lados conflitantes entenderem que é um mau negócio atacar. O Brasil não possui nada disso nos veríamos obrigados a escolher um lado ou ser invadidos, exatamente como na segunda guerra. E falando de forma realista, estamos no quintal da maior potencia militar do planeta não seria sábio procurar alternativas em caso de guerra…
Não que eu ache que vai haver guerra…

Leonardo Costa da Fonte
Leonardo Costa da Fonte
Reply to  Pedro Bó
1 ano atrás

Amigo, durante a década de 70 e 80 acreditava-se que os países teoricamente neutros, mas aliados a algum dos lados, não ficariam impunes. Ou seja, também seriam alvos. Na hipótese de uma guerra nuclear que destruisse EUA e Russia, os páises que não participaram do conflito ou se tornariam as novas potências dominantes ou foneceriam os recursos técnicos para que EUA e Rússia se reconstruíssem (assumindo que seria possível). Portanto, durante um certo período da história, acreditava-se que países como o Brasil, seriam reservas técnicas dos EUA em caso de um conflito generalizado. Assim, seria importante para a antiga URSS… Read more »

Paulo de Lima
1 ano atrás

Tem um filme no cinema, “Fúria em Alto Mar”, muito bom.

Delfim
Delfim
1 ano atrás

O poder militar se tornou uma forma antieconômica de dominar territórios e riquezas. Tomou forma o paradoxo de Sun-tzu, de “lutar e vencer com a espada embainhada”, vislumbrado pelo estrategista chinês há mais de 2 milênios. Um exemplo : durante a 2WW, Hitler se viu na questão de dominar a Romênia e seus recursos petrolíferos, mas tais não podiam ser tomados simplesmente pela blitzkrieg. Então apoiou uma quinta-coluna liderada por Antonescu para criar um governo fantoche alinhado com o nazismo. Como devem saber, as atividades econômicas são classificadas em quatro setores: primário (agricultura, pecuária e atividades extrativas), secundário (indústria), terciário… Read more »

Rene Dos Reis
1 ano atrás

Da mesma forma que a sgm foi o canto do cisne pros encouraçados a tgm sera pros porta aviões, galera quem estuda historia sabe doque o ser humano e capaz, e penso que uma guerra total com uso maciço de armas nucleares e inevitável.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 ano atrás

Acho tendencioso essa reportagem pois a dissuasão nuclear é que mantém os EUA aonde estão em termos de poderio militar. Se a China ou Rússia se meter a besta com os EUA ou vice-versa, é só apertar o botão e buum… Toda a humanidade volta para idade da pedra isso se sobreviverem aos efeitos pós bombardeio (efeitos imediatos da radioatividade, bloqueio do sol, inverno nuclear, etc).

RODRIGO CESAR DE SA MARQUES
1 ano atrás

Em um confronto convencional ( impossivel de acontecer) ‘”apenas” a US Navy e USAF dão conta de China e Russia. Ja no campo da cyberguerra, que onde encontram-se pouquissimas informacoes confiaveis ou mesmo rastreaveis, a coisa pode mudar de figura, mas por enquanto, na força bruta esqueçam!

Carlos Filho
Carlos Filho
1 ano atrás

Acho que está é a oportunidade que o Brasil tem de colar nos EUA e se beneficiar em termos bélicos. Sendo que a China comunista é parceira da Rússia e o Brasil capitalista ocidental parceira dos EUA. Conseguindo material bélico a preços vantajoso além de tecnologia.