Home Aviação de Ataque Chile planeja modernizar seus caças F-16

Chile planeja modernizar seus caças F-16

18802
145
Caças F-16 da Força Aérea Chilena na linha de voo
Caças F-16 da Força Aérea Chilena na linha de voo

Atualização nas aeronaves de combate chilenas incluirá novos radares AESA

O Jane’s noticiou que a Fuerza Aerea de Chile está estudando opções para atualizar sua frota de 46 caças F-16 para manter as aeronaves atualizadas até a década de 2030, e qualquer programa resultante se tornaria a principal prioridade do Força, disseram as fontes militares seniores em Santiago.

O plano, programado para ser lançado entre 2018 e 2021, visa equipar os F-16 do Chile com um novo pacote eletrônico de missão construído em torno de um radar de varredura eletrônica atica (AESA) de abertura sintética.

Um novo sistema de planejamento e gerenciamento de missão, novo sistema de Guerra Eletrônica e Medidas de Apoio Eletrônico (ECM/ESM) e atualizações no cockpit também seriam incluídos.

De acordo com as fontes, os estudos também estão considerando aumentar o número de aeronaves Block 50, acrescentando de seis a oito para a frota atual de 10 aeronaves Block 50.

Caças F-16 do Chile na CRUZEX V
Caças F-16 do Chile na CRUZEX V

145
Deixe um comentário

avatar
42 Comment threads
103 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
68 Comment authors
Joao PelissariJorge KnollElijah JohnsonJoão CarlosLeandro Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Theo Gatos
Visitante
Theo Gatos

Ficariam parecidos com o padrão que a Grécia está elevando os seus…
.
https://www.aereo.jor.br/2018/04/30/grecia-vai-atualizar-seus-cacas-f-16-por-us-14-bilhao/
.
Sds

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Aí, sim! Uma frota mais moderna e homogênea, usando sistemas similares, é outro nível. Sem contar mais seis a oito F-16C/D Block 50/52…

Fernando Pereira
Visitante
Fernando Pereira

Sei que irão discordar, mas na atualidade é a mais moderna força aérea em atividade na América do Sul. Se eles dotassem a FAC de uma aeronave AWACS moderna continuariam a ser por um longo tempo, levando-se em conta a FAV ocultar o estado de prontidão de suas aeronaves/pilotos e o longo caminho de reaparelhamento da FAB l, que não será de um dia para o outro.

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Em termos de caças, sim. Concordo. Mas isso não basta. Como vc mesmo disse.

Roberto F. Santana
Membro
Famed Member
Roberto F. Santana

Sem dúvida, quando vi a capa da revista Flap em 2006 (Aviação Militar na América Latina) com um F-16 Block 50 novo em folha, cheguei a essa conclusão.
É o poder aéreo, mantido como uma constante, os chilenos já emendaram no F-16 com radar AESA, a supremacia vai ser mantida.
Até a chegada do Gripen?
Creio que seja prematuro responder…

Leandro
Visitante
Leandro

Foram comprados da Holanda

João Carlos
Visitante
João Carlos

Não entendi o que a FAC (Fuerza Aérea de Colombia) tem a ver nesta noticia… Aquí a noticia é sobre a FACH (Fuerza Aérea de Chile)…

João Carlos
Visitante
João Carlos

FAC = Fuerza Aérea de Colombia
FACH = Fuerza Aérea de Chile

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

O correto é FACh

João Carlos
Visitante
João Carlos

CH ou Ch é a mesma coisa em espanhol … tanto é que era uma letra (uma apenas, sim) entre a C e o D antes de 1972 (por ai) … a letra “ch” … sim… era apenas uma (1) letra …

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Só resta saber até que ponto os F-16A/B do Chile podem ser levados a um patamar próximo ao dos F-16C/D Block 50/52, nesta modernização.

Mauricio R.
Visitante

Taiwan também está modernizando antigas células de F-16A/B Block 20, entre outra coisas com um radar AESA.

737-800RJ
Visitante
737-800RJ

Seria isso fruto do “efeito Gripen”, forçando modernizações e novas compras no continente para a próxima década ou as mesmas aconteceriam de qualquer maneira?

Petardo
Visitante
Petardo

Pouco provável. Não vejo motivo para eles estarem preocupados com isso. Tá com mais cara de manter a força moderna

Daniel
Visitante
Daniel

737-800RJ
Cheguei a pensar a mesma coisa, ou seja, uma provável corrida armamentista.

Jorge F
Visitante
Jorge F

Pouco provável, eles partiram sempre na frente, modernizaram seus F5 no final da década de 90, iniciaram a substituição dos F-5 por F-16 na década passada… Estão sempre na vanguarda da América Latina.

Tiago
Visitante
Tiago

Não, o Chile tem uma disputa complicada em sua fronteira ao norte – provavelmente uma das regiões mais tensas no aspecto político-militar do continente.

O Brasil (que sequer faz fronteira com eles e cuja relação é bastante pacífica) modernizar sua força de caças dificilmente seria uma justificativa aceitável.

Pablo
Visitante
Pablo

Chile tem rixa com Bolívia, Argentina e se não to enganado o Peru (esse último não tenho certeza, sei que são 3 países) então eles tem motivos de sobra para manterem bem equipadas suas forças.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

O problema maior do Chile é com o Peru. Com o Peru eles tem uma Hipótese de Guerra real.

Alessandro H.
Visitante
Alessandro H.

Peru e Chile já se enfrentaram por ocasião da “Guerra do Pacífico”, a mesma que isolou a Bolívia do litoral do Pacífico.
Naquela ocasião o chile ocupou para sempre a região peruana de “Arica”.
Dessa forma, apesar da aparente cordialidade recíproca, sempre existe o risco de novas escaramuças.
Aí o “efeito de uma linha” de F16 como a da foto que ilustra essa matéria, contribui, digamos, para manter os ânimos sob controle…

João Francisco Neves
Visitante
João Francisco Neves

Força aérea de respeito, com muito menos orçamento que o Brasil, mas 10X melhor, isso sim é uma força aérea, a maior e melhor da AL, parabéns Chile por saber comprar o melhor com o pouco dinheiro que dispõe, creio que se pudessem estariam com F-18 a até F-35, quem pode, pode.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

João, aconselho vc saber mais sobre a FAB para dizer que a FACh é DEZ VEZES melhor!! Uma força Aérea não é só avião de caça meu nobre!!

Pesquise Dimensão 22 e depois faça a comparação!!!

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Visitante

A FAB, por exemplo, tem uma gigantesca função de integração nacional, que a faz ter uma das maiores frotas militares do mundo em aviação de transporte. O Brasil precisa da FAB para patrulhar as fronteiras e o mar territorial, para manter postos avançados do exército no meio da Amazônia, para transportar doentes e acidentados de regiões ermas até centros onde exista medicina, para cuidar de populações indígenas, para missões científicas na Antártida, etc… etc… e etc… A FAB é 10 vezes maior que a Fach, e tem uma variedade muito maior de aeronaves que, se não são exatamente de combate… Read more »

João Carlos
Visitante
João Carlos

Perfeito … tudo isso a FAB faz .. e a FACH não… é isso? putz … tenho que ler cada asneira…

Roberto F. Santana
Membro
Famed Member
Roberto F. Santana

A mais linda camuflagem de um F-16, esse Block 50 do Chile. Essa versão estará em Natal esse mês?

Bardini
Visitante
Bardini

Isso aí é fruto da baixa dos F-5, que se aproxima…

Flanker
Visitante
Flanker

Na última edição da Revista Força Aérea tem uma matéria sobre os F-5 chilenos. Pela publicação, eles querem manter os F-5 em serviço até 2030.

Bardini
Visitante
Bardini

Nossa… Achava que não durariam tanto assim.
Mas se for parar pra pensar até faz sentido, pq não deve ser da noite para o dia que vão bancar a modernização de toda essa quantia de F-16 e ainda bancar a compra de outro pequeno lote de novos F-16. Vão precisar dos F-5.
.
Talvez seja o planejamento da próxima década da FACh…

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Os F-5 Tiger III deles estão no sul na fronteira com a Argentina, com a situação atual da FAA não há necessidade de algo melhor naquelas bandas.

Roberto F. Santana
Membro
Famed Member
Roberto F. Santana

Argentina não tem condição de supremacia, superioridade ou mesmo “air denial” nem sobre o próprio território.

Alessandro H.
Visitante
Alessandro H.

Segundo a reportagem supracitada na “Revista Força Aérea”, o F16 encontra problemas para operar na base de Punta Arenas, atual casa dos F5, devido às condições climáticas que ensejam detritos na pista em função dos ventos.
Desta forma, a enorme demanda de ar do motor do F16, aumenta em muito o risco de absorção de detritos em relação aos F5.

Gilbert
Visitante
Gilbert

E nos compramos Mirage M-2000 que já estavam no bagaço, se tivessem pegos F-16 usados, muito possivelmente estariam voando ate hoje esperando as primeiras entregas do Gripen E/F

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Certamente. A vinda dos M-2000 não fez sentido algum.
Bastava um pouco mais de paciência para esperar pelos Mike.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

E certamente, não teríamos os F-39, iríamos ficar com o M-2000 até 2040!!! Parece até que você não conhece a classe política do seu país!!

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Os Mirage 2000 não estavam ¨no bagaço¨. Não poste bobagens. Eu servia em Anápolis, e voei nos F-2000 uma vez. A desativação deles foi para forçar a solução do FX-2. E a revisão dos motores estava caríssima, e os Matra 530F estavam vencendo.

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Cel, afinal, os radares de nossos Mirage 2000 eram RDM ou RDI? Existem informações desencontradas.

Joao Pelissari
Visitante
Joao Pelissari

Sempre li que eram os RDI, inferiores aos RDY que eram capazes de lançarem os Mica

nonato
Visitante
nonato

Por que não block 70 V Viper?

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Porque teremos o Gripen E/F. Por isso.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

O Chile não faz fronteira com o Brazil, nunca estivemos em rota de confronto com os centolhas, muito ao contrário.

Portanto comparações são descabidas.

As questões do Chile chamam-se Peru e Bolívia, nunca esquecendo dos Argies.

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

Bela imagem dos Falcões na linha de voo.

Roberto F. Santana
Membro
Famed Member
Roberto F. Santana

A foto foi tirada na Base Aérea de Los Condores, no google maps, dá para ver que lá tem os hangares do tipo ‘bunker’, de concreto. Não sei se no Brasil existe isso.

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

É isso aí, Roberto F Santana.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Eu não vejo a força aérea chilena como a última bolacha do pacote como alguns vêem, de moderno mesmo apenas os 10 F-16 block 50 e isso que nem é a versão mais avançada do F-16, o resto da frota é de F-16 que precisa de modernização, eu vejo o F-16 block 50 no mesmo nível do Su-30 e olha lá. Até pouco tempo atrás a espinha dorsal era uma mistura de Mirage com F-5 modernizado, nada além disso, compraram apenas 10 caças 0 km e tem um pessoal falando em F-35. Eu acho que essa questão de colocar a… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

Mas a pretensão deles é elevar todos F-16 MLU para um padrão próximo aos block 70, com radar AESA. E adquirir mais 8 a 10 células novas. Se isso se cocretizar, eles vão ter a força de caça mais numerosa e, se não a mais capaz, algo muito próximo disso, da América Latina. Se a FAB não encomendar outro lote de Gripen, ficaremos defasados em número de vetores frente à eles. Eles ficariam com algo em torno de 56 modernos F-16 e nós com 36 F-39.

Daniel
Visitante
Daniel

O problema do brasileiro é aquele velho complexo de vira lata.
FAB ficaria defasada somente devido ao número inferior de aeronaves na linha de frente?
E quanto ao conjunto da força? E quanto ao fato do Gripen E ser superior a qualquer versão de F-16 do Globo? Isso não conta?

Mauricio R.
Visitante

Não, não conta. É somente uma outra forma de complexo de vira-latas, o “super-trunfo.”.

Paulo
Visitante
Paulo

Por favor. Me explica porque o ¨Gripen E é superior a qualquer versão de F-16 do Globo¨. De onde vc tirou isso? Só porque o projeto é mais novo não quer dizer que seja superior vide o caso do A-4 e o AMX.

Daniel
Visitante
Daniel

Radar AESA, supercruise, baixo RCS, etc.

Flanker
Visitante
Flanker

Aprenda a ler primeiro! E vira-lata é o cachorro que tu deves ter! Eu falei do número, sim. E você realmente acha que 56 F-16 modernizados, como o Chile está planejando, com radar AESA em no minimo 36, ou em todos eles, é inferior à 36 F-39? Por isso eu citei a necessidade de um novo lote de Gripen. No meu comentário, me referi aos números de aeronaves de caça. Não falei que a FACh, como um todo, é superior à FAB.
Chile e Brasil tem excelentes relações, sendo altamente improvável qualquer conflito. Entretanto, o equilíbrio de forças é fundamental.

Daniel
Visitante
Daniel

Corroborou o que eu disse, obrigado.
Posso te corrigir? Meu cachorro é um workshire.

Torama
Visitante
Torama

Daniel, desculpe meter o bedelho, mas o correto não seria Yorkshire?

Daniel
Visitante
Daniel

Sim Torama.
Confundi o W com Y, obrigado.

Flanker
Visitante
Flanker

Corrobora o que vc falou? Vai crescer e aprender a ler e interpretar ao mesmo tempo. Você quer ensinar, pra mim, sobre as capacidades da FAB. Eu falei, única e exclusivamente, sobre força de caças. Não levei em conta AEW, Transporte, rede de radares terrestres, aviação de asas rotativas, capacidade industrial instalada para suporte e manutenção, treinamento, além de uma infinidade de outros fatores! MAS, falando APENAS em aviação de caça, VETORES X VETORES, Quantitativa e Qualitativamente, a FACh tem HOJE 36 F-16 MLU, 10 F-16 CD block 50 e 12 F-5 III Plus. A FAB tem 48 F-5M e… Read more »

Maurício.
Visitante
Maurício.

Flanker, os holandeses venderam apenas os F-16 que estavam na capa da gaita, são F-16 de segunda mão cujo os sistemas é uma colcha de retalhos, por mais que sejam modernizados a idade das células irá contar contra. Acho que eles deveriam usar esses F-16 holandeses até onde der, depois seria mais negócio comprar novos F-16 de fabrica, 0 km. O F-16 é um bom avião mas na minha opinião já deu o que tinha que dar, sou muito mais o Gripen nas fileiras da FAB somados aos E-99. O mais engraçado é que até a chegada dos F-16 na… Read more »

Jhenison Fernandez
Visitante
Jhenison Fernandez

Próximo ao Bloco 70, o Gripe E e igual se não superior a esta versão do F-16

Mf
Visitante
Mf

O Chile está melhor que nós quanto a escoltas na Marinha, caças de primeira linha na Força Aérea e carros de combate no Exército. Basicamente isto, mas são as áreas que justamente são a “cara” de uma força em sua respectiva área . Não acho que nossos 48 F-5M com apoio dos nossos 5 E-99 não fossem capazes de dar um empate contra estes 46 F-16 chilenos , justamente por apenas 10 serem da versão C mais moderna e os demais estão no mesmo nível da FAB. Mas a conta muda mais quando se colocar os 12 F-5E III chilenos… Read more »

Mf
Visitante
Mf

Acredito que teremos F-16C Block 50 vindo para o Brasil em 2019/2020, uns 12 , para ficarem em Manaus, alem de outros equipamentos via FMS. Isto devido a demora para a entrega dos 36 caças (2019-2024), enquanto 12 F-5 mais antigos precisarão ser desativados já em 2020/2021, e além disso temos a Venezuela ao norte com su-30.

Daniel
Visitante
Daniel

Cara, de onde tirou isso?

Gustavo
Visitante
Gustavo

pois é, haja criatividade.

Daniel
Visitante
Daniel

Ele começa o comentário com “acredito”.
Então está explicado.

Vovozao
Visitante
Vovozao

14/11 – quarta-feira, btarde, Daniel é mais fácil o Brasil comprar uns 15 tornados do Ingleses, eles irão descomissionadsd todos os 40 que possuem. em atividade até 2019.

Delfim
Visitante
Delfim

Chile pagando para manter a supremacia aérea no Cone Sul.
E se a FAB encomendar outro lote de F-39, quase certo que eles encomendarão os F-35.
Quem banca mais ?
.
E tome mais mísseis AIM-120, Harpoon, Spice… não é só radar não.

.

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

O Chile não tem economia para tudo isso. Problemas dele são Peru e Bolivia que estão muito aquém.

João Carlos
Visitante
João Carlos

Militarmente falando, a Bolívia não é um problema… ou melhor, é um problema muito pequeno. Problema mesmo é o Peru e o seu revanchismo (ou inconformismo, como queira) histórico.

Gallina
Visitante
Gallina

O Chile está pretendendo fazer SLEP em células F-16 que já são MLU… comprando novos apenas de 6 a 8 caças… Se nem o Brasil tem, vc acha que o Chile terá $$ para bancar F-35 a U$$ 70.000,00 a hora vôo? Se havia alguma dúvida, não há mais. O Chile irá padronizar, no futuro, sua frota com F-16. E dará baixa, nas poucas unidades de F-5, conforme expira sua vida operacional. Detalhe que apenas 36, das atuais 44 (46?) células passarão por SLEP, o que indica que devido ao desgaste, é inviável a extensão de vida útil de 8… Read more »

nirvanerox
Visitante
nirvanerox

Os outros 10 não estão desgastados ou inutilizáveis, refere-se ao F-16 block 50 que neste programa não será atualizado, mas apenas o 36 F-16 MLU

Gallina
Visitante
Gallina

Eu li mais de uma versão dessa notícia. Mas a sua faz bastante sentido.

Leonardo J Costa
Visitante
Leonardo J Costa

Não sou especialista, concordo com sua lógica, posso estar errado mas tenho a seguinte leitura: compra de 6 a 8 caças novos (F-16V Block 70 – que é a atualmente disponível para venda) e SLEP/MLU tando dos F-16C-50 quando dos F-16A/B MLU, apenas não realizando nas células inutilizáveis para o padrão F-16V Block 70 ou similar e que pode ser aplicado nos Block anteriores independente do que foi realizado anteriormente.

Hawk
Visitante
Hawk

O que me surpreendeu (realmente não sabia) são 46 F-16!
Desculpe os fanáticos, mas 46 caças que já foram “realmente aprovados em combate” é algo de respeito. Vale lembrar que todos os caças mais modernos que são comentados, nunca entraram realmente em dogfight, apenas alguns em ataques contra a superfície.

Laerte Marcelli
Visitante
Laerte Marcelli

Adoro ler esses comentários. Melhor, mais muito melhor que Assistir a Praça é Nossa!

Fábio CDC
Visitante
Fábio CDC

Realmente é, tem cada viajem na maionese…

Barão Vermelbho
Visitante
Barão Vermelbho

Pessoal, não viagem. F-35 esta aquém do orçamento de qualquer força da América Latina, áleas ate países Europeus terão dificuldades em mantê-lo, tanto isto e fato que varias nações que fazem parte do programa reduziram drasticamente suas encomendas. Voltando pra terra kkkk, o Chile certamente vai ficar na linha dos F-16, talvez futuramente uns Blocks 70 ou quem sabe Super Hornets (Se a Boeing manter a linha de produção). F-35 completamente fora de questão. Quanto a FAB, acredito fielmente que chegaremos em breve a encomenda de um segundo lote de caças, mais precisamente assim que começarmos a receber os caças… Read more »

Flávio
Visitante
Flávio

A FAB precisa pagar os Gripen do primeiro lote a partir de 2024, tem que pagar os KC390, não vai sobrar grana.

Só acredito em segundo lote na década de 30.

Roberto F. Santana
Membro
Famed Member
Roberto F. Santana

Eu gostaria de saber se no CRUZEX V eles vieram acompanhados do KC-135 ou vieram sem ele, se fizeram escala, quantas e onde.
Alguém pode responder, por favor?

Elijah Johnson
Visitante
Elijah Johnson

Eles vieram com o seu KC-135 sim. Puxaram direto e reabasteceram em voo, até onde eu fui informado. Sds.

Ronaldo de souza gonçalves
Visitante
Ronaldo de souza gonçalves

O Brasil na época não poderia aceitar os f-16 da Holanda ,pois os misseis ficariam em deposito nos EUA,só com autorização poderia ser liberados,agora mudou a coisa ,mas jamais o Brasil poderia aceitar isto.Vamos de grispen mesmo por que teremos total liberdade sobre armamentos e hardware dos caças.Chile está bem em caças minha critica é como eles colocam todos em fileiras,basta um k-8 destruiria todos de uma vez só.Penso em bases com mais segurança para caças,mas países em paz jamais pensam em ataques suspresas.Eles estão melhores que o Brasil em misseis de fora do alcance visual,mas espero que em pouco… Read more »

horatio nelson
Visitante
horatio nelson

embora um cenario assim só em um ataque preventivo o q seria uma agressão unilateral e ocasionaria no acionamento do tiar…

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

Imagine só se enfileirassem nossos griSpen !

Seria o fim dos griSpen!

Não podemos permitir o tio sam boicotar nossos griSpen!

Vida longa ao nossos griSpen !

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

De novo esse grispen? Kkkk

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Deve ser problema no teclado…. TeSclado.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

No papel, este F-16 com todos os upgrades possíveis, seria superior ao Gripen NG?

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Nunca, nem a versão Viper (a última do F-16) supera o Gripen E/F.

Roberto F. Santana
Membro
Famed Member
Roberto F. Santana

Negativo.
Comece sempre pela potência dos motores.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Roberto F. Santana, não me leva a mal, mas se eu entendi bem o primeiro fator na comparação entre aeronaves é a potência dos motores? No caso o avião que tiver mais potência seria o melhor, ou apenas é um fator que conta a mais, tipo um ponto extra? Até porque se potência dos motores for tão determinante assim, então o F-35 é a melhor aeronave hoje em dia? Na minha opinião mesmo o F-22 tendo menas libras que o F-35, na arena ar-ar eu sou muito mais o F-22. Não sei se eu me fiz entender, mas o avião… Read more »

Roberto F. Santana
Membro
Famed Member
Roberto F. Santana

Eu disse ‘comece’ pela potência, não disse ‘compare somente a potência’.
O motor é o objeto principal que atua na performace da aeronave.

Roberto F. Santana
Membro
Famed Member
Roberto F. Santana

Daí, um raciocínio fundamental.
Quanto maior a potência do motor, maior carga de armas, maior poder de destruição.
Repito: é base de comparação, não é fator determinante.

Rodrigo M
Visitante
Rodrigo M

Não amigo.
O Gripen é um projeto mais novo, tem um desenho mais eficiente, menor RCS, estrutura com materiais mais leves e eficientes, etc.. Foi desenvolvido em uma época que a computação gráfica e etc, estava em um nível muito mais desenvolvido em relação à época do desenvolvimento do F-16.
Certamente o F-16 pode se sair melhor em alguns aspectos, mas no balanço geral o Gripen é superior.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Simples assim!!!

Humberto
Visitante
Humberto

Hoje o F-16 é superior ao Gripen NG, o primeiro é um avião no qual foram fabricados milhares e o segundo é ainda protótipo voando, vai demorar anos para que todo o envelope de voo possam ser conhecidos e utilizados pelos operadores. Mesmo o NG sendo um avião mais moderno, não significa que seja bom, não dá para cravar que ele é melhor que o F-16, somente o tempo vai confirmar (ou desmentir) se a SAAB se superou, historicamente falando é uma grande possibilidade que seja um ótimo avião, mas tem que esperar um bom tempo. Mesmo que seja bom,… Read more »

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Concordo! Comparar um vetor muito bem sucedido, com outro cheio de promessas apenas no papel, é no mínimo ilógico.

João Carlos
Visitante
João Carlos

De jeito nenhum … nosso Gripen é superior a tudo já feito antes…
Um F-16 Block 70, certamente será superior ao Gripen NG sim! mas aqui você nunca lerá isso. — O “será” se refere ao fato de o Gripen NG ainda não estar operacional e disponível 100% … e mesmo que estivesse não seria superior. … mas… por aqui ….

Gustavo
Visitante
Gustavo

“O Jane’s noticiou que a Fuerza Aerea de Chile está estudando opções para atualizar sua frota de 46 caças F-16 para manter as aeronaves atualizadas até a década de 2030, e qualquer programa resultante se tornaria a principal prioridade do Força, disseram as fontes militares seniores em Santiago.” Isso mostra, que como colegas chilenos falaram, mata o F-35 que ventilaram por lá. Eles não precisam e não querem o F-35 por lá, e eu concordo. F-16 com AESA já é mais que o suficiente. Mas diferentemente do que a reportagem diz, me informaram que é praticamente certa a modernização apenas… Read more »

Marcelo Tatsch
Visitante
Marcelo Tatsch

Hoje vejo que a participação do Brasil no desenvolvimento e fabricação do Gripen NG ( que é uma outra aeronave) foi uma boa sacada. Se fala que a FAB estenderá a entrega para até 3 lotes chagando há mais de 100 aeronaves para gradualmente substituir todos f-5 e A-1. E o melhor é ter a tecnologia transferida com a fabricação das aeronaves também no Brasil. O que a FAB quer fazer é padronizar a frota de caças assim como já é feito na Marinha Americana, Força aérea Australiana e nos operadores de Typhoon. Acredito que o último lote que provavelmente… Read more »

Paulo de Castro
Visitante
Paulo de Castro

Fim da estória dos F-35. Banho de realidade.

Gustavo Romko
Visitante
Gustavo Romko

Em 1941 os EUA tinham FFAAs pequenas, mal treinadas e mal equipadas. Em 4 anos venceram a maior guerra de todas ainda fornecendo material aos aliados. Stálin teria sido massacrado sem os equipamentos e ajuda americana. O poder de um país em caso de conflito está mais no tamanho de sua economia, no seu parque industrial, capacidade tecnológica, homogeneidade e tamanho da população e na qualidade de suas instituições democráticas. Em todos estes pontos o Brasil é superior a todos os países latinos. Porcamente, mas é. Então… meia centena de caças e os seus tanques e fragatas não qualificam o… Read more »

João Carlos
Visitante
João Carlos

Exatamente… em 1941 …

Bardini
Visitante
Bardini

comment image
.
“Só pra defesa de ponto”

Gallina
Visitante
Gallina

Só com CFT um F-16 teria maior raio de combate que um Gripen E.
Mesmo assim, não seria muito maior.
Mas fique tranquilo que tudo indica que a FAB voltará ao padrão hi-low, sendo que o Gripen será o nosso low…

Sds

Bardini
Visitante
Bardini

“Só com CFT um F-16 teria maior raio de combate que um Gripen E”
.
Você sabe os dados de Combat Radius do F-16 Block 70?
.
No mais, não temos como fazer REVO em um F-16. Então o Gripen E/F é muito mais útil ao Brasil, pois já bancamos bilhões no desenvolvimento do KC-390.
.
“Mas fique tranquilo que tudo indica que a FAB voltará ao padrão hi-low”
.
Isso está baseado em fatos reais ou em alucinações, provocadas pelo delírio de uma febre de 43 ºC, que o pessoal chama de “sonho”?

Gallina
Visitante
Gallina

Vc não me conhece. E respeito é bom…
Tenho os dados do F-16.
Quanto a delírios, alucinações, ou outras ofensas, você se não me engano, é o cara que defende um jipinho LGBT para o Exército…
Quanto ao High, isso já foi falado em outro tópico, no qual vc estava presente (ou deveria estar). Não é certo, mas é algo que pode acontecer, ainda mais diante do atraso do Gripen.
Guarde suas ofensas por 1 ano, e aí voltaremos a conversar..
Passe bem. E respeito é bom…

Bardini
Visitante
Bardini

Traduzindo: não sabe de nada.

Andre
Visitante
Andre

Gallina 14 de novembro de 2018 at 11:10

Quanta “informação” furada.

E já adianto…..nem vc me conhece tb.

Gallina
Visitante
Gallina

Andre 14 de novembro de 2018 at 16:11

Acabei de conhecer… rsrs
Parceiro, a única coisa aqui importante é que esse assunto foi debatido esses dias em outro tópico, onde o colega estava na discussão. Não entendi o espanto. Ali foi esclarecido o contexto. Não é informação privilegiada, ou coisa parecida. Mas a situação fática talvez faça com que a FAB venha a adquirir um outro caça, que não apenas o Gripen. Só isso.
Sds

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Queria saber exatamente que diabo é um hi-low, afinal esse termo não existe na doutrina da FAB

Gallina
Visitante
Gallina

Isso já foi conversado, também, em outro tópico. Embora não exista “na doutrina da FAB”, algo me diz que o Sr. sabe perfeitamente o significado de um combo Hi e Lo… F-15 e F-16 mandam lembranças.
Sds

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Também tinha essa dúvida. Roberto santana disse que foi um termo cunhado por John Boyd e não sei mais quem, que significa a utilização de vetores sofisticados com vetores mais baratos.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Felipe, esse termo pode até não ter na doutrina da FAB, mas a própria FAB já o utilizou mesmo que “inconscientemente” quando escolheu o caça mais capaz no inventário da FAB para defender Brasília.
Por que em Brasília sempre ficou os caças com desempenho de vôo melhor?
Hoje em dia com os caças multifuncionais essa questão de hi-low acho que ficou para trás, embora a USAF utilize até hoje com seus F-15 e F-16, F-22 e F-35 e por aí vai.

Marcos
Visitante
Marcos

Quem acompanha fóruns da região sabe como funciona as notícias criadas por jornalistas chilenos e publicadas como verdades absolutas em diversos jornais. Panorama chileno: A lei do cobre vai ser extinta nos próximos meses O Jane’s noticiou há 2 meses que o Chile possui apenas 26 pilotos para os F-16 A notícia sobre a substituição do F-5 foi criada em 2007 com estimativas para 2015, estamos chegando em 2019 e o governo não aponta nenhuma proposta de aquisição oficial. Em cima dessa notícia criou-se outro factoide de que o Chile iria comprar F-35. O Chile vai precisar substituir 3 fragatas… Read more »

Marcos
Visitante
Marcos

Além disso, acredito que a matéria original publicada pelo Janes foi deletada.

https://www.janes.com/article/84478/chile-to-modernise-f-16s-procure-additional-aircraft

Aqui apresenta erro

Sidy
Visitante

“Panorama chileno: A lei do cobre vai ser extinta nos próximos meses”

Se isso de fato acontecer, não tem grana para comprar mais nada… talvez nem para o upgrade dos F-16s em uso.

Marcos
Visitante
Marcos

“Se” já não é mais a palavra correta, o certo agora é QUANDO. Já está tudo pronto, durante os próximos 12 anos a Lei do Cobre vai destinar as verbas para um fundo de assistência econômica e social e depois, se não estou enganado, vai ser extinta. Se tudo der certo, no próximo ano ou mais tardar em 2020 os militares chilenos vão receber as verbas diretamente do erário nacional (como acontece no Brasil e em outros países, não vai ter mais royalties da produção de cobre). Além disso, as compras vão ter que passar pelo congresso. É uma medida… Read more »

Sidy
Visitante

Marcos, as iniciativas no sentido de que a lei de Cobre seja extinta remontam há mais de dez anos. Por isso o “se”… imagino como vai ser complicado convencer os militares a largar o osso. O Chile é uma democracia, mas é conservador e os militares ainda tem peso considerável nas decisões políticas do país. De mais a mais, eles tem vizinhos com quem já andaram à turras, diferentemente de nós. Do ponto de vista de defesa, é preciso que possuam uma força militar de alto poder dissuasório, já que o pais é “uma tripa” e se uma força inimiga… Read more »

nirvanerox
Visitante
nirvanerox

No Chile, os gastos com defesa são financiados por dois mecanismos: o orçamento anual, que inclui os gastos ordinários da Defesa Nacional, e a Lei Reservada do Cobre, que data de 1958 e que financia aquisições com o objetivo de manter as capacidades estratégicas. . Até agora, há apenas um projeto, que estabelece que os recursos fixos seriam entregues por um período de quatro anos, que fazem parte de um plano de 12 anos. 1) Cria um Fundo Plurianual de Capacidades Estratégicas de Defesa, que terá como objetivo “financiar o investimento em material de guerra e infraestrutura associada, e suas… Read more »

Marcos
Visitante
Marcos

@Sidy Fala-se em inimigos hipotéticos, mas que inimigos? A Bolívia? O Peru? Hoje em dia tanto o Chile quanto o Peru possuem investimentos mútuos (bilionários) em ambos os países. A Bolívia é um cachorro morto nesse cenário, é um conflito hipotético que permeia apenas a cabeça dos nacionalistas chilenos criados em cima de uma tradição militarista que se desenvolveu após a guerra do pacífico. É mais fácil o Paraguai fazer uma incursão no Mato Grosso e dar início a guerra do Paraguai 2.0 do que o Chile sofrer uma invasão por parte do Peru ou da Bolívia. Na questão da… Read more »

Sidy
Visitante

@Marcos

Talvez sejam os 50 e tantos anos de Brasil nas costas que me deixem cético, mas entrei no modo “São Tomé” e realmente só acredito vendo.

Inimigos, hipotéticos ou não, existem e não dá para pensar “não precisamos disto”, ou tal situação se aplicaria a nós também, não é verdade? Se deixar a porteira aberta…. não acho que seja uma tradição militarista que norteia este tipo de pensamento, mas bom senso e caldo de galinha.

Quanto ao projeto… ok, mas ainda é um projeto. A ver.

Desculpe o ceticismo, mas… São Tomé rules.

Adriano Luchiari
Visitante

Virou Super Trunfo…

Maurício.
Visitante
Maurício.

“escolhe corretamente seus caças”, acho que no respeito aos block 50 sim, mas no quesito F-16 de segunda mão remendados foi uma escolha ruim, até porque hoje em dia eles estão se virando aos trancos e barrancos para manter esses aviões em condições de vôo, estão gastando muito mais do que o previsto pra isso, acho que é por isso que manterão os F-5 até 2030 como o colega Flanker comentou.

LEONEL TESTA
Visitante
LEONEL TESTA

Tambem duvido dessa historia de modernizar todos os F16 e ainda comprar mais uns 0 km isso nao fica barato e acho que os Chilenos nao tem dolares pra essa empreitada nao

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Engano seu.

% dos preços do cobre vão para defesa.

Quanto ?

Não sei, mas não é merreca.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Visitante

Essa Lei foi modificada no ultimo governo de Michele Bachelet, não é mais dinheiro certo e carimbado.

nirvanerox
Visitante
nirvanerox

A lei do cobre ainda está em vigor, não foi modificada, com Bachelet só tentou revogar, mas nunca foi votado no congresso o projeto, acontece o mesmo com Piñera, em agosto apresento o projeto para revogá-lo mas ainda não foi aprovado no congresso nem menos promulgada nem publicada

Roberto F. Santana
Membro
Famed Member
Roberto F. Santana

Bosco.
Até que ponto o tamanho da antena influência na performace do radar?
Qual é a maior antena, do F-16V ou do Gripen NG?

Eu suponho que, para um determinado radar, quanto maior a antena melhor ele será, não?

João
Visitante
João

Não só o tamanho como o numero de módulos eletrônicos

Rodrigo M
Visitante
Rodrigo M

O tamanho de qualquer antena deve estar relacionado diretamente a frequência de operação.
E é proporcionalmente contrário a frequência, Baixa frequência antena grande, alta frequência antena pequena.
Em se tratando de radar instalado em um caça, desconheço os detalhes de como funcionam esses tais módulos que atuam como antenas independentes em TX e RX. (Transmissão e recepção)
Outro detalhe que deve ser levado em consideração é a potência de transmissão, medida em Watts.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

No radar AESA, as placas são os módulos transmissores/receptores (TRM – Transmitter/Receptor Module). São semelhantes às placas de memória dos nossos PC. No radar ERIEYE do E-99 são 192 placas, ao custo unitário de 70 mil dólares. As ondas ¨passeiam¨ de placa pra placa, simulando um movimento mecânico. O feixe pode ser direcionado para um setor, aumentando o alcance. E são bem resistentes à interferência eletrônica.
Visitei a linha de produção dessas placas, na SAAB, em Gothenburg, em 2008.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Roberto F. Santana, eu acho que quanto maior for a antena mais desempenho o radar terá, claro sendo bem simplista na resposta, a própria FAB decidiu cortar o nariz do F-5 para ter uma antena maior no grifo.
A comparação entre o Raven e o APG-83 eu não saberia te responder igual o Bosco, mas acho que o Raven leva vantagem no ângulo de detecção, pois o APG-83 é fixo.
comment image

Roberto F. Santana
Visitante
Roberto F. Santana

Penso que seja razoavel relacionar o tamanho da antena, com, pelo menos, a capacidade de deteccao do radar.
Mesmo assim seria interessante comparar os radares desses avioes.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Eles compraram F-16A/B que foi feito MLU a muitos anos, por isso só pagaram 9 milhões de dólares cada(menos que um ST) e jã chegaram pedindo grandes revisões com trabalhos na extenção da vida útil da célula, para isso tiveram que levar junto a empresa Daedalus que faz a manutenção dos F-16 na Holanda.
Agora que estão fazendo as grandes revisões e estendendo a vida util das células nada mais natural que modernizem a aviônica.
. http://www.daedalus.nl

rdx
Visitante
rdx

O Chile não precisa de F-35…e dependendo do estado das células dos F-16 de segunda mão, é melhor comprar F-16 novos, mesmo que isso resulte na redução do número de aeronaves.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Visitante

O Chile está apenas seguindo o caminho natural e lógico: vai aposentar os F-5III e substituí-los por mais F-16, vai modernizar os F-16 que tem e voar com eles o máximo de tempo possivel, enquanto projeta e/ou aguarda uma nova primeira linha aérea a ser decidida no futuro próximo.

Sidy
Visitante

Parece o mais logico a fazer, não?
Se tiver grana, moderniza os mais antigos e compra mais alguns novos. Se não tiver, moderniza os antigos e mantém o que possui em boas condições operacionais.
Para o teatro onde opera, é mais que o suficiente.

Rawicz
Visitante
Diego
Visitante
Diego

O gripen pode ser excelente, mas só 32, para um país gigante como o Brasil ? Tinha que ser ao menos uns 96

Tomara aí que o Bolsonaro compre ao menos mais um lote e ao menos umas 8 fragatas para a MB também pois é muito triste ver a FAB voando caças da década de 70 e os principais escoltas da MB (as FCN) também serem da década de 70

Rodrigo M
Visitante
Rodrigo M

Diego, apenas como observação, por hora são 36 encomendados não 32.
No mais, ok.

Humberto
Visitante
Humberto

Só dar uma pesquisada.
https://www.aereo.jor.br/2011/01/26/debriefing-da-cruzex-v-pela-forca-aerea-do-chile/

Na Cruzex em Natal, Brasil, a FACh participou com aviões de combate F-16 Block 50 e com o avião tanque KC-135 E, aeronave que permitiu o reabastecimento de combustível no ar para um voo direto de “Cerro Moreno”, em Antofagasta . Voar desde o Chile (Iquique) ao Norte do Brasil (Natal), sem escalas, para participar da Cruzex, demonstra grande capacidade operacional, deixando-nos praticamente sem fronteiras.

Ozzy
Visitante
Ozzy

Qual é a idade das celulas chilenas? imagino que não devem ser nada novas.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Ozzy, os primeiros F-16 da Holanda são de 1979, creio eu que os F-16 que a Holanda vendeu pro Chile sejam esses primeiros de 79 e início de 80.

Flanker
Visitante
Flanker

Os F-16 vendidos pela Holanda ao Chile foram entregues à Força Aérea Holandesa entre 1982 e 1988, conforme pode-se conferir no link abaixo: http://www.f-16.net/aircraft-database/F-16/serials-and-inventory/airforce/FACH/ Várias dessa células já passaram por revisão, reforço estrutural, inclusive com troca de longarinas e substituição de cabeamento. O trabalho incluirá todas as células recebidas da Holanda. Com esse trabalho encerrado, é natural que eles optem por uma modernização, focando agora principalmente na eletrônica, sensores e aviônicos. Alguns anos após o recebimento, essas aeronaves apresentaram problemas estruturais, o que motivou esse trabalho de revitalização das células. Quando bem feitos, trabalhos assim tem resultados muito bons. Um… Read more »

Marcos
Visitante
Marcos

6 células se acidentaram enquanto ainda voavam pela Holanda. Acidentes graves, como pousar de barriga e colisão no ar contra um Harrier.

Além disso, existe notícias de que as peças boas foram substituídas por peças velhas.
“Oficiais da Força Aérea Chilena aconselham a Força Aérea Colombiana a não comprar caças F-16 de segunda mão”.

https://www.defensa.com/edio-brasil/oficiais-da-fora-aerea-chilena-aconselham-fora-aerea-colombiana

Maurício.
Visitante
Maurício.

Grande parte é do início da década de 80 bem como eu pensei que fosse, para forças aéreas que voam pouco remendar até que dá pro gasto, tanto é que os que estavam em melhores condições ficaram na Holanda, mas sempre se acaba gastando mais do que o previsto pra deixar as aeronaves em condições de vôo, mas de qualquer jeito isso sempre vai acontecer na compra de equipamentos já usados e de segunda mão.

Mf
Visitante
Mf

o que o Chile tem hoje é compatível com suas necessidades. Mas nós estamos muito mal para aquilo que realmente deveríamos ter. 75 caças e 11 escoltas para um país deste tamanho e oitava economia do mundo é vergonhoso, e tudo obsoleto. 48 F-5M , 20 AMX, e 7 AF-1 desdentados. 6 Niterói, 2 Type 22, 2 Inhaúma , 1 Barroso.

Principal missel ar-ar Derby (50km) e antinavio Exocet MM40 bloco 1 (70km).

Só exército tá melhorsinho por já terem recebido bastante Guarani, Astros 2020, e equipamentos doados FMS, mas ainda tem muitos problemas tb.

Humberto
Visitante
Humberto

Mas me diga, perdermos algum território ou tivemos que abaixar a cabeça para algum outro país? Se tivessemos uma força armada, 10 vezes mais poderosa (e sei lá quantas vezes mais caro) teria feito alguma diferença? Se o Brasil tivesse 48 F-15, 20 F-35, 7 F-18, 6 AB 2 Type-45 etc, faria alguma diferença além de termos eles parados por falta de recursos para mante-los operacionais? Concordo que os equipamentos estão longe do estado da arte, mas acredito que isto tem mantido o mínimo de dissuasão e para formação e manutenção da doutrina. Não adianta ficar neste mimimi que precisamos,… Read more »

Mf
Visitante
Mf

O normal de disponibilidade de caças imediata nos principais países é 60% mais ou menos. Portanto a FAB não será diferente.

Atualmente a disponibilidade dos F-5 é 50% maior que a dos carros caças alemães por exemplo.

Ser vanguarda na região é o mínimo e até obrigação.

Jorge Knoll
Visitante

O CHILE é exemplo de administração pública, e militar tb. A organização, o planejamento levado a sério. Um país pequeno, mas bem armado, quer na Força Aérea com 46 caças F-16, Marinha, e Exército. Nós temos que se contentar com os superados F-5, mas brioso, valoroso, e alguns AMX. Virão 36 Gripen, não sei quando. É triste este vai-vem quanto ao orçamento, nós ficamos na poeira por represamento orçamentário e sem voz própria. O Brasil só vai ser forte, o dia que o orçamento da Defesa, não mais ficar suscetível a cortes dos ministros da área econômica, e que contarmos… Read more »