Home Aviação Comercial Airshow China 2018: China e Rússia revelam jato wide-body para rivalizar com...

Airshow China 2018: China e Rússia revelam jato wide-body para rivalizar com Boeing e Airbus

3293
33

A China e a Rússia divulgaram nesta semana um grande “mock up” de um jato de fuselagem larga (wide-body) que os parceiros esperam que um dia rivalize com aeronaves similares da Boeing e da Airbus.

A China Aircraft International Aircraft International Corp (CRAIC) está exibindo uma maquete em escala real do cockpit e parte da cabine de passageiros de seu CR929 no evento Airshow China em Zhuhai, China, marcando a primeira exibição pública da peça de exibição estática.

A joint venture, que consiste da Commercial Aircraft Corp da China (Comac) e United Aircraft Corp da Rússia, está agora no processo de seleção dos principais fornecedores de sistemas e equipamentos.

Ela espera que o trabalho seja concluído até o final do próximo ano, à medida que a aeronave avance em direção a uma meta de entrada em serviço na segunda metade da próxima década.

Embora alguns observadores da indústria tenham duvidado dessa linha do tempo, quando o CR929 entrar no mercado, ele competirá com o 787 Dreamliner da Boeing e com o A350 da Airbus.

Ambos os jatos representam trabalho para a Spirit AeroSystems Inc, que constrói a fuselagem dianteira completa do 787 em Wichita e a seção de fuselagem central do A350 em sua fábrica em Kinston, Carolina do Norte.

O jato sino-russo está sendo projetado para transportar 280 passageiros em um layout básico de três classes do modelo CR929-600. Os planos futuros definem que uma família completa de aeronaves inclua um modelo maior e menor.

Espera-se que a fuselagem da nova aeronave seja construída pela China, enquanto as asas serão construídas pela Rússia.

De acordo com uma reportagem da Reuters, a empresa disse nesta semana que buscaria propostas de fornecedores de todo o mundo.

No entanto, um funcionário da empresa se recusou a comentar sobre se os problemas comerciais atuais com os EUA afetariam essas seleções de fornecedores.

CR929

FONTE: Wichita Business Journal

33 COMMENTS

  1. O problema deles sempre foram os motores inferiores aos ocidentais. Fuselagem e asa boa podem ser feitas com boa qualidade. Mas fazer os ótimos motores R&R e P&W já é muito… Mas muito trabalhoso. Nunca podemos esquecer que o consumo de combustível é a maior preocupação de qualquer Cia aérea.

    • Acredito que eles podem colocar motors ocidentais se houver pedidos para isso.

      Duvido que uma GE da vida que está quase quebrando não gostaria de vender pra eles!

        • Sim. A G.E. está em péssima situação financeira. Inclusive, em junho, foi excluída do Índice Dow Jones. Diversas de suas operações estão em situação pré-falimentar, exceção para a de produtos aeronáuticos. Mas, isso não é garantia que ela, como um todo, não acabe de afundar.

      • motores ocidentais??? duvido… não é uma questão nem de China e Russia, é uma questão de Boeing e Airbus e uma cadeia produtiva que deve ter algumas dezenas de milhares de postos de trabalho… os caras vão dar super motores para os “vermelhos”???

          • Finalista é vencedor? Já cometeram esse erro na venda de motores “Nene” no final da decada de 40.

            Pensando bem, copiar um motor de primeira linha atual é só uma questão de tempo para os Chineses. Tá cheio de avião da Airbus e da Boeing voando na China.

            Pensando melhor ainda, esse bonito avião Chines terá que ser melhor “no todo” que os aviões ocidentais de nova geração, pois para mim uma empresa aérea é tão lucrativa quanto melhor for o seu TCO (mesmo nos países “vermelhos”).

          • Os chineses já estão bem avançados no desenvolvimento de seu motor, bem como os russos já possuem os seus. Acredito que a opção por motores ocidentais seja devida à escolha de algum cliente que tenha alguma vantagem operacional com isso.

        • A Boeing e Airbus não tem contrato de exclusividade de motores.
          Então elas não conseguem exigir das fábricas de motores a não vender para os concorrentes.
          O máximo que podem fazer é mímimi.

        • Existem diversos modelos de aeronaves com 2 modelos de motores. Na matéria fala que eles vão escolher apenas 1 fornecedor, mas que vão desenvolver um motor próprio.

  2. Boeing e Airbus estão assustadas sim, como já sabemos o mercado está aumentando internamente na china, aí as empresas aéreas chinesas vão comprar de quem? de quem gera empregos na china, o próprio governo chinês com certeza será mais amigável nos empréstimos com quem comprar made in china. a Embraer por questões de sobrevivência tem que ter uma linha de montagem boa por lá.

  3. Mercado de viação não depende unicamente do produto em si, mesmo que muito bom e mais barato, depende de uma infinidade de fatores e há até um imenso peso político envolvido. Qualquer concorrente que venha a movimentar o duopólio e muito bem vindo, ainda mais com a fagocitose da Embraer e Bombardier na aviação comercial. Quanto mais concorrência melhor! Não é isso?

  4. Quanto tem de roubo de propriedade intelectual ai!? espionagem, industrial? E OUTRAS SUJEIRAS? e quem vai confiar em viajar num avião de passageiros fabricado na china??? além do mais não se esqueçam dos CARTÉIS , e oligopólios que surgem em todas as áreas!!.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here