Home Aviação de Ataque Mirage F1 e F-5F revisados retornam à Força Aérea Iraniana

Mirage F1 e F-5F revisados retornam à Força Aérea Iraniana

5510
30
Mirage F1 do Irã
Mirage F1 do Irã

As operações de revisão do jato de combate Mirage F1, fabricado na França, levaram 25.000 homens/horas de trabalho, enquanto o caça F-5F, de dois lugares, fabricado nos Estados Unidos, levou 12.500 homens/horas de trabalho.

As duas aeronaves se juntaram à frota da Força Aérea Iraniana depois de passar por testes operacionais.

O retorno mais recente de jatos de combate revisados ​​por especialistas iranianos foi em 25 de julho, no qual especialistas técnicos militares do IRGC (Islamic Revolutionary Guard Corps) revisaram e atualizaram 10 jatos de combate Sukhoi SU-22.

Também em 19 de julho, o Irã relatou a revisão de um F-14 Tomcat fabricado nos Estados Unidos na Base Aérea Shahid Babaei, na província de Isfahan. A operação levou 35.000 homens/horas de trabalho.

Segundo o comandante da Base Aérea de Shahid Babaei, Mohammad Jafar Tak, os esforços envidados no processo de revisão da aeronave mostram que as tentativas do inimigo de impor sanções em uma tentativa de minar as capacidades de defesa do país foram inúteis.

Os esforços também estão alinhados com a “economia de resistência” e redução das despesas, acrescentou.

F-5F iraniano
F-5F iraniano

FONTE: Mehr News Agency

30 COMMENTS

    • Alex, embora não pareça para nós aqui, o Irã é um país relativamente bem industrializado. Eles tem até indústria automobilística, com presença de empresas ocidentais como a Peugeot, por exemplo. Boa parte da população iraniana é bem ocidentalizada, parte disso ter resultado nos fanáticos religiosos quererem tomar o poder no final dos anos 70. Alguns anos atrás inclusive, estudantes marchavam nas ruas pedindo reformas, mas sabemos bem como isso termina por lá…

      No começo dos anos 70, como parte das contrapartidas comerciais da compra de 80 Tomcats, a Grumman construiu uma “sucursal” dela em território iraniano. Não duvido nada que as numerosas compras de F-4 e F-5 também tenham resultado também em generosos parques de manutenção, capazes de manter as grandes frotas iranianas em operação.

      Com a revolução, os americanos que estavam por lá dando treinamento fugiram, mas todo o material ficou para trás. Mesmo que eles tenham sabotado o que puderam durante os confusos dias da revolução, o que foi ensinado não pode ser apagado. Daí os iranianos poderem manter as frotas de aeronaves americanas até hoje, inclusive com apoio dos EUA por debaixo dos panos durante a Guerra Irã-Iraque nos anos 80. Mas isso é conversa para outro tópico.

      Aqui um vídeo de propaganda da Grumman, mostrando os esforços para montar a infraestrutura para operar o Tomcat por lá:

  1. Na Guerra Irã Iraque eles deram manutenção nos radares dos F14 fazendo engenharia reversa.
    Alguém postou aqui no PA o número de engenheiros formados lá e aqui no Brasil: 7 x 1 para eles. Então, sim, eles provavelmente tem capacidade para isso.

  2. No outro site, os caras estavam zoando.Até que um iluminado, os fez ver verdades.Lá eles operam F-14, MiG-29UB, Phantom e iriam de F-16 se não tivesse sido cancelada as vendas.E nós nem saímos do F-5.Muito correto, os comentários aqui.

  3. O Irã tem uma característica atávica: É DETERMINADO!

    Foi assim antes do Xá, é assim depois do Xá e com os aiatolás.

    É um país difícil de dobrar….

      • O que só demonstra sua determinação: ficaram sucateados mas as aeronaves continuam voando. São antigas, já não tem mais aquele potencial militar de outros tempos, mas não viraram montes de sucata.

  4. Ok – São somente alvos para um f-16, imagina para os F-18, F-15, F-35 e F-22 – No Brasil seria manter os Mirages 3, 2000, Xavantes e chamando o Tio Sam para a Briga. O único parabéns é pela dedicação na insistência pela sua própria sobrevivência, nisso o Irã tem foco, mesmo que em uma situação extrema todos sabemos como será o fim da novela. Tio Sam e Jacob nunca aceitarão uma ameaça Persa, o resto é história, enquanto os Persas estiverem com estes estilingues tudo voa nos vales do Tigre e Eufrates

  5. Podem revisar, sabe-se lá o que os iranianos entendem por isso, a vontade, uma hora a vida útil da célula e da turbina acabam e ai vão fazer o que????
    Construir mais mock-ups de “Qaher-313”????
    Pois ninguém está vendo sequer dezenas, qnto mais centenas, de “HESA Saeqeh” ou “HESA Azarakhsh”, voando por ai.
    Aliás seria bem interessante de se ver, um por assim dizer clone do F-20, motorizados por TF-30 ex-F-14 ou J-79 ex-F-4.

    • Já é extraordinário o fato deles manterem estes aviões voando, mas daí a fabricar outros modelos, é outro assunto…

  6. Eu acredito que eles tem a mão de obra especializada, ou seja devem ter ainda muitos mecânicos treinados nos anos 70 e 80 na manutenção dos F-4, F-5 e F-14, deve ter esquemas técnicos, manuais desenhos de todos os sistemas deste caças, tudo resultado da antiga parceria com os EUA, e por isso ainda conseguem manter estes vetores, Mais o que eles não tem é peças….. por isso tiveram que canibalizar várias células para manter outras em voo, fazer engenharia reversa e apelar para ajuda dos Russos (especialmente no caso do F-14, onde os rumores é que voa com motor e radar atualizado pelos Russos), mais uma hora estas peças também irão se esgotar, no caso do F-5 não é problema mais F-4 e F-14 é preocupante pra eles até quando vão conseguir ?, e existe também o próprio limite de horas de voo uteis da células, acho que por isso estes aviões voam bem pouco por lá. Mais em resumo Não se pode negar que eles tem mesmo muita vontade e porque não competência.
    A mesma coisa pode ser dizer dos Mirage F-1 com a França, mais pra esses com certeza é ma is fácil de conseguir peças

    • Que eu me lembre, a principal função dos F14 é alerta antecipado, devido ao seu poderoso radar,que era o melhor de sua frota.

      mas depois de 40 anos duvido que o radar esteja lá estas coisas todas. E é notório o peso do embargo. Nem mesmo aeronaves modernas russas ou chinesas eles têm.

      MiG-29 Russia multirole 20[24]
      Sukhoi Su-24 Russia attack 23[24]
      Sukhoi Su-22 Russia attack 10[25]
      Chengdu F-7 China fighter 17[24] license built MiG-21
      Northrop F-5 United States fighter F-5E/ Saeqeh 26[24] the Saeqeh is a derivative of the F-5
      F-4 Phantom II United States fighter-bomber D/E/RF 47[24] 16 aircraft are configured for reconnaissance[26]
      Grumman F-14 United States fighter / interceptor F-14A/AM[27] 24[24]
      Mirage F1 France fighter F1EQ 9[24] obtained from the IQAF fleeing during the Gulf Wa

      fonte: wikipedia

  7. Com a levantada das sanções e o descongelamento do dinheiro iraniano no exterior, é facil.
    E ainda há iluminados que acham que eles iriam, usar esse dinheiro para melhorar a vida de seus cidadãos, não, eles vão promover a guerra.

  8. Se não fosse a poderosa frota de F-14 e seus mísseis Ar-Ar de longo alcance… Creio que a revolução islâmica não teria a longevidade que tem.

  9. Revisados em que nível ?? Substituição de radares, sistemas de navegação e comunicação e motores mais antigos por mais novos e mais modernos ?? Capacidade de levar outros tipos de armamentos e pods ??

    • Revisar é manter operacional, mas sem alterar as capacidades e configurações originais. Substituir radares, motores, sensores, etc não é revisão,e sim, modernização.

  10. Lembrança.

    A Venezuela deu ao Ira um F-16 para eles então com certeza os novos caças Iranianos serão baseados nesse F-16 Iranianos no futuro e talvez os Chinas deverão está por trás desse projeto?!
    ———————————————————————————————————
    Mas são só Conjecturas……
    ———————————————————————————————————

    como o Tio Jaco não tem capacidade de pegar na mão os Persas com certeza os Âmis darão um jeito….

    Pobre Ira.

  11. Pessoal o Irã tem uma grande capacidafe industrial e técnica. Veja que eles dominam capacidades importantes como a tecnologia de turbinas a jato utilizadas nos seus misseis de longo alcance e anti-aéreos. Tambem possuem capacidades na area de siderurgia/metalurgia i dustria quimica e petroquimica, mecânica, etc. A educação é uma área que recebe muita atenção do regime e a formação de tecnicos e cientistas é incentivada. E a economia apesar das restriçoes impostas pelos EUA é pujante. Lembrem que eles produzem petróleo, fertilizantes, máquinas agricolas, veículos, tapeçarias de alto valor agregado pela tradição milenar, caviar, medicamentos, etc. Apesar das restrições a tecnologia aeronautica o país prova que tem capacidade de manutenção. Provavelmente possuem capacidades na area de radar, avionica, o que pega são as areas de aerodinâmica, propulsores e materiais que não deve ser fácil com todas as restrições. Além disso não se enganem. China, Paquistão e mesmo Rússia têm tanto receio do Irã quanto o ocidente.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here