Home Aviação de Caça Foto: MiG-31BM com mísseis ar-ar R-77 ‘Amraamski’

Foto: MiG-31BM com mísseis ar-ar R-77 ‘Amraamski’

6569
64

O site russianplanes.net divulgou foto de um caça MiG-31BM equipado com mísseis ar-ar R-77-1. É a primeira vez que uma aeronave deste tipo é vista equipada com o míssil BVR (Beyond Visual Range) russo apelidado de “Amraamski”, devido à semelhança de características com o AMRAAM AIM-120 americano.

Em 2015 foram anunciadas novas capacidades na versão modernizada do MiG-31, que poderá interceptar aeronaves stealth, mísseis de cruzeiro e drones hipersônicos. Ele seria capaz de engajar seis alvos simultaneamente.

A Rússia planejava atualizar mais de 60 interceptores MiG-31 para a versão MiG-31BM até 2020. A versão modernizada está equipada com aviônicos atualizados e links de dados digitais, um novo radar multimodo, telas coloridas multifuncionais no cockpit, e um sistema de controle de armas mais poderoso.

Ele pode detectar alvos aéreos na faixa de 320 quilômetros (200 milhas) de distância e, simultaneamente, rastrear até 10 alvos.

AA-12 Adder

O Vympel NPO R-77 (designação da OTAN: AA-12 Adder) é um míssil ar-ar de alcance médio de orientação ativa. Também é conhecido por sua designação de modelo de exportação RVV-AE.

O R-77 teve seu desenvolvimento iniciado em 1982. Foi visto pela primeira vez em 1992 no Moscow Airshow (MAKS), quando recebeu o apelido de “Amraamski” pelos jornalistas ocidentais.

A versão mais avançada do R-77 pesa 190 kg, tem 3,71 metros de comprimento e conta com uma ogiva de 22,5 kg de alto explosivo. A espoleta de proximidade funciona a laser. O míssil tem um alcance máximo de 110 km, mas a versão R-77M em desenvolvimento promete alcançar 193 km.

A orientação é inercial com atualização de meio curso e terminal por radar ativo. Uma outra versão têm também buscador por infravermelho.

Míssil R-77
Míssil R-77
Buscador do míssil Vympel-R-77
“Seeker” do míssil Vympel R-77

64 COMMENTS

  1. Interceptador raiz, altíssima velocidade e poder de cobertura territorial monstruosa. Foi utilizado amplamente na sua versão de reconhecimento, com câmeras de alta resolução. Foi capaz de identificar todas as grandes bases européias em territórios como Ucrânia e Turquia. Também fotografou quase todas as bases de Israel e Arábia Saudita lá no oriente médio. Na versão interceptador, é a primeira linha de defesa da Rússia.

  2. Só uma correção. Eles usam a Versão russa melhorada R-77-1 e não a R-77 que por varios motivos, nunca foi adotado pela VKS. É esses 60 modernizados são uma modernização do já modernizado BM. Em forums russos são chamados de série 3 BM3.

  3. Interceptador puro, rústico e eficaz!
    Mas o f-15 X é melhor por levar mais mísseis e é infinitamente melhor se houver tempo pra dogs!

    • Um macaco sobe em árvores melhor q uma baleia. Mas se a comparação for quem nada melhor…
      Não compare alhos com bugalhos… Mesmo se for alho com alho, se um alho for norte-americano e o outro asiático, provavelmente, eles servirão para fazer pratos diferentes.

  4. A função do MIG-31BM nunca foi entrar em combate de curta distância. A função dele é atirar o mais longe possível e alvos de alto valor como bombardeiros, aviões radar e posto de comando no ar… etc.
    E é isso que eles faz… Voa acima dos 20mil metros e mach 3 com um enorme e sofisticado radar Zaslon M que rastreia 24 e ataca 8 e disparando Mísseis R-33M/37 e agora R-77-1.
    E isso por mais que doa na torcida americana… Não tem F-15 ou qualquer outro que possa fazer igual.

    • Yan
      Sim… o MiG-31 é realmente uma aeronave impressionante pelas caracteristicas que tem e tbm por ser de uma geraçao anterior aos caças mais modernos.

    • Mas os radares mais sofisticados como os AESA do F-22 e F-35, tem alcance maiores e detectam mais aeronaves, alem de poderem fazer isso sem o inimigo detectar sua emissões.
      Até o radar problemático do F-18SH tem capacidade de rastreamento de alvos maior, apesar de ter um alcance menor.
      Quanto aos misseis, em quanto forem ativos, podem ser lançados todos que couberem, num caça ao mesmo tempo.
      Não tem porque as qualidades do MIG-31 doer, à não ser pra quem não tenha caças e misseis modernos.

      • Augusto L
        Saudacoes

        Independente de todos os contras que vc citou, ainda assim o MiG31 é um aviao impressionante por ser de uma geracao anterior a caças mais modernos como F22 e F35 , sem contar q ele tbm teve sistemas atualizados.

        Augusto L… vc pode ate ser abertamente pro-EUA, é um direito seu, mas deixando a ideologia de lado, temos que reconhecer que o MiG31 é um aviao excelente.

        E o MiG31 nao foi feito para se contrapor aos caças de 5 geracao, os alvos dele sao outros, ele nao vai entrar em dogfights, vai disparar contra os objetivos preestabelecidos e dpois se retirar.

  5. Outro coisa! Com o advento do F-15X não tem nada pra “peitar esse velhinho de briga “!!
    Não tem Natimorto!
    Não tem chamuscado!
    Não tem limitado!
    Nunca houve nada mais eficaz tipo assim ” Ele vem, ele vê e ele vence ” !!
    Se discordar é só dizer quantos F-15 foram abatidos em combates aéreos em mais de 30 anos de serviços prestados!!

      • Rinaldo, ajude a gente a baixar a temperatura do debate e as provocações, por favor, porque ultimamente está sendo bem difícil, com o pessoal com nervos à flor da pele. Agradecemos desde já.

          • De fato, muitos comentários enchem bastante o saco quando viram coisa de torcida. Mas reitero o pedido.

        • Nunao…

          Vc tem razao… essa briga de torcidas realmente enche o saco, eu postei um comentario rindo e so depois vi o seu pedido… peço desculpas… pode apagar meu comentario… mas olha so… que o comentario do Rinaldo Nery foi engraçado… isso foi. Igual o do R2D2 no F15.

      • Rinaldo Nery 8 de agosto de 2018 at 21:21

        “Tem a camiseta do F-15?
        Tatuou no braço?”

        hahahahahaha… essa foi boa igual a do R2D2. no F15… rindo demais.

  6. Olha o tamanho do radome do bicho. Assim como no F-14, tamanho do radome é documento.
    Haja gálio para se fazer um radar AESA daquele tamanho.

      • Eu sei que não é AESA. Mas seria impressionante se fosse.
        O antecessor Mig-25 tinha radar valvulado, que era dos melhores em sua época apenas pela potência bruta, mesmo sem sofisticação.

      • Marcelo,
        O Zaslon foi o primeiro radar PESA instalado em um “interceptador” e não o primeiro radar PESA operacional do mundo e nem o primeiro radar PESA instalado em aeronave.
        Antes do Zaslon no MiG-31 teve o radar o do E-3 AWACS, o radar do sistema Aegis do Ticonderoga, vários radares fixos em terra para detecção de misseis balísticos intercontinentais, o radar do sistema Patriot, o radar do porta-aviões Enterprise e do cruzador nuclear Long Beach, etc.

  7. O que se deduz da informação é que ampliou-se o leque operacional do interceptador, que antes era voltado contra aviões de baixo desempenho, como bombardeiros, transportes, AWACS, JSTAR, tanques, etc.
    O R-77 agrega porque apesar de ter alcance bem menor que o R-37 (por exemplo) tem maior capacidade de manobra o que o faz mais apto a engajar caças. Quanto a ser melhor pra engajar aeronaves stealths faltou o texto explicar como em tese isso seria conseguido.

    • Também sou curioso ao ponto de apoiar o pedido de explicações, mas acredito que por se tratar de algo sensível – principalmente quando tocamos no assunto da tecnologia stealth – seria o equivalente a pedir a um ladrão para explicar como ele irá cometer o próximo furto…

  8. Parabéns Yan, aqui tem muitos que falam as coisas sem mesmo pensar, Rs, a uma altitude dessas e a uma velocidade dessas não tem DOG Kkkkkk. Gente vamos pensar antes de dar opiniões erradas. Abraço a todos.

    • Papan
      Realmente, a briguinha de torcida EUA x RUSSIA atrapalha bastante o site.

      Para os pro-Russia as armas deles sao “fantasticas” e para os pró-EUA nenhuma arma presta a nao ser que seja americana ou israelense.

      Essa baboseira ideologica atrapalha bastante os comentarios.

  9. Uma pergunta. Na guerra do golfo, porque os migs-25 não atiraram primeiro? O F-15 tiveram tempo de fazer identificação visual e foram para o dogs contra eles. Já no combate contra os migs-23 os Eagles atiram uma salva de sparrow além do alcance visual e derrubaram três no ar, o quarto já tinha voltado pra base por causa de um defeito. Piloto de sorte! Tá antes que perguntem eu por coincidência estava assistindo combates aéreos no Discovery

    • A Coalizão utilizava aeronaves E-3 e E-2 no conflito e portanto tinha uma consciência situacional muito maior que os iraquianos. Além disso o MIG-25 era um vetor russo e por isso seguia uma doutrina russa de interceptação que ditava uma rigida obediência ao Controle de Solo. Para completar o radar Foxfire não tinha um alcance tão longo (os mísseis que o MIG-25 levava então, os R-40 se não me engano, tinham um alcance pífio de cerca de 40 Km se não me engano. Apesar disso, conseguiram derrubar um F/A-18 da U.S.Navy. Claro que enfrentar a Coalizão com alguma chance de sucesso, só mesmo na cabeça do Saddam. Por favor me corrijam se coloquei alguma informação incorreta. Agradeço desde já.

      • Nem um pouco. Acrescentando ao seu comentário, vale lembrar que, em terra, a Coalizão superou as forças iraquianas na razão de dois para um. A Coalizão era constituída em sua maioria por soldados profissionais ao contrário dos inúmeros conscritos iraquianos.

    • Tallguiese, vou tentar responder tua pergunta com o pouco que sei! Se eu estiver errado, alguém me corrija, por favor… rsrsrs

      Os iraquianos, além de terem muitas estações de radar destruídas logo no alvorecer da guerra, passaram também por problemas de comando e controle. Muitas aeronaves devem ter decolado de forma atropelada, sem um bom planejamento de missão, sem definição de alvos e objetivos…. então, decolando puramente para interceptar contatos de radar, tiveram dificuldades para identificar e rastrear alvos.

      Do lado de lá, a coalizão não apenas teve tempo de planejamento, como dispunham também de táticas avançadas, equipamentos avançados e agiram dentro do que foi planejado!

      Pelo que sei, a situação foi mais ou menos assim! Hehehe perdoem-me as possíveis imprecisões da narrativa. Bom dia a todos

        • Sim mais o MIG-31 nada mais é a evolução do MIG-25 Foxbat, ele é todo baseado no MIG-25, Ambas máquinas muito impressionantes mesmo e até onde sei o MIG-25 ainda continua em serviço na RUSSIA, mais fora a Russia alguém sabe dizer se em algum pais das antigas republicas da URSS ainda estaria em serviço?

          Por tempo o MIG-25 também é um dos principais responsáveis pelo IRÃ ter selecionada e comprado o F-14 Tomcat (na época que os Persas eram amigos dos EUA) pois este era o único capaz de “frear” os constantes passeis dos MIG -25 do Iraque faziam no espaço aéreo do IRÃ , de fato depois que o F-14 entrou em serviço no IRÃ os passeios do MIG-25 Iraqueanos sessaram .

    • Se eu não estiver enganado a ultima vez que um caça dos EUA abatido em combate foi no Iraque e o autor da proeza foi um MiG-25.

      Saudações!

    • O F-15 tinha um radar com maior alcance e rastreio que o MIG-25, mas as versões A/B só podiam guiar 1 missil por vez, uma desvantagem em relação ao MIG-25, mas em 91 já estavam operacionais as versões C/D, que não tinham essa desvantagem.

  10. Aeronave impressionante pelas caracteristicas que tem e pelo tipo de missao que cumpre e mais ainda por ser de uma geracao anterior aos caças mais modernos.

  11. Já ouvi chamarem o MiG-31M de caça “estratégico” multifuncional.
    E a Rússia já teria planos para substituí-lo.

  12. Ricardo. Alguns dos modernizados, podem ser equipados com mísseis anti radar kH-31/58 e bombas por laser e GPS/satélite. Fora o último agora Kh-47M2.

    E ele é contemporâneo família F14/15/16/18… Não existem muita diferença da data inicial.

    • Na verdade ele, o MiG-31, se coloca “entre” os F-14 / F-15 e os F-16 / F-18. Pelo que já li ele pode lançar armas de longo alcance para abater aeronaves, mísseis e alvos em terra, em especial estações de radar. Sem falar dos monstruosos e rústicos AA-6 Acrid que ele “herdou” do MiG-25, Sem dúvida uma pela peça de engenharia aeronáutica

  13. O problema do MiG-31 é que apesar dele encontrar um avião tanque a 320km (ou mesmo um caça a essa distancia) ele também é visto por causa do seu RCS de um elefante… se tiverem caças furtivos fazendo escolta avançada de aeronaves de alto valor (aeronaves de reabastecimento ou AWACS) o MiG-31 vira apenas um enorme alvo…

    Eu sinceramente imagino que aonde estiver um avião de reabastecimento ou um AWACS voando vai ter uma escolta voando bem a frente dele. isso dificulta o trabalho do interceptador, não importa qual seja.

    • Victor,
      Parece que esse seria o mesmo argumento que estaria levando ao desenvolvimento de um “PAK alguma coisa” para substituto

      • A Russia só “precisa” de um interceptador furtivo por causa do tamanho do seu território que é enorme e precisam de uma aeronave rápida para cobrir a distancia, mas agora, isso é um gasto desnecessário para a Russia. se o SU-57 fosse ser adquiridos em números dignificativos ele poderia exercer essa função

  14. Trata-se de uma aeronave impressionante, não só por suas especificações (tamanho, desempenho, envelope de voo) mas, também, por ser um verdadeiro sobrevivente, que se renova com o passar dos anos (décadas…..).

    Avisando que não sou “torcedor” deste ou daquele lado, não vejo o F-15 como um adversário do MIG-31: são aeronaves para cenários distintos. O F-15, salvo melhor juízo, nasceu como interceptador e para escolta dos bombardeiros estratégicos (um amigo certa vez disse que ele era o P-51 da era à jato…). Já o MIG-31 nasceu para interceptar à longa distância grandes alvos como AWACS, aviões tanque, etc., não tendi sido concebido (ou depois alterado) para entrar em combate próximo. Por isso seu massivo tamanho e sua capacidade de voar tão alto e tão rápido.

    Embora possamos reportar o F-15 também como um sobrevivente, como uma aeronave que, de tão formidável, é reinventada ao longo dos anos, isso não o faz semelhante ao “31”.

    Se um MIG-31 der “bobeira” e entrar no envelope de engajamento de um F-15, será destruído. Simples assim. E, agora, com a adoção de mísseis mais ágeis como o R-77, creio que a recíproca poderá ser verdadeira: se o F-15 entrar no envelope de engajamento do “31”, estará em apuros..

    No mais, me junto a vocês na dúvida sobre como seria essa capacidade de engajar aeronaves stealth. Não me parece que seu novo radar seja capaz disso (p. ex. detectar um F-22) mais do que outros radares já existentes. Talvez seja uma referência à sua suíte de mísseis e sua capacidade de operar em rede, o que faria dele uma plataforma de lançamento de mísseis guiados por outros sítios de radar ou aeronaves.

    • O F-15, mais do que um interceotador, é uma aeronave de superioridade aérea que surgiu como resposta a um hipotético MiG-25 que estava no imaginario da inteligência norte-americana, uma vez que esta acreditava que as enormes asas eram para o dogfight enquanto que na verdade era uma resposta ao alto teor de aço utilizado no MiG. Assim, em um combate entre F-15 e MiG-31 é esperado que o norte-americano se saia melhor, haja vista o F-15 ser “concorrente” do SU-27/35 e não do MiG-31.

  15. Uma curiosidade, é que o MIG-31 foi a aeronave russa pôs fim da URSS que menos vou nos anos 90 e início de 2000. Pelo fato de ser muito caro pra época e a economia em frangalhos.

  16. Bosco 7 de agosto de 2018 at 21:01
    …Quanto a ser melhor pra engajar aeronaves stealths faltou o texto explicar como em tese isso seria conseguido.
    ————————

    Caro Bosco,

    O radar do MiG-31 é um Monstro. O radar foi totalmente modernizado e suas capacidades foram ampliadas.

    O alcance máximo dobrou para cerca de 400 km.

    Claro que ninguém vai divulgar dados secretos, mas está implícito que a capacidade de detectar alvos pequenos e furtivos também foi ampliada.
    Eu já li em sites russos que o ‘novo’ Zaslon-M possui o dobro de alcance contra aeronaves furtivas, quando comparado ao IRBIS-E.

    Os números aproximados são: 90 km para o IRBIS-E e cerca de 180 km para o Zaslon-M.

    Se é verdade, eu não sei.

    Mas se levarmos em conta que um Raven do Gripen pesa 215 kg e possui antena com 600 mm, que o IRBIS-E pesa +600 kg e possui antena com 900 mm e que o Zaslon-M pesa + de 1 Tonelada e possui antena com 1.400 mm
    Da para imaginar que o MiG-31 modernizado é quase um AEW.

    E os mísseis novos também possuem maior capacidade de manobra, como buscadores mais modernos e teoricamente, mais capazes de travar em alvos furtivos.

    • O alcance de 90 km para detecção de aeronaves furtivas para o IRBIS-E é contraditório com o outro dado fornecido pelos russos de que esse radar é capaz de detectar um alvo de 3 metros quadrados de RCS a 350 km. Pela equação do radar (que nenhum radar convencional consegue fugir), o alcance máximo do IRBIS-E para um alvo de RCS = 0,01 metro quadrado é de aproximademente 20 km. Óbio que essa acaba sendo uma conta meio que “de padaria”, porém o alcnace real não consegue fugir muito disso. Além disso, o Zaslon-M, por ser mais antigo tem uma capacidade de detecção menor do que o IRBIS-E, de aproximademente 282 km para um alvo com RCS de 5 metros quadrados.

      • Desculpe,

        Você fez a conta errada. A fórmula matemática para determinar Alcance de Detecção radar x RCS é a seguinte:

        R1/R2 = (RCS1/RCS2)^(1/4)

        Se você aplicar na Fórmula 350 km de alcance como R1 e 3 m² como RCS1 e 0,01 como RCS2, o R2 (alcance detecção para novo RCS informado), será de 84 km.
        E não 20 como você diz.

        Os russos ainda dizem que o alcance máximo de detecção do IRBIS-E é entre 350 – 400 km.
        Se utilizar 400 km como R1, o R2 para um alvo de RCS 0,01 será de 96 km.

        Portanto, o dado de 90 km está justamente no meio do caminho.

        Já o Zaslon-M, apesar de se tratar um radar mais antigo, o M significa que foi Modernizado. E é um radar que opera em duas bandas, na banda X e também na banda S. Normalmente os caças furtivos são otimizados para absorver ondas na banda X.
        Não sei se isso explica, mas sei que o Zaslon-M opera em banda X e S.

        E sei que ele é bem maior que o IRBIS-E e também possui uma antena Bem maior também, com 1.400 mm de diâmetro.
        É um radar gigantesco.
        Portanto, reitero que li que o alcance deste radar contra aeronaves furtivas é da ordem de 180 km (o dobro do IRBIS-E). Se é verdade, não sei. Mas não duvido que ele seja um dos radares operados por Caça com as melhores capacidades para tal função.

        • Realmente eu havia feito a conta de maneira errônea. Todavia, quanto ao radar do MIG-31, por ser um PESA dos anos 80 ele tem um alcance bem menor do que o IRBIS-E para aeronaves furtivas, apesar do maior diâmetro.

  17. Caros, vamos ao fatos:

    O Mig 25 foi retirado de operação na Russia (VVS) na função de interceptador no começo dos anos 2000. As versões de treinamento e reconhecimento operaram na base de Monchegorsk até meados de 2013.
    O enorme AA-6 “ACRID” foi retirado de serviço a pelo menos 10 anos.
    O MIG-31 nunca foi um interceptador Mach 3, sua velocidade máxima é de Mach 2.8 ou quando em cruzeiro supersônico, a velocidade máxima é de Mach 2.35.
    Não, o MIG -31 não foi concebido como interceptador puro e nem é essa sua função principal nas forças russas (VKS e VMF). Foi desde o início concebido como: ..” at the time of its design in the late 1960, the new MMIG-31 was required to perform only one task: protection of the Soviet Union against attack by CRUISE MISSILES launched from heavy bombers or submarines and approaching over the vast uninhabited territories in Russia’s North and Far East..” ou seja, a função principal do MIG -31 foi e ainda é a destruição de mísseis de cruzeiro ( inclusive as unidades da marinha – 98th em Monchegorsk com 2 esquadrões de MIG-31 e o esquadrão da 7060th base aeronaval de Yelizovo, treinam rotineiramente a destruição de mísseis de cruzeiro, já que ambos os esquadrões defendem as bases de SSBN e SSN da Frota do Norte e do Pacífico). Para terminar, no total desde 2009 quase a totalidade dos 130 MIG’s 31 operativos foram modernizados ou estão em vias de serem modernizados com outros 100 em reserva (possivelmente algumas duzias serão modernizadas para formar outros esquadrões ou mesmo reativar algumas bases que estão passando por reconstrução).

    • Outro ponto interessante Ypojucan é que ao contrário do Mig-25 o Mig-31 tem um canhão, aliás um canhão gatling de elevada cadência de tiro (10.000 tiros/min) mais até que o consagrado M61 Vulcan (6.000 tiros/min)

      • Sim, bem lembrado. Porém, os relatos são contraditórios quanto a se esse canhão funciona nos dias de hoje ou se inclusive foi removido nos jatos modernizados ( o”casulo” do canhão ainda existe na lateral, mas algumas fontes dizem que faz muito tempo que esse canhão não é mais utilizado – alguns acidentes inclusive teriam acontecido, levando a perda de aeronaves por falhas no canhão, além de que com uma cadência tão alta, a utilização era inútil pois a munição acabava rapidamente. Lembrar que para um interceptador que notadamente deveria derrubar os seus alvos a grande distância o canhão de fato é algo dispensável. Talvez a idéia de se instalar o canhão tenha vindo da ridícula performance dos mísseis de curto alcance IR disponíveis aos soviéticos naquele tempo e sendo o MIG -31 tão vital ao sistema de defesa soviético, eles talvez não quisessem deixar o grande interceptador desprovido de meios para o curto alcance! ( De qualquer forma, no combate estilo dog fight o MIG -31 assim como o MIG -25 ou o poderoso SU-15 “Flagom” teriam um desempenho sofrível para dizer o mínimo!!).

  18. Sobre a modernização, um primeiro protótipo realizou seu voo em Janeiro de 1999 (número 58) e após uma série de refinamentos decorridos do que se observou nos testes em voo, o “58” foi convertido para o padrão de série e decolou para seu voo inaugural em setembro de 2005 e foi enviado para o centro de testes de Akhtubinsk em dezembro do mesmo ano, sendo seguido pelos MIG-31BM números 59 e 60.

    A campanha de testes e qualificação terminou em novembro de 2007 com a recomendação de modificação em série do tipo e os primeiros 12 jatos foram então contratados em 1 de abril de 2008 para serem modernizados na fábrica de Sokol na cidade de Nizhny Novgorod. Posteriormente em 1 de agosto de 2011 mais 60 jatos modernizados foram contratados para entrega em 2012/18 e em 21 de novembro de 2014 mais 53 jatos foram contratados, mas dessa vez, o trabalho ficou a cargo da fábrica ARZ-514 em Rzhev para o período de 2015/18 ( notar que em meados de 2015 mais de 70 MIG-31BM já estavam em operação na VKS e VMF).

    A maior modificação foi no sistema de controle de fogo do poderoso radar Zaslon-AM (S-800AM) que também recebeu considerável atualização, sendo o alcance máximo para um alvo do tamanho de um caça de 240KM (149 milhas), podendo rastrear 24 alvos e atacar 6 desses simultaneamente (os mísseis K-37 izdeliye 610M podem engajar alvos ao alcance máximo de 200km/180milhas). Outras modificações vieram na forma de novo sistema de comunicações (R800L) e melhoria no sistema de navegação, inclusive com a introdução do receptor de sinais de satélite (A737). No cockpit do piloto sistemas analógicos agora são mostrados de forma digital numa tela LCD e no cockpit traseiro duas telas de LCD substituíram uma série de mostradores analógicos.

    As células e os motores foram completamente desmontadas e revisadas a um estágio de “quase novo” (porém as primeiras células modernizadas já devem ter que passar por nova revisão em 2024 – onde se possível, terão suas vidas úteis estendidas novamente na base do caso a caso – ou seja, as mais antigas devem realmente começar a dar baixa por volta de 2025/30).

    Uma curiosidade é que a modernização propiciou um aumento do peso máximo de decolagem para os 46,835Kg (103,224lb) o que é um pouco mais do que o previsto originalmente e também foram alterados os dados de altitude máxima que agora é de 20,000m (65,620ft) e alcance máximo sem REVO que é de 1,242nm (2,300KM). Os últimos MIG-31 já foram modernizados com a capacidade de levar até 4 R-77-1 (ou o novo K-77M) e receberam melhoramentos no software do radar/controle de fogo e já existem indícios que o IRST retrátil na parte de baixo do nariz das aeronaves foi trocado por um sistema atual.

    Duas empresas tem proposto melhorias nos sistemas defensivos da aeronave (não se sabe até agora e nem se notou nenhum MIG-31BM modificado/modernizado com novos sistemas defensivos) são os sistemas Kedr-29-31 e Vitebsk L370K31 que englobam novo RWR e EWS além de contarem em ambos os casos com modernos sistemas MAWS e novos lançadores de chaff/flare e até mesmo iscas aerorebocadas (decoys).
    Vale lembrar que esses jatos são muito queridos por suas tripulações e tem lugar de destaque nos dias atuais na VKS e na VMF, apesar de serem reconhecidamente jatos “nervosos” e nem um pouco dóceis para o piloto. Ou seja, esse grande e poderoso jato ainda vai voar um bom tempo até que os Russos venham a substituir esse icônico interceptador.

  19. Esse MIG 31 está mais mortal a cada dia !! Pouco tempo atrás ele foi visto carregando o míssil hipersônico de ataque chamado de kinzhal (adaga em russo) e agora esses mísseis ar ar !! Mesmo em termos apenas convencionais a Rússia é carne de pescoço !!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here