Home Aviação de Ataque Índia atualiza informações do programa LCA Tejas

Índia atualiza informações do programa LCA Tejas

3687
32
LCA Tejas na linha de montagem
LCA Tejas na linha de montagem

Dois contratos foram assinados entre a Força Aérea Indiana (IAF) e a Hindustan Aeronautics Limited (HAL) para aquisição de (i) 20 aeronaves LCA Tejas padrão Initial Operational Clearance (IOC) em 31 de março de 2006 para serem concluídas até dezembro de 2011 e (ii) 20 aeronaves padrão Final Operational Clearance (FOC) em 23 de dezembro de 2010 para serem concluídas até 2016.

Do total de 20 aeronaves IOC (16 caças e 4 treinadores), 9 caças foram entregues pela HAL para a IAF até o momento. A produção de 11 aeronaves IOC restantes (7 de caça + 4 de treinamento) está sendo realizada na HAL. A aeronave é atualmente capaz de realizar Operações de Defesa Aérea e o ataque terrestre convencional com bombas pesadas.

A produção de 20 aeronaves FOC será retomada após a liberação do FOC pela Agência de Desenvolvimento Aeronáutico (ADA) para a qual a meta atual é dezembro de 2018.

A fim de acelerar a produção de aeronaves leves de combate (LCA) Tejas e obter a liberação da FOC dada pela ADA, as seguintes iniciativas foram tomadas:

  • Para aumentar a capacidade de produção de 8 aeronaves existentes para 16 aeronaves por ano, o Governo da Índia (GoI) sancionou o montante de Rs.1381.04 Crore em março de 2017.
  • Melhorar a cadência de produção do LCA Tejas principalmente através da terceirização de módulos principais para parceiros privados com a HAL passando para o papel de integrador principal.
  • Estabelecimento de segunda linha para atividades estruturais e de equipamento na Divisão de Aeronaves, HAL.
  • Aumento no número de gabaritos para fuselagem dianteira, fuselagem central, fuselagem traseira e asas.
  • Redução do tempo de ciclo de fabricação através de melhor gerenciamento da cadeia de suprimentos, aprendizado e aumento de mão de obra.
  • Modularização de teares elétricos para redução do tempo de ciclo de aeronaves.

Além das 40 aeronaves (20 IOC e 20 FOC), o Conselho de Aquisição de Defesa (DAC) liberou a aquisição de 83 jatos LCA Mk1A para o IAF para os quais a cotação foi submetida pela HAL.

Além disso, a fim de reforçar a força dos esquadrões de caça, o governo da Índia também planejou fabricar aviões de combate através do modelo de Parceria Estratégica.

Estas informações foram dadas por Raksha Rajya Mantri Dr. Subhash Bhamre em uma resposta escrita ao Dr. Banda Prakash em Rajya Sabha hoje.

FONTE: Ministério da Defesa da Índia

Subscribe
Notify of
guest
32 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nilton L Junior
Nilton L Junior
2 anos atrás

Que novela, por favor não escrevam que serve para a Argentina.

Delfim
Delfim
2 anos atrás

Karma.

Marcos10
Marcos10
2 anos atrás

Off Topic (vale um artigo)
A Airbus completou a restauração de um FW200 Condor;
O Smithsonian Institute concluiu a restauração do Lippish DM1 e está a meio caminho de restaurar um Horten IX.

Rui chapéu
Rui chapéu
Reply to  Marcos10
2 anos atrás

Eu fui lá mês passado e vi esse Horten sendo restaurado.
Tem muitos outros sendo restaurados também.
Aconselho a todos irem a Washington ver os dois museus de aviões maravilhosos que eles tem lá.
Realizei um sonho.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Rui chapéu
2 anos atrás

Que inveja

André Bueno
André Bueno
Reply to  Rui chapéu
2 anos atrás

Espero poder ir até lá um dia!
Rui Chapéu, quanto tempo para visitar ambos com tranquilidade, uns dois ou trÊs dias?

Marcos10
Marcos10
Reply to  Marcos10
2 anos atrás

Você deve ter tirado fotos, nao?
Podia mandar para o PA para publicarem.

Petardo
Petardo
2 anos atrás

Qualquer coisa que voe e não custe os olhos da cara já é um upgrade para a Argentina. Essa é a triste realidade.

Gustavo
Gustavo
Reply to  Petardo
2 anos atrás

a unidade do tejas é estimada em 31 milhões… por menos que isso Argentina conseguiria pegar Gripen C/D usado da Suécia, mil vezes melhor que essa tranqueira indiana. Estima-se que o custo do Gripen de segunda mão da Suécia estaria em torno de 18 a 20 milhões a unidade… Só não conseguem porque a Inglaterra não deixaria… haha

Petardo
Petardo
Reply to  Gustavo
2 anos atrás

Eu entendo, mas com o embargo inglês, simplesmente deixa de fazer sentido
30 milhões é apenas duas vezes o valor do Super Tucano. É o suficiente para começar a fazer algumas interceptações. Não estou advogando em favor dos indianos. Só estou constatando que qualquer coisa que voe é um upgrade.

Vamos combinar que a Argentina está, financeiramente, muito longe de poder ter qualquer tipo de aviação que faça frente a uma guerra estatal moderna.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Gustavo
2 anos atrás

Gustavo,

31 milhões de dólares?

O Indian Express noticiou mais do que o dobro disso em reportagem recente, o que foi tema de matéria aqui:

https://www.aereo.jor.br/2018/06/27/caca-indiano-tejas-custa-mais-caro-que-um-sukhoi-su-30/

Gustavo
Gustavo
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
2 anos atrás

Nossa, não sabia disso, esse valor que peguei é de 2008, por isso a diferença… O que é pior ainda…

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
2 anos atrás

O custo do HAL Tejas é o de querer produzir seus próprios caças. Não tem mistério: quer produzir localmente? Estude, projete, desenvolva…e gaste! Gaste bem mais do que comprar de prateleira, nem sempre com resultados satisfatórios de curto prazo!

Mk48
Mk48
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
2 anos atrás

Exatamente.

É o custo da “independência”.

Ramon
Ramon
2 anos atrás
Delfim
Delfim
2 anos atrás

Eu tive uma réplica 1/72 do Fw-200 da Revell. Como no original, o trem de pouso quebrava à toa.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Delfim
2 anos atrás

O trem de pouso do FW200 era algo estranho.
Uma estrutura voltada para frente.

Bruno w Basillio
2 anos atrás

Meio estranho estas fábricas indianas , até descalço ou de meia eles trabalham….Um conselho para eles cancelem esta m#@#….
Acho que agora eles ficam “parça” do Paquistão ,pois um Indu ganhou as eleições lá…

smichtt
smichtt
2 anos atrás

Senhores,

“Teares mecânicos”?
Alguém poderia fazer a gentileza de esclarecer?

Agradeço de antemão.

smichtt
smichtt
2 anos atrás

Ops….

“Teares elétricos”

Humberto
Humberto
Reply to  smichtt
2 anos atrás

Deve ter sido um problema de tradução, deve ser cabeamento elétrico, por sinal, fiquei impressionado com a quantidade de cabos da primeira foto. Me lembrou do meu quarto quando era adolescente (com os meus cabos de som) hahaha.

smichtt
smichtt
Reply to  Humberto
2 anos atrás

Obrigado

Bruno
Bruno
2 anos atrás

Os caras tiram os sapatos pra subirem no avião? Que negócio maluco! Essa cultura indiana é muito interessante, porém, bem maluca para os dias atuais.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Bruno
2 anos atrás

é mesmo! O correto era estarem usando sapatos de segurança. Tudo bem amador mesmo.

Washington Menezes
Washington Menezes
2 anos atrás

Muito estranho é os EUA estar tendo concluir o F35 e a índia ainda tentando colocar o Tejas operacional. Que abismo!!

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Washington Menezes
2 anos atrás

Há uma relação visível entre o F-35 e o HAL Tejas: Os EUA quiseram construir um avião multi-role inovador nunca antes imaginado. Gastaram bilhões além do orçamento, construiram uma aeronave cara e comprar e manter e ainda gastam solucionando problemas. A ìndia quis construir um avião de caça, coisa que ela nunca tinha feito antes. Gastou bilhçoes além do orçamento, construiu uma aeronave cara de comprar e mantes para seus padrões e ainda gastam solucionando problemas.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

Leram o texto com atenção ?

Todo pré-planejamento eles estão implementando agora ou é redundancia ? (rs)

Putz, nem precisam ter inimigos, os Urdus sabem disso !

Daniel
Daniel
2 anos atrás

A fuselagem do Tejas lembra um misto de Mirage 2000 com Rafale [rs].

Almeida
Almeida
2 anos atrás

Deus me livre, olha essa linha de montagem!

Comparem com as linhas da Embraer, da Boeing, da Dassault, da Saab… é por isso que nada funciona direito na HAL!

Deveriam desistir dessa palhaçada e comprar mais Rafales, Sukhois e quem sabe uns F-35…

Almeida
Almeida
Reply to  Almeida
2 anos atrás

E deve ser por isso que a negociação da produção local do Rafale azedou, se eu fosse francês também não iria dar garantia pra nada feito nesse lugar!

Foxtrot
Foxtrot
2 anos atrás

Mesmo com tantos problemas técnicos, dificuldades etc os Indianos ainda acreditam no projeto e investe nelo, coisa de país com visão estratégica e que busca realmente sua verdadeira independência tecnológica e bélica. Enquanto que certos países, mesmo tendo inúmeras pequenas mas capazes de fabricação aeronáutica, possuía a 3° maior empresa aeronáutica do mundo, tem um bom projeto de caça subsônico construído e testado, prefere investir em algo novo, mirabolante e que estava em fase de projeto ainda. Ao invés de pegar seu projeto fabricado e testado, evoluir a plataforma e sistemas e para não ficar com grande gap, adquirir de… Read more »

Overandout
Overandout
2 anos atrás

Eu acho muito estranha essa asa com alto ângulo de incidência do Tejas, ô coisa feia