domingo, maio 22, 2022

Gripen para o Brasil

Portugal cancela modernização dos C-130

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Embraer KC-390

O projeto inicial de modernização das aeronaves de transporte da Força Aérea C-130 foi cancelado e a frota será antes alvo de modificações e manutenção até os KC-390, que os vão substituir, estarem operacionais, prevê um despacho

O despacho do ministro da Defesa Nacional, hoje publicado em Diário da República, cancela o projeto de modernização das aeronaves C-130 tal como tinha sido definido num despacho de 2016, que previa um investimento de 29 milhões de euros.

Face ao início das negociações para a aquisição de cinco aeronaves KC-390 para substituir os C-130, autorizadas em junho de 2017, o Governo optou por cancelar o projeto inicial e transferir as verbas para “garantir a sustentação” dos C-130 “até ser atingida a Capacidade Operacional Final do KC-390”.

O despacho prevê o aproveitamento do “cofinanciamento europeu” para a modificação dos sistemas internos dos C-130 e dos aviões Falcon 50 (três) para os adaptar com sistemas mais precisos face aos requisitos europeus criados devido ao aumento do tráfego aéreo na Europa.

A modificação dos C-130 deverá implicar um investimento no valor máximo de 19 milhões e 60 mil euros, prevê o despacho, que autoriza também 2,6 milhões de euros para a “sustentação da frota C-130” até ser atingida a Capacidade Operacional Final do KC-390.

A modificação dos sistemas dos aviões Falcon 50 custará no máximo 4,4 milhões de euros, indica o despacho.

FONTE: Diário de Notícias – Portugal

- Advertisement -

90 Comments

Subscribe
Notify of
guest
90 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Lucas Schmitt

Amigos, se a Embraer realmente for adquirida pela Boeing, como tudo está apontando, os lucros das vendas e tudo mais não irão para o nosso país é sim para a Boeing?

tomcat3.7

Creio que não seja assim não Lucas, mas ainda não se tem a proposta final pra sabermos desses pormenores, vamos aguardar.

Dan01

Acho que o KC390 faz parte da Embraer defesa, segundo as ultimas especulações a Embraer defesa nao estaria no pacote que seria vendido a Boeing.

HMS TIRELESS

Se eu tivesse de vender algo à Boeing preferiria vender o programa do KC-390 e não a divisão de aviação regional.

Dan01

Seria bem melhor, a embraer defesa sofreria uma perda mas a embraer continuaria forte pra no futuro projetar algo melhor.

Jr

Pois é, mas como brasileiro é “esperto” vai ficar com as divisões que tem mais dificuldade de dar lucros e vender a divisão que realmente sustenta a empresa. Só tem jênio (com J mesmo) nesse grupo de trabalho que vai decidir o futuro da Embraer

HMS TIRELESS

Ainda mais agora que passados alguns meses da aquisição de 50,1% do programa CSeries tudo está apontando para o fato de que a Airbus muito provavelmente comprou um abacaxi…rs!

Saldanha da Gama

Por favor onde assino?

Vanessa Cioffi

Não sei se vocês sabem, mas a Boeing já cuida do pós venda do KC390

Guilherme Poggio

Os lucros vão para os acionistas. Você pode ser um acionista. Basta acreditar na empresa e comprar as ações.

Jose De Deus

Considere tbém os salários pagos aos trabalhadores e os impostos gerados sobre toda circulação financeira sobre a produção. Tudo isto será lucro. Desde que seja produzido no Brasil.

Wellington Góes

Uma parte disso vai para FAB (GF), que ajudou a bancar o projeto. O resto vai para Embraer e o lucro líquido é divido pelos seus acionistas. A Boeing deve receber uma comissão se e quando conseguir um comprador, no caso de Portugal, que já é parceiro do projeto, a Boeing não receberá nada, pois não foi resultado dela.

Se e quando ela adquirir a aviação comercial da Embraer, ela também não terá direito a nada, pois a Embraer Defesa e Segura (EDS) não fará parte do negócio.

Dodo

A não,eu não aguento mais explicar essa questão da 3 empresa e o como isso se difere de uma aquisição. Ms as pessoas insistem em ao entender…..

Bryan

Isso tudo depende do contrato que será celebrado entre as empresas. Apesar das nuances, creio que a Boeing poderá ganhar uma boa fatia desse bolo. Por outro lado, diz-se que a Embraer Militar não será adquirida, mas tão somente a Embraer Civil. Embora seja um péssimo negócio ao Brasil, ambos os setores, para a empresa será um avanço estratégico no sentido de entrar finalmente no mercado mais complexo. Em suma, prefiro que a Embraer fique como está, afinal, ela é ainda o único orgulho que resta para este país.

Delfim

Agora senti firmeza lusitana !
.
Cabeças na LM vão coçar… e mãos na Embraer também.
.
Sem falar do olho gordo da Boeing.
.
Galante hoje está esforçado. Obrigado !

Yuri

Pra qm dizia q a compra dos kc390 por portugal era falácia, ta aí rs

Jakson de Almeida

Cade o contrato assinado. Até la é pura falácia!

Jose De Deus

Jackson, Um contrato de intenção( ou carta de intenção, pré-contrato) valem quase tanto quanto o contrato em sí, a diferença fica no prazo para pagamentos e entrega do determinado bem. Isto é mercado de futuro. É certo que o contratante pode recuar da compra, mas só a intenção anunciada já valeu o marketing do produto ao fornecedor e já a desistência do contratante o desqualificará como bom comprador. Este negócio com os Portugueses pode se considerar FECHADO. Sds

Daglian

Pura falácia é forte demais. Entendo completamente que se exija prudência até o contrato ser assinado, porém se os C-130 de Portugal não forem modernizados, os portugueses ficarão com uma deficiência gravíssima em aeronaves de transporte. Nesse contexto, Portugal não modernizar seus C-130 significa quase que diretamente que os portugueses irão adquirir uma aeronave concorrente (ou irão ficar sem capacidade de transporte tático, o que é impensável, ainda mais por se tratar de um membro da OTAN). Logo, como Portugal participa do programa KC-390 e há fábricas da Embraer em Évora, nada mais lógico que essa notícia acima signifique de… Read more »

Ozawa

Não só é o lógico como o que parece ser o certo, diria Spock . . .

tomcat3.7

Vida longa e próspera !!!

SmokingSnake ?

A Argentina tem que comprar também caso contrário arranquem a bandeira deles dali.

Jose De Deus

Deixa eu ser BAIRRISTA, A situação desta país já esta difícil com tudo isto, acredite, ficará ainda pior se forem forçados a sair. Talvez se, buscando criar mais parcerias e cooperação melhorando a situação financeiro e de confiança entre dois parceiros estas compras poderiam se realizar bem mais cedo do que imaginamos, Pois Los Hermanos necessitam deste modelo e de todos os demais para ontem. Dá Lhes KC-390.

Carlito

Não se trata de bairrismo. É business. Se querem pegar carona no marketing envolvolvendo o produto, que a Argentina cumpra sua parte. Simples assim.

Jose de Deus

Desculpe me por não ter tido oportunidade de ler o contrato com as cláusulas estabelecidas a cada um dos participantes deste projeto, Mas o que li na mídia foi que os Argentinos fabricariam a rampa de acesso (porta traseira) e tbem vi os vídeos de dois protótipos voando e com as devidas partes em seus lugares. Então eu deduzi que os parceiros do projeto cumpriram o tratado inicial produzindo duas unidades completas. Já o futuro apenas os profetas do Senhor. Mas negócios são negócios. Sds

Carlito

Foi a contrapartida pelo compromisso de aquisição. A rampa de acesso poderia muito bem estar sendo fabricada no Brasil, gerando empregos por aqui. A decisão de fabricar na Argentina foi política, e não técnica. Enquanto os argentinos não honrarem o compromisso de aquisição de algumas unidades, continuarão na condição de oportunistas pegando uma carona no marketing do produto. O mesmo vale a todos os demais países que fizeram questão de estampar suas bandeiras na fuselagem da aeronave.

Possani

Não vão pagar. Melhor não comprar.

Jose De Deus

A questão de pagamento de contratos entre países pode ser bem relativa pois pode o país credor receber em diversas formas ou maneiras, Mas tudo muda quando os contratos são feitos entre empresas. Se os Argentinos fornecem uma parte desta aeronave que por exemplo custasse 10% do valor total da mesma, então a cada dez aeronave vendida Los Hemanos estariam fornecendo o valor total de uma. Pensando assim, Não seria tão difícil para adquirirem este bem tão necessário. Basta criar políticas intermas e externas em cima do interesse em adquirir tal bem. Estão quebrados, mas podem pagar sim.

ODST

Jose De Deus A economia Argentina é problema da Argentina, isso se trata apenas de negócios, a saída de um “parceiro” que não adquire nada é excelente para aqueles que vão fazer alguma compra, pois a parte deles deverá ser transferida de volta para as linhas do Brasil/Portugal, e isso vale para a Rep. Tcheca também, que até agora não deu nenhum sinal de que irá encomendar o KC. E a situação só tende a piorar se o acordo com a Boeing sair, pois daqui a alguns anos com o provável fechamento total ou parcial das linhas de montagem da… Read more »

André Bueno

Enfim um passo adiante. O desenvolvimento já está pago mas, obviamente, um número maior de encomendas garante um menor custo ao longo do tempo, tanto de manutenção como de produção.
Esse ano teremos Le Bourget. Quem sabe Portugal não fecha negócio até lá e, assim, teremos o primeiro anúncio de uma venda externa.
O fato de começar a voar sob as asas da FAB deve torná-lo mais visível, além de uma possível participação na próxima CRUZEX.

Jose De Deus

Esta aeronave terá uma aceitação enorme nos países europeus (considerem os menores), Mas será necessário tempo para que se consumam a vida util das atuais aeronaves que ainda estão em uso. Talvez até mesmo os Franceses que desdenharam esta aeronave ao fazer amanhã marketing ao Rafale. Sds

Guilherme Poggio

França já fechou com o C-130J.

André Bueno

Se não me engano a Alemanha também, inclusive em uma operação de uso comum entre os dois países no âmbito da OTAN, não?

Jose De Deus

Guilherme, Tudo na vida passa, tudo se consome, tudo acabará algum dia. Pense. O KC-390 só existe hoje porque a vida util dos C-130 Brasileiros está chegando ao seu fim. Talvez se tivéssemos engolido a jaca do Rafale (perdão,é um sonho de máquina) poderiam até terem ido de KC-390 para contrabalancear o negócio, Mas se necessitarem de mais cargueiros e tiverem lá alguma sucata que queiram nos entubar, Pode ter certeza que eles mesmos se apresentarão e comprarão, sem meias medidas. Negócios são negociados.

Bryan

O KC-390 é um baita avião, porém, desde o início, acredito que o projeto será um fracasso. Não por incompetência no projeto, mas por outros detalhes. Primeiro, todos os países que operam aeronaves desse porte estão acostumados com o C-130. Segundo, todos já têm logísticas estabelecidas e treinamentos para o C-130. Terceiro, é uma aeronave extremamente versátil e já provada em inúmeras campanhas a sua resistência e capacidade, diferentemente do KC-390. Quarto, a Embraer poderá ter dificuldades no fornecimento de peças, coisa que a C-130 tem os montes; ou seja, em qualquer lixeira militar, você encontra peças dele. Enfim, acho… Read more »

Wellington Góes

Sim, mas tudo na vida muda, basta haver os motivos e interesses necessários para isto. Até porque o quantitativo é pequeno.

Thom

Os suecos também estão interessandos no projeto e os tchecos são possíveis compradores e com a Boeing no meio, vai valorizar bem.

tomcat3.7

Eba eba eba , o KC-390 vai bombar na Otan através de Portugal hein, e virão com certeza mais encomendas e quem sabe pedidos de versões modificadas e ou artilhadas.

Jose De Deus

Sim, E com certeza irá BOMBAR na OTAN através de outros atores tbém, Portugal será o principal cartão de visitas. Quanto à modificações para alguns clientes, talvez no tamanho pois esta aeronave ja é bem completa.

EduardoSP

As principais forças aéreas européias da OTAN já decidiram pela combinação A400 e C-130J, a RAF e a Luftwaffe. Outra grande força aérea da região, a Aeronautica Militare italiana, já possui 20 C-130J. A Armée d’lAir, que não está na OTAN, também já optou pela combinação A400 e C-130J.
Dessa forma me parece que não tem muito espaço para o KC-390 “bombar na Otan”.

Jose De Deus

Hoje não, mas amanhã tudo pode mudar, aeronaves caem, são abatidas e até negociadas…. As características do A-400 mudaram muito e é uma aeronave demasiado grande para países como Suécia, Suíça, Finlândia e etc… Os modelos C-130 continuaram vendendo devido o peso comercial e politico Americano mas não será para todos.

Thom

Exatamente. O países citados são possíveis compradores.

Carlito

Apenas uma pequena correção, a França hoje faz sim parte da OTAN.

theogatos

A França é um dos Estados fundadores da OTAN em 1949, antes das vizinhas Alemanha que só aderiu em 1955 e Espanha que aderiu em 1982…
.
https://en.wikipedia.org/wiki/Member_states_of_NATO
.
Sds

EduardoSP

Não sabia que ela havia retornado ao comando militar conjunto. Obrigado.

Tomcat3.7

Não significa q outros países da Otan tenham q comprar pra ele bombar meu caro, e sim q ele terá uma maior visibilidade. Existem tão poucos países neste mundão não é mesmo.

EduardoSP

O colega acima disse explicitamente “bombar na Otan”. Foi a isso que me referi.

Saldanha da Gama

Puxa tomara mesmo!!!! abraços

Bryan

Duvido!

Tadeu Mendes

Mas quando começará a produção em serie?

O cronograma está atrasado ou é impressão minha?

Jose De Deus

Nada está atrasado, No momento a EMBRAER busca as certificações para esta aeronave, Os testes e ensaios já estão em fase final. É só uma questão de tempo.

Nunao

Tadeu Mendes,a produção dos exemplares de série para a FAB já começou faz tempo, tem matérias sobre isso aqui no site.

Nunao

Complementando, a compra dos primeiros itens de maior prazo de produção para a montagem de aviões de série foi anunciada há cerca de quatro anos, e a previsão da Embraer, divulgada em suas notas à imprensa, é que o primeiro exemplar de série seja entregue à FAB ainda neste ano. Basta procurar as matérias usando o campo busca do blog.

Guilherme Poggio

Perfeita a colocação do Nunão.

Apenas complemento que a certificação padrão ANAC deve ser emitida ainda em 2018 e a FAB também deverá receber o seu primeiro exemplar esse ano.

Produção já iniciada faz algum tempo.

Mark

Eu li sobre o cancelamento e alguns aqui já falam sobre o KC-390. Neste mercado, sem contrato assinado, nada é nada mesmo. O resto é pura especulação. Torço por isso mas as pressões das forças ocultas sempre podem surpreender aqueles que acreditam no mais óbvio, que seria um contrato para alguns KC-390.

Mark

Aliás, nem tão óbvio assim em minha humilde opinião. Falar em KC-390 “bombando na OTAN é o mesmo que desconsiderar as forças por tras das escolhas. É muita pressão…

Jose De Deus

Olha Mark, Eu que na minha infância ví o Embraer Bandeirante e tbém o Fokker-50 pousar e decolar no aeroporto da minha cidade que era quase no meu quintal, jamais imaginava que une dia pudesse ver a EMBRAER bombando no mundo como de fato hoje o é. Para chegarmos no amanhã precisamos viver o hoje. Confie e verá.

Mark

Eu confio, mas desconfio rs. Não por causa da competência da EMBRAER, mas imagino que alguns gigantes da indústria queiram jogar lama no KC-390. Sou mais um na torcida pelo sucesso.

Jose de Deus

Mark, por isto citei os Bandeirantes, Mas naquele mesmo aeroporto, quase aos fundos do meu quintal, tem pudi ver com entusiasmo e muito orgulho o maravilhoso E-120 Brasília. Apartir daquele momento me despertei para o sucesso da EMBRAER, e logo em seguida vi o mais determinante produto dela, O ERJ-145 taxiando próximo a um Foker-100. Pronto, Acreditei que ainda era muito bom ser patriota e melhor ainda era ser um patriota Brasileiro. Espero que as próximas gerações aprendam a se valorizar e principalmente a não depender de governos. Sds.

Leo

Uma pergunta se a Argentina não vai adquirir nem um KC-390 por que a Embraer ainda mantem a fabricação de algumas peças lá? Quem não chora não mama.

Alex Nogueira

Olá Leo, te respondi no reply do post de baixo por engano rsrsrs.

João Adaime

Leo
Porque eles bancaram o desenvolvimento destas peças. Foi uma aposta de risco participar do desenvolvimento do KC-390. A Embraer diluiu os riscos por alguns países parceiros. Ou todos ganham ou todos perdem.

Walfrido Strobel

Qual o problema deles fabricares estas peças, se tiver qualidade e estiverem cumprindo os prazos, está bom para a Embraer.

Jose de Deus

Cara, O problema Argentino e’ tão sério que se a Embraer chorar,os Argentinos chorarão juntos. kkkkkkkkkkkkk Mas amanhã será outro dia, Para os Brasileiros também. Sds

João Adaime

Desta fumaça poderá vir um incêndio.

Alex Nogueira

Não vai adquirir agora, mas amanhã é outro dia, além do mais é importante ter capacidade de produção extra, evitar por todos ovos em uma mesma cesta, sem contar que é sempre bom estreitar laços e ter boas relações com a vizinhança rsrs (com sorte a Argentina vai entrar de vez no prumo e vai se recuperar economicamente) .

Alex Nogueira

Aos que ainda não acreditam no sucesso do KC-390 peço que sejam mais otimistas! Vamos acreditar em nosso produto, sabemos das qualidades e capacidades dos nossos aviões, esperem só até começar a operar com os novos F-39, vão deixar muitas forças ao redor do mundo babando.
Temos ótimas oportunidades brotando no horizonte, permaneçam firmes e fortes.

Adriano Luchiari

Eu concordo com você Alex, o KC-390 sem dúvida é um excelente produto e vai servir muito bem a FAB. Porém a concorrência é difícil, e no final o sucesso de vendas ou não só dependerá de um fator: PREÇO!

Thom

Sério que tem pessoas que não acreditam nesse projeto?
KC-390 é um dos melhores projetos, até mesmo a Boeing está interessada na área da defesa, um dos motivos é esse projeto.
Vários países estão interessados no projeto e com a compra da Embraer, mesmo sem que tenha a área a defesa, vai alavancar o projeto.

Dodo

Não é compra,as 2 empresas vão formar uma 3 companhia de participação mista que engloba a aérea de aviação comercial de ambas as empresas

Thom

Obrigado pela informação!

carlos ribeiro

Quem disse q português é tudo burro?
Deixando de comprar o supra sumo de tecnologia brasileira do séc. XXI pra investir em melhoria de um projeto q remonta os anos 50 e que opera em mais de 60 países? Só eles sabem alguma coisa q vcs não sabem?

Mark

O brasileiro tem muita dificuldade de interpretação de textos mesmo. Se você fala algo mais cauteloso alguns já interpretam uma torcida contra ou falta de crença. Ou é ou nao é. Essa visão binária dificulta os diálogos em certas ocasiões. Enfim….

Marcos10
Ronaldo de souza gonçalves

Muitos funcionário da Embraer estão torcendo para concretização,Espero quye eles não tenha uma suspresa desagradável,pois mesmo não sendo estatal e um grand casbide de empregos e os americanos vão cortar salários benefícios e quem não tiver satisfeito rua, eles irão arrumar serviço aonde na Boeing.Não estou falando isto de todos é claro,mas alguns diretores acham que o comando vai ser dos Brasileiros.

Jose de Deus

Embora os custos salariais Brasileiros sejam muito menores que os custos Americanos, Existem muitas cláusulas Americanas que exigem que ao menos parte dos produtos vendidos em seu mercado sejam produzidos lá. Espero que seja mantida ao menos parte da linha produtiva por aqui.

Tadeu Mendes

Nunhão,

Eu acho que não fui muito claro. Quando eu disse produção em série, Você disse que sim.

Portanto permita-me perguntar de outra ma maneira; o KC-390 já está na linha de montagem?

Antes mesmo de terminar os testes e as certificações?

Walfrido Strobel

Sim, está em produção, o da FAB ja está sendo finalizado.

Fernando "Nunão" De Martini

Sim, Tadeu, tem avião de série na linha de montagem, com previsão de entrga neste ano.

Repito a sugestão para que pesquise as matérias a respeito.

Caerthal

Tadeu Mendes,

O 190E2 foi certificado em 28/fev e o primeiro exemplar foi entregue em 04/abr, o segundo será entregue em maio. Ou seja, mesmo antes da certificação já existiam 2 ou 3 em produção.

Acredito que com o KC-390, cuja certificação inicial é apenas brasileira, os primeiros 2 ou 3 exemplares já devem estar em produção (em estágios distintos).

Carlos Alberto Soares

Estão confundindo Pré-Série com Série,

o que existe hoje é Pré-Série.

Caso prefiram: Pré-Produção de uma Série.

Todas as certificações se quer estão concluídas.

As ANV’s que serão entregues a FAB (1ª e talvez até a 3ª) serão de pré-serie.

Cadê a Engª “gata” para adicionar ……

Carlos, conceitos de “pré-série” e série variam conforme o programa e o fabricante, e não são mais comuns como eram no passado. Hoje se faz muito mais testes intensivos com menos protótipos e muita simulação prévia no computador para acelerar o processo. Às vezes isso gera alguns problemas e uma profusão de aviões iniciais “de série” incompletos ou limitados, como é o caso do F-35, ou foi o caso em parte do Rafale F1, do Typhoon Tranche 1 e até mesmo dos primeiros exemplares do A400M. Mas não parece ser o caso do KC-390 na maior parte de suas capacidades… Read more »

Jose de Deus

Carlos, Me parece que Você está confundindo os modelos KC-390 com F-35; SU-57; Tejas e outros mais. Leia o nome da empresa fabricante. EMBRAER recebeu todas as certificações do E190E2 ao mesmo tempo e no mesmo período já fez tbem a primeira entrega do modelo. Por que será que Gigante Americana se interessa em adquiri la?

Tadeu Mendes

Obrigado amig pelos esclarecimentos.

Imagino uma linha de montagem semelhante a do F-35. Com várias unidades em diferentes estágios de produção.

Luiz Fernando

Sim… Já tem alguns KC390 na linha de montagem, sendo os primeiros aviões de série. Inclusive um deles já está bem adiantado (será o primeiro da FAB).

Jose de Deus

Mesmo em alguns vídeos da Embraer, É possível ver algumas unidades do KC-390 do lado de fora do angar de montagem, esperando por finalização e algumas como motores e etc.

Alex Nogueira

falando em vendas, acho que no médio/longo prazo a Embraer Defesa tem boas chances de emplacar uma venda de 3-6 unidades para a Suécia, quem sabe se fecharmos em breve a compra do segundo lote do Gripen não saia uma contraparte, seria interessante para os dois lados, pois mesmo modernizados os C-130H da Suécia não vão durar para sempre.

Mauricio R.

Se a aquisição do BH depois do enrosco do NH-90 é um exemplo, assim como a proximidade a 2 operadores e 1 futuro operador de “Juliet”, já dá pra ter uma boa noção do que é que os suecos vão comprar qndo a vida útil de seus C-130H reformados acabar.

Caerthal

Tá faltando carne neste argumentos …Informação fraca, análise ainda pior. Se vocês está se referindo à Noruega não vejo esta proximidade toda com a Suécia, tendo preterido o Grippen pelo F-35. A Dinamarca também não prestigia os produtos da SAAB, empregando o F-16.

Mauricio R.

Se ao argumento “falta carne”, a informação é fraca e a análise pior ainda, por que então vc se deu ao trabalho de tentar desconstruí-la???? Medão, né…
Noruega, Dinamarca e Alemanha podem usar aviões de caça diferentes, mas os 2 primeiros já são operadores de C-130J, e a Alemanha está prestes a se tornar um.
Então nada mais racional que os suecos se somem aos 3 países, para explorarem os 4, as sinergias do item comum as suas forças de transporte.

Últimas Notícias

Operação Rimon 20: Caçadores israelenses versus caçadores soviéticos

Sérgio Santana O fim da Guerra dos Seis Dias de 1967 deixou as forças israelenses no lado leste do Canal...
- Advertisement -
- Advertisement -