sábado, outubro 23, 2021

Gripen para o Brasil

Quem é o dono da Embraer?

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Apesar de o governo brasileiro ter uma ação especial que lhe dá direito a veto sobre decisões estratégicas, como troca de controle acionário, a Embraer é uma empresa privada e de capital aberto pulverizado (sem controlador)

Por Jéssica Sant’Ana

Desde quando veio à tona o interesse da Boeing em comprar a Embraer, o governo brasileiro tem se posicionado contra a venda do controle acionário da fabricante brasileira. Esse poder de veto que o governo tem sobre qualquer decisão estratégica da empresa, porém, não quer dizer que a União é dona da companhia. A Embraer é uma empresa privada e de capital aberto pulverizado, ou seja, ela negocia suas ações na bolsa, tem diversos acionistas e nenhum deles é controlador da empresa.

A Embraer foi fundada em 1969 em São José dos Campos, no interior de São Paulo, e privatizada em 1994. No processo de privatização, o governo ficou com uma ação de classe especial chamada “golden share”. Essa ação foi criada para o governo ter direito a veto em empresas privatizadas. Com isso, qualquer decisão estratégica, como troca de controle acionário e criação ou alteração de projetos militares, precisa, na prática, da aprovação do governo.

Sem acionista controlador
Mas a Embraer não tem um único dono, como empresas privadas de capital fechado, ou um controlador, no caso de empresas de capital aberto não pulverizado. A Embraer abriu capital em 2000 e começou a negociar suas ações na B3, a bolsa de valores do Brasil, e na NYSE, a bolsa de valores de Nova York.

Em 2006, adotou o modelo de companhia aberta de capital pulverizado. Isso quer dizer que nenhum dos acionistas da Embraer é controlador da empresa. Eles, inclusive, não podem exercer votos nas assembleias em número superior a 5% das ações da companhia, independente do percentual que possuem (esse percentual é limitado a, no máximo, 34% por acionista individual ou grupo investidor; e qualquer participação igual ou superior a 5% precisa ser comunicada). A medida visa evitar que acionistas com número maior de ações tenham mais voz que os minoritários. A fabricante foi a primeira empresa do país a adotar o modelo pulverizado de capital.

Os principais acionistas individuais da Embraer são os fundos estrangeiros Brandes, com 14,4% das ações da companhia, Mondrian, com 10,1% e Blackrock, com 5%. O BNDESpar, braço de investimentos acionários do banco brasileiro BNDES, tem 5,4%. As demais ações da Embraer, no total de 65,1%, estão nas mãos de acionistas ou grupos de investidores que possuem, cada um, menos de 5% dos papeis da companhia. Todos eles possuem ações ordinárias, com direito a voto.

Decisões estão nas mãos de acionistas brasileiros
Para garantir que as decisões da companhia permaneçam em mãos de brasileiros, o estatuto da Embraer tem uma cláusula que determina que a maioria dos votos em qualquer assembleia geral é exercida pelos acionistas brasileiros. O total de votos permitido a acionistas estrangeiros, seja isoladamente ou em grupo, esta limitado a 40% do total de acionistas presente às assembleias. A Embraer explica que o mecanismo “assegura o princípio estabelecido na privatização da empresa”. Esse limite só pode ser alterado por decreto presidencial.

Já as decisões estratégicas da Embraer são decididas através do Conselho de Administração da companhia e aprovadas em assembleia com acionistas. Cabe à direção executiva, cujo CEO é o Paulo Cesar de Souza e Silva, administrar o dia a dia da fabricante, seguindo o planejamento estratégico e de ação.

O Conselho de Administração é formado por 11 pessoas, sendo oito independentes, um indicado pelo governo brasileiro e dois, pelos funcionários. O plano estratégico da companhia é feito visando os próximos 15 anos e plano de ação contém as medidas que devem ser adotadas no curto prazo, em até dois anos.

E se a Boeing quiser comprar a Embraer?
A Boeing, se tiver interesse em comprar 35% ou mais das ações da Embraer para ter o controle da companhia, vai ter que ter a autorização do governo brasileiro, além de fazer uma Oferta Pública de Aquisição (OPA). Nessa oferta, ela estabelece um preço para comprar os papeis da companhia e os acionistas precisam concordar.

A oferta da Boeing teria, ainda, que ter uma proposta para comprar todas as ações dos acionistas minoritários (com menos de 5% dos papeis). Nesse caso, cada um dos minoritários pode decidir se vende ou não sua parte. O mecanismo, chamado de tag-along, existe para garantir os mesmos direitos econômicos a todos os acionistas em caso de oferta de compra da empresa.

Os donos da Embraer

A Embraer é uma empresa privada, de capital aberto pulverizado (sem controlador). Suas ações são negociadas na B3, bolsa oficial de valores do Brasil, e na NYSE, bolsa oficial de valores de Nova York. Seus principais acionistas individuais são os fundos estrangeiros Brandes e Mondrian.

FONTE: Gazeta do Povo

- Advertisement -

55 Comments

Subscribe
Notify of
guest
55 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Eduardo Holanda

Tem um pessoal aqui nos comentários que acha que a Embraer ainda é estatal ou diz que ela tem que ser estatizada…

Só observo!

luiz antonio,

“Eduardo Holanda 8 de Fevereiro de 2018 at 15:48 Tem um pessoal aqui nos comentários que acha que a Embraer ainda é estatal ou diz que ela tem que ser estatizada…” É..infelizmente muitos comentários são baseados apenas em “achismos” que confrontados com a realidade, não resistem a nenhum argumento contrário. O pessoal precisa se informar melhor antes de escrever o que vem na cabeça. Esquecem que o objetivo de uma empresa privada é apenas O LUCRO. Não entendem que os acionistas mais poderosos são os que tem dinheiro e que em economias de livre comércio fazem o que bem entendem… Read more »

Rui Chapéu

Excelente !!!

thomas

“Bolsa oficial de valores do Brasil” e “Bolsa oficial de valores de Nova Iorque”. Está sabendo legal essa Gazeta do Povo

SmokingSnake 🐍

Excelente matéria, nunca tinha entendido por que a maioria dos acionistas tinham menos de 5% das ações, agora ficou claro rs. Isso quer dizer que a Embraer tem mecanismos próprios de se proteger e essa Golden share é uma intromissão desnecessária do governo, me lembro que teve uma vez que o mula, e seus seguidores jumentos, queriam que o governo usasse a Golden share para impedir a Embraer de fazer demissões, trairia prejuízos para a Embraer assim como as contas do governo que mesmo com rombo de bilhões de reais não cortam cargos e regalias.

Norton

Só queria atentar sobre os gripens kkk pois os SH da Boeing foram derrotados kkk com a aquisição pela boieng como ficará esse projeto?

Alex Nogueira

Creio que a decisão mais acertada até agora é a criação de uma terceira empresa mesmo, assim foca no que é necessário e diminui a burocracia.

RicardoFerreomodelismo

Tem mais: Fonte: https://ri.embraer.com.br/show.aspx?idCanal=Kacx+BqjYTwZmMKBRQu5Yg== “ART. 55 – Enquanto a Companhia não tiver Acionista Controlador, tal como definido no Regulamento do Novo Mercado, sempre que for aprovado (a), em Assembleia Geral: I. o cancelamento de registro de companhia aberta, a Companhia deverá efetivar oferta pública de aquisição de ações, sendo que, neste caso, somente poderá adquirir as ações de titularidade dos acionistas que tenham votado a favor do cancelamento de registro na deliberação em Assembleia Geral após ter adquirido as ações dos demais acionistas que não tenham votado a favor da referida deliberação e que tenham aceitado a oferta pública; II.… Read more »

RicardoFerreomodelismo

“thomas 8 de Fevereiro de 2018 at 16:21
“Bolsa oficial de valores do Brasil” e “Bolsa oficial de valores de Nova Iorque”. Está sabendo legal essa Gazeta do Povo”

Está correto.
O termo genérico é esse.
É o termo que deve ser usado para fins de registro das empresas de capital aberto.

Nome fantasia (tal qual a B3 para a Bolsa de Valores de São Paulo) é para efeito de marketing.

JT8D

A Embraer é estratégica, como enfatizou o Jungman, e a preocupação com sua eventual extinção é justificável. Não tem sentido dizer que é uma empresa como outra qualquer e que pode ser vendida no mercado como se fosse uma cervejaria. Quem diz essas coisas se diz liberal, mas é apenas ingênuo. Imagine, por exemplo, se os chineses quisessem comprar a Boeing ou Lockheed-Martin. É óbvio que o governo americano não permitiria. Por outro lado, há algumas preocupações que não se justificam, como, por exemplo, a possibilidade da compra do Gripen ser cancelada. Os contratos já foram assinados e o financiamento… Read more »

André Luiz.'.

JT8D 8 de Fevereiro de 2018 at 16:54
O “puro-malte é noooosso”!!! (mas o lúpulo, não….!) 😛

Nonato

Alguns têm razão. A Embraer é privada. Mas também não tem um dono, uma cabeça pensante que a conduza. Mas é brasileira. É motivo de orgulho para nós. O próprio estatuto proíbe que estrangeiros tenham mais de 40% dos votos. O governo federal tem Golden share. Traduzindo, é uma empresa nacional cujo controle não pode passar para a Boeing. A não ser que o governo permita. Ou se mude o estatuto. Não é casa de mãe Joana. É uma empresa que vai bem obrigado. Prefiro que ela perca mercado para concorrentes mas continue uma empresa nacional nos sendo motivo de… Read more »

JT8D

André, eu não me importo nem um pouco em importar cerveja alemã, whiskey escocês e vinho chileno 🙂

Cronauer

Excelente!

Marco Figueiredo.

O importante e não ser uma “parceria tipo caracu” . Até agora a proposta da Boeing não parece ser de parceria. Não temos q ter pressa. Quem corre atrás do preju são eles.

Gripen BR

Quem tá na porta querendo comprar o que não está a venda é a Boieng, se palavra é parceria, 90/10 levando o que eu já fiz é insulto, palavrão. Embraer tem uma cláusula que determina que a maioria dos votos em qualquer assembleia geral é exercida pelos acionistas brasileiros. Portanto é brasileira. Não interessa a distribuição acionária. Levar o portfólio e-jets e executivo a uma terceira empresa é matar a empresa que sobrar. 7 bi lá nos EUA não paga nem o desenvolvimento de um único projeto. Com todos os mecanismos de defesa e controle criados exatamente para esse tipo… Read more »

Rodrigo Pardini

Jungman deixou bem claro que irá aceitar a parceria entre a Boeing e a Embraer

Marco Figueiredo.

Essa fala do Jugman se da mais por pressão dos militares do que por patriotismo

Marcos

Bolsa Oficial de Valores
Está correto….

RicardoFerreomodelismo

“Alexandre Galante 8 de Fevereiro de 2018 at 16:29 Norton, não muda nada, mesmo que haja negócio, a parte militar da Embraer não será incluída.” Galante, o tópico vem em boa hora. Coloquei em outros tópicos o “link” da própria Embraer que trata do estatuto da empresa e assuntos correlatos. Várias vezes insistiram: “a empresa nem brasileira é mais porque 85% está nas mãos de estrangeiros”. É mais fácil “cornetar” do que se informar. Sou da época que a única informação possível estava em livros, revistas ou jornais. Toda vez que tinha que pesquisar algo para a escola devia me… Read more »

Andre

Concordo, e se ele assina eh pq os militares ainda tem voz

Marcos

Sabe o que o GF vai fazer se algum dia a Embraer passar por dificuldades?
Nada!! Como não fez absolutamente nada por outras empresas relevantes que encerraram suas atividades.
Portanto quem não ajuda também n deve atrapalhar.

Rodrigo Pardini

A Embraer evitou desde a sua criação não competir no segmento da Boeing e Airbus
e como isso obteve muito sucesso e se tornou o que é hoje..

Porém no atual cenário, com um mercado se tornando um duopólio… a Airbus competindo em todos os segmentos, a Boeing indo para a mesma direção..
Se a Embraer não fechar a parceria com a Boeing, terá que competir agora diretamente com as duas gigantes, só que dessa vez diretamente e no mesmo segmento de Mercado

E convenhamos, a Embraer sozinha competindo diretamente com essas duas empresas… irá SANGRAR

Marco Figueiredo.

Sangrar??

Se a Pátria querida for envolvida
Pelo inimigo, na paz ou na guerra
Defende a terra
Contra o perigo

Com ânimo forte se for preciso
Enfrenta a morte
Afronta, se lava com fibra de herói
De gente brava …etc

Ivan BC

O esquema societário da Embraer parece bem “amarrado”, eu gostei!

ODST

@Marcos

Você pode até não ter notado ainda, mas o governo já ajudou MUITO a Embraer, tanto é que ainda não faliu, pois mesmo privatizada, se não fosse o estado ela já provavelmente nem existiria mais, ou teria sido estatizada novamente, ou completamente vendida para a Boeing/Airbus.

RicardoFerreomodelismo

“ODST 8 de Fevereiro de 2018 at 19:20
Você pode até não ter notado ainda, mas o governo já ajudou MUITO a Embraer, tanto é que ainda não faliu, pois mesmo privatizada, se não fosse o estado ela já provavelmente nem existiria mais, ou teria sido estatizada novamente, ou completamente vendida para a Boeing/Airbus.”

Socorro amigo, de onde tirou isso ???

Ainda nem finalizaram o ressarcimento do que a Embraer bancou por conta dos atrasos dos repasses do KC-390 lá em 2015 …

Cada uma …

Luiz Floriano Alves

Em matéria de fabricar aviões e correlatos o GF tem péssima história. Começou com a Fábrica do Galeão e a FNM, ou Fábrica Nacional de Motores. Foram planejadas para fabricar aviões e motores de aviões militares que seriam empregados na guerra contra o Eixo (Alemanha /Itália/Japão). Mais tarde para salvar o conjunto industrial da FNM, esta foi transformada em fábica de caminhões de carga aproveitando um projeto Italiano da Alfa Romeu. Decorido um tempo foi vendida para um grupo italiano. Que reviravolta! Claro, com um enorme prejuizo para o erário. A grande desculpa para os gastos, como sempre, foi a… Read more »

José Lemos filho

Não vejo nenhum sentido em negociar a venda da EMBRAER, justamente no momento em que foi projetado pesados investimentos nas três forças do país EX: projetos dos SUBMARINOS, FRAGATAS OU CORVETAS, OCEAN, ASTROS 2020, GRIPEN NG, ST, kc390 mas outras tantas e agora simplismente tirar a EMBRAER??

Moraes 123

Parabéns pelo Título da reportagem, espero que o público leia seu conteúdo, para entender o controle acionário da Embraer.

r_cordeiro

Venda logo, aproveite o cavalo encilhado passando. Nadou de braçadas ate agora pq sempre buscou nao disputar com a Boeing e a Airbus….. Os tempos sao outros. Quanto a area militar, esta fadada ao fracasso sem a parte civil, pois a depender da disposição do governo em comprar e vender o produto militar brasileiro ja morreram de fome. Se nao vender, vejo a Embraer sendo estatizada daqui a algum tempo, nao fabricamos motor, material composto, display’s, software militar, armamentos, ou seja, a parte sensível do negocio… Dai a vejo um peso morto tipo correios e caixa econômica que nao se… Read more »

r_cordeiro

José Lemos filho 8 de Fevereiro de 2018 at 20:02 Não vejo nenhum sentido em negociar a venda da EMBRAER, justamente no momento em que foi projetado pesados investimentos nas três forças do país EX: projetos dos SUBMARINOS, FRAGATAS OU CORVETAS, OCEAN, ASTROS 2020, GRIPEN NG, ST, kc390 mas outras tantas e agora simplismente tirar a EMBRAER?? ———– Submarino – DHCN Fragatas/corvetas: Estaleiros internacionais Ocean: Segunda mao do reino unido, nao entendi pq enfiou no mesmo balaio. Gripen: SAAB ST, KC390: A quanto tempo o Brasil nao compra um ST novo? A empresa depender de vendas a conta gotas para… Read more »

r_cordeiro

José Lemos filho desculpe o desabafo acho que fugi um pouco do que postou e desculpe os erros tb, digito do celular. Mas é que este tipo de situação onde alguns defendem a soberania nacional com empresas que na verdade nao temos soberania nenhuma e triste de se ver. Precisamos conquistar nossa soberania dia a dia, primeiro elegendo pessoas honestas, que busquemos educação de qualidade e valores e principios de uma nação de respeito. Com o nosso povo, alienado, ignorante, o povo do jeitinho…. Nunca teremos soberania de verdade.

Um abraço!

FLVP

O que sei é que a Boeing é uma empresa estatal americana, do governo americano. Por que será que uma empresa do governo americano quer comprar a Embraer? Muito interessante os senhores não acham. Eu queria apenas entender este propósito. Acho ainda as coisas muito obscuras.

Wellington Góes

Vale lembrar que esta decisão de pulverizar as ações se deu depois da patacoada do seu ex-CEO, Maurício Botelho, vender 20% das ações da companhia a um consórcio europeu/frances (5% da Dassault, 5% da EADS – hoje Airbus, 5% Thales e 5% da Thompson CF – hoje SAFRAN), em 1999, para influenciar a decisão do GF (na época de FHC) em favor do Mirage 2000-5BR, durante o primeiro F-X, sem respeitar a Golden Share do GF (o Brig. Batista, então CA e o MD quiseram a cabeça do Botelho – que não durou muito mais tempo na EMBRAER, daí que… Read more »

r_cordeiro

FLVP 8 de Fevereiro de 2018 at 22:30 O que sei é que a Boeing é uma empresa estatal americana, do governo americano. Por que será que uma empresa do governo americano quer comprar a Embraer? Muito interessante os senhores não acham. Eu queria apenas entender este propósito. Acho ainda as coisas muito obscuras. —— MEU DEUS DO CEU!!! Boeing estatal!!!! Essa foi de sair as bolas pelas orelhas!! Mais de 70% das ações com diversos players. Vanguard eh o maior acionista. Ja inventaram o google, eh bem fácil de usar e procurar….. Da uma olhada la, eh bem legal!!… Read more »

Marco Figueiredo.

Prezado Wellignton bom dia! Como e que o Botelho conseguiu passar por cima da Golden Share do GF?
Forte abraço!

WFonseca

Nonato 08/02/18 – 17:03 Recomendo releitura do texto: 1) “…não tem um dono, uma cabeça pensante que a conduza”- Decisões estratégicas cabe ao Conselho Administração mediante aprovação dos acionistas e poder de veto do governo, a direção executiva compete ao CEO Paulo Cesar de Souza e Silva. 2) “…É uma empresa nacional” – É uma empresa multinacional com capital aberto pulverizado, com 51% negociadas em NY e 49% em SP. Maiores acionistas: Mondrian UK, Brandes US, BNDSpar BR, BlackRock US; 3) “ST mal se vende. E parte dos lucros vai para a Sierra Nevada” – ??? Não seria porque a… Read more »

Marcos

Botelho ficou 17 anos na Embraer..
Como assim não durou muito tempo?

Marco Figueiredo.

A pergunta que eu faço e: a melhor solução e 90% e 10%? Não tem outra não??

Marcos

Se 70% do faturamento da Embraer viesse do GF, concordaria que a Embraer seria relevante para soberania, defesa, etc do Brasil.

Marcos

Marco Figueiredo:
Se a Boeing pudesse pega 100%.

Marco Figueiredo.

Pois e. Não sei que parceria e essa😕

Marcos

Se pudesse ficaria com 100%, como não pode, vai ter de achar alguma solução.
Agora responde ai: Você compraria 90% de uma empresa em um outro país, do qual você não manda, sujeito ainda a intervenções de governos populistas?
Pois é, o risco é todo da Boeing.

Marco Figueiredo.

Ta mas as decisões estratégicas são do conselho de 11 membros e o GF so tem um reprepresentante não e? E mais o GF interferiria no braço da aviacao comercial em qual contexto ?

Marcelo-SP

Esse perfil acionário da Embraer é o que em inglês se chama, de forma mais precisa, de empresa pública. No estatólatra mundo latino, o termo foi apropriado às empresas estatais. O desastre da Petrobrás, exposto pela Lava-Jato, mostrou que, de públicas, as estatais não tem nada. A não ser o peso dos prejuízos resultants da ineficiência e das maracutaias. Uma estatal pode ser bem administrada? Até poderia… Mas um bom começo seria acabar com esse fetichismo, como se houvesse algum “espírito público” inerente às suas atividades. Na média, mundo afora, espírito publico é o que menos há em estatais. Normalmente… Read more »

Marcelo Andrade

Gente, não tem jeito, mesmo desenhando, o pessoal ainda fica procurando “cabelo em ovo” meu Deus do céu!!!
Vou aguardar novas notícias pois não tem nada de novo desde que começou a novela!!!

Wellington Góes

Marco Figueiredo. Seguinte, para comprar e vender ações, não é preciso ter anuência do GF, basta os interessados pagarem o preço que se pede na bolsa, claro, desde que estejam sendo ofertadas. O que o GF pode fazer, por causa das Golden Share, é barrar alterações relativas ao controle acionário/administrativo, bem como suas decisões estratégicas. E a decisão de transferência de controle acionário da Embraer não estava em voga naquela época, diferentemente de agora. Outra coisa, o objetivo naquela época era mostrar comprometimento de um dos concorrentes, bem como de que havia uma relação próxima entre este e o único… Read more »

Marco Figueiredo.

Entendi Wellington. Obrigado!

Wellington Góes

Marcos, você está certo, realmente, o Botelho ficou na Embraer até 2012, mas não mais como CEO (Diretor Presidente) e sim como Presidente do Conselho de Administração de 2006 a 2012, o que são posições decisórias distintas. Já o Frederico Curado ficou, como CEO, de 2007 a 2016. Veja, não estou aqui julgando a competência do Botelho como CEO da Embraer, muito pelo contrário, pois foi ele o responsável por levar à empresa a um orgulho nacional, especialmente com o sucesso dos ERJs e o lançamento dos EJets, além do ingresso firme na aviação executiva. A questão aqui é outra,… Read more »

Helio Eduardo

SmokingSnake 🐍 8 de Fevereiro de 2018 at 16:27 se a Golden Share fosse tão ruim, a Embraer não bombava no novo mercado e lá fora. os “gringo” fugiriam dela e o que ocorre é exatamente o contrário. A Embraer foi privatizada lá atrás e a governança estabelecida. Vingou, é um sucesso e com a governança. Agora não adianta aparecer uma monte de çábios (e pior, falando mal dou outro çábio como se diferentes fossem) dizendo que isso é ruim e aquilo idem. A Embraer é o sucesso que é – um baita case global – exatamente do jeito que… Read more »

Marcos

Não fosse o Botelho o portfolio da Embraer seria: Ipanema, ainda o ERJ145, o Super Tucano e a gloriosa parceria com a Saab.

Hugo Ramos Freire

O Brasil é um belo país e também, quer ser independente em sua segurança. Porque essa polemica toda em torno da Embraer, com o material que mais precisamos sendo importado dos americanos. Porque não criamos nossa própria empresa, com nossos reconhecidamente competentes engenheiros, Temos fábrica de turbinas e outros materiais de suma importância na composição da aeronave por- essa dependência de outros países. Os Suecos dependem dos americanos e ficariam muito felizes se conjuntamente conseguíssemos isso. Seria uma parceria melhor para o Brasil e ficaríamos livres de tecnologia alheia. A Embraer não foi feita em tão pouco tempo. Treinou, seus… Read more »

Últimas Notícias

Embraer comemora 20 anos do início das operações de ensaio em voo em Gavião Peixoto

Gavião Peixoto – SP, 22 de outubro de 2021 - Um dos principais complexos industriais da Embraer no Brasil,...
- Advertisement -
- Advertisement -