Home Aviação de Transporte Brasil encomenda mais um Airbus C295 de busca e resgate

Brasil encomenda mais um Airbus C295 de busca e resgate

6043
83
O segundo FAB C295 SAR será entregue em 2019 e a terceira em 2020.

Madrid, 22 de janeiro de 2018 – O Brasil encomendou mais uma aeronave Airbus C295 de busca e salvamento (SAR) que, eventualmente, elevará a 15 o número total de C295s em serviço pela Força Aérea Brasileira (FAB).

Esse pedido constitui a reafirmação de uma opção inserida em um contrato anterior de 2014. A encomenda foi assinada no final do ano passado e, portanto, será incorporada à carteira de pedidos de 2017. As três aeronaves SAR servirão ao lado de 12 C295s configurados para transporte que já foram entregues.

O primeiro dos três aviões SAR foi entregue no ano passado e realizou um tour muito bem-sucedido de cinco semanas por quatro continentes antes de chegar ao Brasil. A aeronave demonstrou sua habilidade de patrulha marítima e recursos de busca e salvamento em uma ampla gama de ambientes, tendo registrado 100% de disponibilidade durante o tour.

O segundo FAB C295 SAR será entregue em 2019 e o terceiro em 2020.

Mais de 200 C295s já foram encomendados por 26 países. Na região da América Latina, mais de 100 aeronaves de transporte militar da Airbus estão em operação.

FONTE: Airbus

Subscribe
Notify of
guest
83 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fresney
Fresney
2 anos atrás

Boa notícia, acho que o pessoal gostou do trabalho do mesmo, pena não termos encontrado o submarino argentino

Walfrido Strobel
2 anos atrás

A compra era para ser de 3, mas por restrições orçamentárias foi reduzida a dois com uma opção, esta que foi contratada agora, com isso o Pelicano ficará com 5 SC-105, dois sem radar específico de busca e tres completos com radar israelense ventral de busca.

Justin Case
Justin Case
2 anos atrás

Notícia off-topic:
FAB divulga resultado de investigação sobre acidente com aeronave PR-SOM – Parati – Ministro Teori Zavascki
Notícia:
http://www.fab.mil.br/noticias/mostra/31575
Relatório:
http://www.potter.net.br/media/rf/pt/PRSOM_POR_VERSION_FINAL.pdf
Abraços,

Justin

Ivanmc
Ivanmc
2 anos atrás

Eu gosto dessa aeronave é bem funcional e versátil.

Antônio de Sampaio
Antônio de Sampaio
2 anos atrás

Falando em gostar dessa aeronave, me ocorreu que se a Embraer vier a fabricar um turboélice, talvez ele possa servir de base para uma aeronave de transporte desse tipo.
O Airbus C-295 foi desenvolvido a partir da aeronave de transporte civil CASA CN-235.
A Embraer pode desenvolver uma turboélice civil, já perfeitamente concebido para uso militar no futuro.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Strobel, os dois de transporte vão voltar pro Arara. Há um projeto de compra de mais C-105 para equipar o 1° ETA. Fui adjunto do Projeto CL-X, na COPAC, e já havia essa intenção.

Jr
Jr
2 anos atrás

Excelente notícia, alguém sabe se aquele C-105 que saiu da pista foi recuperado ou foi perda total?
Quantos C-105 seriam necessários para equipar o 1° ETA?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Acho que foi recuperado. Meu filho esteve em casa neste fds mas esqueci de perguntar. Acredito que o que se poderia comprar são 6 aeronaves. De 20 milhões de euros a unidade passou pra 26 milhões.

Thiago Mibach
Thiago Mibach
2 anos atrás

Cel Rinaldo Nery
Uma curiosidade, tendo em vista o que foi falado sobre equipar o 1°ETA com os C-105, imagino que deve haver algum estudo sobre um substituto ao Bandeirante,
que penso ser um tipo de aeronave importante no nosso cenário… O senhor teria alguma coisa que poderia nos dizer sobre um substituto ao Bandeirante?
Desde já agradeço!

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Não tenho nenhuma informação.

eduardo
2 anos atrás

porque nao compram o aviao da embraer em final de homologaçao ? em vez deste ai cn295 ? nao seria melhor camprar o embraer kc390 nesta versao SAR? nao acho isso muito interesante nao pro brasil esta compra ja que pra progredir no desenvolvimento que seja tbm com as empresas brasileiras no setor .

Clodorencio Piloto
Clodorencio Piloto
2 anos atrás

E o radar do SC 105?
Não entendi o porque de um radar de busca marítima.

Tallguiese
Tallguiese
2 anos atrás

Falando em transporte, e a aviação do EB como anda? Cadê os Sherpas? Mandar os bandeirantes pra eles não vai rolar mesmo né?

JOSÉ AIRTON CAVALCANTI
JOSÉ AIRTON CAVALCANTI
2 anos atrás

Cel Rinaldo Nery, por quê não remanejar as duas aeronaves ao Esq Onça, já que o mesmo só conta com dua unidades? No caso o Araras não está “minimamente” dotado com as 8 unidades? Como leigo e filho de militar, sei das restrições, entretanto, podendo opinar desde já agradeço. saudações.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
2 anos atrás

Preferiria que investissem na versão SAR do KC-390 do que nessa compra ou mesmo na atualização dos aviões do Guardião.

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Esse é um contrato antigo e as aeronaves são para agora.
Outra coisa: com um KC390 dá para comprar três C295.
Portanto, por questão de economicidade e temporalidade, o investimento no C295 é mais vantajoso.

Juarez
Juarez
2 anos atrás

Esta tua conta aí não fecha viu Marcos.

G abraço

Silva
Silva
2 anos atrás

OFF TOPIC e uma sugestão aos editores:

“The US government is to offer surplus Bell AH-1W SuperCobra attack helicopters to international customers.”

http://www.janes.com/article/77142/usmc-supercobras-to-be-sold-off-to-international-customers

Alguma possibilidade de vir algumas unidades para a FAB, o CAVEX ou para a MB, ainda mais agora com a aquisição do Ocean?

Bardini
Bardini
2 anos atrás

Rinaldo Nery,
.
Se falou tanto que esse radar não é o ideal, que só serve para operação sobre o mar e etc…
.
Aí eu pergunto: Mas para operar SAR sobre a terra, o FLIR dessas aeronaves já não cobrem as necessidades?

André Luis Santos de Oliveira
André Luis Santos de Oliveira
2 anos atrás

Acredito que num futuro proximo com retirada dos c-95 a/b/c do serviço operacional, os ETA serão desativados, passando o restantes das aeronaves como os c-97 e c-98 para as ALAS para a necessidade transporte de pessoal, passando assim a responsabilidade de transporte carga regional para unidades aéreas de transporte de carga e tropa, como o 1°/1°GT, 2°/2°GT, 1°/9°GAV, 1°/15°GAV (C 105 e KC-390 ), e criação e mais duas unidades aéreas o, 2°/9°GAV no nordeste e 3°/9°GAV no sul, contemplado todas as regiões com pelo menos uma unidade aérea de transporte.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

O Radar indicado para o CL-X não foi adotado pelo Alto Comando.

O Cel Rinaldo Nery tem os detalhes.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

Justin Case 22 de Janeiro de 2018 at 18:15

Coronel, desorientação espacial + um monte de coisas, correto ?

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Juarez
Quatro?
😀

Bueno
Bueno
2 anos atrás

Justin Case 22 de Janeiro de 2018 at 18:15
Valeu, pelo Off . Bem provável que os editore postem a matéria. dará bons comentários

MARCOV
MARCOV
2 anos atrás

Rafael Oliveira 22 de Janeiro de 2018 at 20:44

Rafael, depende da utilização. Se a aeronave manter uma razão de horas de voo/ciclos baixa, o custo será muito maior na operação do KC-390. Para voos mais curtos, que gastem pelo menos uma hora de voo com o turbohélice, o C295 é o melhor. Caso fosse utilizado o KC-390, o custo devido ao vencimento prematuro dos componentes (o maior exemplo é o motor, mas também o trem de pouso) e as inspeções estruturais seria altíssimo, pois os serviços seriam realizados pelo vencimento por ciclos e não por horas de voo.

Gustavo
Gustavo
2 anos atrás

Showw! Muito bom!
a FAB está bem encaminhada, talvez mais algumas unidades de blackhawk, mas o que precisamos fazer é começar a nos movimentar pelo 2° lote de Gripens assim que começarem as entregas das primeiras unidades, obviamente até lá a decisão da EMBRAER já estará encaminhada e saberemos o que fazer.

carvalho2008
carvalho2008
2 anos atrás

off topic
.
Pessoal, nas andanças pela web, encontrei foto de uma maquete do A-4 biturbina.
.
Parece ser algum estudo da epoca Douglas para um Trainer Atach mas simples, similar a proposta do Boeing Skyfox usando a plataforma do T-33.
.
Alguem possui informação a respeito?
.
Fiz uma releitura dele usando as mesmas entradas de turbina e colei algumas fotos do skyfox caso alguem não conheça.
https://www.youtube.com/watch?v=gtDQWviP224

Douglas Rodrigues
Douglas Rodrigues
2 anos atrás

O C-295 será a aeronave a ser utilizada amplamente pela Força Aérea em buscas tanto pela mata quanto pelo mar (alguém sabe realmente se a busca pela mata é prejudicada tendo em vista o radar ser especializado em busca pelo mar, ou se o FLIR realmente dá conta do recado?)…
Acredito eu, que o KC-390 ainda será desenvolvido para essa missão SAR talvez substituindo os P3 Orion, sendo o upgrade natural invés dos P8.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

José Airton, 20:43h.
Sim, parece que as aeronaves vão sair do Onça.
Bardini, 22:48h.
Não, não serve. Radar de Abertura Sintética cobre faixa de terreno (a largura depende da resolução ) enquanto a aeronave está voando. O FLIR tem que ser apontado para áreas de interesse.

Complementando informação anterior, o C-105 de Surucucu continua lá. A intenção é fretar um helicóptero de grande porte para trasladar a aeronave para Boa Vista. Lá serão efetuados reparos estruturais para que seja trasladada em vôo para Manaus, onde será completamente recuperada.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

De novo essa história de usar a plataforma KC-390 pra tudo….

MARCOV
MARCOV
2 anos atrás

MARCOV 23 de Janeiro de 2018 at 7:29

Complementando melhor a última sentença:
“pois os serviços seriam realizados pelo vencimento por ciclos e não por horas de voo ou calendário (no caso do conjunto de TP e inspeções estruturais).”

Tamandaré
Tamandaré
2 anos atrás

Sr. Rinaldo, eu ia comentar exatamente sobre isto! rsrsrsrsrs

Não sou especialista em coisa alguma, apenas um curioso que tenta aprender aqui com os nobres amigos, mas já fui informado (e me pareceu ser uma informação segura) que a melhor plataforma para um possível substituto ao P-3 seria o E190. Alguns falam também em usá-lo para um novo AEW brasileiro, no lugar do ERJ-145 que baseia o E-99.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
2 anos atrás

MARCOV entendi seu ponto, mas, dependendo da missão, em especial da distância, o KC-390 cumpre a missão e o C-295, não, pois tem maior alcance e conta com REVO.
.
Serão 28/30 KC-390, tem que arrumar missões para eles. Com o valor desse SC-105, daria para equipar pelo menos um KC-390 SAR. Fora a parte que, a meu ver, essa não é uma necessidade imediata da FAB, pois já conta com uma e logo terá duas aeronaves dedicadas, além dos Orions. Se eu fosse o responsável pelos investimentos da FAB, teria investido em outras aeronaves ou comprado armamentos.

MARCOV
MARCOV
2 anos atrás

Rafael Oliveira 23 de Janeiro de 2018 at 9:37

Sim, Rafael. O KC-390 deverá ser bem utilizado ou operacionalmente (custo por hora de voo) sairá muito caro.
A FAB deverá empregá-lo em rotas mais longas.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Rafael 09:37h.
Sabe porque são 28 KC-390? Quem disse que não vai ter uso?

Chico Novato
Chico Novato
2 anos atrás

Existe demanda para todos os portes de aeronaves de transporte. Tanto é verdade que a FAB opera desde Caravans até C-130. Acho que não haverá substituto para os C95, na minha opinião de leigo as missões dele serão repassadas para os Caravans e C105.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
2 anos atrás

Exato, Markov.
Rinaldo,
É 28 porque foi isso que a FAB contratou com a Embraer, levando-se em conta tanto as necessidades operacionais quanto o número mínimo para viabilizar o projeto. Igual foi como Bandeirante e com o Supertucano, em que se comprou mais do que o necessário para a FAB, para conseguir tirar do papel o projeto.
Hoje temos bem menos C-130, por isso disse que vão ter que arrumar serviço para o KC-390.

Mauricio R.
2 anos atrás

O melhor substituto para o P-3 é um outro P-3 mais novo, dentro das atuais condições de orçamento e custeio, mas se na ocasião da substituição houver dinheiro então o P-8 passa a ser a opção. Tem escala de produção e um número razoável de usuários voando, ou prestes a voa-lo em serviço ativo. Não existe sequer projeto de E-190 para missões MR/ASW e ASuW ou AEW, então a FAB ao invés de mais uma vez levar a Embraer pela mãozinha, as nossas custas, trate de olhar antes o que há disponível no mercado. O que pode incluir além do… Read more »

Miguel Felicio
Miguel Felicio
2 anos atrás

Rinaldo Nery 23 de Janeiro de 2018 at 8:48
De novo essa história de usar a plataforma KC-390 pra tudo….
Então; pergunta de leigo: – A plataforma C-130 é usada em “apenas” quase tudo ou não?????

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
2 anos atrás

Não é questão de “arrumar serviço para o KC-390” ou a quantidade de C-130.
Os KC-390 serão recebidos ao longo de vários anos e cumprirão todas as missões do C-130 e muitas outras. Não há a quantidade ideal de C-130 por conta de manutenção, peças, corte de verbas e outras restrições… Temos que lembrar que são células de 50 anos.

Wilton Feitosa
Wilton Feitosa
2 anos atrás

Meus amigos, que coisa mais infantil querer brincar só com o brinquedo novo … rss Sendo um ex artilheiro do EB, e apenas um entusiasta da avião, em especial a militar, mas tenho como hobby andar de bike ….Tenho 3 Bikes, mas poderia ter 5 ou 6 … . Considerando sempre o CUSTO x BENEFECIO x DESEMPENHO x RISCO afirmo que uma bike de MTB/XC não ser serve pra estrada, e uma DH não serve pra MTB, e nenhuma delas é indicada para ir a padaria e muito menos uma Speed daria pra andar na terra … . Ai eu… Read more »

Joao Vasco
Joao Vasco
2 anos atrás

E aquele sensor que nao vinha nos primeiros sera q não podiam colocar nesse nao?

Tomcat3.7
Tomcat3.7
2 anos atrás

Silva 22 de Janeiro de 2018 at 22:00

Eu ainda não entendi por que os editores não fizeram um post sobre o feirão do titio Sam de Bell AH-1W, vai dar uma boa discussão.

Walfrido Strobel
2 anos atrás

João Vasco, não é simplesmente um sensor que falta, é todo o sistema FITS com seus consoles, displays, teclados, radar e tudo mais necessário a sua integração a aeronave.
Claro que pode ser feito, mas custa caro, a Espanha para substituir os Fokker 27 SAR converteu os velhos CN-235 do transporte com um FITS na versão mais simples com dois consoles e um radar. Paralelamente comprou C-295 novos para o lugar dos CN-235 de transporte.
Foto do CN-235 serial number C046 como transporte: http://www.airliners.net/photo/Spain-Air-Force/CASA-IPTN-CN-235M-100/2793134?qsp=eJwtjUEKwzAMBP%2BicwsxhUJzSz7QHvIBIYvU4MZGUqEh5O9RTW7L7LC7AZXF%2BGfTWhl6UEahN1ygouBHod9AeE5qgpbKMpB9Mbs3hcd4DZ2LWsTG1VFE44GIq3E8%2BVMiy79ipbY5%2B0fwwPJqGW535zFpzdg22DBl2PcDX5kyJg%3D%3D

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Wilton Feitosa 23 de Janeiro de 2018 at 11:49
Wilton Feitosa, é que com a devida conversão/adaptação um avião de transporte como o C-130, An-12 ou KC-390 pode realizar vários tipos de missão.
No caso do Brasil para SAR já foi feita a escolha pelo C-295(SC-105) e não tem porque mudar, mas o C-130 e An-12 ja provaram que quando necessário este tipo de avião pode transportar, patrulhar, reabastecer, atacar posições no solo e ser um AEW&C, basta ter necessidade e recursos para converter ou fabricar já na função desejada.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
2 anos atrás

João Vasco, desconheço que esteja faltando algum sensor da configuração escolhida pela FAB para a aeronave, seja neste terceiro exemplar, seja nos dois anteriores em configuração SC-105 (designação da FAB) /C295 SAR. Os três exemplares, até onde sei, seguem o mesmo padrão.

Será que você não está confundindo com duas aeronaves da encomenda inicial de doze exemplares de transporte, e que haviam recebido apenas adaptações mínimas, como janelas em bolha, cadeiras para observadores e kit SAR lançável da aeronave etc? Essas duas da encomenda inicial, até onde sei, passarão à frota normal de transporte.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
2 anos atrás

“Hoje temos bem menos C-130, por isso disse que vão ter que arrumar serviço para o KC-390.” Rafael Oliveira, A quantidade atual de C-130 não é parâmetro, justamente porque a frota atual da aeronave está sendo reduzida por atingir o final da vida útil dentro da FAB, dentro da perspectiva de começar a receber o KC-390. Então são ajustadas as diagonais de manutenção com as de desativação buscando evitar custos adicionais com a frota que vem dando baixa. A frota se reduziu ainda mais devido aos contingenciamentos (onde aeronaves já em processo de desativação viram os alvos dos cortes necessários… Read more »