Home Acidente Aéreo Acidente com avião C-105 da FAB

Acidente com avião C-105 da FAB

9822
89

C-105 - 1

Circulam nas redes sociais fotos de uma aeronave C-105 Amazonas na FAB que teria se acidentado durante aterrissagem na semana passada, na região Amazônica.

Segundo relatos, o trem de pouso teria colapsado.

C-105 - 2

 

Subscribe
Notify of
guest
89 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mauricio R.
4 anos atrás

“Segundo relatos, o trem de pouso teria colapsado.”
.
De novo, novamente, mais uma vez???? E em pista asfaltada????
.
Melhor trocar p/ uns ATR, são mais baratos e há dúzias deles operando pelo Brasil.

Mauro Oliveira
4 anos atrás

Sem essa de “de novo”. Isso acontece o tempo todo. Especialmente em aviões como esse que voam o tempo todo e com o orçamento curto que a FAB tem ultimanente.

quanto mais voam, maior a chance de falha.

Simplesmente acontece.

_RJ_
4 anos atrás

Para mim, pela foto, parece que o piloto jogou o avião (da Barbie) para fora da pista ao ver que não ia parar a tempo. Só que, ao encontrar o solo fofo fora da pista “asfaltada”, o trem de pouso colapsou (por educação não vou escrever a palavra mais precisa e mais curta, aquela com F, no lugar de “colapsou”)

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Mauricio R. 28 de fevereiro de 2016 at 13:03
MR,
Concordo.
Particularmente prefiro os C da Ucrânia.
Certamente os C 295 não são para nós, pistas europeias são sua “praia”.
Saudades do Búffalo, sempre.
http://www.vikingair.com/viking-aircraft/dhc-5-buffalo

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

http://www.forte.jor.br/2015/10/25/um-dia-no-2o-pelotao-especial-de-fronteira-assis-brasil/ ___________________________________________________________________________________________ Quero ver: “Brandenburg 26 de outubro de 2015 at 16:23 Bateu saudades! As instalações militares evoluiram muito desde que passei por lá mas devo discordar do encarregado da horta quando diz que em 1992, quando lá chegou, não tinha estrada, aeroporto, que o suprimento ia de barco e subia de carro de boi para o Pel Fron. Ou então o CMA e a FAB regrediram muito. Em 1979 eu comandava o 3 Pel Esp Fron do então 4 Btl Esp Fron, hoje 4 BIS, em Placido de Castro e todos os tres pelotões possuiam pistas de pouso(Placido, Brasileia… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás
Zmun
Zmun
4 anos atrás

Carlos Alberto Soares, assino em baixo de tudo o que o senhor escreveu. Excelente! Aqui em Santa Catarina vivemos algo parecido. A base aérea de Florianópolis é um elefante branco que só existe para que os fabianos possam curtir as belezas da ilha da magia. Não existe razão alguma para manter um esquadrão inteiro aqui, uma única aeronave P-95 em alerta seria suficiente (talvez nem isso seria preciso). Ao mesmo tempo, no oeste do estado, os narcos voam diuturnamente em céus de brigadeiros. Cadê nossa base com A-29 em Chapecó? Por que não vender o terreno da Floripa e usar… Read more »

Zmun
Zmun
4 anos atrás

E ainda dizem que o problema das forças armadas é a falta de recursos. Se o recursos hoje existente fosse administrado com um mínimo de respeito e profissionalismo, tenho certeza que muito coisa poderia ser feita.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás
Marcos
Marcos
4 anos atrás

Só depois de um relatório me arrisco a dizer a causa do evento.

Marcos
Marcos
4 anos atrás
Zmun
Zmun
4 anos atrás

Eurobambis….

Hamadjr
4 anos atrás

Fala serio fechar unidades militares por que esta localizada em uma cidade “Turística” ? parece aquele conceito bem conhecido de estado mínimo proclamado como salvação econômica que a _______________ tão corrupta e déspota quando há atual quadrilha chama de parceria, o problema não é a aeronave o problema é aonde ela é empregada.
_
COMENTÁRIO EDITADO

Maria do Carmo Lacoste
Maria do Carmo Lacoste
4 anos atrás

É claro que alguns vira latas vão ao êxtase total. Alguns até já sabem as causas do acidente e os pormenores do caso, por aqui até que nem tem muitos, mas tem um que é fortíssimo.

Zmun
Zmun
4 anos atrás

A cidade ser turística não tem problema. A questão é que não existe necessidade operacional para manter-se a base aqui. É dinheiro jogado no lixo, assim como ocorre no Rio de Janeiro.

Mauricio R.
4 anos atrás

OFF TOPIC…
.
…mas nem tanto!!!
.
“Forward Operating Base Shank”, uma pista de pouso infernal:
.
“Afghanistan is just about the worst place in the world to wage a high-tech war. Rugged, landlocked, stitched by countless tall mountain peaks, laced by extreme weather and mostly undeveloped, Afghanistan makes getting anywhere by any method expensive, time-consuming and dangerous.”
.
(http://warisboring.com/articles/damn-this-afghan-airstrip-practically-eats-american-planes/)

DANIEL FERREIRA
DANIEL FERREIRA
4 anos atrás

Devemos levar em consideração também a pista. Este aeródromo de surucucus é apelidado de tobogã e é muito perigoso para pilotos desavisados

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
4 anos atrás

hahahaha
A partir de 2 fotos já tem especialista chutando o que aconteceu no acidente.
Deveriam ser contratados pelo “Sensacionalista” da UOL… para criar factoides de comédia.

_RJ_
4 anos atrás

Alfredo Araujo, pelo menos eu usei um “para mim” e um “pelas fotos parece”, para deixar claro que é chute mesmo, sem me basear em nada sério. Papo de boteco. É que me parece que a aeronave, nova, não seria tão frágil assim para quebrar o trem de pouso em qualquer pouso duro. Ainda mais saindo da pista lá pela metade final. E acredito que o piloto possa sim ter evitado desastre maior. Porém, a verdade só virá com as investigações (ou não, já que a FAB pode querer sigilo). E não resisti em usar o adjetivo que sempre ouço… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Tirando o posto do Carlos Alberto e mais alguns, muita bobagem postada. Estão adivinhando a causa do acidente. A pista de Surucucu é muita crítica, principalmente pra uma aeronave do porte do Amazonas. Pode ter sido falha estrutural, mas pode ter sido, também, “manicacada” dos Tenentes.
Liguei pro meu filho ontem, que voa lá, e ninguém sabe o que aconteceu. Já mandaram a manutenção lá pra consertar o trem e trazer a aeronave de volta.

Clésio Luiz
4 anos atrás

Hum. Quando um C-105 se acidenta é porque a aeronave não presta. Mas quando um é um C-130…

http://www.aereo.jor.br/2014/11/27/fotos-do-c-130-hercules-da-fab-acidentado-hoje-na-antartida/

… fica bem aparente a maturidade dos comentários de alguns. Não interessa se são nossos aviadores que tiveram um acidente ou se a FAB teve prejuízo financeiro. Nada pode ficar na frente da “zoação”.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Post.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

By the way: ninguém se machucou.

Celso
Celso
4 anos atrás

Por certo q a maioria aqui eh gde entusiasta e adora os fatos relativos ao dia a dia da FAB e aviacao em geral. Mas os experts tbm contribuem e muito para ajudar na compreensao, mas tentar depreciar ou desmerecer estas opinioes ai ja eh demais…..que tal estes comentaristas altamente capazes abrirem um site para q so eles discutam em alto nivel suas opinioes……..vi em outro site mais fotografias e me pareceu numa delas q foi tirada lateralmente e bem mais perto. que eh possivel observar atraves das vigias ( ou sera janelas rsrsr) o interior lotado c containeres ou… Read more »

Celso
Celso
4 anos atrás

Ratificando parcialmente….atraves das vigias o q se observa bem sao aquelas redes de armacao e ou amarracao…..mas acredito q dentro esta lotado (peso) Sds

Carcará 01
Carcará 01
4 anos atrás

Concordo com todos e com tudo, só não concordo com a forista ai acima chamando quem não concorda com as opções (sim, foi a compra dos 295 foi opção do desgoverno ________________) de “vira-latas”. Típico de pessoas que ainda defendem a quadrilha, mas que não deveria ter lugar aqui no fórum. Bem, perguntas: 1 – Quando os 105 foram aposentados foi por limite das celulas? 2 – Caso não, será que esses 105 não poderiam ter sido modernizados? 3 – É visivel, e não apenas por esse caso, que os 295 não dão conta do recado como os Buffalos davam,… Read more »

Carcará 01
Carcará 01
4 anos atrás

Srs, comentário preso no SPAM..

E sim Cel. Nery, o que importa mesmo agora é que ninguem sequer se machucou, a não ser a ave…
_
NOTA DOS EDITORES: O COMENTÁRIO FOI LIBERADO APÓS EDIÇÃO.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Exato, Celso. Pode ser uma conjugação desses fatores. A carga estava dentro do limite, mas um pouso mais duro pode ter contribuído pro colapso do trem. Quando tiver mais informações oriundas do 1°/9° GAV posto aqui.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
4 anos atrás

Porque o Brasil ainda esta tao atrasado em conceitos operacionais no que se refere so posisionamento e a logistica de suas bases aereas?

Eu tenho a resposta, mas eu gostaria de ver is outros comentarios primeiro.

Juarez
Juarez
4 anos atrás

Cel, é pramaturo falar, eu tenho mais fotos do acidente, o trem de pouso quebrou e acho que quebrou junto a longarina de fixação na fuselagem, a carenagem do trem da esquerda também foi para o espaço. Acho que ele tomou uma tezoura de vento que jogou a anv na pista lá na frente e quando bateu quebrou o trem. Cel, eu sei que o senhor é um dos pais da criança, mas eu vou insistir: esta aeronave não pode operar full naquele TO, dá merd…………a, ele fica no limite.Ainda via acabar morrendo gente neste bamby. G abraço

Carlos Crispim
Carlos Crispim
4 anos atrás

Só digo uma palavra: Spartan.

Juarez
Juarez
4 anos atrás

Exemplifificando o que eu venho dziendo aos senhores a muito tempo: In 2004, Australia received its first Tiger, a nimble gunship produced by Eurocopter — now part of Airbus — to serve in light-attack and reconnaissance roles. The Tiger is roughly equivalent to the U.S.-made AH-64 Apache except lighter and with longer range. It can fire Hellfire missiles, 70-millimeter Hydra rockets and 30-millimeter cannon shells. On-board Stinger missiles serve as the anti-air weapon. The Tiger “was modeled very much along the Apache model, but using later airframe technology, and with different role optimizations,” analyst Carlo Kopp of the Air Power… Read more »

Juarez
Juarez
4 anos atrás

É isto aí é um fato, não fui eu que ouvi do primo da vizinha da cunhada do seu Gerimum, é um FATO, eu não me canso de dizer e explicar para vocês que aeronave de combate tem que ter DNA no projeto, se não dá nisto aí.

Porque que é que os Australianos não comprarm o 295????? Porque os Perunanos não compraram?????
Compraram o C 27 ……porque ????

G abraço

Grulla
Grulla
4 anos atrás

Eurobambi,Lixocopter,Barbie pq são de um determinado país que alguns não gostam,agora indestrutível,imbatível,infalível,megahipersuperf@..tico são sempre as máquinas de um determinado hiper país,justo e bom,que é referencial pros meros e infelizes habitantes da Terra que não o habitam. Mas como é a nete cada um acredita nos “ispicialistas” de plantão que lhes convier e agradar.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Juarez, eu não fui o pai da criança. Só trabalhei no Projeto, e as aeronaves estavam quase todas entregues. O episódio da primeira quebra do trem já havia ocorrido. Não me recordo, sinceramente, do resultado da investigação. O piloto era o Cleber, foi meu Tenente em Porto Velho. Quanto ao DNA de combate, concordo contigo. Mas, até aonde sei, o avião está dando conta. Até porque o cenário de hoje não é mais o da época do Búfalo. Já postamos aqui que, com a baixa disponibilidade dos C-130, os C-105 levaram, e ainda levam, a FAB nas costas. E o… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Rinaldo Nery 28 de fevereiro de 2016 at 16:25 By the way: ninguém se machucou. _______________________________ Ótimo. ____________________________-__ Não coloco a questão sob o ponto de vista de “Barbie”. ______________________________ Vejo de outra forma e tenho reiterado: 1) Os C 205/105 cumprem muitas missões, não todas. 2) O KC 390 seguirá o mesmo caminho. 3) Os C 95M são a bola da vez, estão em casa, a que se converter todas as células admissíveis e parte manda-las para o EB. 4) Os C 130 estão na chon, células admissíveis manda-las para a IAI ou LM para retrofit geral, pero no… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Não, ele chegou no Arara ano passado. Como já postei antes, o KC-390 vai assumir todas as missões do C-130, inclusive o PAA (Plano de Apoio à Amazonia). E a FAB não investirá mais nada nos C-130. Se na ativa estivesse, também assessoraria nesse sentido.
O Brig Mozart, da minha turma vai assumir o comando da Quinta Força Aérea (V FAE) nesta semana. Agora o problema estará no colo dele.

E.Silva
E.Silva
4 anos atrás

Zmun 28 de fevereiro de 2016 at 13:54 Tadeu Mendes 28 de fevereiro de 2016 at 19:26 Esta aí um tópico que deveria ser mais abordado pela mídia especializada nas entrevistas aos nossos oficiais superiores e também aqui. Qual a resposta logística, estratégica e econômica (considerando o orçamento da FAB) para: – Duas bases aéreas no Rio Grande do Sul? Não poderia escolher uma e centralizar a operação? – Três bases aéreas no Rio de Janeiro? – A Base Aérea de Manaus ter uma estrutura tão pequena para sua importância? – Não termos um esquadrão de caças em Natal que… Read more »

Juarez
Juarez
4 anos atrás

Cel, quem avisa amigo é….boa sorte ao seu filho e bons voos.

G abraço

Marcos
Marcos
4 anos atrás

O problema da FAB é grana.
O Spartan é uma boa aeronave, mas custa o dobro do C295.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Obrigado, Juarez. Zmun, São Gabriel da Cachoeira já tem uma estrutura de mini Base. A de Eirunepe foi concluída (a estrutura) a pouco. Cuiabá está próximo de Campo Grande, para que outra Base seja construída lá. Você precisa estudar um pouco da história pra entender porque as Bases estão onde estão. A maioria remonta à época da Aviação Militar e da Aviação Naval. É o caso da sua cidade , Florianópolis. Foi aí que, em 1979, fiz o concurso pra EPCAR. A BAFL foi uma base da Aviação Naval, construída nos anos 20. A maioria das Bases utilizadas pela US… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Rinado, sem dúvida essa sua resposta é bem abrangente.

E realmente agora não é hora de se construir novas bases, mas, seguramente, é um bom momento para fechar algumaa.

Não é porque uma base foi útil no passado que deve existir pra sempre. A FAB precisa peitar interesses estranhos a sua missão e agir. Pode começar por Canoas e alguma do Rio, que é capaz de sobrar algum dinheiro para investimento e custeio.

Juarez
Juarez
4 anos atrás

Cel, na decada de noventa os Romanos do 14 operaram diversas vezes de Chapeco, de Cascavel e de Londrina

G abraço

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Sim, eu lembro. Em 82 operaram em Navegantes.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Rafael, até pra fechar tem custos. Tem que transferir todo um efetivo pra outro local, e militar, assim como todo funcionário público federal, recebe um bom dinheiro pra essa movimentação. Além disso, tem que passar pela Secretaria de Patrimônio do GF, que vai decidir o que fazer com o imóvel. Não vai virar condomínio da MRV, com certeza, nem projeto do Minha Casa Minha Vida. Não é uma conta de subtração tão simples. Além da vida de alguns, que são originários do local, porque o psicossocial também tem que ser levado em consideração. Já bastam os baixos soldos. Como curiosidade,… Read more »

E.Silva
E.Silva
4 anos atrás

Cel Nery, Na verdade quem fez os questionamentos fui eu, só aproveitei os posts do zmum e do Tadeu para iniciar o debate. Eu sei que para vocês da FAB deve ser chato questionamentos meio que óbvios para quem pertence à instituição, mas veja, eu coloquei as questões na forma de perguntas, justamente para tentar entender o contexto dessas bases atuais. E de maneira alguma quis insinuar que os oficiais da FAB são idiotas, mas suponho que para fechar uma base aérea aqui no Brasil deve ser como mexer num vespeiro. Vem prefeitos, deputados, empresários, sociedade civil alegando que afetará… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás
Carlos Euclides
4 anos atrás

Rinaldo Nery, parabéns, todas suas intervenções e explicações foram excepcionais e muito elucidativas. Apenas gostaria de deixar minha dúvida a respeito da Base de Canoas. Salvo engano, e preciosismo, ela não tinha a atual localização. A original Base de Gravataí, sucessora do 3 RegAv, ocupava a área contígua ao Hospital de Aeronáutica de Canoas e do V COMAR, Atual Parque Eduardo Gomes, o “Parcão”.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Exato, Carlos. Você está correto.
Quanto ao fechamento de Bases, concordo plenamente. Pode parecer que sou contrário. Eu e uma grande parcela da Força somos a favor. Mas quem é ou foi militar sabe que a Instituição é um elefante, e as coisas demoram a acontecer. Por vezes aparece um TB Paes de Barros que chuta o pau da barraca e faz as coisas andarem. Pena que pediu reserva nesta semana…