segunda-feira, novembro 29, 2021

Gripen para o Brasil

Emirates assina acordo para até 36 aeronaves A380 adicionais

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A380

O compromisso visa aumentar a emblemática frota de A380 da companhia

Dubai, 18 de janeiro de 2018 – A Emirates Airline, com sede em Dubai, assinou um Memorando de Entendimento (MoU) para adquirir até 36 aeronaves A380 adicionais. O acordo foi assinado esta manhã na sede da companhia aérea em Dubai, por Sua Alteza o Sheik Ahmed bin Saeed Al Maktoum, Presidente e CEO da Companhia Aérea e Grupo Emirates, e John Leahy, Diretor de Operações para Clientes da Airbus Commercial Aircraft. O compromisso é para 20 aeronaves A380 e uma opção para mais 16 a serem entregues a partir de 2020, no valor de US$ 16 bilhões de acordo com a lista de preços mais recente.

“Não fizemos segredo algum do fato de que o A380 tem sido um sucesso para a Emirates. Nossos clientes o adoram, e conseguimos utilizá-lo em diferentes missões em toda a nossa rede, o que nos proporciona flexibilidade em termos de autonomia e mix de passageiros”, afirma o Sheik Ahmed. “Alguns dos novos A380 que acabamos de encomendar serão usados ​​como substituições da frota. Esta encomenda dará uma estabilidade à linha de produção do A380. Continuaremos trabalhando em estreita colaboração com a Airbus para melhorar ainda mais a aeronave e o produto a bordo, de modo a oferecer aos nossos passageiros a melhor experiência possível. A melhor parte desta aeronave é que a tecnologia e o espaço a bordo nos oferecem muito espaço para fazermos algo diferente com os interiores”, complementa Ahmed.

“Gostaria de agradecer à Emirates e a Sua Alteza o Sheikh Ahmed, Tim Clark e Adel Al-Redha pelo seu apoio contínuo ao A380”, afirma John Leahy, Diretor de Operações para Clientes da Airbus Commercial Aircraft. “Esta aeronave contribuiu enormemente para o crescimento e sucesso da Emirates desde 2008 e estamos muito satisfeitos por continuar desta forma. Esta nova encomenda destaca o compromisso da Airbus de produzir o A380 por pelo menos mais dez anos. Pessoalmente, estou convencido de que mais encomendas seguirão o exemplo da Emirates e que esta grande aeronave será fabricada até meados da década de 2030”.

Após a entrega do primeiro A380 em julho de 2008, a Emirates recebeu o seu 100º A380 em 3 de novembro de 2017 em Hamburgo, na Alemanha.

O A380 é uma parte essencial da solução para um crescimento sustentável, aliviando o congestionamento de tráfego em aeroportos de grande movimento ao transportar mais passageiros com menos voos. O A380 é a melhor maneira de capturar o crescente tráfego aéreo mundial, que duplica a cada 15 anos. O A380 percorre 8.200 milhas náuticas (15.200 km) sem escalas e pode acomodar 575 passageiros em quatro classes.

A espaçosa e silenciosa cabine, além do voo suave e confortável tornaram o A380 a aeronave favorita dos passageiros atualmente, resultando em maiores fatores de carga onde quer que voe. O A380 é a maior aeronave do mundo, com dois andares de fuselagem larga, oferecendo assentos e corredores mais largos, além de mais espaço. O A380 possui a capacidade única de gerar receita, estimular o tráfego e atrair passageiros, que agora podem escolher especificamente o A380 ao reservar um voo pelo inovador site iflyA380.com.

Até agora, mais de 200 milhões de passageiros já aproveitaram a experiência única de voar a bordo de um A380. A cada dois minutos, um A380 decola ou aterriza em um dos 240 aeroportos do mundo que estão prontos para acomodar esta aeronave. Até o momento, 222 A380 foram entregues a 13 companhias aéreas.

DIVULGAÇÃO: Airbus

- Advertisement -

21 Comments

Subscribe
Notify of
guest
21 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos

Folego!

MATHEUS

Um fôlego. Mas esse aí não vai longe não…

Paulo Maffi

MATHEUS 18 de Janeiro de 2018 at 19:14
Será? Acredito que ainda haja espaço para ele, principalmente na Ásia. O mercado da aviação mundial é muito volátil e atualmente ainda ensaia uma recuperação. Creio que é uma aeronave que se restringe à alguns mercados específicos – não venderá como A320 – que nos últimos anos vem apresentando alguns resultados que merecem atenção.
http://mobile.valor.com.br/empresas/4856376/transporte-aereo-mundial-de-passageiros-cresce-63-em-2016

Dr. Mundico

Ao que parece, uma decisão essencialmente política, tomada a nível de governos. Um negócio desse tamanho fatalmente trará desdobramentos econômicos e políticos a médio e longo prazo.
Isso inclui transações comerciais em outras áreas (energia, petróleo, armamentos, etc) e de certa forma serve como um “aviso” a Boeing.

Jorge Augusto

Política pura. AIRBUS acaba de dizer que pode cancelar o A380 se ninguém mais comprar e do meio do nada a Emirates quer 36?

Tadeu Mendes

Eu li hoje de manhã cedo aqui now EUA, que a Emirates havia encomendado 40 jatos 787 Dreamliner da Boeing.

Então como vai ficar isso?

Gustavo

Aviões desse porte tem mercado para ligar os continentes e os grandes HUBs e de lá proliferam aeronaves de menor porte para distribuir toda quantidade de passageiros dos HUBs. É a tendencia, não que outras aeronaves não consigam fazer isso, mas o A-380 tende a fazer isso mais barato, quando se tem escala.

MATHEUS

Tadeu Mendes 18 de Janeiro de 2018 at 21:18
Eu li hoje de manhã cedo aqui now EUA, que a Emirates havia encomendado 40 jatos 787 Dreamliner da Boeing.

Então como vai ficar isso?
.
Continua a mesma coisa. Por que mudaria?

MATHEUS

Paulo Maffi 18 de Janeiro de 2018 at 20:06
MATHEUS 18 de Janeiro de 2018 at 19:14
Será? Acredito que ainda haja espaço para ele, principalmente na Ásia.
.
Nem mesmo a China que tudo indica segundo os “especialistas” vai ter uma aviação maior que a dos EUA daqui a alguns anos tem sondado o A380.

Nonato

Por mim, esse avião continua a crescer de produção.
Não dizem que a tendência é as pessoas voarem mais?
Por que saírem 20 vôos diários são Paulo nova Iorque se os mesmos passageiros poderiam ser levados em dez vôos?

Nonato

O problema é que há muitas empresas aéreas.
Os passageiros se diluem.
As empresas poderiam fazer parceria.
Juntarem duas, três empresas e mandarem todo mundo num único A 380.

BILL27

Pode ter certeza que o 747 encerra a produção antes do A-380.

Stene Nilton

Muitas vezes, os comentários são tão bons quanto as matérias. Galera alto nível. Só observo.

Jean-Marc Jardino

Aqui na Europa, ja se fala, que o grupo AF e Lufthansa irao tambem fazer mais encomendas do A380, afim de garantir sua producao ate 2030, qdo a Airbus devera finalizar a producao de modelo, e focar em outro modelo mais moderno e economico.

André Luiz.'.

Nonato 19 de Janeiro de 2018 at 0:25 “Por que saírem 20 vôos diários são Paulo nova Iorque se os mesmos passageiros poderiam ser levados em dez vôos?” — Porque, hipoteticamente, uma frequência de 20 voos diários em aviões que tenham custos logísticos totais menores que o do A-380 também seja comercialmente mais atraente (até para os próprios passageiros!, que teriam mais opções de horários de voo!)! Essa discussão é antiga. A Airbus apostou no paradigma de um crescimento do tráfego de passageiros que valorizasse o uso dos grandes hubs, onde a operação de aeronaves ‘gigantes’ (para 400-500 passageiros) como… Read more »

Rinaldo Nery

Nonato, 00:27h.
Isso já existe. Chama-se codeshare.

Rui Chapéu

Nonato 19 de Janeiro de 2018 at 0:25 As empresas poderiam fazer parceria. Juntarem duas, três empresas e mandarem todo mundo num único A 380 *Mais fácil fazerem cartel e cobrarem o dobro por metade dos voos. Geralmente é o que acontece. ——————————————————- Jean-Marc Jardino 19 de Janeiro de 2018 at 9:34 Aqui na Europa, ja se fala, que o grupo AF e Lufthansa irao tambem fazer mais encomendas do A380, afim de garantir sua producao ate 2030, * Ou seja, França e Alemanha subsidiando de uma forma o A380. O mercado é soberano, só vai prolongar o inevitável assim… Read more »

Mateus

@OFF

E a nova proposta da Boeing? Pagar 6 bilhões de dólares e o Governo continua com o Golden Share.

Vai ser a mesma coisa, com mandos e desmandos por parte da Boeing + a pressão dos Estados Unidos. O Governo vai ser um cachorrinho da Boeing.

Carlos Alberto Soares

” O A380 percorre 8.200 milhas náuticas (15.200 km) ” Sugestão para VC 1 no GTE. (rs) JJJ Ambas são “acionistas” da AIRBUS de forma indireta. A Mama soltou uma nota estes dias afirmando que iria encerrar a produção. Dr. Mundico 18 de Janeiro de 2018 at 20:25 Concordo, menos a parte da Boeing. MATHEUS 18 de Janeiro de 2018 at 19:14 Com o tempo vão virar tudo (F), BILL27 19 de Janeiro de 2018 at 1:10 Em que ano iniciou-se a produção do 747 e quantas unidades totais produzidas até hoje ? Quantas versões com avanço das tecnologias empregadas… Read more »

Carlos Alberto Soares

A 380 de A a Z:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Airbus_A380

André Luiz.’. 19 de Janeiro de 2018 at 10:08

Assino junto.

Carlos Alberto Soares

excepcional *

Últimas Notícias

Nova foto do caça furtivo embarcado J-35 da China

Vazou uma nova foto do caça embarcado furtivo J-35 da China, que voou no final de outubro. Na imagem,...
- Advertisement -
- Advertisement -