Home Armée de l´air França acelera entregas do Pilatus PC-21

França acelera entregas do Pilatus PC-21

2050
20
Pilatus PC-21 para a França

A França parece ter acelerado a entrega de 17 turboélices Pilatus PC-21 de alta velocidade que funcionarão como aeronaves de treinamento para a sua Força Aérea

A Babcock Mission Critical Services France está fornecendo o avião para o Ministério da Defesa do país sob os termos de um contrato de 11 anos e 500 milhões de euros (US$ 600 milhões) conquistado no ano passado.

Porém, todas as 17 aeronaves serão entregues nos próximos 18 meses, indica Babcock.

“Após as mudanças feitas pelo cliente para o cronograma do programa, antecipamos a aceitação formal desses ativos no próximo exercício”, disse a Babcock em uma atualização comercial para o exercício de 2017-2018, que começou em 1 de abril.

Um primeiro voo de teste do PC-21 inicial já ocorreu, acrescenta. A Babcock espera que o governo francês concorde com os arrendamentos cobrindo a aeronave durante o período financeiro 2018-2019.

Também estão incluídas no projeto FOMEDEC uma nova instalação de treinamento para fornecer simuladores e equipamentos de planejamento e debriefing de missão, além da entrega de suporte de vida útil para a frota de aeronaves.

FONTE: Flight Global

20
Deixe um comentário

avatar
20 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
11 Comment authors
Mauricio R.Rinaldo NeryJT8DzorannGCCTallguiese Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Charles Mattioda
Visitante
Charles Mattioda

Cada vez estou mais cismado, esses aviões parecem copias do Tucanos. Americanos, franceses etc…

Walfrido Strobel
Visitante

A França vai ficar com os Cirrus SR20/22 e Grob G120A na instrução primária e básica, ambos terceirizados no projeto CATS e agora os PC-21 tambem terceirizados em substituição aos velhos Tucanos ja afastados e os TB-30 ainda em uso, ambos anos 80.

Walfrido Strobel
Visitante

Em relação ao post acima vou dar uma pesquisada melhor, pois em uma fonte achei que o PC-21 vai substituir o TB-30 de 1984 que competou 500.000 horas de voo na França e outra diz que substituirá os AlphaJets na instrução de caça. Hoje com a aposentadoria dos Tucanos a seleção dos cursos é feita no Grob G120A e os caçadores voam TB-30 no curso pré caça e AlphaJet no curso de caça e os destinados ao transporte voam o G120A no pre transporte e Xingu no curso de transporte. Chegaram a conclusão de que não valia a pena dar… Read more »

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Charles, a Pilatus já produzia o PC-7 antes do EMB-312 ser uma realidade.
.
Aliás na aviação, depois que uma solução se solidifica, ninguém se arrisca muito a fugir da fórmula que está dando certo. É assim com as os cargueiros, treinadores, aviação civil e até helicópteros. Só caças é que se vê alguma inovação de tempos em tempos.

Walfrido Strobel
Visitante

O site Defens-Aero diz que a Dassault tambem participa do programa.
“Pour rappel, ce contrat d’une durée de 11 ans a été signé avec l’entreprise britannique Babcock Mission Critical Services France (BMCSF) et Dassault Aviation, qui seront chargés de mettre en oeuvre ces avions, et d’assurer le soutien technique auprès des aviateurs français.”

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

E nós ? AFA ?

Walfrido Strobel
Visitante

Carlos Alberto Soares, a AFA usa aeronaves ja meio destualizadas, precisando troca ou modernização dentro de alguns anos, mas que vão dando conta do recado. Na instrução primária e básica usa o Neiva T-25 fabricado de 1966 a 1978, apesar da idade é um bom avião com alta disponibilidade mesmo sem modernização, os que voam hoje são menos de 1/3 dos fabricados em melhores condições. Na instrução avançada usam o Embraer T-27, desde 1983 sem modernização, foi fabricado até 1996 e hoje como o T-27 foi retirado das outras unidades, os melhores T-27 que sobraram estão voando na AFA, vai… Read more »

Walfrido Strobel
Visitante

Esta evolução citada pelo Clésio Luiz ocorreu de forma gradual após a era T-6 dos motores radiais, antes do Tucano o Beech T-34A/B Mentor com motor 4 cilindros boxer dominava o mercado de instrutores e decidiram colocar um motor turbohélice, gerando o T-34C Turbo Mentor. A Pilatus que fabricava o PC-3 a pistão 4 cilindros boxer usado pela Suiça e Marinha do Brasil colocou também um motor turbohélice, fazendo o PC-7, que foi um sucesso. O Brasil que chegou a pensar em um T-25 remotorizado optou por fazer um novo avião, nascendo o EMB-312 Tucano já turbohélice com assentos em… Read more »

Gustavo
Visitante
Gustavo

o TC-X com a Neiva não vão sair?
A AFA está precisando para ontem é do TC-X pra aposentar os cansados T-25.

E com relação aos T-27, tb acredito que poderia ser reprojetado com novos materiais, glass cockpit e menor custo de manutenção. Esse vale a pena o esforço… e se não sair, aí que venha uma modernização para aguentar mais uns 15 anos ao menos.

Walfrido Strobel
Visitante

Gustavo o projeto é T-Xc e é da Novaer, que recebeu recursos do FINEP para desenvolver o protótipo, mas ainda não se faz necessária a troca do T-25, apesar da sua idade.
A disponibilidade ainda é alta e a FAB não divulgou nenhuma intenção de comprar novos aviões neste momento de crise.
A Neiva é outra empresa que pertence a Embraer que produz o Ipanema agrícola.

Tallguiese
Visitante
Tallguiese

O Pc-21 é uma maravilha e ja começou a vender bem! Um novo tucaninho agora é tarde demais pra vir acho eu. Melhor seria modernizar os T-27 que estao ai ja que tem muita unidade retiradas de serviço que devem estar sevindo de fonte de peças e mantendo a frota existente disponivel! O tucaninho e muito confiavel e modernizado então teria mos treinador por muito tempo. Ja os T-25, enquanto tiver mecânico e peças no mercado ainda vai longe.

zorannGCC
Visitante
zorannGCC

Olá a todos! . O Galante postou exatamente oque eu ia perguntar… . Será que não seria a hora de a Embraer ressuscitar o Tucaninho? Os Tucanos estão sendo aposentados ao redor do mundo e a Embraer não tem um produto para substitui-los. Caso a Embraer não tenha interesse, não seria interessante uma parceria com a Novaer, para que esta desenvolvesse uma versão moderna do Tucano? Existe mercado para este tipo de aeronave e em pouco tempo (acredito que em 1 ano, no máximo 2) um Tucano moderno poderia estar disponível. Tucano é uma marca relevante no mercado. . Outra… Read more »

JT8D
Visitante
JT8D

Não sei se valeria a pena para Embraer ressuscitar o Tucano. Com todos esses anos fora do mercado, o Texan II ganhou espaço e tem também o avião da KAI (coreano). Talvez fosse interessante permitir a fabricação sob licença, se surgir algum interessado

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Os T-27 dos Terceiros foram repintados e estão na AFA há anos. O PAMALS, Parque responsável pelo projeto, possui alguns em sua dotação, a fim de controlar a diagonal de manutenção da frota. Não há T-27 em outro lugar (exceto no GEEV).

zorannGCC
Visitante
zorannGCC

Obrigado Rinaldo Nery

Walfrido Strobel
Visitante

ZorannGCC, quanto a modernização que vc perguntou para os T-27, existe e é feita na CIAC da Colombia, certificada pela Embraer.
. http://www.aereo.jor.br/2014/10/05/videos-sobre-a-modernizacao-dos-avioes-t-27-tucano-da-colombia

Walfrido Strobel
Visitante

Sobre como ficará a instrução na França com a chegada dos PC-21: O TB-30 e o AlphaJet vão sair da instrução, ficando com o Cirrus SR20/22 na instrução primária e básica, o GrobG120A na avançada onde será feita a seleção de especialidades e o PC-21 na instrução de caça, todos os aviões terceirizados. Formarão na primeira turma com os PC-21 quando estiveres todos operacionais 30 aviadores da Força Aérea, 10 oficiais de armamento e navegação, 10 pilotos navais e 10 operadores de UAVs. Como muitos países eles entendem que o operador de um UAV deve ser um piloto de caça,… Read more »

Mauricio R.
Visitante

É o mesmo caso da substituição dos Bandeirantes e Brasílias da FAB, os prováveis substitutos já se encontram disponíveis no mercado..
Não há a necessidade de se criar nada novo, menos ainda de reinventar a roda.
Qnto a Novaer, mada eles se provarem antes no mercado civil.

Walfrido Strobel
Visitante

Mauricio R. 24 de setembro de 2017 at 10:20 Maurício, a Novaer partiu de um conceito duvidoso, lançar um avião de instrução militar e um utilitário para o mercado civil a partir de uma mesma base. . A Fuji do Japão fez algo parecido, onde usando mesma base fizeramo Fuji T-7, um instrutor primário e básico biplace em tandem para a JASDF que na sequencia usa o Kawasaki T-4(AlphaJet japonês) e o Fuji T-5 um instrutor e utilitário para a JMSDF, o motivo foi a Marinha fazer questão de uma aeronave de instrução com instrutor e aluno lado a lado… Read more »