Home Aviação de Caça Dança com Raptores: Su-35 versus F-22

Dança com Raptores: Su-35 versus F-22

17862
91
Sukhoi Su-35

Os caças russos Su-35 estão sendo considerados como a maior ameaça para os aviões americanos F-22 Raptor e F-35 Lightning II. O colunista da Sputnik Andrei Kots comentou as razões por que o avião russo atrai a atenção e causa preocupação dos analistas estrangeiros

A “rivalidade à distância” entre os Su-35 russos e os caças de 4ª geração ocidentais é um tema popular nos debates e artigos nas mídias especializadas americanas e russas — a própria Sputnik compartilhou em mais de uma ocasião a opinião de vários autores sobre o tema.

O “consenso geral” atual, expresso pelo analista militar Sebastien Roblin em um artigo para a edição The National Interest, consiste em que, embora os Su-35 russos representem o auge da tecnologia da 4ª geração e superem os outros aviões da sua classe e da sua época, não dá para saber se suas capacidades são suficientes para se defrontarem com os caças furtivos americanos, especialistas em ataques furtivos a partir de grandes distâncias.

O colunista da Sputnik Andrei Kots deu forma ao tema e estudou como se comparam as vantagens dos dois “rivais” ou, mais amplamente, pôs em foco as duas abordagens muito diferentes para com o combate aéreo.

Deste modo, a questão é a seguinte: qual é a estratégia mais adequada no moderno combate aéreo — o combate de proximidade ou de distância?

‘Franco-atiradores’ contra ‘esgrimistas’

O foco central do debate é a elevada capacidade de manobra dos caças Su-30 e Su-35 em comparação com a aposta dos F-22 nas tecnologias furtivas (“stealth” em inglês) e nas armas de longo alcance.

“Em linguagem metafórica, o F-22 americano é um ‘franco-atirador’ que deve se aproximar da zona do inimigo sem que este o detecte e atacá-lo à distância sem que se estabeleça um contato visual”, explica o jornalista.

As aeronaves russas, por sua vez, são “esgrimistas” capazes de evitar os mísseis do oponente, encurtar rapidamente a distância e entrar em combate aéreo de proximidade, no qual “sua alta capacidade de manobra permite derrotar qualquer inimigo”, esclareceu Kots.

As elogiadas capacidades furtivas dos F-22 e F-35 não garantem que seja “indetectável” no confronto a curta distância, sublinham tanto Kots como Roblin, dado que o Su-35 pode utilizar não só os seus próprios radares, mas também usar os dados fornecidos por radares muito mais potentes, sejam aéreos ou terrestres.

“O combate aéreo moderno consiste em duas etapas”, explicou à Sputnik Vladimir Popov, condecorado piloto militar russo e general de brigada.
“Na primeira fase, a aeronave detecta o inimigo a longa distância e lança um ataque com um míssil ar-ar de longo alcance. [Estes projéteis] são potentes, mas sem garantias de derrubar o adversário, sobretudo se este é dotado de equipamentos radioeletrônicos modernos de interferências deliberadas”, pormenorizou.

Na segunda fase, os dois caças se aproximam um do outro e aí começa um combate de proximidade com o uso de mísseis de curto alcance e de canhões aéreos. Neste sentido, as vantagens da alta capacidade de manobra se demonstram na sua plenitude, comentou o piloto.

F-22 Raptor

Para que servem os truques acrobáticos no céu?

Os motores russos com impulso vetorial omnidirecional são reconhecidos entre os melhores no mundo, permitindo aos pilotos manejar o avião como querem e realizar as manobras de pilotagem mais complexas com uma sensatez surpreendente, afirma Kots.

“A pilotagem demonstrada nas feiras aeronáuticas não é apenas ‘show’. Na realidade, são manobras de combate aéreo próximo ou ‘dogfight”, sublinha.

Por exemplo, a espetacular circulação “em suspensão”, de fato, permite escanear rapidamente o espaço próximo com o radar localizado na parte frontal da aeronave, enquanto a conhecida cobra de Pugachev pode ser usada para confundir o perseguidor a curtas distâncias ou “desaparecer” dos radares baseados no efeito Doppler.

Felizmente, nunca houve uma ocasião que permitisse comparar as duas abordagens em um combate real, escreve Kots.

Não obstante, nas manobras conjuntas, os caças Su-30MKI exportados para a Índia, dotados de motores que permitem grande manobrabilidade, ultrapassaram os F-16 e F-15 americanos em 2005 e os aviões Eurofighter Typhoon britânicos em 2015.
De acordo com Popov, as vitórias dos pilotos indianos se devem ao fato dos seus oponentes não esperarem táticas de combate pouco convencionais oferecidas pela alta capacidade de manobra dos caças russos. É uma coisa perante a qual, de fato, não sabem como reagir.

Todos os caças russos modernos possuem elevada capacidade de manobra: o Su-30SM, o Su-35 e o MiG-35, assim como os protótipos do caça de 5ª geração, o T-50, que atualmente está dotado do mesmo motor que os Su-35.

Sukhoi Su-35

FONTE: Sputnik

Subscribe
Notify of
guest
91 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
ARC
ARC
3 anos atrás

Interessante fazer a comparação colocando o Su-35 dentro da doutrina russa frente ao F-22 ao invés de colocar os caças destacados em confronto. O problema ao meu ver é o Su-35 ficar na dependência de um disparo para descobrir a localização do F-22, ou então depender dos radares em terra para receber a sua posição, isso torna o combate arriscado.

Renan
Renan
3 anos atrás

Ambos tem vantagens, mas custo beneficio somente o Russo é viável, pois é mais barato para comprar e operar.
Logo acaba se tornando a melhor escolha para um país como o nosso.
Pois vejo o Gripen como a espinha dorsal, umas 100 unidades operando ae daria para ter alguma sereja do bolo para outras aplicações.
Como uns 12 SU 34 e uns 24 SU 35. É de impor respeito.
Abraços

Hawk
Hawk
3 anos atrás

Vindo da Sputniknews até o MIG-21 é a maior ameaça dos F-22!
É a velha história da propaganda, assim como os americanos fazem com suas “mega-power-armas-futurísticas” do tamanho de um trem.
Só num cenário de guerra real dá pra saber realmente a extensão de danos de uma nova arma. O que dá medo é que parece que todos estão ansiosos para testar tais armas.

carcara_br
carcara_br
3 anos atrás

Muito legal, quanto ao F-35 eu até concordo, porém o f-22 também entra na categoria super manobrável…

Se fosse Formula 1 diria que o F-22 e o SU-35 e Pak-fa então na primeira linha com a habilidade do piloto tendo uma enorme influência na decisão de um combate a curta distância. Já o F-35 e demais ficam no segundo pelotão, se chover ou o piloto cometer um erro muito grande eles entram na briga…
Não me arrisco dizer se os russos conseguiriam ou não se aproximar…

Walfrido Strobel
3 anos atrás

Claro que interessa aos EUA conhecer o Su-35 de perto, não é a toa que deslocam seus melhores aviões do Alaska para a Malásia a cada dois anos para fazer combates simulados no exercício Cope Taufan com os Su-30 malaios.
A Malásia tambem usa os seus F/A-18 modernizados, os Mig-29 e Hawk com radar AN/APG-66 do F-16A.
Vídeo de 2014 onde deslocaram os F-15 e os F-22, engraçado que não podemos fazer uma Cruzex por falta de $$$ e mundo afora continuam os exercícios, é a crise…
. https://m.youtube.com/watch?v=2NJRgdSNbQI

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
3 anos atrás

O que dizer? A matéria é absolutamente risível, bem ao padrão Sputnik de propaganda russa histérica. E como de costume tenta empurrar goela abaixo do incauto leitor que as piruetas de show aéreo seriam úteis em DF. A afirmação de que o “cobra de pugachev” engana os radares Doppler é igual você fazer menção à um aparelho de fax nos dias de hoje pois praticamente todos os caças ocidentais hoje em dia saem de fábrica com radares AESA. E o que dizer dos “12×0” dos indianos sobre a RAF. E no que diz respeito ao Cope Índia sugiro a leitura… Read more »

Andre
Andre
3 anos atrás

O su-35 é tão bom, mas tão bom que o russos ainda estão tentando deixar seu primeiro caça stealth operacional. Já houve combate entre o su-27 (e/ou seus filhos) e algum avião ocidental?

ARC
ARC
3 anos atrás

Esse negócio de superioridade é relativo demais, creio que dentro do territorioterritório russo ou em suas fronteiras, o Su-35 teria todo o aparato militar russo linkados a ele, ampliando exponencialmente suas capacidades, mas isso não garante vitória, apenas aumenta as chances de vitória. A situação do F-22 é mais confortável pois o mesmo poderá disparar mísseis de longa distância para evitar os numerosos e poderosos radares russos, que poderiam fornecer uma solução de tiro ou mesmo condenar sua posição se o mesmo se aproximasse muito, isso deixa as coisas mais agradáveis pro Raptor.

Carlos Eduardo Maciel
Carlos Eduardo Maciel
3 anos atrás

Alexandre Galante …

O REI MASTER ULTRA POWER MEGA BLASTER das TRETAS !!!

Este homem só tem um propósito com essa semana de matérias.

CRIAR TRETAS !!!
kkkkkkkkkkkkkkkk … morrendo de rir aqui !!! 🙂 🙂 🙂 🙂

Diêgo Luiz
Diêgo Luiz
3 anos atrás

Tireless, procurei no PA a palestra e até pelo nome do Cel e não achei, podes enviar o link por gentileza?

Alex Nogueira
Alex Nogueira
3 anos atrás

Enfim, são tantas variáveis que tudo pode acontecer… é o que eu sempre digo, o F-22 e F-35 podem ser super letais em tese, mas dependem dos mísseis BVR cumprirem sua função e dependem também de que superem as contra medidas eletrônicas dos rivais… ou seja, se o míssil não acerta, não tem abate… se for utilizar algum tipo de canhão orgânico vai precisar se aproximar, dai fica em tese tudo igual… *Espero que nossos Gripens venham “completos” com todo recheio eletrônico possível, com todas ECMS, decoys rebocados e o que der mais para equipar, e claro, que venha o… Read more »

J.Silva
J.Silva
3 anos atrás

“Por exemplo, a espetacular circulação “em suspensão”, de fato, permite escanear rapidamente o espaço próximo com o radar localizado na parte frontal da aeronave” .
.
Ele está se referindo à manobra aos 7 min do vídeo?

J.Silva
J.Silva
3 anos atrás

Sobre a matéria, o que eu interpretei é que os próprios analistas e militares russos afirmam que, contra um 5ªg, o Su-35 é apenas reativo, ele sempre será atacado primeiro por uma salva de BVR, na primeira etapa do combate o F-22 ou F-35 leva vantagem. . Se seu RWR, ECM e capacidade de manobra ou a própria deficiência do BVR adversário possibilitar que ele sobreviva ao primeiro ataque, aí sim, segundo os russos, ele poderia contra-atacar, primeiro com seus próprios BVR, enquanto reduziriam rapidamente a distância para um combate visual, e como tem uma persistência de combate maior, inclusive… Read more »

Silva
Silva
3 anos atrás

Segundo a SAAB, o Gripen NG será o avião de combate mais avançado da quarta geração e o Brasil ao meu ver fez sim a escolha mais sensata para a nossa realidade orçamentária, além do repasse de tecnologia e aprendizado para o país nessa área que não dominamos ainda. Mas como a Rússia, para poder equilibrar a balança comercial com o Brasil, só nos tem a oferecer armamento em troca, não seria nada mal vir algo entre 18 e 24 SU-35 para a Força Aérea ou então virem ao menos uns 24 MI-28 para o Exército Brasileiro. Até onde sei,… Read more »

Paulo Jorge
Paulo Jorge
3 anos atrás

Índio acha que pode tudo com arco e
Flecha até conhecer a pancada do canhão.

Leandro Costa
Leandro Costa
3 anos atrás

Essa ladainha de aquisição de aeronaves russas já deu o que tinha que dar. Não estou dizendo que são aviões ruins, mas que são CAROS PARA O BRASIL OPERAR. As pessoas só pensam nas especificações técnicas do fabricante e esquecem o quanto essas aeronaves gastam de combustível, o quanto a infra-estrutura terá que ser aumentada para o uso dessas aeronaves, o quanto de equipamento diferente terá que ser instalado para que ela possa ‘conversar’ com todas as outras aeronaves no nosso inventário, o quanto vai custar abrir novas linhas logísticas, o quanto teremos que gastar de armamentos exclusivos para essas… Read more »

celso
celso
Reply to  Leandro Costa
1 ano atrás

Aleluia, alguém falou coisa com coisa, valeu Leandro

W.K.
W.K.
3 anos atrás

Leandro.

É que tem gente que acha que o Estado é uma espécie de vaca que pasta no céu e dá leite na terra.

Então, obviamente, estes pequenos detalhes são irrelevantes.

Farroupilha
Farroupilha
3 anos atrás

“Por exemplo, a espetacular circulação “em suspensão”, de fato, permite escanear rapidamente o espaço próximo com o radar localizado na parte frontal da aeronave” Enquanto isso a energia cinética fica em suspensão também… Claro que os caças e mísseis do inimigo agradecem demais esse alvo em suspensão. E, não esquecendo que com essa incrível manobra os AWACS perdem sua importância e necessidade na arena da guerra aérea moderna, assim os russos já podem abrir mão de seus awacs. Já que os caças Sukhois em pleno combate aéreo podem se dar ao luxo de ficarem girando em queda livre controlada no… Read more »

Gallina
Gallina
3 anos atrás

Ai meu Deus… Primeiro, que não existe nenhum tipo de evidência concreta de que todos os mísseis BVR (ou a maioria deles) seriam derrotados por ataque eletrônico. Qual tipo de ataque, despistamento ou interferência bruta ? Usando técnicas via DRFM ? Mesmo com uma defesa automatizada pelo caça, haveria tempo hábil para interferir na cabeça de guiagem do míssil ? Segundo, se a premissa for verdadeira, esse Pterossauro russo seria a última opção para um combate WVR. Sua gigantesca assinatura visual seria fatal. Ainda: após HMD e mísseis de quarta/quinta geração, manobras WVR continuam com a mesma importância de antes… Read more »

Gallina
Gallina
3 anos atrás

6 e não 12 horas…

August
August
3 anos atrás

Comparar um su-35 com um f-22 ou qualquer caça de 5 gen é como compara um f-15 com um mig-21 ou com um f-4 kkkkkk que idiotice, é claro que um avião de 4,5 gen reduz muito a vantagem que um de 5 gen tem de um de 4° mas continua sendo de uma geração inferior f-22 >> su-35 e todos de geração abaixo sendo russo,europeu ou marciano

WSMDAL
WSMDAL
3 anos atrás

Don’t Think the F-35 Can Fight? It Does in This Realistic War Game
The Joint Strike Fighter and Russia’s best warplane face off in a simulated battle

https://medium.com/war-is-boring/don-t-think-the-f-35-can-fight-it-does-in-this-realistic-war-game-fc10706ba9f4

Paulo
Paulo
3 anos atrás

Quanta besteira. Mds.

Tamandaré
Tamandaré
3 anos atrás

J. Silva: “Sobre a matéria, o que eu interpretei é que os próprios analistas e militares russos afirmam que, contra um 5ªg, o Su-35 é apenas reativo, ele sempre será atacado primeiro por uma salva de BVR, na primeira etapa do combate o F-22 ou F-35 leva vantagem.” – Concordo meu caro!! Tem gente aqui enxergando caroço em todo angu que pega. Eu, particularmente, acredito que uma força aérea deva ser dimensionada de forma equilibrada, entre aeronaves como Su-30/35 e F-22/35. É muito bom dispor de aviões furtivos e tecnológicos como o Raptor, mas são caros demais e tem seus… Read more »

sergio ribamar ferreira
sergio ribamar ferreira
3 anos atrás

não constatei nenhum menosprezo pelo F22, pelo contrário as aeronaves em si possuem especificações definidas. falando em realidade financeira, tudo é caro. Peças, manutenção, conhecimento. se quisermos algo bom temos de pagar, s seguir doutrina. infelizmente sempre a xaropada dizendo que tem que economizar(contigenciamento). Faz-se na Educação, Saúde, Segurança Pública, Saneamento Básico, Forças Armadas, porém os tributos cada vez mais altos e o dinheiro usado para trambicagens, corrupção, compra de refinarias ultrapassadas, doação de refinarias(Bolívia nacionalizou=roubo) e outras tantas mazelas dos últimos 25 anos. quer Sukoy 30 tem de comprar, quer F 16, tem de comprar, quer F18, tem de… Read more »

sergio ribamar ferreira
sergio ribamar ferreira
3 anos atrás

Boas aeronaves, Concordo com todos. Minha revolta é profunda em termos ainda que usar aeronaves de 2ª e 3ª gerações, porém o Gripen se for realmente colocado em prática à construção(sem atrasos e contingenciamentos) dará uma respiração para a FAB. Torço.

WSMDAL
WSMDAL
3 anos atrás

Interessante…

Operational Assessment of the F-35A Argues for Full Program Procurement and Concurrent Development Process

http://www.heritage.org/defense/report/operational-assessment-the-f-35a-argues-full-program-procurement-and-concurrent

Marcelo Bardo
Marcelo Bardo
3 anos atrás

Muito achismo russo. Acredito que o Su-35 não seja páreo para os stealths americanos. Ainda creio que fique atrás dos rivais europeus.

sergio ribamar ferreira
sergio ribamar ferreira
3 anos atrás

Errata: Não…Quer SUKOY…Nada sai de graça…Manutenção…Comprar aeronaves…Piada…Mentalidade terceiro mundista…Tem dinheiro…Politicagem que não dá o mínimo para o básico…então temos de ter…Obs:..Governo do Estado do Rio de Janeiro…mais Prefeitura do interior…Vergonha!

Ricardo
Ricardo
3 anos atrás

Um operacional há décadas, o outro nem pronto está. Fanboys do Putin chorando 321…

ARC
ARC
3 anos atrás

Tem gente viajando em alguns comentários, ngm falou nada de comprar Su-35 pro nosso país, esse hipotético comflito levantadona matéria é para comparar o Su-35 e o F-22, não tem nada a ver com Brasil. Outro aspecto que alguns deixam de lado (por favoritismo ou por mero ausência de vontade em retratar) é que existe sempre uma logística ao redor dos caças num hipotético conflito, e que tanto o Su-35 quanto o F-22 não voam as cegas por suas próprias capacidades, mas são apoiados por diversos meios, desde radares em terra até satélites, assim, quem estaria na vantagem num eventual… Read more »

Leandro Costa
Leandro Costa
3 anos atrás

ARC, ninguém falou nada de comprar SU-35? Leia os comentários então…

Bosco
Bosco
3 anos atrás

O autor faz comentários relativizando a capacidade do F-22: -“As elogiadas capacidades furtivas dos F-22 e F-35 não garantem que seja “indetectável” ” -“a aeronave detecta o inimigo a longa distância e lança um ataque com um míssil ar-ar de longo alcance mas sem garantias de derrubar o adversário, sobretudo se este é dotado de equipamentos radioeletrônicos modernos de interferências deliberadas” – De outro modo sobre o Su-35 seus comentários são altamente afirmativos: -“As aeronaves russas são “esgrimistas” capazes de evitar os mísseis do oponente” -“sua alta capacidade de manobra permite derrotar qualquer inimigo” -“O combate aéreo moderno consiste em… Read more »

Bosco
Bosco
3 anos atrás

Análise desse famoso “quem” especialista da Sputnik e essa, eu fico com esta: https://tecnomilitar.wordpress.com/2017/03/04/f-35-vs-su-35s/

Ivanmc
Ivanmc
3 anos atrás

Bosco 29 de julho de 2017 at 20:17.
.
Belo informativo.
………………………………………………………..
Eu creio que na arena de combate a capacidade furtiva seria a melhor tática, porém não pode-se errar o primeiro disparo, em tese. E por aí vai…
Mesmo gostando dos Flankers, a capacidade de invisibilidade é real do Raptor. Tudo é suposição, baseado em dados.

Bosco
Bosco
3 anos atrás

Se algum comentário for no sentido de dizer que os sistemas ECMs russos ou sua manobrabilidade não vão funcionar 100% das vezes logo logo chega alguém e diz: por que vocês odeiam tanto os russos?
Ou: por que vocês acham que os russos não são capazes de fazer pods ECM capazes de desviar os mísseis americanos? E invariavelmente vão citar o F-117 derrubado.
Ou: por que vocês acham que os amraams são mísseis infalíveis? E vão citar o R-73
Ou seja, simplesmente não dá!!

Bosco
Bosco
3 anos atrás

Ivanmc,
Em tese um caça furtivo pode errar o primeiro míssil, lançar o segundo e se errar ainda dá tempo de se evadir sem ser obrigado a partir para a “fatídica” segunda fase.

Ivanmc
Ivanmc
3 anos atrás

Bosco 29 de julho de 2017 at20:54.

É isso mesmo. Se o Raptor errar os disparos, em tese, a longa distância ele vai evadir-se não vai colocar tudo em risco em um dogfight com o Su-35. Por outro lado o Su-35 tem alguma capacidade BVR mais extraordinária que os caças de 4g++, até para cobrir o território Russo. Sempre em tese, em minha opinião é claro. A realidade é muito mais complexa que a minha vã filosofia.

Sérgio Luis
Sérgio Luis
3 anos atrás

Suposições em análises sobre quem é o melhor raptor vai dar muito pano pra manga!
Mas se houver um confronto entre Rússia e EUA vcs acham que eles vão ficar duelando com caças?
Comecem a ler sobre o poder de destruição mútua garantida do Minuteman e Satan 2 !!

Silva
Silva
3 anos atrás

Leandro Costa, Desculpe, não concordo. Quer saber o custo disso tudo? Seria um troco de bala, perto dos cerca de 200 bilhões de reais que o país perde todos os anos com a corrupção. Sem falar nos impostos absurdos. Pagamos impostos de uma Suíça e recebemos de volta o equivalente de uma Etiópia. Esse papo de que o Brasil não tem dinheiro só cola com o povão ignorante e desinformado. Só no rombo da Petrobras, os procuradores da Lava Jato estimam desvios entre 30 e 40 bilhões. Com todo o dinheiro do “orçamento” anual da corrupção, seria mais do que… Read more »

Gallina
Gallina
3 anos atrás

Bosco 29 de julho de 2017 at 20:14
Pois é. E teve gente que não viu nada demais. Eu iria até colacionar partes do texto, mas não tive estômago.
Abraços

teropode
3 anos atrás

O cara eh um especialista em contar lorotas , kkkkk, na verdade ele ganha pra promover este caça que nasce com vinte anos de atraso , ele deveria ser comparado ao F15 e Rafale , mas nao causa estranheza esta sputnice , certamente perceberam que nao poderao comparar o pak fa ao F22 pois o pak fa ainda vai demorar ! #esperarrussosehruim

Diogo de Araujo
3 anos atrás

Só pode ser piada, SU- XX os caças que NuNcA derrubaram um falcon sequer, mas tem fama de serem um p… Caça!

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
3 anos atrás

Depois que inventaram misseis IR com capacidade all aspect não há manobra que salve alguém, a não ser um bom sistema de autodefesa (chaff, flare, DIRCM etc.). Tiro canhão? Desde o Vietnan não se usa mais.

Flanker
Flanker
3 anos atrás

Se aquela “paradinha” que o Su-35 dá no ar, nos shows aéreos, fot de fato uma manobra de dogfight, é um alvo perfeito! Imagina, um avião daquele tamanho, parado por uns segundinhos…..aí até de canhão, Cel. Nery!!
O caça russo é fantástico, com certeza. Mas a matéria é uma propaganda…..mais uma da sputnik. Normal, vindo dela.

MadMax
MadMax
3 anos atrás

Putz quanta asneira, esse cara nunca ouvi falar em HMD?

italo souza
italo souza
3 anos atrás

Eita pessoal que chora, o giro em torno do próprio eixo em vôo sustentado é ainda quando o caça inimigo está muito longe e aí o SU35 nesta manobra tem a capacidade de escanear quantos adversários são e quais capacidades eles tem. Mísseis BVR tem um falha, a manobra da cobra citada explora essa falha, oque consiste a falha ? Alguém lembra oque os britânicos usavam para confundir os radares alemães na WWII ? Pois é, tratasse de quebras no espectro, a cabeça do míssil ia começar a ver coisas que no deveria or até perder por instantes o alvo… Read more »

Mario Navarro
3 anos atrás

The Biggest threat to the F-35 & F-22, from the Russian side, will be the PAK FA and not the 4th Generation SU-35???

Guilherme Lins
Guilherme Lins
3 anos atrás

toda a matéria vai contra a logica. Se os su-35 são plenamente capazes perante a quinta geração, por que o PAK FA então? lembrando que os russos não nadam em dinheiro para se dar ao luxo de apostarem fixas em um projeto cujo outro caça seria capaz de fazer. Eles sabem da necessidade do desenvolvimento da quinta geração porque nunca antes estiveram tão atrasados em relação ao ocidente, que ja começou testes de caças não tripulados ( 6° geração ) EMBARCADOS! E isso de ser uma verdade absoluta que o su-35 é “o caça da quarta geração” não passa de… Read more »