Home Conflitos em andamento Base aérea atacada pelos EUA na Síria volta a operar menos de...

Base aérea atacada pelos EUA na Síria volta a operar menos de 24h após ser alvo de mísseis

13902
14
Dois Su-22 aparantemente intactos na Base Aérea de Shayrat após o ataque com mísseis Tomahawk – Foto: Mikhail Voskresenskiy/Sputnik via AP

A base aérea de Shayrat, que foi alvo do ataque com mísseis realizado pelos EUA, voltou a operar menos de 24 horas depois do incidente. Dois aviões militares decolaram da base na noite desta sexta-feira (7, hora local síria), e realizaram bombardeios nos arredores, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

“Os equipamentos decolaram da base, que está parcialmente em serviço novamente, e atingiram alvos na região de Palmira.” A ONG não disse se os aviões eram sírios ou russos.

Uma fonte militar síria confirmou para a agência AFP que o Exército sabia da ação americana e “tomou precauções”, deslocando aviões da base aérea atacada. O governo americano confirmou ter avisado o governo russo antes de promover o ataque.

Antes, o próprio o Observatório Sírio indicou que o aeroporto teria ficado “quase inteiramente destruído: os aviões, a pista, o depósito de combustível e o edifício da defesa aérea foram pulverizados”.

As autoridades americanas informaram que os 59 mísseis Tomahawk tinham como alvo a base aérea de Shayrat, na cidade de Homs, de onde se acredita que partiram os caças que lançaram o ataque químico de terça-feira. Segundo o governo russo, apenas 23 dos mísseis atingiram de fato a base aérea, informação não confirmada pelos norte-americanos.

Su-22 dentro de um hangar reforçado na Base Aérea de Shayrat após o ataque com mísseis Tomahawk- Mikhail Voskresenskiy/ria novosti via AP

FONTE: UOL/AFP

14
Deixe um comentário

avatar
14 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
ScudBIvanBoscoEParroClésio Luiz Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Clésio Luiz
Membro
Active Member
Clésio Luiz

Todo esse caso me parece muito suspeito. Longe de mim querer tomar o lado de Assad, mas não faz sentido algum achar que ele ordenaria tal ataque. . Então, quem lucraria com isso? Bem, certamente os cortadores de cabeça do ISIS lucram, afinal as 33 cabeças que rolaram essa semana nem passaram na grande mídia, conveniente não? . Outro que lucra é Trump. Com toda a mídia esquerdista (lá nos EUA chamados de “liberais”) clamando por uma ação, Trump fez o que todo líder mequetrefe sul-americano faz em momentos de grande pressão interna: arranja um inimigo externo para desviar a… Read more »

EParro
Membro
Member
EParro

Clésio Luiz 7 de abril de 2017 at 19:45

Mas Clésio, não foi em 2013 que o Bashar lançou gás tóxico em Damasco? Qual teria sido a justificativa à época?

Bosco
Membro
Member
Bosco

Clésio, Mas porque a estupidez sempre está do lado americano de acordo com suas análises? Quer dizer que após 6 anos vendo seu país sangrar e se segurando no poder com unhas e dentes e tendo os russos apoiando o Assad é imune a cometer ações sem sentido e estúpidas? Salvo engano a história do mundo é recheada de ações e ordens estúpidas mas por que de acordo com você o Trump está mais afeito a cometer estupidezes que o Assad, acuado há 6 anos? Será que com centenas de assessores e toda a mídia esquerdista bombardeando o Trump diuturnamente… Read more »

Clésio Luiz
Membro
Active Member
Clésio Luiz

EParro, Assad tinha/tem armas químicas, não tem o que negar aqui. Mas também essas mesmas armas (ou parte delas) foram removidas da Síria sob a vigilância dos players internacionais e destruídas. Isso foi noticiado na época, mas parece que pouca gente se lembrou disso agora. Pode ser que Assad tenha retido a capacidade de produzir mais e usado recentemente? Claro que sim. Bosco, onde está no meu comentário que os EUA (Trump) agiram estupidamente? Eu disse que Trump se aproveitou da situação. Realizar esse ataque (embora pouco eficiente) teve ganhos políticos para ele. Isso para mim é esperteza. Espero que… Read more »

Bosco
Membro
Member
Bosco

Se o Assad disse que desarticulou ser arsenal químico então é verdade? E com a fiscalização da ONU e não escondeu nada? Todo mundo acredita. Também todo mundo acredita que uma “fábrica” de agentes letais existia bem no meio daquela cidade? Ou que foram atingidos depósitos de armas químicas com as armas burras do Assad e isso de forma puramente ocasional? Essa “fábrica” já existe a quanto tempo? Por que só agora foi atingida? Um alvo desses não tinha que ter sido prioridade no primeiro dia após ter ficado sabido a sua existência e ter sido identificado? Não era para… Read more »

Bosco
Membro
Member
Bosco

Jacek Wilki, Esse vídeo não mostra nada. Alguém inventou a possibilidade de mísseis Tomahawk serem interferidos por sistemas de guerra eletrônico mas é uma tolice. Os Tomahawks são autônomos e não utilizam sensores que possam ser interferidos. Para navegação eles utilizam GPS, mas na falha deste eles ainda têm o sistema inercial e o TERCOM. No final refinam a mira com o DSMAC, que é baseado em uma câmara CCD preto e branco de alta definição e compara com as imagens do alvo armazenadas. De noite o míssil liga lâmpadas estroboscópicas para poder ver o alvo. O míssil também pode… Read more »

EParro
Membro
Member
EParro

Clésio Luiz 8 de abril de 2017 at 10:27 “Eu disse que Trump se aproveitou da situação. Realizar esse ataque (embora pouco eficiente) teve ganhos políticos para ele. Isso para mim é esperteza. Espero que você e outros releiam meu primeiro post e analisem calmamente. . Tem um ditado que diz que numa guerra, a primeira vítima é a verdade. Eu estudo história a tempo suficiente para saber que nem tudo que aparece nos noticiários é verdade. O que faço é analisar o que vejo e depois tomo minhas conclusões. Posso estar errado, claro que sim.” Concordo com você em… Read more »

Bosco
Membro
Member
Bosco

Brasil acima de tudo, ” Só o Acre estaria a salvo dos Tomahawks” Você esquece que os americanos podem atacar pelo Pacífico. Levando-se em consideração um alcance de 2500 km do míssil Tomahawk nenhum ponto do Brasil estaria fora de alcance. O ponto mais distante de um Oceano (polo de inacessibilidade) está na China e dista 2648 km do litoral. 98% dos continentes estão a menos de 2500 km de um Oceano. No Brasil, não há nenhum ponto que dista mais de 2500 km de um oceano, seja do Atlântico ou do Pacífico. Em tese, não há onde se esconder… Read more »

Bosco
Membro
Member
Bosco

Mesmo se levarmos em conta que 1/3 do alcance divulgado de um Tomahawk convencional for gasto numa rota alternativa ainda assim ele teria um alcance de 1200 km. Mesmo assim não há nenhum ponto do território brasileiro que fique fora de alcance de um Tomahawk.

Bosco
Membro
Member
Bosco

Opa! Peço perdão! Me equivoquei.
Com o alcance pleno do Tomahawk convencional de 1800 km todo o Brasil estaria ao alcance do míssil mas se formos levar em conta que 1/3 ou mesmo 1/4 da rota é consumida com voos baixos e rotas alternativas algumas partes centrais do país estariam fora de alcance. Meu comentário das 19:44 está equivocado da metade pra baixo e o comentário das 19:55 está todo equivocado.
Para cada um conferir é só utilizar esse site: https://www.freemaptools.com/radius-around-point.htm

Ivan
Membro
Ivan

O que nós temos mesmo longe do mar?
Nas “partes centrais do país”
.
Pelo que lembro:
– Brasília; e
– Algumas usinas hidroelétricas no Norte.
.
Protejam as usinas.

Bosco
Membro
Member
Bosco

Mapento,
Cê viu o site que eu indiquei? Fez a simulação de um Tomahawk com alcance deteriorado em 1/3? Mesmo com 1200 km de alcance real (600 km gastos em manobras, etc) um submarino (ou navio) a 100 km de Salvador consegue atingir Brasília.
Quando Dom Bosco sonhou com Brasília Tomahawk era coisa de índio americano e tinha alcance só de uns 20 metros. rsrsss

Ivan
Membro
Ivan

Bosco,
Porque destruir algo que pode ser comprado?

ScudB
Membro
ScudB

So faltou video : http://www.youtube.com/watch?v=XRz_hLgo82E
Outra fonte legal : http://www.thedrive.com/the-war-zone/9060/us-launched-tomahawk-missile-attack-on-shayrat-air-base-in-syria
Inclusive citaram a origem das fotos que deram inicio de uma ampla discussão sobre numero de alvos atingidos (www.imagesatintl.com/us-strike-syria/) versus numero dos mísseis disparados.Principalmente pelo fato que imagens em alta resolução foram retiradas em algumas horas após postagem e as imagens de baixa resolução são retocados e/ou editadas.
Um grande abraço !