Nos dias 12 e 13 de julho (ontem e anteontem) a Embraer divulgou três vídeos destacando a presença de suas três estreias na feira internacional de aviação Farnborough 2016: o jato de transporte militar KC-390, o jato comercial de nova geração E190-E2 e o jato executivo Legacy 500.

Clique nos vídeos acima e abaixo para conferir belas tomadas feitas em solo, em voo (incluindo testes), além de imagens com detalhes do interior das aeronaves e declarações de executivos das áreas militar, comercial e executiva da Embraer.

Subscribe
Notify of
guest
38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Maria do Carmo Lacoste
Maria do Carmo Lacoste
4 anos atrás

Estragou meu dia. Que chato.

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
4 anos atrás

Roberto F Santana 14 de julho de 2016 at 12:48

Sim, creio que isso seja algum teste para ver a resistência estrutural numa situação real, onde a carga fica presa. Foi o que mais me chamou a atenção também, muito legal.

Save Ferris!

Alex Faulhaber, RJ
4 anos atrás

O BOL mostrou a reportagem sobre a feira de Farnborough e não citou a Embraer em nenhum momento, assim fica difícil que brasileiros que não têm o hábito de acessar sites de aviação fiquem por dentro de notícias que engrandeçam o Brasil.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
4 anos atrás

Já estive dentro do KC390… Achei bem largo, mesmo considerando que naquela oportunidade a o compartimento estivesse cheio com os tanques de lastro.

Paulo Lopes
Paulo Lopes
4 anos atrás

Roberto F Santana 14 de julho de 2016 at 13:29
O KC-390 mais largo que o C-130.
O Astros não abre a porta dentro do C-130, o motorista tem que viajar dentro ou sair pelo para brisas, no KC-390 ele sai pela porta.
Sem falar na capacidade de carga:
Playload de 19,954 toneladas do Super Hércules contra até 27 toneladas do KC-390, é covardia.
Mas eu também gosto mais do C-130J.

Paulo Vinícios Maffi
4 anos atrás

Gostaria de ver uma comparação entre o KC-390 e o C-130J, tanto em capacidades e desempenho, como em custos de operação, pois só assim poderemos (nós entusiastas) imaginar a envergadura do embate comercial que se avizinha, bem como os potenciais mercados para ambas aeronaves. Nunão, será que uma matéria comparativa desse gênero seria possível? Desde já agradeço! Abraços a todos…

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
4 anos atrás

Paulo Lopes,muito interessante seu testemunho sobre o KC-390.Tendo mais algumas informações e se der para falar…

Jeff
Jeff
4 anos atrás

“Paulo Vinícios Maffi 14 de julho de 2016 at 14:12
Gostaria de ver uma comparação entre o KC-390 e o C-130J…”
.
Isso seria interessante aqui no PA.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Não tem como saber os custos de operação do KC-390 simplesmente porque ele não entrou em operação. E mesmo quando entrar, dificilmente a FAB irá divulgar. Então vai depender de algum operador externo fornecer esses dados, daqui a alguns anos.

space jockey
space jockey
4 anos atrás

Aproveitando o gancho que o Alex falou, pode parecer estranho mas estou ha 1 ano sem ver TV, soh acompanho noticias pela
Web… Como anda a cobertura da tv aberta sobre o KC, o E2 e Farbourough ? Estao saindo materias ? Mas eu desconfio q não…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
4 anos atrás

Aqui na TV saiu alguma coisa… Mas apenas na local

fonseca
fonseca
4 anos atrás

a apresentadora é gatinha…

fonseca
fonseca
4 anos atrás

apesar dessa voz típica de apresentadores da cnn. a voz tem certa sensualidade. quem é ela? é solteira???

Vitor Rodrigues
Vitor Rodrigues
4 anos atrás

Off-topic
http://oglobo.globo.com/rio/pedestres-invadem-pista-interrompem-voos-do-aeroporto-santos-dumont-19713274
Desculpem, mas não posso deixar de comentar esse absurdo. A segurança dos nossos aeroportos é ridícula. E estamos as vésperas da Olimpiada.

Walfrido Strobel
4 anos atrás

Interessante este video que mostra o An-178 e o KC-390 na feira, so tem um defeito. Não da para entender nada…..
https://youtu.be/JsFokViAtmw

Walfrido Strobel
4 anos atrás

O único acesso a Escola Naval é passando pela cabeceira da pista principal do SD, eu me lembro que quando era cadete e fui visitar a EN na saída ficamos esperando um Electra pousar, passando a poucos metros do nosso grupo. Tem avisos para esperar afastado e uma sinaleira, mas a emoção é legal.
https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQXAUrjNwuBh-TB82MdyreEffrBjtc0b6zwe5vZBJe1F-M7pVjB-Q

Paulo Lopes
Paulo Lopes
4 anos atrás

Walfrido Strobel 14 de julho de 2016 at 18:31
Eles já resolveram aquele probleminha de ter que carregar mais de 2 toneladas de barra de ferro na parte da frente do An-178, para compensar o centro de gravidade defeituoso causada por erro de projeto?

Marcos
Marcos
4 anos atrás

KC-390, E-2, Legacy 500
E agora os sistemas de segurança:
https://www.youtube.com/watch?v=TY4RK2xVB-8

Marcos
Marcos
4 anos atrás

Todos ficaram tão ocupados com a Feira que ninguém comentou o voo do segundo protótipo do E2.

Walfrido Strobel
4 anos atrás

Na foto deste artigo de jornal da para ver que não existe nada separando a estrada que da acesso a EN e a cabeceira do SD.
Nem poderia se fazer uma cerca ou muro tão proximo da cabeceira.
http://m.diariodolitoral.com.br/cotidiano/aeroporto-santos-dumont-fica-quase-nove-horas-fechado/32415

Vitor Rodrigues
Vitor Rodrigues
4 anos atrás

Walfrido, eu moro proximo do local. Acho que deveria ter militares ou seguranças tomando conta da passagem e não há nada alem dos avisos e de um sinal!

FERNANDO
FERNANDO
4 anos atrás

Incrivel que nesta matéria do globo , a legenda da foto está dizendoi que um F-15 patrulha o Rio de JAneiro ….

Walfrido Strobel
4 anos atrás

Paulo Lopes, eu desconheço este problema de centro de gravidade do An-178, mas se existe com certeza será ou ja foi solucionado, estão em fase de certificação do protótipo e o avião fez demonstração em voo nesta feira.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Em 2000, 2001, um 737 jogou uma Brasília na água, com o jet blast. Depois colocaram o semáforo. Mas é Rio de Janeiro…. Só aqui operamos nesse porta aviões safado. Se o cliente soubesse do risco ia pro Galeão.

EduardoSP
EduardoSP
4 anos atrás

Já houve morte nesse local. Em janeiro de 2002 um motorista de taxi passou quando o sinal estava fechado e o jet blast de um 737 da VASP jogou o carro na água e o motorista faleceu. Esse deve ser o caso citado pelo Rinaldo Nery.

Mas no ano passado aconteceu a mesma coisa, só que o motorista sobreviveu.

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2015/06/taxi-invade-pista-perto-do-santos-dumont-no-rio-e-e-jogado-nas-pedras.html

Como diria o Secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, referindo-se a vítimas de balas perdidas, “o Rio é assim mesmo…”

Space Jockey
4 anos atrás

Fonseca, deve ser uma reporter inglesa que foi contratada pela EMB. Como a feira é lá, então seria melhor assimilado se tivesse uma inglesa como garota propaganda… e benza deus, que anjo.

MARCOV
MARCOV
4 anos atrás

Paulo Vinícios Maffi 14 de julho de 2016 at 14:12 Caro Paulo, Em um outro blog de aviação um participante postou as dimensões internas de carga e a carga paga, como abaixo: Cargo Bay dimensions & weight capacities: KC-390: Length 17.75 m X width 3.45 m X height 2.9 m Payload: 23,650 kg C-130H-30/J-30: Length 16.9 m X width 3.12 m X height 2.74 m + 3.12 m length on ramp Payload: 20,000 kg C-130H/J: Length 12.31 m X width 3.12 m X height 2.74 m + 3.12 m length on ramp Payload: 20,000 kg Eu não confirmo porque não… Read more »

fonseca
fonseca
4 anos atrás

sobre custos operacionais… o que vem a ser isso? Para mim, deveria ser apenas combustível. consome muito ou pouco? quais os outros custos operacionais que fazem um avião ter alto ou baixo custo operacional? por exemplo, os carros da toyota e da honda sçao famosos por ter um baixo custo de manutenção. o que isso significa? não sã realizadas as mesmas inspeções ou trocas de qualquer veículo? demoram mais a trocar o óleo ou o filtro de combustível? amortecedor? bateria? ou simplesmente não exploram o cliente no valor da mão-de-obra e no preço das peças? e no caso de aviões?… Read more »

MARCOV
MARCOV
4 anos atrás

fonseca 15 de julho de 2016 at 3:18 Caro Fonseca, Em uma aeronave o custo do combustível é o mais aparente, pois o seu gasto é constante. O que muitos não vêem é o custo por ciclo. O ciclo pode, genericamente, ser entendido como a operação de decolagem, voo em cruzeiro e pouso. Para as inspeções estruturais e componentes maiores como o conjunto de trens de pouso e o grupo motopropulsor, motores e hélices, o ciclo é importante como fator incidente no custo de operação, pois determina a substituição de peças e a realização de inspeções de alto custo. A… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Fonseca, agregue a isso tudo a quantidade de mão de obra (homens-hora) necessária para fazer inspeções e manutenções. Por exemplo, provavelmente o C-130 com 4 motores demanda mais homens-hora do que o KC-390, com duas turbinas.
.
Sobre passar a faca, pode até não ser intencional. Um produto com maior escala, em regra, é mais barato do que um com escala menor.

Gustavo
Gustavo
4 anos atrás

So de brincadeira pessoal, mas se os aviões sao caros pra dedeu, imaginem quando chegar a era das naves espaciais.como por exemplo quanto custaria pra se construir uma nave da classe constituição? Ex: ( Enterprise ) se ate la existir dinheiro ainda como moeda né. Viajei né mas ja pensaram nisso aja grana!

Farroupilha
Farroupilha
4 anos atrás

Colega, aqui em São Paulo (Brasil terceiro mundista), na Vila Conceição, tem apartamento de 150.000,00 de aluguel por mês, com mais despesas de condomínio e IPTU de 40.000,00, tbm por mês.

Podes crer que para certos endinheirados no tal primeiro mundo (países ou até pessoas), aviões, helicópteros, navios, submarinos e naves espaciais, podem até nem serem tão caros assim.

O dia que conseguirmos colocar todos os nossos pilantras, vampiros de dinheiro alheio, esquecidos numa cadeia, o Brasil vai ser o país mais próspero e equipado do planeta Terra. Aleluia!!

EduardoSP
EduardoSP
4 anos atrás

Marcov,
Ótima explicação. Apenas acrescento que a vida útil das aeronaves é definida no projeto e medida em termos de ciclos de opração, 10, 15, 20 mil ciclos, por exemplo. E as revisões estruturais se dão de acordo com o número de ciclos que ela já completou. Ao atingirem o número máximo de ciclos estabelecidos no projeto vão para o desmanche. Ou então, como no caso dos B-52, A-10, C-130, P-3 podem sofrer caros reparos estruturais que aumentam o número de ciclos e seu tempo de vida.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
4 anos atrás

Interessante dizer, completando o que o Eduardo postou, os fabricantes tem que garantir, para fins de certificação, que a aeronave suporta 1,5 ou 2 vezes o número de ciclos definido para sua vida em serviço. Por isso são construídas células de ensaio (estruturas apenas) que ficam sendo submetidas a repetidos ciclos, sendo inspecionadas em busca de trincas ou outros problemas estruturais.
Outra informação interessante é que as aeronaves comerciais, em geral, são projetadas para suportar uma quantidade muito maior de ciclos do que as aeronaves militares.

Marcos
Marcos
4 anos atrás

KC-390 já está na República Tcheca!
https://www.youtube.com/watch?v=Mq5zCt1uXg8

Luís Fernando Fontana Guariglia
4 anos atrás

Embraer, está se firmando cada vez mais ao mundo como um Orgulho Brasileiro. Será que ela estaria nessa posição atual se não tivesse sido privatizada em 1994 ? ? ? É interessante observar que a Embraer sofreu um sério declínio com o início da democracia no Brasil. Será que o Governo Militar enxergava a indústria aeronáutica brasileira com outros olhos ? ? Que bom que ela conseguiu se privatizar antes que os vermelhos tomassem o poder, pois se ela ainda fosse de controle estatal, seria mais uma assim como a Petrobrás, levada para o buraco e vergonha mundial. Embraer, eu,… Read more »