Estatal sueca confirma negociações com país africano, mas Super Tucano parece ser opção mais viável

Gripen para Botswana2

A FMV, estatal sueca responsável pela negociação de material militar, confirmou na última sexta-feira (13/5) que está em negociação com o governo de Botswana para a aquisição de oito caças Gripen. A informação foi dada por Linda Bengtsson, funcionária da FMV e publicada no diário sueco Affärs Världen.

Gripen para Botswana

A informação foi inicialmente publicada pela revista The Business Weekly & Review de Botswana. A publicação africana cita a negociação de 16 caças Gripen, sem informar o modelo, embora apresente um Gripen E na capa da edição (ver imagem acima). Segundo informações suecas, as negociações envolvem apenas caças da geração anterior, do tipo Gripen C/D.

O propósito seria a substituição dos antigos caças CF-5A que ainda fazem parte do inventário da Força Aérea de Botswana. Treze desses caças montados no Canadá (dez monopostos e três bipostos) foram recebidos em 1996 (outros exemplares foram recebidos posteriormente).

Super Tucanos

No início do processo de aquisição de um novo caça para Botswana, em 2014, o país procurou auxílio dos Estados Unidos e sondou a possibilidade de comprar algum caça norte-americano via programa FMS (Foreign Military Sales). Os Estados Unidos se recusaram terminantemente a vender caças a jato para o país africano, que passou a estudar outras propostas.

botswanaEm fevereiro deste ano o mesmo periódico de Botswana que anunciou as conversas com os suecos também informou que brasileiros haviam estado no país africano para demonstrar o Super Tucano da Embraer.

Também foi informado que o presidente Ian Khama visitou a Coreia do Sul no ano passado e um dos assuntos tratados foi a possível venda do jato KAI T-50/FA-50.

Segundo a The Business Weekly & Review de Botswana um Super Tucano custa metade do preço de um T-50. Já um Gripen custaria cinco vezes mais que um Super Tucano.

O presidente de Botswana pretende decidir pelo novo avião até o final deste ano.

Subscribe
Notify of
guest
66 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rommelqe
Rommelqe
4 anos atrás

Bom, mesmo o Gripen E não faz o trabalho de um ST; e vice- versa, certo?

Carlos Campos
Carlos Campos
4 anos atrás

eu acredito que o A29 seja o suficiente para eles, é um país pobre q tem outras áreas para cuidar mais então nada de jato de alto desempenho, o A29 serviria bem para atacar grupos rebeldes dentro do país e se bem posicionados pelo país podem fazer interceptações de aviões pequenos e não tão rápidos

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Oh dúvida cruel… Um F22, um gripen? Um fa50? Um ST? Ou um vant?

Campos Junior
4 anos atrás

Botswana não é um país tão pequeno. É mais ou menos do tamanho do estado de Minas Gerais. Eles precisam de um caça a reação nem que seja o KAI T-50/FA-50. Um mix deste caça com o ST seria o mínimo que deveriam ter. Mas enfim, depende de orçamento, país pobre…

mauriciosilva2014
mauriciosilva2014
4 anos atrás

Olá.
Botswana não é um pais tão pobre assim. Acredito que eles possam bancar os dois modelos, embora creia que o A-29 possa ser (imediatamente) mais útil.
SDS.

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Acho que todo país merece ter alguns caças a jato para uma proteção mínima contra invasões de outros países.
No caso do Brasil pelo menos seis f16 ou gripen c.
Botsuana pelo menos uns três jatos.
Na caso do ST de 5 a 10 se puderem.

Mauricio R.
4 anos atrás

Antes de tudo seria necessário saber o pq de estarem negociando “Gripens” usados????
E com os suecos, não com os sul africanos????
Qual o real estado dos CF-5 do inventário atual????
Qual a ameaça????
Muitas questões e poucas respostas.

hartmam
4 anos atrás

Gostaria de perguntar ao Sr Nunão se existe uma possibilidade mesmo pequena de termos um
fabricante nacional de turbinas para caças (independe qual) , visto que a antiga POLARIS fabricou
um modelo pequeno e o princípio de funcionamento é o mesmo.

Delfim
Delfim
4 anos atrás

Qual o motivo pelo qual os EUA se negaram a vender seus aviões a Botswana ?

Ederson Joner
4 anos atrás

hartmam 17 de maio de 2016 at 2:11 Vou fazer apenas um comparativo: Existem mais países que dominam a tecnologia nuclear do que os que dominam a tecnologia para desenvolver e fabricar reatores para aeronaves (motores a jato). Sem atentar muito para o processo final, onde são gastos milhões e milhões em testes para a certificação, tudo depende do domínio de materiais compostos que são muito críticos nestes equipamentos. E se vier a desenvolver, se uma escala mínima não for alcançada, este hipotético novo motor a jato seria muito mais caro que qualquer outro do mercado, ao menos até que… Read more »

shambr
shambr
4 anos atrás

o ST faz o mesmo trabalho de um gripen pelo menor preco o Botswana naum precisam de jatos o bagui e anti insurgencia

Adam
Adam
4 anos atrás

Botswana é um dos países mais estáveis e que mais crescem economicamente na Africa. Não fosse pela pouca população e o fato de não ter saída para o mar creio que já seria uma potência no continente africano. Sem dúvida caças Gripen seriam uma ostentação despropositada. Todos seus vizinhos tem baixíssimas densidades populacionais. Botswuana não tem grupos dissidentes internos. O maior risco para o país seria um conflito contra o Zimbabue que possui menos de 10 caças J-7 (provavelmente metade inoperacional). Um risco que quase todo o continente corre é de algum grupo terrorista migrar para seu território. Nesse caso… Read more »

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
4 anos atrás

É a dúvida é cruel,mas devido a quantidade pequena dos Gripen há lugar para os dois.

Delmo Almeida
Delmo Almeida
4 anos atrás

Algumas questões que eu tenho: o motivo da compra é COIN ou disputa com vizinho? A capa da revista fala da possibilidade de uma corrida armamentista. Se for COIN é melhor ir de A-29, mais útil em todos os aspectos (possui a capacidade de combate requerida e a conta é pagável, tornando possível de usar em necessidade real). Se for pra botar medo em vizinho, o Gripen é a solução. Eu acho que tem mais uma coisa que deveria travar nessa segunda hipótese: é melhor gastar esse dinheiro todo com caças ou investir em infraestrutura, educação, saúde e coisa e… Read more »

Jeff
Jeff
4 anos atrás

“Adam 17 de maio de 2016 at 10:27

Botswana é um dos países mais estáveis e que mais crescem economicamente na Africa. O maior risco para o país seria um conflito contra o Zimbabue que possui menos de 10 caças J-7 (provavelmente metade inoperacional).
Um risco que quase todo o continente corre é de algum grupo terrorista migrar para seu território. Nesse caso os Super Tucanos seriam muito mais úteis.”
.
Então uns Super tucanos e uns ManPads já tá feita a feira???

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Delmo. Se for pensar em ideal talvez qualquer país queira 400 caças.
Seis para o Brasil para usar em caso de necessidade enquanto chega o gripen e.
Melhor seis do que nada.
E essa história de longas paradas. É só usar pouco. Não é para ficar usando todos os dias… Voando para cima e para baixo. Só em caso de invasão. E claro voa um pouco para treinar.
Falei três para Botsuana como um mínimo se não puderem comprar seis.
É uma segurança mínima.
Um país sem caças está totalmente desprotegido.

Mauricio R.
4 anos atrás

Sem se conhecer o atual estado de disponibilidade ou obsolescência dos CF-5 ora empregados, é tolice dizer que o ST é mais necessário ou não ao país, do que os eventuais “Gripens” ou “Golden Eagles” noticiados.
Pura especulação.

Bosco
4 anos atrás

O que tem a ver um caça supersônico com um avião de ataque leve turbo-hélice?
Mandem os EUA às favas e comprem caças de outro fornecedor.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Nonato, caça não é automóvel que você compra e já pode sair dirigindo, tem assistência técnica fácil disponível e etc. . Além da compra dos aviões, seriam gastos milhões de reais só para treinar pilotos e mecânicos, além das questões logísticas. E tudo isso para ter 6 aviões por alguns anos antes de chegar os Gripens, . Como isso já foi escrito em outras matérias por vários comentaristas muito mais gabaritados do que eu, com dados e informações precisas, vou tentar explicar de outro jeito para você. . Imagine você montando um restaurante, comprando panelas, fogão, talheres, etc, contratando cozinheiros,… Read more »

Gustavo
Gustavo
4 anos atrás

Seria um bom negocio pra Embraer. Madar alguns técnicos para avaliar os CF-5 deles e fazer um pacotão. Doze A-29 mais modernização dos CF-5! Pronto mais um cliente satisfeito…

Ocidental Sincero
Ocidental Sincero
4 anos atrás

Os estados unidos são tão hipócritas, arma até os dentes o ISIS, e no momento que um governo africano” estável”, procura oportunidades de compra, eles fecham as portas.
Deveriam ir lá bater na porta do Putin, com certeza ele tem ótimos caças para vender aos seus futuros aliados.

horatio nelson
horatio nelson
4 anos atrás

acredito que eles querem voar qualquer coisa q tenha asas…pela estrutura do país seria melhor o st mesmo pois sera melhor do q qualquer coisa q seus vizinhos tenham…com exceção da africa do sul q possui os gripens,mais ai seria um desafio até para o brasil…resumindo os st estão sim dentro da realidade do país.

Mauricio R.
4 anos atrás

OFF TOPIC…, mas nem tanto!!!!
.
Da série: “Quem tem de onde tirar dinheiro, vai as compras, quem não; chupa que a cana é doce!!!”
.
E agora é vez da Tailândia, que pretende adquirir 4 células:
.
(http://defence-blog.com/news/thailand-may-buy-four-more-saab-gripen-jas-39-multirole-combat-aircrafts.html)

Mauricio R.
4 anos atrás

Srs. administradores, post retido.

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Rafael isso é Balela.
Quero dizer. É superável. Ah só compensa se comprar cem aviões.
Cem não tem dinheiro. Faz um pacote com o fornecedor.
É um quebra galho. Aluga por exemplo. Faz o treinamento nos EUA ou em Israel.
Pega dez pilotos de f5 manda passar um mês lá fora.
As peças colica no pacote. Cinco mecânicos vão. E traz um da fábrica.

Bosco
4 anos atrás

Ocidental, Mas porque a crítica? Os EUA é soberano e vende pra quem quiser baseado na sua política externa, econômica e no desejo de seus cidadãos, lá que lá os representantes são eleitos pelo povo? Como disse, os botsuanos é que comprem de outro. E vale salientar que não devemos nos ater a apenas e tão somente uma matéria para basearmos nossas crenças. Verifique antes se é verdade a afirmativa e em sendo, baseada em quê? Pode muito bem ser que os EUA não quis vender caças para Botswana via FMS e não que não quis vender de jeito nenhum.… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Ok, Nonato.
1 mês de curso é suficiente.
5 mecânicos dão conta de 6 caças,
Tem F-16 prontinhos para alugar, é só pagar e levar.
E claro, tudo sai baratinho.

Carlos Campos
Carlos Campos
4 anos atrás

Gripen vai virar rainha de hangar, o gripen não mete medo nos outros países mais é suficientes atualme, eles crescem bastante mas tem um PIB na casa de 30bi então o gripen continua sendo caro, quem sabe no futuro, eles investem 4% do PIB em defesa que bastante mas não cobre mísseis, horas voo, manutenção, treinamento e bombas.

Bueno
Bueno
4 anos atrás

OFF TOPIC
K390 01 E 02 em voo agora
https://www.flightradar24.com/KC390002/9bd44e8

Claudiney Martins
Claudiney Martins
4 anos atrás

Ocidental, é preciso analisar com calma. . Os EUA são os maiores fornecedores de material bélico para o país e um dos poucos países da região que os chineses não conseguiram uma aproximação maior. . Existe quase um consenso na comunidade internacional de que Botsuana deveria gastar mais com saúde pública e menos com FFAA. Hoje o gasto com AIDS (uma grande epidemia por lá) é considerado pouco e os gastos com equipamento e treinamento militar muito grande para um país que não tem nenhuma ameaça. . A preocupação pode ser de que se crie uma corrida armamentista na região,… Read more »

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Poggio fez uma análise bem precisa. Não sei se responde tudo. Mas cita números. África do sul tem PIB de 700 bi. Tem dificuldade de manter 26 caças. Qual o PIB do Brasil? Três trilhões? PIB maior não significa mais dinheiro para a defesa. A suíça deve ter um PIB ínfimo. População e território minúsculos. Mas tem muitos caças. Se bem que o governo tem dinheiro a partir de impostos que é uma fração do PIB. Comprar de países ricos é problema. As fábricas européias e americanas vendem com preços pensando na sua realidade. Por isso a China faz em… Read more »

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Um país sem saída para o mar é horrível. E se os vizinhos fecharem as fronteiras? Parece que esses dias a Espanha não deixou um avião britânico com destino ao Chipre sobrevoar seu espaço aéreo.

DANIEL FERREIRA
DANIEL FERREIRA
4 anos atrás

Botswana com um esquadrão de 18 A-29, com seus F-5 modernizados para o padrão BR e um par de aeronaves AEW&C seria uma Força Aérea de respeito no contexto africano em que ela se enquadra.

shambr
shambr
4 anos atrás

o super tucano vai vender mais do que muamba di ching ling no camelodromo mais do que pamonha ou agua todos os paises com ameacas terroristas vaum acabar de tucanaum kkk

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
4 anos atrás

Um país sem saída para o mar tem um problema. Depende da boa vontade de seus vizinhos, senão nada feito.
E como mostrou a Guerra do Paraguai e o chororô boliviano com os chilenos, ainda pode ser um problema.

camargoer
4 anos atrás

Olá colegas. Algumas análises sobre a relação PIB x gastos em forças armadas estão incompletas. Há uma correlação óbvia entre PIB e disponibilidade de recursos, mas é preciso avaliar as prioridades de cada país para saber quanto dinheiro estaria disponível para um ou outro gasto. A ìndia e o Paquistão mostram bem que a existência de um estado de conflito faz com que os gasto militares sejam altos, enquanto que se existem outras prioridades como poderia ser uma situação de reconstrução de infraestrutura. Além disso, há uma diferença entre um país ter uma industria nacional de defesa (na qual os… Read more »

João Bosco
João Bosco
4 anos atrás

A melhor saída da Botsuana é a compra de Super Tucanos. Um país com US$ 33 bilhões de PIB não daria manutenção em um esquadrão de Gripens por muito tempo. Se a Africa do Sul, pais vizinho e mais rico, não está aguentando mantê-los, quiçá Botsuana. Agora a pergunta que não quer calar: Para quê Botsuana quer caças Gripens se seus vizinhos mal dão conta de ficarem de pé? Aparecer em desfiles em dia nacional da independência? O governo de lá deveria se preocupar com outros problemas…..

Bosco
4 anos atrás

Boscão,
O PIB de Botswana é igual ao do Brasil.

Bosco
4 anos atrás

Correção:
A renda per capita é igual ao do Brasil.

Juarez
Juarez
4 anos atrás

Diga-se de passagem que o problema da SAAF, é iminentemente administrativo e financeiro, pois para que o o GF de lá fez curso com o babalorixá de Garanhuns e a copa do mundo literalmente sugou os cofre público e conta ficou para os contribuintes Sul Africanos.
Só lembrando que a SAAF foi uma das Fas melhor estruturadas do continente e uma das mais operacionais, com capacidade de manter suas aeronaves, mesmo diante de vários bloqueios sofridos em função do apartheid.

G abraço

ronaldo de souza gonçalves
ronaldo de souza gonçalves
4 anos atrás

se fossem eles comprarias os k-8 são a jato fazem 800km por hora,estão por 15milhoes a unidade, estão compraria pampa vão ter experiencia com jatos.

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
4 anos atrás

Botswana só tem US$ 513 milhões de dívida externa, e aplica sabiamente o ganho de seus diamantes, é o maior produtor.
Em compensação, entre 25% e 33% da população tem AIDS.
E gasta 4% do PIB em despesas militares.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Botswana

W.K.
W.K.
4 anos atrás

Juarez.
.
Lembrando que eles lutaram uma guerra contra Cuba e Angola por mais de 10 anos e em meio a um embargo. E mesmo com embargo, inferioridade numérica e tecnológica, eles conseguiram operar com eficiência.

Oganza
Oganza
4 anos atrás

Juarez e W.K. meus queridos, eu iria até mais longe… – A SAAF é a segunda mais bem estruturada força aérea do hemisfério sul do globo do ponto de vista humano e técnico (indústria mesmo) … só deve perder para a Austrália. Os caras encararam 23 anos de guerra de fronteira contra os comunas da SWAPO (Angola) somadas às tropas Cubanas, ambos apoiados com material e técnicos Soviéticos. O maior pico da Guerra Aérea foi nos últimos 14 anos, de 1975-1989 e enfrentaram a peleja com embargo e afins… mas tiveram uma bela mão do Tio Jacob… na verdade foi… Read more »

Oganza
Oganza
4 anos atrás
Oganza
Oganza
4 anos atrás
Oganza
Oganza
4 anos atrás
Oganza
Oganza
4 anos atrás

Link 4:
http://sistemasdearmas.com.br/ca/bushwar4.html

Ps.: Tive que colocar separado por causa do anti spam.

Pps.: Nos últimos 100 anos o Brasil nunca nem sonhou em poder realizar 10% do que eles foram capazes de fazer nos últimos 10 anos do conflito.

Grande Abraço.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 anos atrás

Estive lá, na Africa do Sul, em 2007. Eles incluíram vários militares negros, em todos os postos, pelo sistema de cotas. De soldados a oficiais generais, sem nenhuma preparação ou seleção. Conheci alguns. Causou muitos problemas na gerencia das Forças. Espero que resolvam os problemas. São, realmente, muito operacionais devido à essa experiência em combate.
País maravilhoso, com um povo muito hospitaleiro. Fui muito bem recebido pela Força Aérea Sul Africana. O 2°/6° GAV quase efetuou a vigilância do espaço aéreo sobre os estádios durante a Copa de 2010.
Aos que puderem, recomendo visitar o País.