Home Indústria Aeroespacial Thales firma contrato histórico para radarização do espaço aéreo da Bolívia

Thales firma contrato histórico para radarização do espaço aéreo da Bolívia

3143
9

radar LP23SST banda L em testes de aceitação final na Omnisys Thales - foto Nunão - Poder Aéreo

Contrato de €185 milhões para 13 radares inclui 2 equipamentos de aproximação Banda L, que serão produzidos no Brasil

Paris, 23 de novembro de 2015 – Na presença do presidente da Bolívia Evo Morales, do presidente da França François Hollande e dos principais executivos da Thales América Latina, a Thales, líder mundial em tecnologia nos mercados de Defesa, Segurança, Aeroespacial, Espacial e Transportes, assinou contrato com o Ministério da Defesa da Bolívia para integração da defesa aérea e da gestão do tráfego aéreo civil (ATM) boliviano. A cerimônia ocorreu no dia 9 de novembro, em Paris, no Palácio do Elysée, residência oficial do Presidente da França.

O acordo total com a Bolívia prevê o fornecimento de 13 radares, que formarão a espinha dorsal da infraestrutura de vigilância aérea do país, incluindo quatro radares de defesa aérea, um radar de vigilância primária Star2000, dois radares de aproximação Banda L e seis radares secundários RSM970. A Thales ainda integrará e gerenciará todo o sistema para as operações, assim como a comunicação destes novos equipamentos com os radares distribuídos em todo o país.

Os radares estarão integrados a um novo complexo que vai abrigar a central de controle de tráfego aéreo. Com 2,5 mil metros quadrados, será construído nos próximos meses e possui previsão de término para 2017, quando passará a utilizar o novo sistema operacional. A central de controle de tráfego aéreo receberá o TopSky-ATC, o mais avançado sistema ATM do mundo, usado em avançadas operações de gestão de tráfego aéreo, e também contará com o sistema SkyView air C4I, que oferece um retrato integrado das operações da defesa aérea.

“Nos sentimos honrados por fazer parte dessa parceria e pela confiança em nossa capacidade de colaborar e reforçar a infraestrutura de segurança nacional. Estamos cientes da nossa responsabilidade de cooperação para o controle do espaço aéreo e reforçar a soberania nacional da Bolívia”, afirma Ruben Lazo, vice-presidente da Thales na América Latina.

O montante total estimado para o contrato é de 185 milhões de euros. Esse é o terceiro contrato que Thales assumiu no segmento de ATM entre 2014 e 2015, incluindo o Marshall Programme (para modernizar as operações dos aeródromos militares do Reino Unido, no valor de 1,5 bilhões de libras) e o OneSky Programme (integrante das operações civis e militares na Austrália).

Thales Omnisys - radar banda L no final da linha de produção - foto Nunão - Poder Aéreo

Produção na América Latina

Os dois radares de aproximação do tipo Banda L serão produzidos no Brasil. A Thales já desenvolveu radares com este sistema para cinco dos mais movimentados aeroportos brasileiros: Congonhas (SP), Guarulhos (SP), Brasília (DF), Galeão (RJ) e Santos Dumont (RJ).

Devido à transferência de tecnologia promovida pela Thales ao Brasil nos últimos anos, a operação brasileira será capaz de desenvolver integralmente os novos equipamentos. Segundo Lazo, “este contrato reforça a liderança da Thales no controle do tráfego aéreo na América Latina, confirmando o nosso compromisso de transferir tecnologia de vanguarda e garantir o máximo de segurança no espaço aéreo e na soberania das nações da região”.

Thales Omnisys - montagem de placas para módulos de radares - foto Nunão - Poder Aéreo

DIVULGAÇÃO: CDN Comunicação / Thales

 

9
Deixe um comentário

avatar
9 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
8 Comment authors
Oganzacarlos alberto soaresAugustoLvonio Oliveiraathalyba Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
hamadjrh
Visitante

Mas que coisa héim, uma País atrasado dirigido por um cocaleiro fazendo investimento desta natureza em equipamento de ponta, quem diria, empiricamente acho que deve ser para controlar melhor o trafego do trafico.

Clésio Luiz
Visitante

OFF Topic Urgente!!

Um Su-24 foi abatido enquanto sobrevoava a Turquia. Já existem vídeos mostrando a aeronave caindo em chamas e a captura do piloto por forças turcas:

http://foxtrotalpha.jalopnik.com/turkey-shoots-down-russian-su-24-fencer-it-said-invaded-1744363719

O link acima é uma coletânea de outros links sobre a notícia.

Frank
Visitante

O hamadjrh acertou de cheio.

athalyba
Visitante

Quem diria que a TdT ia funcionar, hein ?

E quem sabe agora os colegas se convençam que TdT é feita, primordialmente, entre pessoas. Obviamente que conteúdos sensíveis são mais difíceis de serem compartilhados (pra dizer o mínimo e ser elegante), mas pelo que estamos vendo na noticia, houve um avanço considerável do capital intelectual brasileiro na área, com a formação de corpo técnico capacitado o suficiente para assumir a tarefa citada..

Enfim, parabéns a todos os envolvidos.

Lvonio Oliveira
Visitante

Boa noticia! Mais um instrumento para fortalecer a segurança da região

hamadjrh seu comentario foi bastante preconceituoso, não é porque a Bolivia é pobre é governado por um cacaleiro que ele é pior que qualquer outro país….

Lvonio Oliveira
Visitante

***cocalero###

Augusto
Visitante

“Os dois radares de aproximação do tipo Banda L serão produzidos no Brasil. A Thales já desenvolveu radares com este sistema para cinco dos mais movimentados aeroportos brasileiros: Congonhas (SP), Guarulhos (SP), Brasília (DF), Galeão (RJ) e Santos Dumont (RJ). Devido à transferência de tecnologia promovida pela Thales ao Brasil nos últimos anos, a operação brasileira será capaz de desenvolver integralmente os novos equipamentos. Segundo Lazo, “’este contrato reforça a liderança da Thales no controle do tráfego aéreo na América Latina, confirmando o nosso compromisso de transferir tecnologia de vanguarda e garantir o máximo de segurança no espaço aéreo e… Read more »

carlos alberto soares
Visitante
carlos alberto soares

Boa notícia, há outras variáveis nesse tema, mas gostei mesmo !

Oganza
Visitante
Oganza

Augusto,

– “E não é demais lembrar que a Thales no Brasil é autonomamente”

Por favor, defina “autonomamente”.

Grande Abraço.