Home Aviação de Caça Gripen NG: finalmente o Brasil assina o financiamento

Gripen NG: finalmente o Brasil assina o financiamento

804
79

Gripen NG Demo decolando de Malmen - foto 5 Alexandre Galante - Poder Aéreo

Brasil e Suécia assinam, em Londres, financiamento para aquisição do Gripen NG

Brasília, 25/08/2014 (sic)* – Com a presença do embaixador do Brasil em Londres, Roberto Jaguaribe, e de representantes da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional e da agência sueca de crédito à exportação (Swedish Export Credit Corporation-SEK), Brasil e Suécia assinaram nesta terça-feira (25)*, o contrato de financiamento que permitirá a aquisição e o desenvolvimento dos caças suecos Gripen NG. É a etapa final para o início da fabricação dos novos caças.

A assinatura é resultado das negociações entre Brasil e Suécia, que culminaram em julho, com a redução das taxas de juros do contrato intermediada pelo ministro da Defesa, Jaques Wagner.

A formalização do contrato financeiro foi realizada na manhã de hoje (25), na sede da Embaixada do Brasil em Londres.

A definição do local foi acordada pelos dois países, uma vez que o contrato de financiamento será regido pela lei inglesa, de modo a garantir a imparcialidade do acordo.

Gripen NG na LAAD 2015 - 2

O ministro Jaques Wagner ressaltou a importância dessa etapa do projeto, depois de um longo processo entre os países, iniciado em dezembro de 2013. “A assinatura do contrato financeiro do Gripen NG é de fundamental importância já que encerra a fase negocial e inicia a fase de execução do contrato comercial, com aquisição e desenvolvimentos dos caças, concretizando, assim, uma aliança estratégica entre Brasil e Suécia”, destacou.

Negociações

As taxas de juros negociadas pelo Ministério da Defesa e que integram o contrato financeiro são de 2,19%, permitindo ao governo brasileiro uma economia de até R$ 600 milhões. Com os percentuais definidos, e a aprovação do acordo pelo Senado Federal brasileiro, o Ministério da Fazenda autorizou a operação de crédito externo no valor de até 245,3 milhões de dólares e 39,882 bilhões de coroas suecas.

O crédito cobrirá 100% do contrato comercial, sem a necessidade do pagamento de sinal. “A aprovação do projeto é uma decisão estratégica para garantir a soberania nacional do espaço aéreo brasileiro”, disse o ministro Jaques Wagner, lembrando ainda que o pagamento efetivo do financiamento só ocorrerá após o recebimento da última aeronave previsto para 2024.

Com o avanço do contrato, a Força Aérea Brasileira (FAB) será equipada com aeronaves de defesa e superioridade aérea compatíveis com a destinação e importância geopolítica do Brasil, abrindo também as portas do mercado da América do Sul à empresa SAAB e às empresas brasileiras subcontratadas.

O financiamento permitirá a aquisição dos 36 caças Gripen NG, que atenderão às necessidades operacionais da FAB nos próximos 30 anos.

Por meio de um ousado programa de transferência de tecnologia, com o Gripen NG o Brasil poderá deixar de ser comprador para se tornar fornecedor de aeronaves de combate de última geração.

Gripen NG

Anunciado em dezembro de 2013, o contrato comercial com a empresa sueca SAAB inclui a compra de aeronaves de combate, suporte logístico e compra de armamentos necessários à operação dos caças.

A Força Aérea Brasileira receberá 36 aviões de caça Gripen NG. A primeira aeronave deverá ser entregue em 2019 e, a última, em 2024. O contrato prevê ainda a fabricação de 15 das 36 unidades no Brasil, incluindo oito unidades de dois lugares, um modelo criado especialmente para a FAB.

A participação do Brasil no desenvolvimento do projeto dará à indústria aeronáutica brasileira acesso a todos os níveis de tecnologia, incluindo os códigos-fonte do Gripen. O programa de transferência de tecnologia incluirá itens como a integração de hardware, aviônicos, software e sistemas da aeronave, além do intercâmbio de conhecimento com mais de mais de 350 brasileiros indo a Suécia para treinamento.

Display WAD do Gripen NG - LAAD 2015

Em paralelo, a Embraer também vem se preparando para receber o Gripen NG e já realizou as obras de terraplanagem para construção do prédio que abrigará o Centro.

FONTEMinistério da Defesa – Assessoria de Comunicação Social (Ascom)

*NOTA DO EDITOR 1: erro do texto original do MD, mesmo porque 25/8/2014 foi uma segunda-feira, e não uma terça, como é hoje (25/8/2015), dia mencionado nas primeiras linhas do texto.

NOTA DO EDITOR 2: o título original do MD é o subtítulo. Nosso título ressalta o que representa um ponto crucial na novela de aquisição de novos caças da FAB, que se arrastou por diversos presidentes desde o final do século passado, e que mesmo após a escolha do Gripen NG pelo governo, no final de 2013, ainda parecia longe de se formalizar do ponto de vista crucial: o financiamento. Trechos do texto original foram destacados em negrito pelo Poder Aéreo.

 

Subscribe
Notify of
guest
79 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Moraes
Marcelo Moraes
4 anos atrás

UFA, até que enfim, agora espero que tudo corra conforme o planejado! Sempre acreditei e continuarei acreditando! Força FAB, força no Brasil!

Antunes
Antunes
4 anos atrás

Acho um passo muito complicado a tela unica.

>>O bacana de ter 3 telas é poder configurar em qual tela será exibido o que. E elas sendo sistemas redundantes.

Mauricio
Mauricio
4 anos atrás

Não seria 25/08/2015?

Nick
Nick
4 anos atrás

Caro Antunes,

Apesar de parecer ser um tela única, e funcionar como uma tela única, ela não é uma tela única. São duas telas unidas com sistemas redundantes. Na prática se um deles “pifar” o outro funciona normalmente. Além desse redundância, ainda existe uma 3ª tela para casos de emergência.

[]’s

Bardini
Bardini
4 anos atrás

“Incluindo os códigos-fonte do Gripen”, Isso é algo que merece ser destacado… E justifica em parte o Gripen ter sido o selecionado…

Enfim, esse é nosso e ninguém mexe…

Agora resta a torcida pelos C/D 🙂

Sds.

Antonio
Antonio
4 anos atrás

YES!

Gustavo
Gustavo
4 anos atrás

Sem duvida um grande avanço tecnologico para nosso parque industrial . Acredito que ambas as partes sairam ganhando , eles por precisarem de um parceiro para o projeto e nós, pois poderemos alterar algumas coisas de modo a encaixar nossas necessidades no caça . Parabens a FAB e ao Brasil por esse avanço .

antonio gomes
antonio gomes
4 anos atrás

O mais urgente agora é a aquisição de Gripens usados, pois os novos só vão COMEÇAR a chegar daqui a alguns anos!…. Proteger o espaço aéreo nacional até lá só com F5-EM não dá……

PilotoVirtual
4 anos atrás

Assinando este contrato, faltará mais algum ainda?

Farroupilha
Farroupilha
4 anos atrás

Tela única graças a Deus… E essa questão já foi anteriormente bem colocada aqui no PA com o exemplo do Super Hornet. Acrescentando: Sitemas operacionais eletrônicos atuais com janelas e icones, são muito mais econômicos, justamente porque em uma única tela se faz tudo o que se precisa. Exemplo corriqueiro são os teclados dos celulares antigos que foram eliminados ao serem incorporados a própria tela, bastanto acessar seu ícone. Internet com propaganda e se autofinanciando… acontece justamente pela inserção de múltiplas janelas de propaganda em todo site. Portanto levar o conceito de tela única para os caças é o caminho… Read more »

Observador
Observador
4 anos atrás

E os Gripens C/D que viriam por leasing, depois falaram que o negócio não foi, depois que iríamos comprar…….porém, na prática nada! Alguém sabe de alguma coisa real? Os F-5M começam a dar baixa em 2017. E os Gripens E/F (NG como queiram), em tese, o primeiro eram para começar a vir em 2018, se eu não estiver enganado, porém o FOC (oparacionalidade total), que é o que interessa na prática somente em 2026, também se eu não estiver enganado. Aí vem o G A P da defesa aérea nacional até lá com nossos cansados F-5M (temos em torno de… Read more »

Titio Rosenweiss
Titio Rosenweiss
4 anos atrás

Companheiros,

Quanto ao leasing do modelo C/D, antes, da chegada do modelo NG, li isso na Folha de S. Paulo hoje, 25/08/2015:

“…Havia a expectativa do aluguel temporário de modelos anteriores do Gripen, para adaptação dos pilotos brasileiros e para melhorar a defesa do espaço do Brasil central, hoje nas mãos de antigos caças F-5 modernizados. Mas a crise econômica praticamente enterrou essa possibilidade, levando o foco para a compra dos aviões em si…”(Folha de São Paulo – 25/08/2015 – Poder)

athalyba
athalyba
4 anos atrás

Quer dizer que já podemos falar em cronograma de etapas ? Já temos um road map para acompanhar ?

Lucas Air
Lucas Air
4 anos atrás

Como já havia falado em outro post os Gripen C/D Virão com toda certeza, pois pela Explanação do Brigadeiro Nivaldo Rossato no CRE do dia 13/08/2015 Ele informa todo cronograma de entregas do Projeto FX-2 (Vide link abaixo): https://www.youtube.com/watch?v=aiXIf88RERM Vejam aos 00:53 min. (No Slide) em que ele apresenta o Primeiro F-39 “E” (Teste) vindo ao Brasil em 2019 e até aí OK, mas o Segundo F-39 e desta vez um modelo “F” (Teste) só em 2021 e igualmente em 2021 teremos um Esquadrão (Mais 10) e continua até o total de 36 em 2024, como finalmente previsto. Então teremos… Read more »

Lucas Air
Lucas Air
4 anos atrás

Quanto a Tela única.
Realmente, ponto para a FAB, pois já estaremos à frente de muitos, para não dizer de quase todos.
Lógico que teremos dificuldades e talvez até atrasos, mas pensem no ganho futuro.
Isso tudo é pensamento de Longo prazo e corretíssimo, no meu humilde entender.

Daniel
4 anos atrás

Por que a FAB não optou pelos caças com três telas ao invés de uma única tela, que todos sabem, que além de serem mais caras, no quesito segurança são inferiores ao display com três, sendo que a própria Força Aérea Sueca não adota na cabine a tela única? Poderiam de alguma forma, diminuírem os custos. No mais, Graças a Deus, o contrato está fechado e parabéns à FAB pela aquisição deste caça espetacular que guardará a soberania do Brasil. Também, aguardamos a transferência da tecnologia para a indústria nacional, para a criação de empregos no país e que possam… Read more »

Eduardo Pereira
Eduardo Pereira
4 anos atrás

Aleluia, agora é esperar a chegada dos C/D(caso ocorra, é claro) e começarem os treinamentos pra se criar doutrina para a chegada dos NG.

Juliano Lisboa
Juliano Lisboa
4 anos atrás

Se a FAB usa o que tem na vanguarda o povo reclama por que podia usar o mais antigo porque é mais seguro. Se usa o mais antigo, ta ficando pra trás e quando entrar em operação já vai ser obsoleto. Esse papo do WAD já deu o que tinha que dar. Se a FAB que é quem vai voar escolheu, eu que vou no máximo sentar no assento daqui a uns 10 anos vou falar o que. Vamos comemorar porque vamos ter caças. E como o financiamento é de 100% não pode ter atrasos. Sobre a chegada do primeiro… Read more »

Bruno W.
Bruno W.
4 anos atrás

É… Mais um capitulo da novela que acompanho a uns 15/20 anos desde o finado FX… Desta vez um capítulo feliz (Aleluia!) Espero que continue neste mesmo pé de agora em diante.
Quanto aos C/D não creio. É F-5orever mesmo até a chegada dos 0KM.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
4 anos atrás

______________ (desculpe) até que em fim. Que se calem agora os Bruxos do Mal Agouro!

Mas é claro ainda haverá o ranço dos “expert’s”, para trolar … o assunto.

Quem venham Gripen NG (F-36 na minha modesta opinião), é o que temos para pagar e manter e com a competência dos profissionais da Força Auxiliar (cacuete do hábito) faremos frente a qualquer hostilidade de nosso TO sulamericano.

CM

COMENTÁRIO EDITADO

Baschera
Baschera
4 anos atrás

Mesmo assinado não me empolga.

E a novela não acabou… estamos só no intervalo.. nos comerciais. Tem muito pano pra manga ainda.

Quem já passou de uma certa idade, como eu, estuda e debate o assunto à décadas…sabe do que estou falando.

O resto é entusiasmo de principiante.

Sds.

Leandro Moreira
Leandro Moreira
4 anos atrás

Mais uma exelente noticia, e imaginar que existe gente querendo que esta aquisicao nao fosse efetivado, parabens ao Brasil, representado pelo GF, MD e a FAB, Nunao, se o financiamento e de 100% a recente materia sobre recursos destinados ao FX2 pode ser relacionado ao GRIPEN C/D?

Wolfgangus Mozart
Wolfgangus Mozart
4 anos atrás

A FAB está no caminho certo. Tela única MFD mantendo o HUD.
Se fosse tão ruim assim, o F35 não teria tela única. É a tendência minha gente, aceitem e pronto…
Lembrem se de que a compra não é de prateleira. Portanto, já que vai se pagar o dobro da etiqueta com a ToT irrestrita, que o Gripen venha adaptado às necessidades operacionais da força.

Sds

Lucas Air
Lucas Air
4 anos atrás

Algo nesta parte notícia deve estar errado:

“A Força Aérea Brasileira receberá 36 aviões de caça Gripen NG. A primeira aeronave deverá ser entregue em 2019 e, a última, em 2024. O contrato prevê ainda a fabricação de 15 das 36 unidades no Brasil, incluindo oito unidades de dois lugares, um modelo criado especialmente para a FAB.”

Incluindo as 8 Unidades de dois lugares ?
Pelo jeito só treinaremos nossos pilotos em simuladores ou será que é mais um indício de que realmente teremos alguns Gripen “D” antes.

Predator
Predator
4 anos atrás

Graças a Deus!!!!

E que venham muitos mais!!!

Observador
Observador
4 anos atrás

Obrigado Nunão pelos sábios esclarecimentos!

Parabéns à FAB pela aquisição, e estendo as felicitações a todos os militares pelo Dia do Soldado.

Vamo que vamo!

Lucas Air
Lucas Air
4 anos atrás

Pois é, Nunão. Concordo plenamente com seu argumento, mas não é exatamente este ponto que falei. A notícia acima indica que teremos todos os 8 Gripen Biposto (F) apenas quando da produção no Brasil, ou seja, lá por 2022 ou 2023 e até poderá ser só em 2024, justamente pelo seu desenvolvimento (Novo). Já na explanação do Brig. Brigadeiro Nivaldo Rossato no CRE na semana retrasada Ele apresenta no “slide” da tela (53 min. no Link acima), em que já teremos o primeiro Gripem “F” (Teste) em 2021, juntamente com 10 operacionais (Provavelmente Gripen “E”). Essa é minha dúvida, da… Read more »

Lucas Air
Lucas Air
4 anos atrás

Nunão, acho que não me expliquei bem. Veja o slide da tela de apresentação do Brigadeiro que mostra o Segundo Gripen de teste (Do total), produzido em 2021, sendo este um biposto, então de duas uma, ou este será feito na Suécia, já que todos os primeiros só serão feitos na SAAB, ou esta informação mostrada no CRE está errada e procede o enunciado da notícia acima: “O contrato prevê ainda a fabricação de 15 das 36 unidades no Brasil, incluindo oito unidades de dois lugares.” Entende meu ponto agora? Se isso acontecer, deverá ser provavelmente, nos dois últimos anos… Read more »

Octávio
Octávio
4 anos atrás

Alguém tem informações sobre quando vai ser o voo do protótipo do Gripen E?

Danilo José
Danilo José
4 anos atrás

Não sei porque de tanta desconfiança, a SAAB sempre fez e faz bons aviões de combate, quando os primeiros se tornarem operacionais, vocês verão quantos países vão se interessar por este modelo, baixo custo aliado a uma tecnologia que vai impressionar muitos, e eu acredito que não vai ficar só em 36 unidades, logo todos estejam operacionais outras aeronaves vão estar a ponte de dar baixa terão de ser substituídos então vejo um futuro promissor para o Gripen NG E/F.

Zorannn
Zorannn
4 anos atrás

Ótima notícia! Eu sempre torci pelo Gripen desde que decidiu-se pela montagem das aeronaves aqui. E isto por vários motivos, entre os quais, por ser o mais barato de ter e operar dos 3 finalistas. Porém não acredito em transferência de tecnologia no Brasil. Não investimos em pesquisa e portanto o conhecimento “comprado” logo se tornará obsoleto e inútil. Talvez uma ressalva possa ser feita, já que neste caso, a Embraer está envolvida. O conhecimento de integração de sistemas pode ajudar muito esta empresa em futuras modernizações/integrações. Ter o código fonte da aeronave também é muito útil. Fora isto não… Read more »

jccunha
jccunha
4 anos atrás

Comentou-se muito que o preço é caro, que o caça é isso, é aquilo, mas se esqueceram que se o Brasil for iniciar o projeto de um caça na data de hoje, não sairia por menos que uns 20 bi de dólares, fora o tempo empregado e a mudança de tecnologia dia a dia que obviamente deverá ser sempre atualizada, como dizem uns expert^s no estado da arte. Essa aquisição com a transferência de tecnologia está barata a meu ver, se estiver errado que me corrijam, a nave é comprovadamente boa e como disse Saito Sam, ela saberá se fazer… Read more »

João Adaime
João Adaime
4 anos atrás

Os F 5 e os AMX serão substituídos por qual modelo? Porque um dia todos eles serão sucata. Uma vez, muitos anos atrás, num programa de entrevistas o então ministro da Defesa, Aldo Rebelo, falou em algo como 120 aeronaves.

Delfim
Delfim
4 anos atrás

Agora é rezar pros vizinhos ficarem quietos até lá.

Farroupilha
Farroupilha
4 anos atrás

Aleluia!..

Acabou! acabou! acabou!
É 36! É 36!

Definí…
Rafale – S.Hornet – Sukhoi – tchauzinho.

E agora as discussões acirradas na arena do PA vão ser as tecnologias e armas embarcadas no nosso futuro Gripen, com torcidas padicá e padilá.
A celeuma da tela única é só um cheirinho… dos próximos capítulos… “Gripen E/F a nossa loirinha sueca arretada.”

Juarez
Juarez
4 anos atrás

Eu fico impressionado com pessoas lúcidas, que tem bom nível cultural, debatem defesa quase diariamente batem palmas para um escárnio ao erário público e ainda tem uns sabichõe que querem adjetivar os que não concordam com isto. Senhores, eu defendi e defendo op SH por questões que eu já debati muitas vezes por aqui, mas fiquei feliz também com a opção pelo Gripen, o que me deixa furioso é o rumo que este contrato tomou, a pernada nos preços que todo mundo engoliu e estão achando a coisa mais maravilhosa do mundo e ainda as customizações “BR” desnecessárias e que… Read more »

rommelqe
rommelqe
4 anos atrás

Prezado Zorannn, um comentário: quem for a SJC e quizer fazer um pós-doutorado vai encontrar muitos colegas…já formados.Mas não é apenas SJC, pode escolher vários outros lugares.Essa idéia de que não desenvolvemos absolutamente nada não condiz com a realidade. Claro que aqui mesmo no Aéreo existem aqueles que sem o menor conhecimento colocam levianamente o Brasil como se fosse apenas um país de nescios e aloprados. Em parte realmente é. Não há como comparar o Brasil com uma nação como o UK e Alemanha, por exemplo. Mas também não somos um zero à esquerda.Essa questão de absorver tecnologias é muito… Read more »

vmax
vmax
4 anos atrás

Tá ruim, mai tá bão.
Se demorar muito pega meia dúzia de aeroboero e uns estilingue que já ajuda.

JT8D
JT8D
4 anos atrás

Apesar da demora, da politicagem e das polêmicas (que alguns ainda querem continuar), finalmente, aleluia, até que enfim …

David
David
4 anos atrás

“A participação do Brasil no desenvolvimento do projeto dará à indústria aeronáutica brasileira acesso a todos os níveis de tecnologia, incluindo os códigos-fonte do Gripen.” Sempre fico atento quando aparecem noticias referentes ao Gripen em especial a parte destacada acima e me pergunto: 1- A proposta sueca foi de “aprender fazendo como uma real transferência de tecnologia”. Creio que estamos entrando muito atrasados no projeto, em fase final praticamente, há muito pouco a “aprender fazendo”. 2- Códigos-fonte? Tendo em vista a complexidade, qual parte dos códigos teremos livre acesso ou será que teremos acesso total? Lembro-se que o governo americano… Read more »

David
David
4 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini
25 de agosto de 2015 at 16:56 #

Escrevi meu comentário sem antes atentar de ler o seu. De fato há essa possibilidade embora eu creia que ainda haja uma perda tremenda de oportunidade no aprendizado.

leigo
leigo
4 anos atrás

Qual o estagio de desenvolvimento do NG? Por que não se fala nada? Não se trata apenas de um gripen c alongado e com alguns sistemas mais modernos, inclusive turbina um pouco mais potente? Por que tanta demora? E o que o Brasil ainda tem a aprender no desenvolvimento? Com quem ficará o conhecimento? Restrito a alguns técnicos de empresas privadas que podem se mudar a qq momento para o exterior? Ficará nas mãos de empresas brasileiras ou subsidiárias de estrangeiras? Ou os conhecimentos serão registrados e documentados para a fab inclusive seu pessoal de forma que possa ser utilizado… Read more »

Claudio Moreno
Claudio Moreno
4 anos atrás

Bom dia Senhores!

Que foi que eu disse sobre o ranço…

Quanto ao contrato, a tal tela única é claro que foi o jeito PuTrefolo de se morder algum. Não seria diferente com Boeing ou Dassault.

A diferença no caso dos dois últimos é que o produto final (caças) iriam ficar muito mais tempo no chão por falta de condições de mantê-los do que o F-36 (kkkkk já tenho comigo que será este seu indicativo mesmo que não seja, assim como tenho para mim o A-1 Centauro e A-29 Predador kkkkkkkk).

CM

Evan
Evan
4 anos atrás

Tenho uma dúvida em relação ao codigo fonte e conhecimento da tecnologia para construção, no caso do Brasil obtendo tais conhecimentos, quais seriam as chances do Brasil sair entregando tal tecnologia pra qualquer país que aparecer pedindo como esmola tais conhecimento…pois do jeito que esse governo é não duvido nada.

Ou no caso tal conhecimento seria somente restrito aos dois países sendo proibido o compartilhamento de tais informacoes com outras nações em caso de negociação?

André Nagib
André Nagib
4 anos atrás

Chegamos ao final de um ciclo, agora é esperar a entrega dos aviões e torcer para que um novo lote seja adquirido pela FAB.

Edmar
Edmar
4 anos atrás

Espero que a FAB consiga 124 caças “Gripen NG” , sendo 100 monoposto e 24 biposto.
Seriamos a maior Força Aérea da América Latina e a segunda maior Força Aérea do Continente.