sábado, outubro 16, 2021

Gripen para o Brasil

KC-46A batizado com o nome de ‘Pegasus’

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

KC-46 reabastece bombardeiro B-2 em voo - foto USAF

O avião de reabastececimento aéreo da próxima geração da Força Aérea dos EUA (USAF) tem um novo nome, informou o chefe do Estado-Maior na quinta-feira passada (20/2).

O brigadeiro Mark Welsh anunciou que o KC-46A foi apelidado de “Pegasus”, durante seu discurso no Air Warfare Symposium, realizado em Orlando, na Flórida.

“É um nome de orgulho”, disse Welsh. “Eu tive a chance de ver o primeiro avião na linha de montagem algumas semanas atrás. Ele vai voar em junho. É uma coisa de verdade agora”.

O KC-46A é um dos três grandes programas de renovação da USAF e ela tem trabalhado para proteger o programa de cortes do orçamento, ao lado do Joint Strike Fighter F-35 e da nova geração de bombardeiros de longo alcance. O programa vai produzir 179 novos aviões para substituir a frota de KC-135, com 18 aviões entregues em 2017 e conclusão da produção em 2027.

Welsh aproveitou a oportunidade para elogiar o trabalho do comandante do Comando de Mobilidade Aérea, o brigadeiro Paul Selva, que recentemente foi nomeado pelo presidente Obama para encabeçar o Comando de Transporte dos EUA.

Selva aparecerá perante o Senado no dia 11 de março, de acordo com oficiais da Força Aérea.

FONTE: DefenseNews (tradução e edição do Poder Aéreo a partir do original me inglês)

- Advertisement -

9 Comments

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos

“… e da nova geração de bombardeiros de longo alcance”.

Que seria o????

Rinaldo Nery

O quartel general do MAC (Military Airlift Command) fica na Scott Air Force Base, perto de Saint Louis.
A linha de voo lá é impressionante. Não consegui contar os C-130.

Corsario137

Os EUA não aposentam, eles acumulam bombardeiros de longo alcance.

O B52 ta aí até hoje e vai até 2040. O B1 segue na lida, o B2 idem. Agora virá o BX. Gostaria muito de saber os requisitos operacionais desejáveis dessa nova aeronave. Não sei o que ela poderá fazer que algo no espectro que compreende do B52 ao B2 não faça.

Fernando "Nunão" De Martini

Corsario 137,

Mas a ideia é finalmente (e merecidamente) aposentar os B-52 ainda na ativa.

Algumas aeronaves poderão até chegar a 2040, embora eu ache tempo demais, mas não toda a frota. Apesar dos velhotes terem ultrapassado todos os limites de longevidade até agora, o pôr do sol parece que está finalmente (porém lentamente) se aproximando.

A substituição tem que ser iniciada uns cinco a dez anos antes disso e o desenvolvimento bem antes ainda (aliás, já começou).

Alfredo Araujo

“Corsario137 24 de fevereiro de 2014 at 21:16 #
.
Não sei o que ela poderá fazer que algo no espectro que compreende do B52 ao B2 não faça.”

Ser viável economicamente ?!?! rsrs
A tecnologia stealth do B2 é antiga… Segundo já li aqui, não é mais tão invisível quanto um F-22 é, e quanto um F-35 será (ao menos de frente)…
Sem contar o custo de operação q é altissimo

Carlos Alberto Soares

KC no Brazil hoje chama-se “Négasus” !

Observador

Carlos Alberto Soares
24 de fevereiro de 2014 at 23:56 #

Creio que está mais para “pangaré sem asas”.

Ou “cabeça de bacalhau”. Todo mundo diz que existe, mas ninguém vê.

Marcos

Nossos reabastecedores são furtivos, ninguém os vê!!!

Últimas Notícias

ESPECIAL: A Força Aérea Sueca durante a Guerra Fria

A Força Aérea Sueca (Svenska flygvapnet ou somente flygvapnet) foi criada em 1º de julho de 1926, quando as...
- Advertisement -
- Advertisement -