domingo, maio 22, 2022

Gripen para o Brasil

CSeries: primeira entrega só no segundo semestre de 2015

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

CSeries - primeiro voo - foto Bombardier

A Bombardier, fabricante de jatos regionais canadense, atrasou a entrada em serviço do seu novo avião de 110 assentos CS100 para o segundo semestre de 2015 e o CS300 de 135 assentos para seis meses depois.

A mudança no cronograma dos CSeries significa que a primeira entrega poderá ocorrer em até 15 meses além do mais recente cronograma, e em até dois anos mais além do estabelecido no plano original, que previa o CS100 entando em serviço no final de 2013.

Mas o tempo extra permitirá que os CSeries faça uma estreia “impecável” no serviço comercial com o lançamento do cliente Malmo Aviation, diz o presidente da Aviação Comercial da Bombardier, Mike Arcamone.

“Estamos muito satisfeitos pois não foram identificadas grandes mudanças no projeto”, diz ele.

O CSeries voou pela primeira vez em 16 de setembro do ano passado, mais de nove meses de atraso. Embora a Bombardier tenha sustentado que a primeira entrega ocorreria um ano depois, diversos analistas já haviam ajustado suas previsões para a entrada em serviço para o primeiro semestre de 2015.

Com o resultado da mudança, a aeronave estará pronta para entrar em serviço mais ou menos na mesma época em que o Airbus A320neo entrará em atividade.

A Boeing planeja entregar o primeiro 737 Max , no segundo trimestre de 2017, enquanto a Embraer planeja entregar o primeiro da família E2 em 2018.

FONTE: FlightGlobal(tradução e edição do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

9 Comments

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Alberto Soares

É. se atrasar mais pouco não tem problema.

Ass: Embraer, seus funcionários e fornecedores(nem todos).

Mauricio R.

Cuidado c/ o que se deseja, pois hoje são eles que tem a novidade tinindo de nova.
Enquanto que a Embraer deverá depender por um bom tempo, de aeronaves recauchutadas.

Mayuan

Que eu saiba no mercado de aviação uma aeronave precisa mais do que ser nova pra fazer sucesso. Precisa isso sim mostrar que traz vantagens significativas pra compensar todo o custo envolvido na troca. Isso eu já não sei se é o caso pois não conheço essa série da Bombardier.

Com a palavra os especialistas.

Carlos Alberto Soares
wilton feitosa

no meu modesto entendimento, me parece que a Bombardier demorou muito para atualizar sua linha regional e a Embraer comeu pelas bordas mais rápido do que os canadenses acreditavam …

e a sua investida em um produto totalmente novo foi na contra mão das demais grandes do setor … a Airbus continua a investir no seu A20 e Boeing 737…

e o tudo indica, a Embraer vai continuar a comer pelas bordas com o seus novos jatos modernizados …

Rogério

Comentários desativados no post do “Typhoon para o Kuwait…. e nos últimos post do Naval e Forte tb

Corsario137

Tem uma margem de segurança grande nisso aí, acho que eles vão entregar antes.

E sim, o mercado está em suspenso quanto aos CSeries. Ninguém ainda pagou pra ver realmente.

A Bombardier tá mais perigosa pra Dassault e Gulfstream do que pra Embraer.

Mauricio R.

Últimas Notícias

Operação Rimon 20: Caçadores israelenses versus caçadores soviéticos

Sérgio Santana O fim da Guerra dos Seis Dias de 1967 deixou as forças israelenses no lado leste do Canal...
- Advertisement -
- Advertisement -