Home Espaço Suspeita de sabotagem fez Brasil investigar franceses em Alcântara

Suspeita de sabotagem fez Brasil investigar franceses em Alcântara

861
22

acidente alcantara - foto estadao

Lucas Ferraz

ClippingNEWS-PACom a suspeita de que era espionado pela França, o Brasil investigou se agentes do serviço secreto francês promoveram ação de sabotagem para explodir a base de lançamento de satélites de Alcântara, no Maranhão.

Em 2003, um acidente no local matou 21 pessoas, entre engenheiros e técnicos do CTA (atual Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial), órgão da Aeronáutica.

A Folha obteve documento secreto da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) que revela pelo menos três operações de contraespionagem cujos alvos eram espiões franceses e seus contatos brasileiros e estrangeiros.

Houve também monitoramento do serviço de inteligência em órgãos de cooperação e cultura ligados à Embaixada da França.

O objetivo era proteger o setor espacial brasileiro da espionagem internacional.

A Folha revelou ontem que o governo brasileiro espionou diplomatas de países como Rússia, Irã e EUA. A Presidência afirmou que eram ações de contraespionagem.

O documento obtido pela reportagem evidencia que o Brasil monitorava o que os agentes da Abin descrevem como “rede de espionagem” da DGSE (sigla de Direção-Geral de Segurança Externa, a agência de inteligência da França), ativa no Maranhão e em São Paulo.

Um ex-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) confirmou à Folha que o governo sabia da espionagem internacional em Alcântara. Após o acidente, a investigação sobre a eventual sabotagem francesa prosseguiu, conforme disse um ex-dirigente da Abin que pediu para não ser identificado.

Apesar das evidências de espionagem francesa, o governo não encontrou provas de sabotagem. Oficialmente, a explosão foi provocada por uma pane elétrica que causou ignição antecipada de um dos propulsores do foguete.

A localização da base brasileira no Maranhão é considerada uma das melhores do mundo para o lançamento de foguetes com satélites comerciais, pela proximidade ao Equador. A estimativa é que os lançamentos de Alcântara economizem até 30% em combustível.

Se desse certo, a base de Alcântara (que está sendo reconstruída) se transformaria na única concorrente do Centro Espacial de Kourou, localizado na Guiana Francesa, território que faz fronteira com o Brasil e que pertence ao país europeu.

Conforme documento obtido pela reportagem, ao menos desde 2002 a Abin vigiava a movimentação de espiões franceses em Alcântara. Sob condição de anonimato, um oficial de inteligência que acompanhou o caso disse que um dos alvos era um agente francês do DGSE que se apresentava como Olivier. Ele atuava na região disfarçado de professor de kitesurf, e recrutava informantes na base brasileira.

A Abin fotografou o francês e seus contatos.

Os agentes também descrevem no relatório ações para monitorar a rede de espionagem em órgãos como Cendotec (Centro Franco-Brasileiro de Cooperação Técnica e Científica), ligado ao consulado francês em São Paulo, e Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Até 2003, ao menos oito relatórios de inteligência foram produzidos sobre o caso.

Procurada, a embaixada da França não se manifestou.

FONTE: Folha de São Paulo, via UOL

VEJA TAMBÉM:

22 COMMENTS

  1. Esses vazamentos, de operações de contra-espionagem da Abin, parecem ser propositais para mostrar à sociedade que o órgão não estava parado durante esta avalanche de informações que Snowden jogou no ventilador.

  2. … E os americanos; investigaram?

    Alguém já relacionou o 747 lançador do laser destrutivo com o acidente? A eles também não interessa!

  3. Off Topic

    Índia inicia com sucesso sua primeira viagem a Marte

    http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/efe/2013/11/05/india-inicia-com-sucesso-sua-primeira-viagem-a-marte.htm

    Se não me engano Índia e Terra de Santa Cruz iniciaram seus programas espaciais na mesma época, meados da década de sessenta. Penso que somente o fato de os hindus possuírem grande número de PHDs em sua sociedade não é suficiente para estarem galáxias a nossa frente nessa área. Eles, como nós, não são uma nação economicamente rica. Ao que parece, são mais decididos ao definirem e levarem adiante seus projetos. Mesmo que tenham contado com ajuda russa além da necessidade de vetores para atingir o Paquistão.

  4. Não duvido da espionagem mas, essas estórias são novamente divulgadas agora para desviar do real problema em que a culpa pelo ocorrido é de nosso próprio governo, o grande sabotador e não somente dessa área, que é responsável pela crônica falta de investimentos que levam a obsolescência e até improvisações que fazem tantas coisas darem errado, falta de investimento que não existem nas aeronaves, outros veículos e nos “lanchinhos” com que se esbaldam de graça.

    Se o próprio programa espacial americano no seu auge com bilhões em investimentos e cérebros privilegiados também tiveram tantos desastres, como seria diferente por aqui?

    Esse atraso se refletiu até na forma como se usava o combustível líquido nos foguetes, totalmente ultrapassado pois os mesmo era abastecidos e os técnicos trabalhavam neles assim, enquanto que na forma moderna e correta, o foguete é abastecido na rampa de lançamento momentos antes de ser lançado.

    Era questão de tempo uma desgraça acontecer, nossos técnicos trabalhavam com ferramentas, corrente elétrica em “coquetéis molotov” ……

  5. Um mapa simplificado com os sítios de lançamento de foguetes espaciais ao redor do mundo:
    http://www.spacetoday.org/Rockets/Spaceports/LaunchSites.html

    Observem o sítio 5 (Kourou) e 6 (Alcântara), ambos na América do Sul, ambos próximo a linha do Equador, sendo que o brasileiro é mais próximo.

    Alguma dúvida que são sítios potencialmente concorrentes?

    Era, É e continuará sendo esperado e até mesmo justificado que os franceses espionem o Centro de Lançamento de Alcântara. Geograficamente concorrente e, consequentemente, uma ameaça aos negócios aeroespaciais da Arienespace.

    Para quem não sabe, Arienespace é um negócio que ultrapassa 1,3 bilhões de Euros, em crescimento para algo em torno de 1,7 bilhões.

    Eles vão espionar sim, e nossa obrigação é impedir.
    Espionagem e contraespionagem…
    … simples assim.

    Devemos também, é óbvio, espioná-los.

    Parceiros estratégicos? Que tolice.
    São apenas no que interessa a eles. Nós devemos fazer pragmaticamente a mesma coisa, ser parceiro no que interessa a nós.
    No que há conflito é adversário… e se passar do limite, inimigo.
    (Pontual, como diz o matuto, na ferida.)

    Quanto a sabotagem, há muita especulação e nenhuma prova conhecida. Aparentemente não precisamos que ninguém venha nos sabotar, nós mesmos cuidamos disso.

    Sds.,
    Ivan.

  6. Se o Brasil tivesse líderes, governantes e políticos com visão de fato, pragmáticos a base de Alcântara poderia ser multinacional minimamente com EUA e França, desenvolvendo a cooperação de modo a construir um excepcional centro de tecnologia que poderiam render ótimas divisas sem falar na tecnologia, expandindo ainda mais o eixo industrial tecnológico de RJ-SP para essa região.

    Porém, também sabemos da “resistência nacionalista” contra tais “entreguistas” como vimos em qualquer movimentação que havia quanto esse assunto era trazido à tona, onde até mesmo a localização próxima de vilas de quilombolas, matas etc seria uma justificativa para impedir essa “abominação imperialista”

    “Em compensação” agora arcamos com tributos de 1º mundo para os mesmos que patrocinavam essa “resistência” mas que hoje estão no governo e nem conseguiram dar andamento decente ao nosso programa espacial (entre tantos outros!) para que tenham seus belos aviões confortáveis, apartamentos “funcionais”, “whiskinho escocês”, “caviarzinho” e que ainda, já cogitam de alugar a base para seu “antigo desafeto imperialista” como se fossê um cômodo qualquer do cortiço …..

  7. Se sabotaram e espionaram estavam cumprindo seu dever de nação séria.

    Enquanto isso, aqui, o ex presidente os tomava por “amiguinhos” e altruistas. Um amador aparvalhado.

    Quanto ao laser dos EUA, não seria necessário tamanha sofisticação para uma sabotagem. Nada que um pouco de dinheiro não resolvesse.

  8. Colombelli,

    Sabotar NÃO.

    Costumo ver meus concorrentes como adversários, sendo que as vezes são empresas administradas por amigos. A espionagem, tentar saber o que o outro está fazendo, é aceitável e uma prática comum.

    Mas sabotagem não. Significa uma destruição proposital de ativos, com eventual risco de vida. É coisa de inimigo e como tal deve ser tratado.

    No caso em questão acredito firmemente que houve espionagem, o que seria (e continua sendo) esperado. Mas descarto até prova em contrário a sabotagem. Até por que ninguém melhor que nós mesmos para nos sabotar.

    Haverá quem coloque a “culpa” nos governos (os muitos que passaram e estão aí), mas devemos lembrar que, em última análise, fomos nós que colocamos eles lá.

    Somos craques em futebol e sabotagem.
    Dispensamos ToT nestes assuntos.

    Sds.,
    Ivan.

  9. Ivan
    5 de novembro de 2013 at 15:38 #

    Culpados são os governos sim, particularmente e infelizmente tenho anulado meus votos o que não resolve muito mas, culpar quem vota não faz muito sentido pois quem votou em candidato que não ganhou como ficaria sua “cota de culpa”? Ainda, já viu alguma campanha onde candidatos dizem que são incompentes para um, dois ou tudo que envolve governar? Que a campanha é de mentirinha apenas para ele chegar lá ?!?!?!

    Para quem ganhou a eleição o eleitor só interessa para ganhar pois todos nós pagamos impostos.

    Algum candidato mesmo em eleição em dois turnos, aceitaria cobrar impostos proporcionalmente a porcentagem de votos que teve, isentando quem não votou nele?

    No final das contas é isso quem importa, os impostos senão ele não tem o que fazer e isso que a sociedade precisa cobrar independente em quem votou, de quem ganhou.

    abç.

  10. Que os “nossos ” amigos franceses espionaram, concordo sem nenhuma dúvida. Mas, Porém, Todavia e Contudo também tenho que concordar que os nossos sabotadores somos nós mesmos, pos gastamos muita grana ( e bota muita nisso !!!!!) com nada , a não ser para dar vida boa sos nossos governantes, como o caso do caviar do Ministro da Fazenda e abastecer os bolsos de corruptos. Mas também não podemos deixar de lembrar dos “nossos” amigos americanos que também gostam de nos sacanear. Vous apenas falar mais uma coisa, que pode ser lembrada para o ano de 2014: as ELEIÇÕES estão chegando……..

  11. São impressionantes as coisas que as vezes leio aqui. Então quer dizer que os países tecnologicamente mais desenvolvidos que o nosso estão certos de promover sabotagem que destrói patrimônio material e intelectual além de tirar a vida de 21 pessoas? Só não digo o que me vem a mente porque sou contrário a agredir os colegas de fórum, por mais que esse tipo de opinião valha menos do que deixamos pra trás quando vamos ao banheiro.

  12. Antônio,

    Com todo o respeito, nada contra você mas divergindo da opinião que você emitiu.

    A culpa é do povo sim. Culpa de um povo que não sabe em quem votou mas sabe a escalação da seleção de 1952. De um povo que nem cogita se inteirar da vida política do país, que acha política chata mas adora ver novela. Que não sabe quais os projetos tramitam no legislativo (assim mesmo com minúsculas pois eles não tem feito por merecer mais) mas sabem tudo da vida dos artistas. Que reclama de taxas de juros mas não tem ideia de quem as elabora e por qual motivo. Que tem esse maldito complexo de vira lata mas morre de orgulho do carnaval. Em resumo, de um povo que chafurda em cultura inútil mas não se interessa pelo que realmente interessa.

    “Quem não gosta de política é governado por quem gosta.” e “Quem não se interessa pela política, não se interessa pela vida…” Não são frases minhas mas de Ulysses Guimarães e resumem bem tudo.

    O governo, esse do qual o povo aqui ama reclamar, ama quem pensa assim pois sabe que são reclamações vazias. Como as de um cachorro velho e desdentado preso no fundo do quintal em dia de festa.

    Anular voto não ajuda em nada e não isenta de culpa. Ajuda é investir seu tempo para conhecer o que eles fizeram, o que deveriam ter feito e o que nunca deveriam ter feito mas fizeram mesmo assim. Lendo as Veja e as Istoé da vida, ou seja, tentando conhecer todas as faces da moeda e julgando qual delas tem razão na sua opinião. Isso sim é o que faria o país mudar, uma população informada, consciente e participativa. Isso é o que faz políticos no Japão se matarem, Ingleses renunciarem e outros a contratarem advogados top. Isso é o que fez nossos políticos correrem pra fingir que faziam algo quando as manifestações pipocaram por todo o país.

    Mais uma vez, nada contra você mas apenas uma divergência com intuito produtivo.

  13. Mayuan,

    Você tem toda razão, mas só queria fazer uma pequena ressalva sobre uma das frases de Ulysses Guimarães:

    “Quem não gosta de política é governado por quem gosta.”

    Estaríamos muito melhor se fosse realmente assim, mas infelizmente o voto no Brasil é obrigatório, o que inverte a frase:

    Quem gosta de política é governado por quem não gosta.

    Qualquer reforma política que não transforme o voto em facultativo não é reforma política.

  14. Mayuan
    6 de novembro de 2013 at 1:38 #

    Não há problema em divergências e não vejo nisso motivo para briga ou fazer inimigos.

    Sim, o povo não ajuda principalmente por não exigir melhorias que valham, apenas espamos em manifestaçõe s que logo se deixam contaminar por radicais comandados por interessados em manter como as coisas estão.

    Mas são quase 30 anos de eleições livres para todos os cargos, mais do que suficiente para uma classe política ter colocado o pais nos trilhos de forma muito mais efetiva e concreta. E novamente, como foram as promessas de campanha X realizações cumpridas em todos esses anos?!

    E a ditadura militar foi resultado de uma eleição? Apesar de no momento ter sido apoiada por boa parte da opinião pública e efetiva para evitar que determinados elementos chagassem ao poder para implantar um regime falido, mentiroso etc, apenas retardaram que esses mesmos chegassem ao poder agora. E o principal motivo na minha opinião foi não terem dado a devida atenção à educação, deixando nas mãos de gente da mesma ideologia de quem vinham combatendo na área política. Por que não fizeram questão de manter a educação pública nos moldes nos moldes dos colégios militares, ITA, IME ?!?! Mesmo assim, votam conforme promessas mas que se revelam na maioria das vezes apenas belos produtos de mkt/publicidade e pouco pode se fazer após serem eleitos, são praticamente intocáveis sem falar no episódio em que se conseguiu um impeachment porém, o mesmo voltando a política se aliando a quem lhe tanto combateu, acusou e o derrubou!

    E isso é o resultado está aí, povo em parte analfabeto funcional e que vota para ganhar migalhas, parte educado para atender a demanda técnica/profissional que não tem tempo ou interesse para discutir temas como discutimos por aqui.

    Culpo os políticos sim pois dentro da legalidade e civilidade não podemos sair por aí fazendo a justiça com as próprias mãos e de qualquer jeito, por isso que há políticos, e que não são obrigados serem, são “voluntários” que se propõem com esse poder dado pela população de legislar e fazer cumprir a leis por nós e seria sua mera obrigação. Mas souberam bem fazer em causa própria enquanto a nação se arrasta.

    Concordo que é difícil “atribuir a culpa” pois sendo a solução parecer simples e óbvia, difícil é sua implementação e quem se propor de fato a fazer isso não terá tarefa fácil e doce.

    abraço.

  15. sabotagem nada; falta de investimento e continuidade nas pesquisas mesmo….

    espero sinceramente que a situação melhore e finalmente lancemos esse conjunto foguete+satélite nacional. Afinal, até a CORÈIA DO NORTE já fez isso ano passado. Artefato foi satelizado com confirmação até dos EUA….se isso não é vergonhoso para nós não sei o que poderia ser.

    P.S. estamos atrás do Irã também (nessa área)….

  16. No dia anterior ao fatídico dia do acidente, estava de sobreaviso na BAAN. Fomos acionados a fim de localizar um navio suspeito, civil, de bandeira norte americana, que foi localizado próximo a Fernando de Noronha, com proa de São Luis, MA. Suspeitava-se que o referido navio tinha por objetivo colher informações durante o lançamento do VLS. Decolamos a bordo de um R-99, e encontramos o referido navio a 48 NM de Parnaíba, às 22;30h. Recolhemos na BAFZ, onde havia um P-95 em sobreaviso. Passamos as informações àquela tripulação, a qual decolou e acompanhou o navio até o través de Belém, de onde (o navio) aproou Porto Rico.

  17. Franco,
    O ABL era claramente voltado para conter um ataque da CN. A aeronave permaneceria em espaço aéreo protegido no território da CS e mesmo assim poderia destruir mísseis balísticos na fase de impulso logo que adentrassem à mesosfera.
    Para isso o 747 deveria estar a mais de 10.000 metros de altitude e teria um alcance de uns 600 km, mantendo o feixe por uns 3 segundos por alvo e sendo capaz de engajar cerca de 80 mísseis antes de precisar ser reabastecido em terra.
    Se lá ele não foi usado e os norte-coreanos lançam seus foguetes impunemente, é pouco provável que os americanos o tenham usado aqui no Brasil.
    Mesmo porque,provavelmente o espaço aéreo ao redor de Alcântara estaria sendo vigiado e uma aeronave a mais de 10.000 metros seria detectada pelos nossos radares (a menos que estivesse sobre o mar).
    Para atingir um alvo na superfície da Terra a grande distância o avião deveria estar a grande altitude, o que facilitaria a sua detecção.
    Se imaginarmos que os americanos já tinham o ABL operacional de forma secreta podemos muito bem imaginar que há satélites armados com laser capazes de atingir alvos em terra.
    Acho pouco provável qualquer uma das possibilidades.

  18. Por mas nacionalista que eu seja e Anti-Âmis e Anti -Comunista(socialistas e bolivarianos), tenho que concorda e fechar com o colega forista.

    Marcelo

    6 de novembro de 2013 at 15:17 #.

    sabotagem nada; falta de investimento e continuidade nas pesquisas mesmo….[2]

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here