terça-feira, maio 18, 2021

Gripen para o Brasil

General reformado da USAF diz que Coreia do Sul precisa do F-15 e do F-35

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

F-15 Silent Eagle dispara AMRAAM

Jon Hemmerdinger

Washington DC – Um general reformado da Força Aérea dos EUA, ex-chefe de estado maior, recomenda que a Coreia do Sul compre aeronaves F-15 Silent Eagle da Boeing no curto prazo, dizendo: “o F-35A Joint Strike Fighter da Lockheed Martin será um ‘tigre de papel’ até o início da década de 2020, quando ele terá seu software atualizado”.

O General Ron Fogleman, agora um consultor da Boeing, disse a jornalistas durante um evento em 4 de outubro organizado pela empresa, que a Coreia do Sul seria melhor servida com uma mistura de F-15 e F-35.

Ele adverte que uma compra somente de jatos F-35 vai deixar o país sem a prontidão de combate suficiente a partir de 2016 e 2017, quando a Força Aérea da Coreia do Sul vai retirar de serviço as aeronaves McDonnell Douglas F-4 e Northrop F-5.

“O F-35 não tem a capacidade de combate de hoje do F-15”, diz Fogleman, que também é presidente do conselho da Alliant Techsystems, que fabrica componentes para o F-35 . “Há uma real necessidade para a capacidade de combate de curto prazo.”

O escritório de aquisição do programa F-35 do governo dos EUA não respondeu imediatamente a um pedido de comentário, enquanto a Lockheed disse: “a República da Coreia entende melhor as suas necessidades de segurança nacional. A Lockheed Martin é honrada pela Coreia do Sul considerar o F-35A e as capacidades de quinta geração que ele proporciona.”

First F-35 Live Fire Weapon Test with a AIM-120 AMRAAM

Fogleman passou 34 anos na USAF e tinha o controle operacional da Força Aérea da Coreia do Sul como comandante do componente aéreo do comando conjunto das forças da Coreia do Sul.

Seus comentários surgem no momento em que a Coreia do Sul pretende adquirir 60 caças como parte de seu Programa F-X III, de 7,2 bilhões de dólares.

O país inicialmente descartou o F- 35A e o Eurofighter Typhoon, devido aos custos elevados, mas o F- 35A foi recolocado quando o país rejeitou a oferta de F-15 da Boeing em setembro, devido à falta de tecnologia “stealth” suficiente.

Fogleman diz que Coreia do Sul é inteligente em solicitar o F- 35, mas precisa de uma aeronave comprovada até o início da década de 2020, quando o F-35 terá o chamado software Block 3F. Essa atualização dará à aeronave suas capacidades operacionais completas, o que significa que terá um melhor desempenho e a capacidade de transportar uma ampla gama de armas .

“Você pode comprar um avião furtivo , mas se ele não tem muita capacidade de combate você meio que tem um tigre de papel”, diz Fogleman . “Eu não tenho certeza se quero arriscar a independência do meu país… em um tigre de papel.”

Em comparação, o F-15 é uma aeronave comprovada, que excede em levar cargas pesadas em altas velocidades e em longas distâncias; capacidades críticas em uma guerra contra a Coreia do Norte, diz Fogleman.

Embora o US Marine Corps e a USAF estejam recebendo o F-35 com versões anteriores do software, a Marinha os EUA aguarda pelo software Block 3F.

Aeronaves da Marinha vão atingir a capacidade operacional inicial (IOC), entre agosto 2018 e fevereiro de 2019, enquanto o USMC e USAF devem atingir o mesmo status em 2015 e 2016, respectivamente, de acordo com um relatório do Departamento de Defesa de junho.

FONTE: Flightglobal (tradução e edição do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

3 Comments

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mayuan

Alguém defende o F-35 aí gente.

Antonio M

Não vejo como errada a colocação do General, pois isso simplesmente se chama transição.

O Brasil que se “acostumou” a usar seus meios até o fim da vida útil e com todo tipo de extensão via modernizações para depois começar a operar algum meio novo, ou “menos velho” ao invés de já introduzi-los a tempo de se desenvolver novas doutrinas antes da aposentadoria do meio mais antigo.

Alguns exemplos: a aviaçãoo de caça, a aviação de patrulha, as fragatas, a artilharia anti-aérea apenas para lembrar alguns poucos.

Ivan

Qual a atividade profissional do General reformado Ron Fogleman? Consultor da Boeing e presidente do conselho da Alliant Techsystems, fornecedora do JSF. A ‘opnião’ dele está perfeitamente de acordo com seus empregadores. Entretanto pode estar certo. Tudo depende do prazo que os ‘coreenses’ tem para substituir seus F-4 e F-5. Se os velhinhos, mas eficientes Phantoms e Tigers segurarem a llinha de frente até o início da próxima década, dá para esperar os F-35A Lightning II. Caso contrário, melhor encomendar mais umas 3 (três) ou 4 (quatro) dezenas de F-15K Em tempo. O substituto dos KF-5E serão os F-50 Golden… Read more »

Reportagens especiais

Stealth: por que os europeus demoraram tanto para adotar a tecnologia?

Mesmo depois do desenvolvimento pelos americanos de aviões de combate dotados de tecnologia furtiva F-117A Nighthawk, B-2 Spirit, F-22 Raptor, F-35 Lightning II,...
- Advertisement -
- Advertisement -