domingo, maio 16, 2021

Gripen para o Brasil

Avião da FAB cai na divisa do Rio Grande do Sul com SC

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Aeronave teria colidido contra fios de alta tensão em Zortéa

 –

Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) da Base Aérea de Santa Maria caiu na manhã desta quinta-feira na divisa do Rio Grande do Sul com o estado de Santa Catarina. A aeronave teria colidido contra fios de alta tensão na cidade de Zortéa. A FAB informou que deve divulgar nota oficial sobre o acidente em breve. Ainda não há informações sobre vítimas.

Segundo o comandante da Base Aérea de Santa Maria, Davi Almeida, o caça teria batido em fios de alta tensão e explodido no ar. Dois helicópteros de Santa Maria seguiram para o local do acidente. A aeronave realizava uma missão operacional e pertencia ao 10º Grupo de Aviação da Base Aérea.

Conforme o radialista Alex Pacheco, da Atual FM, de Santa Catarina, a aeronave voava baixo já no município de Concórdia. Populares relataram que o caça fez muito barulho quando deu rasantes na região. Alguns moradores se assustaram com a passagem do avião.

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Joaçaba e Capinzal, que chegaram ao local da queda, a aeronave está completamente destruída, com metade enterrada no lago da Usina Hidrelétrica de Machadinho e a outra metade na terra.

Jornal VS – A aeronave não tinha ligação com a base aérea de Canoas, segundo assessoria

Santa Catarina – Um caça AMX da Força Aérea Brasileira (FAB) caiu nesta manhã no lago da Usina Hidrelétrica de Machadinho, na divisa entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A aeronave havia decolado da Base Militar de Santa Maria. Apenas o piloto – que ainda não foi encontrado – estava no avião.

Segundo uma rádio local, o avião teria sobrevoado o município catarinense de Concórdia, e moradores teriam visto fumaça saindo da aeronave. Antes de cair, ele teria batido na rede de alta tensão. Polícia e bombeiros fazem buscas no local. Segundo a assessoria, nem o avião nem o piloto faziam parte das operações da Base Aérea de Canoas.

ATUALIZAÇÃO – 12h45: SEGUNDO NOTÍCIA DO PORTAL TERRA, CORPO DO PILOTO FOI LOCALIZADO NA MARGEM DO RIO URUGUAI

Uma avião caça (sic) modelo AMX da Força Aérea Brasileira (FAB) caiu, na manhã desta quinta-feira, na zona rural de Zórtea, na fronteira entre os Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O corpo do piloto foi localizado às margens do Rio Uruguai por volta das 11h50.

O caça teria decolado da Base Aérea de Santa Maria (RS), e caiu por volta das 09h30 na comunidade conhecida como Volta Grande após bater contra a fiação elétrica e explodir. Parte dos destroços da aeronave caiu dentro do lago. O acesso ao local é somente através de barco

Uma equipe da FAB foi encaminhada para o local para realizar as buscas junto ao Corpo de Bombeiros de Capinzal, Curitibanos e Joaçaba.

FONTES: Correio do Povo,  Jornal VS e Terra (vc repórter)

Colaboraram: Alexandre e Diegolatm

- Advertisement -

16 Comments

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Daglian

Triste notícia. Espero que o piloto esteja bem.

Também é importante que a FAB trate de veicular o quanto antes uma nota oficial sobre o assunto contendo a situação do piloto (é claro que o A-1 foi totalmente destruído, pois explodiu), se não isso pode cair no mesmo problema do Hermes 450: aquelas dúvidas sobre o que aconteceu ou deixou de acontecer.

Diegolatm

O estanho em tudo isso é que o piloto estava fazendo treinamento a baixa altura perto de uma hidrelética…acredito que haveria conhecimento no plano de voo no caso de a aeronave ter que passar perto de fiações de alta tensão…ou posso estar errado…

Marcos

Diegolatm

“…ou posso estar errado…”

Acho que é por ai mesmo.

Quanto a informação de moradores de que o avião estava soltando fumaça… bom, o da imagem ai em cima também está, o que não significa absoutamente nada.

Diegolatm

Segundo informaram o piloto saiu da Basm para uma missão de treinamento, por isso voava a baixa altura.

Pois é nunão, fiquei sabendo que o piloto faleceu tambem.

Daglian

Fernando “Nunão” De Martini,

Nunão, li agora. Uma pena… meus pêsames à família, pois faleceu mais um guerreiro de nossas FFAA.

Agora, resta esperar pelas investigações da causa do acidente. Acredito também que o piloto estava voando baixo e acidentalmente bateu nos cabos de alta tensão, e por isso não ejetou.

Giordani

Fios de alta tensão? De novo isso? A FAB já perdeu um F-5 assim nas proximidades de Erechim. Na época chegou-se a conclusão que a rede não aparecia nos mapas. De novo?

Triste notícia.

Franco Ferreira

Uma das necessidades obrigatórias à sobrevivência de aeronaves após ataque ao solo, é a evasão do local atacado em voo rasante. É imprescindível treiná-lo, em altitude tão baixa quanto possível! A manobra e o seu necessário treinamento, desde sempre, cobram vidas! Giordani- O voo conduzido – necessariamente visual – não obedece às regras de voo VFR (mínimo de 1000′ sobre o terreno); e o piloto, nestas condições, e altitude não tem meios de consultar mapa de navegação visual. Ele provê – sozinho e no olho – a separação com obstáculos no solo ou em voo. Surpreendido pelo impacto, é muito… Read more »

Franco Ferreira

O portal G1 apresentou um filmete. Vê-se – claramente – 1- que houve ejeção; 2- que a foto do capacete está montada (não pode haver manual debaixo dele e cintas de paraquedas ou cadeira, juntas; 3- A ejeção é inquestionável à vista da aparência do canopi; 4- houve colisão com “torre”, não com linha de transmissão, estas praticamente invisíveis em voos desta natureza. A quantidade de tempo disponível para uma ejeção – logo antes ou depois da colisão – é tão pequena que o Aviador estava – sem nenhuma dúvida – atento a tudo o que se passava. A topografia… Read more »

tpivatto

GIORDANI: o Franco já respondeu, em parte, tua pergunta, mas, de fato, esse não foi o único acidente do tipo, nem deverá ser o último. Além desse que vc mencionou (perto de Erechim), lembro de outro caso de colisão com a rede elétrica perto de Santa Cruz do Sul-RS (se não me engano no interior do Município de Venâncio Aires-RS). Lembro, tbm, do F-5 da BACO que caiu no Delta do Jacuí (se não estou enganado, esse caso não se trata de colisão com a rede elétrica, mas de falha de motor ou motores, já que os bicudos são biturbinas).… Read more »

tpivatto

FRANCO: por acaso, vc sabe informar se o CENIPA publica na internet relatórios dos acidentes aeronáuticos envolvendo caças ou se existe algum tipo de sigilo qto a esse tipo de documento, por causa da natureza militar das aeronaves e/ou envolvidos? Outrossim, conheces algum site em que seja possível pesquisar sobre acidentes envolvendo caças da FAB?
Sauds.

Guilherme Poggio

tpivatto

A FAB não divulga para o público em geral o resultado de investigações de acidentes com aeronaves militares.

tpivatto

POGGIO: Obrigado. Valeu pela informação. Particularmente, acho isso um erro, pois todo acidente traz lições preciosas. Quem já viu algum episódio de “Mayday! Mayday! Desastres aéreos” na NatGeo TV sabe do que estou falando. Bem de qq forma, então fica aqui a DICA do que deve ser um dos poucos documentos público brasileiros (acórdão) que relata DETALHADAMENTE um famoso acidente ocorrido com caças da FAB, ainda na época da ditadura. Havido aqui no Sul, envolvendo os bicudos da BaCo, e que tbm descreve a forma, digamos assim, “corporativa”, com que a milicada desenvolveu o Inquérito Militar (quase “sobrou” para a… Read more »

tiagobap

[…] Avião da FAB cai na divisa do Rio Grande do Sul com SC […]

Reportagens especiais

Baixa assinatura visual, num trabalho com a nossa assinatura de qualidade

Camuflagem do novo helicóptero da Polícia Militar do Paraná foi criada por Alexandre Galante, editor da revista 'Forças de...
- Advertisement -
- Advertisement -