Home Armée de l´air A falta que o ‘OBOGS’ do Rafale faz à família Mirage

A falta que o ‘OBOGS’ do Rafale faz à família Mirage

335
12

Força Aérea Francesa pôs para funcionar a pleno a usina de produção de oxigênio líquido em Solenzara, na Córsega, para apoiar os diversos modelos de Mirage operando sobre a Líbia

Na operação Harmattan, nome dado à parte francesa do esforço da OTAN em manter uma zona de exclusão aérea sobre a Líbia (além da proteção aos civis), os diversos modelos de Mirage dependem do fornecimento de oxigênio ao piloto por meio de garrafas instaladas nas aeronaves, para cumprirem suas longas missões a elevadas altitudes. E não só os caças dessa ‘família’, como o Mirage 2000 D, Mirage 2000-5 e o Mirage F1 CR, mas também aeronaves de maior porte como o  E3-F e o C 135.

Já o Rafale, que tem sistema ‘OBOGS’ (On-Board Oxygen Generating System – sistema embarcado de geração de oxigênio) não depende do suprimento da fábrica instalada em Solenzara, na Córsega, para cumprir suas missões.

A usina de produção de gases aeronáuticos (usine de production des gaz aéronautiques – UPGA) de Solenzara está operando a pleno regime, segundo o Armée de l´air (Força Aérea Francesa). A usina está habituada a atender a picos de demanda, especialmente durante campanhas de tiro e exercícios multinacionais realizados na Córsega.

A usina transforma o oxigêncio do ar ambiente em oxigênio líquido. Nas garrafas instaladas nas aeronaves, um litro do líquido equivale ao volume de 850 litros gasosos. Na usina, o ar é captado, filtrado, passa por uma série de turbinas e processos para se liquefazer e ser destilado. Em um ano, a UPGA de Solenzara costuma produzir entre 40 e 50 mil litros de oxigênio líquido.

E falando em Mirages, a ilha de Creta recebeu um reforço

Desde 18 de abril, o dispositivo militar francês baseado em La Sude, em Creta, recebeu um reforço de seis aviões de ataque Mirage 2000D que operavam em Solenzara.

As aeronaves se somam aos quatro Mirage 2000-5 franceses que operam em La Sude desde 25 de março, em conjunto com caças Mirage 2000-5 do Qatar. No dia 18 de abril, quatro Mirage 2000D foram transferidos à base, pousando após cumprirem uma missão a partir de Solenzara. No dia seguinte, mais dois Mirage 2000D pousaram em Creta, fazendo com que o total de Mirage 2000-5 e Mirage 2000D franceses , na base de La Sude, chegasse a 10 aeronaves.

Segundo o Armée de l´air, o desdobramento em Creta permite reduzir o tempo de deslocamento até a zona de operações, assim como o tempo de presença das aeronaves sobre a Líbia. O apoio às aeronaves é realizado por transportes  A340 e C160.

FONTE / FOTOS: Força Aérea Francesa (Armée de l´air) e Ministério da Defesa da França

VEJA TAMBÉM:

12
Deixe um comentário

avatar
11 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
Guilherme PoggioRenato OliveiraMauricio R.edcreekAlmeida Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Almeida
Visitante
Almeida

Eu poderia jurar que na reforma pra versão traço cinco e traço nove eles tinham posto um OBOGS nos Mirage 2000. Fazem de tudo para empurrar o Rafale, incrível.

edcreek
Visitante
Member
edcreek

Olá,

Pelo menos o caça tem o alcançe necessario, não é como uns e outros que tentam empurrar um caça com 800 km de alcançe?

Abraços,

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

OFF TOPIC… …mas nem tanto, já que envolve a Jaca, na Índia. Segundo o site LiveFist, a Jaca e o Typhoon teriam sido novamente listados, como os finalistas do MMRCA: “Both companies have confirmed that their programme teams have been asked to be at the MoD/Air HQ tomorrow for a meeting where the process will be taken forward. While the two companies have been, in effect, asked to extend the validity of their commercial bids, the other four contenders — Boeing F/A-18, Lockheed-Martin’s F-16, UAC’s MiG-35 and Saab’s Gripen — haven’t received a message or a letter. This is, in… Read more »

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

Mas esse “alcance necessário” é c/ ou s/, aqueles imensos tanques extras???
Afinal, todos tem capacidade de REVO.

edcreek
Visitante
Member
edcreek

Olá,

Mauricio R. sobre os caça Europeus no pareo não há duvida já que ainda tem muita desconfiança dos Indianos com os Gringos e já estão abarrotados de caça Russos top-de-linha.

Sobre a capaçidade revo, sem duvida todos tem capaçidade em tempo de paz não há duvida que um caça como JAS-39 é uma otima opção.

Mas em caso de guerra as coisas se complicacam e é necessario ter maior alcançe e maior capaçidade de carga, já que não se pode esperar um avião-tanque e todos sabemos que eles sempre são em numeros limitados em 99% das forças aereas.

Abraços,

Renato Oliveira
Visitante
Member
Renato Oliveira

Caro ed,

Alcance com 6 mil litros de combustível externo até o AMX teria.

Quanto ao OBOGS, o supra-sumo-ultra-plus da jaca não tem, mas o ‘gripadinho’, como vc se refere ao Gripen, tem.

Digo e repito: a jaca sempre aparece com três drop tanks em fotos. É combustível externo demais. Em campanhas prolongadas, depender de drop tanks é complicado.

Quanto a dificuldades com REVO, 99% dos países se viram sem REVO, infelizmente. Nós inclusive. É um absurdo um país do tamanho do nosso ter tão poucos tankers.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“…e é necessario ter maior alcançe e maior capaçidade de carga,…”

A capacidade de carga é limitada pelo tanto que cada pilone pode suportar, a presença de tanques extras reduz o nº de pilones disponíveis e portanto reduz a capacidade de carga.

“…já que não se pode esperar um avião-tanque e…”

As operações sobre a Líbia quer partindo da Cósega, Itália ou Creta necessáriamente contam c/ suporte de REVO.

Mauricio R.
Visitante
Mauricio R.

“É um absurdo um país do tamanho do nosso ter tão poucos tankers.”

Fora a USAF, ninguém mais tem frotas imensas de reabastecedores.

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Fora a USAF, ninguém mais tem frotas imensas de reabastecedores.

A frota da USAF de reabastecedores é grande em comparação com os outros, mas nem a USAF tem a quantidade de reabastecedores que presicaria ter.

Renato Oliveira
Visitante
Member
Renato Oliveira

Concordo, Maurício, mas poucos países tem áreas tão grandes para vigiar.

Almeida
Visitante
Almeida

Não entendi seu comentário Edcreek. Se for referente ao Rafale versus Gripen, seu assunto preferido, devo dizer que ambos estão operando sobre o teatro líbio, partindo das mesmas distâncias. Só que um vai com 3 tanques externos de combustível e o outro com apenas dois. E falamos aqui do Gripen C/D, que tem 40% a menos de combustível interno que o futuro E/F.

No mais, antes da vogais E e I não se usa cedilha. Alcance e capacidade.

edcreek
Visitante
Member
edcreek

Olá,

Ameida e Renato Oliveira, a India que leva serio a defesa já deu a resposta o projeto Sueco precisão de um forneçedor com historio real de batalha e não teoria de papel de um caça enviado para tirar fotos, o caça não atende a demanda Indiana, e foi desclassificado. Só não sabermos exatamente ainda o motivo se foi politico ou tecnico, mas em breve saberemos.

Bem lembrado Guilherme a falta de “revos” na USAF….

Em suma o Jas-39 é bom caça para defesa e tempos de paz, mas a India precisa de algo real, que não seja somente para desfilar…

Abraços,