Home Armée de l´air ‘Hi-lo mix’ à francesa

‘Hi-lo mix’ à francesa

503
86

Os caças produzidos pela Dassault continuamente formaram um tipo especial de “hi-lo mix” no Armée de l’air (Força Aérea Francesa) ao longo de décadas, na medida em que uma nova aeronave, mais avançada, ia substituindo modelos mais antigos e convivendo com seus antecessores na prancheta, até surgir o próximo avanço.

Foi assim com a família  Mirage III e seu sucessor em prestígio e sucesso, o Mirage F1, somando forças nos anos 70. Foi assim nos anos 80 e 90, com o Mirage 2000 substituindo os últimos modelos de Mirage III enquanto formava a primeira linha com o Mirage F1, que hoje está no final da vida operativa (isso falando apenas em aviões de combate da Dassault –  não estamos tratando, aqui, de aeronaves como o Jaguar).

E tem sido assim no novo século, com o Rafale entrando gradualmente em operação e dividindo os céus com o Mirage 2000, que nessas fotos está representado pelo modelo “-5”, capaz de operar o míssil ar-ar Mica.

Cenas como as desta matéria (mas em especial com modelos de ataque biplace Mirage 2000 D, preferencialmente modernizados) ainda deverão ser bastante comuns na próxima década, rendendo boas fotos dessas belas aeronaves, em formação. 

Isso porque a estratégia de modernização da Força Aérea Francesa visa, para os próximos anos, manter uma força de 300 aeronaves de combate polivalentes, dos tipos Mirage 2000 D e Rafale, com a capacidade de deslocar 70 deles a 7.000 km de distância em caso de conflitos de maior intensidade.

Clique aqui para ler outros detalhes desta estratégia, no site do Armée de l’air, em francês. E clique nos links abaixo para ver algumas das diversas matérias do Poder Aéreo que referem-se a aspectos dessa estratégia.

FOTOS: Armée de l’air (Força Aérea Francesa)

VEJA TAMBÉM:

86 COMMENTS

  1. Essa segunda foto esta linda com o rafale, é uma pena ser um caça caro, caso contrario seria uma otima opção para o Brasil!

    Gripen continua com certeza o conjunto é o melhor custo/beneficio para o Brasil!

  2. HI LO Mix é o normal.

    Acontece em quase todas as forças aéreas operacionais do mundo.

    Haverá apenas uma diversidade menor de aeronaves de combate, bem como uma quantidade menor, mas a ‘mistura’ deve continuar.

    Abç,
    Ivan.

  3. Enquanto isso, a coisa ficou preta para o Rafale nos EAU. Vespão na área:

    http://www.defensenews.com/story.php?i=4775556&c=FEA&s=CVS

    “PARIS – Os Emirados Árabes Unidos (EAU) solicitaram informações técnicas sobre o Boeing F/A-18E/F Super Hornet, uma ação surpreendente que transforma uma compra antecipada de Dassault Rafales em uma competição a de$10 bilhões de dólares, segundo uma fonte ligada a área de defesa do golfo pérsico.”

  4. Os EAU estao investindo num Centro Aeroespacial. Jah tem parcerias com a Sikorsky, Piaggio, Universidade e muitas outras empresas. Somente na infraestrutura de onde serah localizado o cluster (zero de impostos) jah foram investidos 1 bilhao de dolares.
    Imagino que um fator preponderante p/ venda dos fighter jets serao os offsets. Recentemente a Mubadala aerospace (braco de investimento do fundo soberano de Abu Dhabi) formou uma joint-venture com a GE, inclusive for MRO. Apenas na GE joint-venture foram investidos 4 bilhoes de dolares (os outros 4 vieram da propria GE); e a GE fornece os motores do SH. Pois eh, somente na parceria com a GE foram investidos inicialmente um valor proximo ao do FX-2, mas no Brasil o intuito, aparentemente, eh de promover a concorrencia (Dassault) e nao a ind. nossa local.

    O $$ que sai p/ comprar os jets vem do bolso do mesmo Sheikh que promove o Centro Aeroespacial, Moh. Al-Nahyan, um treinado piloto de jets e helicopteros (e faixa preta do jiu-jitsu brasileiro).

    Hey, mas no Brasil nos temos o NJ e os vinhos do Chateau…

    []s!

  5. Belas fotos.
    Um grande caça o Rafale, como é o Mirage 2000-5
    Realmente, a indústria francesa tem tradição em desenvolver armas extremamente eficazes.
    Quando o Rafale entrar em serviço na FAB teremos uma arma eficaz e não somente boa de fotos. rs

  6. putz…
    isso q e falta de sorte!!!!
    tem gente ai fazendo macunba pro rafale!!!!!
    todas as vendas dele quando estao quase certas algo vem e derruba o negocio!!!!
    nao ganha uma!!!!
    eita acho q ajaca vai perder aki tb….
    eita macumba braba!!!!!

  7. se der o rafale sim ne:pois gripen na parada e comendo pelas beiradas,como ta acontecendo la no golfo persico com o vespao so de zoio pronto p/ dar o bote no rafale [dassult] e tirar mais uma que tava ja garantida,tem que ficar mais barato e desenvolver o bicho sem encarecer a fera; senao mais uma vai p/os vespao ,f16 e outras concorrencia vao p/ o gripen ,ai desse jeito nao tem empresa ou grupo que aguente tanto fracasso.

  8. Tou começando a achar que vai ser negócio fazer uma compra de M2000-5. O Brasil está sem grana, os M2000 estão saindo, mas na versão -5 servem bem. Compra-se mais 36 M2000-5, e a gente desiste de vez deste desgraçado FX-sei lá o que. E se a grana der, parte-se para o gripen ou para p F-18. Afinal de contas, o f-18 tb está um negoção, já que a Boeing vai fabricar mais 350 desses… vamos virar freguês do AMRRAG sorrindo…
    Brasil? Hi-LOW com M2000/F-5BR no Litoral ou F/A-18 e AMX/SuperTucano nas fronteiras do norte e centro-oeste. Façam as contas, vai ser mais barato do que…

  9. voçés fala só em custo, mais o rafale em combate ar-ar eu ar – te ,dá um banho no gripen-ng ;e pouco aviõa do mundo tem acapacidade que o rafale tém. ( o que é bom é caro )

  10. Composição Hi-Lo Mix é o mais racional, em qualquer Força Aérea. A AdlA fazem de uma maneira não declarada, mas fazem. Para a FAB, a composição Hi-Lo mix deveria ser planejada também. Esquadrões Hi End, para missões de Domínio Aéreo e Ataque em profundidade, e caças Low para Apoio tático, e Defesa de ponto.

    Gripen Ng para Lo(pode ser até o C/D com AESA) e Su-50 para Hi.

    []’s

  11. O Rafale não dá banho em ninguém, pq é uma colcha de retalhos mto mal ajambrados.
    O radar é inferior ao que há em serviço de esquadrão no planeta e o prometido radar AESA é igualmente capenga, não tem bom alcance e compromete a geração de energia da aeronave.
    A suite Spectra vive de press release, pois não tem desempenho a oferecer, além de interferir c/ o radar.
    A suite óptica é uma piada, qq targeting pod americano ou israelense atual, é mais sofisticado e útil.
    Preciso malhar a propulsão tb, ou o que já se escreveu aqui pelo blog é suficiente???
    A aeronave é um mico por sí só, a logística é cara, idem a manutenção.
    A França sabe disto e o mercado tb, e é por isso que tdas as oportunidades de vende-lo estaõ sumindo.

  12. O Rafale é caça com um grande poder de combate, quem critica os equipamentos dele esta mal informado, ele perde para ty. no combate ar-ar mas no restante ele da show, ele é melhor do FX.

  13. Os Custo do Rafale são altos mas ele é o melhor.
    O NG só esta no papel, e o F-18 é um caça naval, a marinha americana é boa em atacar alvos em terra.

  14. lucio da silva moraes disse:
    12 de setembro de 2010 às 13:32

    O EAU é mais um que considera o Rafale inferior ao que já usam há 10 anos e já estão de olho em um avião de combate moderno e atual, o SH!

  15. Luiz Ricardo disse:
    12 de setembro de 2010 às 1:10
    “muita semelhança se olhar os detalhes…. o rafaele é um mirage 2000 com 2 motores e canards aUHUAU”

    É vero!!!!! hahahah!!!!

    Cade pessoal do fotoshop, tira o Rafale e coloca o Gripen no lugar e muda a camuflagem para o padrão FAB e uuaalllá!!!, fica perfeito

  16. Modificando um pouco, mas concordando com o ZE disse em outro post:

    ZE disse:
    11 de setembro de 2010 às 22:52 (Saab mira Leste Europeu e Ásia para sustentar a linha do Gripen)

    “Cá entre nós, você(s) poderia(m) nos elucidar em que o Rafale é superior ao Gripen NG ?????????????????????????????????”

    Quem sabe com novas informações sobre o Rafale, muitas pessoas mudam de opinião, inclusive eu, que torcia (muito) para o Rafale, mas que hoje, acha (certeza) que é um tiro no pé.

  17. Pois é Gripetes… Por mais que vocês sonhem na Gripelandia, aqui no mundo real o vencedor é o RAFALE. Todos sabem disso, só não quem não quer ou não pode… no mais, será emocionante ver esse caça voar com as cores do Brasil. Não deixaremos à desejar a nenhuma outra força aérea. Finalmente veremos um vetor de primeira linha mundial a voar na nossa FAB.
    O resto de discurso morto de Au Au.

  18. ouragan disse:
    12 de setembro de 2010 às 14:41

    O que vocês gênios do MD acham de sermos os muito prováveis únicos usuários externos do Rafale ?

  19. Colega, a hora que você tiver RESPEITO comigo, sem adjetivos outros, talves te responda alguma coisa. Enquanto isso, viva no seu “mundinho” de fantasia e deixa o resto para os adultos.

  20. ouragan disse:
    12 de setembro de 2010 às 14:51

    Gênio é elogio, eu fico estupefato com a capacidade analítica de vocês e não consigo pensar em outro adjetivo que seja grandioso o suficiente para expressar a minha alegria e admiração pelo vosso trabalho e de vossos colegas.

    Mas como eu gosto de você por ser meu “colega de profissão”, vou dar a dica.

    Sempre que surge algum revés no programa do Rafale, como mais esta “venda certa para o EAU” que já foi pro saco, sempre surge um espertão para falar a mesma coisa que você falou…

    Que está tudo certo, que é papo de perdedor é blá blá blá blá…

    Só que, amiguinho, eu leio isto há mais de um ano.

    Não estaria na hora de mudar o disco ?

  21. Ouragan :”Pois é Gripetes… Por mais que vocês sonhem na Gripelandia, aqui no mundo real o vencedor é o RAFALE. ”

    Essa provocação é necessária?

  22. RECHIO ELETRONICO o coraçáo do rarale é, sem duvida,a sua avançada eletronica.sua suite integrada de aviõnico,quase que totalmente fornecida pela (thale) dá´ os caça francese notá´veis capacidade de combate ar-ar e ar-mar ar-terra ,bem como de navegaçãõ diurno e noturna em qualquer contição meteorologica e de sobrevivencia no teatro de operaçoes.
    CUSTO/BENEFICIO apesar do custo unitário do rafale estar na faixa dos US$70 MILHOES ,seu mordeno conceito de manutenção e de logistica torna-o econonicamente interessate ao longo dos anos de operação.para assegurar o funcionamento normal e permamente da aeronave,o rafale esta dotado com um sistema de monitoramento de todos os sistema do avião em tempo real, intregado ao computador de missão, o sistema realiza check-up preciso da ´´ saude do avião´´ e detecta falha em potencial ,permitindo o saneamento dele antes que possam causar donos reais.ao mesmo tempo,o projeto do rafale reduziu o numero de instalações e de ferramentas especiais para manudenção,o espaço de tempo entre cada revisão geral foi aumentado considerado tudo isto significa uma diminuição á sua manutenção e dos custo agregados
    O PRINCIPAL MISSIL ar-ar utilizado pela rafale é o mica,modelos IR(infra-vermelho) e RF (radiofrequencia), até dez MICA podem ser carregados,numa combinação ertre ir e rf, o que oferece uma letal capacidade de combate ar-ar contra alvo situado entre 500 metro e 60km.o caça poder ser dotado,ainda,com dois misseis ar-ar de curto alcance MAGIC-2 de orientação infravermeiha,nos trilhos existentes nas pontas das asas.O SISTEMAS DE ARMAS é compativel também com outros tipos de misseis ar-ar BVR e de curto ALCANCE.

    RODRIGO só si for um avião de quinta geração .

  23. Eu só quero, que a FAB acabe com aquelas latas velhas voadoras F-5, que venha F 18 Super Hornet ou Rafale ou Gripen NG (este precisa andar rápido porque ainda está no papel); ou então montem outro FX sem transferência e compre logo uns 80 F 35 para compor a frota urgente. Nossa eu nunca vi este alvoroço todo para comprar 36 cacinhas é triste viu.Eu não aguento mais, isto já virou palhaçada.

  24. grifo disse:
    12 de setembro de 2010 às 7:00

    Corre Sarko… corre…… corre…..

    Quanto ao mix de Rafale com Mirage 2000… esqueceram de mencionar o binóculo de Us$ 200 pratas…

    Sds.

  25. ouragan disse:
    12 de setembro de 2010 às 14:41
    Pois é Gripetes… Por mais que vocês sonhem na Gripelandia, aqui no mundo real o vencedor é o RAFALE. Todos sabem disso, só não quem não quer ou não pode… no mais, será emocionante ver esse caça voar com as cores do Brasil. Não deixaremos à desejar a nenhuma outra força aérea. Finalmente veremos um vetor de primeira linha mundial a voar na nossa FAB.
    O resto de discurso morto de Au Au.

    Seu comentário vem, realmente, de acordo com um “prato” que está sendo vendido como um “especiaria mdos Deuses”, porém para os mais elucidados, sabemos que el fará, caso seja em purrado goela abaixo na força, é voar, e tão somente voar, deixando tarefas mais importantes como treinar e combater para um exercicio de imaginação nos cafezinhos do “teto do zero” e de outros staff de bate papo dos esquadrões…….

    grande abraço

  26. lucio da silva moraes disse:
    12 de setembro de 2010 às 15:54

    Amigo, me diga da onde vc tirou o que escreveu ???

    Vou contrapor apenas três itens, para não encher o saco do pessoal….

    1- Sistema que realiza “check-up”, meu carro já tem á pelo menos 8 anos, logo…..

    2- Sobre o mico, quer dizer o MICA, procure se informar melhor…..
    “letal capacidade de combate ar-ar contra alvo situado entre 500 metro ” ….. Se algum dia você estiver em um vetor militar a esta distância do inimigo, você já morreu e não sabe….

    3- O Rafale não tem configuração para nenhum armamento que não seja europeu…. nenhum !!

    Sds.

  27. Klevston disse:
    12 de setembro de 2010 às 16:51

    Vc está certo. É muita conversa para 36 jatos.
    Imagine se tivesse ocorrido isso para os subs, carros de combate ou qdo forem comprar fragatas… etc.
    Eu acho que estão fazendo onda num copo d’água. rs

  28. lucio da silva moraes disse:
    12 de setembro de 2010 às 15:54

    Tudo isto é muito bacana, mas não tem sentido em comprarmos um avião caríssimo e 10 anos atrasado em relação a concorrência.

  29. grifo disse:
    12 de setembro de 2010 às 7:00

    Caraca!

    Imagina agora, eles solicitam aquele velho Upgrade no Vespão (como gostam de fazer com todas as aeronaves que compram), aumentar mais a potência de seu já excelente radar AESA, nova Motorização, e tirar a estrutura naval (reforço no trem de pouso, asas flexíveis, etc.) e com uma vantagem em relação a França – tais adaptações seriam disponibilizadas em menos tempo e bem mais barato que no vetor Gaulês…
    O que era bom, vai ficar ainda melhor 😀

    P.S: Lindas fotos, não há como negar, os “bicho” são bonitos demais da conta, sô! 😉

    Sds.

  30. BASCHERA fonte;TECNOLOGIA & DEFESA N 111 p/30 a 35 ver a reportagem toda; que belo avião de combate.

    RODRIGO, RAFALE 3 atrasado em relação a concorrencia ; porque o gripen-ng aida estar no papel , F-18 S H não é esta coisa maravilhosa .
    rodrigo isto já é pessoal seu problema não rafale é com a frança

    BASCHERA OLHA SÓ
    envergamento 10,90m
    comprimento 15,30m
    altura 5,34m
    superficie alar 46m2
    peso vazio equipado 9.670kg
    peso maximo de decolagem 22.500kg
    cargo maxima externa 9.500kg
    carga militar usual 6.000kg a 8.000kg
    capacidade interna de combustivel 5.325 Ls
    volume m/de combustivel transportado 6.600 Ls
    velocidade m/ em altitude MACH 2
    velocidade m/ ao nivel do mar 1.390
    empuxo sem pós-combustão 5.103kg
    empuxo com pós-combustão 7.654kg
    raio de ação em missão tipico de defesa aérea (carregado com oito misseis MICA dois tanques externo de 2.000Ls e dois tanques externo de 1.250Ls 1853km ( a fonte é a mesma )

    .

  31. lucio da silva moraes disse:
    12 de setembro de 2010 às 20:55

    Lucio o Rafale esta 10 anos atrasado em relação ao F-16, que tem um radar 10% superior ao do Rafale, segundo o proprio Gen frances, veja uma entrevista com o Gen Alain Silvy, onde ele cita entre outras coisinhas o fato de que o Rafale é uma regressão em relação ao F-16:

    ….Eles querem evitar qualquer regressão com o Rafale, pelo menos no alcance do radar, em relação ao F-16 Block 60…..,

    http://www.aereo.jor.br/?s=entrevista+com+o+gen+frances

    []s

  32. BASCHERA tém mais;
    o RAFALE STANDARD F-3 téra capacidade de ataque maritimo e sera compativel com missil anti-navio, como o am EXOCET , e o futuro missil supersonico ( ANF ) FONTE ;tecnologia & defesa n 111 p/30 a 35

  33. Lucio, enquanto o alcance do MICA é de 60km, o alcance do AIM-120C7 é de 112km e o alcance do AIM-120D é de 165km, então pq pagar mais por menos?

  34. Ah…. busca 36 Tie Fighters com o Luke Skywalker e não se fala mais em fx-2 por aqui!!!!!

    Aos defensores do Rafale, uma única pergunta?
    Quantas horas de voo por ano cada Rafale terá com o orçamento da FAB?
    Lembrando que não vale cortar o rancho dos soldados para comprar a gasosa…

  35. lucio concordo com vc, o problema não é o Rafale o povo tem birra é da frança mesmo, mas vamos ficar em paz a cruzex vem ai e os resultados do Rafale vão certamente deixar muitos daqui imprecionados, aguarde e confie…alem do mais se sair o fx 2 e realmente escolherem o melhor hehehe o povo vão se incomodar muito com um delta voando sobre nossas cabeças….

  36. aos defensores do gripen,uma única pergunta?
    vai sai do papel quando ?
    obs;o gripen -ng tá iqual o AMX; esta história é antiga o amx cústou muito mais do seu valor , ( o barato ficou caro ) o avião de papel vai ter de 15% a 25% a mais, quando sai do papel a mesma história (o barato ficou caro )

  37. lucio da silva moraes disse:
    12 de setembro de 2010 às 20:55

    Quem falou que o Rafale é defasado e problemático, não sou eu.

    Foi o Gal. Alain Silvy, acredito que ele tenha mais dados que eu e você. Concorda ?

  38. Olá,

    O Rafale já tem integradas as bombas GBU-2 Americanas usadas operacionalmente no Afeganistão, então isso de só usar armas europeias não é valido, sendo que a integração ocorreu em apenas um mes.

    A discussão é valida quando se fala de Rafale X Super Hornet já que são aviões proximos em desempenho, sendo que um já está completo e será substituido em breve e um está em desenvolvimento.

    Sobre o caça Anglo-Americano de produção Sueca não o considero na mesma categoria: por ainda ser um projeto, e ter capacidade de carga inferior aos concorrentes.

    Abraços,

  39. O Rafale já tem integradas as bombas GBU-2 Americanas usadas operacionalmente no Afeganistão, então isso de só usar armas europeias não é valido, sendo que a integração ocorreu em apenas um mes.

    Caro Edcreek, integrar bomba é uma coisa, integrar míssil é uma outra completamente diferente. E depois do Mirage F1 os franceses nunca mais integraram um míssil americano nos seus aviões.

    Depois que os franceses reconheceram que o novo radar RBE-2 AESA que ainda nem foi colocado em operação no Rafale é pior que aquele que os EAU já tem desde 2003 no F-16 Block 60, que não tem jeito de melhorar o radar porque se aumentar a potência ele vai interferir na suite de guerra eletrônica, que o HMD foi um fiasco e nem é usado na AdlA, que um motor novo não vai ficar pronto a tempo de ser confiável, que o OSF não tem mais canal IR e atualmente não passa de uma câmera de televisão… acho que demorou até demais para os EAU chamarem os americanos.

    Qual foi a última vez que um caça francês venceu um americano em uma concorrência internacional? A chance do Rafale era os EAU comprarem direto, agora a coisa complicou. Esse filme já passou no Marrocos e nós sabemos o final…

  40. Putz..

    Vader, eu agora estou trampando na TI de um banco e aqui a net é cheia de restrições, só por ter blog na URL eles não permitem que eu veja a página.

    Só de eu não poder ler a Gazeta Esportiva e ver o meu Gmail durante o dia em pouco mais de um mês meu saco já está estourando ahahahaha

  41. Caro Vader,

    Parabéns pela tradução. =]

    Aparentemente, essa notícia, mais as declarações do general francês Alain Silvy colocam em dúvidas essa venda para os EAU. E é claro, aumentam ainda mais os riscos de operar a Jaca no Brasil. Será que seremos os únicos país do planeta além da França a operar esse caça???? Espero que a futura presidente, siga sua ideologia, e vá direto à matriz fechar com os Sukhoi SU-35 e SU-50…..

    []’s

  42. Senhores, chegou a conta para o contribuinte francês do fracasso de vendas do Rafale. Pelo menos antes eles do que nós:

    http://www.boursier.com/vals/FR/dassault-aviation-l-armee-de-l-air-recevra-de-nouveaux-rafale-plus-tot-que-prevu-news-399247.htm

    “Dassault Aviation – Força Aérea receberá Rafales antes do previsto”

    “A França vai ter que comprar da Dassault 11 Rafales antes do esperado em 2013, de acordo com o jornal ‘Les Echos’. Isto se deve a uma cláusula no contrato entre o estado francês e a fabricante de aviões, que estipula que a França garantirá uma cadência de produção de 11 rafales por ano, considerado um limite mínimo para garantia dos preços. O contrato foi assinado quando o governo de Paris e a Dassault esperavam promover as vendas do aparelho no exterior. Mas até agora nenhum contrato foi assinado. Agora os aparelhos produzidos, que deveria estar indo para os novos clientes, terão que ir para a força aérea francesa que os receberá antes do previsto.”

    A reportagem do Les Echo cita ainda um valor de **800 milhões de euros** que terão que ser pagos pelo governo francês por conta destes Rafales.

  43. Olá,

    Rodrigo pelo visto a coisa complicou mesmo, mas vamos aguardar esse desfecho nos proximos dias, lembrando sempre que pode ser um blefe para conseguir negociar melhor, a exemplo do que houve recentemente com Israel.

    Grifo sobre operar a bomba Americana é só para desmentir que não existe nada externo no Rafale. Sei que tem uma grande diferença entre missil e bomba. Mas é certamente viavel a integração porém há dois pontos:
    1) Tem que pagar a conta(quem pedir a integração);
    2) Não espere boa vontade dos Franceses já que eles querem vender suas proprias armas;

    Sobre o aumento do pedido de Rafales, isso já era esperado a França tem o contrato com a Dassault e o manterá e no fim teremos mais de 280 Rafales operacionais somente na França, ao contrario dos outros paises que aguardão um compra externa para financiar o seu caça.

    Abraços,

  44. O que que tu queres dizer com isso grifo? Que a França devería ter comprado F-18 ou gripen NG em detrimento da sua industria aeroespacial ou desenvolvido um Mirage Gambiarra?
    Eu não entendo porque tanto ódio com esse avião?
    O avião é lindo, voa muito bem, tem uma ótima aviônica, mas gera tanto ódio nas pessoas por quê? Porque atrapalha a pseudo-existência do Gripen NG?(não! Sou viúva do Sukhoi!)
    O grande problema da Europa é a sua moeda única que torna tudo muito, mas muito mais caro…quem já foi a Europa sabe que dói no bolso pagar três euros por uma coca-cola…
    A Inglaterra já havia chego a essa conclusão nos Anos 80 e não embarcou nessa canoa pilotada por Caronte…
    A Europa chegou no seu limite operacional. O que arrecada é para pagar as contas e praticamente não existe capacidade de investimento. Não é possível a geração de novos empregos. Vejam essa coisa bisonha que é a Guiana Francesa, aonde o cabloco, que não fala frances, recebe em euros…e de onde vem a receita? da mãe frança, porque a região, inacreditavelmente, não gera riqueza suficiente…
    Mas o fato é de que enquanto voamos de F-5 gambiarra, A-1 sem radar, Xavante, A-4 e NAe dos Anos 60, a França voa no Século XXI…

  45. Ed, o EAU simplesmente foi mais um cliente que na hora de colocar o Rafale na balança com a concorrência percebe que ele está na média por um custo muito maior.

    No caso específico do EAU que ainda utiliza versões próprias e avançadas de outros aviões isto fica ainda mais notório.

    Pessoalmente eu pensava que o SH não era tão avançado assim, mas se eles julgam que não precisa de alteração nenhuma é porque o negócio é forte mesmo.

    Faltam a Líbia e a Índia…

    Dois redutos dos russos.

    Os franceses apostaram alto com o Rafale e perderam, simple like that!

    Se ficarmos só nós e os franceses com o Rafale será o AMX II – A missão, com a desvantagem de ficarmos dependentes dos franceses.

  46. Giordani RS disse:
    13 de setembro de 2010 às 10:55

    O problema do Rafale foi uma aposta alta demais no máximo de independência possível que resultou em uma máquina muito cara e sem grande diferencial com relação aos concorrentes diretos.

  47. Quando isso aqui começa a ficar parecendo “torcida de futebol” fica claro o “porquê” de não ter saído o FX, ou o FX2 até agora (e duvido que saia qualquer FX se continuar assim).
    Vantagens e desvantagens todos os vetores tem (até o bison tem as suas! acreditem) Mas hoje em matéria de Força Aerea o Brasil não pode fazer operações noturnas, p. ex, e mais: não pode sequer se defender de seus vizinhos menos afortunados, se o Chaves, o Kiko ou a Dona Florinda resolvessem invadir nosso espaço aereo e bombardear uma refinaria ficaríamos só olhando (que o diga proteger o pré-sal!).
    Então temos de parar com novelas e “sabotagens” e firmar uma posição: ou teremos uma Força Aerea com algum poder de dissuação (ainda que de 4ª geração) ou fechem tudo de uma vez, que ficar gastando com inutilidades e pantomimas não dá.
    A escolha do vetor NUNCA foi técnica, nem no tempo do FHC, e nem com Lula. Aliás com ninguém será! É uma escolha politica (aqui, na França ou nos EUA) e a Força Aerea, o GF ou seja lá quem for não pode ficar “rebolando” enquanto mantemos “aviões de papel”. Se o Lula quer o Rafale (e ele não está escolhendo Glosters não! É um avião bom, ou a França, país que já participou de guerras, já teve seu território invadido diversas vezes na história, não o adotaria!) então os militares tem que trabalhar não para atrasar a escolha, mas por um orçamento condizente com nossa nova posição econômica e com os vetores escolhidos!
    Tem que ir no Lula e falar: rafale tá ótimo Presidente, então nos dê o orçamento para mantê-lo no ar, armado e pronto!

  48. Olá,

    Rodrigo a suite spectra e a baixa assinatura ainda fazem um bom diferencial contra o Super Hornet, que tem a seu favor um missel de maior alcançe e maior quantidade de aeronaves construidas. Falando de avião contra avião sem entrar no merito politico e de compensações.

    A assinatura do Rafale só perde para a do NG já que esse tem assinatura zero, huahuahuahahu.

    Abraços,

  49. O que que tu queres dizer com isso grifo? Que a França devería ter comprado F-18 ou gripen NG em detrimento da sua industria aeroespacial ou desenvolvido um Mirage Gambiarra?

    Caro Giordani, quem sou eu para dizer a França deveria ter feito? O que ela faz ou deixa de fazer é problema dela. Se ela França quis fazer tudo sozinha e não conseguiu, por falta de competência técnica, de dinheiro e de compradores, isso não é problema meu.

    Só passa a ser problema meu quando querem que o Brasil entre com (meu, seu, nosso) dinheiro para salvar a indústria aeroespacial francesa, depois da nossa Força Aérea ter colocado o produto eles em último lugar por ser o pior e o mais caro.

    Agora o contribuinte francês vai morrer em 800 mi de dólares para comprar os Rafale que deveriam estar sendo exportados. Como eu disse, antes eles do que nós.

  50. Mas é certamente viavel a integração porém há dois pontos:
    1) Tem que pagar a conta(quem pedir a integração);
    2) Não espere boa vontade dos Franceses já que eles querem vender suas proprias armas;

    Caro Edcreek, este é exatamente o ponto. Com os suecos existe boa vontade, com os franceses é isso mesmo que você falou…

    Vamos supor que os franceses não queiram vender os seus mísseis. Ops, espere aí, não precisamos supor. Isto já está acontecendo AGORA com os nossos Mirage 2000C. O que o Brasil faz? Vamos em muito breve ter o GDA só a base de canhão, não é a tôa que a turma já está treinando tiro aéreo.

  51. grifo,

    O pedro deu a resposta. Se o Lula quer o Rafaele, nossos militares tem de lutar por um orçamento que garanta a utilização do Rafaele, mas não, eles preferem ficar atrasando a entrega, fazendo biquinho, beicinha a la francesa…tu sabe que a decisão na grande maioria da vezes é política, até a USAF sofre com isso…
    E quanto ao $eu, ao meu, ao no$$o, saiba, ele é bem desperdiçado com bol$as e maracutaia$…

  52. Sem numeros (quem os tem fora eles?…) chuto que com aquela refueling probe (aumentando o drag) + duas turbinas usando pos-combustor (nao tem super-cruise) o Rafale acaba virando uma arvore de Natal voadora p/ qualquer radar e IRST meia-boca; palpite eh claro…

    Se fosse p/ o Rafale vir p/ a FAB (e promover a industria deles enquanto achata a nossa), gostaria que pelo menos os EAU tb comprassem o mesmo, aumentando assim o CSM (Clube dos Socios do Mico) p/ dividir os custos de resolver os problemas do mesmo. Mas agora parece que nos EAU irao perder, apesar de estarem sozinhos na oferta,…

    Se a FAB cometeu algum erro foi o de ter posto o Rafale no short-list, mas ainda dah p/ consertar.

    []s!

  53. Vader disse:
    13 de setembro de 2010 às 11:42
    pedro disse:
    13 de setembro de 2010 às 11:22
    Concordo, chega de novela! Manda o Lula dar o que a FAB quer e fim de papo. Just as simples as that.

    Problema meus amigos é que um dos grupo$ vai sair perdendo…

  54. Se o Lula quer o Rafale (e ele não está escolhendo Glosters não! É um avião bom, ou a França, país que já participou de guerras, já teve seu território invadido diversas vezes na história, não o adotaria!) então os militares tem que trabalhar não para atrasar a escolha, mas por um orçamento condizente com nossa nova posição econômica e com os vetores escolhidos!

    Caro Pedro, se o Lula quer o Rafale então ele só tem que comunicar a FAB que quer o Rafale. Até agora isto não foi feito. Por que será?

  55. Edcreek disse:
    13 de setembro de 2010 às 11:24

    Ed, você não percebeu ainda que todas estas características esotéricas do Rafale, que são em real sigilosas, até agora não foram decisivas para qualquer coisa que seja ?

    Suite Spectra é um bom nome para quarto de motel, mas até agora não tem se mostrado superior a concorrência…

    No fim os ALRs da vida mostram mais serviço.

    Como bem disse o Silvy estão apenas uma década atrás da concorrência, lembre-se disto.

    O tal RCS baixo, beirando o de um avião furtivo e todo blá blá blá, não é um fator pertinente para descutirmos aqui.

    Nem Eu, você e qualquer insider-master-fucker-mega-ultra-power-george-foreman-grill da vida sabemos a forma em que ele foi medido, com que carga externa, frequência de radar, ângulo de incisão e etc…

    Idem para a baixíssima assinatura IR, que você esqueceu de falar.

    Atenha-se aos fatos reais, o esoterismo vamos deixar para os discípulos do Chico Xavier, se brincar nem estes detectam o Rafale.

    hahahahahaha

  56. Olá, Rodrigo

    Entre blogs e a troca de toda defesa aerea da França para o Rafale eu fico com a segunda opinião. Se os sistemas principais(como o spectra) ainda não estivessem funcionando a contendo isso não estaria acontecendo.

    Só reitero que só aqui que tem esses estardalhaço todo em uma decisão claramente politica.
    A Força define os requisitos e escolhe as opções no fim os politicos definem:
    Foi assim na Inglaterra, foi assim nos EUA, vai ser na India, deve ser nos EAU.
    No fim os politicos batem o martelo.

    Abraços,

  57. A tua esperança é só esta mesmo, porque tecnicamente não existe justificativa para pegar uma bomba destas 😉

    Os franceses o utilizarem a exaustão é pelo bem da política industrial deles, nós não precisamos endossar uma aviônica uma década atrasada com a que nos está disponível e ainda por cima mais barata.

  58. lucio da silva moraes disse:
    12 de setembro de 2010 às 21:16

    Sim… mas o Exocet AM-39 é francês…..o míssil nuclear ASMP-A também, míssil AS-30L Idem, bombas burras MK 82/83 com kit de guiagem, isto qualquer avião de 4g tem….quis dizer míssil ou armamento inteligente que não seja francês ou europeu…..
    Pode-se, no entanto, integrar…. se o país comprador PAGAR o desenvolvimento, os testes, homologação, etc… e isto custa bilhões e leva muito, muito tempo.

    Quanto as revistas T&D …olha, conheço e colecionava, tenho da número 3 em diante…parei na 110 se não me engano…..

    Idem para as Aero, RFA, etc. Sou, neste aspecto, macaco velho 🙂

    Sds.

  59. Quais partes,como o HMD, que ainda não estão operacionais virão nos nossos RAFALES??

    obs;Talvez nem seja mesmo o Rafale que irá ganhar o FX-2.

  60. Dados de uma fonte ‘extremamente’ confiável, mas creio que não seja difícil de confirmar por outras melhores:
    Gripen entregues: 155 até janeiro/2010, mais 6 confirmados pela Tailândia.
    Rafale: entregues 82 até dezembro, pedidos totais da França 180 aeronaves.
    Ambas as aeronaves concorrem no MMRCA da Índia, que pode levar a mais de 100 aeronaves compradas, e corremos o risco de irmos de carona com o MMRCA para baixar custos, o que é uma das poucas mostras de sensatez da política externa brasileira nos últimos anos.

    Aos rafaletes, o Gripen NG existe tanto quanto o Rafale F3, e ambos estão garantidos pelos respectivos países fabricantes; o radar AESA do Gripen e do Rafale não estão operacionais, bem como seus IRST. Nesse ponto os dois empatam.

    Vou falar um pouco sobre as armas, mas não muito, pois elas serão decididas após a compra das aeronaves, e serão compradas em lotes pequenos, para não vencer a validade das mesmas.

    Armas ar-ar disponíveis ao Gripen, em processo de integração ou agora: AIM-9, AIM-120, AIM-132, IRIS-T, Meteor, Derby, Python 4/5, A-Darter. Gripen tb terá integração com Erieye (em uso na Força Aérea Sueca) caso use data-link, o que será necessário para integrar o Meteor. Armas ar-sup, uma enormidade, mais garantias da Saab em ajudar na integração de armas solicitadas pelo cliente. Padrão OTAN de armas facilita integração.

    Armas ar-ar disponíveis para o Rafale ou em processo de integração: Magic, MICA, Meteor. Integração com plataformas AEW eu não sei, quem puder informar, eu agradeço. Armas ar-sup do Rafale: APACHE (o Gripen pode usar o SCALP, derivado do APACHE, e a JASSM), Exocet (Gripen usa RBS-15 sueca e Harpoon), bombas guiadas a laser (Gripen usa todas as GBU tb, mais as israelenses Whizzard e as que o Brasil está desenvolvendo), AASM (Gripen usa JDAM e similares), pod Damocles (Gripen usa Litening e outros). Muitas armas, sem dúvida, mas o Rafale usa padrão francês de armas, que é diferente que o da OTAN, e dificulta a integração.

    Quanto ao F-18, usa praticamente tudo que o Gripen usa e outros sistemas ainda não integrados ao Gripen, sendo o mais completo dos 3 em termos de aviônica, ar-ar e ar-sup. Já havia 400 super hornet entregues em 2009, mais o pedido de 350 citado, faz com que ele tenha, mesmo que não seja o vencedor do MMRCA, mais aeronaves que Gripen e Rafale em operação daqui em diante. Alguns países do grupo do F-35 podem desistir do Lightining II em favor do SH, e Abu Dhabi tb pode comprar, elevando mais ainda a quantidade. O SH tem ainda muito espaço pra crescer, ainda mais levando-se em conta que as restrições de peso são muito menores quando ele opera fora de NAes. Nasceu integrado a AEWs.

    Enfim, embora seja impossível em termos de vendas militares, tirando a política de lado, sou a favor do hi-lo mix SH/Super Gripen. Ajuda mais ainda o fato de ambos usarem o mesmo motor, já tendo aí em vista versões mais potentes do F-414 que estão em desenvolvimento. Eu começaria comprando o SH enquanto se terminasse o desenvolvimento do Super Gripen, se fosse o caso fazendo o leasing de alguns Gripen da Suécia no meio tempo. Seria a opção mais racional, ambos usam as mesmas armas e motores, o que facilitaria muito a logística.

    Quanto aos que dizen que o Gripen é quase a Gisele Bündchen das aeronaves, concordo que é bonito, mas o A-10 é quase tão feio quanto eu e é uma das aeronaves mais eficientes que já se fizeram. Os alvos não vão se auto-destruir ao verem a beleza do vetor de armas – aliás, se eles chegarem a ver a beleza do vetor, então vc está com problemas, a ideia é detonar tudo sem ser visto.

  61. Bem, permita-me corrigir esses números:

    Super Hornet/Growler – Número entregue até 2015 será de 539 (esse número diz respeito ao total contratado até hoje).

    Gripen – Número entregue até hoje é de 230 vetores. Há encomendas para até o final do ano de 2012.

    Rafale – Número entregue até hoje é de 88 vetores. Houve uma opção de compra que até hoje NÃO foi exercida de mais 60 vetores, ou seja, na melhor das hipóteses, em 2015, haverá 109 Rafale construídos. NÃO há mais encomenda para além do ano 2015.

    Só para esclarecer, em 2015, somente 1 (um) Rafale será entregue !!!!

    [ ]s

  62. @Zé
    Obrigado pelas correções!

    @Rodrigo
    A culpa foi minha, eu não especifiquei a versão. O número do Rafale inclui as versões iniciais, eu suponho. Só do SH que eu especifiquei pois não fazem mais de A-D, além que o SH merecia ser chamado de qualquer outra coisa que F-18, igual os russos com o Tu-22 / Tu-22M, só tem o mesmo nome rsrs, são aviões completamente diferentes. Complemento com uma pergunta, a Suécia não vai modernizar todo mundo pro mesmo padrão, A = C e B = D?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here