sábado, maio 15, 2021

Gripen para o Brasil

A turbulência dos caças

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

As negociações nunca passaram de negociações; a haver “decisão política”, não haveria abertura de negociações, no sentido que o próprio Lula lhes deu

Janio de Freitas

vinheta-clippingA CONTRADIÇÃO entre a preferência especializada da FAB pelo caça sueco Gripen e, de outra parte, a motivação “política” de Lula para compra do avião francês Rafale leva -entre jornalistas, políticos e no próprio governo- a uma quantidade grande de equívocos e precipitações. A começar da ideia, como assegurava anteontem um comentarista de TV, de que, “se o presidente quiser comprar o Rafale”, a despeito do parecer da FAB, “tem todo o direito de fazer isso”. Não, não tem essa liberdade.

Tal ideia, muito difundida, decorre da preliminar de que Lula haveria dito, depois de encontro com o presidente Sarkozy, querer ou ter decidido comprar o caça francês. E, a partir de então, ter reafirmado, com a constante repetição também do ministro Nelson Jobim, que “a decisão será política”, e independente da avaliação técnica, orçamentária, de absorção tecnológica e tático-estratégica da FAB.

Lula não disse querer ou haver decidido comprar o Rafale. O que comunicou de público, a propósito da conversa com o presidente francês em Brasília, por ocasião do Sete de Setembro do ano passado, foi “a decisão de abrir negociações para compra de aviões Rafale”.

As negociações nunca passaram de negociações. A FAB não quis que ficassem restritas ao caça francês, no que foi acompanhada por investidas imediatas dos fabricantes do F-18E (Boeing) e do Gripen (Saab).

E, apesar de todas as pressões, levadas ao ponto de Nelson Jobim, em desespero de causa, querer impedir a FAB de pareceres comparáveis dos aviões entre si, nada pôde passar de negociações. Nas quais as condições do Rafale foram melhoradas várias vezes por Sarkozy, premido pela necessidade de conseguir a primeira venda desse caça (derrotado em todas as concorrências de que participou) e de recuperar parte do auxílio governamental ao enfraquecido fabricante Dassault.

As conclusões da FAB sobre os três concorrentes nada têm a ver com o impasse, entre os comandantes militares e Lula, em torno do Plano Nacional de Direitos Humanos e sua pretendida Comissão da Verdade. A FAB apenas recusou-se a não fazer o seu papel, e o fez.

A haver “decisão política”, não haveria negociações, no sentido que o próprio Lula lhes deu. Seriam dois os motivos para a propalada “decisão política”. O primeiro é o propósito de adotar uma aliança estratégica com a Europa, selecionando a França, para substituir a compulsória aliança com os Estados Unidos, o que é fácil deduzir da Estratégia de Defesa Nacional elucubrada por Mangabeira & cia.

O outro motivo é permutar, com o novo par na aliança estratégica, os altos negócios do seu interesse pelo apoio que dê, com o cacife de membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, à entrada do Brasil nesse círculo.

O primeiro motivo é de fundamentos mais do que duvidosos. Os estrategistas do Planalto parecem esquecer que a França tem com os Estados Unidos uma aliança militar -a Otan- muito dificilmente superável em favor do Brasil, supondo-se uma contraposição mais séria entre nós e os EUA (hipótese que também se pode deduzir do tal plano estratégico).

O segundo motivo não é menos inconvincente. Até hoje, os Estados Unidos recusaram-se a apoiar a entrada do Brasil no Conselho de Segurança. Têm nisso a companhia da Rússia. A última coisa a pensar-se, então, é que aceitariam a entrada de um país que, por força de uma “aliança estratégica”, tenderia a ser sempre parceiro de outro integrante do círculo. Percepção em que os EUA têm outra vez a companhia da Rússia.

Além da aliança militar na Otan, a França é parte também de uma aliança política, a cujos objetivos integrou a sua estratégia nacional: é a União Europeia. Agora com sua Constituição, com presidência, com política externa própria e cada vez mais influente nas relações internacionais -enfim, uma aliança política que a França jamais transgredirá em favor de uma “aliança estratégica” com o Brasil.

A maior aproximação com a França pode ser muito conveniente. Mas não nas condições assombrosas, financeiras e outras, para a compra dos Rafale. Já basta o negócio feito com submarinos franceses e com a pretendida colaboração em projetos nucleares.

E não esqueçamos que Lula não pode fazer alianças internacionais, estratégicas ou não, por decisão pessoal. A Constituição exige que sejam submetidas ao Congresso. E as torna passíveis de exame pelo Judiciário, com a possibilidade de consequências graves para o presidente que viole as exigências constitucionais.

FONTE: FSP

COLABOROU: Baschera

- Advertisement -

107 Comments

Subscribe
Notify of
guest
107 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marine

Acertou em cheio quando afirma: “O primeiro motivo é de fundamentos mais do que duvidosos. Os estrategistas do Planalto parecem esquecer que a França tem com os Estados Unidos uma aliança militar -a Otan- muito dificilmente superável em favor do Brasil, supondo-se uma contraposição mais séria entre nós e os EUA (hipótese que também se pode deduzir do tal plano estratégico). O segundo motivo não é menos inconvincente. Até hoje, os Estados Unidos recusaram-se a apoiar a entrada do Brasil no Conselho de Segurança. Têm nisso a companhia da Rússia. A última coisa a pensar-se, então, é que aceitariam a… Read more »

Zétobias

O Jânio de Freitas matou a páu!
Simples assim…

brasileiro

Só sei que o dinheiro sai dos contribuintes e me incluo entre eles.

Ivan

Marine,

Parece até que vc é um Sniper…
Tem falado pouco, mas quando atira é na mosca.

Abç,
Ivan.

A-Bomb

Sabem quando o Brasil entra no conselho de segurança sem o apoio dos Estados Unidos? NUNCA. O que nos salva é que temos instituições mais fortes que na Venezuela por exemplo. La o ditador Chaves faz o que quer. Mas o governo Lula esta querendo acabar com isso também. A imprensa ele ja esta tentando censurar. Acho que os Rafinhas não passam pelo Congresso. È ano de eleição e ninguém quer se desgastar. Eu acho que no fim pode dar os SHs. Eles vieram correndo por fora e podem acabar levando (pois dai A oposição ficaria reação) Eu disse que… Read more »

Augusto

Sabe o que me irrita mais na Folha é que ela inventa uma suposta crise depois finge que ela não criou para depois dizer sua opinião politica. 1- O Brasil quer uma aliança mais profunda com a França mais isso não quer dizer que vamos virar inimigos dos americanos, só ganharemos um aliado mais forte, é claro que o nosso presidente vai envolver os outros dois poderes nesse processo mas convenhamos que nosso congresso esta morto faz uns 12 anos, pois eles vivem apenas para eles e depois querem culpar o nosso presidente pelo congresso que nós elegemos! Ora se… Read more »

Mauricio R.

“Se ele fizer isso Serra e Ciro Gomes agradecem.”

Se alguém vai agradecer será o Serra, pois o Ciro Gomes é da base aliada.

Bosco

Sem querer ser repetitivo mas eu já havia comentado ser a favor de uma aliança estratégica do Brasil com outro (ou outros) país da América do Sul por motivos óbvios citados acima, e não com a França. Mesmo porque tal aliança nunca nos foi apresentada e só existe na cabeça de meia dúzia de “autoridades” fora o Pres. Lula. Não acho que alianças, assim como TT, se faz com canetada presidencial. Há de se ter um vínculo que deve ser construído com o tempo. Vale salientar que o Brasil tem péssima tradição em ter esses vínculos. Somos estrangeiros na AL… Read more »

A-Bomb

Mauricio R. em 10 jan, 2010 às 21:10

Mauticio o Ciro esta louco para dar uma rasteira no mula.
Se tiver chance não pensa duas vezes.
Em política não existe amizade apenas interesses.

Marine

Ivan,

Dois ouvidos, uma boca…Hehehehe

Semper Fidelis!

Augusto

E me irrita tb é que a imprensa publica um monte de bobagens e os frustados aqui do blog ficam destilando seus preconceitos mais nojentos. Se vc é inconformado com tudo e o mundo é horrível entra na politica e lute pelo seus direitos não sejam viúvas da ditadura, fãs da vejas e folhas da vida pois para elas vcs não passam de alienados.

Ivan

Em tempo. Eu já acreditava que o preço de compra e operacional do Rafale seria muito alto, mais alto do que ele entregava em termos de resultados operacionais. Tanto por questões de escala, como por questões comerciais da própria Dassault que sempre vendeu caro seus produtos, nos vácuos de poder entre EUA e a antiga União Soviética. Agora, com a certeza que já fisgaram o Brasil, acho difícil uma revisão de preços para baixo. Pode haver até uma redução do preço da célula, mas uma transferência de encargos para o pacote de armamentos ou outros ítens. Enfim, este assunto não… Read more »

Ivan

Marine,

Sábias palavras.

Ivan.

Juvenal

Acabei de ler essa matéria e estou perplexo,com o nível de erros alguns devem estar desesperados com a compra desses caças,aconselho ao colega ler a MATERIA DA REVISTA ÉPOCA,QUE FALA DA CONTRATAÇÃO DE UM ALTO BRIGADEIRO DA FAB POR UMA DAS CONCORRENTS VAMOS AOS PONTOS: Aliança com a OTAN,a frança durante muitos anos não integrou a Otan,somente no ano passado,seundo a maior opositora da reforma do conselho de segurança é a China,por causa do Japão,para os Estados Unidos seria confortável ter o Brasil,Alemanha e Japão,e sobre o Congresso depende de aprovação para tratados. Hoje o mundo caminha para a volta… Read more »

Wolfpack

Senhores, certa vez eu solictei aos colegas que defendem o Gripen NG BR dados sobre participação da versão C/D em operação como Iron Falcon, Red Flag, etc. Ai está uma que encontrei no site da SAAB sobre a performance de quatro Gripen C/D da Força Aérea Hungara em uma operação na Itália. Só pra não dizer que não falei de flores… Podemos ter esperança com a versão NG. Notem que estão armados com AMRAAMs e sem suporte de AWACS. Os dados não são totalmente precisos, mas vale a leitura. http://www.gripen.com/en/MediaRelations/SuccessStories/070918_hungary.htm Hungary – The Story so far The current Hungary lease… Read more »

Carlos

Acabei de ler essa matéria e estou perplexo,com o nível de erros alguns devem estar desesperados com a compra desses caças,aconselho ao colega ler a MATERIA DA REVISTA ÉPOCA,QUE FALA DA CONTRATAÇÃO DE UM ALTO BRIGADEIRO DA FAB POR UMA DAS CONCORRENTS VAMOS AOS PONTOS: Aliança com a OTAN,a frança durante muitos anos não integrou a Otan,somente no ano passado,seundo a maior opositora da reforma do conselho de segurança é a China,por causa do Japão,para os Estados Unidos seria confortável ter o Brasil,Alemanha e Japão,e sobre o Congresso depende de aprovação para tratados. Hoje o mundo caminha para a volta… Read more »

Mauricio R.

Graças a Deus pela imprensa que temos, senão essa palhaçada de “aliança estratégica” c/ a França, não seria sequer discutida.
Vassalagem mudou de nome, mas uns e outros sentem-se felizes pq vamos nos tornar uma potência militar c/ a ajuda da França…
Tristes trópicos, os franceses aqui estão somente p/ trocar espelhinhos e não p/ nos ajudarem a nos tornarmos potência, estão a cata de um otário que lhes pague regiamente por equipamentos de serventia duvidosa.

Francisco AMX

Concordo com o JF, mas discordo do seguinte, ele esquece que quem está do lado de cá é o Lula e Lula “é o cara”! o que eu quero dizer é que o Lula já esfregou muito analista político como o JF e muitos de nós, Lula sabe se aliar!

Sds

Ivan

Bosco em 10 jan, 2010 às 21:12 Bosco, Vc esta sendo mais repetitivo que eu… E agora vamos ‘brigar’ para ‘ver’ quem disse isso (aliança estratégica com outros países) antes. Brincadeira, amigo. Vc defende aliança estratégica dentro da América Latina, o que eu concordo, mas acho que o caminho havia sido pelo Mercosul, que foi ‘contaminado’ pela Venezuela. O Brasil é Luso e os ‘hermanos’ Castelhanos não esquecem isso. Preferem comprar geladeira na China (aquela economia de mercado, lembra?) do que no Brasil… Bem, mas uma forte aproximação com vizinhos que queiram crescer juntos será sempre bem vida… Vc sabia… Read more »

Francisco AMX

Wolf, vai usar a arma dos nossos contrários colegas?
Citar matéria que está no site da SAAB? rsrsrsrs
e o exercício dos EAU que eles desdenham? e olha que foi falado pela ADL e não pela DAssault!

vai mudar de time agora? rsrsrsrs

deixa que o “inimigo” encontre documentos que o favoreçam! rsrsrsrss

Abraço meu velho… opa velho é o Bosco!rsrsrs

Inquiridor

O Janio de Freitas é mais um que vê dentes em galinha. Se o Mula como diz alguns tivesse escolhido o F-18 tava todo mundo calado na imprensa. Ate quando o complexo de macunaima vai nos acompanhar. Se a FAB não pode manter um caça como o Rafale, porque o manteve entre os tres? Se os EUA sempre foram resistentes em transferir tecnologia, porque o F-18 na lista? Sabem quando o orçamento da FAB vai dar para manter caças de alto padrão?? quando a mesma abrir a caixa preta dos seus pensionistas!! Quando a FAB em particular, deixar de pagar… Read more »

Ivan

Wolf,

Obrigado pelo link.

Ivan.

bandeira

Espero que esta parceria com a França, não seja igual a do Esquilo, continuamos no mesmo 25/75% do começo, e olha que era para em cinco anos ser no mínimo 50/50. Depois os gringos é que são ruins de transferência, isto sem falar na manutenção dos Mirages.

MOKITI

Quero logo que essa novela acabe já não aguento mais esses especialistas que de uma hora pra outra começam a se achar!!!,a França só no ano passado se integrou a com a Otan!!

Ivan

Chicão,

Deixa de sacan@#$%!
Sou Gripeiro e vc Rafalemaníaco, mas e daí? Vou p’ro churrasco de qualquer jeito, até de Falcon 7X da Dassault (como se eu pudesse…).

A atitude do Wolf é extremamente elegante.
Eu, que prefiro o Gripen, reconheço e admiro qualidades nos Rafales e SuperHornets, aquelas que realmente eles têm.

Mas fique tranqüilo… vai ser Rafale no F-X2.
Vá se preparando para discutir o armamento, mísseis BRV em particular, porque engolir MICA não engulo não…

Abç,
Ivan.

RL

Salve Salve Marine.

Saudades amigo.
Alias, de todos os antigos do Blog.

Estou gasparzinho recententemente porem acompanhando diariamente o desenrolar dessa novela toda, ou melhor dizendo, o final dessa turbulência.

Vamos aguardar, porque independente de pontos de vistas aqui expostos, em uma coisa todos somos semelhantes.

Todos estamos desde o FX-1 aguardando, aguardando, aguardando rsrrssr

Abraços.

MOKITI

O secretário-geral da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), Jaap de Hoop Scheffer, expressou nesta quarta-feira sua satisfação com o anúncio do retorno da França ao comando militar da Aliança e disse que tomará as medidas necessárias para que o retorno se concretize.

A França deixou a estrutura militar da Otan em 1966, sob a Presidência do general Charles de Gaulle, que criticava a influência americana no continente. Desde então, o país fazia parte apenas da Aliança Atlântica.

Folha Online

Fuzila

Bosco, Lembre-se que a França faz fronteira com o Brasil. A França busca um parceiro estratégico há algum tempo. Ambos podem se beneficiar de uma aliança estratégica em vários setores … Ainda não foi revelado maiores detalhes, e quais setores vão abranger, é até compreensível entender a ausência de maiores informações, pois o acordo ainda está sendo desenhado e, além disso, como o próprio nome utilizado para definir o acordo bilateral já diz – aliança estratégica -, se é estratégico não é do interesse dos envolvidos divulgar prematuramente informações demais … O ‘estratégica’ não está ali por ser uma palavra… Read more »

Patriota

CS da ONU para que ? Os EUA mandam e desmandam neste Conselho de Segurança(para mim o CS já virou palhaçada) , eu pessoalmente acho que o Brasil deveria ser neutro como a Suecia e buscar ser mais independente militarmente de paises como Russia ,China ,EUA , Inglaterra e França .

120 unidades do Gripen NG seriam o necessario para defender nossa patria e desencorajar qualquer ameaça extrangeira .

Mauricio R.

“…a França só no ano passado se integrou a com a Otan!!”

A França fez parte da Otan desde a fundação desta até 1966, durante o período 1966-2007, a mesma se manteve presente no lado politico da organização e dando mto palpite.

Francisco AMX

E foi líder da OTAM, na verdade muitos confundem a sáida da presidencia d aOTAN com a saída da OTAM.

Bosco

Chicão,
mais precisamente “do Comando” da OTAN. Né?

Luan

Um ponto que achei importante.

“E não esqueçamos que Lula não pode fazer alianças internacionais, estratégicas ou não, por decisão pessoal. A Constituição exige que sejam submetidas ao Congresso. E as torna passíveis de exame pelo Judiciário, com a possibilidade de consequências graves para o presidente que viole as exigências constitucionais.”

Complementando,não só alianças,mas tbm compras designadas “politicas”,o Sr Liz inaciu muito menos o Nerso respondem sozinho pela politica Brasileira.Por melhor que seje a ideia de fazer o congresso desaparecer,mas…

[]’s

Wolfpack

Este assunto cansa. Se enumerarmos todos os probelmas comerciais com o Mundo, deveríamos nos isolar. Alcool, agodão, aço com os Estados Unidos Aviões com o Canadá Produtos agrícolas com a França e União Européia Carne com Irlanda e Rússia Dumping com a China Têm problema que não acaba mais. A Aliança estratégica com a França se resume hoje aos projetos da Marinha e só. Com exército existe uma tentantiva de se trabalhar com o soldado do futuro (COBRA) e não sei de algum outro projeto. Temos grandes intercâmbios educacionais, assim como com a Suécia, Alemanha, mas isso vem de longa… Read more »

Bosco

Fuzila,
você não deixa de ter razão. Eu vivo me esquecendo que a França é bem aqui do lado.
Se brincar eu tenho dinheiro pra ir na França e nem tinha me dado conta. rsrs….
Nem que seja de bicicleta.
Um abraço.

Jackson F-5

Francamente, não vejo motivo para o blog colocar artigos dessa _____de jornal da imprensa golpista, de onde soh sai lixo e mentiras visando criar confusão e crises com suas desinformações. Ninguem da a minima para o que esses cretinos tendenciosos da folha dizem, não ha fatos, soh noticias inventadas, sem o menor fundamento, não dah pra se formar opinião com esse tipo de fonte. Somente os golpistas se comprazem com esse lixo que sai desse jornaleco de São Paulo.

Cesar

Nada contra o blog publicar matéria da Folha, mas não entendi porque até agora não foi publicado aqui no blog, o desmentido da FAB publicado no mesmo jornal meio a contragosto, e sem alarde, ao contrário do destaque que deu para a falsa afirmação do relatório mentiroso.

Robson Br

A Folha de São Paulo parece que quer justificar o pseudo furo que deixou tanto o governo como os militares em uma situação desconfortável. Parece que outros orgãos já estão mudando de postura, mas ela vai querer manter o pé onde está. O relatório pode ser o mesmo de setembro, mas só mudaram o foco. Quanto dizer que os militares preferem esse caça, está deixando os mesmos na mesma situação dos governo. Ten que ser imparcial, se não desde o início eles teriam que dizer: “”eu quero este e pronto. A medida que abriram um requerimento, o máximo que podem… Read more »

Dalton

Na verdade a França continuou sendo um membro da OTAN, pós 1966 apenas não fazia mais parte da estrutura de comando. Em 1966 todas as forças francesas deixaram a OTAN, e tropas estrangeiras principalmente americanas tiveram que deixar solo frances…MAS, a ameaça sovietica só aumentava e já no ano seguinte acordos secretos entre EUA e França, estabeleceram as diretrizes de como a França retornaria a estrutura de comando, sob liderança americana em caso de guerra contra a URSS. Desde os anos 90, a OTAN tem feito intervençoes além das fronteiras dos paises membros, como Bosnia, Kosovo e mais recentemente Afeganistão… Read more »

Rick

Defendo que o Janio de Freitas acertou em cheio nas suas criticas, coisa que nós brasileiros normalmente não sabemos fazer e aceitar. A dita aliança com a França é uma grande piada, acordos políticos são sempre alicerçados em interesses, não existe isto de amigos em política, sempre são interesses. Existem três perguntas básicas em política: quem ganha, como ganha e o que ganha? Qual seria o interesse dos franceses com está aliança com o Brasil? Sinceridade, vender o equipamento militar deles, que anda há muito tempo ficando encalhado. As vendas militares de aviões e helicopteros da França têm perdido participação… Read more »

Colt

A matéria, objeto deste post, trás ela mesma, vários equivocos. 01 – A FAB não declarou preferência pelo Gripen. 02 – O Presidente do país é o chefe de Governo legitimado por um processo no qual recebeu milhões de votos. Votos para dirigir a nação. Nosso regime é presidencialista. Como Presidente, cabe a ele a decisão sobre como equipar as Forças Armadas, se mais equipadas, se menos, se com equipamentos mais caros e eficazes ou mais baratos. Ele dirige, através de seus ministros a politica administrativa que julgar mais adequada. Não pode fazer mais do que a lei permite, nem… Read more »

Francisco AMX

Ivan! era só pegação no Wolf mesmo!
nem li o artigo ainda.. mas prometo que farei com maior carinho amanhã!

Abração dear Bro!

Leonardo Besteiro de Almeida Alves

Fico torcendo e quero que o Presidente não nos desaponte, faça o melhor negócio para o nosso país. Pelo que eu andei lendo e se isso for verdade, o melhor para o país, para nossa industria e centros de pesquisas o melhor parece ser o SAAB Gripen. Espero sinceramente que o nosso Presidente tenha atitudes de Presidente e pense no melhor para nós e para a FAB que usara este avião pelos próximos anos. Pelo que eu li o Rafale é um caça excepcional mas muito caro de se adiquirir, manter e voar e o Super Hornet não nos trará… Read more »

Francisco AMX

BOSCO, CLARO, SUAS PALAVRAS SÃO SEMPRE MAIS PRECISAS! RSRSRSRS caps lock atuando… não vou digitar novamente…

abraço bro!

Bosco

Robson, como no Brasil primeiro adquirimos o equipamento pra depois formular a “doutrina” você não deixa de ter razão. Só lembrando que um caça otimizado pra operações navais ser usado em terra é plenamente aceitável. O contrário é que não é viável. Também desconheço se a “manutenção” do SH é a maior. Será? Se o fato do SH for “naval” incomodar a FAB eu me voluntario para desmontar o dispositivo de conexão com a catapulta/pino de retenção, corto os fios do comando que dobra a asa e removo o sistema de auxílio a pouso em porta-aviões. A bequilha com duas… Read more »

Robson Br

Colt em 10 jan, 2010 às 22:38

É ISSO AÍ.

O HORNRT vai ficar com ciumes desses comentários….

Só lembrando que o Itamaraty está também costurando um acordo com os EEUU.

Fly Man

A noticia esta +-, ou melhor, quase em parte correta. E tem mais, o governo do (até o momento) Nicola Sarkozy está abalado por fortes crises, principalmente do escândalo com eu filho, Sarkozy é acusado de “nepotismo”. Esta cada vez mais clara a derrota de Sarkozy nas próximas eleições. Politicamente, a França, em especial o seu chefe de estado Nicola, esta abalada, não dando nenhuma garantia do trato com o Brasil na concorrência do FX-2. Se a certeza da garantia (prometida ao pé do ouvido de presidente para presidente) não há garantias da França em Ganahr o FX-2. Mas no… Read more »

Colt

“Robson Br em 10 jan, 2010 às 22:52”

Não vai não rs
Ele vai comentar o coment. hauhauhau
[]s

Robson Br

Bosco em 10 jan, 2010 às 22:52

Concordo contigo com relação a doutrina.
Parece que a FAB nunca sabe o quer.

Durante o FX-1 criticam demais o Gripem, principalmente a turma de anápolis.

Quando a SAAB colocou aquele probe de rebastecimento em cima da tomada de ar para melhorar o alcance, ai…..

De uma coisa todos nós concordamos: 30.000 folhas para chegar nisso aí….Se especificasse melhor, não precisava de tanto.

Bosco

Aceitando ou não os argumentos do Colt devo confessar que pelo menos ele tem a vontade de analisar o texto e não somente desqualificar a fonte ou os colegas do blog que lhe dão crédito, quando a notícia não o agrada. O fenômeno de ser “do contra” em relação ao governo (coisa aliás que o PT foi sublime), de não acreditar na boa fé dos políticos (e de outros servidores da República) e de dar um crédito exagerado a tudo que parece ser da oposição, infelizmente é devido à experiência diária a que nós, cidadãos comuns, somos submetidos, antes de… Read more »

Reportagens especiais

Caça Saab JAS 39E Gripen: sistemas de guerra eletrônica e radar AESA

O programa Gripen NG que formará a base para a futura família de caças JAS 39E/F que entrará em...
- Advertisement -
- Advertisement -