sábado, maio 15, 2021

Gripen para o Brasil

Até onde vai a produção do Super Hornet?

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

super-hornet-2

vinheta-exclusivo O F/A-18E Super Hornet é hoje o principal vetor aeronaval da Marinha dos Estados Unidos (USN). Isto é fato e não há o que discutir. Além disso, a mais nova versão da família, o EA-18G Growler, recebeu luz verde do Departamento de Defesa na semana passada para integrar operacionalmente as alas aéreas embarcadas.

Em números absolutos a Boeing já produziu e entregou quatrocentos aviões da família Super Hornet até junho passado. E para o ano fiscal de 2010 outros 31 foram encomendados.

Além dos caças para a USN, a Boeing começou a entregar os F/A-18E-F da Austrália no mês passado. Esta encomenda, a primeira e única venda do Super Hornet fora dos EUA até o momento, representa mais 24 unidades.

Em termos concretos, a produção do Super Hornet possui um horizonte de cerca de 50 unidades. A Boeing poderia, com muita tranquilidade, produzi-las em menos de dois anos.

O Substituto

Mas o Super Hornet já possui um sucessor, o F-35 Lightning II, na sua versão “Charlie”, para uso embarcado.

f-35-lightning-ii

O ponto central nesta história toda são os sucessivos atrasos no programa F-35. Todo o programa operacional de testes deveria completar-se em 2014, mas está atrasado em, pelo menos, dois anos.

Além disso, o preço unitário deste moderno caça de 5ª geração ainda é um mistério, podendo atingir 200 milhões de dólares por unidade, o que geraria uma redução no número de encomendas.

O Problema

Segundo projeções da USN, os novos F-35C, 260 encomendas até o momento, entrarão em atividade num ritmo mais lento do que as versões mais antigas do Hornet deixarão o serviço ativo. Isto criará o que convencionou-se de “fighter gap”.

Um solução para evitar esta redução de caças na USN seria prolongar a vida de vários F/A-18C-D Hornet. O problema é que o custo para modernizar e revitalizar a célula de um Hornet antigo representaria mais da metade do preço de um caça novo.

A estimativa mais pessimista dá conta de que o “fighter gap” seria de 243 caças ou 20% da frota de caças projetada para 2017.

A Solução

Se modernizar os Hornets antigos não é a solução, então como o “fighter gap” poderia ser resolvido? Na visão da Boeing e de alguns congressistas norte-americanos ela é muito simples: manter a linha de montagem do Super Hornet aberta por um tempo bem maior.

FOTOS: USN / Lockheed Martin

- Advertisement -

301 Comments

Subscribe
Notify of
guest
301 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Baschera

Providencial esta matéria do Poggio.
Espero que não confundam o F/A-18 Hornet com o F/A-18 Super Hornet.
Não sei, é só minha opinião, mas talvez só se compre para o FX-2 a quantidade de 36 unidades e depois, quando estiver disponível o F-35, dependendo de uma penca de fatores, poderiamos completar a dotação com este 5ª geração. Até por que acho que desenvolver um vetor próprio não dá. Mas não sou futurólogo.

Sds.

Poggio

Baschera,

Isto que você acabou de escrever bate com a visão da Austrália. Depois dos Super Hornets virão os F-35. Mas isto é lá. Aqui nós vamos de F-X2 por décadas.

Nunão

Poggio,

Acrescente-se também que a USN divulgou que pretende operar 260 F-35C ( http://www.naval.com.br/blog/?p=15043 ), que é a versão embarcada de decolagem por catapulta e pouso enganchado, e temos que, ao menos por um bom tempo e mantendo-se essa pretensão de encomendas, o F-35 não substituirá os F/A-18 E/F nos NAe norte-americanos, apenas os F/A-18 C/D.

Sem falar que, mesmo fechada a linha de produção, a fabricação de peças e a realização de programas de upgrade deverão se estender por muito mais tempo, para a manutenção de uma frota de mais de 400 unidades.

Poggio

Perfeita a sua complementação Nunão.

Baschera

Bem lembrado Poggio e Nunão.
Ter garantia de suprimentos é crucial.
Lí ainda agora, que a a Boeing necessita de mais encomendas e até mesmo um possível grande comprador para, em conjunto com a GE, lançar uma nova turbina (hoje utiliza a GE F414) que teria mais 20% de empuxo, indo de 22.000 para 26.600 libras, praticamente consumindo a mesma coisa da atual.

Sds.

Wilson Johann

O fato é o seguinte: a linha de produção do F-18 SH só vai se manter aberta devido a atrasos na produção de seu sucessor. Caso contrário, ela já teria sido encerrada. Em 2014, se ficarmos com esse avião, os EUA estaram produzindo SH apenas para o Brasil. Os outros vetores oferecidos na FX-2 estão em pleno desenvolvimento, enquanto o F-18 SH já teve o seu “congelado”. Adquirir o SH agora seria o mesmo que adquirir o M2000-5 no FX-1, seríamos o último comprador/utilizador do M2000-5 no mundo. Logo, logo estaríamos desatualizados em relação a caças como Rafale, EF-2000, Gripen… Read more »

Lucas Calabrio

Prezados Caso seja o vencedor (f-18), o 1 lote será entregue em 2014, dois anos depois começará a substituição do F-18 SH E/F bl II, e caro Baschera espero que teu raciocínio esteja certo. O Brasil não quiz o f-35 devido a falta de TT e não tanto pelo preço, haja vista que tendo um avião tão avançado que segundo o fabricante é 400% superior a qualquer caça 4,5.logicamente teríamos menos caças pois a lógica do combate ele seria vencedor em 4 X 1, exemplo em vez de 36 caças seriam 9, porém insuficiente para cobrir o espaço aéreo nacional.… Read more »

Lucas Calabrio

o destino do f-18 sh e/f ao que parece, terá o mesmo fim que o f-5 só que mais caro

tomas

Existe um comentário de que a Boeing propós começar a entrega dos F-18 SH para a FAB, caso seja a escolha do FX-2, já em 2012/13.
Será?

SERGIOCIN

Sigo o pensamento do Lucas, acho q o SH serviria para a mesma situação dos F-5, mas aí apresenta-se outra equação, então para q modernizar os F-5. Com essa informação se é para ter um equipamento de armas para mais de 30 anos – sem contar o(s) pacote(s) off-set(s) – seria disperdício de tempo/dinheiro. Mas como não sabemos o q ficará amarrado por trás, fica só no comentários.

Hornet

um off-topic interessante: “Unicamp e Embraer assinam convênio A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) assinaram no dia 6 um convênio para a realização de dois projetos de pesquisa colaborativa. A cerimônia foi realizada na sala de reuniões do Conselho Universitário e contou com a presença do reitor Fernando Ferreira Costa e do diretor de Desenvolvimento Tecnológico da Embraer, Jorge Ramos de Oliveira Junior. O convênio foi articulado pela Agência de Inovação Inova Unicamp, órgão responsável pela proteção e transferência da tecnologia gerada na Unicamp e pelos projetos de cooperação entre a universidade e… Read more »

Bosco

A utilização de mais de 400 SH por parte da USN até 2035 por si só já seria uma garantia para a escolha do mesmo no F-X2. Garantia melhor que a das poucas unidades do Rafale e a do ainda em projeto Gripen NG. Tal fato não seria problema para nenhum país do mundo, mas para nós que só deveremos ter um F-X3 lá por 2050 se torna um problema gravíssimo e aí tenho que concordar com os críticos do mesmo. Quando resolvermos trocar o F-X2 ele já estará no museu, seja lá qual for o vencedor, há pelo menos… Read more »

URUTAU

parabens senhor Bosco perfeita e muito pertinente sua colocação
mas vale tambem lembra-los que ate 2035 muito provavelmente logico
caso haja seriedade administrativa dos nossos proximos governos a exploração do pre-sal e muitos outros projetos extremamente rentaveis
e promissores estarão nos fornecendo meios tanto para o desenvolvimento nacional como para compras de armamentos de ponta ou seja de ultima geração na verdade precisamos com urgencia moderisar nossas armas para que tenhamos uma razoavel força dissuassoria o mais rapido possivel

SDS senhores e BOM DIA

Marcos T.

Pessoal:
Más o fato deles estarem oferecendo o SH para o Brasil, não representa uma mudança nos rumos?
Se eles tem mesmo a intenção de encerrar a linha do SH, porque estariam tentando exporta-lo?

Na minha opinião esse caça vai ser fabricado por muitos anos ainda.

Marcos T.

Complemento:
E se concretizar o custo de R$200 milhões por unidade do F-35, é capaz de vir a versão “Silent” do SH por aí?

Edmar

Caros Amigos.: Vai ser um erro se a FAB adquirir os “Boeing F/A-18 Super Hornet”, pois eles serão logo aposentados. Além disso, o “Dassault Rafale F-3” ainda vai ficar por alguns anos a mais, ou seja, os “Rafale F-3” terão mais vida que os “F/A-18 Super Hornet”. A França já tem 72 unidades e quer chegar a 150. O Brasil vai querer 36 e quer chegar a 120. Libia quer 18 unidades, Suiça está em disputa e pretende 22 unidades, os Emirados Árabes Unidos pretendem 36 unidades, Omã pretende 24 unidades, a India que também tem um tipo de FX… Read more »

Lucas Calabrio

Prezados

A intenção norte-americana pode até ser verdadeira pela primeira vez, MAS o seu passado o condena (rsrssrs)
Bosco , acredtito que até lá creio que teremos NAe somente VANTs( ou com poucos tripulados).
Hornet, nesse particular é que a França se destaca da proposta da norte-americana que parece venda de prateleira com TT.
abraços

André

Há também a questão das encomenmdas totais do F 35. Ele é um programa de vários países que, obviamente, tem preferÊncia na fila de espera. Não me lembro ao certo das datas, mas se o Comando da Aeronáutica decidisse hipotéticamente pelo F 35, somente começariamos a recebê-los muito adiante do momento de substituição dos F 2000. Além das outras questões já citadas de TT, preço etc

[]s

URUTAU

senhores por favor TT verdadeira eficaz e principalmente condizente
sem serem popularmente essas meia boca como muitos as denominam
somente nos casos como o senhor Hornet postou convenios serios e de qualidade indiscutivel com as nossas proprias universidades e empresas desevolvedoras de tecnologia de ponta
qualquer outra TT seja amercana francesa russa ou paraguaia ( rsrsrrs)
e pura balela ou se preferirem estorias adormecedoras de bovinos rsrsrs

SDS Senhores

Esdras

Pontos a destacar. 1 – O SH ainda ficará em operação na USNAVY por pelo menos uns 15 anos no mínimo, e não precisa ser inteligente para sacar isso. 2 – Eles querem vender, porque precisam de gerar divisas comerciais para sua economia como qUalquer nação no mundo, e lembrando que o pós venda, move uma economia por muitos anos (a mais de 30 anos o Brasil compra suprimetos americanos para o F-5). 3 – Falar em F-35 para o Brasil é muito cedo, até porque o mercado de caças irá passar por uma reviravolta nos proximos anos, com uma… Read more »

André

Concordo com o URUTAU. TransferÊncia de tecnologia não é algo simples e nem se faz de maneira rápida.
A questão é o que se entende por transferÊncia de tecnologia? O que sarisfaz o governo? Seria algum tipo de “manual “é assim que se faz””, ou a ida e estadia de pessoal de engenharia para as fábricas que detem as tecnologias a serem transferidas. Se for esse último caso, este é o caminho correto. Apesar de que só se agrega tecnologia quando se pesquisa e desenvolve algo, quando se põe a mão na massa.

[]s

José

Senhores, comprar sucatas não pode mais.
Os Americanos estão querendo empurrar ferro-velho para nós e a FAB não vai aceitar isso.
Os Americanos estão se preparando para a grande invasão e vai tomar a Amazônia e o Pré-Sal.
Os Brasileiros devem tomar cuidado, pois o mal(EUA), está para vir.

Destruiram o Iraque para tomar seu petróleo.

O Rafale e o Gripen são aviões mais modernos e com isso o Brasil vai ter chance de desenvolver junto com eles.
Cuidado senhores.

Harry

Caro o Brasil não é latrina, não ao SH.
ABs.

JC

Quando leio “invasao da amazonia” da um desanimo, ateh faz a gente perder a vontade de discutir as coisas aqui. Qual eh pessoal, soh tem adolescente aqui, po? Eu queria saber pq o SH nao tem possibilidade de evoluir como plataforma nos proximos anos. Ao q me consta, o F15 evoluiu de vaias versoes ate o Silent Eagle..Strike Eagle…e os F15 atuais sempre estao com eletronica de ponta, ou nao? E assim, continuam baitas aeronaves, capazes de encarar qq forca aerea do mundo. O que eu vejo aqui eh muita gente q torce como se fosse time de futebol e… Read more »

JC

O braZil eh latrina sim, basta ver os containers com lixo vindo da Inglaterra…

Felipe Cps

Nossa quanta ignorância, tem gente que posta aqui que não consegue concatenar um único raciocínio: POMBAS, LEIAM NO POST, ESTÁ LÁ, O QUE VAI COMEÇAR A SER SUBSTITUÍDO EM 2016 SERÁ O “HORNET” E NÃO O “SUPER-HORNET”! SÃO AVIÕES DIFERENTES! Cristo-Rei, a gente tem que ensinar alguns até a ler, pow… Outro assunto recorrente que já encheu o saco de todo aquele que não é paranóico é a história de que os EUA querem invadir a amazônia, prospectar o pré-sal, furar o aquífero Guarani, dominar nossas mentes e sequestrar nossa mulatas. Caraca, QUOSQUE TANDEM a gente vai ter que aguentar… Read more »

Felipe Cps

JC: acho que tem uma galerinha que ainda tá no curso médio e pega essas coisas que ouvem na assembléia do grêmio estudantil e vem aqui encher nosso saco depois da aula… fala sério, q m…

Já que o Blog apaga e edita comentário quando a gente xinga os idiotas e os vermelhuxos, deveria dar um jeito de filtrar comentários estúpidos e de gente sem-noção…

Sds.

JC

Se os militares levassem a serio a possibilidade injustificada de uma invasao americana a amazonia, simplesmente colocariam todos os efetivos lah e ainda muitos despachos de macumba, pq sabem q nao adiantaria muita coisa. Claro q na guerra de selva a coisa ia feder pra eles tb, mas seria uma especie de Vietnam…uma guerra suja.

Todo o aumento de efetivo por lah eh pra nos proteger de FARCs, sendero luminosos, trafico de drogas e outros lixos. Acho q nem os boca moles vermelhuxos assustam de verdade nossas FAs.

Alfredo_Araujo

“JC em 12 ago, 2009 às 10:11 Quando leio “invasao da amazonia” da um desanimo, ateh faz a gente perder a vontade de discutir as coisas aqui. Qual eh pessoal, soh tem adolescente aqui, po?” Concordo! Vou acrescentar a essa lista ae a transferência de tecnologia… As pessoas quando ouvem ou leem sobre TT, acham q a empresa ganhadora deve passar TODO o conhecimento, de todos os estágios, da construção do aviao… Assim seria mole ne!?! Os EUA e seus parceiros gastando 300 bilhoes de dolares p/ desenvolver o F-X-WING, ai chega o Brasil com 2 bilhoes no bolso, compra… Read more »

Alfredo_Araujo

Mais o q eu acho mais interessante, é q quando o Chile compra F-16 block 50, todo mundo acha o maximo… Sendo q nem radar AESA tem…

JC

Alfredo, acho ateh q tem mais coisa no meio, como a Dassault colocou no papel, uma lista grande. Mas o mais importante eh isso.

Quanto a TT dos EUA, se o F18 permaneceu na lista…eh pq quem esta tocando o FX2 concluiu que a TT sera feita da maneira solicitada, po, ateh o titio de ditadores boca moles (obama) jah ligou duas x pro mulla…

Eu soh teho minhas duvidas se o congresso deles nao pode ferrar o negocio, apesar de ter maioria democrata absoluta nas duas casas.

URUTAU

senhores Felipe Cps e JC concordo em numero genero e grau com os senhores invasão da Amazonia 4 Frota dominando e roubando como bucaneiros o nosso Pre-Sal dominio da mente e subsequente lavagem cerebral e por ai afora so pode ser brincadeira ou seguidores ferrenhos do senhor Hugo Chavez a propria reencarnação de Simon Bolivar por favor isso me parece brincadeira de mau gosto desses senhores ou seria desses meninos ? rsrsrssrs

SDS Senhores

Obs vamos tentar procurar ser sensatos e coerentes sem devaneios senhores por obsequio

Paulo Renato

Felipe Caps, Olha o coração !!!! hehehehehehehehehe !!! Tudo bem que o Hornet vai para a produção e não o Super Hornet, mas e depois, será que eles vão realmente passar a tal TT para se produzir aki um vetor de 5 geração ??? Ainda acho que poderíamos comprar uns 40 SU35 ou SU34 e entrar no PAKFAT50, assim garantindo um vetor de 5 geração de verdade, estaríamos bem mas armados. Aco que faltou um pouco de boa vontade do NJ em negociar com os Russos, como ele já deixou bem claro que sua preferencia são os Franceses, então não… Read more »

Lucas Calabrio

Prezado Alfredo_Araujo
Particularmente , até acho pouco pois os norte-americanos estão atrás da segurança e bem estar de seu povo e o pré-sal está aí pra isso e sem gasto com soldados no orientemédio.
Quanto a questão “invasão da Amazônia” faça uma busca e verifique quantos artigos existe e não é paranóia como muitos falam
Abraço

URUTAU

novamente corretissimos senhores Alfredo e JC
e JC creio não haver muito perigo no que toca o congresso americano
devido a uma serie de conjunturas como a grande maioria democrata ja citada pelo senhor crise financeira manutenção de empregos e infinitas outras somando um quadro hoje pelo menos muito favoravel aos negocios
das nossas Fas

SDS Senhores

Mauricio R.

“…é capaz de vir a versão “Silent” do SH por aí?” “Silent” não é uma versão de upgrade, aplica-se exclusivamente ao F-15E, mesmo pq “stealth” não é passível de upgrade. O que pode vir a acontecer devido ao “fighter gap” da US Navy, é algo que a mídia se refere como “F/A-18 Block III”, um projeto c/ maiores niveis de furtividade que as já encontradas no F/A-18E/F atual. “…A França já tem 72 unidades e quer chegar a 150.” -Sem um otário p/ pagar as contas não passa daí, não há dinheiro novo p/ continuar a financiar o atual projeto.… Read more »

Lucas Calabrio

Prezados
site interessante

http://www.comciencia.br/reportagens/2005/08/06.shtml

Abraços

URUTAU

senhor Lucas Calabrio por estas terras tupiniquins tambem ja se ouviram vozes de invadir a Argentina invadir o Paraguai anexar ao nosso territorio o Uruguai comprar as guianas e por ai vai
mas disso se tornou realidade não passaram de devaneios utopicos de alguns militares e politicos portanto vamos procurar ser objetivos sensatos e coerentes sem nos apegarmos a tudo que se le ou ouve

SDS Senhores

Adler Medrado

Pelo menos não estamos como o Uruguai, buscando Mirage III ou Mig 21 no mercado de segunda mão.

Eu pessoalmente, acredito que os EUA estão começando a nos levar mais a sério ao verem os Europeus mais especificamente representados pela França fazê-lo. Sei lá, melhor ser amigo dos EUA do que inimigo deles.

Paulo

Primeiro: pelo nosso histórico de aquisições deste tipo, quando for efetivado o FX3 qualquer um dos vetores hoje discutidos (Rafale, F18 SH ou NG) já estará aposentado em seus países de origem (vide Mirage, F5 e AMX) então acho que ficar com medo de comprar esse ou àquele por conta de possível aposentadoria amanhã ou depois é besteira. Segundo: Os EUA não vão jogar os 300 F18 SH E/F/G (e a grana que gastaram neles) que já tem na Marinha no lixo só porque lançarão o F35 navalizado (que hoje nem efetivamente operacional está). Não são sapatos velhos, são aviões… Read more »

Felipe Cps

Paulo Renato em 12 ago, 2009 às 11:00 “será que eles vão realmente passar a tal TT para se produzir aki um vetor de 5 geração ???” VETOR DE QUINTA GERAÇÃO??????????????????? E quem disse que a FAB está atrás disso, caro? Meu amigo, o que a FAB está querendo comprar no FX2 é a tecnologia para algumas partes de uma aeronave supersônica de 4.5 geração, não uma aeronave stealth! Quanto aos EUA transferirem tecnologia, como advogado penso que contratos são contratos. Dependendo da multa contratual, vale até a pena torcer para que a outra parte contratante descumpra o contrato… OU… Read more »

Paulo

É isso ai Felipe! Seja quem for, se não entregarem o que determinar no contrato a gente pega a clausula penal, que deve ser de 10 a 100 vezes o valor do contrato todo, e compra uns três/quatro esquadrões de EF2000 T3 (meus preferidos afinal) só pra contrariar! A turma aqui acha que o Brasil está comprando jujubas na “vendinha da esquina”, ou que vai pagar “à vista” par receber depois. Vai é dar um “beija-flôr” de entrada e aguardar o inicio do cumprimento das metas pra transferir o grosso da grana. Se puser no papel vai ter que cumprir… Read more »

Kfonseca

Essas teorias conspiratórias são perda de tempo por dois motivos: 1 – são piadas; 2 – se por acaso ocorrer, fazer o q? a posição de muitos radares na amazonia, além de fixa, são conhecidos. As defesas aéreas estão sediadas em poucas bases, conhecidas. Os EUA têm a maior Força Aérea do Mundo, e também a 4a maior Força Aérea do Mundo (sua marinha). Se eles quiserem vir aqui pegar, eles pegam em 2 horas, durante alguma madrugada. Ou alguém acha aqui estamos nos provendo de meios para nos proteger dos ianques? Para isso teríamos que ter investimento militar do… Read more »

URUTAU

rsrsrsrsrsrs pela eloquencia pelo texto e por n outros motivos desconfiei que o senhor Felipe Cps fosse um colega de profissão
belissimas conotaçoes colocações embargos agravantes etc etc etc
parabens nobre causidico ( rsrsrsrs )

SDS Senhores

Felipe Cps

Paulo Renato em 12 ago, 2009 às 11:00

Amigo, sobre esse tal PAK-FA eu só falarei depois que alguém me apresentar alguma foto do bicho. Antes disso, para mim é mais um conto da carochinha, que nem Saci-Pererê, Mula-Sem-Cabeça e Chupa-Cabra…

Quanto aos russos, faltou foi é boa vontade DOS RUSSOS em negociar com o Brasil. Eles não tiveram a menor intenção de fazer TT alguma, motivo pelo qual foram, justamente, desclassificados…

Mas meu caro, estamos há um mês da decisão do FX2, será que não dá para as viúvas esquecerem o caça-acrobático e seguirem adiante com a vida???

Sds.

HGB

Prezados senhores, Vejo a oferta americana como um sinal de “amizade”, para marcar o território, uma vez que não se trata apenas de venda de aviões de combate, mas sim de influência política e comércial. Somos emergentes junto com China, Rússia e India, formamos o BRIC, e nesse cenário, nós somos o único país ocidental, com uma economia aberta e crescente, com possibilidades de formarmos uma novo bloco econômico rivalizando com grandes economias. Neste sentido, os outros países deste clube, que sofreram e sofrem grande influência oriental(Rússia). Não nos esqueçamos da produção de alimentos e energia, pois o Grande Irmão,… Read more »

JC

“depois, será que eles vão realmente passar a tal TT para se produzir aki um vetor de 5 geração ???”

poxa…assim fica impossivel nao rir.
nem no natal eles nos dariam o que nao estamos pedindo.

JC

“Os Americanos estão querendo empurrar ferro-velho para nós e a FAB não vai aceitar isso.”
A marinha dos EUA continua aceitando…e a FAB jah aceitou, como os outros 2 vetores.

“Não aceito mais os seus comentários errados e de pouca expressão.
Aqui infelizmente tem alguns comentários de crianças como os do Senhores citados aqui.”

Amigo, aqui nao eh a Venezuela e vc nao eh o Chavez…

José

Senhor JC, se você é Médico, cuitado de seus pacientes.

JC

“cuitados” …eh…
coitado do seu professor de portugues
quanto aos meus pacientes, estao felizes.
tanto quanto os caçadores que voarao de SH em breve.
🙂

Reportagens especiais

O Rafale apresentado por quem entende

O Poder Aéreo participou de uma coletiva com a imprensa especializada fornecida pela Dassault Aviation na LAAD 2009. A exposição...
- Advertisement -
- Advertisement -