domingo, abril 11, 2021

Gripen para o Brasil

Radar de defesa antiaérea é destaque na LAAD 2009

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

dsc04251

Um radar nacional voltado para defesa antiaérea de baixa altitude, o SABER M60, é um dos destaques da LAAD (Latin America Aerospace and Defence ) – a maior feira de defesa e segurança da América Latina, que reúne bienalmente empresas brasileiras e internacionais especializadas no fornecimento de equipamentos e serviços para as três Forças Armadas. O evento acontece entre 14 e 17 de abril, no Riocentro, Rio de Janeiro.

O SABER M60, desenvolvido pela brasileira Orbisat em parceria com Centro Tecnológico do Exército, identifica o alvo desejado e as informações são processadas por um software e transmitidas, em tempo real, a um Centro de Operações de Artilharia Antiaérea, integrante do Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA). O radar fornece a localização exata de cada aeronave sobrevoando a área vigiada, bem como sua identificação.

Com tecnologia 100% brasileira, o sistema de acompanhamento de alvos aéreos permite rastrear alvos em um raio de até 60 quilômetros e a uma altitude de até 5 mil metros. Isso auxilia, de forma eficaz, no trabalho de proteção a pontos e áreas sensíveis, como indústrias, usinas, instalações governamentais e locais de eventos importantes, como conferências de chefes de Estado ou competições esportivas internacionais.

Por ser portátil e de baixo peso, pode ser facilmente transportado para qualquer local do território nacional ou empregado em missões de paz no exterior. Sua instalação para entrar em operação pode ser feita em menos de 15 minutos por soldados da artilharia antiaérea do Exército.

Outro ponto importante é que o radar pode ser integrado a sistemas de armas baseados em mísseis ou canhões antiaéreos. O SABER M60 possui as mesmas funções de um radar de grande porte de aeroporto e oferece, como vantagens, custo mais baixo e capacidade de rastreamento, mesmo em ambientes como a densa Floresta Amazônica.

SOBRE A ORBISAT – A Orbisat da Amazônia SA é uma empresa de base tecnológica de capital fechado 100% brasileiro, especializada em sensoriamento remoto, radares de vigilância e produtos eletrônicos de consumo. A empresa tem como missão fornecer soluções eletrônicas e de mapeamento para o setor privado e agências governamentais de todo o mundo.

A Orbisat tem sede administrativa e a divisão de sensoriamento remoto em São José dos Campos (SP). A produção de equipamentos é feita em seu complexo industrial, localizado em Manaus (AM). Em 2002, a empresa instalou ainda uma unidade em Campinas (SP), onde é desenvolvida a tecnologia de radares.

- Advertisement -

32 Comments

Subscribe
Notify of
guest
32 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Zero Uno

Muito bom! Más me parece que está em desenvolvimento um rada para até 200 km não é mesmo?

Felipe Cps

Para quem não se lembra, a Orbisat fabrica (ou fabricava) antenas de televisão, tanto aquelas “espinha de peixe” UHF quanto parabólicas.

Ulisses

Zero Uno

O radar que você quer saber é o SABER M200

Abraços.

Tiago Jeronimo

Seria interessante a integração desse radar com O MAA-1 Piranha, já seria um salto significativo para quem opera apenas misseis termicos lançados do ombro.

henrique

altitude de 5000 metros? só isso?

marujo

Quando o Exército encomendará o Saber M-60 e qauantas unidades estão planejadas para aquisição? Quando este radar estará totalmente operacional? O Saber M200 existe ou ainda é só um projeto? Quem souber responder, por favor se habilite.

Clêuber

Marujo,Os estudos para a elaboração da antena desse novo modelo, já nomeado de Saber M-200, devem começar oficialmente em junho deste ano. O objetivo é que eles sejam utilizados em sistemas de defesa antiaérea como, por exemplo, para a defesa de instalações estratégicas em centrais de energia, instalações militares, refinarias ou instituições governamentais. Esses novos equipamentos também serão fabricados pela Orbisat, empresa que tem sede em Manaus e dois centros de pesquisa e desenvolvimento (P&D), um voltado ao desenvolvimento de tecnologias para radares, em Campinas, e outro onde são realizados experimentos na área de engenharia eletrônica, em São José dos… Read more »

Cantarelli

Vamos com calma pessoal pelo que vejo ta indo com forme os planos do END esse radar sera muito importante para as tropas queria saber se ele ou o otro radar citado podem rastrear tropas em solo tanques e navios na costa , otra coisa esse radar 200 km pode ser usando para integrar o sistema Astros .

Abraço!

RJ

E eu gostaria de ver um M200 trabalhando embarcado numa fragata…
alguém já aventou essa possibilidade?

André C

Henrique
Sobre os 5000 metros ,na missão para qual foi desenvolvido é mais do que suficiente ja que se trata “defesa antiaérea de baixa altitude” ou seja o radar foi projetado para rastrear alvos a baixa altitude missão que não pode ser feito por um radar normal , por exemplo um helicoptero de ataque voando a mais ou menos 100 a 150 metros do solo dificilmemte seria detectado por um radar normal .Pode se dizer que esse radar tem tecnologias “sensiveis” ja que são só praximadamente 5 paises que possuem .

Espero não te falado asneras ..

Abraços.

Walderson

Sobre a altitude, a parte do SISDABRA que compete ao EB é a defesa aérea de baixa altitude. Para altitudes maiores, a competência é da FAB. Logo, o EB desenvolveria o que cabe a ele. Na minha maneira de ver, se não há limitação do equipamento, poder-se-ia desenvolver um equipamento que alcança altitudes maiores, mesmo que o EB só cuide da baixa altitude. Como disse, temos de ver se há limitação por parte do equipamento.
Um abraço a todos.

Clésio luiz

Radares móveis são os únicos que sobrevivem em tempo de guerra. A primeira coisa que se faz é destruir os radares inimigos para que a aviação tática possa apoiar as tropas eficazmente.

Muito bom que esse aparelho tenha sido desenvolvido. Tomara que seja eficaz e que seja construído em números suficientes para equipar bem o exército.

Excel

Beleza de equipamento. Isto mostra que com incentivos a indústria bélica nacional poder se desenvolver robustamente. So falta dar uma chance a ela.

RL

Vejo que alguns amigos possuem exatamente o mesmo ponto de vista que eu sempre defendi.

Defesa (Móvel) Anti-Aérea de curta distância a baixa altura.
Viaturas Avibrás
SABER M60 ou M200
Misseis MA-A1B Piranha ou A-Darter

Fragatas da MB – Sistema de Defesa Anti-Aérea.
Radares M200 ou M60
Misseis MA-A1B Piranha ou A-Darter

Gostei da ideia do amigo Cantarelli.
Acopla-lo ao sistema Astros II e diria ainda, até o sistema do Astros III com o missíl Matador com alcançe de 300Km.

Falow!!!

Cantarelli

Cara eu to muito feliz com a noticia desse radar do EB pense nas funçoes que ele pode desepenhar so falto fusil novo pra o EB fica asim digamos bem equipado pq os nossos soldados sao otimos!

Brasil Mostra Tua Cara!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Marcos T.

Conforme oque prega o END, esse sistema se encaixa como uma luva.
O EB podia começar comprando uns 100 desses só pra dar um empurranzinho na fabrica.

Zero Uno

Muito bom! Más me parece que está em desenvolvimento um rada para até 200 km não é mesmo?

Felipe Cps

Para quem não se lembra, a Orbisat fabrica (ou fabricava) antenas de televisão, tanto aquelas “espinha de peixe” UHF quanto parabólicas.

Ulisses

Zero Uno

O radar que você quer saber é o SABER M200

Abraços.

Tiago Jeronimo

Seria interessante a integração desse radar com O MAA-1 Piranha, já seria um salto significativo para quem opera apenas misseis termicos lançados do ombro.

henrique

altitude de 5000 metros? só isso?

marujo

Quando o Exército encomendará o Saber M-60 e qauantas unidades estão planejadas para aquisição? Quando este radar estará totalmente operacional? O Saber M200 existe ou ainda é só um projeto? Quem souber responder, por favor se habilite.

Clêuber

Marujo,Os estudos para a elaboração da antena desse novo modelo, já nomeado de Saber M-200, devem começar oficialmente em junho deste ano. O objetivo é que eles sejam utilizados em sistemas de defesa antiaérea como, por exemplo, para a defesa de instalações estratégicas em centrais de energia, instalações militares, refinarias ou instituições governamentais. Esses novos equipamentos também serão fabricados pela Orbisat, empresa que tem sede em Manaus e dois centros de pesquisa e desenvolvimento (P&D), um voltado ao desenvolvimento de tecnologias para radares, em Campinas, e outro onde são realizados experimentos na área de engenharia eletrônica, em São José dos… Read more »

Cantarelli

Vamos com calma pessoal pelo que vejo ta indo com forme os planos do END esse radar sera muito importante para as tropas queria saber se ele ou o otro radar citado podem rastrear tropas em solo tanques e navios na costa , otra coisa esse radar 200 km pode ser usando para integrar o sistema Astros .

Abraço!

RJ

E eu gostaria de ver um M200 trabalhando embarcado numa fragata…
alguém já aventou essa possibilidade?

André C

Henrique
Sobre os 5000 metros ,na missão para qual foi desenvolvido é mais do que suficiente ja que se trata “defesa antiaérea de baixa altitude” ou seja o radar foi projetado para rastrear alvos a baixa altitude missão que não pode ser feito por um radar normal , por exemplo um helicoptero de ataque voando a mais ou menos 100 a 150 metros do solo dificilmemte seria detectado por um radar normal .Pode se dizer que esse radar tem tecnologias “sensiveis” ja que são só praximadamente 5 paises que possuem .

Espero não te falado asneras ..

Abraços.

Walderson

Sobre a altitude, a parte do SISDABRA que compete ao EB é a defesa aérea de baixa altitude. Para altitudes maiores, a competência é da FAB. Logo, o EB desenvolveria o que cabe a ele. Na minha maneira de ver, se não há limitação do equipamento, poder-se-ia desenvolver um equipamento que alcança altitudes maiores, mesmo que o EB só cuide da baixa altitude. Como disse, temos de ver se há limitação por parte do equipamento.
Um abraço a todos.

Clésio luiz

Radares móveis são os únicos que sobrevivem em tempo de guerra. A primeira coisa que se faz é destruir os radares inimigos para que a aviação tática possa apoiar as tropas eficazmente.

Muito bom que esse aparelho tenha sido desenvolvido. Tomara que seja eficaz e que seja construído em números suficientes para equipar bem o exército.

Excel

Beleza de equipamento. Isto mostra que com incentivos a indústria bélica nacional poder se desenvolver robustamente. So falta dar uma chance a ela.

RL

Vejo que alguns amigos possuem exatamente o mesmo ponto de vista que eu sempre defendi.

Defesa (Móvel) Anti-Aérea de curta distância a baixa altura.
Viaturas Avibrás
SABER M60 ou M200
Misseis MA-A1B Piranha ou A-Darter

Fragatas da MB – Sistema de Defesa Anti-Aérea.
Radares M200 ou M60
Misseis MA-A1B Piranha ou A-Darter

Gostei da ideia do amigo Cantarelli.
Acopla-lo ao sistema Astros II e diria ainda, até o sistema do Astros III com o missíl Matador com alcançe de 300Km.

Falow!!!

Cantarelli

Cara eu to muito feliz com a noticia desse radar do EB pense nas funçoes que ele pode desepenhar so falto fusil novo pra o EB fica asim digamos bem equipado pq os nossos soldados sao otimos!

Brasil Mostra Tua Cara!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Marcos T.

Conforme oque prega o END, esse sistema se encaixa como uma luva.
O EB podia começar comprando uns 100 desses só pra dar um empurranzinho na fabrica.

Combates Aéreos

Pilotos de Gripen tailandeses aprenderam com a derrota para os J-11

O motivo da derrota dos Gripen JAS39C da Tailândia nos dogfights do exercício Falcon Strike 2015 com caças J-11...
- Advertisement -
- Advertisement -