Home Indústria Aeroespacial Crise põe em risco projeto do C-390

Crise põe em risco projeto do C-390

91
0

c-390v2

Não há momento bom para crise, mas este, que determinou as 4.200 demissões de funcionários feitas pela Embraer, não poderia ser pior para a empresa. A Embraer está batalhando parcerias internacionais para o desenvolvimento de um projeto militar ambicioso, o cargueiro e avião tanque C-390. O valor estimado da fase inicial do programa fica entre US$ 500 milhões e US$ 600 milhões.

O presidente da companhia, Frederico Curado, tinha a expectativa de anunciar os acordos ao longo do ano. Na sexta-feira, em São José dos Campos, um executivo ligado à vice-presidência para o mercado de defesa disse ao Estado que “a vida ficaria um pouco mais fácil” se o Comando da Aeronáutica confirmasse suas encomendas desse jato, “já anunciadas, mas não formalizadas”.

Esse pacote é coisa de 22 unidades iniciais, ao custo de US$ 1,3 bilhão. A aviação militar precisa reforçar a frota de transporte rápido para atender ao conceito do Plano Estratégico de Defesa, apresentado em dezembro de 2008, que pretende ter Forças Armadas com grande poder de deslocamento.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, revelou a expectativa de receber os aviões a partir de 2015. O C-390 voa a 850 km/hora e leva 19 toneladas de carga útil. Abriga 64 paraquedistas equipados para combate ou 84 soldados de infantaria convencional, além de um arranjo para a retirada de feridos ou doentes em zonas de alto risco.

Um pedido firme da aeronáutica ajudaria a ofensiva comercial da companhia no segmento da nova geração de transportadores médios, um mercado que envolve 700 aeronaves em 77 países e não menos de US$ 13 bilhões em novos negócios.

NOTA DO BLOG: Comparar o desenho da imagem acima (mais atual), com a versão inicial do projeto.

FONTE: O Estado de S. Paulo.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Omega
Omega
11 anos atrás

O Governo tinha que agir rápido e firmar as encomendas do C-390 para amenizar a crise sobre a Embraer e logo, sobre seus empregados. Este avião além de aumentar a logística das forças armadas é um grande orgulho brasileiro. Torço por este projeto desde o primeiro dia em que o vi.

Fábio Max
11 anos atrás

O governo brasileiro sabota qualquer programa dessa natureza ao deixar claro que, em qualquer mínima crise que se apresente, mesmo sem queda de arrecadação tributária, vai cortar verbas dele.

joao terba
11 anos atrás

Depois das demissões eu acho que o governo vai jogar duro com embraer sobre as compras dos aviões cargueiro.

cleuber
cleuber
11 anos atrás

o programa do cargueiro C-390 é vital para o futuro da industria aeronaltica BRASILEIRA então, já chegou a hora do Brasil abrir as asas e alçar vôos ousados se um dia sonha em ser efetivamente uma potência.O desenvolvimento dessa aeronave alem de empregos e tecnologia daria ao Brasil condições de ter uma aviação de transporte indepente e avaçada.A hora da decisão e essa “ser ou não ser eis a questão”?

gaspar
gaspar
11 anos atrás

disse tudo joao…
acho que a compra sera vinculada a reitegracao de boa parte dos funcionarios demitidos…

quais seriam as “variantes” dessas 22 unidades ?? seriam so para transporte ??
acho que dessas 22 unidades, pelo menos umas 04 deveriam ter canhoes laterais, artilharia aerea… nao seria uma boa ???
sera que a Embraer chegou a desenvolver uma versao do C390 com canhoes nas laterais ???

Carlos Augusto
Carlos Augusto
11 anos atrás

E agora “José” os diretores da EMBRAER pensaram que estavam com a bola toda, vamos colocar esse pessoal todo na rua e fod… o mundo pois não me chamo raimundo.
É eles vão ter que pedir mais um favorzinho pro governo, 570 ________ portuguêses contratados e 4.000 brasileiros aqui a ver navios, vamos ver agora qual o final deste filme.

Edilson
Edilson
11 anos atrás

Para mim é choradeira da EMBRAER, pois a coisa não está sim tão afim de mundo, acho que a EMbraer tem direito de cobrar atitude do governo e visse-versa. agora nãos e justifica uma retarção de 20 % da força de trabalho por conta da tal (crise). é preciso se cobrar a urgência dos programas e o repasse imediato dos orçamentos condicionados e contingenciados. para mim o C-390 não está ameaçado quem estão ameaçados são as 4000 famílias que estão sendo usadas como massa de manobra. a participação d egrupos estrangeiros ainda não foi concluida e está em negociação e… Read more »

Robson Br
Robson Br
11 anos atrás

Carlos Augusto, Portugual é a porta da Europa, assim como tem nos EEUU, na China ETC. Temos também a Aeroeletrônica que foi a porta da Elbit no Brasil. Faz parte da estratégia comercial. O que está por tras disso é o FX-2 e o mercado nacional. O governo é muito lento. Essa decisão era para ser tomada em 2008. Esses 40 jatos que a Embraer vai deixar de entregar esse ano poderia ser oferecido para a TRIP e a azul e os 2 EMB 190 para a FAB. No ano que vem poderia iniciar o FX-2. Já vi que a… Read more »

Felipe
Felipe
11 anos atrás

ihhh, depende do governo? Então lascou! A finada Engesa que o diga… A Avibras teve muita sorte de nao ir pro limbo também.

Infelizmente esse país não é sério quando se trata de defesa.

Tadeu
Tadeu
11 anos atrás

Bom, se a Embraer ainda fosse estatal, a culpa seria do governo, más agora que a empresa é privada as pessoas continuam colocando a culpa no governo? então é melhor estatizar novamente… Afinal quando a Embraer estava crescendo era por méritos do “eficiência da gestão de uma empresa privada”, agora quando algo vai mal é culpa do governo…? Que tal examinar a administração que os diretores da empresa’privada’ tem feito? A propósito disto, um comentário que eu retirei lá do blog do Luis Nassif: # 23/02/2009 – 08:33 Enviado por: Miope Prezados amigos, Vamos resumir os fatos: a) Investimento de… Read more »

RL
RL
11 anos atrás

Eu falo e depois tem gente que me critica. Até entendo e respeito pois vivemos em um país com liberdade de expressão.

Más convenhamos.

O que atrasa este país é o seu governo e sua letárgica e ineficiente postura diante dos assuntos nacionais.

Senhores, estamos diante espécie ENGESA dos Ares com o seu tanque Osório beirando o rídiculo novamente.

Billy
Billy
11 anos atrás

Aí sim, seria uma medida que demonstraria a preocupação do governo na manutenção de empregos e desenvolvimento da indústria bélica Brasileira. Mas qual?? Algum inocente aqui acha que os bandidos querem fortalecer as FFAA?? O que o PT quer é chantagear o empresariado, extorqui-los mediante a violência dos “STURMABTEILUNGSMAAN” da CUT, controlar fábricas em prol do SOCIALISMO/COMUNISMO

Abrivio
Abrivio
11 anos atrás

Taceu, Respondendo ao Miope que nem postou aqui: a) Os contratos da Embraer são em dólares e isso é óbvio, já que seus fornecedores e clientes encontram-se no exterior. A valorização do dólar só trouxe benefícios, pois a mão-de-obra ficou mais barata. O problema de especulação com contratos de opção de recompra foi com a Sadia e a Aracruz, a Embraer não especulou com câmbio. b) A fábrica na China, ao que me conste, foi construida com a grana dos chineses da Harbin, muito espertos, eles andaram copiando tudo como sempre fazem com todo mundo. A Embraer esperava que o… Read more »

Miguel
Miguel
11 anos atrás

O governo Lula não pode ser considerado comunista de forma alguma, mais apropriado seria dizer que segue a linha keynesiana do capitalismo. Lá nos EUA e Europa com bancos e empresas falindo, os governos estão colocando trilhões de dólares nestas empresa, más não de graça, por que estão adquirindo controle acionário sobre estas empresas, agora mesmo o governo_norte-americano está colocando mais dinheiro no Citibank e ficando já com 40% das acões ordinárias do banco. Isto tem um nome :ESTATIZAÇÃO – más os seguidores da seita do neoliberalismo, consideram esta palavra (estatização) um grande pecado! “coisa do demo”…!! Só que é… Read more »

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Bem, acho que o comentário que postei na matéria anterior, faz ainda mais sentido depois de ler esta matéria. Pra quem se interessar, é só dar uma olhada no que escrevi no post anterior.

abraços a todos

Tadeu
Tadeu
11 anos atrás

Olá Abrivio, fui dar uma conferida na suas afirmações, abaixo: “O problema de especulação com contratos de opção de recompra foi com a Sadia e a Aracruz, “a Embraer não especulou com câmbio.” -A Embraer especulou sim. “No último balanço divulgado, correspondente ao terceiro trimestre de 2008, a empresa registrou um prejuízo de R$ 48,4 milhões. Parte devido às operações de swap cambial, na modalidade Non-Deliverable Forward (NDF). É uma operação pela qual as duas partes acertam um valor futuro de dólar. Se o dólar ficasse abaixo do valor acertado, a Embraer receberia a diferença; acima, teria que pagar.” -Luis… Read more »

Tadeu
Tadeu
11 anos atrás

…INFELIZMENTE…!

completando, os grandes meios de comunicação, ignoraram sistematicamente estes economistas e estudos que previram o que está acontecendo agora, ou então menosprezara taxando de loucos , catastrófistas, etc…Afinal não interessava a ninguém interromper o jogo, o negócio era deixar rolar, até a banca quebrar !

Miguel
Miguel
11 anos atrás

Hornet,

li seu comentário, faz sentido, esclarece vários pontos nesta história toda.

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Pois é, pelo andar da carroça, o que houve foi um erro grotesco de estratégia por parte da diretoria da empresa. E quem está pagando o pato, agora, somos todos nós…a sociedade como um todo, desde os projetos para a FAB até os desempregados pela empresa. achei interessante esta análise do Nassif, que saiu na Folha regional: “Coluna Econômica – 23/02/2009 Ainda não estão claros todos os motivos que levaram a Embraer a promover a maior demissão que uma empresa privada já fez no país: 4.270 funcionários, 20% de sua força de trabalho. É um gesto com muitas consequências. Numa… Read more »

Tadeu
11 anos atrás

postei um comentário em resposta ao Abrivio, más ele não saiu, será pela citação do NASSIF? Bom vai novamente, agora só com o link pra o texto do Nassif. _________________________ Olá Abrivio, fui dar uma conferida na suas afirmações, abaixo: “O problema de especulação com contratos de opção de recompra foi com a Sadia e a Aracruz, “a Embraer não especulou com câmbio.” -A Embraer “especulou” sim. A Embraer possuía um total de R$ 1,6 bilhão em contratos derivativos chamados de NDF, que embora não possuindo a mesma superalavancagem que os contratos feitos por Sadia e Aracruz, são contratos de… Read more »

Tadeu
Tadeu
11 anos atrás

O COMENTÁRIO NÃO ESTÁ SENDO LIBERADO, ULTIMA TENTATIVA, SEM LINKS AGORA… _______________________ Olá Abrivio, fui dar uma conferida na suas afirmações, abaixo: “O problema de especulação com contratos de opção de recompra foi com a Sadia e a Aracruz, “a Embraer não especulou com câmbio.” -O Hornet já respondeu isto, aí em cima. -Quanto a fabrica da Embraer na China, realmente o investimento inicial foi de apenas 25milhões de dólares, baixo, mas existiu…só que provavelmente já foi gasto bem mais que isto, mas isto é política interna da empresa e não sei se é possível saber… Abrivio: “Antes de setembro… Read more »

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Tadeu,

vc está certo. Esta crise era morte anunciada. E já faz tempo. Muitos críticos no neo-liberalismo alertaram para o perigo, mas não deram ouvidos a eles…pior ainda, os ridicularizaram…pois bem, agora a encrenca está aí.

Não se pode tratar de negócios com ideologia e dogmatismo na cabeça…dá no que dá. Se apegaram na ideologia neo-liberal do mercado onipotente…dançou tudo.

mas enfim, vc já escreveu melhor do que eu escreveria.

abraços

Vassili Zaitsev
Vassili Zaitsev
11 anos atrás

A FAB devia imediatamente encomendar essas 22 aeronaves pretendidas. Seria o suficiente (juntamente com o devido financiamento inicial do projeto), pois assim, os demais “prováveis usuários” realmente saberiam que o C-390 sairá do papel.

Mas, mesmo assim, a FAB ainda precisa de transportes estratégicos, tal qual o C-17, ou Il-78 russo.

O sonho de consumo da Aviação de Transporte da FAB seria assim:

– 12 C-105 Amazonas (no mínimo); se possível, 18.
– 22-24 aeronaves C-390;
– 12 aeronaves A-400;
– 08-12 aeronaves C-17 GlobeMaster

Luciano Baqueiro
Luciano Baqueiro
11 anos atrás

Amigos, gostaria de dar minha visão particular da situação econômica o Brasil no ‘resto’ do mundo. Sou representante comercial, ganho apenas comissão sobre o que vendo, não tenho nem ajuda de custo e posso lhes dizer a coisa não tá nada boa, tive caso de pedido c/ cláusula de multa em caso de cancelamento ser mesmo assim cancelado, material pronto p/ ser despachado ter entrega atrasada em pelo menos 1 mês a pedido do cliente. Meus principais clientes – indústria química e petroquímica – cujos grandes consumidores estão no exterior, no fim do ano tiveram a produção total ou parcialmente… Read more »

brazilwolfpack
brazilwolfpack
11 anos atrás

Que surpresa…

jacubão
11 anos atrás

Prefiro o primeiro desenho mas com a cauda em T.
Eu não consigo entender a demora em anunciar logo a emcomenda desses vetores pelo MD, seria uma grande ajuda do governo para ajudar a EMBRAER nesses tempos de crise e ajudaria a alavancar o 390 no mercado mundial.

Ivan
Ivan
11 anos atrás

Hornet e Tadeu, Obrigado pelas ponderações. Muito esclarecedoras. Vassili, Concordo que a FAB precisa renovar e reforçar a frota de transporte, mas questiono um detalhe da sua formação. O Airbus A400 e o C-17 são aeronaves muito próximas na missão e no custo de operação. Acredito que seria um ou outro, para evitar duas cadeias logísticas caríssimas. Prefiro o C-17 que é maior e pode ser comprado em menor quantidade, talvez uma meia dúzia, concentrando esforços no KC/C-390, talvez mais parrudo que o atual C-130. Mas evidentimente isto depende de alianças estratégicas nacionais, se no futuro será mais francesa ou… Read more »

Ivan
Ivan
11 anos atrás

Em tempo, independente do erro cometido ser da administração da Embraer o do governo brasileiro algo deve ser feito por todos. Assim sendo o melhor seria deixar ideologias de lado, bem como vaidades pessoais e buscar soluções para a crise particular do setor aéreo nacional. Uma definição clara de compras da FAB seria um ótimo passo para isto, até porque quando um administrador sabe antecipadamente e com segurança o que vai ser comprado pode planejar o que fazer. 22 C-390 com especificações claras e cronograma de desembolso seria ótimo, com uma cobrança de mudança de atitude negociada pela administração da… Read more »

Vassili Zaitsev
Vassili Zaitsev
11 anos atrás

Ivan,

Beleza! seu pensamento tem sentido.

Citei aqueles números e inclui os dois modelos por causa da capacidade de deslocamento de cada um.

O A-400 pode carregar até 37.000 quilos, enquanto o C-17 pode carregar um M-1 Abrams, que pesa 60 toneladas. Por causa dessa diferença, inclui os dois.

Mas, como disse, é só um sonho mesmo. SE vierem mais 8 CASA C-295 e os 22 pretendidos C-390, já estará de bom tamanho.

abraços.

brazilwolfpack
brazilwolfpack
11 anos atrás

Amigos,que deprimente. Sempre que fico orgulhoso com algum projeto brasileiro,acaba tudo desta maneira. Espero que o belo C-390,com suas linhas elegantes,com tanta promessa para o futuro,nao se converta no Osorio do seculo 21.

brazilwolfpack
brazilwolfpack
11 anos atrás

Que surpresa…

Ivan
Ivan
11 anos atrás

Hornet e Tadeu, Obrigado pelas ponderações. Muito esclarecedoras. Vassili, Concordo que a FAB precisa renovar e reforçar a frota de transporte, mas questiono um detalhe da sua formação. O Airbus A400 e o C-17 são aeronaves muito próximas na missão e no custo de operação. Acredito que seria um ou outro, para evitar duas cadeias logísticas caríssimas. Prefiro o C-17 que é maior e pode ser comprado em menor quantidade, talvez uma meia dúzia, concentrando esforços no KC/C-390, talvez mais parrudo que o atual C-130. Mas evidentimente isto depende de alianças estratégicas nacionais, se no futuro será mais francesa ou… Read more »

Omega
Omega
11 anos atrás

O Governo tinha que agir rápido e firmar as encomendas do C-390 para amenizar a crise sobre a Embraer e logo, sobre seus empregados. Este avião além de aumentar a logística das forças armadas é um grande orgulho brasileiro. Torço por este projeto desde o primeiro dia em que o vi.

Fábio Max
11 anos atrás

O governo brasileiro sabota qualquer programa dessa natureza ao deixar claro que, em qualquer mínima crise que se apresente, mesmo sem queda de arrecadação tributária, vai cortar verbas dele.

joao terba
11 anos atrás

Depois das demissões eu acho que o governo vai jogar duro com embraer sobre as compras dos aviões cargueiro.

cleuber
cleuber
11 anos atrás

o programa do cargueiro C-390 é vital para o futuro da industria aeronaltica BRASILEIRA então, já chegou a hora do Brasil abrir as asas e alçar vôos ousados se um dia sonha em ser efetivamente uma potência.O desenvolvimento dessa aeronave alem de empregos e tecnologia daria ao Brasil condições de ter uma aviação de transporte indepente e avaçada.A hora da decisão e essa “ser ou não ser eis a questão”?

gaspar
gaspar
11 anos atrás

disse tudo joao…
acho que a compra sera vinculada a reitegracao de boa parte dos funcionarios demitidos…

quais seriam as “variantes” dessas 22 unidades ?? seriam so para transporte ??
acho que dessas 22 unidades, pelo menos umas 04 deveriam ter canhoes laterais, artilharia aerea… nao seria uma boa ???
sera que a Embraer chegou a desenvolver uma versao do C390 com canhoes nas laterais ???

Carlos Augusto
Carlos Augusto
11 anos atrás

E agora “José” os diretores da EMBRAER pensaram que estavam com a bola toda, vamos colocar esse pessoal todo na rua e fod… o mundo pois não me chamo raimundo.
É eles vão ter que pedir mais um favorzinho pro governo, 570 ________ portuguêses contratados e 4.000 brasileiros aqui a ver navios, vamos ver agora qual o final deste filme.

Edilson
Edilson
11 anos atrás

Para mim é choradeira da EMBRAER, pois a coisa não está sim tão afim de mundo, acho que a EMbraer tem direito de cobrar atitude do governo e visse-versa. agora nãos e justifica uma retarção de 20 % da força de trabalho por conta da tal (crise). é preciso se cobrar a urgência dos programas e o repasse imediato dos orçamentos condicionados e contingenciados. para mim o C-390 não está ameaçado quem estão ameaçados são as 4000 famílias que estão sendo usadas como massa de manobra. a participação d egrupos estrangeiros ainda não foi concluida e está em negociação e… Read more »

Robson Br
Robson Br
11 anos atrás

Carlos Augusto, Portugual é a porta da Europa, assim como tem nos EEUU, na China ETC. Temos também a Aeroeletrônica que foi a porta da Elbit no Brasil. Faz parte da estratégia comercial. O que está por tras disso é o FX-2 e o mercado nacional. O governo é muito lento. Essa decisão era para ser tomada em 2008. Esses 40 jatos que a Embraer vai deixar de entregar esse ano poderia ser oferecido para a TRIP e a azul e os 2 EMB 190 para a FAB. No ano que vem poderia iniciar o FX-2. Já vi que a… Read more »

Felipe
Felipe
11 anos atrás

ihhh, depende do governo? Então lascou! A finada Engesa que o diga… A Avibras teve muita sorte de nao ir pro limbo também.

Infelizmente esse país não é sério quando se trata de defesa.

Tadeu
Tadeu
11 anos atrás

Bom, se a Embraer ainda fosse estatal, a culpa seria do governo, más agora que a empresa é privada as pessoas continuam colocando a culpa no governo? então é melhor estatizar novamente… Afinal quando a Embraer estava crescendo era por méritos do “eficiência da gestão de uma empresa privada”, agora quando algo vai mal é culpa do governo…? Que tal examinar a administração que os diretores da empresa’privada’ tem feito? A propósito disto, um comentário que eu retirei lá do blog do Luis Nassif: # 23/02/2009 – 08:33 Enviado por: Miope Prezados amigos, Vamos resumir os fatos: a) Investimento de… Read more »

RL
RL
11 anos atrás

Eu falo e depois tem gente que me critica. Até entendo e respeito pois vivemos em um país com liberdade de expressão.

Más convenhamos.

O que atrasa este país é o seu governo e sua letárgica e ineficiente postura diante dos assuntos nacionais.

Senhores, estamos diante espécie ENGESA dos Ares com o seu tanque Osório beirando o rídiculo novamente.

Billy
Billy
11 anos atrás

Aí sim, seria uma medida que demonstraria a preocupação do governo na manutenção de empregos e desenvolvimento da indústria bélica Brasileira. Mas qual?? Algum inocente aqui acha que os bandidos querem fortalecer as FFAA?? O que o PT quer é chantagear o empresariado, extorqui-los mediante a violência dos “STURMABTEILUNGSMAAN” da CUT, controlar fábricas em prol do SOCIALISMO/COMUNISMO

Abrivio
Abrivio
11 anos atrás

Taceu, Respondendo ao Miope que nem postou aqui: a) Os contratos da Embraer são em dólares e isso é óbvio, já que seus fornecedores e clientes encontram-se no exterior. A valorização do dólar só trouxe benefícios, pois a mão-de-obra ficou mais barata. O problema de especulação com contratos de opção de recompra foi com a Sadia e a Aracruz, a Embraer não especulou com câmbio. b) A fábrica na China, ao que me conste, foi construida com a grana dos chineses da Harbin, muito espertos, eles andaram copiando tudo como sempre fazem com todo mundo. A Embraer esperava que o… Read more »

Miguel
Miguel
11 anos atrás

O governo Lula não pode ser considerado comunista de forma alguma, mais apropriado seria dizer que segue a linha keynesiana do capitalismo. Lá nos EUA e Europa com bancos e empresas falindo, os governos estão colocando trilhões de dólares nestas empresa, más não de graça, por que estão adquirindo controle acionário sobre estas empresas, agora mesmo o governo_norte-americano está colocando mais dinheiro no Citibank e ficando já com 40% das acões ordinárias do banco. Isto tem um nome :ESTATIZAÇÃO – más os seguidores da seita do neoliberalismo, consideram esta palavra (estatização) um grande pecado! “coisa do demo”…!! Só que é… Read more »

Hornet
Hornet
11 anos atrás

Bem, acho que o comentário que postei na matéria anterior, faz ainda mais sentido depois de ler esta matéria. Pra quem se interessar, é só dar uma olhada no que escrevi no post anterior.

abraços a todos

Tadeu
Tadeu
11 anos atrás

Olá Abrivio, fui dar uma conferida na suas afirmações, abaixo: “O problema de especulação com contratos de opção de recompra foi com a Sadia e a Aracruz, “a Embraer não especulou com câmbio.” -A Embraer especulou sim. “No último balanço divulgado, correspondente ao terceiro trimestre de 2008, a empresa registrou um prejuízo de R$ 48,4 milhões. Parte devido às operações de swap cambial, na modalidade Non-Deliverable Forward (NDF). É uma operação pela qual as duas partes acertam um valor futuro de dólar. Se o dólar ficasse abaixo do valor acertado, a Embraer receberia a diferença; acima, teria que pagar.” -Luis… Read more »

Tadeu
Tadeu
11 anos atrás

…INFELIZMENTE…!

completando, os grandes meios de comunicação, ignoraram sistematicamente estes economistas e estudos que previram o que está acontecendo agora, ou então menosprezara taxando de loucos , catastrófistas, etc…Afinal não interessava a ninguém interromper o jogo, o negócio era deixar rolar, até a banca quebrar !

Miguel
Miguel
11 anos atrás

Hornet,

li seu comentário, faz sentido, esclarece vários pontos nesta história toda.