domingo, abril 11, 2021

Gripen para o Brasil

Cortes na Embraer: unidades de Portugal e da China não serão afetadas

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Os trabalhadores das OGMA não serão afectados pelos despedimentos anunciados pela Embraer, garantiu um porta-voz da Embraer.

O despedimento de 20 por cento dos 21.362 efectivos da empresa, o que representa mais de 4.000 trabalhadores, será realizado apenas nas unidades onde a Embraer é detentora da totalidade do capital.
Assim, quer a OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal, quer a unidade na China (a parceria Harbin-Embraer) não estão incluídas porque a Embraer não detém 100 por cento do capital.

Recorde-se que a Embraer é, em parceria com a EADS, o maior accionista da portuguesa OGMA, detendo em consórcio 65 por cento do capital da empresa portuguesa. O Estado português detém os restantes 35 por cento da OGMA, através da holding Empordef.

FONTE: OpçãoTurismo

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
RLobo

É muito interessante esta noticia! Quer dizer que aqui se pode demitir mais de 4000 trabalhadores e lá não? Este investimento de uma fabrica na China que drenou milhoes de dolares da empresa com um retorno duvidoso nos passa a impressao que a EMBRAER pagou aos chineses para que eles tivessem acesso a sua tecnologia. A principal concorrente da embraer na China lancou um clone dos Ejets, que ja tem centenas de pedidos em carteira de empresas locais. Quem sao os estrategistas desta empresa responsaveis por esta decisão de investir pesadamente na China? Os srs. Curado e Botelho poderiam vir… Read more »

RL

Acredito que pelo fato de mão de obra mais barata na China e no caso de Portugal a estratégia ser diferenciada do que se aplica aqui, uma vez que o mercado europeu consome infinitamente muito mais aviões do que aqui na América do Sul ou Latina.

No entanto, acredito também que nada, absolutamente nada justifica o corte desses funcionário no Brasil e da pior forma com que foi anunciada.
E deve-se levar em consideração o fato de a Bombardier estar levando gente de qualidade formada na EMBRAER para trabalhar na concorrência.

Lastimável.

Hornet

Pelo o que eu venho lendo a respeito da Embraer a questão das demissões não é somente devido a crise. Segundo vários economistas e até mesmo ex-fucnionários, o que está ocorrendo na Embraer é um mal gerenciamento, que mais cedo ou mais tarde viria à tona (com ou sem crise), unido com o período de crise atual. A Embraer atingui um grau de excelência técnica, mas que não foi acompanhado pela excelência administrativa e gerencial. Vou tentar resumir o que eu li nesses últimos dias sobre o assunto: – em 2003 a empresa tinha cerca de 13 mil funcionários –… Read more »

cosmeBR

Mais uma vez! Por que se demite aqui no Brasil e, em Portugal e na China não? Os custos de produção aqui são muito altos, os salários pagos aos funcionários brasileiros são maiores, e por fim, a demanda na Europa e Ásia são muito maiores!!!

RLobo

É muito interessante esta noticia! Quer dizer que aqui se pode demitir mais de 4000 trabalhadores e lá não? Este investimento de uma fabrica na China que drenou milhoes de dolares da empresa com um retorno duvidoso nos passa a impressao que a EMBRAER pagou aos chineses para que eles tivessem acesso a sua tecnologia. A principal concorrente da embraer na China lancou um clone dos Ejets, que ja tem centenas de pedidos em carteira de empresas locais. Quem sao os estrategistas desta empresa responsaveis por esta decisão de investir pesadamente na China? Os srs. Curado e Botelho poderiam vir… Read more »

RL

Acredito que pelo fato de mão de obra mais barata na China e no caso de Portugal a estratégia ser diferenciada do que se aplica aqui, uma vez que o mercado europeu consome infinitamente muito mais aviões do que aqui na América do Sul ou Latina.

No entanto, acredito também que nada, absolutamente nada justifica o corte desses funcionário no Brasil e da pior forma com que foi anunciada.
E deve-se levar em consideração o fato de a Bombardier estar levando gente de qualidade formada na EMBRAER para trabalhar na concorrência.

Lastimável.

Hornet

Pelo o que eu venho lendo a respeito da Embraer a questão das demissões não é somente devido a crise. Segundo vários economistas e até mesmo ex-fucnionários, o que está ocorrendo na Embraer é um mal gerenciamento, que mais cedo ou mais tarde viria à tona (com ou sem crise), unido com o período de crise atual. A Embraer atingui um grau de excelência técnica, mas que não foi acompanhado pela excelência administrativa e gerencial. Vou tentar resumir o que eu li nesses últimos dias sobre o assunto: – em 2003 a empresa tinha cerca de 13 mil funcionários –… Read more »

cosmeBR

Mais uma vez! Por que se demite aqui no Brasil e, em Portugal e na China não? Os custos de produção aqui são muito altos, os salários pagos aos funcionários brasileiros são maiores, e por fim, a demanda na Europa e Ásia são muito maiores!!!

Combates Aéreos

DARPA vai introduzir inteligência artificial em jato L-39 para realizar combate aéreo autônomo

Os combates aéreos virtuais avançam para um time 2-v-1, voos reais de subescala em andamento para o final de...
- Advertisement -
- Advertisement -