sexta-feira, maio 14, 2021

Gripen para o Brasil

Sistema ASTOR de sensoriamento remoto é declarado oficialmente em serviço na RAF

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Nesta segunda-feira, 1º de dezembro, o Ministério da Defesa da Grã-Bretanha declarou oficialmente em serviço na RAF o sistema ASTOR (Airborne Stand-Off Radar), operando na aeronave Sentinel R1 (versão do Global Express Business Jet, da canadense Bombardier). O sistema está sendo operado pelo Esquadrão nº5 da Real Força Aérea, unidade de cooperação com o Exército Britânico, a partir da Base de Waddington, em Lincolnshire, com objetivo de cumprir missões de reconhecimento, inteligência, vigilância e aquisição de alvos de superfície em qualquer tempo. A altitude de operação é acima de 40.000 pés, em patrulhas que podem exceder 9 horas de duração, e a distâncias dos alvos de superfície que podem chegar a até 160 km, transmitindo dados em tempo real para centrais de comando em terra. 

O contrato para desenvolvimento do ASTOR foi entregue à Raytheon (EUA) em dezembro de 1999, e sensor principal sistema é o radar ASARS-2 da Raytheon (EUA), um desenvolvimento do modelo utilizado no U-2 da USAF, incorporando radar de abertura sintética e de acompanhamento de alvos móveis (SAR – Synthetic aperture radar e MTI – moving target indicator). Nos próximos dois anos, o sistema ASTOR deverá cumprir missões fora da Grã-Bretanha para que possa atingir plena capacitação operacional. O Esquadrão nº5 deverá operar um total de cinco aeronaves.

Fonte e foto: RAF      Informações adicionais: airforce-technology.com

NOTA DO BLOG: como exercício aos freqüentadores do Blog do Poder Aéreo, pode ser interessante comparar as semelhanças e diferenças técnicas e operativas entre novos sistemas de sensoriamento remoto, como o ASTOR, atualmente em desenvolvimento / entrando em operação, e os R-99B da FAB, que começaram a ser incorporados ao 2º/6º GAV em julho de 2002.

- Advertisement -

16 Comments

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RL

Só não entendi uma coisa.

O ASTOR tem a capacidade de monitorar multiplos alvos, aéreos, terrestres e maritimos, ou seja, uma única plataforma para monitar terra, ar e mar?

nunao

RL, não é um sistema para monitorar alvos aéreos, por isso a comparação recomendada na nota do Blog é com o R-99B da FAB.

Alterei o texto para deixar mais claro, valeu o aviso!

Hornet

Nunão,

eu li num site italiano (e meu italiano é péssimo) que o Astor operará junto com os Boeing E-3D Sentry e os Nimrod R1 da RAF, também sediados na base de Waddington. Os Astor cumprirão missões semelhantes aos Sentry e aos Nimrod, será que é isso?

A informação procede? Tem alguma idéia?

um forte abraço

nunao

Hornet, não sei se procede, mas faz sentido operarem a partir da mesma base.

Hornet

Grato, Nunão.

abraços

RL

Nunão, obrigado pela explicação. Em verdade o que faltou foi minha percepção na leitura da nota do Blog.

Agora outra dúvida relacionada a cobertura radar.
Qual das aeronaves R-99B ou ASTOR, tem a maior cobertura?

Abraços.

Bosco

Nunão,
como gosto de futurologia (Mãe Diná purinho) e pegando o gancho do RL, parece que os EUA já pensam em unir a função dos seus E-3 com os E-8 no futuro em uma única plataforma.
Alguém sabe mais sobre isso?

RL

Bosco, agora quem vai pegar um gancho na sua idéia sou eu.

Nós temos ou teremos capacidade em também unirmos as funções de dois em um, ou seja, R99A e R99B em uma única plataforma.
No caso, porediamos ou aproveitar o EMB-190 ou o futuro C-390.

Certo?

Abraços.

RL

Só não entendi uma coisa.

O ASTOR tem a capacidade de monitorar multiplos alvos, aéreos, terrestres e maritimos, ou seja, uma única plataforma para monitar terra, ar e mar?

nunao

RL, não é um sistema para monitorar alvos aéreos, por isso a comparação recomendada na nota do Blog é com o R-99B da FAB.

Alterei o texto para deixar mais claro, valeu o aviso!

Hornet

Nunão,

eu li num site italiano (e meu italiano é péssimo) que o Astor operará junto com os Boeing E-3D Sentry e os Nimrod R1 da RAF, também sediados na base de Waddington. Os Astor cumprirão missões semelhantes aos Sentry e aos Nimrod, será que é isso?

A informação procede? Tem alguma idéia?

um forte abraço

nunao

Hornet, não sei se procede, mas faz sentido operarem a partir da mesma base.

Hornet

Grato, Nunão.

abraços

RL

Nunão, obrigado pela explicação. Em verdade o que faltou foi minha percepção na leitura da nota do Blog.

Agora outra dúvida relacionada a cobertura radar.
Qual das aeronaves R-99B ou ASTOR, tem a maior cobertura?

Abraços.

Bosco

Nunão,
como gosto de futurologia (Mãe Diná purinho) e pegando o gancho do RL, parece que os EUA já pensam em unir a função dos seus E-3 com os E-8 no futuro em uma única plataforma.
Alguém sabe mais sobre isso?

RL

Bosco, agora quem vai pegar um gancho na sua idéia sou eu.

Nós temos ou teremos capacidade em também unirmos as funções de dois em um, ou seja, R99A e R99B em uma única plataforma.
No caso, porediamos ou aproveitar o EMB-190 ou o futuro C-390.

Certo?

Abraços.

Reportagens especiais

Avro Canada CF-105 Arrow, um sonho interrompido

Por Luiz Reis*, especial para o Poder Aéreo Na aviação, muitos projetos considerados promissores acabam sendo cancelados, não por causa...
- Advertisement -
- Advertisement -