Home Tecnologia Paquistão e China podem começar a produzir o caça JF-17 em breve

Paquistão e China podem começar a produzir o caça JF-17 em breve

255
26

O Paquistão e a China pretendem assinar um contrato para a produção em série do primeiro lote de quarenta e dois caças JF-17 Thunder, após 10 meses de deliberações sobre a configuração dos aviões.
Em entrevista à TV, o Marechal Tanvir Mehmood Ahmed disse que o Paquistão já tinha recebido oito JF-17s e acrescentou que a produção dos 42 aviões deve ser concluída até ao final de 2010.
Ele afirmou que os JF-17 iniciais estão equipados com o motor russo RD-93, mas que a Força Aérea está procurando algum motor ocidental para o novo lote de aeronaves, porque a vida útil do motor russo foi de quase um quarto dos motores ocidentais.
Com a posse do presidente francês Nicolas Sarkozy e a conseqüente mudança da política em relação ao Paquistão, foi oferecido o radar RC-400, computador de missão e outros equipamentos para o JF-17. A PAF está avaliando a oferta francesa.

Subscribe
Notify of
guest
26 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
RL
RL
11 anos atrás

Como que eles querem iniciar a produção da aeronave sendo que ainda não determinaram sua concepção final?

Não entendi essa.

Leo
Leo
11 anos atrás

O fato é que há uns dois anos foi divulgada a notícia que os russos não autorizaram a China a produzir seus motores sob-licensa para vender ao Paquistão. I programa ficou num impasse.

Leo

konner
konner
11 anos atrás

A China está rapidamente tornando-se um dos maiores exportadores de armas do mundo, agora indo além das armas de infantaria. O Irãn é hoje provavelmente o maior comprador de armamento chinês e certamente o maior comprador de equipamento pesado e de alta tecnologia. A confiança no potencial de exportação do novo avião JF-17 Thunder, se apóia no fato que muitas forças aéreas do terceiro mundo terão que aposentar modelos de caças obsoletos de suas frotas e que na sua substituição não terão como adquirir aviões ocidentais primordialmente pela questão preço, depois embargos. A quem diga que os chineses também vêem… Read more »

pablo
pablo
11 anos atrás

qual caca ocidental seria equivalente a esse JF17 ???
acho muito dificil acontecer essa venda de avionocos franceses para o Pakistao…
a China esta sofre sancao a respeito de armamentos… e nao sei nao se o Pakistao nao repassaria essa tec para os chineses…

konner
konner
11 anos atrás

No Paquistão, somente o F-16 A usado por aquela força aérea, consegue igualar o desempenho do JF-17 Thunder.

Estima-se que o Paquistão deve adquirir algo entorno de 150 unidades enquanto que a China deve comprar umas 200 unidades.

Países europeus e Israel são tidos como fornecedores de aviônicos para esse novo caça, que pode ter equipamentos diferentes ao gosto do cliente.

Foi projetado para ser um caça leve multifunção para apoiar os caças J-10 na força aérea chinesa, e eles substituirão os caças F-7M paquistaneses, que são a versão chinesa do Mig-21, que já chegaram na sua obsolescência.

Baschera
Baschera
11 anos atrás

Outro detalhezinho importante : O JF-17 custa a metade de um F-16C, cerca de Us$32 milhas (Fly-Away).
Sds.

Henrique Bernardes
Henrique Bernardes
11 anos atrás

Amigos esse caça é como se fosse um carro popular completão, para forcas aérea pobres e com pouco dinheiro, ele tem baixo custo de manutenção e aquisição, mas pode surpreender se instalado um motor potente equipado com TVC e aviônica avançado como um radar AESA, israel já está desenvolvendo um radar desta categoria para modernização de aeronaves antigas, é esperar pra ver.

CorsarioDF
CorsarioDF
11 anos atrás

Nessa configuração atual nossos F-5BRM são melhores do que ele, mas se for “incrementado” com os “acessórios” que o Henrique Bernardes enumerou, será um belo Oponente, difícil de ser abatido. Mas isso são especulações, daqui há uns 10/15 anos eu acredito ser viável. Agora é impressionante como a China deu um salto tecnológico em menos de uma década, do F-7(Cópia do Mig-21) para o J-10 e o JF-17. E o Brasil fica a “Ver Navios”, querendo retomar o projeto do AMX… Sds.

Jonas Rafael
Jonas Rafael
11 anos atrás

Interessante como de muitos ângulos ele lembra um MiG-21. Não duvidaria que eles usaram o velho “21” como base, assim como o Q-5 era uma derivação do MiG-19. Esse tipo de aeronave faz falta hoje em dia. Um caça barato de pequeno porte. No ocidente o mais próximo que havia era o Mirage-2000, e com a saída dele ficou um vácuo no mercado que os chineses vão explorar muito bem, já que além de tudo são excelente negociantes…

Paulo Costa
Paulo Costa
11 anos atrás

O JF 17,estão querendo trocar as turbinas devido ao desgaste,
o topico diz isto,no Sukhoi superjet,as turbinas são francesas,
http://www.ato.ru/rus/cis/archive/21-2008/aero/aero6/?sess_=07c9497e63d03b25d74ba4fe4e4c3f48o
No Mi-38 as turbinas serão canadenses,vem ai o mercado global…

airacobra
airacobra
11 anos atrás

“feioso…muito feioso”

quero ver falar isso quando começar a chover jf-17/fc-1 e j-10 aqui na venezuela, os jf-17/fc-1 estão na categoria de um f-20, somando-se ao j-10 e os su-30 venezuelanos em parceria com alguns a-50 mainstay, ai veremos Chavez cantar de galo realemente.
e o Brasil só no:
eu te disse, eu te disse!!!

CorsarioDF
CorsarioDF
11 anos atrás

Concordo plenamente com o Mauro, está correto. São aviões para fazer número, pois quem opera Su-30 pra que vai querer um bem inferior. Mas ainda assim acredito que a Venezuela deva comprar o J-10 para completar o Su-30 ou até mesmo o Mig-35. Enquanto os demais países Sul americanos esse JF-17 deve ser uma opção mais viável para eles, mas duvido muito que algum país (com raras exceções, Chile, Colômbia e Venezuela) vai adquirir material de defesa 0 Km, vão é pegar aviões mais do que usados, quando não forem doados. Sds.

Roberto
Roberto
11 anos atrás

este não seria o nicho de mercado para um Super AMX ? um avião barato, potente, sem a dependência americana ou russa, seríamos uma terceira via da aviação militar.

RL
RL
11 anos atrás

Como que eles querem iniciar a produção da aeronave sendo que ainda não determinaram sua concepção final?

Não entendi essa.

Leo
Leo
11 anos atrás

O fato é que há uns dois anos foi divulgada a notícia que os russos não autorizaram a China a produzir seus motores sob-licensa para vender ao Paquistão. I programa ficou num impasse.

Leo

konner
konner
11 anos atrás

A China está rapidamente tornando-se um dos maiores exportadores de armas do mundo, agora indo além das armas de infantaria. O Irãn é hoje provavelmente o maior comprador de armamento chinês e certamente o maior comprador de equipamento pesado e de alta tecnologia. A confiança no potencial de exportação do novo avião JF-17 Thunder, se apóia no fato que muitas forças aéreas do terceiro mundo terão que aposentar modelos de caças obsoletos de suas frotas e que na sua substituição não terão como adquirir aviões ocidentais primordialmente pela questão preço, depois embargos. A quem diga que os chineses também vêem… Read more »

pablo
pablo
11 anos atrás

qual caca ocidental seria equivalente a esse JF17 ???
acho muito dificil acontecer essa venda de avionocos franceses para o Pakistao…
a China esta sofre sancao a respeito de armamentos… e nao sei nao se o Pakistao nao repassaria essa tec para os chineses…

konner
konner
11 anos atrás

No Paquistão, somente o F-16 A usado por aquela força aérea, consegue igualar o desempenho do JF-17 Thunder.

Estima-se que o Paquistão deve adquirir algo entorno de 150 unidades enquanto que a China deve comprar umas 200 unidades.

Países europeus e Israel são tidos como fornecedores de aviônicos para esse novo caça, que pode ter equipamentos diferentes ao gosto do cliente.

Foi projetado para ser um caça leve multifunção para apoiar os caças J-10 na força aérea chinesa, e eles substituirão os caças F-7M paquistaneses, que são a versão chinesa do Mig-21, que já chegaram na sua obsolescência.

Baschera
Baschera
11 anos atrás

Outro detalhezinho importante : O JF-17 custa a metade de um F-16C, cerca de Us$32 milhas (Fly-Away).
Sds.

Henrique Bernardes
Henrique Bernardes
11 anos atrás

Amigos esse caça é como se fosse um carro popular completão, para forcas aérea pobres e com pouco dinheiro, ele tem baixo custo de manutenção e aquisição, mas pode surpreender se instalado um motor potente equipado com TVC e aviônica avançado como um radar AESA, israel já está desenvolvendo um radar desta categoria para modernização de aeronaves antigas, é esperar pra ver.

CorsarioDF
CorsarioDF
11 anos atrás

Nessa configuração atual nossos F-5BRM são melhores do que ele, mas se for “incrementado” com os “acessórios” que o Henrique Bernardes enumerou, será um belo Oponente, difícil de ser abatido. Mas isso são especulações, daqui há uns 10/15 anos eu acredito ser viável. Agora é impressionante como a China deu um salto tecnológico em menos de uma década, do F-7(Cópia do Mig-21) para o J-10 e o JF-17. E o Brasil fica a “Ver Navios”, querendo retomar o projeto do AMX… Sds.

Jonas Rafael
Jonas Rafael
11 anos atrás

Interessante como de muitos ângulos ele lembra um MiG-21. Não duvidaria que eles usaram o velho “21” como base, assim como o Q-5 era uma derivação do MiG-19. Esse tipo de aeronave faz falta hoje em dia. Um caça barato de pequeno porte. No ocidente o mais próximo que havia era o Mirage-2000, e com a saída dele ficou um vácuo no mercado que os chineses vão explorar muito bem, já que além de tudo são excelente negociantes…

Paulo Costa
Paulo Costa
11 anos atrás

O JF 17,estão querendo trocar as turbinas devido ao desgaste,
o topico diz isto,no Sukhoi superjet,as turbinas são francesas,
http://www.ato.ru/rus/cis/archive/21-2008/aero/aero6/?sess_=07c9497e63d03b25d74ba4fe4e4c3f48o
No Mi-38 as turbinas serão canadenses,vem ai o mercado global…

airacobra
airacobra
11 anos atrás

“feioso…muito feioso”

quero ver falar isso quando começar a chover jf-17/fc-1 e j-10 aqui na venezuela, os jf-17/fc-1 estão na categoria de um f-20, somando-se ao j-10 e os su-30 venezuelanos em parceria com alguns a-50 mainstay, ai veremos Chavez cantar de galo realemente.
e o Brasil só no:
eu te disse, eu te disse!!!

CorsarioDF
CorsarioDF
11 anos atrás

Concordo plenamente com o Mauro, está correto. São aviões para fazer número, pois quem opera Su-30 pra que vai querer um bem inferior. Mas ainda assim acredito que a Venezuela deva comprar o J-10 para completar o Su-30 ou até mesmo o Mig-35. Enquanto os demais países Sul americanos esse JF-17 deve ser uma opção mais viável para eles, mas duvido muito que algum país (com raras exceções, Chile, Colômbia e Venezuela) vai adquirir material de defesa 0 Km, vão é pegar aviões mais do que usados, quando não forem doados. Sds.

Roberto
Roberto
11 anos atrás

este não seria o nicho de mercado para um Super AMX ? um avião barato, potente, sem a dependência americana ou russa, seríamos uma terceira via da aviação militar.