Home Noticiário Internacional Saab integrará o Meteor ao Gripen E

Saab integrará o Meteor ao Gripen E

355
21

Meteor

A empresa sueca Saab está integrando o míssil MBDA Meteor ao caça Gripen E segundo um contrato estabelecido com a Administração Sueca de Material de Defesa (FMV).

A solicitação de integração do míssil ar-ar do tipo BVR (beyond-visual-range) está avaliada em US$29,3 milhões.

A Saab informou que a solicitação é um aditivo ao contrato firmado em fevereiro deste ano para o desenvolvimento e modificação do caça multifunção Gripen E.

Gripen_Meteor_foto via FMV“Este aditivo permite a implementação da integração o sistema de armas Meteor para o Gripen E,” disse Ulf Nilsson, chefe na unidade de produção do Gripen. “E também confirma a posição do Gripen como o sistema de caça líder com um projeto flexível que oferece grandes possibilidades para integrar novas capacidades.”

O míssil Meteor, produzido pela empresa baseada na França MBDA, foi desenvolvido com a colaboração da Suécia, França, Itália, Espanha, Alemanha e Grã Bretanha. No final de junho de 2013 a Saab, em cooperação com a FMV, conduziu com sucesso os primeiros disparos de testes da versão desenvolvida para produção em massa do míssil Meteor (ver primeiro link abaixo).

FONTE: UPI (tradução e edição do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

FOTOS: meramente ilustrativas

NOTA DO EDITOR: a família Gripen C/D se tornou o primeiro sistema de caça de combate no mundo com a capacidade de disparar a versão de produção do Meteor. Agora a Saab trabalha no processo de integração do mesmo míssil na versão Gripen E, aeronave selecionada pelos governos da Suécia, Suíça e Brasil até o momento.

VEJA TAMBÉM:

 

21
Deixe um comentário

avatar
21 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
joseboscojrOganzaCarlos Alberto SoaresMarcos Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Caso faça parte do nosso pacote, boa noticia.

Gostaria de saber se os Israelenses tem um míssil nessa mesma classe ou nível de ação ?
Podem me ajudar ?

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Ops. de antemão obrigado !

Marcos
Visitante
Member
Marcos

O Poder Aéreo poderia levantar junto a Saab as especificações completas (estimadas e atualizadas) para o Gripen E, bem como o que está disponível em termos de armamento e as especificações desses armamentos.

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Carlos,
Os israelenses usam o Amraam americano e fabricam o Derby (fabricam mas não usam) que é inclusive usado por nós.
As últimas versões do Amraam podem ser consideradas LRASM (longo alcance) e o Derby é um MRASM (médio alcance).
Dentro de alguns anos os israelenses em conjunto com os americanos irão colocar em operação o míssil Stunner que embora será usado inicialmente como míssil sup-ar terá versão ar-ar.
As últimas versões do Amraam e o Stunner têm potencial de serem competitivos com o Meteor.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Caro joseboscojr,

“fabricam o Derby (fabricam mas não usam)”

Podes me informar porquê ?

E os Python ?

Muito obrigado.

Oganza
Visitante
Oganza

Bosco… o Tio Jaco usa o Derby sim, tem fotos e vídeos dos F-15 R’am e F-16 Sufa(?) em configuração de ataque com um par de Derby e um par de Python V. O que me parece é que os AMRAAM são usados em configurações onde se espera ou se tem a possibulidade de oponentes BVR mais capazes ou em senários de superioridade aérea. Mas tambem ja vi os R’am em confuguração ANTI-balístico e ai sim nesses casos, são armados com 6 AMRAAMs e 2 Python V. Agora não podemos esquecer os Derbys que compoem a rede SPIDER, que é… Read more »

Oganza
Visitante
Oganza

Correção, onde se lê R’am, o correto é Ram’n

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Carlos,
Quando o Derby foi desenvolvido em parceria com os sul-africanos eles já operavam o Amraam e acabou que não o adquiriram.
Não sei o motivo exato. Penso que queriam ter autonomia no segmento e aproveitar e lançar o produto no mercado externo tendo em vista que mísseis BVR avançados são raros, havendo no Ocidente só o Amraam, o Mica e o Meteor, além é claro do Derby e do seu irmão R-Darter.
Os Python sim, eles usam as versões 4 e 5 e acho que já nem usam mais os Sidewinders.
Um abraço.

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Oganza,

Eu não sabia! Pra mim eles não usavam.
Em sendo assim desdigo o que eu disse ao Carlos.

Quanto ao sistema Spyder, Israel não adota. Só exportaram mas não usam.
A defesa antiaérea/antibalístico israelense é formada pelos mísseis/sistemas Stinger, Hawk, Patriot (salvo engano somente com a versão Pac-2), Iron Dome (míssil Tamir) e Arrow.
E pelos canhões Vulcan.

joseboscojr
Visitante
Active Member
joseboscojr

Oganza,
Mas será que não eram mísseis usados na fase de desenvolvimento/integração?

Oganza
Visitante
Oganza

Bosco pode ser isso, ou até mesmo para efeito de propaganda.

Agora eu não sabia que eles não adotaram o Spyder… putz falta não adotarem o DVIDs SLING tb… os caras fazem umas coisas bacanas e não usam… rsrsrs deve ser para manter a proeficiência… kkkkk

Oganza
Visitante
Oganza

Mas só para contestualizar, o programa que deu origem aos F-15 Ram’n, foi justamente depois da Primeira Guerra do Golfo, onde o Tio Jaco percebeu a necessidade de possuir um vetor aéreo que pudesse detectar mísseis balísticos ainda em aceleração vertical e abatelos.

Uma vez que os PAC-1 não foram aquele sucesso todo que a mídia mostrou.

Sds.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Aos colegas meus agradecimentos pelos esclarecimentos e abraços. Acompanho pelos sítios oficiais das diversas Empresas Israelenses fabricante de produtos de defesa, apresentações(algumas pelo youtube), suas FA’s e matérias em revistas especializadas(sic). Tenho ciência que algumas Empresas do Tio David(prefiro chama-lo assim por sua Estrela na própria Bandeira de Israel) possuem filiais no Brasil. Outras poderiam vir. Tenho especial apreço pelo o que eles fazem em diversas áreas, na militar em especial, O Brasil deveria estar mais próximo da gama dos produtos(misseis e bombas) que podem perfeitamente serem integrados ao Gripen NG, com uma vantagem: são receptivos a transferência de tecnologia… Read more »

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Caro Bosco e demais colegas,

“a criança é essa, imaginem quando crescer”

http://www.rafael.co.il/Marketing/186-1898-en/Marketing.aspx?searchText=David's+Sling

http://en.wikipedia.org/wiki/David%27s_Sling

Temos boas relações com a Rafael e a Raytheon, certo !

Versão ar – ar no novo vetor ?

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Pantsir nas Baa’s ?

https://www.youtube.com/watch?v=l-hBP2Xrp9g#t=19

ou

David Sling ?

Podem atuar em conjunto com R99A ?

Caro Oganza,

creio que sua dúvida sobre novo míssil sup – ar a resposta está no próprio sitio da raytheon:

http://www.raytheon.com/capabilities/products/stunner/

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Complementando: Podem atuar em conjunto com R99A e E99 ?

Oganza
Visitante
Oganza

Carlos Alberto Soares

Se estiver falando dos Pantsirs conversar com os nosso datalink, não dá não.

Quanto ao DVIDs SLING não era bem uma dúvida rsrs estava propondo uma situação, onde eles projeterião/co-projetarião e não adotam,

mas vlw pelo link.

Agora 4 unidades de lançamento me parece pouco, dariam 48 mísseis – provavelmente 2 serão colocadas em campo e duas serão usadas para testes, acho que o progra deve estar entrando em uma fase inicial para se atingir o IOC.

Sds.

Marcos
Visitante
Member
Marcos

Oganza

“Se estiver falando dos Pantsirs conversar com os nosso datalink, não dá não.”

– Pois é! Tem muita gente questionando justamente justamente isso, não há como integrar muitas coisas nas FFAA, não só os Pantsirs.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Caro Oganza

no sitio abaixo eles colocam como futuro substituto dos Patriot e outros sistemas, a fonte é confiável ?

http://en.wikipedia.org/wiki/David's_Sling

Inicial ? Isso pode ser uma vantagem e não ao contrário,
correto ?

“a criança é essa, imaginem quando crescer”

Pantsir, creio que será um tiro ops … um míssil no pé,
já me manifestei sobre esse tema. A tal da comissão que foi visita-los antecipadamente e deve estar voltando, veremos suas manifestações. Parece que não há membro da FAB no grupo, se confirmado é muito estranho.

Oganza
Visitante
Oganza

Marcos e Carlos… veja bem, é só uma opnião pessoal, os Pantsirs são um sistema de defesa aérea de média altura fantásticos, mas a questão é SE ele pode ser integrado no “meu” sistema de defesa “unificado/conjunto” que é o que nossas FFAA estão tentando montar hoje. Para mim o Pantsir é como uma “MUNIÇÃO” fantástica de “outro mundo”, e eu posso até adquirila, mas se a mesma não puder ser dispara dos meus fuzis, do que vai me adiantar? Já o David’s Sling será a solução ao Patriot PAC 3, que é um remendo de algo que NÃO cumpriu… Read more »

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

“Oganza
31 de dezembro de 2013 at 0:55 # ”

David’s Sling , vou buscar mais dados e informações.

“Para mim o Pantsir é como uma “MUNIÇÃO” fantástica de “outro mundo”, e eu posso até adquirila, mas se a mesma não puder ser dispara dos meus fuzis, do que vai me adiantar?”

Concordo, nem constava da 1a. short list .