F-X2: até quando esperar?

    203
    14

    F-X2 qual sera o proximo caca da FAB - poder aereo

    vinheta-opiniao-aereoEm relação ao programa F-X2, que busca um novo caça para a FAB(Força Aérea Brasileira) para substituir os seus atuais F-5M,tudo converge para mais um adiamento (os mais pessimistas já falam em cancelamento). As atuais propostas dos três ofertantes (consórcios liderados pela Saab, Boeing e Dassault) deverão vencer em três dias.

    Não há novidade nisso, uma vez que o adiamento das propostas vem ocorrendo há anos. A novidade é a desculpa que o governo arrumou desta vez (esta sim inédita em todos estes anos). Tudo caminhava para uma decisão a favor do caça da Boeing, o Super Hornet. Mas assim que o escândalo da espionagem estourou, o governo decidiu não anunciar nada (ora! Existem outras duas propostas que não possuem ligação nenhuma com o escândalo!).

    O governo sempre deu demonstrações de que o assunto F-X2 não lhe agradava e, se fosse possível, seria melhor não decidir nada ou arrumar desculpas para seguir adiando o mesmo. Como as velhas desculpas já não “colavam” mais, eis que surge o escândalo da espionagem. Além disso, parece que o governo buscou na não decisão do F-X2 uma forma de “punir” os Estados Unidos pela espionagem. Só que o principal punido nesta história é o próprio Brasil, que não renovará a sua aviação de caça e deixará a defesa aérea do país mais vulnerável (lembrando também que eventos esportivos internacionais de grande vulto se aproximam).

    A “Teoria Covais” segue em prática

    Já dissemos isso aqui no blog, mas não custa lembrar. Há quatro anos, Ron Covais ocupava o cargo de presidente da Lockheed Martin para as Américas. Naquela época a empresa ainda sentia os efeitos da desclassificação do seu caça F-16 na concorrência F-X2. Um pouco antes da realização da LAAD 2009 o executivo da LM deu uma entrevista para o site Flight Global e expôs suas opiniões sobre o programa F-X2.

    Covais afirmou, já naquela época, que a situação econômica mundial forçaria uma redefinição do projeto F-X2 pelas autoridades brasileiras. As palavras de Covais foram: “na minha opinião o F-X2 vai voltar para a gaveta”. Além disso, integrantes da Lockheed disseram acreditar em um novo adiamento do F-X2 e que um “caça-tampão” seria escolhido neste meio tempo.

    Hoje, as visionárias palavras de Covais e dos demais executivos da LM soam mais verdadeiras do que nunca. Um novo adiamento das propostas por mais seis meses não serviria para nada, pois o vencimento delas ocorria num ano eleitoral e dificilmente o vencedor do programa F-X2 será escolhido em 2014. Dentro do contexto político atual, a opção mais otimista é de que uma decisão seja feita em 2015. Mas não há nada que garanta esta hipótese.

    Mesmo que o atual governo seja reeleito, a conjuntura do país e mundial deverá ser outra. E se um novo governo for eleito, quem garante que ele não suspenderá o programa, como fez o ex-presidente Lula quando assumiu em 2003 e cancelou o programa F-X em favor da programa Fome Zero? A pergunta é: até quando esperar? Para resolver o F-X2, só mesmo com a ajuda de um divino Deus.

    VEJA TAMBÉM:

    Subscribe
    Notify of
    guest
    14 Comentários
    oldest
    newest most voted
    Inline Feedbacks
    View all comments
    Vader
    6 anos atrás

    Covais estava certo. F-16 “Desert Falcon”: o próximo caça brasileiro. Diante do fato de que militares da FAB estiveram muito recentemente no AMARG em Tucson, AZ, para verificar se havia células estocadas em condições de serem modernizadas a curto prazo, pensem comigo: Comprar avião velho e reformar no Brasil (ainda que com tecnologia toda israelense, como no caso do F-5, A-1 e A-4) não atrai a atenção da imprensa; não serve de munição para a oposição; não chama muito a atenção da população com os “gastos”, por se tratar de “velharia”; e o governo sempre pode usar o argumento ufanista… Read more »

    carlosserrat
    carlosserrat
    6 anos atrás

    Porquê Dilma não decide :
    – não tem visão estratégica
    – não conhece, por isso, não gosta dos assuntos de defesa;
    – age como ” gerentona ” e não como ” Presidenta “;
    – é reativa e não pró – ativa;
    – assessora -se com quem não é da área e,
    – é visceral e insegura!

    Baschera
    Baschera
    6 anos atrás

    Até quando esperar
    A plebe (FAB) ajoelhar
    Esperando a ajuda do divino Deus !

    O Brasil anda em círculos…geralmente retrógrados…. andamos sempre para trás…. o que nos faz, neste caso, voltar ao ano de 2001, quando pela total obsolescência dos F-103 (M-III) a FAB teve que apelar para a solução de modernizar sua frota restante de F-5 e depois de A-1.

    Então, sem mais milongas… o jeito é ajoelhar e rezar…. esperando a ajuda do Divino Deus !!

    Sds.

    Rogério
    Rogério
    6 anos atrás

    Esqueçam gente, o ônus político de adquirir F-16 do deserto é o mesmo do SH, é “yankee”, que venham os Gripens do gelo, alias o vencedor do FX-1 😀

    Baschera
    Baschera
    6 anos atrás

    Lembrando (como cita o editor) que já discutimos aqui (em janeiro passado) as “profecias” do senhor Ron Covais….

    http://www.aereo.jor.br/2013/01/03/a-previsao-de-ron-covais-perto-de-se-confirmar/

    Sds.

    Gilberto Rezende
    Gilberto Rezende
    6 anos atrás

    Devido a fragilidade dos políticos e líderes brasileiros quando o cavalo passa encilhado (não importa a raça) você tem que pular e montá-lo. Quando o cheval Rafale passou encilhado liberado pelo patrão Lula o peão Saito fez beicinho e não quis montar… Agora que mudou o fazendeiro… A patroa Dilma não gosta de cavalos e vai cuidar qualquer coisa da fazenda antes de liberar qualquer cavalo pro peão Saito… O Peão Sato não montou o que passou ANTES, vai esperar até o humor da patroa melhorar ou se tiver a sorte de nova troca de fazendeiro… A PROFECIA de Covais… Read more »

    Fighting Falcon
    Fighting Falcon
    6 anos atrás

    Pessoal,
    Não joguem pedra.
    Mas para quem está voando F-5M o F-16 A/B ou quem sabe até o C/D seriam um ótimo caça para os próximos 20 anos ainda.
    Mesmo com equipamento israelense, se tiver horas de voo disponível e armamento é uma boa alternativa para quem não tem nada.

    Rogério
    Rogério
    6 anos atrás

    Gilberto Rezende disse:

    27 de setembro de 2013 às 13:32

    É verdade, mas que tipo de homem seria o Saito, se sabendo o que é melhor, escolhesse o pior para o seu país, só para satisfazer o capricho do chefe acefal, o né mesmo?

    O Saito tem honra, dificil para quem não tem, entender o que é isso.

    Marcos
    Marcos
    6 anos atrás

    Gilberto Rezende

    Lula anunciou o Rafale enquanto a FAB nem tinha terminado de analisar todas as três propostas, o qual ficou em último lugar.

    E Lulla não comprou o Rafale, porque os franceses ficaram do lado dos americanos no caso do Irã.

    joao.filho
    joao.filho
    6 anos atrás

    Fighting Falcon, muito bem. Para quem vai ao trabalho todo dia com uma Brasilia 74 caindo aos pedacos, um Gol GTI 96 esta muti bom

    joao.filho
    joao.filho
    6 anos atrás

    muti=muito

    Vader
    6 anos atrás

    Prezados, os F-16 A/B podem ser comprados inclusive em ano eleitoral.

    Pra mim fechou…

    Edcarlos Prudente
    Edcarlos Prudente
    6 anos atrás

    A aquisição de vetores, novos ou usados, é imprescindível a capacidade da FAB de prover a soberania aérea do Brasil, que já esta comprometida e ficara mais ainda com a retirada dos mirage 2000.

    Uma possível compra de um lote do F-16 “Desert Falcon”, não é o melhor, porem é uma solução que me agrada!

    Mayuan
    Mayuan
    6 anos atrás

    Prezados, Desculpe mas discordo de vocês quando dizem que os F16 da AMARG são uma boa opção! Se o problema de comprar os F18 é serem americanos, em que os F16 são menos americanos? Só por serem velhos e usados até o osso? Que lógica é essa que diz que comprar vetores velhos pra reformar gastando rios de dinheiro é melhor que comprar aviões novos? Vocês voariam num daqueles 767 que foram da Varig e a Transbrasil abandonou no aeroporto? Ah, mas tá reformadinho! Estava lendo ontem sobre a Operação Eagle Claw em como o resgate dos reféns foi para… Read more »