Home Noticiário Nacional Militares reclamam da penúria da Aeronáutica e dificuldade para tocar projetos

Militares reclamam da penúria da Aeronáutica e dificuldade para tocar projetos

513
9

dia da aviacao de caca 2013 Mirage 2000 - foto 5 poggio

 –

Enquanto é obrigada a transportar autoridades, FAB sofre com material obsoleto e falta de treinamentos

 –

vinheta-clipping-aereoEnquanto políticos se esbaldam em jatinhos da Força Aérea Brasileira (FAB), a Aeronáutica passa por delicada situação financeira, com dificuldade para tocar seus projetos. O relatório de Gestão do Comando da Força traz reclamações sobre a verba do Orçamento da União destinada ao setor em 2012. Sem falar explicitamente em sucateamento, o texto faz referência a aeronaves obsoletas e à diminuição dos estoques de material bélico.

Os militares têm se queixado de falta de dinheiro e pessoal. Tanto que até o deputado petista Nelson Pelegrino (BA), presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara, quer ouvir o ministro da Defesa, Celso Amorim, em agosto. O tema é a compra dos caças para a FAB e a situação dos 12 Mirrage 2000 (sic), cujo contrato de manutenção está prestes a ser encerrado. O programa FX-2 (sic), da Aeronáutica, está orçado em US$ 7 bilhões e prevê a aquisição de 36 caças.

— O ministro poderá esclarecer sobre o cronograma das negociações, de modo a tranquilizar o país quanto à proteção permanente do seu espaço aéreo — disse Pelegrino.

Sobre o FX-2 (sic), o Livro Branco da Defesa, que trata da situação das três Forças, diz que “o processo de seleção está concluído, aguardando a decisão governamental para prosseguir”.

F-2000 - Esquadrão Jaguar - FAB - Domingo Aéreo AFA 2011 - foto 4 Nunão Poder Aéreo

Há, ainda, problemas na formação de paraquedistas. Por falta de recursos para combustível, esse grupamento está praticando menos saltos que o necessário. No relatório de 2012 sobre o Comando Geral de Apoio (Comgap), a Aeronáutica informa que recebeu menos verbas que o necessário. O Comgap é o setor que gerencia o material aeronáutico e bélico, a infraestrutura e a capacitação de pessoal.

“A falta de recursos suficientes para atender às demandas da frota da FAB tem gerado processos de retirada controlada de itens de aeronaves estocadas, para atender a meta de disponibilidade. Há aeronaves obsoletas e de elevado custo de manutenção, cuja avaliação do custo-benefício aponta para a sua desativação”, informa o relatório.

No texto, a FAB informa, ao se referir à área de Suprimento e Manutenção de Material Bélico (Sismab), que os cortes no Orçamento provocaram o replanejamento de metas, “implicando na redução da aquisição dos materiais necessários para utilização no treinamento operacional da Força” nos próximos anos.

As dificuldades foram apontadas pela Aeronáutica antes de vir à tona, este mês, o escândalo sobre o uso de aviões da FAB por autoridades. O presidente da Câmara, deputado Henrique Alves (PMDB-RN), e o ministro da Previdência, Garibaldi Alves, usaram aeronaves da Força para viajar ao Rio a fim de assistir à final da Copa das Confederações.

Já o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), usou aeronave para ir a casamento na Bahia. Pessoas de dentro da FAB dizem que as viagens das autoridades reveladas na imprensa repercutiram mal na Força.

Decreto presidencial de 2002 diz que autoridades, como os presidentes do Senado e da Câmara e ministros, podem viajar em aviões da FAB por motivo de segurança e emergência médica, a serviço ou em deslocamentos para a cidade onde moram. O GLOBO pediu à Aeronáutica informações sobre os valores gastos com esses voos, mas a assessoria afirmou que os dados são sigilosos.

Faltam verbas para pesquisas

Faltam ainda recursos e pessoal para as pesquisas na área de Ciência e Tecnologia desenvolvidas em todas as Forças Armadas. A reclamação é de oficiais das três Forças, que participaram, no mês passado, de uma audiência da Frente Parlamentar da Ciência, Tecnologia, Pesquisa e Inovação, na Câmara.

Quem mais reclamou foi o major-brigadeiro do Ar Alvani Adão da Silva, vice-diretor do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA). Segundo ele, havia 3.422 pessoas trabalhando no DCTA em 1994. No final do ano passado, eram 2.383, quando foi aprovada no Congresso uma lei autorizando a criação de 800 cargos, que ainda estão vagos.

— É uma situação de tal gravidade que, se nada fosse feito, nós chegaríamos a 2020 com 26% daquilo que nós tínhamos em 1994 — disse Alvani.

VLS no São José dos Campos no monumento aos mortos na operação São Luís do VLS-1 V03 - foto Nunão - Poder Aéreo

Ele apresentou números para apontar falta de recursos para projetos como o Veículo Lançador de Satélites (VLS) e o Veículo Lançador de Microssatélites (VLM). No projeto do VLS, segundo ele, haverá um déficit de R$ 161 milhões até 2016. De 2013 a 2016, estão previstos R$ 27 milhões, diante de uma necessidade de R$ 188 milhões. No caso do VLM, fruto de parceria entre o Brasil e a Alemanha, faltarão R$ 55 milhões. De 2013 a 2017, o projeto terá R$ 50 milhões, quando são necessários R$ 105 milhões. Procurada pelo GLOBO para comentar os problemas da corporação, a FAB não quis se pronunciar.

FONTE: O Globo, via Resenha do Exército (reportagem de André de Souza, Evandro Éboli e Juliana Castro)

COLABOROU: Sandro

NOTA DO EDITOR: o texto cita Relatório de Gestão do COMGAP referente ao ano de 2012. Tanto este quanto outros relatórios de  anos recentes, como o do COMGAR, podem ser acessados no site da FAB, no link  “Controle Interno” da seção “Acesso à Informação”. Para acessá-los, clique aqui.

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
cristiano.gr
cristiano.gr
6 anos atrás

Está na hora de mudar isso. Chega de aviões caros para transportar uma cambada de corruptos que se privilegiam de leis que os protegem de ser iguais aos simples mortais “plebeus” contribuintes. Leis que essa classe legislativa, que nos envergonha todos os dias, faz para se privilegiar e agir como fossem príncipes e lordes. São é um monte de v… . Mas pior, ainda, é o governo que aí está. Essa turma do PT vem perdoando dívidas de países que fazem obras superfaturadas com empreiteiras brasileiras e depois essas dívidas são perdoadas pelos presidentes petistas, sem aval do Congresso, e… Read more »

joao.filho
joao.filho
6 anos atrás

“Sem falar explicitamente em sucateamento” Porque tanta delicadeza??? Que se danem as consequencias, prezados altos oficiais, digam logo a verdade inteira, a FAB que nunca foi grande coisa, se tornou completamente obsoleta na área de caça. Proteger o espaço aereo com que? Com avião quarentão e Igla de ombro? “O ministro poderá esclarecer sobre o cronograma das negociações, de modo a tranquilizar o país quanto à proteção permanente do seu espaço aéreo” Palhaçada!!! Ja chega de tanta conversa pra boi dormir, “ministro” de pinico. Alem da corrupçao e criminalidade terriveis, essa e a outra enorme cruz do Brasil: “ministros” que… Read more »

Carcará 01
Carcará 01
6 anos atrás

Bem, so tornou publico, E COM MUITA SUTILEZA (pra nao ferir os brios de nao sei quem…), o que todos do meio ja sabemos. Agora, sinceramente, é chegada a hora de JOGAR A MERD NO VENTILADOR!! Escancarar mesmo, mostrar a sociedade a importancia da FAB e a maneira como ela vem sendo tratada enquanto força. Chega de bla bla bla, de mimimi, tem que partir pra ação!!

Marcos
Marcos
6 anos atrás

Não é a FAB que está sucateada, é o Brasil. O sucateamento das Forças é apenas um reflexo. Na visita do Papa ao Rio viu-se que falta tudo: metrô em pane, sistema de telefonia fora do ar, taxistas extorquindo passageiros, despreparo das autoridades, improvisação de tudo. E final da Copa do Mundo irá ser pior. E as Olimpíadas serão ainda pior. Um conhecido que mora em Florianópolis, o mesmo percurso que antigamente levava 20 minutos, hoje, durante o verão, leva três horas. Em Cuiabá, que resolveram construir um Estádio novo e criar uma infra estrutura inexistente, conta-se que a cidade… Read more »

cristiano.gr
cristiano.gr
6 anos atrás

Eu moro em cidade pequena do interior, mas se morasse em cidade grande os protestos não seriam por passe livre, que é um erro, pois se uns não pagarem, os que pagarem vão pagar pelos dois, tanto diretamente na roleta, como indiretamente por impostos e subsídios. Os protestos seriam contra as empreiteiras, contra os Ali Baba e os 40 Ministérios, contra o GTE, contra os CC’s, contra a reeleição do Legislativo, contra os salários dos deputados, contra ajuda a Globo e a Record, contra a riqueza do Lulinha, etc.

Nick
Nick
6 anos atrás

Já passou da hora de jogar a merla no ventilador. Bancar o subordinado calado não está resolvendo, tem que reclamar e não fazer apresentações do F-5EM e A1-M como se fossem colocar a FAB como uma Força Aérea atual e moderna.

[]’s

eduardo pereira
eduardo pereira
6 anos atrás

Pessoal ,www.camara.leg.br, é o site da camara dos deputados nao sei se lerao mas deixei uma mensagem grandassa pro Nelson Pellegrino pra ele tacar na fuça do Amorin algumas questoes mês que vem no papinho sobre FX2, bom ao menos tentei fazer minha parte e creio que se choverem emails la sobre o assunto com opinioes da galera inteirada no assunto que comenta aqui vai chamar a atençao de alguém ,tomara que a do próprio Nelson!!

eduardo pereira
eduardo pereira
6 anos atrás

Valeu Vader,acabei de deixar o recado lá também !!