Home Aviação de Caça Força Aérea Espanhola celebrará o fim da vida operacional do Mirage F1

Força Aérea Espanhola celebrará o fim da vida operacional do Mirage F1

513
15

Mirage F1 - foto Força Aérea Espanhola - Ejercito del Aire

Segundo informe divulgado nesta quinta-feira, 30 de maio, após mais de 35 anos de serviço o caça-bombardeiro Mirage F1 está finalizando sua vida operacional na Força Aérea Espanhola (Ejército del Aire).

Para marcar esse fato a Ala 14, última unidade em que o Mirage F1 voou, celebrará em 23 de junho um dia de portas abertas na Base Aérea de Albacete. Participarão do evento a “Patrulla Águila” (principal unidade de demonstração aérea do “Ejército del Aire”), a “Patrulla de helicópteros Aspa” e a “Patrulla Acrobática de Paracaidismo” da Força Aérea Espanhola.

A aeronave foi por muitos anos o pilar básico da defesa do espaço aéreo espanhol, e está sendo substituída pelo moderno Eurofighter. Quase uma centena de exemplares de Mirage F-1 serviu nas Alas 11 de Manises (Valência), 14 de Albacete e 46 de Gando (Gran Canária), segundo o informe da Força Aérea Espanhola.

Mirage F1 - foto 3 Força Aérea Espanhola - Ejercito del Aire

FONTE / FOTOS: Força Aérea Espanhola (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em espanhol)

NOTA DO EDITOR: antes de receber os caças Dassault Mirage F1, a Força Aérea Espanhola já operava outro supersônico francês, o Mirage IIIE. Antes disso, porém, seu primeiro caça supersônico foi o Lockheed F-104 G, com 21 unidades recebidas em meados da década de 1960 como parte de acordos de “Amizade e Cooperação” com os Estados Unidos assinados na década anterior (que também permitiram o fornecimento de dezenas de jatos F-86 à Espanha). Como os EUA não pareciam inclinados a ampliar o fornecimento de supersônicos de alto desempenho à Espanha, o país se voltou à França para adquirir outros caças modernos, encomendando 24 monopostos Mirage IIIE e 6 bipostos IIID, para substituir seus já ultrapassados F-86, no início dos anos 1970.

Foi uma forma de pressionar os Estados Unidos a fornecerem caças mais avançados à Espanha, pois nos planos norte-americanos estavam apenas a liberação para produção sob licença de jatos F-5A e B (os bipostos F-5B, modernizados, operam até hoje no treinamento dos pilotos de caça espanhóis).

A estratégia deu certo: quando da devolução dos F-104G no início da década de 1970 (após uma vida operacional relativamente breve e marcada por altos índices de segurança de voo – veja matéria mais abaixo), e a partir do recebimento dos Mirage IIIE franceses, os Estados Unidos forneceram à Força Aérea Espanhola, entre 1971 e 1972, um total de 36 caças McDonnel F-4C Phantom.

Mirage F1 - foto 2 Força Aérea Espanhola - Ejercito del Aire

Nesse jogo entre fornecimento norte-americano e francês, o lance seguinte foi junto à França, com mais de 70 caça-bombardeiros Mirage F-1 recebidos da Dassault entre 1975 e 1982 (mais tarde completados com exemplares de segunda mão da França e do Qatar). O “troco” veio em meados da década de 1980, com o recebimento dos primeiros caças McDonnel Douglas F-18A/B norte-americanos (de 60 monopostos e 12 bipostos recebidos). A entrada no consórcio Eurofighter “quebrou” esse ciclo de intercalar o recebimento de caças dos EUA e da França.

Para saber mais sobre a operação do Mirage F1 na Força Aérea Espanhola e outros assuntos relacionados, clique nos links da lista a seguir.

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
joao.filho
joao.filho
7 anos atrás

O Mirage F1 na minha opiniao e um dos aparelhos mais fotogenicos jamais produzidos.

Guilherme Poggio
Editor
7 anos atrás

Os Finger da Argentina devem para de voar em 2015, assim como os Mirage IIIEA deles.

Já foi cogitada a ida desses aviões espanhóis para Tandill, mas agora eles também estão das últimas.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
7 anos atrás

A primeira foto é magnífica. O fotógrafo teve muita sorte nessa captura. Uma pena não ser em qualidade melhor.

Baschera
Baschera
7 anos atrás

Os Mirage F1 são os mais “belos” aviões jamais produzidos pela Dassault. Agora…. taí o exemplo de pais que eu não entendo, a Espánha, um país relativamente pequeno, que faz parte da OTAN, não tem problemas de fronteiras, nem inimigos no continente europeu e nem no norte da África…. precisar de tanto armamento como eles tem e sempre tiveram depois da II WW. Não foi só na parte aérea que eles se deram bem forçando a França contra os USA…. na parte naval os USA deram lhes acesso desde NAe, ( o Dedalo, antes o CVL 22 Cabot transformado em… Read more »

Baschera
Baschera
7 anos atrás

Esqueci de mencionar que a Espanha tem uma divergência com a Inglaterra pela devolução de Gibraltar, pequena área de terra, cuja base militar que controla o acesso ao mar mediterrâneo.

Sds.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
7 anos atrás

Nunão, eu localizei os outros tamanhos da imagem, mas mesmo assim elas deixam a desejar. Talvez pela câmera (parece ser de um celular) talvez uma imagem antiga que foi digitalizada e ampliada, quem sabe.

Colombelli
Colombelli
7 anos atrás

João, concordo. Um avião impressionante. Tem videos dele no Chad voando sobre estradas de terra a poucos metros do chão. Lindas imagens.

Baschera, é algo que chama atenção mesmo, a sanha espanhola em todos os niveis por armas. Em terra eles tem o Leopard 2. Mas os espanhóis tem uma longa história bélica e uma cultura em certa medida guerreira mesmo.

Poggio. Que será da FA argentina? Será que vão ficar so no A-4? Estão quebrados financeiramente. O que sobraria para eles adquirerem de 2 mão? Será que vai restar so os nossos M-2000?

Hamadjr
Hamadjr
7 anos atrás

É bom que o Giberto não leia o post, vai que sem querer ele comenta com alguém ligado ao governo e ai essas tranqueiras vem tudo pra cá, kkkk na boa Giba só zuando

Galeão Cumbica
Galeão Cumbica
7 anos atrás

Master Yoda

Talvez eles tenham medo de surgir um novo Napoleao ou Hitler na europa!

Sds
GC

ci_pin_ha
ci_pin_ha
7 anos atrás

O melhor para os argentinos é comprar o JF-17, tem bom preço e boa capacidade. Eles devem está chorando essa hora o fim da produção dos MiG-21, pois quem sabe poderiam adquiri um J-7 novinho (kkkkkkkk).

champs
champs
7 anos atrás

Outra opção para os argentinos seria o Mig-35, preço bem em conta e capacidade boa para o TO…

ci_pin_ha
ci_pin_ha
7 anos atrás

MiG-35 é uma boa opção até para nós, mas já acho muita areia pro caminhãozinho argentino, no máximo J-10.

Colombelli
Colombelli
7 anos atrás

O problema dos argentinos é que estão financeiramente muito pior que nós e para onde se olhe não tem mais caças que eles possam adquirir facilmente na faixa que eles podem operar (MiG 29, F-16 MLU etc… no máximo). Os Typhoon tranche 1 estão fora da realidade deles. O limite dos caças deles está chegando e não se vê movimentação nenhuma lá a respeito. So vai restar recorrer ao delírio bolivariano e querer se escorar em uma “força aérea latino americana”, baseada na Venezuela e Brasil. Tem elementos em Brasília se encaminhando para engolir este anzol. Depois nos arrastam para… Read more »