Novo vídeo da Embraer apresentando o programa do jato KC-390

Novo vídeo da Embraer apresentando o programa do jato KC-390

195
17

Vídeo publicado no canal da Embraer no youtube na última terça-feira, 21 de maio. Segundo o descritivo, o KC-390 é a maior aeronave já construída pela industria aeronáutica brasileira e estabelecerá novos padrões ao transporte militar de porte médio em termos de performance e capacidade de carga.

Com sua capacidade de 23 toneladas e velocidade máxima de cruzeiro de 465 nós (860 km/h), o KC-390 proverá significativos ganhos de mobilidade para seus operadores e considerável redução no tempo da missão, segundo a Embraer.

Colaborou: Sandro

17 COMMENTS

  1. O vídeo ficou parecendo um videogame me lembrei da instalação do jogo Red Alert 2(não fazem mais instalações elaboradas assim), ficou bacana, imagino o que eles iriam fazer se ao invés de um transporte estivessem projetando um caça.

  2. Legal o vídeo, já gravei aqui antes que algum espírito de porco resolva solicitar a remoção do Youtube.

    []s

  3. Tenho uma questão que talvez o Marcos ou outra pessoa saiba me responder, quando a Embraer vender este avião para algum cliente externo, a FAB leva uns trocados nesta negociação?

    A segunda pergunta seria sobre caracteristicas stealth, a um tempo atras aqui no blog, nao tenho certeza quem foi, que disse que o Super Hornet ja foi projetado em uma epoca com algumas caracteristicas stealth, eu quero saber se este avião da embraer KC 390 foi pensado neste aspecto e como eu reconheceria estas caracteristicas fora aquelas linhas serrilhadas em algumas peças e ausencia de linhas retas na aeronave?

    sds
    GC

  4. Vídeo espetacular, dos melhores que já vi. Lembra alguns vídeos da Lockheed Martin. No que toca ao marketing a Embraer está de parabéns.

    Mas tá demorando esse protótipo hein?

    Torço muito para essa aeronave.

  5. Belíssimo vídeo e Belíssimo Projeto!
    Espero que a FAB solicite também uma versão ASW, algo como o velho Nimrod

  6. Vader, é o maior avião que a empresa já fez com o agravante de ter requisitos militares bem puxados, como lançamento de cargas, pouso em pistas não preparadas com toneladas a bordo, etc. Além disso ele traz novidades como full fly-by-wire e HUD, dentre outras. Natural ter um cronograma mais modesto. Como comparação, vide o EADS A-400M…

  7. Galeão Cumbica, não, a FAB não levará algum pelos royalties do projeto em vendas para terceiros. O que ela ganha por ter apoiado o desenvolvimento do projeto desde o começo, assim como em menor grau os demais parceiros estrangeiros, são condições de pagamento e entregas privilegiadas. Além, é claro, de ter dado pitaco, e que pitaco, nos requisitos operacionais.

    E também não, o KC-390 assim como outros aviões de carga, não foi projetado com características furtivas. Mas possui outros métodos de sobrevivência, como velocidade subsônica alta, altitude de cruzeiro elevada, aproximação quase vertical para o pouso, redundância de sistemas, blindagem para os pilotos, sistemas anti-incêndio, contramedidas ativas e passivas, etc.

  8. Caro Vader,

    O cronograma corre dentro dos prazos. O vôo do primeiro protótipo está programado para o 2º semestre de 2014.

    []’s

  9. Valeu Almeida,

    Sempre pensei que por ter elaborado esta lista de requisitos operacionais e tambem fazer parte na hora de liberar o $$$ pra fazer o projeto eles acabavam recebendo alguns royalties pelo projeto ou patente.

    sds
    GC

  10. Galeão Cumbica

    Em relação a sua primeira pergunta, realmente não sei. Depende muito de como foi elaborado o contrato entre o GF e a Embraer. A FAB, a título de exemplo, desenvolveu novos trens de pouso para o Tucano e recebe royalties da venda dessa estrutura para aeronaves de outros países.

    Em relação a questão furtiva: não, a aeronave não tem essa característica, que teriam de levar em consideração formas em ângulo e materiais. O custo seria imenso. A Lockheed Martin andou fazendo um estudo sobre isso, mas dai virar realidade são outros quinhentos. Em relação a forma serrilhada na saída dos motores, aquilo se destina a reduzir a emissão de calor e está disponível em aeronaves civis.

  11. Se não me engano a Geometra fabrica os novos trens de pouso do Tucano e a FAB recebe royalties dessas vendas.

    Outro exemplo: o Chile, por ter sido o primeiro a comprar o Scorpène, recebe royalties sobre todas as vendas dessa linha de submarinos, inclusive os nossos.

  12. Marcos, com os dados que vc me passou dei uma pesquisada, a Geometra fez(CONSTRUÇÃO) o trem de pouso do T 27, achei uma entrevista no site da fab com o Engenheiro Mecânico que organizou o estudo do projeto(CELOG), a FAB ganhou neste caso 5% das vendas.
    Inclusive tem matérias aqui no PA sobre o assunto.

    sds
    GC

  13. Normalmente a patente, e os roylaties, ficam com quem efetivamente desenvolveu a tecnologia. Com financiamento próprio ou externo. Se um banco empresta dinheiro ou alguém investe ou compra uma ação de uma empresa, as patentes são da empresa e não do credor ou acionista. Claro que, no caso do investidor e acionista, parte da empresa é dele. Mas, claro, tudo depende do contrato. Alguns bancos pedem a patente como garantia para pagamento do financiamento, por exemplo.

    No caso do trem de pouso do Tucano, este foi desenvolvido dentro dos laboratórios do CTA, por isso a divisão dos royalties.

  14. SHOW-DE-BOLA este vídeo !!!

    O KC-390 como uma aeronave multi-missão não deve ou melhor não pode priorizar a furtividade e é até útil que ela tenha um perfil radar mais ou menos conhecido.

    Numa eventual missão real em que a furtividade seja necessária, do tipo transporte de tropas especiais para lançamento ou ação imediata no pouso, sempre há a possibilidade de aplicação de uma tinta absorvedora EM para mascarar o tamanho da aeronave nos radares e aumentar as chances de penetração da missão.

    Essa tecnologia de COAT anti-EM a FAB já desenvolveu sua versão nativa em centro de pesquisa e inclusive existe um fabricante industrial qualificado para fornecer o produto (citação de exemplo de um produto nacional de alta tecnologia produzido pela indústria nacional do presidente da ABIMDE em entrevista, falando sem identificar o associado), e faz anos, só que eu saiba ainda não se usa operacionalmente o produto ou em caráter oficial/público.

  15. Bem lembrado Gilberto! (Acerca da tinta ferromagnética stealth brasileira).

    Galeão,
    Cada vez mais os aviões de uso militar terão menor RCS devido ao avanço na computação e na simulação digitalm mas conservarão a aparência tradicional, claro, com exceção dos stealths nível VLO e VLO2, que ainda nos parecerão exóticos.
    No caso não sabemos se o Brasil tem ou usou um software capaz de simular uma forma mais discreta e menor reflexiva ao radar no projeto do KC-390 ou se teve cuidado com o desenho objetivando a discrição ao radar.
    Tudo bem que ele não é um avião furtivo, mas não me espantaria se descobrir que ele tenha um RCS bem menor que um avião equivalente da década de 80 pra trás, e portanto, deve ser detectado por um dado radar a uma distância significativamente menor.

LEAVE A REPLY