segunda-feira, dezembro 6, 2021

Gripen para o Brasil

Chile cancela compra de treinadores a jato para focar na frota de F-16

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

F-16 Chile - foto FACh

Segundo nota do site Defense News publicada na quinta-feira, 11 de abril, a Força Aérea do Chile cancelou a aquisição de treinadores avançados a jato, cuja concorrência estava em estágio preliminar,  por razões orçamentárias. As informações foram dadas por fontes latino-americanas, que afirmaram que o Ministério da Defesa Chileno já informou a empresas interessadas, no mês passado, que estava arquivando os planos para substituir os atuais jatos A/T-36 (fotos abaixo).

Segundo um analista, a decisão foi tomada para permitir que os fundos sejam direcionados à frota de F-16 (foto acima). Um integrante da comitiva da Lockheed Martin na LAAD 2013, realizada no Brasil, confirmou que há discussões com o Chile sobre modernizações no F-16, embora não pudesse comentar nada além disso.

O cancelamento da possível aquisição de treinadores a jato também teria como motivo aguardar o andamento da concorrência desse tipo de aeronave nos Estados Unidos, já que os concorrentes da disputa chilena fazem parte  da disputa norte-americana.

A36 Chile - foto FACh

Ainda segundo a reportagem do Defense News, a intenção chilena era de adquirir uma dúzia de jatos treinadores modernos para substituir os A/T-36, que estão se tornando difíceis de manter e que têm falhado em garantir um treinamento de qualidade para a frota de F-16.

A36 Chile - foto 2 FACh

FONTE: Defense News (tradução e edição do Poder Aéreo a partir de original em inglês)

FOTOS: FACh

VEJA TAMBÉM:

- Advertisement -

23 Comments

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos

Os chilenos pelo menos tem vergonha na cara.

– Olha, não vamos comprar por falta de recursos.

Não é com um certo país por ai que fica arrotando
grandeza mas não tem dinheiro para comprar papel
higiênico.

Ozawa

Na verdade é bem mais que “vergonha na cara”, é “senso de prioridade”.

Cancelaram a compra de treinadores “para permitir que os fundos sejam direcionados à frota de F-16”, a ponta de lança de sua defesa aérea.

Fosse aqui, se deixaria de comprar, ou se postergaria a aquisição, como, aliás, ora se faz, é justamente de caças da defesa aérea, para aquisição de aeronaves de transporte especial de autoridades da República e seus apadrinhados…

O Chile tem a Força Aérea que merece… E o Brasil também.

Marcos

off topic

Avião se choca contra torre após pousar em Brasília

O acidente não deixou feridos, mas o voo da empresa portuguesa, que vinha de Lisboa, precisou ser cancelado

(portal Terra)

Nick

Além de que ter mais F-16 é muito mais importante do que ter LIFTs, é possível que os AT-29 estejam se saindo melhor do que esperavam no Treinamento Avançado. Suiça está fazendo a transição deles direto do PC-21 para os F-18C. Aqui os AT-29 estão também realizando algo parecido. Seria bom ter um LIFT, mas entre um LIFT e um F-16MLU, nem precisa perguntar.

[]’s

ricardo_recife

País sério é outra coisa, assume seus problemas orçamentários e diz com todas as letras: “decisão foi tomada para permitir que os fundos sejam direcionados à frota de F-16”. Não fica enrolando e dizendo que a crise é uma marolinha. Não adianta apenas comprar, tem que deixar em condições de voar e combater.

Seria interessante saber se pode dar Super Tucano para o treinamento dos pilotos da FACh se os problemas com o AT-29 apertarem.

Abs,

Ricardo

Ivan

Um rápida olhada no inventário da FACh:

* 29 F-16AM MLU;
* 07 F-16BM MLU;
* 06 F-16C Bloque 50/52+;
* 04 F-16D Bloque 50/52+;
* 09 C-101CC (Attack);
* 08 C-101BB (Trainer).

Desconfio que 11 (onze) F-16 bipostos e 8 (oito) C-101 bipostos podem segurar por algum tempo a conversão operacional, principalmente quando a força acabou de introduzir uma dúzia de A-29B Super Tucano bipostos com um avançado Training and Operation Support System (TOSS),

Sds.,
Ivan.

P.s.:
Mesmo que vários ou até mesmo todos os bipostos apontados possam ser usados em missões de combate.

ricardo_recife

Ivan, esqueceste os F-5 (16).

Abs,

Ricardo

Ivan

Ricardo,

Não.
Havia apenas 3 (três) F-5 F Tiger III e aparentemente sobrou apenas 1 (um) em condições de voar. De qualquer forma a FACh está tentando se desfazer dos F-5 para padronizar seus caças com F-16.

Abç.,
Ivan.

Mauricio R.

Ocorre que o desempenho do PC-21, é um tanto mais quente que o do ST.

Almeida

Chile demonstrando que dá para ser um país sério dentro da América Latrina.

Soyuz

A unica força aérea de verdade da América Latina. Parabéns pela coerência FaCh.

Soyuz

Esta questão de modelo de treinamento. Se dá para pular do Super Tucano para o F-16, se precisa de LIFT, se o piloto deve começar a voar em um Pilan ou em um Tucano, enfim… É um tema que se você reunir 50 comandantes das principais 50 forças aéreas do mundo e perguntar qual o melhor modelo de treinamento, provavelmente irão sugerir 50 modelos ideais de treinamento. Simplesmente não existe uma resposta definitiva para a questão. O que acho mais fascinante no tema, não é a ideia de tirar um piloto de um Super Tucano e coloca-lo em um F-16.… Read more »

Vassili

Eu, sinceramente, considero essa decisão de postergar a substituição dos Casa C-101 arriscada, mesmo que a alegação seja a alocação de fundos para a frota de primeira linha. No meu ponto de vista, uma boa transição operacional tem que obrigatoriamente passar por um LIFT à jato moderno. Correm o risco de ter eles tb o seu “apagão aéreo” como existe por aqui atualmente, porem no caso deles, é na função de treinamento avançado e conversão operacional. o Super Tucano não consegue suprir todas as necessidades de um piloto em final de formação e prestes a ser designado para um caça… Read more »

Mauricio R.

Entre a necessidade, de novos treinadores avançados a reação, e a prioridade, em modernizar seus F-16; a FACH optou pela prioridade.

Vader

Prezados, a FACh está apenas esperando o T-X da USAF para “pegar carona”.

Nenhuma força ocidental em sã consciência compraria um treinador sem esperar ver o que vai acontecer na USAF entre esse ano e o próximo.

Senhores, são pelo menos 350 aeronaves, podendo chegar a MIL! Olhem a escala que isso vai ter! Imaginem o preço final baixíssimo que terá essa aeronave!

A FACh de novo dando aula de racionalidade para o mundo.

Rafael M. F.

“Prezados, a FACh está apenas esperando o T-X da USAF para “pegar carona”.”

Felipe, é esse T-X onde existe a possibilidade de participação da Embraer?

Rafael M. F.

Quando digo “participação”, digo “fabricação sob licença”

Marcos

O Tucanão e o PC-21 foram desenvolvidos de maneiras diferentes e com objetivos diferentes. O primeiro foi pensado com um avião de combate. O segundo com avião de treinamento avançado. É só ver quem está comprado este ou aquele e qual a finalidade da compra. De quebra, só no visual, percebe-se a diferença entre um e outro olhando as asas: O Tucanão tem 11 metros de envergadura contra 9 metros do PC-21, cujo perfil da asa também é muito mais fino. Os dois são excelentes projetos, cumprem o papel para qual foram concebidos e cumprem também o papel complementar, no… Read more »

Vader

Rafael M. F. disse: 14 de abril de 2013 às 10:23 Rafael, o que existe é que Embraer e Boeing têm um MOU para o desenvolvimento de um treinador avançado/LIFT em conjunto (independentemente do FX2). Ao contrário de outras gigantes americanas, a Boeing não tem um treinador/LIFT em seu portifólio. Sem sombra alguma de dúvida quando saírem os requisitos do programa a Phantom Works apresentará algum projeto. Se a Embraer embarcar junto, pode participar. Para gerar comunalidade com sua nova frota stealth (F-22/F-35), o novo treinador da USAF terá que ter características de 5a geração, notadamente o “stealthiness” (“shape” e… Read more »

Vader

Curioso ver os comentários sobre a matéria na “concorrência” por aí… Vocês vejam como a inveja é uma mer.: monte de PeTralhas, comunas e russófilos descendo a lenha no Chile, que na visão deles estaria “mal das pernas” por ser “paraíso neoliberal” e “capacho dos EUA”. Pobrezinhos. Não fazem a menor ideia do que seja a realidade chilena, onde mesmo na capital Santiago é raríssimo se encontrar um mendigo; onde não se tem a legião de “nóinhas” vagando como zumbis pelas ruas; onde criança entra na escola de manhã e sai à noite; onde os maiores crimes que existem são… Read more »

Almeida

Pois é Vader, como eu disse, Chile demonstrando que dá para ser um país sério dentro da América Latrina. Pra raiva dos demais bolivarianos.

Mauricio R.

Com ou sem MOU, a Boeing está somente procurando serviço p/ fazer por aqui, até pq esse novo treinador p/ a USAF pode demorar um bom tempo p/ sair.
E não há qualquer indicação, de que a Boeing pretenda levar a Embraer pela mãozinha, a competir em seu principal mercado.
Das 4 concorrentes ao TX da USAF, a Boeing foi a única a apresentar uma aeronave totalmente nova, mas desde então o programa esfriou pois a USAF não sabe ainda se terá a verba necessária p/ tocá-lo.

Últimas Notícias

Finlândia deve escolher jatos F-35 na concorrência de US$ 11 bilhões

A Finlândia deve escolher os caças F-35 da Lockheed Martin Corp. em sua licitação de 10 bilhões de euros...
- Advertisement -
- Advertisement -