Home Aviação Comercial Embraer escolhe turbinas da Pratt & Whitney

Embraer escolhe turbinas da Pratt & Whitney

2182
22

Novo E-jet da Embraer terá turbinas Pratt & Whitney

vinheta-clipping-aereoA Embraer, quarta maior fabricante de aviões do mundo, escolheu as turbinas da Pratt & Whitney’s para sua nova linha E-Jet de aviões regionais, segundo informaram pessoas próximas à transação. A fabricante da United Technologies Corp desbancou a General Electric e a Rolls Royce, segundo as fontes.

A Pratt buscava recuperar terreno referente às vendas de suas turbinas após uma série de vitórias da GE e da Rolls Royce. A empresa também está testando uma nova turbina de menor consumo de combustível para a canadense Bombardier.

A Embraer, que domina o mercado de aviação comercial de jatos com até 120 assentos, está atualizando sua linha com novas turbinas e asas visando economizar combustível, no momento em que sua rival canadense planeja avançar no mesmo mercado. Os aviões atualizados devem ser entregues em 2018. As informações são da Dow Jones.

FONTE: R7

Subscribe
Notify of
guest
22 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
7 anos atrás

Uma obsevacao: quer dizer que a Embraer caiu da terceira posicao para a quarta posicao no mundo???

Sera que a Bombardier ultrapassou a Embraer??

Daglian
Daglian
7 anos atrás

Pensei o mesmo, Tadeu…

Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás

Que falta de originalidade…
Sem contar a eternidade até se decidirem.
A Bombardier seguiu esse bem caminho antes.
Uma pista p/ essa queda, seria que a Embraer está vendendo menos e portanto o backlog está diminuindo.

Nick
Nick
7 anos atrás

2018? Então até lá serão vacas bem magras para a Embraer.

[]’s

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Tadeu:

Olhando apenas pelas aeronaves comerciais, a Embraer é a terceira. Mas quando coloca-se junto as aeronaves executivas, a Bombardier passa a frente.

Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás

Ao contrário do que se possa imaginar, a tração que o C Series vem cada vez mais ganhando no mercado, afeta mais a Airbus do que a Embraer.
Pois tanto pelo nº de assentos, como tb pela mair economia de combustível proporcionados, as aeronaves Airbus da família A-320 (A-318; A-319; A-320 e A-321) são mais diretamente afetadas.
A pressão sobre a Embraer, vem do sol nascente, o jato regional da Mitsubishi, que desde sua concepção, voa “geared fan” P&W.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

1) O C Series foi lançado juntamente com os E-Jets, mas não avançaram no tempo. No meio caminho é que, juntamente com chineses, a Bombardier deu prosseguimento ao projeto.

2) De fato o projeto do C Series está mais para Boeing/Airbus que Embraer, que já definiu estratégia de não concorrer nesse mercado.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

E as mesmas criticas que hoje a Embraer recebe, a Bombardier já recebeu no passado quando os E-Jets estavam vendendo como água.

E não sei se as alterações se limitarão à motores e asas. Em outro site dizia-se da adoção de fly-by-wire, que a aeronave já utiliza, pelo menos em parte, o que dá a entender que adotarão full f-b-w. Se virá side stick e nova aviônica, não se sabe. Nova aviônica é provável, na minha humilde opinião.

Marcos
Marcos
7 anos atrás

E seguem os problemas no B.787.

Br984
Br984
7 anos atrás

Embraer E-Jet 150 assentos , 120 é pouco , Bombardier CSeries 110 e 149 assentos
Bombardier CRJ 1000 – 104 – assentos
Bombardier CRJ 900 – 90 – assentos
Bombardier CRJ 705 – 90 ou 86 – assentos
Bombardier CRJ 700 – 78 – aseentos

——————————————————————

Embraer 195 – 122 – aseentos
Embraer 190 – 114 – aseentos
Embraer 175 – 88 – aseentos
Embraer 170 – 80 – aseentos

Embraer E-Jet vai 2018 , 150 aseentos !

Marcos
Marcos
7 anos atrás

Br984

Os C-Series são 2+3 assentos. Os E-Jets e os CRJ são 2+2.

1) O problema central dos E-Jets, no caso de 150 assentos, é que a fuselagem pode ficar demasiadamente longa.

2) Uma solução seria a adoção de novos assentos, extra finos, similares ao que será utilizado nos MRJ.

Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás

O C Series 300 tem uma configuração p/ 160 assentos, que tem tirado o sono da Airbus.

Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás

” O C Series foi lançado juntamente com os E-Jets, mas…” Os E-Jets foram lançados no Salão de Paris de 1999, entrando em produção seriada em 2002. O anúncio do desenvolvimento do C Series, somente foi feito ao mercado em 2004. “No meio caminho é que, juntamente com chineses, a Bombardier deu prosseguimento ao projeto.” Assim como a Embraer, a Bombardier tb tem suas parcerias de risco: “The CSeries programme has several major suppliers, including Shenyang Aircraft (centre fuselage), Alenia Aeronautica (horizontal and vertical stabilisers), Fokker Elmo (wiring and interconnection systems), C&D Zodiac (interiors), Parker Hannifin (flight control, fuel and… Read more »

Br984
Br984
7 anos atrás

Marcos, Hum ..

—————————————————————————————-
Embraer E-Jet: E-170/175 e E190/195 , Embraer E-Jet é 2+2 , Bombardier CRJ: CRJ 700/705 e CRJ 900/1000 é 2+2

Bombardier CSeries 100/300 é 2+3 , 110 e 149 , 160 assentos

Embraer E-Jet é foto motor ? vai 2018, ‘2+2’ 120 assentos?
Embraer ?-? é vai 2018 , ‘2+3’ 132 e 150 assentos

Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás

Embraer ?-? é vai 2018 , ’2+3′ 132 e 150 assentos

Sem uma célula nova, mais larga que a atual, não vai não.
Nem trocando os assentos atuais, pelos novos extra finos.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
7 anos atrás

Quanto ao que vcs estão discutindo, fico pensando se seções de fuselagem do KC-390 poderiam gerar uma célula mais larga, porém mais “aliviada”. Mas não sei se isso faria sentido, já que o emprego é totalmente diverso e as modificações possam não compensar quanto ao necessário alívio de peso.

Viagem minha, nada mais.

AeroCocus
AeroCocus
7 anos atrás

Nunão,

A fuselagem do KC390 tem 4.6 m de diâmetro. Isso é quase um 767 (com seus 5 m).

É impressionante quando vemos de perto.

Atenciosamente,

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  AeroCocus
7 anos atrás

De fato, 4,6m de diâmetro é pra lá de respeitável. E provavelmente inviável (ao menos pensando em algo próximo a um B-737 ou A-320).

Não tinha me atentado para esse número que vc passou. O dado que eu tinha, agora eu vi, era de diâmetro interno, que é de quase 3,5m, este sim mais próximo do diâmetro externo de Boeing e Airbus de corredor central (que é de quase 4m no A-320 e um pouco menos no B-737).

Gabriel
Gabriel
7 anos atrás

nao entendi essa materia desde quando a EMBRAER É A 4° PRA MIN ELA ERA A 3° MAIO FABRICANTE

Bladerunner2020
Bladerunner2020
7 anos atrás

E havia alguma outra opção para a Embraer que não fosse o PW1000G?

Vector
Vector
7 anos atrás

Sim, existiam duas outras alternativas.

Ireni da C. Costa
4 anos atrás

Boa noite! Meu comentário é sobre o a incidente ocorrido aqui em Maceió no começo dessa semana. O pássaro que bateu na turbina, que por pouco não houve uma grande tragédia. Graças a Deus tudo foi contornado. Então sou uma pessoa de 64 anos já tenho alguns inventos registrados no INPI. Com esse ocorrido aqui, eu tive mais uma ideia de como fazer uma turbina para que pássaros não interrompa mais viagens. Se algum fabricante de turbina quiser me procure, ai está meu endereço de e- mail. Aguardo retorno a agradeço antecipadamente.