Home Sistemas de Armas Os primeiros F-5 da FAB

Os primeiros F-5 da FAB

1860
76

f5efab

O Northrop F-5E Tiger II foi o segundo caça supersônico da FAB, o Mirage IIIEBR foi o primeiro.

Em outubro de 1974, durante o governo Geisel, a FAB encomendou à Northrop 42 caças F-5 (36 do modelo E, Tiger II e 6 do modelo B), ao preço na época de 72 milhões de dólares.

Em 12.3.75 chegaram os 3 primeiros F-5 ao Brasil, do modelo B, biplace de treinamento, na Base Aérea do Galeão. Em 3.10.1975 chegaram à Base Aérea de Santa Cruz os 6 primeiros F-5E, que já estavam no Brasil, mas em Anápolis, aguardando o término das obras na pista da BASC.

Em 22.4.1976 atiraram pela primeima vez, oficialmente, contra alvos no solo, no aniversário do 1o. Grupo de Aviação de Caça.

O primeiro reabastecimento em voo ocorreu (e 1o. no Brasil) ocorreu em 4.5.1976, por um C-130 da FAB.

Alguns dos F-5E foram entregues com plataformas de navegação inercial.

NOTA do BLOG: A foto do alto é de um F-5E da FAB ainda nos EUA, fazendo voo de testes. Notar que os mísseis que ele está levando são do modelo AIM-9P, mas quando chegaram ao Brasil usaram o AIM-9B.

76 COMMENTS

  1. Esse caça ai é melhor do que imaginam………Foi um dos melhores custos beneficios que existiram….2 Originais dão conta de um f-15 e 1 melhorado ou atualizado tambem………Isso não sou eu que digo e sim a gente que projetou e desenvolveu…….Não é da minha cabeça essa afirmação se não concordam tirem satisfação com eles la………

    Abraços a todos………

  2. Esse caça ai é melhor do que imaginam………Foi um dos melhores custos beneficios que existiram….2 Originais dão conta de um f-15 e 1 melhorado ou atualizado tambem………Isso não sou eu que digo e sim a gente que projetou e desenvolveu…….Não é da minha cabeça essa afirmação se não concordam tirem satisfação com eles la………

    Abraços a todos………

  3. Pode ser que não mesmo, mas pelo custo de aquisição que tivemos… Valeu um bocado como tapa-buraco de nossa força aerea, assim como para os russos valeu o MiG-29, os chineses o J-7, etc…

  4. Pode ser que não mesmo, mas pelo custo de aquisição que tivemos… Valeu um bocado como tapa-buraco de nossa força aerea, assim como para os russos valeu o MiG-29, os chineses o J-7, etc…

  5. Marco Antônio, não apenas tem uma certa semelhança como o F-18 é, em termos de design, uma evolução do F-5.

    Foi um ótimo caça para nações pobres como a nossa ter alguma capacidade dissuasória. Mas seu tempo já foi.

    Abs.

  6. Marco Antônio, não apenas tem uma certa semelhança como o F-18 é, em termos de design, uma evolução do F-5.

    Foi um ótimo caça para nações pobres como a nossa ter alguma capacidade dissuasória. Mas seu tempo já foi.

    Abs.

  7. Felipe, o que menos conta hoje é o vetor, mas sim a suite eletrônica, capacidade BVR, data link e capacidade de interferência radar. O F-5E realmente já foi, mas o F-5M só é inferior (e pouco) aos F-16 block 50 do Chile (que só tem 10) e aos Su-30 da Venezuela. Isto sozinho, mas com o R-99A (que só o Brasil tem), a vantagem cai por terra.

  8. Felipe, o que menos conta hoje é o vetor, mas sim a suite eletrônica, capacidade BVR, data link e capacidade de interferência radar. O F-5E realmente já foi, mas o F-5M só é inferior (e pouco) aos F-16 block 50 do Chile (que só tem 10) e aos Su-30 da Venezuela. Isto sozinho, mas com o R-99A (que só o Brasil tem), a vantagem cai por terra.

  9. E o seu numero consideravelmente maior que qualquer uma dessas aeronaves na america latina!
    Como ponta-de-lança temos os M-2000C

  10. E o seu numero consideravelmente maior que qualquer uma dessas aeronaves na america latina!
    Como ponta-de-lança temos os M-2000C

  11. Junka: trata-se de um avião com motorização (capacidade de ascenção, aceleração, etc.) e capacidade de carga pra lá de limitadas. Não discuto a capacidade da FAB de nos proteger com ele (graças à sua doutrina), mas não vamos tapar o sol com a peneira, o Bicudão, mesmo modernizado é pouco mais que um “quebra-galho”… Abs.

  12. Junka: trata-se de um avião com motorização (capacidade de ascenção, aceleração, etc.) e capacidade de carga pra lá de limitadas. Não discuto a capacidade da FAB de nos proteger com ele (graças à sua doutrina), mas não vamos tapar o sol com a peneira, o Bicudão, mesmo modernizado é pouco mais que um “quebra-galho”… Abs.

  13. Mirage III, F5-E/F, Xavante, todos novinhos. Esta geração de pilotos nesta época de mudanças de procedimentos e doutrina, devem ter vibrado muito. Acredito que esta nova geração dos R99, F5-M e na expectativa do A1-M, P3-M, do novo KC-390 e o mais importante o FX-2 também estão vibrando muito. A introdução de novos sistemas, armamentos, data-link e etc está dando um salto tecnológico muito grande na FAB. Podem até dizer que o país comprou o caça tal, mas não estão fazendo uma mudança radical na doutrina da força.

  14. Mirage III, F5-E/F, Xavante, todos novinhos. Esta geração de pilotos nesta época de mudanças de procedimentos e doutrina, devem ter vibrado muito. Acredito que esta nova geração dos R99, F5-M e na expectativa do A1-M, P3-M, do novo KC-390 e o mais importante o FX-2 também estão vibrando muito. A introdução de novos sistemas, armamentos, data-link e etc está dando um salto tecnológico muito grande na FAB. Podem até dizer que o país comprou o caça tal, mas não estão fazendo uma mudança radical na doutrina da força.

  15. Acho que a capacidade de fazer nossos caças seria primordial, desenvolvimento de radares nacionais competitivos e misseis, que pelo o que estou vendo a Mectron esta evoluindo a passos largos.

  16. Acho que a capacidade de fazer nossos caças seria primordial, desenvolvimento de radares nacionais competitivos e misseis, que pelo o que estou vendo a Mectron esta evoluindo a passos largos.

  17. Giovani, ao tempo da chegada dos nossos Mirage III, os Mirage F1 estavam começando a entrar em operação no primeiro esquadrão que equiparam no Armée de l’air, ou seja, bem no começo ainda. À época da chegada dos F-5, poucos anos depois, já estavam com doutrina estabelecida, se não me engano. Mas, talvez tentando adivinhar onde você gostaria de chegar com sua pergunta ( e me perdoe se não é isso) o importante é saber que, à época da assinatura dos contratos do Mirage III e F-5, o Mirage F-1 ainda não estava operacional.

  18. Giovani, ao tempo da chegada dos nossos Mirage III, os Mirage F1 estavam começando a entrar em operação no primeiro esquadrão que equiparam no Armée de l’air, ou seja, bem no começo ainda. À época da chegada dos F-5, poucos anos depois, já estavam com doutrina estabelecida, se não me engano. Mas, talvez tentando adivinhar onde você gostaria de chegar com sua pergunta ( e me perdoe se não é isso) o importante é saber que, à época da assinatura dos contratos do Mirage III e F-5, o Mirage F-1 ainda não estava operacional.

  19. Rogério, sobre os AIM-9 B e P, a versão B é a primeria geração operacional da arma, do início dos anos 60. A variante P dos anos 70 designa tanto mísseis novos quanto reconstruções / remotorizações de modelos mais antigos, recebendo aperfeiçoamentos compatíveis com a tecnologia dos anos 70,com semicondutores e refrigeração aperfeiçoada da cabeça de busca, mas ainda era um míssil de segunda geração. O pulo do gato “all aspect” viria só com o L, de 3ª geração, do início dos anos 80, que fez a fama nas Malvinas.

  20. Rogério, sobre os AIM-9 B e P, a versão B é a primeria geração operacional da arma, do início dos anos 60. A variante P dos anos 70 designa tanto mísseis novos quanto reconstruções / remotorizações de modelos mais antigos, recebendo aperfeiçoamentos compatíveis com a tecnologia dos anos 70,com semicondutores e refrigeração aperfeiçoada da cabeça de busca, mas ainda era um míssil de segunda geração. O pulo do gato “all aspect” viria só com o L, de 3ª geração, do início dos anos 80, que fez a fama nas Malvinas.

  21. Giovani, desculpe-me mais a situação nos anos 70 não era tão diferente assim dos dias atuais, o 1/14 chegou a ficar sem aeronaves e o 1 GavCa quebrava galho com o Xavante. Esse hiato só foi resolvido com o F-5, ou seja com muito atraso.
    Portanto meu amigo, essa visão de muitos têm q no passado era muito diferente, é relativa.
    Sds

  22. Giovani, desculpe-me mais a situação nos anos 70 não era tão diferente assim dos dias atuais, o 1/14 chegou a ficar sem aeronaves e o 1 GavCa quebrava galho com o Xavante. Esse hiato só foi resolvido com o F-5, ou seja com muito atraso.
    Portanto meu amigo, essa visão de muitos têm q no passado era muito diferente, é relativa.
    Sds

  23. Assim como estrelas de futebol não ganham jogo antes de inicar, um vetor não ganha uma guerra. O sistema de armas mais completo dominará o cenário. O R99 tem alcance de 350Km, e nunca anda sem escoltas (F-5M), e as escoltas ficam com o radar desligados em comunicação data link com o R99. Em um hipotético confronto, os SU seriam derrubados sem saber de onde vieram os mísseis. Quanto à menor capacidade de carregar mísseis, é contra-balanceada pelo maior número de aeronaves. E convenhamos, qual país da América Latina tem $$ para carregar cada caça com mais de 4 mísseis BVR? Logo, o F-5M não é um quebra-galho, mas a ponta de lança de um sistema de armas sem comparação na AL.

  24. Assim como estrelas de futebol não ganham jogo antes de inicar, um vetor não ganha uma guerra. O sistema de armas mais completo dominará o cenário. O R99 tem alcance de 350Km, e nunca anda sem escoltas (F-5M), e as escoltas ficam com o radar desligados em comunicação data link com o R99. Em um hipotético confronto, os SU seriam derrubados sem saber de onde vieram os mísseis. Quanto à menor capacidade de carregar mísseis, é contra-balanceada pelo maior número de aeronaves. E convenhamos, qual país da América Latina tem $$ para carregar cada caça com mais de 4 mísseis BVR? Logo, o F-5M não é um quebra-galho, mas a ponta de lança de um sistema de armas sem comparação na AL.

  25. Em um hipotético combate BVR longo entre nossos F-5 EM e Mirage 2000 com ou sem o auxilio dos R-99 seriamos abatidos da mesma forma vide que os mísseis Derby tem um alcance maximo limitado de cerca de 60km já os R-77 são de 100 km e as novas versões poderão chegar de 180 km a 190km, os SU-30 MKV detectariam e travariam nossas aeronaves de apoio a mais de 150 KM podendo desta forma nos atacar bem antes de podermos atacar mesmo nós estando munidos de aeronaves de apoio. Em um combate BVR médio onde as duas forças teriam a mesma noção situacional não seria necessária a utilização de aeronaves de alerta antecipado caso contrario estas seriam alvos fáceis e de grande valor a serem abatidas, como as duas forças teriam a mesma noção situacional quem se provesse da melhor tática venceria, mas os Flankers teriam vantagem por serem mais potentes e manobráveis e desta forma teriam mais chances de escaparem dos mísseis inimigos caso estes fossem detectados e alertassem os pilotos a tempo. já em um combate curto a vantagem é total por parte dos Flankers que possuem maior potencia, persistência em combate, resistência, velocidade, manobrabilidade, ETC.
    OBS. Os Mirage 2000 poderiam fazer frente aos Flankers em combates aproximados vide sua grande, manobrabilidade e potência, o mesmo não ocorre em combates médios e longos vide a grande diferença tecnológica entre sensores e armamentos das duas aeronaves, a vantagem é total por parte dos Flankers.
    A vantagem é total por parte dos Flankers mesmo a FAB munida de aeronaves de alerta antecipado, não da para comparar um vetor bireator pesado de alto desempenho com um vetor leve como o F-5, os Flankers são da mesma classe do F-15 E e os F-22 vetores bireatores pesados de alto desempenho. OBS. A comparação entre os Flankers, Eagles e Raptors foi somente em comparação a peso e potencia e não as gerações das aeronaves citadas.
    Desde já peço desculpas pela explicação simplificada e pelos erros ortográficos, pois estou sem tempo de redigir um texto complexo e muito menos de editar o mesmo.
    Um grande abraço a todos.

  26. Em um hipotético combate BVR longo entre nossos F-5 EM e Mirage 2000 com ou sem o auxilio dos R-99 seriamos abatidos da mesma forma vide que os mísseis Derby tem um alcance maximo limitado de cerca de 60km já os R-77 são de 100 km e as novas versões poderão chegar de 180 km a 190km, os SU-30 MKV detectariam e travariam nossas aeronaves de apoio a mais de 150 KM podendo desta forma nos atacar bem antes de podermos atacar mesmo nós estando munidos de aeronaves de apoio. Em um combate BVR médio onde as duas forças teriam a mesma noção situacional não seria necessária a utilização de aeronaves de alerta antecipado caso contrario estas seriam alvos fáceis e de grande valor a serem abatidas, como as duas forças teriam a mesma noção situacional quem se provesse da melhor tática venceria, mas os Flankers teriam vantagem por serem mais potentes e manobráveis e desta forma teriam mais chances de escaparem dos mísseis inimigos caso estes fossem detectados e alertassem os pilotos a tempo. já em um combate curto a vantagem é total por parte dos Flankers que possuem maior potencia, persistência em combate, resistência, velocidade, manobrabilidade, ETC.
    OBS. Os Mirage 2000 poderiam fazer frente aos Flankers em combates aproximados vide sua grande, manobrabilidade e potência, o mesmo não ocorre em combates médios e longos vide a grande diferença tecnológica entre sensores e armamentos das duas aeronaves, a vantagem é total por parte dos Flankers.
    A vantagem é total por parte dos Flankers mesmo a FAB munida de aeronaves de alerta antecipado, não da para comparar um vetor bireator pesado de alto desempenho com um vetor leve como o F-5, os Flankers são da mesma classe do F-15 E e os F-22 vetores bireatores pesados de alto desempenho. OBS. A comparação entre os Flankers, Eagles e Raptors foi somente em comparação a peso e potencia e não as gerações das aeronaves citadas.
    Desde já peço desculpas pela explicação simplificada e pelos erros ortográficos, pois estou sem tempo de redigir um texto complexo e muito menos de editar o mesmo.
    Um grande abraço a todos.

  27. Os R99 anulam a principal vantagem do SU frente ao F5M. Detecção. Com o R99 os F5M recebem diretamente o alvo podendo manter seus radares desligados e se posicionar pra nao ser detectado so ligando o radar no ultimo momento pro disparo.

    O alcance do R99 é 350km . O radar do Su venezuelano não chega nem a metade disso. Um F-5M com radar desligado, devido ao seu tamanho, é muito difícil de ser detectado, principalmente se já estiver em posição favorável de ataque em relação ao radar do SU.

  28. Os R99 anulam a principal vantagem do SU frente ao F5M. Detecção. Com o R99 os F5M recebem diretamente o alvo podendo manter seus radares desligados e se posicionar pra nao ser detectado so ligando o radar no ultimo momento pro disparo.

    O alcance do R99 é 350km . O radar do Su venezuelano não chega nem a metade disso. Um F-5M com radar desligado, devido ao seu tamanho, é muito difícil de ser detectado, principalmente se já estiver em posição favorável de ataque em relação ao radar do SU.

  29. O que ele quis dizer é o alcance de armas do F-5 de toda forma é pequeno, eles teriam de se posicionar dentro do alcance do radar dos Su-30 para que pudessem lançar suas armas…
    Além disso pelo RWR o Su-30 já receberia a direção do R99 e poderia se antecipar na aproximação dos F-5 ou mesmo abater o R-99 antes que os F-5 se aproximassem o bastante para lançarem seus misseis Derby.

    Em qualquer hipose de combate por superioridade aerea (exceto pelo fator numerico) o Su tem total vantagem como dito pelo sr. welington

  30. O que ele quis dizer é o alcance de armas do F-5 de toda forma é pequeno, eles teriam de se posicionar dentro do alcance do radar dos Su-30 para que pudessem lançar suas armas…
    Além disso pelo RWR o Su-30 já receberia a direção do R99 e poderia se antecipar na aproximação dos F-5 ou mesmo abater o R-99 antes que os F-5 se aproximassem o bastante para lançarem seus misseis Derby.

    Em qualquer hipose de combate por superioridade aerea (exceto pelo fator numerico) o Su tem total vantagem como dito pelo sr. welington

  31. O R99 tem 30m de comprimento, um SU-30MKV tem 22m. Seu tamanho extra e falta de tratamento pra RCS garantem mais visibilidade, isto é fato. Não dá pra pensar que um radar de 120km de alcance vai superar um de 350km apenas porque o alvo é (um pouco) maior. Se seguir essa logica todos os AWACS, AEW&C etc hoje são inuteis pois não teriam alcance pra ficarem fora da visão do inimigo e sabemos que isso não é verdade.

    O sistema de RWR do SU dirá que esta sendo detectado, mas ele não indicará a posição exata da fonte (so estimativas), e este sistema também possui alcance maximo.

    O R99 não vai ficar parado, ele vai acelerar e fugir se o inimigo vier em direção a ele. Ele é subsonico mas ainda alcança os 850km/h. Mesmo que o Su-30 va pra Mach2 ele não vai conseguir chegar no alcance dos misseis em menos de 2 minutos (ele tem que se aproximar pra mais ou menos 50-70% do alcance do missel pq o alvo esta se afastando dele, se ele atirar no limite do alcance o missel nao vai chegar antes do combustivel acabar, logo um missel de 100km tem seu alcance reduzido pra 50-70km).

    A Escolta obviamente ligara seus pós combustores e estará em “rota de colisão” com os SU-30 . Como o F5 so tem que atravessar 50-100km ja que o SU se encarrega da outra metade da distancia não dou 1 minuto ou 2 para o F5 ja estar no alcance dos seus misseis.

    As avionicas do F-5M não deixam a desejar pro SU-30 a nao ser que alguém acredite que a Embraer e os Israelenses instalaram avionica e datalink de segunda categoria. E além disto, exitirá o sistema de interferência eletrônica do R99 e do próprio skyshield do F-5M. Alcance de misseis realmente permite o SU-30 atirar primeiro SE, repito, SE eles conseguirem detectar os F5 antes. Detecção é um jogo de chances. Depende do radar ligado/desligado, do tamanho da aereonave, armamento, posição da aeronave (Frente, lado, baixo, cima, costas), distancia e angulo em relação a aeronave, interferências eletrônicas.

  32. O R99 tem 30m de comprimento, um SU-30MKV tem 22m. Seu tamanho extra e falta de tratamento pra RCS garantem mais visibilidade, isto é fato. Não dá pra pensar que um radar de 120km de alcance vai superar um de 350km apenas porque o alvo é (um pouco) maior. Se seguir essa logica todos os AWACS, AEW&C etc hoje são inuteis pois não teriam alcance pra ficarem fora da visão do inimigo e sabemos que isso não é verdade.

    O sistema de RWR do SU dirá que esta sendo detectado, mas ele não indicará a posição exata da fonte (so estimativas), e este sistema também possui alcance maximo.

    O R99 não vai ficar parado, ele vai acelerar e fugir se o inimigo vier em direção a ele. Ele é subsonico mas ainda alcança os 850km/h. Mesmo que o Su-30 va pra Mach2 ele não vai conseguir chegar no alcance dos misseis em menos de 2 minutos (ele tem que se aproximar pra mais ou menos 50-70% do alcance do missel pq o alvo esta se afastando dele, se ele atirar no limite do alcance o missel nao vai chegar antes do combustivel acabar, logo um missel de 100km tem seu alcance reduzido pra 50-70km).

    A Escolta obviamente ligara seus pós combustores e estará em “rota de colisão” com os SU-30 . Como o F5 so tem que atravessar 50-100km ja que o SU se encarrega da outra metade da distancia não dou 1 minuto ou 2 para o F5 ja estar no alcance dos seus misseis.

    As avionicas do F-5M não deixam a desejar pro SU-30 a nao ser que alguém acredite que a Embraer e os Israelenses instalaram avionica e datalink de segunda categoria. E além disto, exitirá o sistema de interferência eletrônica do R99 e do próprio skyshield do F-5M. Alcance de misseis realmente permite o SU-30 atirar primeiro SE, repito, SE eles conseguirem detectar os F5 antes. Detecção é um jogo de chances. Depende do radar ligado/desligado, do tamanho da aereonave, armamento, posição da aeronave (Frente, lado, baixo, cima, costas), distancia e angulo em relação a aeronave, interferências eletrônicas.

  33. R-37 alcanse Maximo em grande altitude 250 KM…..
    Felismente os SU-30 MKV não podem lançar o missil KS-172 da Novator com alcance Maximo de 400 KM estes provavelmente equiparão a próxima aeronave Venezuelana a ser adquirida os SU-35 BM e o pior provavelmente se esta compra se concretizar provavelmente eles comprarão aeronaves de alerta antecipado também…
    Um grande abraço a todos.

  34. R-37 alcanse Maximo em grande altitude 250 KM…..
    Felismente os SU-30 MKV não podem lançar o missil KS-172 da Novator com alcance Maximo de 400 KM estes provavelmente equiparão a próxima aeronave Venezuelana a ser adquirida os SU-35 BM e o pior provavelmente se esta compra se concretizar provavelmente eles comprarão aeronaves de alerta antecipado também…
    Um grande abraço a todos.

  35. Felipe Cps em 02 jul, 2009 às 16:33
    KKKKKKKKKK, boa Felipe, rsrsrs, mas após 2011 com o fim da crise internacional o petróleo vai subir e alem da Venezuela conseguir os financiamentos que foram cortados graças a crise internacional, mas atualmente nem nossos Xavante, rsrs.
    Um grande abraço.

  36. Felipe Cps em 02 jul, 2009 às 16:33
    KKKKKKKKKK, boa Felipe, rsrsrs, mas após 2011 com o fim da crise internacional o petróleo vai subir e alem da Venezuela conseguir os financiamentos que foram cortados graças a crise internacional, mas atualmente nem nossos Xavante, rsrs.
    Um grande abraço.

  37. É interessante essa teorização sobre compates aéreos entre Brasil e Venezuela. Brasil e Chile nem tanto, porque o Chile é um país democrático, ao contrário da Venezuela que é uma ditadura comandada por um macaco hidrófobo.

    Mas o macaco hidrófobo, Hugo Chaves, não teria coragem de atacar o Brasil. É um covarde de marca maior que só bate em cachorro morto, bêbado e mulher…

  38. É interessante essa teorização sobre compates aéreos entre Brasil e Venezuela. Brasil e Chile nem tanto, porque o Chile é um país democrático, ao contrário da Venezuela que é uma ditadura comandada por um macaco hidrófobo.

    Mas o macaco hidrófobo, Hugo Chaves, não teria coragem de atacar o Brasil. É um covarde de marca maior que só bate em cachorro morto, bêbado e mulher…

  39. Fábio, falou tudo! No blog Área Militar (Português) entramos no mesmo saco nos comentários dos portugueses como “repúblicas das bananas” por causa deste covarde. Eu até torço para que ele cometa a loucura de atacar a Colômbia ou um pais vizinha, assim os EUA terão pretexto para derrubá-lo.

  40. Fábio, falou tudo! No blog Área Militar (Português) entramos no mesmo saco nos comentários dos portugueses como “repúblicas das bananas” por causa deste covarde. Eu até torço para que ele cometa a loucura de atacar a Colômbia ou um pais vizinha, assim os EUA terão pretexto para derrubá-lo.

  41. Eu só tenho uma dúvida: Qual o percentual médio de acerto de um míssil disparado a 100-120km de distância?

    Abraços

  42. Eu só tenho uma dúvida: Qual o percentual médio de acerto de um míssil disparado a 100-120km de distância?

    Abraços

  43. JUNKA, WELINGTON
    vcs dois estão certos…, Junka tá certo no que diz e pior no Reg Flag 2008 os americanos se deram mal… já tão espionando a tecnologia empregada nos F5 BR, Sr. W, é verdade que os A-77 tem alcance de 150KM mas… sua eficacia real é de 70-90KM logo um missil R-DATER ou DERBY ficaria praticamente 50-50, outra coisa esses flankers são conhecidos pela sua assinatura montanhosa de radar. mas a questão não é essa… senhores sabem as desavenças do Chaveco com Euquador e Perú, por tanto vamos parar um pouco com Brésil e pergunto eu q cargas dágua andam a força aérea desses dois ai…?

    Saudações a todos

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here