A Hanwha Aerospace construirá um primeiro lote de pelo menos 40 motores F414 em sua Planta 1 em Changwon, sob licença da empresa aeroespacial americana GE Aerospace.

As aspirações da Coreia do Sul de ter um primeiro lote de 40 caças KF-21 Boromae entregues até 2028 foram respaldadas por um contrato anunciado entre a Administração do Programa de Aquisição de Defesa (DAPA) e a Hanwha Aerospace para a construção de pelo menos 40 motores F414 entre 2024 e 2027.

Em um comunicado de 25 de junho, a Hanwha Aerospace informou que o contrato para “mais de 40 motores F414 e módulos de reposição para o KF-21”, avaliado em cerca de $401 milhões. O período do contrato vai de junho de 2024 a dezembro de 2027, durante o qual a Hanwha Aerospace também fornecerá manuais de manutenção de motores e suporte técnico no local.

Os motores fornecidos serão instalados no primeiro lote do KF-21, pois a Hanwha Aerospace é obrigada a fornecer motores até o final da produção do KF-21, sendo a única fabricante de motores de aeronaves do país.

Desde 1979, a Hanwha Aerospace tem fornecido motores para aeronaves militares coreanas, incluindo o F-4, KF-5, KF-16, F-15K e T-50, através da produção licenciada no exterior. O motor F414 para o KF-21 será produzido na Planta 1 da empresa em Changwon, utilizando uma licença da GE Aerospace.

A Hanwha Aerospace afirmou que o contrato “serve como um trampolim” para os planos da empresa de desenvolver “tecnologias de motores de próxima geração”, especificamente para plataformas de sexta geração.

F414-GE-400

Desenvolvimento e Parcerias do KF-21

O caça KF-21 é um potencial caça de 4.5+/5ª geração em desenvolvimento pela Korea Aerospace Industries, com o trabalho no programa começando em 2021. A Força Aérea da República da Coreia espera receber até 120 caças KF-21 Boromae até 2032, com os primeiros 40 chegando até 2028.

Em fevereiro de 2023, a DAPA anunciou a conclusão do primeiro teste de voo do quarto protótipo do caça KF-21 Boromae, seguido pelo primeiro voo do sexto protótipo em novembro do mesmo ano.

Como parte do desenvolvimento da plataforma, a Coreia do Sul buscou parcerias com a indústria europeia para fornecer capacidades aprimoradas de combate aéreo, assinando acordos com a Diehl Defence e a MBDA para a integração dos mísseis IRIS-T e Meteor, respectivamente.

Testes de disparo do IRIS-T foram realizados pelas aeronaves KF-21 em 2023 e confirmados em maio de 2024.

Em novembro de 2023, a fabricante europeia de mísseis MBDA declarou que estava trabalhando com a KAI para integrar seu míssil ar-ar de longo alcance Meteor no caça KF-21, como parte de um acordo mais amplo para aprofundar a cooperação industrial.

Características e Futuro do KF-21

O caça também contará com radar AESA para ajudar na consciência situacional e no combate aéreo, com seu design de cauda dupla e fuselagem lembrando o caça stealth F-35, liderado pelos EUA, uma verdadeira plataforma de quinta geração.

A provável frota de 120 aeronaves será entregue em dois blocos distintos, com o Bloco 1 sendo um caça de superioridade aérea e o Bloco 2 adicionando capacidades de combate multirole. Este roteiro segue programas como o Eurofighter europeu, que teve tranches iniciais especificamente voltadas para a superioridade aérea antes de adicionar funções de ataque ao solo em iterações posteriores.

FONTE: Airforce Technology

Subscribe
Notify of
guest

41 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rosi

Vc lê está notícia maravilhosa de um país minúsculo em contraste com a do motor dos caças AMX do país que é o 6° maior país do mundo em território e população e a 9° maior economia
da muita indignação com os políticos que não priorizam o investimento no desenvolvimento do Brasil

Last edited 26 dias atrás by Rosi
Underground

E bom lembrar que, igualmente aos coreanos, os motores do AMX foram montados aqui, onde é hoje a GE. A diferença é que eles tem encomendas,.

cipinha

Não sabia que os motores Spey tinham sido montados aqui

EduardoSP

Em compensação temos uma das maiores despesas com previdência social do mundo, quando considerado o tamanho da população idosa.

Opções, escolhas.

AVISO DOS EDITORES A TODOS: A DISCUSSÃO ESTÁ FUGINDO TOTALMENTE DO TEMA DA MATÉRIA.

LEIAM AS REGRAS DO BLOG:
https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Marcelo

Sim,onde tira o direito do povo em aposentar com nova regra e aprova reforma da previdência dos militares com mais mamata .
O Brasil não é para amadores !!!

AVISO DOS EDITORES A TODOS: A DISCUSSÃO ESTÁ FUGINDO TOTALMENTE DO TEMA DA MATÉRIA.

LEIAM AS REGRAS DO BLOG:
https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Luís Henrique

A reforma da previdência militar de 2019 não aumentou as mamatas, elas foram reduzidas.
Ainda que eu concorde que foi pouco e que é obrigação fazer uma nova reforma e acabar com a m…da da pensão eterna para filha e também reduzir o valor da pensão para 60% como ocorre em outros cargos do governo federal.

Anderson Realista

Por favor diga me quais as mamatas?

Rodrigo

Fora que o índice de educação, pesquisa e desenvolvimento da Coreia é outro.nivel, mas vê se eles gastam o que gastamos com militares fora de ativa, ou os.beneficios que pagamos para o serviço público. Serviço público é um problema sério do país, gasta muito e mal

Rosi

____
____

COMENTÁRIO APAGADO. AVISO DOS EDITORES A TODOS: A DISCUSSÃO FUGIU TOTALMENTE DO TEMA DA MATÉRIA E VIROU PALANQUE.

LEIAM AS REGRAS DO BLOG:
https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

JBS

Quinto em extensão territorial

Atirador

5o Maior

Victor

Só lembrando que esse “país minúsculo” tem um vizinho/irmão ao norte que é meio temperamental, o odeia e possui armas nucleares. Sem querer passar pano para o Brasil, mas são contextos praticamente opostos.

Luís Henrique

A Coreia do Sul investe quase 3% do PIB em defesa. Isso nos últimos 20 anos. Isso dá quase 10% de tudo que é investido pelo governo lá.

O Brasil está tentando aprovar uma lei que estabelece o mínimo de 2% do PIB para a defesa, pois hoje nosso orcamento militar esta em apenas 1,1% do PIB.
Faça uma enquete e verá que 80% ou mais são contra o aumento.

Então não reclamem.

Demolidor

E a pouco mais de 30 anos eles eram um país subdesenvolvido bem pior que o Brasil, a Coréia do Sul deu um salto impressionante, isso mostra que se tivéssemos um bom governo em pouco tempo também poderíamos se tornar um pais desenvolvido.

Carlos I

Eu acho que não, nossa questão é cultural não somente governo, como disse minha esposa no primeiro dia no Brasil depois que voltamos de lá, aqui é bonito ser feio, tínhamos saído para ir ao açougue bem pertinho de casa, carro rebaixado, moto com escapamento aberto, som alto, caminhão barulhento e com muita fumaça entre outras barbaridades, lá essas coisas são motivo de vergonha.

C G

Eu vejo com muita estranheza essa decisão de não colocarem os mísseis em baias internas, isso deve prejudicar muito o RCS.

Leandro Costa

De acordo com os Coreanos, isso será incorporado no futuro.

Underground

O KF21 tem um imenso buraco na parte de baixo da aeronave, um vazio completo, e que será usado para as baías internas. Por qual motivo os coreanos já não fizeram isso desde o início, ninguém sabe.

Rodolfo

Acrescentar as baias iria atrasar o desenvolvimento e a campanha de teste da aeronave num momento que precisam aposentar os F4 phantoms que ainda protegem os espaço aereo sul coreano. Tanto que só vai ter funçao ar-ar inicialmente.
A previsão é introduzir baias numa versao block 2 que a Polonia e Arabia Saudia estao interessadas. Vai requerer mudança da estrutura interna, remanejar cabos, entrada de ar das turbinas, talvez o trem de pouso e testar o lançador trapezoide dos misseis armazenados internamente. Isse deve levar anos.

Demolidor

Eu acho que foi uma ideia excelente dos coreanos, os mísseis nesse caça coreano ficam bem próximos da fuselagem se compararmos com os outros caças de 4 geração esta ideia dos coreanos deve ter reduzido muito o RCS e o custo deve ser bem menor que se eles colocassem baias internas.

Fernando "Nunão" De Martini

Demolidor,

Ainda que aparentemente muito bem executada, a ideia de levar mísseis semi-embutidos na fuselagem não é dos sul-coreanos, nem é nova.

comment image

comment image

Leandro Costa

Só para citar alguns exemplos: F-4 Phantom, F-14 Tomcat, F-15 Eagle e Tornado ADV são os que vem à mente agora. Provavelmente tem mais.

Luís Henrique

O MiG-31 russo leva 4 enormes R-33 ou R-37 em reentrâncias na fuselagem.

Demolidor

Sim tem mais aviões o Rafale e Eurofighter também os mísseis ficam bem próximos da fuselagem, o novo Gripen eu nunca reparei se ele segue este padrão.

Fernando "Nunão" De Martini

Gripen:
comment image

Rafale:
comment image

Demolidor

Sim eu sei que a ideia não é deles e nem é nova, mas eu acho uma ideia com ótimo custo-benefício que ajuda na redução do RCS e algo de baixo custo.

Abner

Relacionado a matéria, no âmbito de construção de motores a. Embraer vai construir os motores do Gripen ou vai receber pronto?

Rodolfo

Acho que a SAAB recebe direto da GE. A Volvo produziu a versao do motor sob licença até a versao C-D, mas E vem da GE.

Rodolfo

A Embraer também nao constroi motores, isso teria que ser feito por alguma outra empresa com know how na area sob licença… Turbomachine?

Carlos Campos

Turbomachine ainda não tem como fabricar grandes motores, vamos ter direto da GE

Fernando "Nunão" De Martini

Abner, a Embraer não é uma fabrica de motores.

Heinz

Mais que suficiente para enfrentar os Mig29 norte coreanos.

Rosi

E os 5 e 6°G da China kkkkk…

Last edited 26 dias atrás by Rosi
Bueno

Ah, se o Brasil fosse um pais serio !

Que bom que a FAB esta tentando viabilizar os testes do Motor do Gripen o F414-GE-39E no PAMA SP, vai que consegue verba de de certo!

https://www.aereo.jor.br/2024/03/21/o-motor-do-gripen-pode-ser-testado-no-pama-sp-a-fab-quer-saber/

Last edited 26 dias atrás by Bueno
Mars

Imaginando se além do programa do Gripen tivéssemos entrado no programa do KF-21 substituído a Indonésia. Seria um sonho ter o Gripen o Boramae voando junto. rs

Luís Henrique

Eu acho totalmente desnecessário.
Sonho seria adquirir uma quantidade grande de Gripen E não precisamos de nenhum Boramae.

Mars

O problema de só operar o Gripen, é que tudo caminha para sofremos alguns dos mesmos problemas que temos com AMX, que só é operado por Brasil e Itália. Se o Gripen não tiver mais encomendas de outros países, principalmente a versão E/F, a operacionalidade do caça a longo prazo pode se torna até mais custosa que um F-16 de segunda mão.
E o Boramae tem o mesmo motor do Gripen, além de leva mais armas que ele.

Luís Henrique

Por enquanto o kf-21 tem 40 unidades contratadas. O Gripen E tem 96 e possui boas possibilidades de mais com um aditivo no contrato brasileiro e/ou 2o lote e para outros paises como Peru, Colombia, Tailândia, Filipinas e Áustria. A Suécia tem mais experiência com caças avançados e sistemas de guerra eletrônica que a Coreia do Sul. No final das contas os dois possuem 10 pontos fixos para carga externa. O Gripen E usa um exclusivo para pods e sobram 9 para mísseis e bombas. Mesmo que o KF-21 possa usar os 10 para armas, isso não é uma grande… Read more »

Last edited 25 dias atrás by Luís Henrique
Jose Pereira

Este motor é o mesmo do gripen ?

DanielJr

Como projeto mãe sim, do gripen, F-18 e possivelmente de alguns outros caças. Não é exatamente igual, pois existem diferenças de construção e montagem dos acessórios para quando usar em aviões bi ou monomotores, por exemplo. A depender da exigência de uma aeronave ou outra em determinados itens, por exemplo, energia elétrica, um subsistema é reprojetado especificamente para aquela demanda.

Demolidor

Essa ideia dos coreanos de os mísseis ficarem bem próximos da parte inferior da fuselagem é uma ótima ideia deve reduzir bastante o RCS.