• A Força Aérea Brasileira adquire os radares táticos de vigilância aérea Ground Master 200 Multimissão All-in-one (GM 200 MM/A), reforçando as capacidades de soberania aérea.
  • Altamente tático e móvel, o GM200 MM/A proporciona uma superior consciência situacional para a vigilância aérea, bem como operações de defesa aérea baseada em terra (GBAD) até a Defesa Aérea de Médio Alcance (MRAD).
  • O GM200 MM/A implementa uma tecnologia única de feixe múltiplo de eixo duplo 4D AESA1 que oferece precisão incomparável a uma maior distância. Seu tempo estendido sobre o alvo proporciona uma excelente detecção de alvos pequenos, lentos e de baixa altitude, como mini-drones.

O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), por meio da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), assinou um contrato para a aquisição de radares Multimissão “All-in-One” Ground Master com o objetivo de aprimorar a capacidade de vigilância aérea do Brasil.

Para proteger o espaço aéreo, a família de radares Multi-missão Ground Master 200 cobre todo o espectro de ameaças, desde mini-drones a alvos mais rápidos e ágeis a maiores distâncias, mantendo uma alta mobilidade tática e um tempo de implantação muito curto. Mais de 250 radares da família GM foram vendidos mundialmente.

O GM200 MM/A é projetado para vigilância aérea moderna multi-missão e missões GBAD, sendo um dos radares mais flexíveis do mercado atualmente – oferecendo aos operadores de radar uma superior consciência situacional instantânea. Apresentando tecnologia 4DAESA de nova geração e tecnologia exclusiva de ‘feixe múltiplo de eixo duplo’, o radar proporciona flexibilidade em elevação e direção. Este radar definido por software está pronto para futuras atualizações e expansão de capacidades para gerenciar o espectro de ameaças e doutrinas em constante evolução.

O GM200 MM/A cabe em um único pacote autônomo ISO padrão de 20 pés com menos de 10 toneladas, com sistemas de elevação integrados, permitindo que o radar seja facilmente transportado por estrada, ferrovia, barco, helicóptero e aeronave tática em uma única rotação e rapidamente operacional, aumentando a sobrevivência.

Implantado por duas pessoas em menos de 15 minutos, a antena opera em um mastro de 8 metros, com uma Unidade Geradora de Energia embutida, sustentável por mais de 24 horas de operação, proporcionando total autonomia durante as missões. O radar permite a integração de uma capacidade de Comando e Controle Local dentro da cabine do radar para até dois operadores e suas posições de trabalho.

O contrato assinado com a FAB consolida a posição da Thales como líder no mercado de radares no Brasil. A Omnisys, uma subsidiária da Thales no Brasil, será responsável por todas as atividades locais de suporte e manutenção dos radares, garantindo o alto padrão de disponibilidade exigido por esses sistemas.

“Estamos orgulhosos de servir a Força Aérea Brasileira e o DECEA, contribuindo para missões de vigilância aérea e soberania aérea do país com radares GM200 MM/A. Com uma longa presença neste país, uma base local com a Omnisys e uma forte base instalada de mais de 100 radares de Controle de Tráfego Aéreo (ATC), este é um novo marco em nossa colaboração para apoiar nosso cliente na proteção do espaço aéreo. Nosso compromisso com a excelência, tecnologia de ponta e serviços locais premium reforça nossa dedicação em atender às necessidades de vigilância aérea da FAB de hoje e do futuro”, comenta Eric Huber, Vice-presidente de Radares de Superfície da Thales.

“A aquisição e incorporação dos novos radares GM200 MM/A ao 1º GCC (1º Grupo de Comunicações e Controle) contribuirá significativamente para o aprimoramento da vigilância e segurança na navegação aérea, garantindo uma resposta rápida para a defesa aérea do país. A alta mobilidade desses radares, combinada com sua capacidade de detectar as ameaças mais modernas, demonstra o compromisso da Força Aérea Brasileira com a soberania nacional”, acrescenta o Major Brigadeiro Alexandre Arthur Massena Javoski, Presidente da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo – CISCEA.

DIVULGAÇÃO: Thales

Subscribe
Notify of
guest

116 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pedro

Isso é traição!
E o Embraer M200 Vigilante?
Cadê o apoio a indústria nacional?

Gabriel

Dentro do meu pouco entendimento, são radares diferentes para empregos distintos
Esses da Thales irão substituir os americanos atuais, já antigos

Ontem, o Caiafa fez uma live falando dessa compra e outros (F-16 e Avibras), recomendo a todos que vejam
https://www.youtube.com/watch?v=QTYAewYb3Dw&ab_channel=CaiafaMaster

Todas as forças atuam junto da Embraer nos radares, mas não sei afirmar qual emprego terá o M200 na FAB

Carlos Campos

Pq são diferentes, se são praticamente do mesmo nível?

Marcelo

Voce está de brincadeira,nunca existiu apoio a industria nacional .
Acorda em quanto é tempo.

José Gregório

EDITADO:
COMENTÁRIO BLOQUEADO DEVIDO AO USO DE MÚLTIPLOS NOMES DE USUÁRIO.

Marcelo

Desculpa ai , nao respondi com raiva, a resposta foi só uma constatação!!!

Mars

Cara, posso estar enganado mas tenho quase certeza que esse radar da Thales é bem superior ao M200 em todos os aspectos. E nada impede a FAB de futuramente adquirir o M200 também.

Allan Lemos

Nāo estamos nadando em dinheiro, se compraram esse, nāo comprarāo nenhum outro.

Pedro Fullback

E não é assim que formenta a indústria nacional? Comprar um produto abaixo dos concorrentes para lá na frente o seu produto ser páreo?

Primeiramente, precisamos ter um começo.

Paulo Leite

E nada impede a FAB de futuramente adquirir o M200 também.

Vendo o motivo que levou a procura por F-16, diria que verba limitada seria um grande impedimento de se comprar 2 radares semelhantes.

Carlos Campos

Pelo que eu li dele, não é, tem 50km a mais de detecção, opera na Banda S mesma do M200, só

Mauricio

O M200 da Embraer está sendo preparado e negociado pelo Exército e não a FAB.

Miguel Felicio

Mas pode atender a FAB e pode atender a MB e pode atender outros que necessitem……..assim desde que me conheço como gente, o Brasil age…..

Allan Lemos

Sempre falei aqui que nāo há, por parte dos militares, qualquer compromisso com a soberania e indústria nacionais.

Nāo sei o que mais precisa acontecer para o pessoal perceber que nāo se pode contar com as forças armadas brasileiras.

José Gregório

EDITADO:
COMENTÁRIO BLOQUEADO DEVIDO AO USO DE MÚLTIPLOS NOMES DE USUÁRIO.

Kommander

Quem ainda acredita nas Forças Armadas vive num eterno conto de fadas.

EduardoSP

Percebo uma ponta de ressentimento nesse comentário.

Last edited 26 dias atrás by EduardoSP
Miguel Felicio

Pararmos de pagar impostos (todos) e assim fazendo uma espécie de indisciplina civil, esses que tem o “poder” entenderão de forma definitiva.

AVISO A TODOS: NÃO USEM O ESPAÇO DE COMENTÁRIOS COMO PALANQUE.
LEIAM AS REGRAS DO BLOG:
https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

francisco

É somente cabide de emprego. Não mexendo com a folha de pagamento deles, fica tudo bem. Em Narnia do Sul é cada um por si.

Curiango

Uma Guerra. Ai chama o BOpe p salvar a patria

Sergio

Você acreditou?

Bispo de Guerra

O GM200 MM/A tem um alcance instrumentado de 250 km para vigilância e 100 km para engajamento de alvos, além de ser capaz de rastrear uma variedade maior de alvos, incluindo drones de diversas classes, helicópteros, mísseis de cruzeiro e alvos de superfície.

É superior ao M200 …

Carlos Campos

Mesma coisa o M200 que mantém uma taxxa de atualização de alvos maior, pois tem 4 placas de radar, enquanto o MASTER 200 precisa ficar girando

Bispo de Guerra

Quando um drone DFI carregado com 300gr de C4 , estiver na área … eu fico com o Thales… boa sorte com o “patriótico” ..rs

Last edited 26 dias atrás by Bispo de Guerra
Carlos Campos

O Thales ia ficar cego por 1,5 todo o tempo, enquanto o M200 não

Miguel Felicio

Quando e se o drone DFI carregado com 300gr de C4, for do fornecedor e ou amigo do fornecedor do equipamento “não patriótico”, voce vai querer ter ao menos o “patriótico” , ou voce nunca viu ou ouviu algo semelhante?

José Gregório

EDITADO:
COMENTÁRIO BLOQUEADO DEVIDO AO USO DE MÚLTIPLOS NOMES DE USUÁRIO.

Bispo de Guerra

Não serve para as “novas” ameaças … próximo assunto ?

Bernardo

Radares de alcances diferentes são pra propósitos diferentes, cara. Um girafe 1x não concorre com esse. Mesma coisa o M200 da Embraer.

Augusto

Já me acostumei, por isso seremos sempre um fazendão patético.

Por exemplo: as fragatas classe Tamandaré poderiam utilizar sensores de ponta, fabricados aqui pela Omnisys, mas preferiram importar e usar Hensodt.

Fernando XO

Prezado Augusto, a Omnisys só está nas FCT por causa da antena para o MAGE Mk3… se não fosse isso, seria rosca… abraço…

Carlos Campos

Infelizmente para a Tamandaré não temos tecnologia ainda, o idela serial comprar o M200 e depois desenvolver uma versão melhor de GaN que pudesse ser usado em longo alcance, para uma hipotética futura gragata ter um radar nacional, mas aqui é Brasil.

Last edited 26 dias atrás by Carlos Campos
Fabio Araujo

O M200 vigilante é outra categoria, mas tem o M200 Multimissão que está em desenvolvimento, no futuro quando o M200 Multimissão estiver pronto a FAB pode comprar também.

BLACKRIVER

Não confunda gato 🐱 com lebre 🐰

Parabéns há FAB pela aquisição, dinheiro do contribuinte extremamente bem investido.

Embora não foi divulgado o número de radares comprados, espero que seja uns dez pelo menos.

Marcelo

A FAB só compra o produto nacional quando o governo libera a verba $$ mais obriga ela comprar o produto nacional.
Quando isso não ocorre todos já sabe que sera adquirido produto estrangeiro !!!

Antônio jose

EDITADO:
COMENTARISTA BLOQUEADO.

Jadson S. Cabral

Mais uma da série meu Brasil brasileiro. Indústria nacional para quê? E o Saber 200 vigilante, multimisão… vão para a gaveta. “Ah, mas oq a FAB precisa para ontem”. Não estou enxergando o motivo dessa necessidade toda agora. Décadas sem comprar nada e não podem esperar mais dois anos? E se o programa está atrasado é por culpa da FAB tbm, que não está investindo dinheiro suficiente. Essa notícia vem na esteira dos F-16. A gente gasta uma fortuna na “indústria nacional” e depois vem os próprios militares que diziam que isso é importante para o país e dizem que… Read more »

Hélio

Xiiii

leonidas

Ai meus sais minerais
A proteção esta sendo fornecida por uma nação que faz fronteira conosco e membra da Otan e ativa na ideia que pode usurpar fronteiras pois mantem colônia na AL como se estivéssemos em pleno Séc. XIX.
Esse pais não é sério mesmo…

Orivaldo

Avisa pra MB devolver os scorpenes

Carlos Campos

Eu sempre avisei, seriam melhores continuar o IKL

Fernando Vieira

Quem conta pra ele de onde vieram os submarinos classe Riachuelo?

Esse papo deles usurparem fronteiras é uma das maiores balelas dessa década.

leonidas

Ok , então a gente já pode ter só equipamento frances?
Oras uma nação como a nossa já deveria a muito tempo ter soberania em defesa.
Na falta de uma capacidade nisso deve-se ao menos diversificar os fornecedorees ou apoiar nossa industria, afinal 16 bilhoes já foi garantido para a arte, defesa e nucleos altamente tecnologicos?
Pra que se podemos assistir um show da Daniela Mercury certo? rs

Fernando Vieira

Podemos comprar equipamentos de quem quisermos inclusive da França, desde que os vendedores atendam a nossas condições, como as FCT e os Riachuelo que são construídos no Brasil ou os Gripen, parte feitos na Suécia, parte aqui.

Mas quem parece ter problema com equipamento francês é você que repente a historinha de terror que a França vai invadir o Brasil por causa da Amazônia.

leonidas

Eu? rs
A História diz isso não eu.
E só se dar ao trabalho de ler um pouco sobre como funciona a relação entre quem tenha poder e quem esteja com os glúteos no nome desse alguém.
Santas inocências batman…

Leandro Costa

Me diga quando tivemos apenas um fornecedor de equipamentos militares nos últimos 100 anos, e me diga se algum deles invadiu o Brasil.

leonidas

Não tenho nada a dizer apenas lamentar.
Essa visão absolutamente ignorante sobre as mais elementares bases da historia envolvendo nações e seus interesses (como contextos) explicam a razão pela qual um pais como o nosso é tão despreparado para defender sua soberania.
Me custa crer como uma pessoa alcança a idade adulta e possa ter uma visão tão restrita mesmo vivendo em tempos absolutamente instáveis como só se viu no pré primeira guerra e pré segunda guerra.
Peloamordedeus…rs

Curiango

Esses seus amigos sempre tiveram td q desejaram aqui pra q invadir. Somos mansos

EduardoSP

“membra!?”

Rapaz, retorne algumas casas e volte a estudar.

Allan Lemos

O feminino de membro é “membra”, embora a maioria ache que é uma palavra invariável, ela tem flexāo de gênero.

leonidas

Qual o problema ai professor? rs

Miguel Felicio

ai, ai, ai……….

Bispo de Guerra

Amigo o mundo mudou … guerras de conquista foram substituídas pelo domínio econômico…EUA/OTAN tentaram contra a Rússia ..porém havia uma China no meio do caminho, rs.

Pais forte ..tem alternativas para quase tudo…a Ucrânia ensinou/aprendeu , rs.

Rui Mendes

Mais uma verdade da biblioteca putinesca.

Rui Mendes

Quem usurpa fronteiras, não é a França ou outro país QQ da NATO.

Charle

Não atualmente…

leonidas

Tirando (e falando só da Otan) Servia e Libia, até que a Nato não tem feito nada parecido.
Mas tem se expandido e com isso chegou aos portões de Moscou.
E acredita que estão dizendo que foram os Russos que se aproximaram deles~?
Pior, que tem gente comprando essa lorota? kkkkk

Last edited 26 dias atrás by leonidas
Rodrigo Maçolla

Quantos radares foram comprados ?

Welington S.

2.

willbill

1 radar pra ficar encima de Brasília, pois é o país deles (políticos)

Guacamole

Rapaz, Renato 38tão já deu a real: o negócio é desinvestir do Brasil

Esse país não é sério.

Sergio

Grande 38tao…

Dworkin

Olha a referência que o cara traz pro debate. Tá de brincadeira.

Orivaldo

Na mesa de um bar sairia uma excelente conversa

Guacamole

_____
_____

COMENTÁRIO APAGADO. O CURRÍCULO DE PESSOA MENCIONADA NUM COMENTÁRIO DESVIANDO DO TÓPICO FOGE TOTALMENTE AO TEMA DA MATÉRIA.

VOLTEM AO ASSUNTO PRINCIPAL.

LEIAM AS REGRAS DO BLOG:
https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Orivaldo

Finalmente uma compra descente

FERNANDO

Bah Tche
É o FIM.
Ah, vai
vamos rebatizar a FAB
Para Força Aérea Estrangeira.
Se eu sou a Embraer, me mudava para o Estados Unidos
Brasil não é um país sério.

Orivaldo

Vamos devolver os Gripens

Marcos Silva

E vcs ainda levam à sério a FAB?

Rui Mendes

Só quando a Embraer vende C-390, aí sim, é tudo muito lindo, o avião é o melhor na sua categoria, aí não existe comissão.

737-800RJ

O Saber M200 VIGILANTE estava em testes, enquanto que o M200 MULTIMISSÃO estava em desenvolvimento.
Pergunta 1:Então o MULTIMISSÃO foi pras cucuias?
Pergunta 2: lembro que alguns falaram que, quando o segundo radar estivesse operacional, então seria sinal de que um futuro sistema de defesa antiaéreo estaria mais próximo. Já que compramos de prateleira e daqui a pouco chegam os radares, podemos considerar que falta pouco pra aquisição do sistema antiaéreo?

Welington S.

O multimissão está em desenvolvimento ainda.

Rafael Cordeiro

Os poucos pedidos que poderiam ser direcionados para o SABER M200 vão para um radar de uma empresa estrangeira. Tem que ser muito corajoso pra desenvolver alguma coisa no Brasil e achar que terá escala de produção, com vendas locais. E o grande problema que vejo é que para produtos de defesa as nossas FAs deveriam ser a vitrine, se nem as nossas FAs utilizam equipamentos desenvolvidos localmente, por qual motivo FAs de outras nações utilizariam?

Pedro

Pode ter certeza que esse acordo “moio” a mão de alguém.

Leandro Costa

Oh boy…

comment image

Joel Focas

Informação bem resumida para utilizade pública, para um inimigo Imaginário.

Pedro Fullback

Essa coisa de indústria nacional é balela.

Radar M200 da Embraer pode até ser inferior, mas é um produto nosso. Daqui á 5 anos, vamos ter um programa ” transferência de tecnologia de radar”, sendo que temos um radar nacional.

FERNANDO

Bem, pensem positivamente, talvez de para fazer retro engenharia no futuro.
Bem, se fosse a China eu acreditaria.
Mas, aqui,…………………
Me desculpem, mas, é por isto que o Brasil não vai para frente.
Vejam a Coreia do Sul por exemplo.
Eles compram, mas, depois fazem retro engenharia.

Rogério Loureiro Dhierio

Bosco…

Suas considerações por favor!!!!

Eu entendo que ambos se complementam mas são de características diferentes.

Agora um coisa é fato.

Com ou sem radares de curto e médio alcance/altura de nada adiantam se não temos hardware que abatam tais alvos.

Wellington R. Soares

Com certeza esse da Thales é excelente, mas e o M200 ?
Quais as diferenças ?
Quantos Thales foram adquiridos ?

BR Paraná

Tem um monte de pessoas se perguntando, se não tem no Brasil um grupo que possa comprar os 49% da Avibras, e manter a empresa 100% nacional. A resposta está aí, se as forças armadas brasileiras, não compra, quem vai comprar?

Gustavo

Não vou colocar culpa na fab, nos temos um classe política muito ruim, que não pensa no desenvolvimento da indústria defesa, infelizmente vai continua assim força armadas vai está numa situação crítica pior que já estamos, o mundo está se Armando e o Brasil não. E esperar que 2026 que tenha alguma pauta de desenvolvimento industrial alguém que tem algum projeto , vamos aguardar, 35 anos defesa está parada precisando de investimento e reforma.

Pedro Fullback

A culpa é de quem então? Do zézinho pagador de impostos ?

Quem comprou foi a FAB! Não existe lobby maior que criar empregos no Brasil e ciência e tecnologia.

Gustavo

Sim do Zezinho, quando ele aprender votar melhor quem sabe.

Charle

Já que os Zezinho (as), bancam a festa e ainda são acusados (as) de que não sabem votar, as forças armadas brasileiras que não possuem Zezinhos (as) em suas fileiras, deveriam se recusar a usar os recursos advindos de pessoas tão toscas.

Sendo assim, por que não privatizá-las?

Com tantas pessoas sofisticadas e inteligentes em suas fileiras, com certeza conseguiriam melhores resultados se autogerindo SEM o financiamento do Zezinho (a).

Produtividade, eficiência e livre-concorrência como tantos desejam para os Zezinhos (as) deveriam ser as palavras de ordem de nossa gloriosa força aérea.

Basta de viver nas costas dos Zezinhos (as).

Last edited 26 dias atrás by Charle
Miguel Felicio

….gostaria de apertar positivo, pelo menos 1000 vezes.

Carlos Campos

Não vou colocar culpa na fab,,,, coitadinha da FAB, eles ao invés de garatirem o recurso para a EMBRAER vão comprar o radar estrangeiro ao invés de pedir para terminarem logo o M200

Diego Tarses Cardoso

E o da Embraer, nada ?

Fabio Araujo

A Embraer esta desenvolvendo uma família de radares e creio que entre eles tem algo semelhante, se os radares da Embraer ainda não estiverem prontos para comercialização até entendo da compra do radar da Thales, mas só se o da Embraer não estiver sendo comercializado.

BrunoFN

O fato de ter ”200” no nome e serem radares moveis , ja indica essa ”polêmica” ..GM200 X M200..o primeiro e bem superior , fato , mas n descarta uso complementar com os M-200 da Embraer pela FAB e ate pelo EB …ate por ser mais barato. questão quem fica é , o M-200 ja esta operacional ? e quando vamos comprar .. pelo q sei , ainda esta em fase de desenvolvimento , em testes tanto pelo EB quanto pela FAB .. vamos ver

BK117

Depois de toda essa questão do F-16 dos últimos dias, quando eu li “Força Aérea Brasileira compra…” gelei na hora rsrsrsrsr Tá amarrado! Curiosa a compra com o M-200 Multimissão em franco desenvolvimento. Mas é claro, o da Thales parece ter mais capacidade, provável entrega mais rápida e somente duas (?) unidades não são um impeditivo para comprar radares Embraer no futuro. Um bom upgrade nas capacidades da Força Aérea, não só em combate mas em calamidades, como exemplificado pelo uso do LM TPS-B34 em Canoas recentemente. À propósito, cadê o M-200MM ein? Já era para ter sido apresentado. Sua… Read more »

Diogo de Araujo

Brasil é o país do radar, é pra tudo quanto é lado de todos os tipos, só não temos mesmo como nos defender de um eventual ataque, mas pelo menos ficamos sabendo.

Charle

Estava pensando sobre isso. Radar e… o quê?

Carlos Campos

demonstra o compromisso da Força Aérea Brasileira com a soberania nacional”””” Alguém avisa ao Major que se eles se importassem mesmo com a Soberania comprariam o SABER M200, é AESA tem 200Km de alcance de detecção e mais soberano do que um radar nacional eu não conheço.

Fighter_BR

Comprar um radar que está em fase de protótipo há mais de 15 anos? Quantos existem mesmo?

Carlos Campos

Existem 2 que provaram eficácia, é só industrializar, mas torrar dinheiro e abandonar o projeto é o melhor né?

Fighter_BR

O pessoal esquece que SABER M200 Vigilante e Multimissão são produtos diferentes. O Multimissão está na fase de protótipo há mais de 10 anos e o outro só foi desenvolvido com base no primeiro. Para mim o Multimissão não passa de um protótipo demonstrador de tecnologia. Se fosse tão bom estava já operativo no EB, a FAB nunca teve interesse nele. O Vigilante e o GM200 são produtos de categorias diferentes, nem mesmo possuem o mesmo alcance.

Carlos Campos

o M200 por ser filho do EB foi preterido pela FAB essa é a verdade, assim como IA2,

LucianoSR71

Com todo o respeito aos colegas, mas creio que nenhum de nós tem real conhecimento sobre esse tema, então solicito a ajuda de um especialista como o Sérgio Santana (que ontem nos brindou c/ um ótimo artigo sobre o F-16) p/ em um comentário ou em um post, esclarecer essa questão se o M200 Multimissão tem as mesmas capacidades deste da Thales, quais as vantagens e desvantagens de cada um. Fora disto esse debate será apenas um festival de achismos.

Augusto José de Souza

Além dos radares a FAB poderia comprar novos helicópteros UH-60 L Black Hawk aproveitando a compra de 12 unidades do UH-60 M pelo EB,pelo menos doze unidades podendo ser armados e baseados em Porto Velho no lugar dos sabres russos e mais algumas outras para o esquadrão harpia em Manaus e para o esquadrão pantera em Santa Maria e outras para natal,Campo Grande e Santos.

Rinaldo Nery

Santos não tem mais UAE há décadas.

Leandro Costa

Vou usar a lógica de alguns em relação ao Gripen/F-16 nessa notícia do radar. “Isso prova que os M-200 da Embraer não funcionam! Por isso tem que comprar de fora” “Nunca deveríamos ter desenvolvido a tecnologia de radares aqui. Era óbvio que ia dar errado. Não tem ninguém comprando os M-200!” “É óbvio que esse negócio de desenvolver e absorver tecnologia aqui no Brasil é caro demais. Melhor comprar de prateleira que a gente fica com mais!” “Mostra que a linha de produção dos M-200 não tem cadência suficiente para suprir as necessidades urgentes de cobertura-radar da FAB!” “Vem grand… Read more »

Faver

Estou observando os fatos e acontecimentos e parece que há uma urgência no ar. É impressão. Parece pressa para se preparar para algo. Neste cenário, projetos atrasados ou com cronograma lento estão sendo complementados com alternativas, o Gripen com a opção F16 agora o radar Thales em complemento ao M200 da Embraer, os Black Hawk… Haverá outros. Os programas que puderem correr vão ser prioridade. Neste cenário se observa que o Gripen ainda está em desenvolvimento, a versão F ainda não voou para valer, e a E ainda não ganhou status de operacional em vários cenários (ainda em teste, clima… Read more »

Last edited 26 dias atrás by Faver
Fernando "Nunão" De Martini

Faver,

Há anos foi informado que as primeiras entregas para esquadrões operacionais suecos serão em 2025.

Charle

Certo… mas urgência em relação a quê?

Faver

Conflitos pelo mundo… Para nós talvez a Venezuela.

Last edited 25 dias atrás by Faver
Felipe

Lembrei daquele Satélite que foi lançado pela fabricante francesa, alguém sabe dizer se ele está sendo utilizado ? Nunca mais se viu noticias sobre ele

Akhinos

Se vocês passarem a levar menos a sério as compras das FA brasileiras e passarem a leva-las como uma esquete mequetre dos trapalhões ( igual aquelas que tinham o Sargento Pincel) vocês perceberão que esse blog irá se aproximar mto rapidamente de um portal de humor ao invés de noticias militares. Não adianta camaradas, país que não tem governança é isso. Ng tá nem ai, não tem accountability e se vc reclama ainda e faz apontamentos óbvios aparece um bando de Nécio falando que a FAB tem justificativas nesse país que tem mais radar que a Rússia para fazer uma… Read more »

Last edited 26 dias atrás by Akhinos
Rafael Oliveira

Uma empresa brasileira desenvolve um radar e a FAB vai comprar, correndo e sem licitação, um similar no exterior. Depois, quando o radar da Embraer estiver pronto, diz que não tem dinheiro pra comprar o radar nacional e põe a culpa nos políticos e no poço. Aconteceu exatamente a mesma coisa com o EB. A Ares desenvolveu a torre Reman. O EB foi na Austrália e comprou centenas de torres Platt, mais caras e sem licitação, meses antes do produto brasileiro ser homologado. Agora não compra a torre Reman porque não precisa, já tem bastante Platt. Não é um coincidência.… Read more »

Curiango

Se você um país sério uma atitude desse por parte das focas seria investigada e os responsáveis punidos exemplarmente

Cafasape

Não ficou claro no texto quantos equipamentos foram comprados.

Roberto Santos

Os editores da Trilogia gostam de censura aos comentários. Democracia não passa por aqui !!! RESPOSTA DOS EDITORES: VOCÊ ACABOU DE GANHAR MAIS UMA CHANCE DE LER AS REGRAS PARA COMENTÁRIOS. NÃO DESPERDICE. PARA FACILITAR, SEGUEM NA ÍNTEGRA AO INVÉS DO LINK: 1 – O conteúdo dos comentários é de responsabilidade de seus autores, não do site; 2 – Mantenha o respeito: não provoque e não ataque outros comentaristas, nem o site ou seus editores; 3 – Mantenha o blog limpo: não use palavras de baixo calão ou xingamentos; 4 – Não escreva em maiúsculas, o que equivale a gritar… Read more »

BraZil

Bom dia a todos. Adeus M200, adeus Avibrás, pobre BID, adeus restinho de independência/soberania. Nem quero saber de quantidade, prazos e valores envolvidos. Está difícil ser otimista…

Curiango

Paraguaio está melhorando com a chegada de Alemães. Tem regiões prósperas

francisco

Beleza. Detecta o perigo e corre, pois não tem como se defender. kkk

RRN

Qual o perfil do nosso M200 comparado ao GM200?
O sistema e capacidade de monitoramento é diferente em capacidade?
Acho que vale uma matéria sobre o tema.