Caças F-16 da Turquia

A Turquia e os Estados Unidos assinaram um contrato para a venda de caças F-16, após Washington ter aprovado o acordo de 23 bilhões de dólares, depois de meses de negociações, disseram fontes do Ministério da Defesa turco no dia 13 de junho.

“O contrato foi assinado e delegações de ambos os lados estão negociando os detalhes”, disseram as fontes do ministério.

No âmbito do acordo, a Turquia receberá 40 novos F-16 e atualizações para 79 dos caças de sua frota existente.

O Departamento de Estado saudou na semana passada “um grande passo em frente” na compra de novos caças F-16 pela Turquia, chamando-os de “os F-16 mais avançados já disponibilizados apenas aos aliados e parceiros mais próximos”.

“Apenas o exemplo mais recente do compromisso duradouro dos EUA com a parceria de segurança com a Turquia”, disse em uma publicação nas redes sociais.

Conforme exigido por lei, o Departamento de Estado notificou o Congresso sobre o acordo em janeiro, bem como sobre uma venda separada de 40 F-35 para a Grécia por 8,6 bilhões de dólares.
Os Estados Unidos não deram sinal verde à transação até que os instrumentos de ratificação da adesão da Suécia pela Turquia chegassem a Washington.

O parlamento turco ratificou a adesão da Suécia à OTAN em janeiro, após mais de um ano de atrasos que perturbaram o Ocidente a se unir diante da guerra da Rússia contra a Ucrânia.
Recep Tayyip Erdogan deve participar da cúpula dos líderes da OTAN em Washington no próximo mês.

Ele estava programado para conversar com seu homólogo americano Joe Biden no mês passado, mas o que seria sua primeira reunião na Casa Branca foi adiado por problemas de agenda.

FONTE: AFP

Subscribe
Notify of
guest

129 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Cafasape

23 bilhões de Bidens por 40 F-16/70 e a modernização de 79 C/D para o mesmo padrão! Me parece uma quantia bem alta. A Grécia pagou quase 9 bilhoes por 40 F-35.

Camargoer.

É muto alta… para ter uma comparação, o ProSub custou, incluindo a construção da base e do estaleiro, Eur$ 9 bilhões. O Fx2 custou, incluindo a ToT e armas, para 36 Gripens, cerca de US$ 4,3 bihões… Supondo que cada F16 novo custe alto como US$ 150 milhões (chutando alto), isso seria US$ 6 bilhões e que a modernização de cada F16 custe US$ 50 bilhões (1/3 do valor de um novo), seriam outros US$ 4 bilhões… falam US$ 13 bilhões para fechar a conta… provavelmente é o custo de operação durante a vida útil… Provavelmente o pacote inclua também… Read more »

Santamariense

“Provavelmente o pacote inclua também armas… a FAB pagou US$ 200 milhões para armas para 36 Gripens. Como cerca de 120 aviões (praticamente três vezes), seria justo supor que são entre US$ 600 e US$ 1 bilhão em armas.” Teu argumento parte de uma premissa errada. Na época da assinatura do contrato do Gripen, a FAB divulgou também a compra de um pacote de armas para os aviões, por 245 milhões de dólares, composto de uma pequena quantidade de misses, bombas guiadas e designadores/sensores: • Míssil A-Darter: 10 unidades operacionais e 8, para treinamento • Míssil Iris-T: 10 unidades operacionais e 20, para… Read more »

Felipe

Na verdade houve uma compra maior de mísseis Iris-T posteriormente a do Meteor, acredito que tenha sido entre 100 a 120 mísseis .

Santamariense

Ok, eu tinha dúvida disso, por isso não coloquei. Então, o valor fica ainda maior.

Camillo

Eu li, mas é bom confirmar, o valor maior que a Turquia pagou é pq na modernização haverá transferência tecnológica para a indústria turca, os contratos que a Turquia fecha eles sempre barganham o máximo possível, por isso que hj a indústria turca já fornece 80% dos equipamentos militares do país.

Rodolfo

Pode ter componentes pro KAAN incluido no pacote também.

francisco

La diferente daqui, os militares compram equipamentos nacionais.

Camillo

De modo geral, na mídia no Brasil, vc vê muitas notícias de feitos tecnológicos de Israel, mas praticamente nada de seus vizinhos muçulmanos. O programa espacial dos Emirados Árabes Unidos por exemplo, a forte indústria automobilística própria do Irã e a indústria bélica da Turquia, que hj já está no mesmo nível e ultrapassando as indústrias bélicas sul coreanas e japonesas por exemplo, e bem a frente da indústria bélica alemã, Alemanha a principal potência industrial da Europa. Um exemplo, a empresa fabricante de ônibus elétricos, com fábricas instaladas no Japão e que é uma das líderes do mercado japonês,… Read more »

Saldanha da Gama

Gostaria muito de uma análise custo/benefício dos caças Gripen, F35 e F16.

40 novos F-16 e atualizações para 79 por 23 bilhões de dólares.

40 F-35 para a Grécia por 8,6 bilhões de dólares.

36 F39 – ~5 bilhões de dólares….

Cafasape

A conta será bem salgada para a Turquia! Achei o valor surreal pela quantidade de aeronaves novas e de modernizações!
Comparando com Grécia, mantidados os mesmos valores, os turcos comprariam 110 F-35, se os EUA tivessem autorizado a venda!
Sabemos que a Turquia foi ejetada do programa f-35 pela compra dos AAA da Rússia!

Last edited 26 dias atrás by Cafasape
Saldanha da Gama

Pelo visto, bem salgada…
Abraços

Camargoer.

Acho que o valor inclui o custo de operação durante a vida útil do avião.. fiz uma estimativa e cheguei a um valor de US$ 25 mil por hora…

Santamariense

Esse tipo de conta não tem lógica. Cada compra tem suas peculiaridades. Pacotes de armas, sensores, sobressalentes, ferramental, bancadas de teste, treinamento de pilotos, mecânicos e pessoal de apoio, etc, são montados conforme requisitos acertados com cada cliente, dentro daquilo que ele especifica. E tudo isso, mesmo se compararmos contratos para o mesmo modelo de aeronave, vamos ver diferenças, as vezes, enormes. Isso se deve ao tempo que isso tudo é contratado. Se compra um X número de aeronaves e peças, ferramental, treinamento, etc, por 5 anos…outro cliente compra o mesmo, mas com todo o pacote adicional por um período… Read more »

Funcionário da Petrobras

Sempre faço este comparativo, das cifras que outros países gastaram ou vêm gastando em relação ao que a FAB gastou ou vem gastando; entre outros aviões, em quantidade e capacidade parecidas aos Gripens E.
Será que fizemos negócio tão ruim assim como muitos aqui falam?
OBS: o contrato da SAAB, estaria cotado hoje em USD 3,7 bi, ou seja, menos ainda que estes USD 5 bi.

Last edited 26 dias atrás by Funcionário da Petrobras
Saldanha da Gama

Eu acho que fizemos um bom negócio, se usarmos o Tot, será melhor ainda.
Abraços

santiago

Se o tot garantir a autonomia na manutenção e upgrades futuros como já é feito com os F5 acho que já é mais do que paga a estratégia.

Saldanha da Gama

Meu desejo, era ver o desenvolvimento de um caça BRAZUKA, devido ao Tot.
Abraços

Rafael

Já cheguei a dizer em outra notícia envolvendo o F-16 que o fato do Gripen ainda não fazer sucesso em matéria de vendas até favorece o Brasil.
É mais fácil negociar com quem está com mais pressa de vender algo.
A relação custo/benefício é talvez a melhor entre as aeronaves de seu porte e tecnologia.
Seria o momento de garantir a continuidade do programa e até incluir o KC390 no meio…Vamos ver como vai terminar tudo isso, estou bem curioso.

Last edited 26 dias atrás by Rafael
Rodolfo

Parece que nao é o caso, a FAB está considerando F16 usado por que o orçamento esta curto de acordo com a materia Janes, nao tem dinheiro pra mais lote de Gripen, independente se a Suecia comprar KC390 ou nao.

bjj

Tem muitos países comprando caças por valor superior ao que pagamos no Gripen sem que possam fabricar um parafuso dessas aeronaves sequer. O próprio F-16 Block 70, sem ToT, tem saído por um preço semelhante ao que pagamos no Gripen com montagem nacional, desenvolvimento da versão F e todo o resto.

Mauricio

O FX saiu barato dado ao fato que agora temos tecnologia para fazer aqui um avião de geração 4.5, mas a galerinha do zap acha que o programa deu “ruim”. kkkk

Rodrigo LD

É tanta reportagem sobre o F-16 Forever….vão acabar convencendo a FAB.

Funcionário da Petrobras

Se bem que não seria nada mal se a FAB comprasse uns 24 Block 70/72 novinhos para operarem em missão de ataque, sem interferir no processo de compra do Gripen.
Sonhar na custa nada.

Magaren

Penso igual, seria uma õtima dupla F16 + Gripen Ng

Rafael

Dá para realizar todos os sonhos da FAB.
É só vender umas 3 refinarias da Petrobras…
(estou sendo irônico, até porque criaria um problema bem maior para o país no futuro, mas é uma discussão que não tem a ver com o tema da matéria).

Last edited 26 dias atrás by Rafael
Felipe M.

É, ou é sonho ou está chovendo dólares em algum lugar do Brasil e não me mandaram a localização.

Funcionário da Petrobras

Partindo desse pressuposto, então nem deveríamos ter comprado o Gripen.
Como sempre falo:
Dinheiro temos, o que não temos é dotação orçamentária ou dotação extraordinária para gastos em defesa.

Last edited 25 dias atrás by Funcionário da Petrobras
Bispo de Guerra

Missão de ataque …aos vizinhos esfaimados ?…rs

O Brasil tem seu “calcanhar de Aquiles” no mar … é fato.

O que faria duas dúzias de F-refurbished contra um Carrier Strike Group – CSG (sentar e chorar ..rs)…

Precisamos de uma abordagem multidimensional, com múltiplas plataformas e tipos de armamento, bem como táticas sofisticadas de guerra eletrônica e supressão de defesas aéreas…

“Sonhar mais um sonho impossível
Lutar quando é fácil ceder
Vencer o inimigo invencível
Negar quando a regra é vender”
– Sonho impossível by Bethânia –

Ronaldo Rangel Pires

Ela já foi convencida…….

Rodrigo LD

Mais avançado da 4ª geração???? Nem WAD tem no painel…

Camargoer.

O Gripen está meia geração acima… Riso..É um G4.5

Vitor Botafogo

Qual a motorização?

DSC

F100-PW-229 no Block 72
F110-GE-129 no Block 70

No caso dos F-16 turcos é Block 70, portanto, F110-GE-129:
https://www.dsca.mil/press-media/major-arms-sales/turkiye-f-16-aircraft-acquisition-and-modernization

Last edited 26 dias atrás by DSC
Welington S.

Com a tela que temos em nosso Gripen é possível fazer este tipo de configuração.

Leandro Costa

Não. Há redundância mesmo com a tela única. Ao mesmo tempo em que a interface é absolutamente fácil de se usar e configurar. É o conceito de UX que já é usado a muito tempo em qualquer interface homem/máquina, mas ganhou mais tração na era digital. Não precisa lembrar de algo que é feito basicamente por memória muscular, é intuitivo. Ao mesmo tempo, o painel do Gripen é resiliente à danos de batalha e foi uma pergunta específica que fiz no stand da SAAB em uma LAAD anos atrás sobre a tela. Se por acaso houver algum dano em parte… Read more »

Leandro Costa

É tanta besteira que é difícil até de responder direito.

Você está confundindo tela única, ou simplesmente “tela”, com falta de redundância de sensores, o que NÃO é o caso. É óbvio que existe redundância de sensores de vôo. Isso em qualquer aeronave de combate.

E dê uma pesquisa sobre ‘memória muscular’ e treinamento para você não voltar à repetir a asneira sobre ‘abandonar o intelecto.’

Carlos Campos

Esses telas são configuráveis, e mais fácil de ler as informações, por isso estão assim.

Magaren

Venha F16, venha ser feliz aqui fora no brasil.

Leonardo

Vai entender…

Nilo

“……..apenas aos aliados e parceiros mais próximos”
Uai!!! Cadê os F-35 os turcos estão esperando. Rsrsrs
Primeira linha vai prós mano, que precisa desagua o segunda linha pro resto.

Last edited 26 dias atrás by Nilo
Sensato

O que temos para o café? F16
O que temos para o almoço? F16
O que temos para o lanche? F16
O que temos para a janta? F16
O que temos para a ceia? F16

Vou dormir. Enche de água sua garrafinha térmica em forma de KC135 e leva para o quarto caso tenha sede de noite.

Funcionário da Petrobras

A cada dia uma notícia nova que não faz pensar que virá mesmo o F-16.

Funcionário da Petrobras

…*nos faz pensar…

Sensato

Sim mas desde que isso foi anunciado não se falou muito mais em resultados concretos desse desenvolvimento. Penso que a possibilidade de virem F16 pra cá nem deveria ser o maior estímulo mas o aumento das vendas na Europa de F35 e de KC390 mesmo. Com o aumento da frota de caças precisando desse sistema e com o início da operação do KC, cada vez mais forças aéreas podem querer o KC390 se ele puder reabastecer qualquer aeronave de sua frota.

paulo

O F-16 é o VW dos caças.

Rafael

E talvez vamos comprar alguns Santanas que já rodaram muito em frota de táxi e receberam um motor AP retificado…

paulo

Não foi com essa conotação que eu falei.
É por causa de sua qualidade de construção graças a General Dynamics e a Lockheed, e temos o F-16 Viper que é atual, nada de anacrônico.

Rafael

Sem problema, foi só para fazer piada mesmo.
Em matéria de “peças de reposição” acho que não existe concorrente para o F-16.
Quando a linha de produção do Gripen for encerrada pela SAAB daqui a alguns anos é que fica a dúvida sobre os custos de manutenção e futuras modernizações.
Afinal, um caça adquirido novo costuma ser operado pelo Brasil por mais de 30 anos, vide Mirage III e F-5.

Fernando "Nunão" De Martini

Afinal, um caça adquirido novo costuma ser operado pelo Brasil por mais de 30 anos, vide Mirage III e F-5.”

Na Suécia também.

Felipe

No caso do F-5 várias células vão chegar a 50 anos.

Rodrigo G C Frizoni

O que a turquia deve estar arrependida de ter comprado aquela furada de s-400

Renato

Se estivesse arrependida teria cancelado o projeto em prol do F-35, oportunidade não faltou.

Rodrigo G C Frizoni

Depois do que ela ta vendo da efetividade do s-400 ela voltou a se aproximar da otan e dos EUA

Leonardo

Melhor o Patriota, né…??

Marcos Silva

Faltou a estrela da FAB ali na última imagem… kkkk

Harpyja

Não seria melhor um caça maior? Com duas turbinas, pelas dimensões do BR um caça tipo o F-15, F-18, Rafale ou Typhoon poderia ser uma escolha melhor… Seria possível receber caças desse porte em um curto prazo?

Camargoer.

No caso brasileiro, o Brig. Saito afirmou que os três finalistas do FX2, Rafael, F18 e Gripen, atendiam os requisitos da FAB.

Se o Gripen não atendesse a FAB, teria sido desclassificado como desclassificaramo Sukhoi, o Typhoon e o F16

Harpyja

Obrigado pela resposta, mas eu já sabia quais foram os desclassificados no FX2, eu não escrevi que o Gripen não antende os requisitos da FAB.
A minha duvida está na possível compra dos F-16, como você mesmo disse o F-16 nem finalista no programa foi, então por isso eu não entendo o pq da FAB está cogitando agora os F-16.

Camargoer.

Olá H. Eu fiz a mesma pergunta em outra matéria. Se o F16 foi descartado e o Gripen selecionado, é uma boa indicação sobre o que a FAB deve fazer.

Por outro lado, vários países têm F16 usados e os EUA têm vários deles estocados como excedentes. Os outros modelos são menos disponíveis… creio que é apenas isso.

De qualquer modo, acho um erro comprar duas duzias de F16 usados ao invés de comprar uma dezenas de Gripens novos

Harpyja

É exatamente isso que eu penso, não existem Gripens C/D usados disponiveis pra venda? Eu iria preferir eles ao inves dos F-16, isso tem me feito pensar muito e é muito estranho mesmo, Gripens novos chegando (devagar mais chegando) e a FAB vai atras de dos F-16, por isso comentei se não seria melhor um caça maior já que seriam poucas unidades, ou então por exemplo uns F-18E e após a chegada de todos os Gripens e de um possivel novo lote Gripens, desses F-18E serem repassados para a marinha, seria possível algo ser feito dessa forma? Aí a marinha… Read more »

bjj

O coronel Rinaldo comentou em alguma destas matérias sobe o F-16 que o leasing do Gripen C está sendo considerado, então acredito que haja sim algumas unidades disponíveis na Suécia. Outra possível opção talvez seria os Gripen C sul-africanos. Eles compraram 26 unidades, mas metade foi estocada por cortes de orçamento, e da metade que ficou em serviço havia apenas 3 unidades em condições de voo há um tempo atrás. A falta de grana é tanta que eles receberam o primeiro Gripen em 2008 mas até hoje não adquiriram nenhum míssil BVR. Se vendessem ou alugassem a metade que está… Read more »

Harpyja

Bjj, boa noite, essa sim seria uma uma boa oportunidade, devem ter voado pouco, se eu não me engano eles compraram os Gripen já por conta copa em 2010.

Leandro Costa

Harpyja, a grande atração de uma eventual aquisição de F-16’s é que seriam baratos e provavelmente com entrega ‘rápida’. Acredito que o objetivo seria para substitução das aeronaves que estão para dar baixa (F-5’s e A-1’s).

Optar por um F/A-18E/F não sairia barato e nem ao menos sabemos se existem exemplares à venda no mercado de usados, o que derrotaria o suposto propósito para a aquisição de F-16’s.

Harpyja

Entendi Leandro e agradeço a resposta, espero então que essa compra não atrapalhe o futuro do Gripen, e que os F-16 voem mais do que os Mirage 2000 voaram.

Last edited 26 dias atrás by Harpyja
Leandro Costa

Harpyja, é bom lembrar que a compra dos F-16 ainda é uma possibilidade. Longe de ser uma certeza neste momento. Se for feita, vai sim atrapalhar o futuro do Gripen E/F, infelizmente.

Harpyja

😑 é disso que eu tenho medo… Tem gente já falando que pelo fato da Suécia que agora está na OTAN, iria prejudicar o futuro do Gripen, que eles poderiam acabar comprando o F35 e isso melar a menos o desenvolvimento de um novo caça sueco, eu gostaria muito de ver a Embraer em parceria com a SAAB no desenvolvimento de um novo caça, sonhar não custa…

Leandro Costa

A Suécia tem um histórico de desenvolvimento próprio de aeronaves que remonta desde antes da Segunda Guerra Mundial. Ao longo dos anos compraram diversas aeronaves de outros países mas nunca comprometeram sua capacidade de contínuo desenvolvimento aeronáutico e duvido que isso comece agora. Eles mesmos tem o comprometimento de comprar 60 Gripens e vão ter que continuar desenvolvendo essa plataforma pelo tempo em que estiverem em operação. Ao mesmo tempo acho muito difícil que, mesmo que a Suécia decida comprar F-35’s, eles comprem em uma quantidade que substitua os 60 Gripens E contratados até o momento. E te dou dois… Read more »

Marcos

A Australia tem uns FA 18 SH “pouco rodados…”

Last edited 25 dias atrás by Marcos
Fernando "Nunão" De Martini

Mas eles estão à venda?
Que eu saiba, não estão.

Leandro Costa

E…?

Camargoer.

Se a FAB tem dinheiro para comprar F18 usados e pouco rodados, então tem dinheiro para Gripen novo

Felipe

O problema é dinheiro … mas ainda acho que chegaremos a 66 Gripen mesmo vindo o F-16 pois este é pra substituir os AMX

Camargoer.

O problema sempre é dinheiro.. em todas as áreas.

A FAB tem que cortar na carne, mas ao contrário da ideias de reduzir as compras de aviões novos, como aconteceu com o Kc390, ela precisa reorganizar a sua planilha de gastos.

Fernando "Nunão" De Martini

Seria possível sim, pelo menos no caso do Rafale. O problema é o preço. A Dassault e a Força Aérea Francesa costumam se acertar para repassar aviões Rafale usados, compondo um pacote com alguns novos, postergando assim entregas para a Força Aérea Francesa. Por exemplo: pela bagatela de 2,8 bilhões de dólares a Grécia encomendou um pacote de 12 caças Rafale usados e 6 novos em 2021. Na conta de padaria, deu quase 160 milhões de dólares por avião, lembrando mais uma vez que 2/3 desse pacote de 18 eram usados. O lado bom é que as primeiras entregas aconteceram… Read more »

Harpyja

Obrigado pela resposta, eu gostaria de saber qual a sua opinião sobre os F-16 na FAB?
O Rafale é realmente muito caro, e o Gripen ter ganhado o FX2 foi o melhor que poderia acontecer para a FAB, é só uma pena pelo fato das entregas demorarem demais.
Eu só acho esquisito a possível compra desses F16, não seria melhor Gripens C/D? ou até mesmo o F-18E?

Fernando "Nunão" De Martini

Minha opinião é simples: sou contra.

Já escrevi os motivos em vários comentários nos últimos dias.

PS: não tenho nada contra o F-16 em si, um caça de qualidades mais do que comprovadas. Era meu preferido no F-X original, engavetado em 2003. Sou contra a compra de caças usados nesta altura do campeonato.

Harpyja

Sem contar o fato de que esses caças devem ter algumas milhares de horas de voo, devem ter sido usados ao extremo.
Existe alguma possibilidade de uma compra assim acabar melando um segundo lote de gripens? Eu estou torcendo muito por isso, e que isso também traga muitos frutos para algum projeto futuro entre a Embraer e a Saab.

Camargoer.

Pois é.. eu torcia pelo o Rafale,,, mas reconheço que o programa Fx2 com o Gripem foi muito bom

Também sou contrário a qualquer ideia de comprar aviões de segunda mão.. nem mesmo Gripen C/D.

Last edited 25 dias atrás by Camargoer.
Neto

Dado as problemáticas de cenário com a Rússia do lado e sobrepondo as negociações com a Koreia do Sul do KC390, começo a pensar ser uma dúzia de F/A-50 em Santa Maria poderia ser uma compra de oportunidade valida estritamente no âmbito de offset,
.
Tem todos os problemas de linha paralela de.manutencao. não gosto. Mas se for pra comprar outra coisa que seja algo que some de maneira sobreposta. Tanto taticamente, quanto economicamente.
.
Eu, governo, entubaria a Akaer nessa negociação.

Camargoer.

Olá. Continuo defendendo a padronização da frota com Gripen. Se tem dinheiro para comprar outro modelos, então que se use isso para comprar Gripen, mesmo que seja em menos quantidade.

No caso do GF16, cada Gripe seco custa uns quatro F16 usado (com pacote) ou uns 2 F50 (com pacote)_

então ao invés de comprar 24 F16 de segunda mão, compra-se 6 Gripen novos. Ao invés de compras 12 F50, compra-se 6 Gripen novos

Jacinto

No hay plata

Harpyja

😅

Carlos Campos

A diferença de combustível dessas caças é pequena, o que leva mais combustível é o F15 e SU35, porém o Gripen tem uma aviônica Superior

Artur

O caça maior é o KAAN, de 5a geração, que está a ser produzido na Turquia. Com cerca de 120 F16V, entre caças novos e atualizados, dá para quebrar o galho até ele entrar em operação.

Henrique A

Se vocês prestarem atenção na terceira foto a uma configuração de tanque conformal com sonda REVO do mesmo padrão utilizado pela FAB… como é cogitado que se vierem serão células usadas fica a questão se seria possível implementar esse tanque conformal nos F-16 que vierem pra cá.

Fernando "Nunão" De Martini

Tanques conformais só são compatíveis com Block 50/52 em diante, que já saíram de fábrica com as conexões para eles.

fulcrum

Páginas e páginas e ninguém cogitou que a noticia de f16 assim sem mais nem menos pra fab é porque a terceira guerra mundial já fervendo na panela? Muito repentino. Todo mundo correndo pra se armar, eua já votou na câmara convocação obrigatória pra homem e mulher.

Leandro Costa

Não é bem assim, Fulcrum. O registro para ‘serviço seletivo’ existe (de novo) desde 1980, apenas caso os EUA precisem reestabelecer o serviço militar obrigatório. O que aconteceu agora é que querem que o jovem, ao invés de ir fazer o registro, seja registrado automaticamente. E está encontrando bastante resistência ainda.

DSC

https://www.dsca.mil/press-media/major-arms-sales/turkiye-f-16-aircraft-acquisition-and-modernization 23 bilhões por 40 F-16C/D Block 70 novos + modernização/atualização com SLEP de 79 caças mais antigos + Motores adicionais + Dezenas de radares, sistemas EW, e muitos outros sistemas sobressalentes + 16 pods Sniper + 958 mísseis AIM-120C-8!! + 864 GBU-39 SDB! + 96 AGM-88B HARM! + 96 AGM-88E AARGM!! + 401 AIM-9X Block 2! + Centenas e mais centenas de kits JDAM para vários tipos de GBUs + Quantidade não revelada de pods IRST Legion-ES Etc… Isso só enumerando o que mais chama atenção depois de uma primeira olhada no pedido turco no celular. Vocês acham 23… Read more »

Last edited 26 dias atrás by DSC
Leandro Costa

DSC, já se comenta que a cadência de produção de armamento nos EUA e Europa está aumentando. Lentamente, mas aumentando para a suprir a demanda. Vi um especialista dizer que no final do ano já vai estar muito célere. Acredito que esse pedido Turco ajude à aumentar essa cadência. É muita coisa.

Santamariense

Exatamente!!! O pessoal acha que a compra de armas e sensores que paises serios fazem é igual à meia-duzia (com exceção do Meteor) de armas que o Brasil comprou para o Gripen.
Olhem essas quantidades:
958 mísseis AIM-120C-8, 864 GBU-39 SDB, 96 AGM-88B HARM, 96 AGM-88E AARGM, 401 AIM-9X Block 2…talvez assim entendam a diferença de uma compra de armas de verdade e de uma compra que só serve para dizer qie tem.

Carlos Campos

Sendo que a Industria turca produz bombas, eles estão muito interessados, e 958 mísseis AIM-120C-8!! meu deus, seria munição suficiente para derrubar toda a frota russa de caças, ou da Grécia ou de Israel.

Matheus

Dá pra fazer um precinho camarada assim para o Brasil, rsrs

ChinEs

é melhor vender os F16 agora (Brasil + Argentina + Turquia), antes da prova no campo de batalha, a Guerra da Ucrania esta baixando o valor de mercado de muitos sistemas de armas… Muitos mitos foram derrubados.

Jacinto

Sem dúvida… O Sipri, que é uma instituição de referência no monitoramento do mercado de equipamentos bélicos soltou um artigo que afirma que as exportações de armas americanas e francesas cresceram e as russas desabaram.

https://www.sipri.org/media/press-release/2024/european-arms-imports-nearly-double-us-and-french-exports-rise-and-russian-exports-fall-sharply

Felipe M.

Não tô vendo nenhum sistema de arma baixando de preço nos últimos anos. Muito, mas muito mesmo, pelo contrário. Ao menos no que se refere a tecnologias ocidentais, a pandemia somada à guerra da Ucrânia, levaram os preços dos equipamentos às alturas. O melhor exemplo disso são os Carros de Combate. Veículos antes negociados à U$ 7mi/U$ 8mi o preço unitário, estão sendo vendidos acima dos U$ 20 mi. Com as necessárias atualizações que irão ocorrer em razão dos problemas enfrentados na Ucrânia, não vai tardar que os blindados ocidentais comecem a ser vendidos na casa dos U$ 30 mi,… Read more »

Orivaldo

E verdade, por isso a Turquia vai pagar 20 bilhões em F16

Camargoer.

Caro. Eu fiz um exercício para destrinchar estes números.. minha conclusão é que US$ 23 bilhões é custo de aquisição e operação destes aviões durante toda a vida útil

Fábio Vargas

A valentia de Erdogan nunca passa da esquina

Mauricio

Pronto agora a galerinha que ama um chevette 1989 vai pirar nesses usados.

Camargoer.

As mina puram

Carlos Campos

Esse valor de 23 bilhões é assustador, basicamente daria para montar uma força aérea, e são só 40 F16

Felipe

Gostaria de saber como países com um PIB menor que o nosso conseguem comprar muito mais armamentos

Leandro Costa

Vários motivos. Podem ser menores e já terem um desenvolvimento razoável, demandando menos investimento em determinadas áreas. Podem inclusive ser menos desenvolvidos, porém com outras prioridades, sejam por tratados, seja por uma percepção de que existe uma ameaça grande e próxima… enfim… é quase impossível comparar.

Orivaldo

Possivelmente a Força Aérea Turca, não tem 60.000 de efetivo

Marcelo Tatsch

Eu me pergunto sobre isso às vezes. Mas olhe o entorno estratégico de uma Turquia, de uma Suécia, de Israel, de uma Índia. E olhe o do Brasil. Defesa para os políticos deles é questão de soberania nacional e inclusive a própria sobrevivência política !!!
Já a América do Sul além de longe de tudo, têm pouco peso militar estratégico para o Mundo. Não somos um hotspot de conflitos.

Last edited 25 dias atrás by Marcelo Tatsch
FABIO MAX MARSCHNER MAYER

Geralmente eles não têm orçamento engessado (por conta da corrupçao), os tetos salariais do funcionalismo público são observados (coisa que no Brasil virou piada), sistemas previdenciários que pagam aposentadorias maiores que o teto salarial para altos funcionários públicos, nem os seus parlamentos e tribunais são os mais caros do mundo como os do Brasil.

Nilton L Junior

Quero ver de onde vai sair essa quantidade.

Orivaldo

Das Fabricas

Nilton L Junior

Achei que era do wallmart

Daniel

Depois daquela história da FAB querer comprar F-16 usados, cada vez que eu vejo essa aeronave em uma matéria do Poder Aéreo, eu tenho um mini infarto! Deus do Céu! KKKKKK
Faz isso não, FAB! Foca nos Gripens!!!!!!

Carlos Campos

eu to com odio desse aviao

Daniel

Cara, de qualquer forma que você analise a questão da compra dos F-16 pela FAB, é uma ideia estúpida.

Camargoer.

Pois é. esta ideia de comprar F16 de segunda mão é uma estupidez esférica

francisco

o Lobby a todo vapor.

Luís Henrique

Absurdo esse preço. Deve ter coisa errada ai.

Luís Henrique

Estava vendo os esquadrões de caças da FAB. Tínhamos 8 esquadrões, hoje estamos com 6: Esquadrão Jaguar em Anápolis (Mirage 2000 / F-5) Esquadrão Pampa em Canoas (F-5) Esquadrão Pacau em Manaus (F-5) – Desativado em Dezembro de 2021 Esquadrão Jambock em Santa Cruz (F-5) Esquadrão Pif Paf em Santa Cruz (F-5) Esquadrão Adelphi em Santa Cruz (AMX) – Desativado em Dezembro de 2016 Esquadrão Poker em Santa Maria (AMX) Esquadrão Centauro em Santa Maria (AMX) 2 já foram Desativados. Com apenas 36 Gripen E e a iminente aposentadoria dos AMX e também dos F-5, fica claro que 36 Gripen não serão… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Luís, Na verdade tínhamos 7 e reduziu para 5. Jambock e Pif Paf funcionam como um só esquadrão há décadas, com dotação de pilotos e caças F-5 semelhante à dotação do Pampa. Se levar em conta que Poker e Centauro hoje dividem aeronaves que mal dão para um único esquadrão, pode reduzir na prática de 5 para 4. 50 caças Gripen são suficientes para dotar 4 esquadrões com 12 aeronaves cada e sobram 2 aviões. Longe do ideal (na minha visão, deveriam ter 16 aviões cada esquadrão, assim 50 caças dariam para 3 esquadrões e sobrariam 2 aviões) mas basta… Read more »

Daniel

Fernando, não existem Gripens de modelos mais antigos disponíveis nos estoques suecos ou de outros países operadores para venda ou leasing para o Brasil? O que aconteceu com as aeronaves sul africanas? Seria possível convertê-las para o padrão “E”? Que tal fazerem uma matéria a respeito?

Fernando "Nunão" De Martini

Daniel, Não é viável converter Gripen C/D para Gripen E/F. É preciso basicamente trocar toda a fuselagem central, parte da fuselagem traseira, entre outros itens da estrutura, refazer sistemas de refrigeração, trocar as cablagens, trens de pouso etc. Muito mais econômico manter no padrão C/D com as atualizações mais recentes de software e hardware. Hungria e República Tcheca deverão continuar com seus caças Gripen C/D até meados da próxima década. A primeira porque pretende reativar um segundo esquadrão (potencialmente de Gripen E), a segunda porque vai levar muitos anos para receber seus F-35. Tailândia e África do Sul não são… Read more »

Luís Henrique

Entendi. Porém estamos fazendo reduções e reduções. Poker e Centauro estão dividindo aeronaves que mal dão para um único esquadrão por causa que a maior parte da frota de AMX já foi aposentada e não conseguiram modernizar um número maior de AMX. Da mesma forma Jambock e Pif Paf funcionam como se fosse um único esquadrão porque nunca tivemos a quantidade de caças adequada. Tudo isso está bem distante do ideal. O ideal seria reativar os 2 esquadrões que foram desativados em 2016 e 2021, Pacau e Adelphi e dotar todos os 8 esquadrões com 18 caças em cada. Isso… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Eu penso diferente. Não se deve ter pena de desativar parte dos esquadrões e eventualmente reativar apenas alguns. A Força Aérea Francesa realizou uma ampla racionalização quando iniciou as baixas de Sepecat Jaguar, Mirage F1, Mirage 20000 C/B e N há quase 20 anos, introduzindo gradativamente o Rafale, e isso ainda está em curso (falta desativar o Mirage 2000-5 e ainda haverá esquadrões de Mirage 2000 D modernizados por mais uns 15 anos). Escrevi uma matéria sobre isso há 15 anos: https://www.aereo.jor.br/2009/07/15/racionalizacao-a-francesa/ Nesse processo, a Força Aérea Francesa desativou diversos esquadrões e não ativaram mais. Teve vários percalços, mas o… Read more »

Luís Henrique

Concordo com você sobre as capacidades dos novos Gripen e também o que houve com a força aérea francesa, mas como você mesmo disse, números também importam. Talvez você seja contra os 24 F-16 usados com receio que isso dificulte a aquisição de mais Gripen, mas eu acho que pelos valores “sondados” é economicamente viável e não atrapalhará na aquisição de mais Gripen. Digamos que a FAB consiga os 66 Gripen, estamos falando em um investimento superior a U$ 6 bi. Adicionar U$ 300 mi nesta conta para adquirir 24 F-16, aumentando o total de caças em quase 40% com… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

“ Talvez você seja contra os 24 F-16 usados com receio que isso dificulte a aquisição de mais Gripen” Esse é justamente o meu ponto desde o início. Dinheiro jogado na compra de caças usados é dinheiro que vai faltar para a compra de caças novos, porque esse dinheiro simplesmente não existe, não está sobrando, precisa ser emprestado. Comprar caças usados por cerca de 600 milhões de dólares (continuo discordando da sua conta de 24 F-16 por 300 milhões, e já vimos em matéria recente que, se forem aviões da modernização mais recente vão custar uns 25 milhões cada, fora… Read more »

Camargoer.

Olá Nunão. Concordo com você. 36 é pouco a médio prazo, mas achar que é preciso comprar aviões velhos para manter esquadrões operando é um equívoco. Uma alternativa para algum tipo de missão é descolar elementos de aviação como 4 ou 6 aeronaves para cumprir a missão, como fizeram com o F5 em Manaus e Anápolis até que sejam comprados mais Gripen novos

Euller

Turquia fazendo o certo… Pegando caças novos…

Leandro Costa

Também estamos.