Caças F-16 da USAF no Japão

A Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) lançou em 2022 um dos maiores programas de modernização de sua história com 608 caças F-16C/D Block 40/42 e Block 50/52 distribuídos em 18 bases de seis comandos principais. O programa Post Block Integration Team (PoBIT) custará $ 6,3 bilhões.

O PoBIT cobre F-16s fabricados entre 1988 e 2005. As aeronaves atualizadas permanecerão no arsenal da USAF até o final da década de 2040.

O programa PoBIT inclui um total de 22 modificações principais. Uma das atualizações chave será a instalação do radar tipo AESA (Active Electronically Scanned Array) AN/APG-83 SABR (Scalable Agile Beam Radar). As aeronaves modernizadas F-16V Viper e os mais recentes modelos F-16 Block 70/72 possuem esse radar.

Os radares AN/APG-83, como parte de um programa de modernização paralelo, também serão instalados nos 72 caças F-16C/D Block 30/32 da Guarda Nacional dos EUA. Essas aeronaves são destinados ao Sistema de Defesa Aérea Continental dos Estados Unidos.

O AN/APG-83 permite que a aeronave de caça rastreie vinte alvos em qualquer orientação em relação à aeronave simultaneamente. Além disso, o radar pode encontrar e rastrear alvos estacionários e móveis no solo devido à sua alta resolução. Ele pode identificar alvos e guiar munições de precisão. O rastreamento de alvos aéreos e terrestres pode ser realizado simultaneamente.

Quatro F-16 Fighting Falcons da 96ª Ala de Teste e da 53ª Ala na Base Aérea de Eglin, Flórida, em 2 de julho de 2020. Esta missão testou o novo radar APG-83 Active Electronically Scanned Array antes de colocar em campo esta capacidade para a frota de F-16 da USAF
APG-83 AESA SABR
A cabine do F-16 passará por modernização com um display central em grande escala (Center Display Unit), como a do F-16V

Os F-16s atualizados também receberão novos terminais de dados Link 16 e suites de comunicação (Communication Suite Upgrade), permitindo que os F-16s atualizados se envolvam em Guerra Centrada em Redes. A cabine passará por modernização com um display central em grande escala (Center Display Unit), computador principal e equipamentos para guerra eletrônica. Além disso, um Gerador de Dados Programável será instalado para ajustar as informações exibidas de acordo com as preferências do piloto.

Anteriormente, um total de 651 versões ativas dos F-16 Block 40/42 e Block 50/52 passaram pelo programa CCIP (Common Configuration Implementation Program) entre 2000 e 2010. O programa CCIP incluiu a modernização e unificação dos computadores de voo, equipamentos de comunicação e a instalação de displays multifuncionais. Além disso, a USAF ainda utiliza aproximadamente 230 F-16C/D Block 25/30. No entanto, essas aeronaves se aposentarão entre 2024 e 2027.

Subscribe
Notify of
guest

202 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ivan herrera

Agora já sabemos quais versões virão para o Brasil rssssss

Leandro Costa

Não dá idéia… Ivan… daqui a pouco vai ter psicólogos aparecendo aqui para deixar o número de contato.

Ivan herrera

Tá explicado a parte na matéria anterior ( os primeiros podem chegar já em 2024) agora tudo faz sentido rssssss.

Luís Henrique

A matéria anterior diz especificamente block 40/42.
Então esta mesmo explicado.

Ivan herrera

Brincadeiras a parte tomara que não venha nenhum f16s e sim mais gripens, mas se vier que sejam versões mais modernas.

RRN

O perfil de uso é outro.

Chris

Nao sou contra a aquisiçao… Mas na minha opiniao, tem que ser modelos modernizados a exemplo destes dai !

PS… Incrivel o poder da Força Aerea Americana… Mesmo com toneladas de F-35 entrando no catalogo… Ainda trazem mais de 600 F-16 para 2024.

Last edited 27 dias atrás by Chris
Chris

Se lhe interessa… Em tempos de concorrencia “stealth”… Eu fico com o Gripen… Pelo RCS menor !

Mas a realidade é que enquanto voces sonham com 100 Gripens e um caça da Embraer… Mal estamos conseguindo pagar o 1o lote de 36, que ja tiveram ate os sensores capados…

Last edited 27 dias atrás by Chris
Fernando "Nunão" De Martini

Putz, ainda essa história de sensor capado… aguenta…

Camargoer.

Tem o Phatanx

Leandro Costa

Alguém levou à sério aquela idéia de colocar rivotril no suprimento de água, mas acho que confundiram rivotril por LSD.

André Sávio Craveiro Bueno

Leandro, essa é uma praga moderna, pouca e má leitura e interpretação de texto e contexto com baixo nível.

Wagner Figueiredo

Acho que o pessoal espera o laser triplo destruidor de naves interplanetária klingon!!! Rsrsrs

Magalhaes

Já já reclamam que o material dos pneus aqui é diferente dos usados pelos suecos….rs

Felipe M.

humildemente, sugiro que fake news explícitas sejam riscadas dos comentários, com um alerta negrito de “FAKE NEWS”.
Começou a se publicar sobre o f16, começou a surgir alguns nomes afirmando coisas que já foram várias vezes desmentidas, tanto em matérias daqui ou de outros lugares, como em publicações oficiais das FAs.
Anti ontem mesmo o tal Romão estava repetindo, comentário atrás de comentário, questões que são explicitamente falsas.
Fica, então, minha sugestão de que fake news explícitas sejam retiradas de comentários.

Chris

Talvez eu tenha perdido alguma explicação por ai… Mas entenda que sua resposta não explicou nada. A princípio foi o que a própria publicação de vocês e a resposta da FAB deu a entender. Não temos ameaça de aviões tão modernos, como os europeus.

Aproveitando… Agora pode fazer referências ou críticas “pessoais” no site… Mesmo que irônicas ? Estou lendo varias neste post !

Marcos Silva

É isso aí Roberto. Torci pelo Vespão no FX-2. Veio Gripen. Blz. Acolhemos a criança e tudo. Mas,F-16 é lendário e se vier mesmo:
BEM VINDO VIPER!
Já disse uma vez digo de novo: Obrigado FAB! Tem muitos aqui metendo carteirada querendo saber mais de assuntos de força aérea que a Própria Força Aérea!

francisco

Lendário om Pelé também é, mas tudo chega ao fim.
Trata-se de um avião de 50 anos, cuja fuselagem já está no limite.

Rodolfo

Viper é o Block 70 novo em folha.

Leandro Costa

Viper é o apelido não-oficial do F-16 desde 1978 por causa dos Vipers de Battlestar Galactica.

André

O “zero” o P-47 entre tantos outros foram Lendários em algum momento. Como o F-4 e o famigerado F-16. Entretanto, o Gripen representa um salto de conhecimento técnico enorme. Vamos aprender exatamente o que com esses caças de mais de 30 anos?

Charle

Aprender-se-á a como operá-lo por cinquenta anos.

willbill

concordo e basta comparar a suíte da foto acima do F16 com a do Gripen NG….

Charle

Se se conversa sobre tópicos militares surgem coisas tais como: “ignorante”, “quem sabe é a fab”, “ninguém tem que se meter”, “os militares, e ninguém mais, é que são totalmente sapientes sobre o assunto, “pague impostos e fique quieto”, etc.

E se não conversa é dito que: “o povo brasileiro não se interessa por assuntos militares”, “a defesa não é debatida”, também etc.

Qual das duas convém mais?

Charle

Inclusive aqueles que fizeram a besteira inicial. Um puxa-saco não é legal…

Felipe

Sensor capado é lenda meu caro, cruzes

juarez

Esses especialistas de super trunfo são minha alegria

Charle

Geralmente são eles que pagam os impostos que mantém a fab…

francisco

Não consegue pagar, porque o dinheiro está indo pelo ralo, em uma gastança sem fim.

francisco

Um avião de 1980.
Já vai chegar precisando de reformas. e adaptações.

Felipe M.

Negócio é que “torcedores do gripen” passaram a torcer para ele após ser escolhido pela FAB. Afinal, se foi o escolhido, que se torça para dar certo né? Antes da escolha, os únicos a “regozijarem” por caças eram os fã clubes do SH, do Rafale e, o pior dos casos, do Su 35, já fora do jogo há muito tempo. Difícil mesmo são as viúvas, que balançavam seus pompons por caças não selecionados, há mais de 10 anos, e, por ficarem magoadinhos por não serem atendidos, passaram a ser detratores de carteirinha do caça escolhido. Adultos que um dia foram… Read more »

Leandro Costa

Concordo com quase tudo Felipe…

Mas Vasco?! Meus respeitos, meu caro

Mauro Cambuquira

Concordo com o VASCO, somos sofredores sim, com muito amor e sem ideologias… Só futebol.

Marcos Silva

Vc é o número 1 Roberto? Me add aê! Kkkk

Fernando "Nunão" De Martini

Roberto, nada a ver.

A FAB colocou essa frase sobre o Gripen na resposta porque a pergunta, enviada pelo Poder Aéreo ao CECOMSAER, mencionava o Gripen, assim como mencionava a matéria do Jane’s (que iniciou essa polêmica), a qual por sua vez mencionava o Gripen.

A pergunta do Poder Aéreo mencionou o Gripen, perguntando basicamente quais os motivos para comprar aviões usados, num momento em que a FAB está recebendo caças Gripen novos e produzindo na Embraer e Saab.

Por isso a FAB respondeu que a análise em curso não guarda relação com as capacidades do Gripen, pois a pergunta relacionava as duas coisas (recebimento e produção local do Gripen x compra de caças usados).

A matéria do Jane’s falava principalmente em “insufficient funding” para um segundo lote de Gripen.

Last edited 27 dias atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Rodolfo

Sim, no fim é falta de dinheiro pra comprar mais Gripens e nao houve muita barganha dos suecos. O que faz com que a oferta dos mais de 30 MLU holandeses em 2001 por cinco milhoes a unidade uma baita oportunidade perdida. Isso também mata qualquer ideia que a FAB ia partir pra um projeto stealth com a SAAB, se vai ter que ir de F16 usado (provavel block 30), caça stealth na FAB sem chance nas proximas decadas. The Brazilian Air Force ordered 36 Gripens in 2014, amounting to $5.4 billion, with delivery expected by 2027. There were plans… Read more »

Felipe

Block 40/42, e se tivermos sorte com a modernização de 1998

francisco

Este será um vetor velho, mais barato que ao final, ficará mais caro do que o Grippen.
Passaram mais de 20 anos para escolher o Grippen e agora abandonam. Isto merece uma investigação pelo MP.

Rodolfo

A FAB nao abandonou o Gripen, so nao tem dinheiro pra um segundo lote. E agora que o deficit no orçamento federal estourou, estao procurando por uma opçao mais em conta pra substituir o AMX e F5. A culpa nao é da FAB.

Marcos Silva

Mistérios da nossa FAB. Faz tempo que aparece essa hi4do Viper pro Brasil. Junta tudo que foi dito e escrito,o tal slide,o cmd falando de complementar o Gripen com mais Gripens,ou outro caça,a baixa acelerada dos atuais caças e a demora nas entregas do Gripen…
Nao33 temos muitas alternativas.

Luís Henrique

Na verdade eles possuem cerca de 900 F-16 hoje. Mas pretendem modernizar 608 nos próximos anos, reduzindo a frota de F-16 atual.

Volpi

3

RRN

Essa é justamente a questão principal.
Se forem aviões com capacidade de operação até 2040 e com certo nível de atualização a conta fecha, mas se o foco for pagar “barato” por unidade com certeza veremos aeronaves que irão durar uma década e criando o mesmo problema de hoje num futuro próximo.

LéoP

Tem muita diferença essa versão block 40/42 que o Brasil quer adquirir para a versão block 70 que foi vendido para Taiwan?

willbill

sim a versão americana é um maverick 1980 todo reformado, motor com injeção eletrônica, cambio automatico eletronico de 8 marchas, controle de estabilidade, etc…. a versão da FAB é um chevete… com motor de chevete, roda de chevete… e pintura nova da FAB,,, (modo sarcástico ON) só para descontrair meu caro…abs

Camargoer.

que nada … esta ideia continua sem fazer sentido.

JHF

Mas vai escutar, ler e até sonhar com o F16 Viper pelos próximos 3 meses. Vai aparecer até na sopa agora….

Nilo

A FAB precisa justificar essa compra, mas faria melhor dizer “não haverá compra”, sabemos que não é só o custo do caça, mas outros que serão agregados, outra linha de manutenção até compra de um abastecedor é cogitado. A compra implica em uma dependência brutal tanto em manutenção, como qualquer nível de melhoria ou acréscimo que a FAB queira realizar.

Marcos Silva

Manutenção amarrada aos fornecedores vai continuar existindo com o Gripen de qualquer forma. Tem muito sistema americano nele. O principal é somente o motor do caça. Ou seja,basta uma canetada dos EUA e a frota brilhante de nova fica no chão!

Nilo

passando pano? querer comparar a a dependencia de um f-16 para um Gripen é papel de avestruz.

Marcos Silva

Quem garante o contrário? A Suécia?
Os SEM da Armada Argentina não voam por embargo inglês aos assentos Martin Baker. O Gripen é uma salada de fornecedores. Então sim,continuaremos dependentes de muitas coisas que poderão manter nossa frota no chão.

Fernando

Mas a Suecia tem possibilidade de tentar substituir fornecedores, no caso do Gripen. Essa possibilidade nao existe nos F-16.

Sensato

Conhecendo profundamente o vetor, nós mesmos podemos procurar fornecedores alternativos e executar as alterações necessárias caso isso um dia seja necessário e a Suécia não queira ou não possa ajudar.

Nilo

A uma distinção clara, de liberdade de uso do Gripen tanto no que diz respeito ao código fonte quanto ao emprego de armamentos, qualquer equipamento pode ser substituído se necessário o que não tem autorização para o F-16, mas com sua desinformação seletiva prefere negar.

Last edited 26 dias atrás by Nilo
Marcos Silva

Não é questão de desinformação. Todos sabemos das normas de aquisição de equipamentos de ponta dos americanos. Mas ninguém percebeu,ou ignora propositalmente,que mesmo o Gripen pode ser embargado por qualquer fornecedor. e que simplesmente trocar o fornecedor pode nem dar certo. E nesse caso,quanto sairia essa brincadeira?
Como vc mesmo disse: “mas com sua desinformação seletiva prefere negar”

Nilo

Vc põe todos os fornecedores no mesmo nível que os americanos, com os interesses e força de impor um embargo sem que suas indústrias não tenha prejuízo como de uma potencial mundial.
No F-16 todo de origem americana quanto o Gripen se embargar um fornecedor, vc já decretou, “pode nem dar certo”, como disse desinformação seletiva.

Last edited 26 dias atrás by Nilo
Minuteman

Camargo, a compra de F-16 faz todo o sentido.

O AMX será aposentado ano que vem, e é hoje a única aeronave da FAB capaz de empregar armamento guiado e inteligente.

Ao aposentar sem um substituto imediato, o Gripen só teria essa capacidade homologada em 2030.

O impacto dessa perda de capacidade seria catastrófico principalmente em termos do pessoal e doutrinas.

As pessoas tem que entender isso.

bjj

“O AMX será aposentado ano que vem, e é hoje a única aeronave da FAB capaz de empregar armamento guiado e inteligente.” Não é. O F-5M pode lançar bombas guiadas do tipo Lizard. https://www.aereo.jor.br/2008/08/24/as-garras-afiadas-do-f-5em/ “Ao aposentar sem um substituto imediato, o Gripen só teria essa capacidade homologada em 2030.” De onde você tirou essa informação? Desde 2021 que o Gripen já sai de fábrica no padrão N1, onde todas as capacidades estão disponíveis, inclusive ataque ao solo. No mais, o AMX será aposentado sem um substituto imediato comprando F-16 ou não. Estamos no meio de 2024, até terminar os estudos,… Read more »

Sensato

Evidentes ressalvas para as restrições de envelope mas Super Tucano pode lançar Paveway e SDB.

Rinaldo Nery

Não é catastrófico e podemos ficar sem isso por um tempo.

MMerlin

Provavelmente ele veio pós um live feito ontem onde a apresentação das informações seguiu o mesmo tom.
Com direito à críticas até para quem pensa diferente.

Fernando "Nunão" De Martini

“ O impacto dessa perda de capacidade seria catastrófico principalmente em termos do pessoal e doutrinas.” Não vejo assim. No momento o Gripen está a caminho do IOC ar-ar, e considero provável que, por volta de 2026 (logo após a baixa dos A-1M) os treinamentos começariam na seara ar-solo e de reconhecimento, gradativamente, para chegar à FOC nos anos seguintes. Creio que parte do problema pode ser resolvido com uma mudança de planejamento: ao invés da reativação do esquadrão Pacau como segundo esquadrão de Gripen em Anápolis, muda-se o Poker para lá em 2026, junto com alguns pilotos do Centauro.… Read more »

Fernando

Mas então, nao seria mais pratico extender a vida util dos AMX em mais 3 ou 4 anos, no lugar de buscar uma aeronave nova que vai demandar logistica e manutenção completamente diferente e muito mais custosa??

Magalhaes

Fernando, não tem mais nada para os motores Spey do AMX. Não tem como manter isso. Se o AMX tivesse sido remotorizado quando proposto uma época, estaríamos com ele voando. Sou fã do AMX, mas infelizmente ele já está com seu dia final marcado.

cipinha

Uma duvida que eu tenho, a China produziu esse motor sob licença e está presente nos caças JH-7, não teria compatibilidade e peças de reposição lá?

Kleber Peters

O AMX usou a versão MK 807, enquanto a que serviu de base para o WS-9 foi a MK 202. Apesar do nome Spey, são motores diferentes e nem sempre tem compatibilidade entre as peças. Tipo o AP dos carros, tem de 1.0 até 2.0 e peças de um não necessariamente servem em outro.

Camargoer.

Dicordo. O Gripen é uma plataforma moderna e flexível, provavelmente superior ao AMX.

Pelo valor que estimei para a compra destes F16 usados seria possível consttuir um novo esquadrão de Gripen, mesmo que seja 9 ou 10 ao invés de 12.

Um esquadrão pode ter 12, 18 ou 10 aeronaves..

Marcos Silva

Puxa! Pensei a mesmacoisa! Kkk

Rodolfo

A chance foi em 2021 quando a Holanda ofereceu 36 MLU por 5 milhões de dolares a unidade. Os F16 Block 40/42 e 50/52 ativos na USAF vao ser modernizados e nao exportados, os da reserva vao ser canibalizados por peças, entao nao vai ter exportação de nenhum F16 post block da USAF. Da USAF, so block 30 ou mais antigo. F16 europeu vai ficar cada vez mais dificil ja que 120 serao repassados pra Ucrania com a gradativa introdução do F35. Incrivel como um país que discutia um projeto de ucav colaborador em 2021 pro Gripen da nao um… Read more »

Fernando Vieira

Sim, tá no final da matéria:
(…)”Além disso, a USAF ainda utiliza aproximadamente 230 F-16C/D Block 25/30.”

Mauricio

será a versão zero.

Welington S.

Só da F-16 por aqui agora. Os editores estão doidos para ver os F-16s na FAB. 🙂
Brincadeiras a parte, essa história de F-16 vai muito longe ainda e, de fato, se tornou um debate mais que comentado hoje em dia. Minha opinião: F-16 não! Não faz o mínimo sentido. A escolha ficará por meio dos tomadores de decisão da FAB. Vão repetir o erro dos Mirages? Bom, veremos. Que Deus nos acuda.

José Gregório

EDITADO:
COMENTÁRIO BLOQUEADO DEVIDO AO USO DE MÚLTIPLOS NOMES DE USUÁRIO.

Welington S.

Muito pelo contrário, José. O Gripen foi a melhor escolha que a FAB pôde ter feito e não existem motivos para discordar ou apoiar o que você diz ser um ”erro”. A questão aqui é outra.

Rafael

As previsões de alguns anos atrás não se cumpriram e hoje não sabemos como vai dar para pagar o que compramos.
E sem saber como e quando vamos terminar de pagar não sabemos quando vamos receber tudo.
E nem se podemos encomendar mais.

Last edited 27 dias atrás by Rafael
Nilo

Está vendendo abrobinha, leia artigo do Galante de fevereiro deste ano que cita compra de um caça de segunda mão mais um segundo lote de Gripens.

Gustavo

Não faz sentido, se fizerem essa compra vai ser dinheiro jogado fora, as compra das forças armadas tem que ter visão sempre agregar tecnologia a indústria defesa, e isso gripen oferece o Brasil, f16 pelo contrário não agrega valor ao Brasil , pelo contrário vai atrasar projetos em andamento.

Minuteman

O Gripen foi o plano certo, mas a estratégia falhou.

Hoje a FAB está a beira de perder sua capacidade de ataque ao solo com armas inteligentes, o AMX será aposentado ano que vem.

Se não comprarem uma aeronave tampão, o F-16 ou outro, teremos que esperar até o fim da década para ter o Gripen homologado para fazer isso.

As pessoas não entendem o quão grave essa perda de capacidades seria.

Akhinos

Pessoal só considera a máquina como o verdadeiro investimento. Típica mentalidade de brasileiro que não entende nada de capital humano. Eu acho que cabe desenhar para que alguns aqui entendam. Um piloto de caça é talvez uma das mão de obra mais especializadas existentes no capitalismo. Deixar pilotos de caça quase 10 anos sem voar pq não tem caças é um desastre completo para a capacidade de dissuasão brasileira. Muito pior que qlq caça tampão. É o mesmo que formar o melhor médico e depois falar que só daqui 10 anos ele pode começar a exercer. Não tem lógica essa… Read more »

Last edited 27 dias atrás by Akhinos
Felipe

Meu caro nossos F-5M conseguem atacar com armas inteligentes… a questão é que temos 2 esquadrões em Santa Maria que precisam de um substituto pra ontem para o Amx

Fernando

Uma pergunta, não é possivel uma extensão da vida util dos AMX para cobrir este lapso?

Camargoer.

Será que precisa esticar a vida útil dos AMX? Talvez fosse mais apropriado introduzir um elemeto de Gripen (4 ou 5 aeronaves) para operar no lugar dos AMX.

Santamariense

Que bobagem …

Rodolfo

So faria sentido se fosse block 70 novo em folha. Lembre-se que o Block 60 foi eliminado ainda na 1a fase do FX2 pq nao atendia os requisitos da FAB, coisa que o Super Hornet atendia.
Esses aí que a USAF vai modernizar nao vao ser exportados e os poucos block 40 estocados vao ser canibalizados. Entao usado vai ser so airframe muito velho (pre block). E vc acha que a FAB vai ter dinheiro pra colocar o APG83 AESA??

Renato

Não atendia as necessidades do FX2, mas agora as necessidades não são mais as do FX2.
O FX2 teve um ganhador: Gripen E/F.
Agora um complemento, um cação tampão ou qualquer coisa do tipo, outra realidade, não misture alho com bugalhos..

Fernando

Explique por favor por que a escolha do Gripen foi um baita erro.

Kleber Peters

A pergunta não foi pra mim, mas a minha resposta seria: falta de escala. Existe o risco, pois é o cenário atual, do vetor E/F ter apenas dois operadores. E ambos atualmente com poucas unidades. O F-18 SH também só tem dois operadores, mas um deles opera muito mais unidades que todas as versões do Gripen juntas. E o Rafale já está com 8 operadores, sendo 3 dentro da OTAN.

Esta falta de escala pode significar, no futuro, problemas logísticos.

Gabriel

Vdd, os editores estão assanhados com o F-16, 5 ou 6 materias em menos de 2 dias.
Quanto aos oficias tomadores de decisão, não devemos esperar grandes ideias…

Fernando Vieira

Eles tem boletos pra pagar, essa história do F-16 rendeu muito tráfego para o site e com isso eles ganham mais uns caraminguás com os anúncios no site aproveitando a audiência alta.

Mas nenhuma das matérias do F-16 são falsas ou sensacionalistas, inclusive o comparativo entre o tampão do Mirage 2000 com o que poderia ser do F-16 está excelente e deve ter dado um trabalhão pra fazer. Mantendo nessa qualidade, pode fazer mais que tá pouco.

Saldanha da Gama

Aguardando ansioso, as expplicações da FAB ao congresso….

Allan Lemos

Só se for ao Congresso americano, porque o nosso não se importa com compras militares.

Saldanha da Gama

Allan, nosso congresso vai se importar sim, se lembra da última vez que foram pedir para aumentar o % de participação no PIB?

De qualquer forma, terão que se explicar do porquê desta compra.

Abraços

Allan Lemos

A CREDN, na prática, é um órgão meramente figurativo, não me lembro de uma única vez que tenham impedido ou ao menos tentado impedir quaisquer ação das forças armadas.

Só há dois ou três parlamentares que realmente se importam com questões militares, o restante, de fato, não estão nem aí.

Felipe

A explicação é simples, 24 F-16C/D block 40 saem pelo valor de 2 caças Gripen E/F.

Felipe M.

ixe, então a ideia é comprar os 608?
agora entendi, pq tantos defensores a essa ideia.
Baratinho assim, bora logo de 608.
Só não esqueçam dos custos de manutenção de cada caça e do projeto que deverá ser iniciado já na próxima década para substituí-los.

Fernando

Vc quer dizer, explicarem a compra de F-16?

Rosi

Acho que será amanhã uma audiência na CREDEN

Aéreo

Infelizmente, não há “congresso” que consiga minimamente dialogar e acrescer algo útil à politicas nacionais de defesa. O dialogo entre as FA´s e o congresso é uma conversa de “corporações”, cada um defendendo o “seu” e o resto que se lasque.

Saldanha da Gama

“cada um defendendo o “seu”

Um dos motivos, é este!

Abraços

Rafael

Vão tentar exigir 2% do PIB para a defesa nacional.
Se vão conseguir e se vão investir no que é necessário não sabemos.

Saldanha da Gama

Rafael, eles tentaram e tomaramum sonoro ” NÃO”

Abraços

Camargoer.

Caro… para se subir de 1,2% para 2,0% do PIB será preciso reduzir o orçamento de outras áreas.;.

Então.. poderia ser da fatia dos gastos com juros da dívida. para isso o Bacen indepentende tem que baixar os juros…

tiras da educação, saúde, segurança pública e infraestrutura não dá

O modo mais conveniente de aumentar o valor absoluto dos gastos com defesa é por meio do crescimentodo PIB

Bernardo Santos

É só ter uma boa política fiscal e parar de populismo que talvez sobraria dinheiro para aumentar o pib para a defesa, além da reforma da previdência militar e leis que incentive o investimento e desenvolvimento com um percentual já determinado livre da ameaça de servir para aumentar benefícios para os militares.

Camargoer.

Se eu entrar nesta discussão levarei brinca do Nunao (sempre ele). Se ele permitir por escrito eu comentarei.. caso contrário, vou ficar no tema.

Bernardo Santos

Fique a vontade, acho que ele não irá dar bronca.

Camargoer.

Nada disso… é para ficar no tema da matéria.

Fernando

Qual seria, na sua opiniao, o populismo? Investimentos em saude, segurança e educação? Ou bolsa familia?

Bernardo Santos

Pé de meia por exemplo é uma forma “legal” de comprar voto dos jovens. Todo mundo sabe que governo populistas gostam de dar esmolas e não atacar o problema na raiz.

AVISO DOS EDITORES A TODOS NESTA DISCUSSÃO: O DEBATE ESTÁ DESVIANDO PARA O PROSELITISMO POLÍTICO E A DISPUTA PARTIDÁRIA-IDEOLÓGICA.

NÃO USEM O ESPAÇO DE COMENTÁRIOS COMO PALANQUE. SE INSISTIREM OS COMENTÁRIOS SERÃO APAGADOS.

LEIAM AS REGRAS DO BLOG:
https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

MMerlin

Bernardo. O país passa por dificuldades orçamentárias complicadas. E o congresso apenas pensa no seu. O RS vai precisar de recurso federais enormes. E o congresso nem pensa em destinar parte do Fundo Eleitoral para tal. Até poucos (três) gatos pingados cogitaram, mas morreu na praia. Realmente acha que culpa é apenas do executivo? É o conjunto da obra. Referente a previdência, essa bomba é geral. E não teve um lider de Estado que pensou em desarmar esta. Quer atacara benefícios, basta dar uma olhada no judiciário. Importante. Tem alguns estados que já estão trabalhando para tirar a transparência de… Read more »

Allan Lemos

Não existe a menor condição se abaixar a taxa de juros sem causar um hecatombe na economia.

Bernardo Santos

Exato, querem baixar a taxa de juros para transformar o Brasil numa nova Argentina com 200% de inflação.

Fernando Vieira

eu tenho uma sugestão, mas jamais aconteceria: Fundo Partidário. Aquilo é uma excrescência.

Camargoer.

Olá FV. A cada dia eu fico mais crítico sobre o fundo partidário, contudo eu continuo a favor o financiamento público de campanha.
São coisas diferentes.

Last edited 26 dias atrás by Camargoer.
Fernando Vieira

Eu sou contrário. Os partidos que busquem meios para se financiar. Seus filiados que contribuam, da mesma forma as candidaturas.

Pegar uma fortuna de dinheiro público para dar pra partidos ao invés de saúde, educação ou F-16 ou Gripen é sacanagem.

AVISO DOS EDITORES: FOQUEM NO TEMA DA MATÉRIA PARA A DISCUSSÃO NÃO DESCAMBAR PARA A DISPUTA POLÍTICA E ELEITORAL.
LEIAM AS REGRAS DO BLOG:
https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Rosi

A última audiência com participação de especialistas em defesa foi muito boa… Eu gostei falaram duras verdades

ChinEs

a FAB esta sendo realista, nesse momento 1 caça grpien NG custa mais de 100 milhões de dolares, 1 caça amx custa 20 milhões, 1 caça f16 custa 30 milhões, esses 24 caças f16 vão fazer o trabalho do amx com muito menos riscos para a FAB, nessa fase dificil , imagina a FAB perder 1 Gripen NG por acidente , vão logo 100 milhões de dolares para o lixo…

Gustavo

Gripen não só uma compra , e capacidade do país de produzir seus caças, se for olhar os próximos pedidos de compra do gripen veria com valor normal de um caça de sua geração.

ChinEs

Mas produzir e operar nos proximos 50 anos um caça de 4G++, as tecnologias evoluem tão rapido que corremos o risco do Gripen ficar desafado em 2030, Talvez a FAB e a Embraer têm outra carta na manga, talvez algo que não seja público ou para ser tratado em redes sociais e blogues como esse, mas o Gripen NG esta sendo bastante caro para a FAB, caro de operar, caro de manter, caro de comprar, acho que devemos ter calma ao avaliar as decisões da FAB.

Charle

E não sabiam de antemão que o Gripe seria caro de operar, manter e comprar? Que tivessem aceitado a proposta holandesa incial no início do séc.
Agora gastou-se uma fábula para dizer que “não dá mais”?

PY3TO - Rudi

Quem não tem Gripen suficiente caça com F-16!

Ivan herrera

Vamos adquirir uns 115 desses 230 block 25/30 que vão se aposentar a partir desse ano e teremos a maior força aérea do atlântico Sul rssssss.

Luís Henrique

Ou seja, cerca de U$ 10 mi para modernizar um Block 40/42 com radar AESA.

Leandro Costa

Acredito que essas sejam aeronaves que já passaram pelo programa de extensão da vida útil. Aí embute um custo de aquisição, peças sobressalentes, pacote de armamento, treinamento de pilotos e mantenedores, e o tempo da seleção das células, extensão da vida útil e modernização antes da entrega.

Prooonto… com isso eu já prefiro usar essa grana para fazer o óbvio. Comprar mais Gripens.

bjj

Esse foi o preço para eles, talvez pela grande escala (mais de 600 unidades), ou por serem aeronaves de uso doméstico. Taiwan pagou entre U$ 24 mi a U$ 32 mi por cada unidade modernizada de seus F-16 (algumas fontes informam U$ 3,47 bi por 144 unidades, enquanto outras informam U$ 4,5 bi por 139 unidades).

Fernando "Nunão" De Martini

Então já podemos pensar que, aos 12 milhões por F-16 usados, estimados como valor básico (sem os extras) da encomenda argentina, cada F-16 modernizado poderia ser oferecido por uns 22 milhões de dólares ao Brasil, no caso de grande benevolência dos americanos. Apenas um chute pra lá de otimista, deixo claro, para quem deseje sonhar com F-16 usado no melhor padrão de modernização possível. 22×24 = 528 milhões de dólares por 24 caças, fora os extras (armas, sobressalentes etc). Mas eu acho que eventuais F-16 ex-USAF para a FAB viriam dessa parte do texto da matéria: “ Além disso, a… Read more »

Camargoer.

Eu jogo sal grosso por cima dos ombros.

A estimativa de US$ 20 milhões por cada aeronave de segunda mão não modernizada é boa. Uma aeronave modernizada dever ser da ordem de US$ 35 milhôes, tomando como referência os diversos programas de modenização que a gente acompanha por ai.

O pacote vai ficar entre US$ 750 e US$ 1 bilhão.. tudo para ser entregue de 2028 até 2030 ou depois..

ideia de jerico

Fernando

Vade Retro!!

Bernardo Santos

Aí seria muita humilhação comprar esses blocks 25/30, pior do que os argentinos.

Camargoer.

Isso seria a “mileinização” da FAB

Jorge Cardoso

🤮🤮

Fernando "Nunão" De Martini

São os que darão baixa entre 2024 e 2027…

Luís Henrique

Vai saber. rss.
Na matéria do Sergio ele diz que serão block 40/42.
Também não é nada certo ainda e muito menos uma eventual modernização.
Mas já podemos cogitar. rss.

Rodolfo

Os block 40-50 serao atualizados pq os atrasos do F35 vao deixar um gap na USAF e a soluçao foi extender a vida dos airframes em atividade, por isso nao teria logica alguma a USAF repassar essas unidades pro Brasil. O caminho dos estocados é canibalizaçao por peças.

E se hoje os EUA autorizassem transferência de F16 modernizados da USAF seria pra Ucrania.

Rodolfo

Pouco provavel que qualquer dessas unidades atualizadas fossem exportadas pro Brasil com os atrasos do F35. So mesmo unidades mais antigas.

Marcelo M

Se fosse essa versão, a gente nem precisaria ter comprado o Gripen E. Provavelmente teríamos gastado 1/3 do valor de aquisição.

Camargoer.

Os aviões continuariam com muitas horas de voo, provavelmente a FAB não te3ria acesso ao código fonte e seria uma compra de prateleira…. Há uma grande dificuldade de entender a vantagem da fabricação nacional ou nacionalizada. A primeira delas, óbvia, é a geração de emprego. Substancial parte dos recursos pagos no processo de nacionalização são salários. Isso significa contribuição previdenciária (ou seja, o governo paga os salários e uma parcela volta para o cofre do governo na conta da previdência) Além disso, cada pessoa empregada vai consumir parte do seu salário. vai comprar sapatos, vai no mercado, vai pagar a… Read more »

Rodolfo

O Block 60 foi oferecido no FX2. Hoje so teria logica comprar o Block 70 novo. Dificil entender essa sua posição, um país como a Eslovenia consegue comprar Block 70 novo, mas a FAB tem que aceitar viver de resto dos outros.

Fernando

Não entendi. Entao o Gripen é “resto dos outros”?

Rodolfo

O comentario do Marcelo é que se a FAB tivesse ido de F16 block 40 modernizado, nao precisaria ter ido de Gripen o que eu nao concordo… o Gripen ainda sim é superior so pelo fato de estar no começo da vida util do airframe e o F16 usado so vai durar mais uns 15 anos.
Quis dizer que o F16 usado é o resto dos outros.

Charle

Ele estava falando em relação aos F-16. Que a depender da versão, são sim restolhos.

Aéreo

Esta modernização visa dar ao F-16 dois elementos fundamentais no estado da arte da guerra aérea moderna.

Um radar AESA que adiciona novas capacidades ECCM ao caça. E um sistema de data link que os mantem integrados a rede de combate da OTAN.

Em outros tempos, iria parece uma loucura modernizar tantos F-16 com este tempo de uso, mas considerando que o F-35 ainda não está disponível nas quantidades imaginadas há 20 anos atrás, faz sentido esta modernização.

 

Gabriel

De fato, o tempo de uso pode “incomodar” alguns, mas 600 caças é mais do que a força aérea de 90% do mundo. Só a Guarda Nacional tem 72, fora outras aeronaves…

eu que não gostaria de estar no caminho de 600 “caças velhos” rsrsrs
Essa modernização basta para fazer qualquer país rival molhar as calças

Rafael

Perguntas estratégicas: se a FAB comprar mesmo os F-16 e precisar modernizar…Vamos exigir ToT para fazer aqui?
Se envolver empresas israelenses ou empresas brasileiras com capital ou participação acionária israelense…como fica a decisão da FAB e o conflito de interesses com quem controla o orçamento e pode vetar?

Last edited 27 dias atrás by Rafael
bjj

Não precisaria modernizar com aviônica israelense, há outras opções, como esses da matéria que foram modernizados com componentes americanos. A Turquia também possui kits próprios de modernização e acredito que haja outros por aí. A grande questão é: vale a pena comprar e modernizar aviões com mais de 30 anos de uso? Se a FAB está pensando em comprar esses F-16 de segunda mão porque representariam uma solução rápida e de baixo custo, como se justificaria uma modernização que aumentaria os custos e atrasaria as entrega? E se a opção for por não modernizar, vale a pena gastar com aviões… Read more »

Fernando

Como perguntei acima, seria viavel extender a vida util dos AMX por mais 3 ou 4 anos?

Rinaldo Nery

Não tem mais suprimento pro motor! No mundo!

Fernando Rodrigues Martins

Mas este motor não é produzido sob licença na China?

Camargoer.

Geralmente, quando os EUA vendem equipamento de segunda mão de seus excedentes, é do tipo “pega e leva”. Em outros casos, eles podem envolver uma empresa dos EUA para a modernização ou revisão, como aconteceu com os M113.

Allan Lemos

O Legislativo lá não permite venda de equipamentos militares com ToT a países não alinhados com os interesses americanos, mesmo tecnologias mais antigas.

Então se a FAB chegar lá com qualquer papo de “exigir” qualquer coisa vão mandá-la e ver se estão na esquina, para não usar palavreado mais forte.

Ivanmc

Os nossos devem estar nessa leva modernizada.

Camargoer.

Acho que não. estes aviões são para uso dos EUA.

Ivanmc

Eu disse ‘devem.’
E você interpretou que eles ‘estão.’

Jorge Cardoso

Ele é o professor sabe tudo.

Camargoer.

Pois é… Resultado de muito estudo, dedicacso, leitura e humildade para aprender com quem sabe mais..

E dormir a noite para o conhecimento migrar da memória de curto prazo para a memória de longo prazo…

Fernando "Nunão" De Martini

Pra que criarem treta à toa?

Nenhum dos dois foi afirmativo.

Um disse “devem”, outro disse “acho que”.

Sergio Machado

Pode vir com radar quântico. Se vier desdentado serve para nada, além de status.
Os AIM-120 chilenos dependem de autorização do Tio Sam para emprego. Até mesmo para ir no banheiro dependem da boa vontade de Washington.
Se é para vir lata velha rodada com custo da hora de voo nas alturas e que não morde, que analise-se outra opção. Quem vive de status é influencer.

Camargoer.

Olá Sergio; Os EUA deram a autorização quando venderam os mísseis para o Chile.
Toda exportação de armas dos EUA depende de uma autorização do congresso, inclusive aquels M113 de segunda mão ou agora os helicóipteros para o EB.

Sergio Machado

Mas são apenas para fotos, segundo consta. O almirante peruano Jorge Montoya afirmou que contratualmente há permissão de uso do Amraan apenas com o consentimento de Washington, inclusive disparo em treinamento. Em suma, morde apenas se o Tio Sam autorizar.
Muito embora não demonstrou cabalmente o contrato, é um oficial general e a cláusula faz muito sentido para “equilibrar as coisas”. Os EUA julgam a AL seu quintal e sob seu controle.
Aceita quem se submete.

Santamariense

Fiquei curioso. Como um almirante peruano (Marinha), fala sobre o uso de um míssil a partir de um caça de Força Aérea, ainda por cima, de um caça que o Peru NÃO opera?!?!

Sergio Machado

Inteligência, meu caro. Chile e Peru possuem rusgas. Ninguém sabe melhor do inimigo que seu adversário.
Momento algum ele foi desmentido pelos chilenos.

Santamariense

Meu caro, tem dezenas de países que compram e usam AMRAAM. Pela lógica do que tu escreveu, são todos uns néscios.

Bispo de Guerra

𝐀𝐭é 𝐨𝐬 𝐮𝐫𝐮𝐛𝐮𝐬 𝐝𝐚 𝐛𝐚𝐬𝐞 𝐝𝐞 𝐀𝐧á𝐩𝐨𝐥𝐢𝐬 𝐬𝐚𝐛𝐞𝐦 𝐝𝐨 𝐦𝐚𝐥 𝐢𝐧𝐯𝐞𝐬𝐭𝐢𝐦𝐞𝐧𝐭𝐨 que 𝐬𝐞𝐫𝐢𝐚 ou será 𝐚 𝐚𝐪𝐮𝐢𝐬𝐢çã𝐨 𝐝𝐨s 𝐅-𝟏𝟔. Custo de Aquisição e Operação – embora o F-16 possa ter um preço competitivo, seus custos operacionais e de manutenção são mais altos.. 𝐜𝐨𝐦 𝐨 𝐭𝐞𝐦𝐩𝐨 𝐯𝐢𝐫𝐚 𝐮𝐦 𝐜𝐚ç𝐚 𝐧í𝐪𝐮𝐞𝐥. O Gripen é conhecido por ser mais fácil e menos caro de manter. Ele foi projetado para ser operado com uma equipe de manutenção menor e requer menos infraestrutura. O Gripen tem uma arquitetura aberta que facilita a integração de novos sistemas e atualizações. Ele também incorpora sistemas avançados de guerra… Read more »

Rosi

Parabéns prós EUA que tem todo domínio do Caça..

Caça do Brasil é o Gripen!

7 ° Mandamento: Não deixais vos seduzir por material usado que passara por um lindo e pomposo programa de modernização!
Labrai vos de não gastar o seus parcos recursos com àquilo que não e Gripen

Last edited 27 dias atrás by Rosi
Fernando

Amem!

Demolidor

Alguém tem informações do custo da hora de vôo do F-16.

Eu vi valores na internet falando que a hora de vôo de um F-16 chega a 25 mil dólares.

Camargoer.

Similar á do Gripen. Depende muito do modelo, da idade e da infraestrutura de quem opera o avião, mas deve ser em torno de US$ 15 mil, podendo ser mais caro que isso. Mas são números muto difíceis de serem obtidos com certeza

Demolidor

As informações que eu vejo na internet sempre o F-16 é muito mais caro que o Gripen, quase sempre o dobro do valor, mesmo os modelos mais novos do F-16.
Eu já vi publicações falando em 25 mil dólares a hora de vôo.

Last edited 27 dias atrás by Demolidor
Santamariense

E qual é a hora de voo do Gripen E/F? A FAB já conseguiu chegar a um valor final?

Sergio Machado

US$ 26.000 e subindo, de acordo com a idade da célula.
Mais caro que um Rafale bi-motor.

Demolidor

É semelhante ao valor que eu achei, a FAB não tem condição de manter uma aeronave com este custo.
É igual vc tentar comprar um carro importado de luxo antigo, é barato para adquirir, mas a manutenção é caríssima.

Bispo de Guerra

De acordo com um relatório de 2013 do Departamento de Defesa dos EUA, o custo médio por hora de voo de um F-16C/D era de aproximadamente $22.514 USD. Este valor inclui custos de combustível, manutenção e outros custos operacionais.

As estimativas sugerem que o custo por hora de voo do Gripen E seja em torno de $8.000 a $10.000 USD.

Demolidor

Não consegui entender o sentido da ideia da FAB tentar adquirir o F-16 com um custo de manutenção tão alto.

Camargoer.

Nem.eu….

Sergio Machado

Penso que a FAB não quer F16 algum, e sim pressionar a SAAB por melhores condições na compra de um novo lote de Gripen. Uma aeronave rodada, desatualizada e cara de manter como o F-16 é apenas um grande pepino.
Há reclamações do ritmo de entrega, bem como a demora na implementação da linha brasileira da aeronave.
Em tese, um eventual novo lote seria todo made in Brazil.

Bueno

Esta questão de um caça usado foi aventada pelos editores em materia do ano passado, acho que o Alexandre Galante que trouxe o assunto à baila Sou totalmente contra a compra de F-16 usados , já temos uma linha de produção no Brasil do Caça Gripen , pelo estimado de gastos nestes usados daria para comprar uma pequena quantidade de Gripen E, tipo 6 Gripen E e fazer leasing de mais 6 Gripen C , ate a contratação de outro pequeno lote. Se o argumento da FAB é a falta de dinheiro, então nao tem grana para o Caça usados e toda… Read more »

Last edited 26 dias atrás by Bueno
Santamariense

Nunca, em hipótese alguma, a hora de voo do Gripen E/F será de somente 10 mil dólares!!

DSC

O CPFH do F-16, assim como o de qualquer outra aeronave, varia muito dependendo de quem o opera, de onde e como é operado, de qual versão do F-16 é que estamos falando, e que tipo de custos exatamente entram no cálculo desse valor. Na Real Força Aérea Norueguesa por exemplo, o F-16AM/BM e o F-35A apresentavam em 2021 um custo por hora de voo muito semelhantes na casa dos $11,000-$12,000. Em relação ao CPFH do Gripen, não existe qualquer tipo de informação no domínio público sobre o CPFH do Gripen E/F, e o que existe sobre o Gripen C/D… Read more »

Last edited 26 dias atrás by DSC
Camargoer.

Sobre o Gripen, como é um avião novo e projetado para ter uma manutenção otimizadas, seu custo de operação deve ser menor do que aquela que teria um avião com complexidade similar

J.Neto

Nesse caso o Brasil vai ter que comprar um avião tanque específico ou o MILLENIUN pode usar aquela lança de abastecimento?

Kleber Peters

Até poderia usar. Mas quem vai pagar pelo desenvolvimento e homologação para abastecer caças que voarão pouco tempo?

Fernando

Gregorio, aí temos que analisar a questão que o Camargo levantou acima, o PIB do Grande Irmão do Norte é anos-luz superior ao nosso. Se pudessemos investir 1,2% do PIB deles, tambem fariamos um monte de graças!

Charle

Será?…

Camargoer.

Sim.. o PIB dos EUA é maior que o PIB do Brasil… 1% do PIB dos EUA é maior que 10% do PIB do Brasil ou até mais que isso.

Então, ao mesmo tempo que se busca uma otimização dos gastos militares é preciso crescer a economia.

Luís Henrique

Quais são os esquadrões da FAB que operam ou operavam F-5, AMX e Mirage 2000? Esquadrão Jaguar em Anápolis (Mirage 2000 / F-5) Esquadrão Pampa em Canoas (F-5) Esquadrão Pacau em Manaus (F-5) – Desativado em Dezembro de 2021 Esquadrão Jambock em Santa Cruz (F-5) Esquadrão Pif Paf em Santa Cruz (F-5) Esquadrão Adelphi em Santa Cruz (AMX) – Desativado em Dezembro de 2016 Esquadrão Poker em Santa Maria (AMX) Esquadrão Centauro em Santa Maria (AMX) A FAB desativou nos últimos 10 anos, 2 esquadrões. Caso não adquiram os F-16 usados ou achem outra solução, provavelmente vão ter que desativar… Read more »

Dod

A forma como o F-16 abre o canopy é muito bonita, a Saab perde uma gande oportunidade de fazer isso no Gripen.

Bueno

Uma boa opção seria  Leasing do Gripen C

A 2º e melhor Opção , Contratar um lote de 6 a 8 Gripen E , conforme o já argumentado pelos colegas , linha de produção só se mantém ativa, aberta com encomendas.

Faz um financiamento, um novo contrato para estes 6 a 8 Caças Gripen E , sem mexer no adendo de 25% do contrato em andamento.
Que este estudo se concluía afirmando que o custo beneficio é melhor investindo o dinheiro e o tempo com Caças Gripen…

Camargoer.

Qualquer alternativa à compra d Gripens novos deve ser descartada

Gabriel

A europa não está renovando seus arsenais na velocidade esperada, solução: enviar o material para ser destruido na Ucrânia, ou enfiar nas FFAAs latinas com a vantagem de manter esses povos na eterna dependência tecnologica.

Rodolfo

O F16 usado na OTAN é dependente de misseis americanos, os europeus nao ganham nada com a venda, so estao se livrando de material velho pra abrir espaço pro F35 que é normal, que eu saiba a Dinamarca nao obrigou a FA Argentina a comprar F16. A Europa ganha vendendo seus proprios caças como Rafale e Eurofighter, mas isso ta fora do orçamento das FA do continente.
Qual a sua solução, comprar aviao russo ou chinês?

Marcelo Bardo

No estudo da FAB a aeronave tampão seria para cobrir a desativação dos A1, segundo o Robert Caiafa.

Rinaldo Nery

Descobriu a roda, esse Caiafa…

Rosi

Kkk

JB

Ter um segundo vetor na FAB não seria uma má ideia. É aquela velha frase: “não se coloca todos os ovos em uma só cesta”. Sobre ser um caça “velho” chega a soar como brincadeira….velho comparado com F-35? Sim! Velho comparado aos nossos F-5???? AMX??? Super Tucano??? Qual o real perigo que enfrentamos? Qual a nossa necessidade de defesa e proteção do país? Com Gripen, F-16 e Super Tucanos disponíveis (em condições de uso/combate), qualquer vizinho que tivesse uma eventual diarreia mental e pensasse em atacar o país iria repensar tal ato! Combater o narcotráfico, as ameaças que podem se… Read more »

Camargoer.

Pelo contrário. È uma péssima ideia comprar aviões de segunda mão ao invés de usar estes recursos escassos em novos Gripen E

JB

Camargoer, como tudo na vida: depende!!! Não tenho preferências por esse ou por aquele, mas dependendo das condições, pode, sim, ser uma boa opção….ou uma estratégia (já manjada) de usar um “decoy” para negociar novos Gripen. Mas, isso só o tempo dirá! Por enquanto, nada temos além de especulações e opiniões dos nossos queridos leitores! Enfim, ainda tem muita água pra passar por baixo da ponte (se bem que, como gaúcho e morador de Porto Alegre, prefiro não falar muito de águas ultimamente). Abraço.

Maurício.

Quem diria, quem lia as revistas de aviação militar do início dos anos 2000, nunca imaginaria que em tempos de F-35 em 2024, ainda estariam modernizando F-16 block 40…Rsrsrs

Aparecido

Os EUA estão se preparando pra algo bem maior,faltam poucos dias pro evento

Santamariense

Eles tem mais de 900 F-16. Desses, vão modernizar 608.

Fabio

Dá 10 milhões por aeronave, pra deixa-las no mesmo nível do gripen E, nada mal.

willbill

notícia boa…. para os E.UA (rs) os F16 com ferrugem vão pra onde? ah, já tenho em mente algumas possibilidades, na américa do Sul kkk

RRN

Se realmente a FAB decidir por comprar um lote de F-26 usados que sejam unidades realmente modernizadas e poucas horas de vôo. De nada irá resolver nosso problema se as aeronaves que vierem terem vida útil de apenas uma década.
Ok, entendo que a intenção atual na compra dos F-16 não é das melhores, mas se esses aviões forem de lotes relativamente novos e já tenham recebido atualização que permitam economizar milhões num futuro próximo não vejo problema.