Tenente-Brigadeiro Damasceno assume a Força Aérea Brasileira (FAB) durante cerimônia realizada nesta segunda-feira (02), em Brasília (DF)

O Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior transmitiu o cargo de Comandante da Força Aérea Brasileira (FAB) ao Tenente-Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno, durante cerimônia que ocorreu nesta segunda-feira (02/01), na Base Aérea de Brasília (BABR).

A solenidade de passagem de comando também marcou a despedida do serviço ativo Tenente-Brigadeiro Baptista Junior – que esteve à frente da instituição desde abril de 2021.

A cerimônia, presidida pelo novo Ministro da Defesa, José Múcio Monteiro Filho, contou com a presença do Comandante da Marinha do Brasil Interino, Almirante de Esquadra Marcos Sampaio Olsen; do Comandante do Exército Brasileiro, General de Exército Júlio Cesar de Arruda; dos Membros do Alto-Comando da Marinha, do Exército e da Aeronáutica; do Ex-Ministro da Aeronáutica Tenente-Brigadeiro do Ar Lélio Viana Lôbo.

O evento contou também com a presença do Ex-Comandante da Aeronáutica Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista, que é pai do Tenente-Brigadeiro Baptista Junior e esteve à frente da FAB de 21 de Dezembro de 1999 a 02 de Janeiro de 2003. Além disso, estiveram na solenidade os seguintes Ex-Comandantes da Aeronáutica: Tenentes-Brigadeiros do Ar Juniti Saito, Nivaldo Luiz Rossato e Antonio Carlos Moretti Bermudez, bem como Oficiais-Generais das Forças Armadas e convidados.

 

 

Com mais de 47 anos de dedicação à FAB, o Tenente-Brigadeiro Baptista Junior passou às mãos do Tenente-Brigadeiro Damasceno o Bastão de Comando. Em seu discurso, emocionado, agradeceu a todos que contribuíram com a sua história dentro da Força: “Hoje, em meu último gesto como Comandante da Aeronáutica, minha continência selará a passagem das autoridades e responsabilidades que recebi de meu antecessor ao nosso novo Comandante e líder, Tenente-Brigadeiro Marcelo Kanitz Damasceno, amigo de muitas décadas, a quem empenho meu apoio e votos de muito sucesso na nova fase da vida”, sublinhou.

Na oportunidade, o Tenente-Brigadeiro Baptista Junior também agradeceu aos inúmeros amigos que fez, àqueles aos quais pôde liderar e aos que se fizeram líderes em seu coração. “Ao efetivo de militares e civis da Aeronáutica, durante todo meu tempo como militar da ativa, espero estar deixando um pouquinho de mim em vocês. Com certeza, levo vocês comigo, para sempre, em meu coração”, acrescentou.

 

 

Por sua vez, o Tenente-Brigadeiro Damasceno destacou: “É com brilho nos olhos e orgulho no coração, que todos os que aqui se encontram testemunham que as mesmas oportunidades franqueadas ao filho de um Brigadeiro, tenham sido igualmente oferecidas ao descendente de um Sargento. Dois amigos, quase irmãos; um nordestino, outro gaúcho; um caçador, outro patrulheiro; um tricolor, outro colorado. Singelas diferenças, mas muitas coincidências e convergências. Ambos colegas de turma, naqueles longínquos idos da década de 70, no Colégio Militar de Porto Alegre, dois devotados de corpo e alma à Força Aérea”, declarou.

O novo Ministro da Defesa frisou a importância da Força Aérea para a Nação e pontuou sobre o seu dever junto às Forças Armadas. “Reposto o meu compromisso de manter as bem-sucedidas iniciativas dos meus antecessores, uma busca incessante da manutenção dos programas e projetos de reaparelhamento de todos os ramos das Forças Armadas no incremento das capacidades operacionais do Ministério da Defesa, do desenvolvimento científico e tecnológico em prol do cumprimento das nossas missões institucionais na interação de todos os setores da sociedade e da cooperação internacional em todos os níveis”, enfatizou.

A solenidade foi abrilhantada, ainda, por aeronaves operacionais da FAB que sobrevoaram a Base Aérea de Brasília, como o KC-390 Millennium, o F-39 Gripen, o F-5M, o E-99, R-99 e o C-99.

 

Passagem de Bastão de Comando

O Bastão é símbolo de autoridade e insígnia de comando. É oriundo de tempos remotos, utilizado por reis e grandes capitães. Em campanha, as batalhas só se iniciavam quando o monarca ou o general-em-chefe fazia o sinal com o bastão. Assim, o ato de transmissão de posse deste bastão simboliza o início de um novo ciclo de comando da Força Aérea Brasileira.

Homenagem

Na mesma solenidade, foram prestadas homenagens ao Tenente-Brigadeiro Baptista Junior. Como símbolo do ato de despedida do serviço ativo e gesto de reconhecimento e respeito, o Cadete Aviador David Saraiva Machado entregou ao Oficial-General, para custódia definitiva, o Espadim de Cadete da Aeronáutica, marco inicial de sua carreira.

Na sequência, o Ex-Comandante foi agraciado com a insígnia de Tenente-Brigadeiro do Ar, oferecida pelos Majores Aviadores Nilson Rafael Oliveira Gasparello e Rodrigo Menacho Rosa, Oficiais que o Clique aqui para baixar a imagem originalacompanharam como assistentes nos últimos meses da carreira. Por fim, o novo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Damasceno, e sua esposa, senhora Thaís Budó, entregaram ao Tenente-Brigadeiro Baptista Junior e sua esposa, Cristiane Baptista, respectivamente, uma lembrança da Força Aérea Brasileira, como símbolo do dever cumprido, e um buquê de flores, como gesto de carinho e consideração.

Sobre o novo Comandante

Natural de Canoas, no Rio Grande do Sul, o Tenente-Brigadeiro Damasceno ingressou na FAB em março de 1976, sendo promovido ao posto de Tenente-Brigadeiro em 2018.

Com uma história de vida militar de mais de quatro décadas dedicada à Força Aérea, o novo Comandante chefiou e dirigiu diferentes Organizações Militares (OM), tendo sido Chefe da Seção de Operações do Segundo Esquadrão do Sétimo Grupo de Aviação (2º/7º GAV) – Esquadrão Phoenix; Chefe da Seção de Instrução e Doutrina do Grupo de Transporte Especial; Quarta Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica (4SC-EMAER); Assistente de Ministro da Aeronáutica; Assessor Parlamentar do Comando da Aeronáutica; Chefe da GC-2 do Gabinete do Comandante da Aeronáutica (GABAER); Assistente do Comandante da Aeronáutica; Comandante do Grupo de Transporte Especial (GTE); Chefe da Divisão de Relações Públicas do Centro de Comunicação Social da Clique aqui para baixar a imagem originalAeronáutica (CECOMSAER); Comandante da Base Aérea de Brasília (BABR); Adido de Defesa e de Aeronáutica junto à Embaixada do Brasil em Paris (França); Adido de Defesa e de Aeronáutica junto à Embaixada do Brasil em Bruxelas (Bélgica); Chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER); Comandante do Quarto Comando Aéreo Regional (IV COMAR); Chefe do Gabinete do Comandante da Aeronáutica; Secretário de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica (SEFA), e o último cargo assumido pelo Oficial-General foi o de Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER), no qual esteve à frente desde 2020.

O Tenente-Brigadeiro Damasceno é piloto operacional nas Aviações de Patrulha, Asas Rotativas e Transporte, e possui cerca de 6 mil horas de voos nas seguintes aeronaves: TZ-13; T-23; T-25; C-95; P-95; U-7; VU-93; UH-50; VH-55; e VC-96.

Descerramento da Foto

 

Na manhã desta segunda-feira (02), aconteceu também, em Brasília (DF), a cerimônia militar de descerramento da foto do Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior, na Galeria de Retratos de Ministros e Comandantes da Aeronáutica. O Tenente-Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno, antes de assumir o Comando da Aeronáutica, acompanhou a cerimônia. Também prestigiaram o momento membros do Alto-Comando da Aeronáutica e outros Oficiais-Generais.

A Galeria de Retratos das personalidades que conduziram o destino da Instituição, durante mais de oito décadas, está localizada na portaria A do prédio principal do Comando da Aeronáutica. Ao redor, estão o quadro “Preito aos Jambocks”, em homenagem aos heróis da Segunda Guerra Mundial, e as obras “Batismo de Fogo” e “Os Pioneiros”, confeccionadas e ofertadas pelo artista plástico Coronel do Exército Pedro Paulo Cantalice Estigarríbia.

 

FONTE: Força Aérea Brasileira

Subscribe
Notify of
guest

33 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Neto

Renovo necessário!

Vida longa às armas do estado. Que os governantes, temporários que são, se coloquem em seu próprio lugar.

Maurício.

Concordo, que cada macaco fique em seu devido galho, políticos na política, e militares dentro de quartéis, de preferência, que não dêem pitaco em política, até porque, isso não faz parte de suas obrigações.

Grifon Eagle

O pior é criar uma ”Guarda Nacional” para ocupar todos os espaços das forças armadas, inclusive na política e em diversas funções que cabem unicamente a elas.

Maurício.

Eu acho pior militares se metendo em assuntos que não lhes dizem respeito, militar deve ficar o mais distante possível da política. Quanto a tal guarda nacional, as forças armadas praticamente já são…

leonidas

Eu acho que pior é um judiciário que claramente usurpa suas atribuições e quando esta dentro de sua área que é o direito rasga de forma premeditada a constituição de cima abaixo.
Obs: Quepe patético esse que a Fab usa viu?
Parece coisa de fanfarra…

Last edited 30 dias atrás by leonidas
Maurício.

Você está falando do judiciário como um todo ou apenas de alguns membros? No início do governo passado, os militantes atacavam o Gilmar Mendes e o Dias Toffoli, até que esses manteram o foro privilegiado do Flávio Bolsonaro no caso das rachadinhas, foro esse, que tanto Bolsonaro e o próprio Flávio condenavam uns meses antes em vídeo entitulado “Quem precisa de foro privilegiado?”….Tem também o “mitonça” aquele terrivelmente evangélico que votou contra o deputado destruidor de placas, votou também pela soltura de Sérgio Cabral, tem também o outro, Kassio Nunes, que votou a favor de Lula, e antes de ser… Read more »

Felipe Morais

concordo Maurício. E amplio, se nos próximos anos o “Mito” passar a amar o judiciário, os mesmos críticos farão declarações acaloradas de respeito e admiração pelos mesmos. Não acho que você foi cirúrgico ao colocar “vocês são contra alguns que não votam a favor aos interesses de vocês”. Os interesses deles, na maior parte dos casos, não é o “deles”, é o que é determinado pelo político amado deles. Repito isso há muito tempo. O maior dos males desse país, atualmente, é a idolatria cega a populistas, seja de um lado ou do outro. Ontem o general Santa Cruz (que… Read more »

Maurício.

Eu escrevi um texto longo, mas saiu muito do tema e ficou preso, e pelo visto não vai ser liberado…rsrsrs.
Mas, de acordo com um sujeito, um soldado e um cado podem resolver as coisas no judiciário…😉 Talvez até esse comentário fique preso.

Grifon Eagle

O lugar dos militares está previsto na Constituição. Não é aonde um governante x ou y determinar, mas sim o que está na Constituição Federal, pois ela diz exatamente o lugar das Forças Armadas, sem contar que ela permite que um militar siga carreira política se assim ele desejar.

Pangloss

Perdoem a ignorância, mas o texto apresenta as expressões “Tenente Brigadeiro” e “Tenente Brigadeiro do Ar”. Há alguma diferença entre esses termos? O Brigadeiro Baptista Junior e o Brigadeiro Kanitz têm os nomes precedidos por ambas as expressões, ao longo do texto, que informa, ainda, que o Brigadeiro Baptista Junior teria recebido a insígnia de Tenente Brigadeiro do Ar de dois majores que o assessoraram recentemente. Além disso, os ex-Comandantes da Aeronáutica e o ex-Ministro presentes também são tratados como Tenentes Brigadeiros do Ar. Nesse caso, o recentemente empossado Comandante da Aeronáutica deve ser tratado como Tenente Brigadeiro do Ar,… Read more »

Felipe

Tenente-Brigadeiro é o último posto de um oficial da FAB enquanto em período de paz, ou seja, o mais alto posto da carreira. Acima dele somente o Marechal, mas esse posto é usado somente em caso de guerra. Tenente-Brigadeiro é que chamamos um Oficial-General de 4 estrelas. Seria o correspondente ao “Almirante” da Marinha e ao “General de Exército” do Exército. Quando se diz “do Ar” quer dizer que ele é um aviador por formação, um piloto. No caso dos Tenentes-Brigadeiros, todos são “do Ar” porque somente os pilotos chegam a esse último posto. Porém, para um Major-Brigadeiro, que é… Read more »

Last edited 30 dias atrás by Felipe
Pangloss

Obrigado pela resposta, Felipe!
Mas há um detalhe que sigo sem entender. O que significa agraciar o Comandante que deixa o posto com a insígnia de Tenente Brigadeiro do Ar?
Ele já não seria detentor dessa insígnia?

Rinaldo Nery

É a flâmula de comando, que é hasteada à frente dos prédios ou nas organizações quando ele está presente. Ele recebe uma de presente. Quando passei o comando do 2°/6° ganhei a minha de Tenente Coronel.

Pangloss

Obrigado pela resposta, Rinaldo!

Antônio Palhares

BOM dia Felipe.
Na Marinha o último posto em tempo de paz é.
Almirante de Esquadra.
Equivalente ao General de Exército.
Ambos com quatro estrelas.
A patente de Almirante.
Em tempo de guerra equivale a Marechal no Exército e Marechal do Ar na Aeronáutica.
Um abraço.

Nilo

Nesta período de transição de governo, supreendente o comandante Baptista Júnior, o que menos produziu ruído, entre as Forças, ao menos aos ouvidos do grande público, inclusive deixando claro, não compactua com quebra das normas do sistema democratico brasileiro, portanto, a que se mostra mas bem preparada para gerenciar, assimilar projetos de desenvolvimento de tecnologias nacionais auxiliando fortalecendo a indústria do pais, para tanto, projetos como VLM-1, 14-XS, propulsão líquida aplicável a veículos lançadores, LINK-BR2, CL-X3, implantação do CCDC-FAB, o ITASAT II, MICLA-BR, Drones.

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Esteves

Vida longa. Sucesso com resultados ao Comandante Damasceno.

Alex Faulhaber

Se alguém puder explicar… no portal da transparência aparece que o Ten Brig Baptista entrou para a reserva em 16/04/21. É possível?

Felipe

Sim. Não só é possível, como mandatório.
O Comandante da Aeronáutica, caso esteja na ativa ao ser designado, tem que entrar na reserva ao assumir o cargo.
É o que está previsto na Lei Complementar N° 97, Art 5º, parágrafo 2º.
O porquê disso eu não sei explicar… mas é o que a legislação determina.

Alex Faulhaber

Obrigado Felipe

Velho Alfredo

Felipe

Didáticas suas explicações.

Eu também tenho essa dúvida, do porquê da obrigatoriedade dos Cmt das Forças terem de passar pra reserva antes de assumir o cargo.

Me veio o seguinte, talvez por ser um cargo político.

Talvez, devêssemos ser como nos EUA, sendo os Cmt de cada força, o Chefe do Estado – Maior, escolhido pelo presidente.
E a “voz política” ser feita pelo Secretário da força, sensibilidade civil ou militar da Reserva.

Frederick

Entendo que lancem desse ardil a fim de evitar que o Comandante alcance a idade-limite para a permanência no serviço ativo no exercício do cargo.. Mesmo assim, a legislação também diz, sabiamente, que o Comandante não perde qualquer prerrogativa, deveres e direitos do serviço ativo, ainda que na Reserva.

Então, com os deveres, direitos e prerrogativas do serviço ativo, afasta-se a ideia de que o Comando é um cargo político. O do Ministro da Defesa é, por sua vez, político.

Last edited 30 dias atrás by Frederick
Pangloss

Acho que é por aí, mesmo. O interstício de cada posto de oficial general é de quatro anos.
O mesmo prazo do mandato presidencial.
Se o comandante de cada força ficasse sujeito aos limites de idade e de interstício, e se o mais antigo for o escolhido, um mesmo Presidente da República deveria nomear sucessivos comandantes, pois cada oficial mais antigo iria alcançando esses limites, ao longo do mandato presidencial.

Tiger 777

Vcs saberiam dizer, se os oficiais da FAB, falam inglês fluente??
Na marinha é normal, no exército deveria ser obrigatório ou falar inglês ou espanhol, pois nossas fronteiras são com países desta linguagem.

Abcs

Rinaldo Nery

O ensino da língua inglesa foi modificado, na AFA, anos atrás. Agora falam. Vários oficiais generais foram adidos no exterior, ou cursaram Cursdo de Estado Maior no exterior. TB Baptista Jr foi auxiliar do adido, em Washington. Há oficiais como professores na USAFA e em West Point.

Danilo Gentili 2026

Bora colocar o 14x para virar míssil hipersonico comandante!

Nilton L Junior

A troca de comando normalmente nem deveria ser objeto de importância mas o miliciano mafioso emporcalhou as forças armadas que agora até comprar papel higiênico vai ter debate se é patriota, liberal ou comunista.

Nilton L Junior

Off topic.

Matéria sobre o motor PD-8 e outras notícias https://youtu.be/Vk0oWDyRdfU

João Moita Jr

Em quanto a militares se metendo em assuntos que não lhes dizem respeito…
Em plenos 1889, um império grande que dava passos gigantescos, coberto de glória e nesse então com uma marinha de guerra causando preocupações até a Royal Navy, foi implodido internamente. O arremedo de pais que hoje existe se deve justamente a esses traidores da pátria. Não é por coincidência que hoje em pleno 2023 a malha ferroviária existente no país é praticamente a mesma de 1889…

Nilo

É Marinha das tradições, da época da chibata.
Foi leniente nossas Forças Armadas com atos lesivos a própria instituição.
Não acreditei fui verificar, “Presidente”.
Divulgando atos como Presidente ainda fosse.

Hoje, 05/01/23

@jairbolsonaro
Capitão Paraquedista do Exército Brasileiro. Presidente da República Federativa do Brasil. Candidato à reeleição com o número ……

Last edited 29 dias atrás by Nilo
Esteves

“Ausência de almirante Garnier na passagem de comando na Marinha causa mal-estar nas Forças.”

Bueno

Off Topic
em Breve o KC390 FAB2858 será entregue, esteve em Voo Gavião Peixoto
Não tenho visto o FAB2854 em voos a mais de 4 meses, alguém sabe por que? 

Last edited 29 dias atrás by Bueno
Wellington Góes

Desejo sucesso ao novo comando… A FAB necessita de um resgate aos seus projetos estratégicos, saí da esfera dos interesses do grupelho que esteve inserido nas decisões da força nesses últimos 16 anos… Resiliência, perseverança e foco na grandeza da força e do país, é disso que precisa… Chega de pequenez, de interesses escusos…
À la chasse FAB!!!