Eve eVTOL

  • Projeto de alta tecnologia é executado pela Eve, empresa da Embraer que atua no crescente setor de mobilidade aérea urbana
  • Com expectativa de lançamento no mercado em 2026, o eVTOL da Eve permitirá voos urbanos com zero emissão e ruídos até 90% inferiores aos de helicópteros

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento à Eve Soluções de Mobilidade Aérea Urbana Ltda (Eve), companhia independente fundada pela Embraer, para a primeira fase do desenvolvimento de aeronaves elétricas de decolagem e pouso vertical (eVTOL da sigla em inglês). Conhecido também como carro voador, o eVTOL da Eve será projetado para realizar voos urbanos e proporcionará baixos níveis de ruído e maior sustentabilidade em relação aos veículos tradicionais. Com zero emissões locais, o veículo deverá estar disponível no mercado a partir de 2026.

O BNDES financiará R$ 490 milhões dos investimentos, o correspondente a 75% do total investido nesta fase do desenvolvimento do projeto, voltada à pesquisa e desenvolvimento (P&D), que é de R$ 652 milhões. Desse valor R$ 80 milhões serão oriundos do Programa BNDES Fundo Clima (subprograma Mobilidade Urbana) e R$ 410 milhões serão provenientes da Linha Finem – Incentivada A/Inovação.

O veículo será 100% elétrico à bateria e inicialmente capaz de transportar quatro passageiros e mais o piloto, por uma distância de até 100 quilômetros. Os ruídos emitidos pela aeronave serão em até 90% inferiores aos de helicópteros.

O mercado de mobilidade aérea urbana será impulsionado nas próximas décadas por fatores como crescentes populações urbanas, limitações de espaço terrestre e altos custos de aperfeiçoamento de infraestrutura, bem como altos índices de poluição local dos meios de transporte tradicionais. Com uma tecnologia inovadora, os eVTOLs possibilitarão viagens curtas mais rápidas que os meios tradicionais e com zero emissões locais de gases de efeito estufa.

“Estamos muito orgulhosos do apoio do BNDES ao desenvolvimento do eVTOL. A operação é especialmente emblemática no âmbito do Fundo Clima, ao contemplar o desenvolvimento de um produto disruptivo e que mitigará a emissão de gases de efeito estufa. Trata-se de um enorme esforço inovador realizado no Brasil por engenheiros altamente qualificados. O sucesso no desenvolvimento do eVTOL permitirá o ingresso num segmento de mercado de alta intensidade tecnológica. Vale ressaltar que essa operação constitui mais um marco da longa parceria estratégica entre o BNDES e a Embraer, iniciada em 1997”, comenta Bruno Aranha, diretor de crédito produtivo e socioambiental do BNDES.

“Nós estamos muito felizes com a confiança e apoio que o BNDES tem mostrado à Eve, enquanto avançamos no desenvolvimento de nossa aeronave elétrica com zero emissões e continuamos a nos comprometer com a neutralidade de carbono em todo o ciclo de vida da aeronave”, disse André Stein, co-CEO da Eve. “Esse apoio vai não só acelerar a inovação, mas também a ascensão de uma nova forma de aviação mais sustentável com as aeronaves eVTOL, ajudando a transformar a indústria e a mobilidade urbana, e reduzindo a poluição sonora e o custo dos voos urbanos. O BNDES será um parceiro fundamental para completarmos o desenvolvimento do nosso portfólio de produtos e serviços.”

A consumação do financiamento está sujeita ao cumprimento de condições prévias fixadas pelo BNDES, dentre outros, e à assinatura do respectivo contrato.

Sobre o BNDES – Ao longo de seus 70 anos de história, o BNDES vem sendo o principal instrumento de Governo para promover investimentos de longo prazo na economia brasileira, além de ser um dos principais financiadores de micro, pequenas e médias empresas do País. O Banco tem importante atuação anticíclica em momentos de crise, como um dos formuladores das soluções para a retomada do crescimento da economia. Atualmente, o BNDES também atua com foco na criação e manutenção de empregos, na melhoria dos serviços públicos do Brasil, como educação, saúde e saneamento, além de apoiar o País na transição justa para uma economia neutra em carbono. O Banco tem como propósito transformar a vida de gerações, promovendo o desenvolvimento sustentável.

Sobre a Eve – Fundada em 2021, a empresa se dedica a acelerar o ecossistema de Mobilidade Aérea Urbana (UAM). Beneficiando-se de uma mentalidade de startup, apoiada por mais de 50 anos de experiência aeroespacial da Embraer S.A. e com um foco singular, a Eve adota uma abordagem holística para o progresso do ecossistema de UAM, com um projeto avançado de eVTOL, uma rede global abrangente de serviços e suporte e uma solução exclusiva de gerenciamento de tráfego aéreo. Desde 10 de maio de 2022, a Eve está listada na Bolsa de Valores de Nova York, onde suas ações ordinárias e bônus públicos são negociados sob os códigos “EVEX” e “EVEXW”. Para obter mais informações, visite www.eveairmobility.com.

DIVULGAÇÃO: Eve Holding, Inc.

Subscribe
Notify of
guest

14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nilo

Eu estou de férias ( rsrsrsrs).
Assinado Posto Ipiranga

Mateus

Bem melhor do que financiar infraestrutura em outros países.

Palpiteiro

Será que a fabricação será no Brasil?

João Moita Jr

Montados

Jorge Knoll

Não! Será fabricado no Paraguai

Luiz Paulo

Mas com certeza vai ter isso sim. Seja outro metro em Caracas, outra obra na Argentina, as migalhas ficam aqui. Até parece que ninguém viu esse filme.

jairo

onde fica a sede da Eve???

Wagner Figueiredo

Sou Uber..olha eu aí pilotando essa máquina.. ( e recusando nós mercados) rsrsrs

Nilo

A tendência do eVTOL e que sejam autônomos inicialmente por segurança voos com piloto.
Apesar das insistentes boas notícias que recebemos referente a EVE, a KPMG analisando quatro pilares no estudo: 1) aceitação; 2) infraestrutura; 3) política e legislação; 4) tecnologia e inovação. Olhando para o nosso quintal, o único tópico em que tivemos uma “boa” pontuação foi em infraestrutura, posicionando o país em 22º, na frente de Irlanda, Rússia e Espanha.

Last edited 1 mês atrás by Nilo
RenanZ

Creio que a parte do “autônomo” ainda levará uns bons anos pra sequer ser cogitada. Variáveis são inúmeras na operação aérea, e embora os riscos mais proeminentes sejam permitidos em um ambiente militar, são impensáveis para o transporte civil, ainda mais em cidades densamente povoadas, como se propõem os projetos

Claudio QUADROS

Qua altura esse negócio vai viaja. será vai se seguro, bateria de paner ?

Filipe Prestes

Penso que a certificação de um evtol deve ser uma imensa dor de cabeça

eliton

Esse negocio de carro voador tem tudo pra ser a nova TV 3D, ou no maximo um helicoptero remodelado.

GRAXAIN

Já definiram baterias e motores?