sexta-feira, dezembro 2, 2022

Gripen para o Brasil

BNDES apoia exportação de aviões da Embraer para os Estados Unidos

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Com a operação, quantidade de aeronaves adquiridas pela SkyWest com financiamento do BNDES soma 200 unidades

São José dos Campos, 10 de outubro de 2022 – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento para a exportação de seis jatos comerciais E175 da Embraer para a americana SkyWest Airlines, Inc. (SkyWest), maior empresa de transporte aéreo regional do mundo, cujas operações iniciaram em 1972. As aeronaves serão entregues ainda esse ano para a SkyWest no âmbito do contrato comercial previamente celebrado com a Embraer.

O financiamento, da ordem de R$ 670 milhões, se dará por meio do BNDES Exim Pós-embarque, com desembolsos realizados em reais no Brasil em favor da Embraer. A SkyWest (importadora) assumirá o compromisso de pagamento em dólares ao BNDES, gerando divisas nesta moeda para o Brasil. O setor aeronáutico é considerado estratégico devido ao seu alto valor agregado em conteúdo tecnológico, inovação e capacitação de mão de obra.

Esta foi a segunda operação do BNDES para apoio a exportações da Embraer para SkyWest a contar com estrutura de garantia inovadora, por meio do seguro de crédito privado da Aircraft Non Payment Insurance (ANPI), fornecida pelo consórcio de seguradoras privadas denominado Aircraft Financing Insurance Consortium (AFIC). A primeira foi realizada em dezembro de 2020, no valor de cerca de R$ 400 milhões.

O seguro ANPI da AFIC é liderado pela Marsh, uma das principais corretoras e consultora de risco do mundo. A apólice do seguro ANPI foi subscrita por um consórcio que contou com a participação de quatro grupos de seguradoras internacionais: AXA XL, AXIS Capital, SOMPO International e Fidelis Insurance.

O seguro prevê que, em caso de inadimplência por parte do devedor, as seguradoras honrem o serviço da dívida enquanto durar o default. O seguro de crédito privado da ANPI também aumenta a flexibilidade e velocidade de implementação do financiamento entre as partes para os compradores das aeronaves da Embraer.

O apoio do BNDES às exportações da Embraer foi iniciado em 1997 e provê condições de competitividade similares às de suas concorrentes internacionais, que também contam com financiamentos dos bancos de desenvolvimento e agências de crédito à exportação (Export Credit Agencies) dos seus respectivos países.

Siga a Embraer no Twitter: @Embraer

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A Companhia projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer Serviços & Suporte a clientes no pós-venda.

Desde sua fundação, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

- Advertisement -

62 Comments

Subscribe
Notify of
guest

62 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pedro Fullback

É fundamental um banco estatal financiar com juros baixos os nossos produtos. Porém, os brasileiros também precisa usufruir de juros baixos. É inaceitável que o Brasil tenha apenas 5 bancos grandes.

Camargoer.

Olá Pedro. Uma coisa de cada vez. Os empréstimos do BNDES para exportação são assinados para pagamento em dólares e cobram juros de mercado internacional. Além disso são financiamentos para capital, por isso os juros são mais baixos. O BNDES também financia o setor produtivo nacional com juros inferiores só contado pelo mercado. Praticamente todas as vendas de equipamentos no Brasil são financiados pelo BNDES. Por outro lado, concordo com você que o setor bancário braseiro cobras juros assustadoramente altos, mesmo considerando as taxas de inflação.

Underground

Como funciona o BNDES:
O banco não tem capital, pega recursos no Tesouro, que vai ao mercado, pagando, grosso modo, 15% aa. Os recursos são transferidos ao banco com taxa zero que faz empréstimo por 4% aa. Daí o lucro de 4%.
Um dia, com o recurso já comido pela inflação, ele devolve o dinheiro ao Tesouro.
Quem paga os 15% aa do Tesouro ao mercado? O trouxa, é claro. Aquele que defende banco público.

Palpiteiro

Prezado, Você esqueceu de colocar, o quanto a empresa paga de impostos de renda, ipi, inss, etc. Quanto seus empregados pagam de imposto de renda, icms, e quanto geram de impacto de primeira e segunda ordem na economia. Só o imposto gerado é maior que a diferença citada. Acrescentando, caso uma empresa japonesa for te vender um equipamento aqui no país, ele te vende a juro zero financiado pelo exportingbank local. (pois a taxa de juro por lá chega a ser negativa) Isso aconteceria com produtos dos principais países exportadores. Quanto mais alto o juro no Brasil, mais fácil é… Read more »

Sagaz

Faltou fazer a conta dos impostos arrecadados direta e indiretamente na cadeia produtiva dos aviões

Cristiano GR

E os impostos dos fornecedores de duralumínio, dos forncedores de motores, dos fornecedores de revestimentos plásticos, de revestimentos de tecido e couro, dos fornecedores de cabos elétricos que são alguns km por avião, dos fornecedores de todos os equipamentos de navegação, dos fornecedores de pneus, dos transportadores de tudo isso, … Enfim, é uma rede tão grande de geração de valor e renda que abrange desde o estivador no porto, o peão do gado que é tirado o couro, o dono da lancheria que vende aos caminhoneiros que transportam esses produtos, o veterinário, até o estudante que está se esforçando… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Cristiano GR
Underground

E aí, você já fez a conta dos impostos?

Underground

O Itaú fez.

Discus 2402

Por isso, é um banco de fomento. A finalidade não é dar lucro, óbvio que não pode dar prejuízo, mas sim auxiliar e financiar a indústria e o desenvolvimento no Brasil. Não tem nenhum trouxa. É um mecanismo de desenvolvimento pago com o dinheiro dos impostos.

Camargoer.

Olá Uder Segundo a página do BNDES, uma das maires fontes de recursos para os financiamentos de longo prazo é o FAT. Além disso, o BNDES também capta recursos de organismos internacionais como o BID. Também tem os recursos do Fundo da Marianha Mercante e FGTS. A coisa é bem mais complexa do que isso colocado por você.

Underground

E quem é o mercado no presente caso que emoresta ao Tesouro? O banco privado.
E porque o banco privado não consegue concorrer com o BNDES? Porque não tem garantia.
Apesar dos juros “absurdos” dos bancos, grande parte da renda dis bancos vem das taxas e não dos juros.
Enquanto o banco americano simplesmente vai lá e toma o bem não pago, o banco brasileiro tem de se submeter ao juiz de plantão.
Aí outro perguntou outro dia: por que tem social na Constituição é socialista?
E não?

FERNANDO

Se está exportando, é bom!!
Na realidade tinha mais, mas, pergunte ao FHC o que ocorreu.
O Banestado e o Bamerindus aqui no Paraná que o digam.

long live economic liberalism

Uma ideologia sem sentido, não se seja contra a venda de estatal, mas, como é feito é que MATA!!
É uma ideologia que foca no econômico e não está nem ai para o social e ser humano.
Bem coisa do século 19.

Henrique

que? kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Camargoer.

Olá Fernando. Aproveito para lembrar a longa discussão que tivemos sobre a venda da Embraer para a Boeing (que deixou um papagaio de cerca de meio bilhão de dólares). Lembro que argumentei que erra um erro porque a Empresa cumpria um papel econômico na capitação de dividas (para constar, a Embraer exportava US$ 2,5 para cada US$ 1 importado). Também argumentei que a Embraer era a principal (senão a única) marca internacional de tecnologia que o Brasil. Também argumentava que a existência do BNDES era vital como ExportBank para o sucesso da Embraer. … e como foi negativado. riso.

juggerbr

Os bancos estatais estaduais eram em sua maioria explorados pelos politicos, sendo maquinas de prejuízo para o estado. Não foi errado serem vendidos, o erro foi não estimular outros bancos a crescerem no Brasil, acabando nesta concentração atual.

Stemp

Hoje o BB e a Caixa dão um lucro absurdo. O erro – infelizmente – foi demorar aparecer alguém honesto para administrar. Os Correios já dão lucro, tanto que arrendaram um 737… Ou seja, se estivessem por aqui ainda, até o BANERJ poderia estar vivo, e dando lucro.

Sagaz

Se há mais concorrência na oferta de crédito a tendência é haver diminuição nos serviços e no crédito oferecido. Como estimular a concorrência tendo o governo como concorrente?

Camargoer.

Olá Sagaz. Na crise de 2008, os bancos privados reagiram reduzindo ou até mesmo cortando as linhas de crédito do setor industrial, paralisando a economia e agravando o problema. No caso brasileiro, os bancos públicos abriram linha de crédito para as empresas, permitindo que a economia ainda mantivesse a suas atividades, a despeito da incerteza no mundo todo. Nos EUA, a situação foi mais grave. O FED aprovou créditos para a rede de bancos privados mas os bancos retiveram os depósitos para garantir a própria solvência. A importância do banco público aparece nos momentos de crise e de crise aguda,… Read more »

Camargoer.

Olá Stemp. A questão do lucro de uma empresa pública é uma boa discussão. Será que uma empresa pública deve priorizar o lucro ou a prestação do serviço? Por exemplo, faz sentido esperar que uma empresa de saneamento básico tenha lucro ou seria mais adequado que ela reduzisse as tarifas a partir dos ganhos de produtividade? O próprio instituto Mises Brasil tem um bom artigo sobre a diferença no cálculo da produtividade no setor privado e setor público. No caso do lucro das empresas (públicas e privadas), existe uma discussão muito profunda sobre o quanto do lucro das empresas é… Read more »

Underground

Todos, todos mesmos, os aumentos autorizados na tarifa de saneamento pelo país nos últimos anos viraram, novamente, sem exceção, aumento de salários para os empregados da empresa estatal, sem aplicação na atividade fim.
Onde está o social? O social está na conta de quem paga.

Camargoer.

Olá Under. Como eu disse, o debate é fundamental para entendermos a situação. Inclusive sobre a remuneração dos funcionários das empresas estatais pois isso tangencia a discussão sobre os meios que são empregados para elevar os lucros, essencialmente achatamento dos salários, corte de despesas e supressão de investimentos. Claro que é possível reduzir o custo do tratamento da água/esgoto achatando os salários dos funcionários destas empresas, mas até onde é possível reduzir salários ou adiar reajustes sem prejudicar a própria atividade fim que é fornecer água potável á toda a população de uma cidade e tratar todo o esgoto?

Frederick

O primeiro apoio do BNDES à Embraer se deu em 1995, para o desenvolvimento do programa ERJ-145.

Camargoer.

Olá F. São coisas diferentes. O BNDES pode financiar a indústria brasileira para amplias suas fábricas, para desenvolver um produto e até para ela importar bens de capital para modernizar os seus processos produtivos. O BNDES também atua como ExIm-Bank, ou banco de financiamento de exportações. Cabe sempre ao país exportador ofertar a linhas de financiamento (exatamente como os suecos fizeram com o F39)

Frederick

“O apoio do BNDES às exportações da Embraer foi iniciado em 1997″

O sujeito lê rápido, sem atenção e ainda pretende corrigir o artigo… (risos) Querido Camargo, gratíssimo pela observação. Ficarei mais atento nas próximas!

Camargoer.

Olá Fred. Tranquilo. Acho que é normal a gente se equivocar quando confia demais na memória. Ontem o RInaldo deu uma lição em mim sobre o emprego de BVR pela FAB. #tamojunto

Rinaldo Nery

Curiosidade: quando comandei o 2°/6° GAV recebi a visita de dois representantes do EXIMBANK, que foram a Anápolis verificar a aplicação de parte dos recursos destinados ao Projeto SIVAM. Um homem e uma mulher, norte americanos. Ficaram bem satisfeitos com o que viram e ouviram.

Camargoer.

Olá Rinaldo. Que legal. Você colocou um excelente caso. A empresa dos EUA venceu a licitação e a exportação foi financiada pelo Exibank (um análogo ao BNDES, mas limitado apenas ás transações de exportação e importação. O BNDES tem mais atribuições poque também financia obras de infraestrutura de governos munificapos e estaduais, coisa que o Eximbank não faz). Estes bancos (inclusive o BNDES) possuem uma equipe de auditores que analisam a execução dos projetos (por amostragem). Como a venda dos equipamentos do Sivam envolveram dólares, também existe o monitoramento do Departamento de Justiça dos EUA. De vez em quando, eu… Read more »

observador

Muitas mentiras foram construídas quando o BNDES financiava empreiteiras brasileiras em operações de mesmo formato em outros países, abrindo mercados para nossos produtos, gerando divisas financeiras com juros, fomentando a indústria da CC na produção de manufatura e, colocando o país como um player global. Tudo isso foi destruido em uma operação que a história se encaregará de contar as gerações futuras.

Mirade1969

Não esquecer que mesmo assim houve beneficios pois empregava empresas brasileiras com know how brasileiro mas um juiz e uns camaradas mau intencionados fizeram de tudo para jogar na lama o que na verdade poderia ser lucrativo para o pais e resultou em milhões de desempregados e uma crise gigantesca. Acredito eu que tinha dedo de um certo país do norte nisso e nossos vira latas de sempre que estão ai ainda.

Henrique

KKKKKKKKKKKKKK ainda bem que foi culpa de juiz e uns camaradas mau intencionados e o dedo de um certo país do norte nisso e nossos vira latas não da corrupção que tomava conta da empresa né… imagina se mais da metade da empresa só existisse em função de contratos superfaturados a ponto de existir até o departamento de propina para gerenciar a corrupção kkkkk

mas é óbvio que isso pura fanfic… tudo culpa do juiz e dos noiteamerikanus

Mirade1969

A corrupção como bem sabemos já era uma prática antiga no país mas o que houve não foi a punição aos executivos e administradores que faziam isso e se houve foi pequena mas também penalizaram as empresas o que gerou um grande desemprego e uma crise que perdura até hoje, não havia interesse em salvar o trabalhador mas passar a imagem de limpeza mas só se for de esquerda os de direita que eram amigos foram poupados e por fim descobriu-se que muitas acusações eram armadas com a promotoria o que “corrompeu” o processo.

Cristiano GR

Eles acreditam nisso e defendem com unhas e dentes o herói deles. kkkkk

Camargoer.

Caro Henrique.Existe um relatório (disponivel na internt) escrito pela FIESP (veja só) que estima que a operação Lava-jato causou um impacto negativo de R$ 142 bilhões no PIB em 2015 em função da paralisação da atividade econômica. https://www.fiesp.com.br/siniem/noticias/impacto-da-lava-jato-no-pib-pode-passar-de-r-140-bilhoes-diz-estudo/

Saldanha da Gama

Lucrativas para o país? Que bom que venezuela e cuba nos pagaram….

Camargoer.

Olá Saldanha. O Observador e o Mirade estão certos. O BNDES tinha um longo histórico de financiar as empreiteiras brasileiras para executar obras no exterior. A ideia era simples. A Empreiteira brasileira participava da licitação no exterior com um financiamento aprovado do BNDES para contratar os serviços de engenharia (elaboração do projeto, orçamentos, admnistração da obra) no Brasil e para comprar os equipamentos de fornecedores brasileiros. O contratante (geralmente o governo de um pais) faria os pagamentos diretamente ao BNDES em parcelas contratuais. Como a continuidade do projeto estaria vinculada ao desenvolvimento do projeto, os desembolsos eram feitos diretamente aos… Read more »

Magno Barbosa

Não foi o que aconteceu nos últimos anos…vários empréstimos não foram pagos e que saiba não eram segurados e/ou tinham garantias. A verdade é que várias parcelas estão em aberto sem a mínima chance de serem recebidas.

Camargoer.

Olá Magno. Os contratos estão disponíveis na página do BNDES que explica tudo isso de modo muito mais claro do que eu mesmo consigo fazer. Lembre que há alguns anos, todos estes contratos foram auditados e os relatório também estão disponívies na internet. Ás vezes, vale a pena gastar algum tempo e ler tudo isso. Vale a pena.

Stemp

O problema foi mudar a legislação para aprovar o financiamento a países mal pagadores… Né…

Camargoer.

Caro Stemp. Toda a documentação do BNDES está disponível para consulta pública. O BNDES é auditado e por envolver pagamentos em dólares, estes contratos são monitorados pelo Governo dos EUA. Estes contratos internacionais envolvem uma rigorosa legislação internacional de combate á corrupção e ao terrorismo. O fato de um governo pagar ou atrasar o pagamento do financiamento não impacta no balanço do BNDES porque estes contratos são segurados. né?

observador

Quer descobrir a verdade além do fanatismo político irresponsável? Simples, é só vc dar um google e buscar o aumento de superávit de balança comercial logo após a assinatura de contrato com esses paises que “receberam” empréstimos. Ligando lé com cré, vais ver que mesmo supostamente “não pagando” esses países pagaram de outra forma. No mundo dos negócios você não ganha sempre, é preciso ter astúcia e entender a dinâmica do jogo, porque no final das contas importa o resultado. Aquela velha análise a respeito da eficência e eficácia.

Camargoer.

Caro Saldanha. Recomendo visitar a página do BNDES para sanar alguns equívocos. https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/transparencia/bndes-aberto/exportacoes A linha de financiamento exportação de serviços usada pelas empreiteira permitia que elas apresentassem uma vantagem competitiva nas licitações internacionais. Estes recursos eram pagos diretamente pelo BNDES aos fornecedores de serviços e bens de capital e consumo de empresas brasileiras contratados pelas empreiteiras para executar a obra. Estes pagamentos eram feitos em reais. Nem os governos contratantes em as empreiteiras recebiam estes recursos, que eram liberados seguindo cronograma de execução. O contratante pagava as parcelas em dólares (ou em outro moeda segindo o contrato assinado) diretamente ao… Read more »

João Adaime

Prezado Camargoer O BNDES só pode financiar obras no exterior se esta for executada por uma empresa brasileira. Até aí tudo normal. O que faltou você dizer é que as obras eram superfaturadas e o valor a mais era dividido entre contratante (governos geralmente ditatoriais) e financiador (governo brasileiro via BNDES). A forma como o principal mandatário daqui recebia a sua parte no desvio era feita de maneira genial. Ele supostamente dava palestras que eram regiamente remuneradas. Como se tratava de prestação de serviço, não havia necessidade de insumos físicos, apenas “intelectuais”. E o correspondente recolhimento dos impostos esquentava o… Read more »

Camargoer.

Caro João. O financiamento do BNDES é para a empreiteira contratar serviços e bens de empresas brasileiras. Não é para financiar a totalidade da obra. Os recursos são pagos diretamente pelo BNDES para a empresa brasileira que forneceu os serviços e bens de capital e equipamentos usados na obra. Os pagamentos para a empreiteira pela execução da obra são pagos pelo governo estrangeiro que contratou a obra. Se a obra foi superfaturada, isso é um problema entre o governo estrangeiro e a empreiteira (e as empreiteiras de outros países que perderam a obra). Temo que você não tenha compreendido como… Read more »

João Adaime

Caro Camargoer
Ótima explicação. O que não entendo é a delação dos empreiteiros, onde confessam seus crimes. A Odebrechet, por exemplo, também foi processada no Peru e pagou ou vai pagar 228 milhões de dólares por causa de subornos em obras públicas.
Afinal, de onde as empreiteiras pegaram dinheiro para pagar suborno? E por que tiveram de devolver dinheiro, se não era dinheiro nosso?
Dúvidas que permanecem.
Abraço

Camargoer.

Olá João. As empreiteiras têm um histórico bem conhecido de corrupção no Brasil e em todo o mundo. Esta semana, por exemplo, foi descoberto um escândalo em contratos para asfaltamento de quase R$ 1 bilhão. Toda obra que será licitada tem um valor de referência, calculado por um departamento técnico independente (seja no BNDES, na Caixa ou em algum ministério). Em algumas licitações, as empreiteiras organizam um cartel combinando os valores para que cada uma delas ganhe um trecho da obra no valor, anulando a concorrência. O pagamento das obras é feito segundo o progresso da obra, que é auditado… Read more »

Camargoer.

A propósito. Não admito ofensas. Então você pode pedir desculpas por me ofender ou me esqueça e Vá Ser Feliz.

João Adaime

Desculpa, mas eu não me referi a você e sim aos apoiadores daquele pessoal que saqueou nossos cofres. Eles até hoje não admitem culpa.

Last edited 1 mês atrás by João Adaime
Camargoer.

Olá João. Beleza. Eu também peço desculpas. Tem um pessoal, poucos, que as vezes exagera e ele o debate para um nível pessoal. Um abração.

Mirade1969

Estas obras são pagas em mais de 20 anos, não acredito que com sua inteligencia não sabia que eram pagas em muitos anos e não à vista?

Cristiano GR

kkkkkkkkk
olha só contei a histórinha ali no comentário anterior e fui ler o próximo e encontrei o repeteco da histórinha. kkkkkkkk

Tem que rir pra não chorar. Barbaridade!

Silvano

Tens saudades da época dos charutos como garantia? rapaz, além disso, esses bilhões de dólares em obras de infra estrutura no exterior poderiam ter sido aplicados no Brasil, estradas, portos, trilhos, saneamento. Era muita garganta e pouco resultado, além dos desvios astronômicos. Você pagou com seus impostos o porto de Mariel, nunca nos pagaram e hoje é operado por uma empresa asiática.

Camargoer.

Olá Silvano. Acho que você está confusos sobre como são usados os recursos do BNDES. Existem trẽs tipos de financiamento. 1. para o setor industrial, seja para adquirir bens de capital ou financiar as exportações de bens e serviços, 2. para o setor público brasileiro (estados, municípios e união) executar obras de infraestrutura e 3. fundo perdido. Uma coisa nada tem a ver com a outra. Para a execução de obras de infraestrutura (estradas, metrô, pontes, esgoto, aeroportos, etc) basta o governo do município, estado ou governo federal submeter um projeto ao BNDES que sera avaliado e uma vez aprovado… Read more »

Silvano

Dinheiro para ditaduras e bandis? Tô fora, parça.

Prefiro que aquilo que eu pago de impostos seja investido dentro do meu país.

Camargoer.

Olá Silvano. Vocẽ está equivocado. O contratante eram os governos estrangeiros que pagavam para a empreiteira brasileira para executar uma obra, não o contrários. Além disso, como expliquei, os recursos do BNDES são usados para contratar serviços e bens de empresas brasileiras NO BRASIL. Entendeu?

Rafael Cordeiro

Só faltou você olhar a diferença da segurança financeira entre a operação com a SkyWest (da matéria citada aqui) e com as empreiteiras que foram contratadas para obras em Cuba, Venezuela e Moçambique que você citou. No caso das empreiteiras, as operações não envolviam seguradoras, pois se envolvesse, as dividas com o BNDES continuariam a serem pagas e não haveria prejuízos aos cofres públicos.

Camargoer.

Caro Rafael. As operações de exportação de serviços do BNDES (linha usada pelas empreiteiras) também eram seguradas. Isso está informado na página do BNDES. https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/transparencia/bndes-aberto/exportacoes

Moisés

Parabéns pela explicação Camargoer. Infelizmente, algumas pessoas insistem em ignorar a realidade. O BNDES tem um papel social muito importante para o desenvolvimento do nosso país. E deve ser respeitado por isso.
A maioria das pessoas está cansada das Fakes News sobre esse mesmo assunto.

Slow

Se foi pra americano pode … 👍🏻🤡

Rafael Cordeiro

Eu diria de outra forma…

Se for pra quem tem histórico de bom pagador, pode!

É só você começar a pensar como empresa, daí fica fácil entender: Você presta serviço para um cliente, ele não te paga e nem tem perspectiva de pagar, porém você também tem outro cliente, que sempre utiliza seu serviço e te paga, você continuaria prestando serviço pro cliente que não te pagou?

DanielJr

Acho que você está se referindo a história de Cuba, Venezuela etc. Eu, pessoalmente, não me importo de aportar dinheiro para financiar a indústria nacional (empresas sérias, não somente as amigas do banco) desde que haja garantias de pagamento, seguro, essas coisas. Financiar empreendimentos com quase certeza de não pagamento das prestações não é aceitável.

O cliente sendo cotado como bom pagador, por mim não há problema.

Henrique

melhor que metro e porto em pais de ditador

THIAGO PIRES

A Embraer como indústria estratégica aeroespacial merece todo apoio e amparo do Estado Nacional Brasileiro, na medida em que a empresa gera conhecimento, empregos de qualidade e tecnologia no País.
Espero que no novo governo que assuma o país, a empresa seja mais reconhecida e apoiada, como uma riqueza intangível do Brasil.

Últimas Notícias

VÍDEO: Documentário ‘Highway’ sobre operações aéreas em rodopista na Tchecoslováquia, em 1980

O documentário "Highway" foi filmado pelo Checoslovak Army Film no outono de 1980 durante um exercício militar entre os...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -