domingo, setembro 25, 2022

Gripen para o Brasil

Rússia amplia instalações para aumentar produção em série do caça Su-57

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A United Aircraft Corporation (UAC) está construindo uma série de novas instalações em sua fábrica de aeronaves Komsomolsk-on-Amur (KnAAZ), no extremo leste da Rússia, em uma tentativa de aumentar a capacidade e permitir que a empresa aumente a produção em série do caça furtivo multifuncional Sukhoi Su-57 de quinta geração.

Uma subsidiária da Rostec State Corporation da Rússia, a UAC construirá várias novas instalações na KnAAZ projetadas para testar sistemas e equipamentos para o Su-57, incluindo uma instalação para testar equipamentos rádio-eletrônicos a bordo, um reservatório de combustível e uma estação de teste de motor. A construção dessas novas instalações está sendo realizada às custas da UAC, que deve entregar 76 caças Su-57 ao Ministério da Defesa da Rússia (MOD) nos próximos anos.

Como parte de um programa para aumentar a produção em série do Su-57, a UAC planeja reconstruir as atuais capacidades da KnAAZ para ajudar a expandir a produção. Este trabalho será realizado com recursos do orçamento federal da Rússia.

Vladimir Artyakov, primeiro vice-diretor geral da Rostec State Corporation, disse: “A UAC está cumprindo um grande contrato estatal. Nos próximos anos, o [MoD russo] precisa receber 76 caças Su-57. A fim de produzir o número necessário de aeronaves com alta qualidade e dentro do prazo, começamos a expandir e modernizar as instalações de produção. Já no segundo semestre de 2023, as novas instalações da estação de testes de voo da KnAAZ devem receber a primeira aeronave.”

A UAC marcou o início da construção durante uma cerimônia de fundação dos novos edifícios no KnAAZ em 19 de agosto, como parte das comemorações do Dia da Frota Aérea da Rússia e para marcar o 88º aniversário desde a formação da KnAAZ. Durante o evento, uma cápsula comemorativa com uma mensagem para as futuras gerações de construtores de aeronaves KnAAZ foi colocada na fundação de um dos prédios.

Tendo completado seu voo inaugural em 29 de janeiro de 2010, o Su-57 – o primeiro caça furtivo multifuncional de quinta geração da Rússia, desenvolvido para rivalizar com o Lockheed Martin F-22A Raptor desenvolvido nos EUA – permaneceu em testes na maior parte de sua vida, com apenas dez protótipos e pelo menos seis exemplares de produção em série até o momento. Tendo entrado em serviço operacional com as Forças Aeroespaciais Russas (RuASF) em 25 de dezembro de 2020, o tipo viu um serviço de combate limitado e, embora tenha sido desdobrado para operações sobre a Síria em algumas ocasiões, não foi usado para apoiar a ofensiva russa em Ucrânia.

Ao considerar os planos iniciais de aquisição da Rússia para o Su-57, a aquisição foi reduzida e adiada consideravelmente em várias ocasiões, com questões técnicas e sanções ocidentais à economia russa após a anexação da península da Crimeia em 2014 sendo fatores-chave para isso. O MoD russo inicialmente planejava adquirir 60 Su-57s padrão de produção até 2020, seguidos por mais 150-160 até 2025. No entanto, esses planos mudaram depois que o presidente russo Vladimir Putin anunciou que 76 exemplares seriam comprados e entregues às Forças Aeroespaciais Russas pela 2028.

Potenciais pedidos de exportação também foram considerados nos planos iniciais para o ciclo de produção do Su-57. Por exemplo, uma versão indiana da plataforma deveria ser desenvolvida sob o programa Sukhoi/Hindustan Aeronautics Ltd (HAL) Fifth Generation Fighter Aircraft (FGFA) ou T-50, agora cancelado. Desde que a Índia se retirou do programa em 2018, o Su-57 ainda não registrou nenhum sucesso no mercado global de exportação.

FONTE: key.aero

- Advertisement -

100 Comments

Subscribe
Notify of
guest

100 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Thiago A.

LoL

Joe

Bem. Vamos ver se agora conseguem montar um esquadrão com esse remendão 57.

Luis Carlos

Parece que as armas americanas (ocidentais) não estão tendo um desempenho aceitável.
Depois da caça aos M-777, da destruição de alguns HIMARS e da ‘falha do Javelin’, agora um MQ9-Reaper foi abatido por um Pantsir na Líbia.
Que fase!

https://t.me/boris_rozhin/61205

Luis Carlos

E não adianta refutar a imagem, porque já existem várias fotos do aparelho no chão sendo pisoteado pelos líbios.

Leandro

Quantos drones russos foram derrubados na Ucrânia?
Ah esqueci…tu só lê ria novosti..

Hcosta

Já começa a ficar desesperado por alguma vitória moral Russa. Desde quando abater um Reaper é algo que demonstra a superioridade Russa? É um sistema assim tão difícil de abater? Um simples turbo hélice…

Se ainda fosse algo como o abate do F-117…

Felipe Morais

Ele vangloria a derrubada de um equipamento (mesmo que fossem mais de um) e omite a parte dos vídeos diários de armazéns russos destruídos no território ocupado.

Enfim. A saga de um adulto adolescente brasileiro para balançar o pompom por seu ídolo.

Jose

E o colega acha que a proposta do drone é ser invulnerável?
Alguns HIMARS serem destruídos não é expectável? Os EUA só enviaram 1 à Ucrânia acreditando na sua invulnerabilidade?
Falha do Javelin? O colega pode partilhar, por favor, o alucinógeno que anda tomando? Acho que todos se beneficiariam da mesma “elevação do estado mental”

Luis Carlos

O problema não é ser invulnerável.
É ser vulnerável na Líbia.
Imagine em uma guerra contra a Rússia.

Leandro Costa

Ninguém vai usar Reaper em ambiente de grande intensidade.

Nascimento

Empregam sim. Empregaram o Bayaraktar TB2… Pq não o Reaper?

HLopes

Normalmente não se utilizaria Reaper em zona de combate de alta intensidade, no entanto, da forma como a defesa aérea russa tem falhado acho que seriam uma mais valia.
Melhor a russia pedir à Libia para ensinar como se faz, não acha?

Datafire

Como se abater um MQ9 fosse algo para se vangloriar. O Pantsir, deixou passar quase todos os drones em Khmeimim, falhou a completamente na luta contra a IAF, deixou a Snake Island ser tornada num churrasco pelo UKR, ficou a ver passar o que atacou Saki, deixou o Almirantado de Sevastopol ser atacado por um drone, etcetc. Quanto ao resto, não vale a pena comentar, mas Saki e as pontes em Kherson, dizem bem o valor do HIMARS. “falha do Javelin” Os sistemas AT ocidentais, junto com os locais são responsáveis por isto: Captured or destroyed vehicle) Russia – 5332,… Read more »

Luis Carlos

Para os líbios, sim.
É algo para se vangloriar.

Agnelo

Jogue menos supertrunfo, e estude mais a Guerra, verás q NADA é imbatível, verás q morre gente dos dois lados, e vai parar de postar essa rolha q postou….

Erick Barros

Sim, vamos estudar com os gênios da ESG que falaram que o Trump iria dar 1 PA Nimitz ao Brasil e 9 Arleigh Burke para o Brasil enfrentar a França.

Almeida Neto

Quem com joga no time do Maduro já perdeu!

Andre

E com todo o sucesso russo em destruir uma ou outra unidade de armas ocidentais ele não conseguem avançar mais nada na Ucrânia?

Marcos Silva

Mas eles estão avançando….pra retaguarda! Esses russos são uns comédia mesmo.
Vixe! Esqueci…. Já vem uma putinete raivosa dizer o contrário.

RPiletti

Não estando tendo desempenho aceitável? Volta de Nárnia…

Guilherme Leite

Aos que falam mal da família F-35, é um caça com diversos problemas, mas ta ai em operação, já isso:

Desde que a Índia se retirou do programa em 2018, o Su-57 ainda não registrou nenhum sucesso no mercado global de exportação.”

Joe

A Índia deu a dica.

Mirade1969

Mas o Rafale que não é um caça de 5ª geração também demorou muito para ter um cliente além da França e hoje já tem alguns vendidos para outras nações, ele foi concebido para ser da Força Russa primeiramente e se vier a ser exportado será um extra.

Luis Carlos

E qual a vantagem?
O simples fato de estar em operação?
Apresenta vários defeitos e toda hora cai um.
Imagine em uma guerra.

Leandro

Tipo o todo poderoso su-35 S?

Jose

Neste momento a vantagem é:

825 F-35 produzidos x 16 SU-57

Mesmo que caissem 800… ainda estariam em maior número que o SU-57

Luis Carlos

Quando caírem 800, o próximo será o 801.
E provavelmente por uma falha, das inúmeras que ele tem.

Victor Filipe

Aqui no aéreo a a oque? uns 3 ou 4 anos atrás? não me lembro bem, saiu uma matéria falando que o F-35 tinha mais de 2 mil falhas no software, dentre falhas leves, medias e graves um ano depois uma outra matéria saiu falando que os erros totais tinham caído para 900 Quantos problemas será que ele tem hoje? eu particularmente nunca vi mais matérias falando sobre isso. porem o avião continua vendendo, continua sendo entregue a uma media de 100 aeronaves ao ano e continua voando. E o Su-57? ouve algum relatório da Russia que constava quantos problemas… Read more »

Andre

De acordo com a própria Tass, apenas 4 de série foram produzidos até agora

https://tass.com/defense/1494379

Hcosta

Sim, obviamente que um avião que não está em operação tem grandes vantagens.

Pode ser tudo aquilo que alguém imaginar ao contrário de um que está ativo em que podemos avaliar as suas qualidades e defeitos. Contra factos desses não há argumentos…

Mirade1969

Aonde caiu mais um, pois só o primeiro caiu a menos que você tenha alguma informação privilegiada.

Léo Neves

Dizem que a Argélia comprou mas só vai receber quando os motores definitivos estiverem prontos após 2024.

Zorann

É isso mesmo que eles tem de fazer….

Substituir a produção da família Su-27 por esta nova aeronave.

Carlos Campos

mas se fechar a linha dos Flankers eles terão um produto a menos para exportar.

Jose

O Flanker ainda é uma plataforma extremamente respeitável em combate, O SU-57 é o primeiro stealth russo, e talvez, apenas talvez, fabricá-lo em larga escala seja um erro. Ainda há muita mudança no paradigma da superioridade aérea por vir com os hiper-sônicos e maior escala no uso de drones de combate. Talvez os russos estejam com as barbas de molho a espera do que os chineses possam trazer para o tabuleiro e como os americanos vão reagir.

Mirade1969

Não acredito, acho eu que o Su-57 vai aos poucos substituindo a familia Flanker na linha de produção com lotes sucessivos e possivelmente ele esteja em produção continua nos proximos 30 anos ou caso surja alguma nova técnologia que substituira eles na linha de produção. Isso é apenas o primeiro lote de produção.

Almeida Neto

Agora com mísseis anti radar americanos seriam uma jóia junto com Su-29… Mas estão preocupados com o leste russo.

Alan Santos

F-35 mais de 700 no mercado …

Komander

supremacia americana é inigualável!

Claudio

Pela quantidade de baba ovo dos americanos realmente é inigualável

Machado

Os cara falam de um jeito como se fossem norte americanos. São um bando de baba ovo. Enquanto os yankees só metem fumo no Brasil. O maior perigo a nossa soberania são justamente norte americanos e europeus e os caras falando mal da Rússia e China e Irã. Putz. Muita falta de visão estratégica.

Almeida Neto

Deveria juntar num só perfil, Cláudio+Machado, bipolar tu te envelhece rápido.

Judilson

É porque eles aprenderam história vendo filmes do Rambo, ué.

Waldir

Quem mete fumo no Brasil e representa a maior ameaça a nossa soberania somos nós mesmos. Sempre foi isso. Mania de terceirizar a culpa. Culpa nossa colega. Só nossa. Eleição tá aí. Veja se acerta o voto

Luis Carlos

F-104 foram fabricados aos milhares.
Produzir não quer dizer que é bom.

Leandro

Mig 21, mig 23, mig 27, Mi35…

Joanderson

Se o su 57 for melhor do qui qualquer outro caça de 4 geração ja vale o investimento.

Mcruel

Não vale não… já tem o SU-35.

Thiago A.

Exatamente. Depende do que ele oferece e quanto è superior. 2×1 ? 3×1 ?

Se não oferece vantagens decisivas e insubstituíveis não vale a pena. Simples custo-benefício.
Compensa o custo, esforço e baixa cadência de produção se a vantagem sobre um Su-35 é apenas marginal? Se você consegue produzir 2/3 Su-35 no mesmo lapso de tempo por um custo inferior?

Por enquanto é impossível até dizer que é ruim, nem se quer o motor está pronto para apontar eventuais falhas e problemas .

Carlos Campos

ele é menos vísível aos radares do que o SU35, isso é fato, talvez não chegue no nível do F35, então acredito que com ajuda de AWACS ele seja capaz de derrotar com mais facilidade qualquer 4G.

sub urbano

O know how que a Russia ganhou desenvolvendo o SU57 dinheiro nenhum paga. Apesar de ser um projeto demorado e caro ele assegura o lugar da Russia na prateleira de cima. Só 3 países dominam a produção verticalizada (do beneficiamento da materia prima até o produto final de todos os componentes) de um caça de 5ª geração, são eles: EUA, China e Russia. A França em tese teria essa capacidade também, mas na pratica só os 3 primeiros fizeram. Não é facil acompanhar 2 superpotencias. Lembrando que o ultimo projeto novo de caça russo foi o SU27 que foi projetado… Read more »

Filipe Prestes

Pois é, sub urbano. O único problema que vejo no Su-57 é a cadência de produção x unidades encomendadas, sejam para os próprios russos ou clientes de exportação. E tomo como comparativo a produção do F-35 e J-20. Entretanto isso não desabona a qualidade técnica do caça (por ora ainda não provada á 100%) mas a Rússia já demonstrou que sabe fazer avião. Enquanto isso nenhum país europeu tem ainda seu própria 5gen autóctone e pelo visto ainda vai demorar. Não fosse pelo F-35 nenhum deles teriam até o dia de hoje. Santa Lockheed salvando muitas FA européias.

Thiago A.

Quando o Su-57 estiver completamente operacional na Europa já estarão voando centenas de F-35 e levantando o vôo um 6G .

Filipe Prestes

Leu meu comentário direito? Não parece que é o caso porque eu afirmo que o F-35 salvou as muitas FA européias. Quanto á 6ta geração, espere sentado pra não cair do cavalo porque isso ainda vai demorar mais uma década ou mesmo duas. Até lá, os caça de 5ta geração é que farão a diferença, tanto em números como em qualidade e nenhum deles é europeu.

Thiago A.

O cronograma do TEMPEST prevê um demonstrador levantando o vôo nos próximos cinco anos e a substituição dos Typhoons a partir do 2035 . Como lhe disse, o TEMPEST irá levantar o vôo pouco depois do SU-57 ganhar seus motores definitivos (?) … Ou seja, quando O PAK-FA adquirir a sua versão definitiva e começar (se) a produção em massa, já estará desfasado frente o oponente de 6ª G. Isso para não falar das dúvidas que pairam sobre SU-57 o nível de furtividade e as tecnologias para ser considerado de 5ªg. Sobre o F-35 ser ou não europeu, é irrelevante,… Read more »

Fábio

O Sucata57 não é steath.

Leandro

Su57 não é quinta geração

Andre

E dos 3, só dois colocaram em operação.

Adriano Madureira

Eu não vejo problema algum no SU-57 e sua história de desenvolvimento… O programa PAK FA foi iniciado no ano 2002, o primeiro protótipo foi entregue em 2009 e levantou voo em 29 de janeiro de 2010, com a aeronave T-50-1.  A produção em série da aeronave se deu em 2019. Seria um problema caso os russos defendessem de um único caça para defesa de seu espaço aéreo, mas não é. Já para exportação, a situação do SU-57 não é animadora, e ainda mais havendo a pressão americana com seu cretino CAATSA Act para ameaçar países de adquirirem a compra… Read more »

Luis Carlos

Não creio que com os novos fatos ocorridos após o 24 de fevereiro, o CAATSA represente algum empecilho.
O Mundo está rachado e estamos assistindo situações interessantes como o aumento da cooperação militar entre ex-aliados americanos com Rússia e China.
A Arábia Saudita é um exemplo.
A Turqui, outro.
E por aí vai.
Ou seja, CAATSA, ninguém liga.

Bardini

O MoD russo inicialmente planejava adquirir 60 Su-57s padrão de produção até 2020, seguidos por mais 150-160 até 2025. No entanto, esses planos mudaram depois que o presidente russo Vladimir Putin anunciou que 76 exemplares seriam comprados e entregues às Forças Aeroespaciais Russas pela 2028.
.
Quando a propaganda se choca com o mundo real.

Felipe Morais

Isso sempre acontece. A propaganda e o marketing podem propagar o que quiser, mas a realidade se impõe.
O problema maior não é a propaganda e o marketing, é quem acredita.

Enquanto a transparência escancara os problemas do F35 e impõe a busca por soluções, a propaganda mascara os problemas da concorrência, até o momento que a realidade se impor.

Estamos vendo isso acontecer com o “imbatível” SU34 na Ucrânia.

paulof

Vai ter mais cortes por aí, eles tem repor muito material perdido na guerra agora, além de terem perdido mercados como Reino Unido que já em Junho comprou zero combustíveis de Putin.

Erick Barros

Aprenderam com a MB.

Fábio

Que barca furada, se sair 10 unidades até 2030 é pra agradecer.

Thiago A.

Podem até sair, mas serão com os motores definitivos ? Será possível avaliar a qualidade dessa máquina? Uma pena .

Radagast, o Castanho

Podem falar o que for desse caça, mas que o bichão é bonito ah! isso é!

Almeida Neto

O mais encomendados agora sãos os JH-7 chineses, vão estar em toda a África. Os leopardos

Last edited 1 mês atrás by Almeida Neto
naval762

Vamos ver até que ponto isso vai.

Nilton L Junior

Segundo o canal Paralelo 56 Chefe da linha de montagem final da planta de Komsomolsk on Amur Denis Garifullin, onde já é feito a montagem do Su-35S a mesma esta sendo preparada para montagem de 30 Su-57 por ano.

leandro

entregaram 50 su 35 em cinco anos…vao entregar 30 su 57 por ano sim…vai vendo

Adriano Madureira

Se não estiver enganado, anteriormente essa planta era onde os russos produziam o FullBack…

Nilton L Junior

Vou perguntar la no canal

Tiger 777

Me esclareçam por gentileza, pois sou leigo.
O calcanhar de Aquiles do SU 57, são os motores??
O custo de manutenção e o hora de vôo??
O Radar é inferior aos ocidentais???
Ou é que a Rússia exporta versões degradadas, sem a capacidade, dos caças não exportados??

Antecipadamente agradeço.

SteelWing

A doutrina russa é exportar versões menos capazes em tudo, vendem o o su-30, mas com tecnologia inferior as mais recentes usadas pela força aérea russa, em radares com alcance e tecnologia menor, mísseis e sistemas idem, motor desatualizado. Está é a forma deles manterem cartas na manga, já que vendem a qualquer país. Já a doutrina dos EUA é ter produtos diferentes para cada tipo de cliente por exemplo , ao Brasil E vários outros países, como os árabes do Oriente médio, foi oferecido o f-18 hornet, f-18 super hornet e f-16,já a parceiros mais próximos como Israel, Inglaterra… Read more »

Last edited 30 dias atrás by SteelWing
Hellen

Esse aviao russo melhorou muito em qualidade no acabamento da fuzelagem,antes vc olhava e via muito arrebite na fuzelagem em geral,agora praticamente nao tem mais !!!

Lewandowski

O Su-57 é a ponta de lança dos russos e deve ser tratado com prioridade. O importante é que o projeto está amadurecendo e evoluindo dia-a-dia. Ainda não se configura, na minha opinião, um caça de 5ºG pois essa é baseada em vários conceitos, não só nas características stealth – o que o Su-57 ainda não é. Foi pensado para ser assim, mas sabemos que a cereja do bolo são os revestimentos e até a eletrônica, o que os russos ainda estão correndo atrás e, para competir com os futuros caças europeus e chineses, terão que progredir muito, “crescer 50… Read more »

Last edited 30 dias atrás by Lewandowski
Luís Henrique

Muitas mensagens demonstrando os lados das torcidas, mas o principal da notícia não vi ninguém comentar. Da mesma maneira que a Ucrânia está usando muito dinheiro na guerra e que a Otan está se fortalecendo com a inclusão de novos membros e vários países aumentando os seus orçamentos militares, é muito provável que a Rússia faça algo semelhante. A Rússia havia reduzido seu orçamento militar em cerca de 20% em anos recentes, para priorizar educação, saúde, etc. Mas agora que está no meio de uma guerra e se sentindo mais pressionada pela Otan que está fornecendo equipamentos para a Ucrânia,… Read more »

Thiago A.

Pequena diferença . Uma coisa é você passar do 1% ou 1,3 % de orçamento militar para o 2%, 2,5% , 3%, 4% …. Outra é você já gastar 4% antes do conflito, gasto que certamente já aumentou para sustentar esse esforço bélico e agora ter que incrementar mais ainda para fazer decolar um programa que contínua ( no obstante os 4%) se arrastando. As aeronaves citadas são nada mais que derivados e atualizações do FLANKER . As demais, simples modernização. Tudo isso no meu de uma contração do seu PIB e sujeito a sanções. Irão chegar a comprometer quanto… Read more »

Walsh

O pessoal sempre esquece que a Rússia tem um PIB semelhante ao do Brasil, não tem como concorrer com os orçamentos dos EUA (20 vezes o PIB russo) e da UE (17 vezes o PIB russo). A Rússia é um pais pobre brincando de superpotência.

Luís Henrique

O PIB russo convertendo a moeda para o dólar americano é equivalente ao do Brasil, mas o PIB PPP que é bem mais realista, é maior que o nosso e cerca de 40 à 50% maior que o PIB da França ou do Reino Unido. Ocorre que o Brasil importa armamentos, em sua maioria dos EUA e da Europa (em dólares ou Euros), portanto o nosso orçamento militar em dólares é o mais preciso para demonstrar nossa capacidade ou falta de capacidade para adquirir equipamentos bélicos. Já a Rússia é grande produtora de equipamentos e não depende de importações em… Read more »

Thiago A.

Esses são os PIBs PPP que encontrei, não resulta que o PIB brasileiro seja 50% superior ao francês. O PPC geralmente leva em consideração uma lista que abrange milhares de bens de consumo e serviços. È uma somatória. Alguns itens serão tão baratos que irão compensar o custo de outros bens mais caro . Uma banana pode ser infinitamente mais econômica no interior da Bahia. Ou ainda, um aluguel em uma cidade brasileira, infinitamente mais barato quando comparado com uma cidade européia. No outro lado da ponta encontramos um iPhone, por exemplo, que aqui é mais caro. Não é de… Read more »

Screenshot_20220825-163946~2.png
Thiago A.

Essas eram as importações russas vindas da Alemanha, grande parte são maquinários para fabricação:

Screenshot_20220825-164300~2.png
Thiago A.

Considere a Zavody ( Мотови́лихинские заво́ды) o maior produtor de MLRS e sistemas de artilharia na Rússia. Como você vê, eles estão usando uma máquina industrial de tornearia de uma empresa italiana Tacchi Giacomo e Figli SpA

FOzaVfIUcAgA7D-.jpg
Thiago A.

Principais exportadores de microeletrônica e semicondutores para a Rússia .

Screenshot_20220817-095529~2.png
Thiago A.

Exemplos de armas russas que utilizam componentes Texas Instruments:

Screenshot_20220817-094729~2.png
Thiago A.

P.S. O comentário onde argumentei mais extensivamente ficou retido pela moderação. Sem paciência para reescrever tudo 😅

Luís Henrique

Entendo seu ponto. Claro que nenhum país é 100% independente, mas é muito diferente de você adquirir caças de outros países, mísseis de outros países, radares, fragatas, submarinos, etc.
Componentes na cadeia produtiva é bem diferente. Até os EUA compram componentes da China. Até o F-35 tinha componentes fabricados na China.
Mas isso é muitíssimo diferente de um país que importa quase todas suas armas.

Thiago A.

“Claro que nenhum país é 100% independente, mas é muito diferente de você adquirir caças de outros países, mísseis de outros” Óbvio, mas uma é ter uma dependência nesse setor com um seu aliado outra é depender de importações de países que você encara como adversários. Tem mais. Se eu necessito importar maquinários de precisão, um torno mecânico, para ampliar minha capacidade fabril e usinar o punho do rotor de um helicóptero ou uma peça de artilharia, é claro que não irei aproveitar o PPP na mesma proporção que se aplica em outros setores. Os EUA conseguem substituir um ou… Read more »

Thiago A.

Sobre o PIB PPP, existe um equívoco aí :

Screenshot_20220825-163946~2.png
Thiago A.

#PIB PPP do REINO UNIDO:
3,75 Trilhões
Ou seja, se eles aplicassem ( se enxergassem a necessidade) o 4% do PIB na defesa seria o equivalente a 150 bilhões seguindo a lógica da paridade do poder de compra .
Como eles aplicam apenas o 2% … Não existe mistério aí

# o PIB PPP da França é idêntico ao brasileiro.

Thiago A.

em diferente. Até os EUA compram componentes da China. Até o F-35 tinha componentes fabricados na China. Mas isso é muitíssimo diferente de um país que importa quase todas suas armas. 0 0 Responder Thiago A. Thiago A. Visitante Awaiting for approval Reply to Luís Henrique agora mesmo “Claro que nenhum país é 100% independente, mas é muito diferente de você adquirir caças de outros países, mísseis de outros” Óbvio, mas uma é ter uma dependência nesse setor com um seu aliado outra é depender de importações de países que você encara como adversários. Tem mais. Se eu necessito importar… Read more »

Luís Henrique

Sim, errei no PIB PPP britânico e francês. Mesmo assim estes países produzem em euros e importam armas americanas em dólares. Ou seja, o orçamento militar destes países não altera nada pelo método PPP. Ao contrário, normalmente os produtos europeus acabam sendo mais caros do que os americanos. Já na Rússia ocorre o oposto, os equipamentos militares russos são bem mais baratos porque são produzidos em Rublos, portanto U$ 68 bi na Rússia tem um poder de compra quase 3x maior do que no Reino Unido. E isso é facilmente comprovado, basta analisar que Reino Unido e Rússia possuem orçamento… Read more »

Last edited 29 dias atrás by Luís Henrique
Luís Henrique

O PIB dos EUA U$ 25,346 tri o PIB russo PPP U$ 4,365 tri.
Da uma diferença de 5,8 x muitíssimo distante de 20x.

Luís Henrique

A Rússia já mostrou na última década que com o orçamento atual é capaz de adquirir centenas de caças novos e modernizar mais várias dezenas dos velhos. Apenas mantendo o mesmo orçamento, mas substituindo as aquisições de Su-30SM, Su-35 e Su-34 por caças Su-57 já seria suficiente para viabilizar a aquisição de centenas de unidades. Em um esforço de guerra é natural que os países façam um esforço extra, não imagino de quanto seja, e muito provavelmente não será algo absurdo como a URSS que chegou a gastar mais de 20% do PIB em defesa, mas se a Rússia aumentar… Read more »

Luís Henrique

Vou exemplificar melhor o raciocínio… O PIB russo em dólares é de U$ 1,7 tri mas pelo método PPP é U$ 4,3 tri 4% do PIB para orçamento de defesa da U$ 68 bi (pouco acima do orçamento britânico), porém considerando o método PPP o orçamento militar russo “mais realista” chega em U$ 172 bi. Digamos que a Rússia aumente o orçamento militar para 5% do PIB por causa da guerra e da expansão da Otan, o valor salta de U$ 172 bi para U$ 215 bi Ou seja, um aumento de U$ 43 bi. Esses U$ 43 bi é… Read more »

Walsh

A questão é que a Russia simplesmente não tem dinheiro para entrar nessa corrida.

Luís Henrique

Não falei em corrida. Falei em aumentar a produção do Su-57 para centenas de unidades. É só a Rússia substituir as centenas de unidades que adquiriu de Su-35 e Su-30SM na última década por centenas de unidades do Su-57.
Até sem aumentar o orçamento a Rússia pode fazer isso. Mas acho muito provável um aumento no orçamento devido à guerra e ao fortalecimento da Otan.

Luis Carlos

A outra questão é que os EUA também não.
Tanto é verdade que já têm uma dívida de mais de US$ 30 trilhões.
E crescendo rapidamente.

J-20

Nesse ritmo aí, eu acho que a China consegue emplacar uma grande exportação do J-31 antes mesmo do Su-57 ficar 100% pronto para a força aérea russa. O projeto Pak FA tem sido uma grande piada nos últimos tempos.

Últimas Notícias

Os EUA perderam a supremacia convencional, precisam de investimento para manter a dissuasão

A China avançou tanto e tão rápido em seu poder aéreo e espacial que a capacidade da Força Aérea...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -