domingo, setembro 25, 2022

Gripen para o Brasil

Helicóptero de ataque AW249 faz seu voo inaugural

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

O AW249, desenvolvido pela Leonardo Helicopters para substituir os helicópteros de ataque A129 Mangusta, fez seu voo inaugural.

A Leonardo Helicopters iniciou o desenvolvimento do AW249 após a assinatura de um contrato de US$ 487 milhões com o Ministério da Defesa italiano cobrindo o desenvolvimento e fornecimento de um novo helicóptero de ataque.

Comparado com o A129 Mangusta, o AW249 aproxima-se da classe pesada com uma capacidade de carga útil de 1.800 kg e um peso máximo de decolagem de 8 toneladas; ele usa dois motores GE CT-78E6 turboshaft com aproximadamente 2.583 shp cada. Desta forma, o AW249 terá uma relação peso-potência muito maior em comparação com o A129, que utiliza 2 motores Rolls-Royce Gem 2-1004D de 890 shp cada que substituirá.

Com 3 estações de armas em cada asa e capacidade de transporte assimétrica, a carga de armas do AW249 inclui mísseis antitanque da série SPIKE, mísseis ar-ar (AIM-9 Sidewinder nas pontas das asas ou AIM-92 Stinger sob a asa, etc) e OTO Melara TM-197B 20mm.

Além do aumento do desempenho de voo e das cargas úteis, outra característica proeminente do AW249 é a Cooperação Tripulada-Não Tripulada (3I). Destina-se a fornecer capacidade de operação coordenada com vários sistemas de UAV com o painel do co-piloto projetado com a referida capacidade em mente. Para dar um exemplo das vantagens desse tipo de uso, um VANT próximo pode realizar vigilância e marcação de alvos enquanto o helicóptero está atrás da cobertura, ou as munições vagantes (loitering munitions) podem ser coordenadas pelo helicóptero para fornecer poder de fogo de apoio.

Ao lado do Exército Italiano, a Polônia também está interessada no AW249 para substituir a antiga frota de Mi-24 Hind. Conforme relatado pelo MilitaryLeak, a PGZ havia assinado com a com Leonardo Helicopters em 2019 uma declaração de intenções sobre o projeto, fabricação e suporte logístico pós-venda do AW249.

Alguns Helicópteros Leonardo comparados ao novo AW-249. O AW-149 tem o mesmo eixo de rotor e transmissão que o AW-249

FONTE: Defense Turk

- Advertisement -

109 Comments

Subscribe
Notify of
guest

109 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gabriel

Não tenho como comentar a quantidade, pois não tenho amplo domínio do tema.

Mas achei o bicho feio demais…rsrsrs

Augusto

Eu, pelo contrário, achei muito bonito.

Cristiano Salles (Taubaté-SP)

Também achei, parece que estão sem idéias para designers…, igual aos carros atuais…, os Apaches são feios, más metem medo…, os Cobras acho bem legal…, o Comanche também, bem bonito…, más devem saber o que estão fazendo é melhorando o produto…

Ainda torço pelo Brasil ter uma cavalaria aérea de respeito, e sair dos esquilos de helicópteros de ataque…, kkķkkk

Abraço a todos…

Fiquem com DEUS…>>>

Segatto

Tirando a cabine que parece ter sido projetada pela Tesla, achei o resto lindo

Renato B.

O único helicóptero de ataque que já chegou a ser próximo de algo bonito foi o AH-1 Cobra, nas primeiras versões.

Depois disso, a estética foi ladeira abaixo na cadeia de requisitos, os projetos posteriores refletem essa cadeia e eu entendo a lógica. Exceção para os Kamov que tem lá sua elegância. Portanto, esse está até bonito, o visual é mais limpo dos que outros projetos como o Apache e o Mil-Mi 28.

Fiquei curioso sobre o visual facetado. É para reduzir reflexos, melhorar a aerodinâmica?

Last edited 1 mês atrás by Renato B.
Sensato

Não creio que estética tenha, um dia que fosse, integrado um dos requisitos, mesmo que no fim da fila.

Thiago A.

Ligeira a Leonardo! Eu não esperava vê-lo tão cedo e sobretudo sem atrasos, o programa parece progredir rápido e pontual como relógio.

O Tigre franco-alemao foi um parto bem mais demorado, quase uma odisseia !

Nonato

Tenho essa opinião que equipamentos de guerra não deve levar 10, 20 anos para concluir.
Em 20 anos tudo pode ter mudado e estar obsoleto.
Ou sabe fazer ou não sabe.

Nonato

Ademais, na minha opinião (cada caso é um caso), grosso modo, as empresas deveriam desenvolver produtos por conta própria e oferecer ao mercado.
E não ficar esperando de braços cruzados um dia ser procuradas..
Esse míssil hipersonico americano.
Já deveriam ter.
E não apenas eles mas outras armas disruptivas também.
Estar à frente do mercado e não correndo atrás.

Dino

Equipamento bélico não é igual carro que vc projeta e vende milhões de unidades. Um helicóptero precisa de uma garantia que alguém vai comprar para que valha a pena gastar dinheiro no projeto

Tutor

Se for entre esse e nada, que seja esse. Mas, se tiver opção, espero que nossas forças nunca comprem esse genérico.

Leonardo

Cara se sobrarem uns aw129 usados que vão ser substituídos por esses aw249 já tava bom demais!
Vcs parecem que vivem em outra realidade kkk

Nemo

O AW129 Mangusta não tem uma boa fama em relação à disponibilidade e manutenção. Qual deverá ser o “boleto” desse AW249, uns U$ 100 milhões?

Nascimento

“Não tem uma boa fama em relação à disponibilidade e manutenção” Conversa e inferências vindas de ogum e babalorixá, como sempre. Vocês tiram essas inferências de onde? O que tem de diferente nos componentes dos helicópteros da Leonardo/Agusta Westland que os demais helicópteros ocidentais não tem? O Mangusta foi o 1º helicóptero de ataque europeu, enquanto o Tiger demorou quase meio século pra sair do papel o Mangusta já era a cavalaria aérea europeia. No último Trident Juncture a Itália usou cerca de 24 Mangustas, como não estão operacionais? Se a fonte for a “Cavok” nem leve em consideração. Pois… Read more »

rui mendes

Por acaso o Mangusta é adorado pelos Italianos, por ter manutenção fácil e barata e disponibilidade alta.
O modelo mais recente, o que foi actualizado para disparar mísseis Spike, também é muito elogiado.

Adriano Madureira

Genérico de quê amigo?

Clésio Luiz

Não é de marca, entende? Se não for famoso, não dá para fazer selfie e postar no Instagram para ostentar…

Nascimento

Verdade. Bom mesmo são os helis superfaturados nafionais da Airbus, né? Bom mesmo é o Blackhawk imposto pela OBMEP como requisito dos EUA pra missão. Ops, HELIBRAS cujo chefe geralmente é francês. Helis os quais nunca tivemos tecnologia nacional alguma vital nos rotores de calda ou principal.

O brasileiro é muito arrogante mesmo. Tomara que continuem com Esquilo com .50 passando vergonha.

Marcos Silva

OBMEP?????

Nascimento

MOMEP

Mayuan

Rotor de calda deve ser o maior adianto na hora de fazer um pudim. Desconfio que a confeitaria aqui perto de casa comprou um recentemente.

Nelson Junior

Vai ser muito caro de obter e muito caro de manter também, pode apostar…
Acredito que vai dar para comprar dois “Turcos AW-129” com preço dele e olhe lá…

PauloOsk

A129 sobrando na italia? Bem que o EB pod… deixa pra la, nao vai rolar. :/
Haha

Komander

Uns 50 desse

Marcos Silva

esse paizeco nunca terá nada assim.

Marcelo M

A MB poderia operar junto com os fuzileiros navais no PHM Atlântico. Uma meia dúzia pelo menos.

Gustavo

Se não deu certo pegar dos EUA uns ah-1z viper, quase que de graça, imagina pagando.

Sensato

EUA e quase de graça na mesma frase é, no mínimo, curioso. No mínimo seria atrelado a uma compra de armas e um pacote de atualização, tudo feito por empresas americanas, gerando emprego e impostos lá. Eles são malvados por isso? Pelo contrário, estão certíssimos.

Gustavo

Exato

Heinz

Enquanto em terra brasilis, aposentamos nossos sabres e vamos de esquilo com pods de metralhadora e foguetes burros.

Henrique

Aposentou tarde demais esses Sabres… nem era pra ter existido esse Helicóptero no Brasil.. ainda, mais na FAB

Sensato

Exatamente. A FAB não tem que ter compromisso com o erro. Se está uma dificuldade fazer a manutenção, vai manter pra quê? Libera pessoal e recursos pra fazer coisas mais úteis. Engraçado é que o mesmo povo que reclama de vender esses vetores são os que acusam as FA de má administração e outras baboseiras.

Ricardo Machado

Concordo, isso foi coisa do “poste” que queria descontar um pouco do Superavit da Balança Comercial com esses “produtores de PROPAGANDA RUSSA”, porque e nisso que eles são “bão”, Competência Militar está LONGE, e a “estocadora de vento” pensou(?): “VOA, logo, e bom para a FAB…” E COMPROU SEM PERGUNTAR SE ELA QUERIA! Talvez, se tivesse consultado a Força Terrestre, poderia se “encaixar” na Aviação do Exército, que e onde UNIVERSALMENTE E USADO, agora não adianta, tem “treta” entre Eles, vão negar Publicamente, mas o VETO da FAB dos SHERPA no E.B. foi “mal digerido”, e eles não vão “SALVAR”… Read more »

Nelson Junior

Acredito que é bem por ai que vão seguir, infelizmente

Carlos Campos

Muito legal, mais um para o mercado, pelo que sei é melhor do que o Tiger, que quem opera não gosta, nessa nova versão deve ser um openente de peso para o Apache e para seu primo Turco

rui mendes

A França e a Espanha gostam do tigre, tanto é que estão melhorando-o, para que seja mais barato de operar, que é o seu calcanhar de aquiles, junto com uma disponibilidade baixa, que também já melhorou e vai melhorar mais, nos tigres Espanhóis e Franceses. Por outro lado, o Tigre deve ser o único Héli de ataque que têm 3 mísseis anti-tanque integrados, o israelita Spike, o norte americano Hellfire e o Francês MMP, actualmente estão a trabalhar na integração do míssil anti-tanque Francês MLP.
O aw-249 é outro excelente produto da indústria Italiana.
Parabéns Leonardo

Nascimento

Tão bom que a Austrália devolveu.

Carlos Campos

essa de Espanha gostar é duvidoso pra mim, pq até eles reclaman dos custos de operação e disponibilidade,

rui mendes

Exactamente, eles gostam do helicóptero, mas criticam esses 2 ítens.
Essas 2 problemas são algumas das razões para a modernização em curso,

Marcos Silva

França tem que gostar mesmo! Já viu um pai não gostar do filho?

Luis Carlos

Não sou analista de fotos, mas esse parece que um balaço atravessa a fuselagem.
Avião de ataque é o Ka-52.
O tanque voador.

Luis Carlos

Digo, helicóptero de ataque.

Leandro

Aqueles que estão sendo abatidos as pencas pelos stinger e stugna P na Ucrânia?

https://forcaaerea.com.br/ucrania-video-do-2o-ka-52-alligator-abatido-com-o-stunga-p/

Thiago A.

Como andas desatualizado Luis! A Leonardo já testando e aplicando conceitos novos com a integração entre helicóptero e UAVs e tu ainda na era sov#ética dos tanques voadores.

Carlos Campos

Ka 52 tá se mostrando muito bem na ucrania, ótima manobrabilidade, sobrevive bem aos disparos de arma de fogo e aos mísseis, mas duvido que o EB ou FAB compre, acredito que o Italiano ou o Turco sejam os que a EB deve preferir e claro os Viper

Felipe Morais

Se mostrando bem sendo derrubado por atgm?

Luis Carlos

Primeiro tem de se descobrir se o vídeo é verdadeiro.
Segundo, se o atirador tiver a sorte de acertar com um ATGM é óbvio que vai destruir o helicóptero, visto que o míssil é feito para destruir tanques.
O que não pode é ser derrubado por uma AK-47 como o Apache foi no Iraque.
Cada uma…….

Felipe Morais

sei…”fake news e sorte”

Pensei que você acreditasse em todo vídeo que sai na internet…

Luis Carlos

Vídeo feito através de tela de computador é meio difícil de acreditar.
Ainda mais vindo dos ucranianos.
Só falta dizer que eles atingiram o aparelho durante o contra-ataque em Kherson.

Ricardo Machado

Um tiro de sorte em um aparelho com problema mecânico e a manutenção não fixou direito a proteção que ficou aberta. Helicópteros vibram muito, se não fixar com TUDO o que tem direito, as peças voam, já trabalhei com helicópteros de “prontidão” e é um “negócio tenso”, imagine numa GUERRA.

Nascimento

Qualquer helicóptero pode ser abatido, até o Apache foi. O KA-52 é muito mais blindado do que o AW249 e por não ter um rotor de cauda traseiro logo não cairia de forma giratória após um ataque de MANPAD, salvaguardando a vida do piloto. As vantagens do AW249 devem ser outras, principalmente a capacidade do piloto poder empregar múltiplos UAVs de asas rotativas em seu suporte.

Pro AVEx eu iria preferir o T-129.

Sensato

Além de não ter rotor de cauda, o Ka52 tem a vantagem de ter assentos EB ejetores, aumentando as chances de sobrevivência da tripulação. Ainda assim, não creio que seja uma opção viável para o EB por uma longa série de fatores.

Faver

Acho relativo o conceito de ser derrubado… O Huey caiu as pencas no Vietnam e nem por isso era ruim… Acho que depende do que ele cumpre, se é manobrável e, também, escapa de cenários adversos…

Last edited 1 mês atrás by Faver
Carlos Campos

isso mesmo, nem comentei do Huey, Vietnã é um cemitério dele, mesmo assim muitos voltavam para base depois de levar tiros, era rápido, ágil, levava uma boa carga, sobrevivia muito a intensidade do conflito.

Carlos Campos

nos condições em que ele voa, ou seja baixa altitude, qualquer um seria derrubado por ATGM, a não ser que você me diga um que receba impacto de ATGM e fique inteiro, eu desconheço, tem a questão também da sobrevivência em cenário de alta intensidade como tá sendo a Ucrânia, ele está se saindo bem.

Jefferson BA

O problema que muitos ka52 foram derrubados.
Sem dúvidas é um helicóptero que irá perder futuros comprados, passa uma imagem de produto ruim, assim como vários produtos russos.
Não falo por implicância, é opiniao mesmo. Eu passaria longe!

Carlos Campos

tua opinião é formada simplesmente pelos números de perda, sem levar em consideração o ambiente de operação em que houve as perdas, para uma avaliação militar o contexto das perdas conta muito, mas ser bom não é única coisa que define uma venda militar, as sanções à Rússia tiraram muitas vendas deles.

Rinaldo Nery

A FAB jamais comprará. Heli de ataque é problema do EB.

Henrique

ainda periga da FAB falar que “hélice” do helicóptero é uma asa fixa presa a um rotor e que isso não tem revência no final já que é uma asa e o EB não pode ter asas

kkkkkk

Rinaldo Nery

Não posta bobagem, filho. Polui a trilogia. Perdeu a oportunidade de ficar calado. Não passa atestado de vergonha.

Sensato

Alguns aqui simplesmente não resistem.

Nelson Junior

Fosse eu tentaria obter uns AH-1W Super cobra que os Marines colocaram para reserva…
Iam ficar bonitões no PHM Atlântico…
E custar uma fração do dinheiro e via FMS ainda

Ivanmc

É o melhor, sem dúvidas.

Nelson Junior

Aquele que os pilotos voam com tablet no colo para poder usar o GPS ?

Thiago A.

Tanque voador é coisa da era soviética. A Leonardo ja testou e demonstrou com sucesso a integração entre helicópteros e UAVs, já em 2020 colaudaram o conceito com a tripulação de um AW159 controlando veículos aéreos não tripulado . A combinação das duas plataformas oferecerá vantagens inéditas aumentando a consciência situacional, ritmo, letalidade, capacidade de sobrevivência e alem de reduzir a carga de trabalho da tripulação. Os pilotos podem se concentrar na missão delegando algumas das tarefas ao drone, que se torna um sensor destacado do helicóptero, capaz de operar mais próximo da área de interesse, pois a plataforma tripulada… Read more »

AW159-UAV-MUMT-1-678x381.jpg
rui mendes

Tanto o invictus como o Raider, parecem ser excelentes.

Sensato

Provavelmente serão tão bons quanto caros.

Fábio

Pelas dimensões, o tamanho claramente é baseado no AH64 Apache. Idêntico! agora resta se provar em campo de combate e ver se os dispositivos eletrônicos são de capacidade similar ou superior. Caso contrário o projeto nasceu desatualizado e morto.

Last edited 1 mês atrás by Fábio
Felipe
Digo

Se a Itália tivesse um gov 100% nacionalista que investisse pesado no setor da defesa, eles iam ter mto mais futuro nessa área, eles já tem o expertise e a mão de obra qualificada em grandes empresas dos setores mais complexos como construção de navios(fincantieri) e engenharia aeronáutica (Leonardo), além de terem outras empresas de destaque e excelência no ramo como a Beretta, IVECO e várias subsidiárias.

Eles já estão devendo um bom MBT a algum tempo.

Henrique

Se a Itália tivesse um gov 100% nacionalista… 

ja teve e não deu certo

Neto

E não deu certo nem para Italianos nem para vizinhos..

Digo

A china tem um gov 100% nacionalista, e está dando extremamente certo, especialmente quando eles expulsarem os americanos do pacífico.

Guilherme Leite

Só não está dando certo para a população que tem seus direitos violados.

Esses dias um banco chinês proibiu o levantamento de valores na poupança, os chineses foram protestar na sede do banco, o governo enviou tanques para conter a manifestação.

Poderiam ter enviado a policia, mas os chineses tem uma longa história com tanques em manifestações, não é mesmo ?

Digo

“Só não está dando certo para a população que tem seus direitos violados.”

Só faltou perguntar para a o população por que o PCC tem 95% de aprovação.

https://ash.harvard.edu/files/ash/files/final_policy_brief_7.6.2020.pdf

“Esses dias um banco chinês proibiu o levantamento de valores na poupança, os chineses foram protestar na sede do banco, o governo enviou tanques para conter a manifestação.”

liberaloide acreditando em fake news novamente, os tanques não estavam nem na cidade Henan para começar.

https://apnews.com/article/fact-check-china-tanks-bank-protest-597006254172

Caerthal

Já que você defende uma ditadura sangrenta não deixe o o Xandão ler o que você posta no Whatsapp…

Jefferson BA

Sério que eu li isso? As Forcas Armadas da Itália são excelentes Acho muito moderna e quase sempre desenvolvida na própria Itália, focando mercado interno e exportação. A própria matéria fala em mais de 500 milhões para desenvolver esse helicóptero. A Itália está lotada de projetos militares em desenvolvimento. Entregaram recentemente 1 porta helicópteros, 1 navio tanque/logístico l, 10 fremm, construindo novos submarinos u212NG, nova classe de navio patrulha PPA (planejam 17 deles, entre 5 e 6 mil toneldas), estão desenvolvendo novos navios patrulha europeus de 3 mil toneladas em parceria com os europeus, estão desenvolvendo novos destroiers (2 serão… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Jefferson BA
Segatto

Melhor reduzir para 50%, 100% não foi bom e se tivéssemos outro assim, seria pior, pois dessa vez a Itália tem bem mais recursos industriais e financeiros

Mensageiro

Quando vejo heli militares de ataque me vem a cabeça helis russos caindo na Ucrânia. Ainda são viáveis?

Victor Filipe

São sim, é só saber usar.

Helis são como qualquer outra arma, algo feito para ser empregado em conjunto com outras partes das forças armadas.

jogar eles sozinhos no campo de batalha é pedir pra que acabem no chão em meio a uma bola de fogo.

Cristiano de Aquino Campos

Saber usar e em quem usar! Se o alvo tiver como se defender e suicídio.

Guilherme Leite

Depende, se a parte contrária estiver sendo financiada pela OTAN e esta fornecer quantidades absurdas de MANPADS, se torna mais perigoso operar um heli de ataque.

Já a OTAN no Iraque utilizou muito bem seus Apaches contra uma força com poucos MANPADS….

Pensando no Brasil, se nos atacassem hoje, não teríamos defesa anti aérea suficiente para derrubar uma frota de helis de ataque e ainda teríamos que contar com a sorte de que o portador dessa defesa esteja no momento oportuno para utiliza-la.

Jefferson BA

Helicoptero muito interessante. Parabéns para o governo italiano e a leonardo.
Uns 12 desses seria bem úteis para o Brasil.

Gilson

Sera que no meio militar, a palavra lindo!! feio!!, para os militares tem algum sentido. não seria para eles performance, tecnologia de ponta e outros meios militares bem atualizados. Lindo é uma ferrari F1, feio é um renault clio 4p. Mas continuando o helecoptero AW249, nada mais é uma remodelação do anterior, ou seja ficou melhor em tudo, entendesti.

Foxtrot

Se fossemos um país sério e com integração de nossas FAAs em equipamentos, comandos conjuntos etc, recomendaria a aquisição para montagem local para EB/ CFN.
Mas como essa não é nossa realidade, só fico a admirar e invejar os feitos alheios.

Thiago A.

Não apenas a aquisição, mas um desenvolvimento conjunto de uma versão tropical, cuja propriedade intelectual do projeto e exclusividade do direito sobre eventuais exportações fosse brasileira . Mais ou menos no moldes do T129 turco.

Isso caso o EB mostrasse interesse e existisse uma forte política de incentivo industrial. Como tudo isso não existe …

Foxtrot

Exatamente amigo.

Riccardo

l T129 è stato sviluppato per la Turchia dalla Italiana Augusta e prodotto in Turchia su joint venture, ma non è altro che un lieve miglioramento del vecchio A129, non credo oggi sia un modello che possa essere considerato i mezzi si devono adeguare alle esigenze del momento.

Thiago A.

Caro Riccardo, la mia proposta va intesa nel senso di replicare la collaborazione italo-turca del T129 ( seguendo gli stessi termini dell’accordo) ma con con l’ AW249,
in una versione tropicalizzata per l’esercito brasiliano. Non certo il T129, che non mi suscita particolare interesse. Un conto è una semplice acquisizione di poche unità per sopperire puntuali lacune dell’esercito, altro discorso è una acquisizione che ha come meta collaborazione e ricadute industriali – AMX docet. Ovvio che prediligo chi ha comprovata esperienza e competenza in materia.

Carlos Gonzaga

Acho que esse tipo de equipamento precisa ser re-pensado. Com a grande quantidade e diversidade de manpads e armas portáteis, veículos que operam a baixa altitude ou baixa velocidade são alvos fáceis. Vejam a quantidade de helis abatidos na Ucrânia. Foram abatidos até com armas anti-carro. Se houver cobertura aérea de asa fixa então, a coisa virá tiro ao pato.

Cristiano de Aquino Campos

O único papel de destaque em larga escala ate hoje de helicópteros de ataque foi nas duas guerras contra o Iraque quando eles não tinham armas adequadas para se defender. Depois só uso isolado contra guerrilhas/terroristas sem mísseis mandpads!

Alvaro Silva

Nao sei se vamos comprar, mas vamos derrubar muitos concorrentes russos na guerra da guiana.

Cristiano de Aquino Campos

Não tem muito o quê inovar nesse segmento, e que nem nos aviões furtivos, todos os projetos se parecem por ter que enfrentar os mesmos problemas e ter as mesmas soluções, não importa se é Americano, Russo, Chinês ou Europeu.

TeoB

off topic
estava vendo umas reportagens sobre uma investigação de uap (ovinis) que o congresso americano esta fazendo, pelo jeito estão levando o assunto a sério, além de se cogitar a possibilidade de ser tecnologias chinesas e ou russas tão trabalhando com todas possibilidades… vão compartilhar informações com o publico, será que é dessa vez kkk

Bardini

Dependendo do nível de comunalidade que existe com o AW149, talvez seja uma opção interessante de aquisição, visando um pacote para substituir Pantera.
.
comment image

Caloro

O Pantera K2 vai ser operado pelo menos até 2035. Com a modernização feita nele, se tornou estado da arte na aviônica e de performance. Falo com propriedade. Por isso a USCG está sempre mantendo seus Dauphins atualizados, inclusive o nosso motor, colocado na modernização, é o mesmo da USCG, Arriel 2C2CG.

Wellington Góes

Passa em frente, existem muitas forças auxiliares que adorariam aumentar seu inventário de asas rotativas.

Wellington Góes

Tem anos que venho falando disso e felizmente, nesse assunto, a racionalidade te tocou… rsrsrs

paulp

Caro Bardini. Admiro essa plataforma, mas se fosse o caso de pensar em plataformas com comutabilidade e integração de sistemas, o melhor seria a dobradinha AH-1 Viper e UH-1 Venon, que compartilham mais de 70% de componentes.
Custaria um tanto, mas seriam plataformas logisticamente aceitáveis, para as três forças.
Abraço.

comment image

Last edited 30 dias atrás by paulp
Adriano Madureira

Porquê não substituir o pantera pelo H-160 ou H-175 ?

comment image

comment image

Wellington Góes

Uma planta no BR da Leonardo, ou em conjunto com outro parceiro industrial como a Embraer, desses dois projetos AW189/149 e AW249 (já que compartilham componentes) seria bem interessante ao EB e quem sabe às outras forças, especial no segmento de helicópteros médio-médio (na casa dos 8 a 9 ton.). De repente….

Walter

Infelizmente blindagem balística é constituida de painéis planos e isto limita o design.

Cristiano GR

Em vez de pensarmos em adquirir esse helicóptero ou o seu antecessor, o certo é discutirmos e cobrarmos a compra de mísseis AAé de médio alcance, seja para uso por soldados como por viaturas. A guerra da Ucrânia mostra bem isso.
Helicópteros de ataque e tanques já perderam a batalha tecnológica e começarão a sumir dos terrenos operacionais.

Sensato

É só aparecer qualquer post sobre qualquer vetor que aparece um monte de gente disparando as razões pelas quais o Brasil deveria ou não comprar. Já é previsto.

No entanto, creio que EB compre mesmo, se comprar, kits para armar os Black Hawk atuais e os que vier a comprar. Tais kits permitem uma maior padronização da frota, economia, aumento significativo de poder de fogo e, talvez o mais importante em nossa caótica democracia, a possibilidade de que os helicópteros sejam usados de forma utilitária, em missões humanitárias e etc.

Adriano Madureira

Gostaria de ver o AW-129/T-129 ou até mesmo em um futuro economicamente viável, a possibilidade de ser operador desse AW-249…

Mas se não der para ter um puro-sangue de ataque, até um militarizado poderia ser bem vindo, caso a carteira não esteja gorda.

comment image

Fagundes

Sinceramente na minha opinião, a maturidade da indústria estratégica de defesa e também civil da Itália/França é um bom exemplo na Europa, alcançável para o Brasil, se um dia quisermos nos tornar um país desenvolvido.Imaginem termos um desenvolvimento industrial semelhante junto com o nosso agronegócio hein

RRN

Seria uma boa opção para o Brasil substituir os MI-35 ou são muita areia pro nosso caminhãozinho?

Adriano Madureira

“Se” em um futuro orçamentário favorável aparecer dinheiro, por quê não?!

Mas caso contrário,melhor se contentar com militarizados mesmo…

BLACK SPEED

Máquina perfeita para o EB
Claro se baseada no lugar certo: BATALHÃO DE FRONTEIRA

Últimas Notícias

Os EUA perderam a supremacia convencional, precisam de investimento para manter a dissuasão

A China avançou tanto e tão rápido em seu poder aéreo e espacial que a capacidade da Força Aérea...
Parceiro

LAAD 2023

- Advertisement -
- Advertisement -